Você está na página 1de 59

CÁLCULO NUMÉRICO

Profa. Dra. Yara de Souza Tadano

yaratadano@utfpr.edu.br

Aula 22

Objetivo: Resolver Equações Diferenciais Ordinárias utilizando métodos numéricos

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

3/58

Pêndulo Oscilante

¨ O movimento de um pêndulo oscilante, sob certas hipóteses simplificadoras é descrito pela equação diferencial de segunda ordem:

§  §  §  §  §  § 
§ 
§ 
§ 
§ 
§ 
§ 

d 2 θ

t 2 +

d

g

L senθ = 0

onde:

L é o comprimento do pêndulo; g é a constante gravitacional (g 9,8 m/s 2 ); θ é o ângulo que o pêndulo faz com a vertical.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

4/58

Pêndulo Oscilante

¨ O movimento de um pêndulo oscilante, sob certas hipóteses simplificadoras é descrito pela equação diferencial de segunda ordem:

é descrito pela equação diferencial de segunda ordem: d 2 θ t 2 + d g

d 2 θ

t 2 +

d

g

L senθ = 0

Problema de Valor Inicial (PVI):

 

θ

(

t

0

) = θ 0

 

θ '

(

t

0

) = θ 0 '

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

5/58

Pêndulo Oscilante

¨ Para valores pequenos de θ , a aproximação pode ser

utilizada para simplificar o problema, para um problema linear, que pode ser resolvido analiticamente:

θ = senθ

d 2 θ

dt 2 +

g

L θ = 0

¨ Com condições iniciais:

2 + g L θ = 0 ¨   Com condições iniciais: θ ( t 0

θ (

t 0

) = θ 0 ,

θ '

(

t 0

) = θ ' 0

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

6/58

Pêndulo Oscilante

¨ Para valores maiores de θ , a solução se torna mais complexa e fogem do contexto de um curso básico de EDO. Neste caso, é aconselhável a aplicação de um método numérico.

O valor da função e suas ¨  
O
valor da função
e
suas
¨  

derivadas são especificados no mesmo ponto;

¨  
¨  

O valor da função e suas derivadas são dados em pontos distintos.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

7/58

Métodos de Passo Simples

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

8/58

¨ São resolvidas equações diferenciais ordinárias do tipo:

d

x y = f x, y

(

d

)

: ¨  
:
¨  

onde:

¨ y i+1 é o novo valor; ¨ y i é o antigo valor;

y i +1 = y i + φ i h

φ ι é a inclinação; h é o tamanho do passo.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

9/58

¨ A estimativa da inclinação ϕ é usada para extrapolar de um valor antigo y i para um valor novo y i+1 em uma distância h.

y i para um valor novo y i + 1 em uma distância h . Aula

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

10/58

Método de Euler

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

11/58

Método de Euler

¨ A abordagem mais simples de estimativa da inclinação é usar a equação diferencial para obter uma estimativa na forma da primeira derivada em x i .

uma estimativa na forma da primeira derivada em x i . Aula 6 – Resolução de

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

y i +1 = y i + φ i h

φ i = f x , y

(

i

i )

12/58

Exemplo 1

¨ Use o método de Euler para integrar numericamente a equação:

d y

d x

= 2 x 3 + 1 2 x 2 2 0 x + 8, 5

de x = 0 a x = 4 com um tamanho de passo de 0,5. A condição inicial em x = 0 é y = 1. Lembre-se de que a solução exata é dada por:

y = 0, 5 x 4 + 4 x 3 1 0 x 2 + 8, 5 x + 1

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

13/58

Resultados do Exemplo 1

Global = ε t = y true y Euler

y true

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

14/58

¨ Comparação da solução verdadeira com a solução numérica usando o método de Euler para o exemplo.

numérica usando o método de Euler para o exemplo. Observe Apesar dos cálculos capturarem a tendência

Observe

Apesar dos cálculos capturarem a tendência geral dos dados, o erro é considerável.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

15/58

Erro para o Método de Euler

Erro para o Método de Euler ¨   O erro pode ser reduzido diminuindo-se o tamanho

¨ O erro pode ser reduzido diminuindo-se o tamanho do passo.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

16/58

Exercício 1

¨ Repita os cálculos do Exemplo 1, mas use um tamanho de passo de 0,25.

os cálculos do Exemplo 1, mas use um tamanho de passo de 0,25. Aula 6 –

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

17/58

Método de Heun

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

18/58

Método de Heun

¨   Neste método, determinamos para o
¨   Neste
método,
determinamos
para
o

intervalo, uma no ponto inicial e outra no ponto final.

