Você está na página 1de 40

ALIMENTOS DE VERÃO

Especialistas recomendam água de coco para o


verão
Os maiores centros de nutrição do país criaram uma lista surpreendente com os melhores alimentos
para enfrentar o calor dessa estação.

No verão mais quente dos últimos anos, como ajudar o corpo a se proteger? A receita do bem-estar
começa pela mesa. Manter a saúde, com os termômetros em alta, é um desafio. Quais os alimentos
que mais podem nos ajudar? O Globo Repórter consultou os maiores centros de nutrição do país, e
eles criaram uma lista surpreendente.
Vamos começar pela unanimidade. O alimento mais importante, na verdade, não se come. A água é
essencial. Nos dias mais quentes, devemos beber, no mínimo, dois litros.
Mas é na hora de comer que os especialistas revelam a diversidade dos nossos sabores. E não
imagine nada complicado. Em sexto lugar, deu empate: o iogurte, grande fonte de cálcio, e a
mistura número um da nutrição brasileira, arroz e o feijão. Esta é uma combinação que nunca deve
ser esquecida.
Mas que tal mudar a receita? “O feijão fradinho é ótimo para comer como salada. Você já mistura o
tomate com a cebola, pode temperar do jeito que quiser. Então, você está com a tua leguminosa,
com o hábito alimentar do brasileiro, e você pode comer frio”, afirma a nutricionista Márcia
Madeira, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).
Na cozinha de sua própria casa, a doutora em segurança alimentar garante: a salada de feijão frio,
fonte riquíssima de proteínas, é uma opção menos arriscada do que uma feijoada.
Os pratos quentes estragam mais rápido no verão. Tanto que 30% dos casos de intoxicação
alimentar acontecem nessa estação.
“Se você deixar, em duas horas, a comida quente já corre risco de contaminação, porque a gente
está vivendo em uma umidade relativa muito alta e em uma temperatura muito alta. É uma estufa
excelente para o crescimento microbiano. Você tem menos risco (com a comida fria), é mais uma
vantagem”, sugere a nutricionista Márcia Madeira.
Em quinto lugar, mais um empate: o tomate e a laranja. Mas, se você está pensando naquele suco
geladinho, cuidado.
“Se você for tomar como suco, aumenta muito a proporção de calorias nesta porção. Então, é
preferível comer a laranja, chupar a laranja e engolir o bagaço. Por conta das fibras, ela ajuda no
funcionamento do intestino, além de contribuir com vitaminas e minerais”, aponta a nutricionista
Sônia Tucunduva Phillípi, da Universidade de São Paulo (USP).
Em quarto lugar, vem outra fonte de fibras: a alface. A rainha de todos os regimes brilha nas dietas
do verão.
“O verão é uma época do ano em que as pessoas querem normalmente emagrecer e querem uma
condição de vida boa para poder fazer as suas atividades. Então, eu pensei primeiro que a alface
representa este grupo das verduras e é muito leve, muito gostosa de comer”, ressalta Sônia
Tucunduva Phillípi.
E o que dizer da saborosa melancia? Ela ficou em terceiro lugar, indicada por um em cada dois
cientistas que consultamos. Gelada, ela é um dos símbolos do verão, uma paixão brasileira. E o
vermelho forte é fonte de muita saúde.
“Tem uma ação interessante na proteção de algumas membranas, de alguns órgãos importantes.
Para os homens, tem a questão da prevenção. O hábito destes alimentos no cotidiano previne
doenças graves, como o câncer de próstata”, declara a nutricionista Ana Vládia Bandeira Moreira,
da Universidade Federal de Viçosa (UFV).
“A melancia está no auge da sua safra, está mais doce, é um alimento considerado refrescante pela
grande quantidade de água, pela sua quantidade de carboidratos. Então, é uma fruta que une
hidratação e energia”, explica o nutrólogo Mauro Fisberg, da Universidade Federal de São Paulo
(Unifesp).
O segundo colocado da lista derrubou a proteína preferida do brasileiro. No lugar da carne, ficou o
peixe. Indicado por seis das dez universidades consultadas, ele sustenta e não pesa no estômago.
“A maior parte do nosso organismo é feita de proteína, massa muscular. E tem várias reações no
organismo que dependem de aminoácidos essenciais. Então, a gente precisa de proteínas. É quando
entra o peixe que é de fácil digestão. Então, no verão, ele é bem indicado”, diz a nutricionista
Márcia Madeira, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).
Você deve estar se perguntando qual o alimento que ficou em primeiro lugar. Nada mais verão, nada
mais tropical, nada melhor do que uma boa água de coco nesta estação quente. O líquido foi
indicado por sete dos dez pesquisadores consultados.
“Primeiro, porque ele refresca. Você consome a água de coco gelada. Junto dela, vem o potássio,
cálcio e magnésio, e estes minerais são importantes para a saúde humana”, diz o engenheiro de
alimentos Fernando Abreu, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).
Nesse calorão, uma pessoa pode perder até dois litros de água por dia na transpiração, para manter a
temperatura do corpo. E no suor não eliminamos apenas água.
“O suor é um pouco salgado, porque tem muito sódio, potássio e magnésio. Então, a água de coco
repõe isso. Várias outras frutas, vários outros alimentos também repõem, mas a água de coco é
especial, porque ela já vem prontinha”, declara o engenheiro de alimentos da Embrapa.
A água de coco é boa para o coração e outros músculos. Evita as cãibras, como a banana. Mas a
água de coco tem uma vantagem: quase nada de gordura e pouquíssimas calorias. Mas ela só é
perfeita e completa na embalagem natural.
No laboratório, pesquisadores tentam criar um processo capaz de manter as qualidades originais
dessa água milagrosa. Quem imaginaria: até Madonna deve estar interessada nesse trabalho. A
rainha do pop diz que não fica sem este gostinho brasileiro, nem nos Estados Unidos. E por lá, a
nossa água de coco já está sendo chamada de água da juventude.

Confira a lista dos alimentos mais recomendados para o


verão
Perguntamos a dez pesquisadores de universidades brasileiras quais os alimentos indispensáveis no
verão.
O Globo Repórter perguntou a dez pesquisadores de universidades brasileiras: quais os alimentos
que você considera indispensáveis no verão? O resultado é a lista abaixo.

1º Água de coco
2º Peixe
3º Melancia
4º Alface
5º Laranja
Tomate
6º Feijão
Iogurte
Arroz

Professores consultados pelo Globo Repórter:

UNIFESP Mauro Fisberg


UFMA Sueli Tonial
UnB Raquel Botelho
UFRGS Erna Jong
UERJ Márcia Madeira
USP Sonia Tucunduva Phillipi
UFPE Sonia Lucena
UFRJ Elizabeth Accioly
UFV Ana Vládia
Unicamp Gláucia Pastore
Veja receitas com os alimentos recomendados pro verão
Separamos algumas dicas pra você aprender a preparar alguns pratos com os alimentos indicados
pelos especialistas.

Veja como preparar o filé de pescada


Receita faz parte do cardápio ensinado pelo Grupo de Estudos e Tratamento do Obeso
(Gesto), em São Paulo.
Ingredientes:

1 cebola grande em rodelas


alho picado
2 tomates em rodelas
2 colheres de sopa de óleo
1 xícara (café) de azeitona picada
2 colheres (sopa) de shoyu
suco de dois limões
1 copo de caldo de peixe ou de galinha
1,5kg de filé de pescada
1 colher (sopa) de azeite
sal e tempero verde picado
Modo de Fazer

Na panela, cebola, alho, tomates, óleo, tempero verde, sal e azeitonas vão para o fogo
brando. Coloque os filés por cima de tudo. À parte, misture o shoyu, o suco dos limões e o
caldo. Vá juntando esse molho sobre os temperos e o peixe. Quando levantar fervura, tampe
e deixe por cinco minutos. Ao desligar o fogo, a panela deve continuar tampada pelo mesmo
tempo. Por fim, é só colocar na travessa e servir.

Veja como preparar tambaqui com castanha e manga


A nutricionista Fernanda Avena, da UnB, mostra o passo a passo.

Ingredientes:

1 peixe tambaqui inteiro


½ limão
1 cebola pequena
2 dentes de alho
1 xícara (chá) de castanha-da-amazônia
1 manga grande
1 pitada de pimenta-do-reino
½ copo de água
Modo de Fazer:
Limpar o peixe e retirar as escamas. Por fora, temperar com limão e metade do sal. Para o
recheio, adicionar em um liquidificador: a cebola cortada, o alho (previamente cozido por
três minutos em meio copo de água), o restante do sal, a pimenta, a castanha inteira e a
manga cortada. Bater bem até formar um creme. Despejar o creme dentro do peixe e
distribuir com a mão. Em seguida, forrar com papel-alumínio e levar ao forno pré-aquecido
em 200ºC por cerca de uma hora. Depois de 45 minutos, retirar o papel-alumínio para
dourar o peixe. Deixar no forno por mais 15 minutos. Servir acompanhando o arroz de
tucumã.

Feijão preferido dos nordestinos ajuda a baixar o


colesterol

Conhecido como feijão-caupi, feijão-de-corda ou feijão-fradinho, ele é rico em fibras e tem uma
proteína capaz de reverter a deposição de gordura no fígado.
GRAZIELA AZEVEDO São Paulo