¨ A inclinação utilizada será a média das duas inclinações.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

19/58

Método de Heun

¨ Preditor

Método de Heun ¨   Preditor Aula 6 – Resolução de EDOs Cálculo Numérico 20/58

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

20/58

Método de Heun

será: ¨   A
será:
¨   A
Método de Heun será: ¨   A y k i + 1 ( ) = y

y

k

i +1

(

) = y i + f x , y

(

i

y k i + 1 ( ) = y i + f x , y (
y k i + 1 ( ) = y i + f x , y (
y k i + 1 ( ) = y i + f x , y (

i ) h

que é uma previsão intermediária.

¨   Esta equação será para do intervalo: usada estimar a
¨   Esta
equação
será
para
do intervalo:
usada
estimar
a

y ' ) = f

(

i

k

+1

k

(

(

)

x i +1 , y i +1

( ( ) x i + 1 , y i + 1 )

)

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

21/58

Método de Heun

¨ Corretor

Método de Heun ¨   Corretor Aula 6 – Resolução de EDOs Cálculo Numérico 22/58

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

22/58

Método de Heun

¨   Combinando as duas inclinações, temos uma no intervalo:
¨   Combinando as duas inclinações, temos uma
no intervalo:
 

f

( x i , y i ) + f

 

(

k

)

)

(

k )

i +1

(

x i +1 , y i +1

=

2

y ' = y ' i + y '

2

¨ E assim, teremos:

y

(

k

+1

)

i

+1

=

y i + y ' h

y ( k + 1 ) i + 1 = y i + y ' h

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

23/58

Etapas do Método de Heun

¨ Inclinação no início do intervalo:

y i ' = f x , y

(

i

i )

¨ Equação preditora:

y

(

k

)

i +1

= y i + y ' i h

( k ¨   Inclinação na extremidade final: y ' ) = f ( (
(
k
¨   Inclinação na extremidade final:
y ' ) = f
(
(
k
)
)
i
+1
x i +1 , y i +1
'
' k
+ y i +1
(
)
y ' = y i
¨   Inclinação média:
2
(
k
+1
)
¨   Equação corretora:
y
= y i + y ' h
i +1
k +1 ) ¨   Equação corretora: y = y i + y ' h i

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

24/58

Método de Heun

¨ Por ser um método iterativo, temos que estabelecer um

:
:
( k +1 ( k ) = y i +1 ) − y i +1
(
k
+1
(
k
)
=
y i +1 ) − y i +1
⋅ 100%
ε t
y
i +1

(

k +1

)

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

25/58

Exemplo 3

¨ Use o método de Heun para integrar y’ = 4e 0,8x – 0,5y de x = 0 a x = 4 com tamanho de passo 1.

¨ A condição inicial em x = 0 é y = 2.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

26/58

Resultados Exemplo 3

Resultados Exemplo 3 Aula 6 – Resolução de EDOs Cálculo Numérico 27/58

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

27/58

¨ Comparação da solução verdadeira com soluções numéricas usando os métodos de Euler e de Heun para a integração de:

y’ = -2x 3 + 12x 2 - 20x + 8,5.

para a integração de: y’ = -2x 3 + 12x 2 - 20x + 8,5 .

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

28/58

Método do Ponto Médio

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

29/58

Método do Ponto Médio

Método do Ponto Médio Aula 6 – Resolução de EDOs Cálculo Numérico 30/58

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

30/58

Método do Ponto Médio

x i+1/2
x i+1/2

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

31/58

Etapas do Método do Ponto Médio

¨ y no ponto médio do intervalo:

y i +1 2 = y i + f x , y

y i + 1 2 = y i + f x , y 2

2

(

i

i

) h

¨ Inclinação no ponto médio:

¨ Cálculo de y i+1 :

 

y ' i +1 2 = f

y ' i + 1 2 = f

(

x i +1 2 , y i +1 2

( x i + 1 2 , y i + 1 2
( x i + 1 2 , y i + 1 2

)

 

y i +1 = y i + f

(

x i +1 2 , y i +1 2

( x i + 1 2 , y i + 1 2
( x i + 1 2 , y i + 1 2

)

h

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

32/58

Métodos de Runge-Kutta

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

33/58

Métodos de Runge-Kutta

¨ A forma geral dos métodos de Runge-Kutta é:

y i +1 = y i + φ x , y , h ( )
y i +1 = y i + φ x , y , h
(
) h
(
1
)
i
i
¨   Em que
φ x
(
, y , h
)
é chamada
, que
i
i

representa a inclinação em um intervalo.