Um feijão com sotaque nordestino. “Eu sou nordestino. Eu sou baiano. E nordestino só come feijão-
de-corda, porque é tradição”, afirma um senhor.
Tradicionalmente, o sotaque é um só, mas os nomes são vários.
“O nome cientifico dele é vigna unguiculata, mas pode ser conhecido como feijão-caupi, feijão-de-
corda, feijão-fradinho. Tem nome para todo gosto”, explica a nutricionista Karoline Frota, da
Universidade de São Paulo (USP).
E o gosto da pesquisadora, que veio do Piauí, é descobrir os poderes do feijão predileto dos
nordestinos. “O que pessoal mais pede é o baião-de-dois”, diz uma atendente.
Baião-de-dois, feijão-tropeiro, ao vinagrete: são pratos de matar saudade. "É um gosto que você não
esquece", responde um rapaz.
Quando a saudade é muita, a quantidade de feijão tem que ser grande. "Ontem, nós catamos dois
sacos de feijão", revela uma atendente.
No Centro de Tradições Nordestinas, em São Paulo, o feijão-de-corda é a estrela principal, todo fim
de semana.
Na mesa ou no laboratório de pesquisa, vai longe a história desse feijão. O feijão-de-corda veio da
África e chegou ao Brasil no porão das caravelas. O grão de origem africana foi trazido pelos
colonizadores portugueses e espanhóis. Desembarcado na Bahia, foi ganhando o nordeste e o norte
do Brasil.
As raízes se espalharam pelo Brasil. Agora, quem diria, no século 21, o feijão com tantos nomes
chegou aos laboratórios de pesquisa. Por essa, seu Vicente, mais conhecido como Chapéu de Couro,
não esperava.
"Descobri que o feijão-de-corda baixa o colesterol", afirma a a nutricionista Karoline Frota que está
estudando as propriedades do feijão-de-corda na saúde, no laboratório da USP.
A pesquisa começou em 2007, no Laboratório de Nutrição Aplicada da Faculdade de Saúde Pública
da USP. A nutricionista Karoline Frota cresceu comendo esse feijão que nunca tinha sido estudado
tão detalhadamente.
"Eu posso dizer que é a primeira pesquisa a fazer isso Com o feijão-caupi e, mais especificamente,
que faz isso com a proteína isolada", ressalta a nutricionista.
Como outros tipos de feijão, o caupi também é rico em fibras, ferro e vitaminas, mas Karoline
queria saber se a proteína que ele contém tinha o poder de reduzir o colesterol. Por isso, ela teve um
trabalhão para extrair a vicilina, a proteína do feijão.
A nutricionista queria testar três dietas: uma normal, outra com os grãos triturados e uma terceira só
com a proteína do feijão isolada.
Ela escolheu hamsters, cheios de gordura no sangue, para fazer o teste. "Nós escolhemos hamsters
por causa do metabolismo do colesterol que é muito parecido com o metabolismo dos seres
humanos", justifica a pesquisadora.
O problema é igual nesses animais e em todos nós. A alimentação rica em gordura saturada aumenta
os níveis de colesterol no sangue. Depósitos gordurosos vão se formando nas artérias e no fígado
que, sobrecarregado, começa a trabalhar mal na limpeza do organismo. Só temos um fígado e um
coração, e acúmulo de gordura neles pode ser fatal.
Como a maioria dos grãos, todos os feijões ajudam a reduzir o colesterol, mas o resultado da dieta
com o feijão-de-corda integral foi excelente.
Nos animais, alimentados com a proteína do feijão-de-corda isolada, a redução do colesterol total
no sangue foi de 22%. É maior ainda naqueles que comeram os grãos triturados, o que a
pesquisadora chama de feijão integral. Nesse caso, o colesterol despencou 54%.
“Além da proteína, ele tem outros componentes que vão somar nesse efeito redutor de colesterol”,
ressalta a pesquisadora. “Com certeza, a fibra do feijão integral ajuda também", aponta.
A pesquisadora teve mais uma ótima surpresa ao analisar os fígados dos animais que antes da dieta
estavam cheios de gordura.
"O fígado do grupo que recebeu o feijão integral e a proteína isolada ficou bem limpo. Essa proteína
foi capaz de reverter a deposição de gordura no fígado, porque a gente observou, pelas laminas, que
os depósitos desapareceram no final do estudo", diz a nutricionista.
Para conseguir um resultado tão bom assim, seria preciso comer muito feijão, umas seis conchas
por dia. Por isso, os pesquisadores querem investir na proteína isolada que poderia ser acrescentada
em vários produtos pela indústria de alimentos. O isolado de proteína será usado na próxima etapa
da pesquisa com pacientes de colesterol alto. Até lá, vale a pena incorporar o feijão-de-corda a
dieta.
"O consumo de feijão vem caindo muito nos dias de hoje. As pessoas estão ingerindo muito a
salada, reduzindo o carboidrato e o feijão que é fonte de proteína. É importante manter esse
consumo de feijão. E para as regiões que não tem esse habito de consumir o feijão-de-corda tem que
estimular por esse efeito de reduzir o colesterol", aponta a pesquisadora da USP.
Para quem já gostava a notícia deixou o feijão melhor ainda. “O feijão-de-corda baixa o colesterol?
Vou começar a comer todo dia, porque o meu está alto", diz um jovem.
Mas é preciso lembrar também da alimentação balanceada e dos exercícios. Não vale encher a
panela de manteiga e carne gorda. O preparo do feijão tem que ser light de verdade.
“É tudo de bom, sara tudo. O cara chega aqui doente, e sai sarado", conta Chapéu de Couro.
Receita com feijão-branco emagrece e ajuda a evitar
diabetes
Proteína presente no grão inibe o processo de digestão do carboidrato e retarda a absorção de
açúcares no sangue.
ROSANE MARCHETTI São Leopoldo (RS)