¨ De forma geral, φ será:

φ = a 1 k 1 + a 2 k 2 + ! + a n k n

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

34/58

Métodos de Runge-Kutta

φ = a 1 k 1 + a 2 k 2 + ! + a n k n

Em que os a’s são constantes e os k’s são:

k 1 = f x , y

(

i

i )

(

k 2 = f x + p h, y + q

i

1

i

1 1 k 1

h )

(

k 3 = f x + p h, y + q

i

2

i

2 1 k 1

h + q k h

2 2 2

)

!

k n = f x + p h, y + q ( h + q
k n = f x + p h, y + q
(
h + q
k
h + ! + q
h )
i
n
−1
i
n −1,1 k 1
n −1, 2 2
n −1, n −1 k n −1

com p’s e q’s constantes.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

35/58

Métodos de Runge-Kutta

¨   O que diferencia cada método de Runge-Kutta é da função incremento.
¨   O que diferencia cada método de Runge-Kutta é
da função incremento.

¨ Escolhido o valor de n, iguala-se a equação (1) a termos da expansão em Série de Taylor e acham-se os a’s, p’s e q’s.

¨   O método de Runge-Kutta de (n = 1) é o .
¨   O método de Runge-Kutta de
(n = 1) é o
.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

36/58

Métodos de R-K de Segunda Ordem

¨   O método de Runge-Kutta de (n = 2) será:
¨   O método de Runge-Kutta de
(n = 2) será:

(

y i +1 = y i + a

1 k 1

+ a k

2

2

) h

onde:

k 1 = f x , y

(

i

i )

(

k 2 = f x + p h, y + q

i

1

i

1 1 k 1

h )

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

37/58

Métodos de R-K de Segunda Ordem

¨ Para determinar as constantes igualar:

a

1 ,

a 2 ,

p 1

(

y i +1 = y i + a

1 k 1

+ a k

2

2

) h

e q 11 temos

que

¨ À Série de Taylor de segundo grau para y i+1 em termos de y i e f (x i , y i ):

(

y i +1 = y i + f x i , y i

) h + f ' x , y

2

!

h 2

(

i

i )

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

38/58

Métodos de R-K de Segunda Ordem

¨ Comparando a forma geral do método de Runge-Kutta de segunda ordem com uma expansão em série de Taylor, vemos que:

3 equações 4 incógnitas

a 1 + a 2 = 1

a 2 p 1 = 1 2

a 2 p 1 = 1 2

a 2 q 11 = 1 2

a 2 q 11 = 1 2

Solução NÃO é única

Existe uma família de Métodos de Runge Kutta de segunda ordem

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

39/58

Métodos de R-K de Segunda Ordem

¨ Comparando a forma geral do método de Runge-Kutta de segunda ordem com uma expansão em série de Taylor, vemos que:

3 equações 4 incógnitas

a 1 + a 2 = 1

a 2 p 1 = 1 2

a 2 p 1 = 1 2

a 2 q 11 = 1 2

a 2 q 11 = 1 2

Variação de a 2

p 1 = 1 2 a 2 q 11 = 1 2 Variação de a 2

a 1 = 1 a 2

p 1 = q 1 1 = 1 2 a 2

p 1 = q 11 = 1 2 a 2

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

40/58

Métodos de R-K de Segunda Ordem

¨ Método de Heun com um único corretor (a 2 = ½ ); que é o método de Heun sem iterações.

!

#

"

y i +1 = y i + 1 2 k 1 + 1 2 k 2

$

& h

%

¨ em que:

k 1 = f x , y

(

i

i )

k 2 = f x + h, y + h

(

i

i

k

1

)

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

41/58

Métodos de R-K de Segunda Ordem

¨ Método do Ponto Médio (a 2 = 1).

¨ em que:

k 1 = f x , y

(

i

i )

y i +1 = y i + k 2 h

= f x + h y +

2

1

i

1 k h
2

1

k 2

i

,

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

42/58

Métodos de R-K de Segunda Ordem

¨ Método de Ralston (a 2 = 2/3).

¤ Este valor de a 2 fornece um limitante mínimo para o erro de truncamento.

¨ em que:

k 1 = f x , y

(

i

i )

y i +1 = y i + 1 3 k 1 + 2

3

!

"

$

%

#

k 2

& h

! 3 3 $ k 2 = f x i + 4 h, y i
!
3
3
$
k 2 = f x i + 4 h, y i + 4 k 1 h
#
&
"
%

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

43/58

Exemplo 4

¨ Use o método do ponto médio e o método de Ralston para integrar numericamente a equação:

f (x,y) = -2x 3 + 12x 2 – 20x + 8,5

de x = 0 a x = 4 usando um tamanho de passo de 0,5. A condição inicial em x = 0 é y = 1.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

44/58

Exemplo 4

¨ Comparação da solução verdadeira com soluções numéricas usando três métodos de RK de 2 a ordem e o método de Euler.

três métodos de RK de 2 a ordem e o método de Euler. y ' =

y ' = 2 x 3 + 12 x 2 20 x + 8, 5

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

45/58

Métodos de R-K de Quarta Ordem

¨   São os métodos de Runge-Kutta .
¨   São os métodos de Runge-Kutta
.