Não há mais como separar a boa comida da comida saudável. Em um laboratório de nutrição e
pesquisa no Rio Grande do Sul, os futuros chefes de cozinha e nutricionistas se revezam para criar
pratos mais bonitos, gostosos e saudáveis.
Muitas vezes, eles trabalham juntos. É o caso do chefe Alexandre Bagio e da nutricionista e
bioquímica Renata Ramos. Ele conhece os segredos para seduzir o paladar. Ela, o que os nutrientes
podem fazer pela nossa saúde. E o que une os dois é o nosso feijão de cada dia.
“Ele dá para a população uma quantidade muito boa de proteína. Os feijões, de uma maneira geral,
têm em torno de 20% de proteína. É uma grande quantidade”, explica a nutricionista Renata Ramos,
da Universidade do Vale dos Sinos (Unisinos).
Infelizmente, os brasileiros estão comendo menos feijão. Mas os pesquisadores não param. Tentam
descobrir novas propriedades nesse grão que faz tão bem a nossa saúde. A novidade da vez é o
feijão-branco, aquele que a maioria de nós está acostumada a consumir apenas como salada. Maior
e mais cremoso que os outros, acredite, ele emagrece.
“O feijão-branco ajuda a emagrecer, porque ele tem uma proteína de reserva. Não só o feijão-
branco, os feijões todos têm, mas o feijão-branco é o mais utilizado para isso, para este fim. Ele tem
uma proteína chamada faseolamina, e essa proteína é inibidora do processo de digestão do
carboidrato. Então, ela retarda, inibe essa absorção de açúcares no sangue”, aponta a nutricionista.
Mas isso só acontece no nosso organismo, se ele for ingerido na forma de farinha, uma espécie de
extrato de feijão-branco que é bem fácil de fazer em casa.
Depois de ser lavado normalmente, é preciso secar bem o feijão: no sol ou sobre o papel toalha.
Nunca no forno. Porque, segundo Renata Ramos, o feijão só tem efeito emagrecedor se não for
cozido. Mas atenção: como pode ser tóxico, o feijão só deve ser consumido cru em quantidades
mínimas.
Depois, é só triturar no liquidificador e peneirar. Se quiser a farinha bem fininha, pode passar
também no processador. É bom fazer em pequenas quantidades que para o extrato não fique velho e
deixe de fazer o efeito desejado.
O efeito da farinha de feijão funciona mais ou menos assim: quando consumimos um prato cheio de
macarrão, de 200 gramas, é como se tivéssemos consumido uma porção menor, de 160 gramas. Mas
para isto acontecer, meia hora antes das refeições, é preciso ingerir uma colher pequena, rasa, de
farinha de feijão diluída em água. É essa mistura que vai garantir que parte do carboidrato dessa
refeição, cerca de 20%, não seja absorvida pelo nosso organismo. Então, é como se tivesse comido
este prato, que é menor.
O estudo mais recente que comprova que a farinha de feijão ajuda a emagrecer foi feito pela
Universidade da Califórnia, em Los Angeles. Ao todo, 50 adultos obesos fizeram uma dieta
saudável, mas apenas metade recebeu farinha de feijão antes das refeições. A outra parte, sem saber,
recebeu farinha sem efeito.
Depois de oito semanas, quem ingeriu o extrato de feijão-branco estava, em média, 1,7kg mais
magro e com o nível de triglicerídeos três vezes menor do que os que receberam só o placebo.
Mas outros estudos registram perdas de peso de até 4% em apenas 30 dias. O bom é que, além de
emagrecer, o extrato de feijão-branco também ajuda a prevenir o diabetes.
A receita é uma colher rasinha em um copo d’água, duas vezes por dia, porque são duas refeições
principais. “Não adianta consumir mais, porque não vai emagrecer mais. Você tem que comer é em
torno de um grama por dia. Então, você pode pesar um grama e comer isso durante o dia”, sugere a
nutricionista Renata Ramos.
“Se a pessoa consumir mais, ela pode ter diarreia, como efeito colateral. Ela pode ter problemas
intestinais e náuseas. Então, ela tem que ter muito cuidado na hora de ingerir este extrato de feijão
cru. Consumindo mais de um grama por dia, os efeitos são negativos”, alerta a pesquisadora.
No laboratório da Universidade do Vale dos Sinos (Unisinos), a ordem é não desperdiçar. O farelo
que sobra na peneira quando se prepara a farinha de feijão também é utilizado.
O chef de cozinha Alexandre Bagio, da Unisinos, criou misturas saborosas. Quando faz pão, ele
coloca água, fermento, sal, açúcar e a novidade: ele substitui um terço da farinha de trigo pela
farinha de feijão.
“É um pão que realmente tem uma quantidade maior de proteínas e de fibras, quando você coloca
essa farinha de feijão”, afirma a nutricionista Renata Ramos.
“Acrescido a isso, você tem o sabor e a textura que ele vai ganhar também. Ele ficou mais
saboroso”, aposta Alexandre Bagio. “Ficou também mais saudável”, completa Renata.
O chefe de cozinha mostra ainda uma versão da nossa conhecida salada de feijão-branco que
também ajuda a não engordar, só porque se come fria.
“Eu coloquei na salada o feijão-branco que é a base. Depois, entrou um molho vinagrete, com
cebola, tomate, pimentão verde, salsão e um molho vinagrete de limão, com azeite de oliva, sal e
pimenta do reino”, ensina o chefe.
“O interessante é que, quando a gente come feijão-branco frio, ele muda um pouco a sua
composição. Ele, então, engorda menos. Quer dizer, se eu comer dessa maneira, frio, eu vou
engordar menos do que se comer ele sob forma de uma feijoada, por exemplo”, diz a nutricionista.
Importante: a pesquisadora Renata Ramos, da Unisinos, aconselha a triturar no liquidificador pelo
menos 250 gramas de feijão branco de cada vez, ou até mesmo o pacote inteiro, já que cada
embalagem padrão vem com 500 gramas. Dessa forma, segundo ela, o impacto dos grãos no copo
do liquidificador é menor, o que evita acidentes.
Feijão com linhaça fica ainda mais nutritivo
Nutricionista ensina a acrescentar farinha da semente para o prato preferido dos brasileiros ficar
ainda mais saudável. Veja também como preparar pão com farinha de trigo integral e linhaça.