¨ Assim como os de segunda e terceira ordem, existe um

número de versões.
número
de versões.
¨   O método de RK de é parecido com
¨   O método de RK de
é parecido com

a abordagem de Heun, no fato que são desenvolvidas

para se chegar a uma
para se chegar a uma

inclinação média melhorada no intervalo.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

46/58

Métodos de R-K de Quarta Ordem

¨ Inclinações Estimadas:

Métodos de R-K de Quarta Ordem ¨   Inclinações Estimadas: Aula 6 – Resolução de EDOs

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

47/58

Método de R-K de 4 a Ordem Clássico

em que:

y i +1 = y i + h k 1

6

(

+ 2 k + 2 + k

2

k

3

( + 2 k + 2 + k 2 k 3 4 )

4 )

k 1 = f x , y

(

i

i )

!

#

"

k 2 = f x i + 1 2 h, y i + 1 2 k 1 h

$

&

%

!

#

"

k 3 = f x i + 1 2 h, y i + 1 2 k 2 h

$

&

%

k 4 = f x + h, y + h

(

i

i

k

3

)

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

48/58

Exemplo 6

¨ Use o método de Runge-Kutta de quarta ordem clássico para integrar:

y ' x, y ) = 4 e 0 , 8 x 0, 5 y

(

de x = 0 a 0,5, utilizando um tamanho de passo h = 0,5 e uma condição inicial de y = 2 em x = 0.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

49/58

Exercício 2

Exercício 2 Aula 6 – Resolução de EDOs Cálculo Numérico 50/58

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

50/58

Sistemas de Equações

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

51/58

Sistemas de Equações

¨ É muito comum termos que resolver problemas envolvendo um sistema de equações diferenciais ordinárias ao invés de uma única equação.

¨ Para resolvê-los, qualquer um dos métodos apresentados aqui pode ser aplicado.

¨ Em cada caso, o procedimento para resolver o sistema de EDOs envolve simplesmente a aplicação da técnica de passo único em todas as equações para cada passo, antes de prosseguir para o próximo passo.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

52/58

Exemplo 1

¨ Resolva o seguinte conjunto de equações diferenciais usando o método de Euler, supondo que, em x = 0, y 1 = 4 e y 2 = 6. Integre até x = 2 com um tamanho de passo de 0,5.

d

y 1

d

x

=

0, 5 y 1

e

d

y 2

d

x

= 4 0, 3 y 2 0, 1 y 1

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

53/58

Método de Euler

¨ A abordagem mais simples de estimativa da inclinação é usar a equação diferencial para obter uma estimativa na forma da primeira derivada em x i .

uma estimativa na forma da primeira derivada em x i . Aula 6 – Resolução de

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

y i +1 = y i + φ h

φ = f x , y

(

i

i )

54/58

Exemplo 1

¨ Resultados para todos os passos, até x = 2,0.

Exemplo 1 ¨   Resultados para todos os passos, até x = 2,0 . Aula 6

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

55/58

Sistemas de Equações

¨ É preciso tomar cuidado na determinação das inclinações, quando aplicar os métodos de RK de ordem superior, ou seja, primeiro desenvolvemos inclinações para todas as variáveis no valor inicial. Essas inclinações (um conjunto de k i ’ s) são, então, usadas para fazer previsões da variável independente no ponto médio do intervalo.

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

56/58

Exemplo 2

¨ Resolva o sistema de equações do exemplo anterior usando o método de R-K de quarta ordem, supondo que, em x = 0, y 1 = 4 e y 2 = 6. Integre até x = 2 com um tamanho de passo de

0,5.

d

y 1

d

x

= 0, 5 y 1

e

d

y 2

d

x

= 4 0, 3 y 2 0, 1 y 1

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

57/58

Método de R-K de 4 a Ordem Clássico

em que:

y i +1 = y i + h k 1

6

(

+ 2 k + 2 + k

2

k

3

( + 2 k + 2 + k 2 k 3 4 )

4 )

k 1 = f x , y

(

i

i )

!

#

"

k 2 = f x i + 1 2 h, y i + 1 2 k 1 h

$

&

%

!

#

"

k 3 = f x i + 1 2 h, y i + 1 2 k 2 h

$

&

%

k 4 = f x + h, y + h

(

i

i

k

3

)

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

58/58

Exemplo 2

¨ Resultado para todos os passos, até x = 2,0.

Exemplo 2 ¨   Resultado para todos os passos, até x = 2,0 . Aula 6

Aula 6 – Resolução de EDOs

Cálculo Numérico

59/58