Farinha de linhaça fortifica feijão


Cientistas confirmam que o prato que todo mundo gosta é também o mais saudável. Acrescentando
farinha de linhaça e sal de ervas ao tempero, receita fica ainda mais saudável para hipertensos.

Veja como preparar feijão enriquecido com linhaça e sal de


ervas
RECEITA DE FEIJÃO COM LINHAÇA (FARINHA) E SAL DE ERVAS:
(Receita desenvolvida por Ana Vládia Moreira, nutricionista da UFRN)

Ingredientes

100g de feijão carioquinha*


10g de cebola
20g de tomate
20g de jerimum (abóbora)
2g de coentro
2g de cebolinha
10ml de óleo ou azeite – de preferência, extra-virgem, que é mais saudável e estável ao calor
750ml de água
1g de alho
2 colheres (sobremesa) de farinha de linhaça
2 colheres (chá) de sal de ervas

Dica: Se possível, priorize alimentos orgânicos.

Modo de Fazer

Primeiro, selecionar o feijão (de preferência, orgânico, que minimiza substâncias tóxicas comuns,
infelizmente, em boa parte dos alimentos de origem vegetal) e adicionar quatro partes de água.
Cozinhar de dois a três minutos sob pressão.
Deixar em repouso na mesma água por uma hora (caso o indivíduo sofra de "gases", sugere-se a
eliminação da água e acréscimo de outra – mesmo que alguns nutrientes sejam perdidos, pois os
mesmos podem ser compensados com o acréscimo de legumes na preparação, como o jerimum,
bem comum no preparo regional do Nordeste, ou outros legumes, como cenoura ou chuchu).
Refogar com os temperos (tempero brasileiro: tomate, cebola, alho, coentro ou salsa e cebolinha). O
tempero é a gosto e pode ser feito como de costume. Aconselha-se que, se for congelar parte do
feijão, usar o mínimo de tomate (ou mesmo não utilizá-lo), pois, por ser ácido, esse fruto pode levar
à mudança de características sensoriais se o congelamento não for feito de maneira correta – o
alimento pode ficar mais ácido. Acrescentar farinha de linhaça (previamente processada em
liquidificador ou processador; o excesso pode ser armazenado sob refrigeração) e o sal de ervas**
(mistura previamente feita com partes iguais de: alecrim, manjericão, orégano – desidratados – e
sal). Finalmente, juntar o refogado ao feijão. Voltar a cozinhar sob pressão por mais 30 minutos (o
tempo varia de acordo com o tipo do feijão). Está pronto para degustar! Em quantidades maiores,
pode ser dividido em porções e congelado, sem perdas significativas de suas propriedades.

*Esta receita também pode ser feita com grão-de-bico ou soja. É interessante variar, especialmente
para que o cardápio não fique monótono para as crianças.

**Sugestão de quantidade para ter o sal de ervas sempre à mão: misturar uma xícara de café de cada
ingrediente, processar e armazenar em pote sob refrigeração. Assim, o sabor é bem preservado. É o
mesmo princípio que utilizamos com o café. A quantidade de consumo diário deve ficar em torno
de, no máximo, uma colher (café) por pessoa em preparações salgadas, visto que ainda há sal de
cozinha no mesmo. Portanto, pede-se moderação.

Além das coisas boas que o feijão tem, nesta preparação sugerida, com o acréscimo da linhaça, ele
ganha fibras, antioxidantes e ômega-3. As quantidades são pequenas, mas fazem diferença. O sal de
ervas ajuda na diminuição do sal absoluto e agrega propriedades antioxidantes e antiinflamatórias. A
mistura pode ser acrescida em qualquer preparação em substituição ao sal. Com a adaptação do
paladar, a nutricionista sugere que a quantidade de sal da receita seja diminuída. Importante lembrar
que o sal, como fonte de sódio, não deve ser retirado totalmente da dieta, por ser um mineral
importante para o controle dos líquidos celulares. O importante é controlar, sim, sua ingestão. Outro
fator é a importância do sal na conservação de alimentos. Quanto à linhaça, o único cuidado é
adquiri-la na forma de grãos e processá-la como farinha quando desejado. De preferência, utilize-a
em preparações em cozimento, pois a semente apresenta fatores antinutricionais que somente o
calor úmido (presença de água – por exemplo, carnes cozidas, ensopados, feijão) pode diminuir ou
mesmo inativar seus efeitos e, ao mesmo tempo, disponibilizar ao prato coisas boas como fibras,
antioxidante e ômega-3.

Consumo de linhaça deve estar associado à dieta


saudável
Nutricionista alerta que apenas a semente não promove a redução de peso.

Globo Repórter - É possível preparar farinha de linhaça em casa?


Sofia Uehara – Sim. A pessoa pode triturar a semente de linhaça no liquidificador, obtendo a
farinha.
Qual a medida recomendada para a dieta?
O nosso grupo de pesquisa tem orientado o consumo diário de quatro colheres de sopa rasas de
farinha de linhaça por dia. Ou, como foi mostrado na reportagem do Globo Repórter, 2 de copinhos
de café (aqueles de plástico), uma vez por dia, no café da manhã, misturado no suco, leite desnatado
ou iogurte 0% de gordura.
Quais alimentos podem ser enriquecidos com a farinha de linhaça?
Leite, iogurte, sucos de frutas e fruta amassada.
Qualquer pessoa pode ingerir a farinha de linhaça ou há alguma restrição? Diabéticos e
hipertensos podem consumir a semente?
Não há restrição. Como pode ser observado na reportagem, o consumo de linhaça associado à dieta
hipocalórica [de baixa caloria] favorece a perda de peso. Com a perda de peso, é possível manter o
controle da pressão arterial e da quantidade de açúcar no sangue de pessoas diabéticas. A presença
de fibras na linhaça também auxilia no controle do açúcar no sangue de pessoas diabéticas.

De forma geral, como deve ser o cardápio de quem adotar a linhaça no café da manhã?
É importante salientar que a farinha de linhaça isoladamente não promoverá a redução do peso. Para
que a farinha de linhaça promova a perda de peso, é importante associá-la à dieta hipocalórica, que
deverá ser nutricionalmente balanceada. Nesse caso, é importante que a pessoa procure a orientação
de um nutricionista, que é o profissional capacitado para estabelecer um plano alimentar saudável e
que contribuirá para a redução do peso.

Linhaça combate o efeito sanfona


Fibra promove a saciedade e ajuda a reduzir a ingestão de alimentos. Repórter testou a dieta e
perdeu 3,2 quilos em um mês.
GUACIRA MERLIN Rio de Janeiro e São Paulo

"Ultimamente só estou usando camisa de bolinha", conta o músico João Baumman, apontando para
a própria barriga.
"Eu perdi todas as minhas roupas, porque engordei bastante este ano. Eu alargo e depois tenho que
diminuir de novo", conta a aposentada Maria Lourdes Rosignoli.
Você já ouviu essa conversa antes? Não é só o pessoal da música que está habituado a pequenos
consertos. A obesidade já é um problema de saúde pública.
"Nós comemos antes, durante e depois do show", revela a musicista Regina Sbrighi Pimentel.
Comida é sinônimo de festa: macarronada, doces, churrasco com os amigos. Nesse ritmo, nosso
corpo muda de forma. É o efeito sanfona. Há quem pense que essa é uma preocupação só das
mulheres. Errado. Os homens também sofrem. Afinal, a maioria dos brasileiros está com excesso de
peso. Não adianta esconder.
"Eu engordava e emagrecia. Engordava e emagrecia", lembra a dona de casa Ivani Benedetti de
Oliveira.
Por detrás da sanfona, sempre existe uma história de vai e vem na balança.
"O efeito sanfona é observado quando a pessoa realiza dietas da moda. São dietas muito restritivas,
que promovem uma perda de peso rápida. Mas a manutenção desse peso adquirido não ocorre", diz
a professora de nutrição Glorimar Rosa, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
A comerciante Áurea Barcellos conta os tipos de dieta que já fez: "Eu passava o dia todo tomando
abacaxi. Já fiz a dieta dos pontos e a dieta da sopa. Também tem outra dieta da sopa: deu sopa,
come tudo".
Contra os males do excesso de peso, mulheres unidas. De um lado, aquelas que estão cansadas do
engorda e emagrece. Do outro, as nutricionistas da UFRJ. Juntas, estão testando os efeitos da
linhaça no combate à obesidade.
"Cada participante da pesquisa recebe um plano alimentar individualizado, que ela deve seguir
durante três meses. Fazemos consultas quinzenais, quando elas recebem os suplementos
alimentares", explica Glorimar Rosa.
É neste momento que entra a linhaça. São três tipos. "A linhaça dourada apresenta uma maior
quantidade de ômega-3 e ômega-6 em comparação com a linhaça marrom integral e a linhaça
marrom desengordurada. Ela tem mais gorduras poliinsaturadas, que são benéficas, protetoras do
nosso coração", esclarece Glorimar Rosa.
Parte desse grupo recebe óleo de peixe misturado com doce de morango sem açúcar, que também é
rico em ômega-3 e 6.
"São três colheres medidas todos os dias, no café da manhã. Vocês podem passar na torrada ou no
biscoito", orienta a professora de nutrição Sofia Kimi Uehara, da UFRJ.
"Com geleia de morango enriquecida com óleo de peixe, vemos exclusivamente o efeito do óleo de
peixe nos fatores de risco cardiovasculares", diz Glorimar Rosa.
Todos os meses, elas repetem vários exames: colesterol, quantidade de açúcar no sangue, peso,
medidas. Em três meses, a costureira Elenice Amorim passou do manequim 48 para o 42 em três
meses.
Quem diria que o primeiro efeito para a ex-passista Eliane dos Santos Silva, de 43 anos, seria um
novo ritmo de vida? "Eu perdi dez quilos em três meses", conta.
"Aos 35 anos, eu estava bem mais velha do que com 40. Minha autoestima era baixíssima. Quando
o filho começa chamar a mãe de gorda e você percebe que o olhar do marido não é o mesmo, você
não consegue se ver no espelho", avalia a dona de casa Andréa Rodrigues de Menezes.
"Para mim, a linhaça foi o início de uma vida saudável", diz a enfermeira Fatima Camello.
Quem nunca começou uma dieta e desistiu logo depois? No corre-corre de todos os dias falta tempo
para se preocupar com a alimentação e sobram tentações. As mulheres com quem nós conversamos
já venceram esse desafio. Chegou a minha vez. Durante um mês, eu experimentei essa dieta.
Primeiro, os exames. Uma bateria deles. Foram cinco coletas de sangue. Em seguida, comecei a
dieta. E comecei comendo. A ideia foi usar a farinha de linhaça para espantar a fome.
"Ela é um dos alimentos mais ricos em fibras. Essa fibra promove a saciedade no café da manhã e
ajuda a paciente que quer emagrecer a reduzir sua ingestão alimentar ao longo do dia", explica a
nutricionista Wânia Lúcia Araújo Monteiro, da UFRJ.
"Você preenche o copo [de café] duas vezes. Pode misturar no iogurte, no leite ou em um suco de
fruta", orienta a nutricionista Grazielle Huguenin.
Aí que está a grande dificuldade e o meu maior desafio: como seguir essa dieta em um ritmo de
trabalho intenso, como é o ritmo de muita gente no dia a dia?
"Você poderia fazer um sanduíche com pão integral, substituindo o arroz, uma cenoura ralada,
alface e peito de frango grelhado", diz Grazielle Huguenin.
Foi assim eu adotei a lancheira. Mas não é tão fácil. Recusar delícias como pizza é uma desfeita! No
quinto dia da minha dieta, estávamos em um hotel em São Paulo. Eu não podia nem pensar em
comer muitas coisas do café da manhã. Optei por um copo de leite desnatado, um pãozinho e
queijo. Escolhi uma fatia bem gordinha para ficar feliz. Aonde eu ia levava um copinho com a
medida de farinha de linhaça.
Mas e quem resiste a um pão quentinho? Do total de brasileiros, 66% confessam que ir à padaria é o
melhor programa para as horas de lazer. Foi o que revelou uma pesquisa realizada pela Sociedade
Brasileira de Cirurgia Bariátrica nas cinco regiões do país.
"Leva um amigo, toma um cafezinho, relaxa, conversa", diz o panificador Wagner Ferreira.
E para quem faz desse lazer um ganha-pão, é ainda mais difícil manter o peso.
"Eu tenho uns 106 quilos. Não resisto. Faço umas caminhadinhas: dou uma volta na padaria",
brinca o gerente de padaria José Mazzeo.
Até dona Ivani, da orquestra de sanfonas, já teve uma queda irresistível pela padaria. Adivinhem
onde foi o primeiro encontro com o comerciante Manuel de Oliveira?
"Ele trabalhava na padaria e sabia que eu gostava de sonho. Cada vez que meu pai ia lá comprar um
doce, meu sonho ia em cima", lembra dona Ivani.
Recuse o primeiro prato quem nunca tentou agradar com comida. "Comida tem uma relação
emocional muito importante. Aprendemos de pequenininho que é feio deixar comida no prato.
Aprendemos que se comemora comendo. Aprendemos que quando estamos tristes comemos alguma
coisa. Existem famílias que começam o domingo à mesa e fica até sete horas no mesmo ambiente",
diz o médico-cirurgião Luiz Vicente Berti, do Hospital das Clínicas de São Paulo.
O amor entre dona Ivani e seu Manuel é o mesmo dos tempos da padaria. "Eu estava bem magrinha,
com 54 quilos. Ele me chamava de bacalhau, porque eu era muito magra", conta dona Ivani.
"Eu não lembro mais", disfarça seu Manuel.
Mas quem vê esse casal feliz nem imagina que, além da dificuldade em controlar o próprio peso,
ainda é preciso enfrentar um grave transtorno alimentar dentro de casa. Com a filha, a veterinária
Ana Paula de Oliveira, a questão do peso chegou ao extremo.
"Eu olhava para a comida e virava a cara e falava que não queria. Quanto mais magra eu ficava
mais eu me via gorda. Eu me via gorda mesmo. Obesa mórbida. Quando descobriram que eu tinha
anorexia, eu fui para o tratamento com 38 quilos", lembra Ana Paula, que está fazendo pós-
graduação. "Eu estava precisando de alguma coisa para me distrair, com a qual eu me mantivesse
ocupada. Então, dois gatinhos vieram e agora estou cuidando deles", conta.
Estudando e cuidando dos gatinhos, ela se fortalece dia após dia.
"Eu tenho a sorte de ter uma mãe que só faltou se algemar comigo para me vigiar", diz Ana Paula.
"Nós duas vamos ficar sempre juntas", diz dona Ivani.
Durante a reportagem, nós conhecemos muitas histórias de superação. Depois de um mês fazendo a
dieta da linhaça, voltamos ao Laboratório de Nutrição para saber se realmente mudou alguma coisa
na minha saúde. Os primeiros resultados mostraram taxas normais de glicose, triglicerídeos e
colesterol. Mas o teste mais temido foi mesmo o da balança. Eu perdi 3,2 quilos em um mês.
"Graças à dieta e à linhaça. Sem sombra de dúvida, a redução na ingestão de calorias contribuiu de
forma importante para a redução de medidas e no peso corporal. Mas a linhaça contribuiu de forma
bastante importante no controle da compulsão alimentar, reduzindo a sensação de fome", explica
Glorimar Rosa.
A vendedora autônoma Dionar Rodrigues da Silva começou a dieta junto comigo e gostou dos
resultados. "Eu tinha cem centímetros de cintura e hoje estou com 89. Não é igual aos regimes
malucos que eu comecei a fazer e davam resultado, mas era momentâneo. Em pouco tempo eu fiz a
dieta e agora estou vendo o resultado. É um reloginho: todo dia tenho que tomar linhaça. É ótimo",
diz. É um adeus ao efeito sanfona.

Veja como preparar pratos saborosos e


nutritivos utilizando integralmente os
alimentos
Talento em transformar alimentos se multiplica no trabalho de uma voluntária nas comunidades
atendidas pela Pastoral da Criança em Curitiba. Receitas incluem bolo com resíduos de melancia,
geléia de entrecasca de maracujá e estrogonofe de abóbora. Confira.
Todos os pratos foram criados por Maria da Conceição Oliveira Hamester (Maria Ceiça)

ANGU COM RESÍDUOS DE SUCO DE ABÓBORA COM CASCA E SEMENTE

(Rendimento: 10 porções)

Ingredientes:

resíduo de 1 abóbora pequena (o que sobra quando se côa o suco)


½ kg de flocos de milho pré-cozido ou farinha de milho
200g de cebola picada
2 colheres de sopa de margarina
sal a gosto

Modo de Fazer:

Refogue o resíduo da abóbora com margarina, sal e cebola. Em seguida, acrescente o floco de milho
e misture.

ARROZ COM CASCA DE BANANA

(Rendimento: 20 porções)

Ingredientes:
1kg de arroz
3 colheres de sopa de óleo
200g de cebola cortada em cubinhos
3 dentes de alho
cascas lavadas e picadas de 1kg de banana (não muito madura)
1 prato de sobremesa de ervas medicinais bem picadas (caruru, taioba, beldroega, dente-de-leão ou
serralha, couve, ora-pró-nobis, folha de abóbora, alho-poró etc.)
sal a gosto

Modo de Fazer:

Refogue bem as cascas, cebola, sal e alho com óleo. Depois, acrescente o arroz. Adicione água o
suficiente para cozinhar o arroz. Perto de desligar o arroz, adicione as folhas medicinais e desligue.

ARROZ COM TALOS

(Rendimento: 20 porções)

Ingredientes:

1 kg de arroz
3 colheres de sopa de óleo
2 pratos de sopa cheio de talos picados (talos de couve-manteiga, beterraba, salsinha, repolho,
couve-flor)
1 prato de entrecasca de melancia em cubinhos (parte branca)
200g de cebola cortada em cubinhos
3 dentes de alho
300g de abóbora cortada em cubinhos com casca ou a mesma quantidade de cenoura
sal a gosto

Modo de Fazer:

Refogar os talos, a cebola, o sal, o alho, o repolho, a abóbora ou a cenoura com óleo. Depois,
acrescente o arroz e adicione água o suficiente para cozinhar o arroz.

BOLO DE RESÍDUOS DE ABÓBORA COM CASCA E SEMENTE (RESÍDUO DO SUCO)

Ingredientes:

resíduo de 1 abóbora pequena (o que sobra quando se côa o suco)


1 noz moscada ralada
100g de coco ralado
3 ovos inteiros
200ml de leite ou leite de coco
3 colheres de sopa de suco de limão
100ml de óleo
200g de farinha de trigo
20g de fermento em pó para bolo

Modo de Fazer:
Misture os ingredientes sem o fermento em uma bacia. Depois, adicione o fermento e leve em forno
pré-aquecido por cerca de 30 minutos. Obs.: O bolo não fica sequinho – fica numa consistência
entre bolo e pudim, mas pode ser desinformado sem quebrar.

BOLO DE RESÍDUOS DE MELANCIA

Ingredientes:

resíduos com sementes de uma melancia


1 noz moscada ralada
100g de coco ralado
3 ovos inteiros
200ml de leite de coco (opcional)
3 colheres de sopa de suco de limão
100ml de óleo
180g de farinha de trigo
20g de fermento em pó para bolo

Modo de Fazer:

Misture os ingredientes, sem o fermento, em uma bacia. Depois, adicione o fermento e leve em
forno pré-aquecido por cerca de 30 minutos. Obs.: O bolo não fica sequinho – fica numa
consistência entre bolo e pudim, mas pode ser desinformado sem quebrar.

DOCE DE BANANA COM CASCA (EFEITO CROCANTE PELOS PEDACINHOS DA CASCA)

Ingredientes:

1kg de banana (caturra, d’água, casca-verde ou nanica)


cascas de cinco bananas (as cascas não podem estar muito maduras)
Para a Calda:
½ kg de açúcar cristal
3 colheres de sopa de suco de limão
200ml de água

Modo de Fazer:

Em água corrente, lave bem as bananas com casca. Corte as cascas bem picadinhas e reserve.
Cozinhe bananas inteiras com um pouco de água. Após bem cozidas, adicione a calda em ponto de
fio, o suco de limão e as cascas bem picadinhas. Deixe cozinhar por mais cinco minutos e desligue.
Calda em Ponto de Fio:

Coloque o açúcar e o suco de limão com água para cozinhar até ponto de fio, de modo que
permaneça transparente.

DOCE DE ENTRECASCA DE MELANCIA (PARTE BRANCA)

Ingredientes:
1kg de entrecasca de melancia cortada em cubinhos

Para a Calda:

½ kg de açúcar cristal
3 colheres de sopa de suco de limão
200ml de água

Modo de Fazer

Leve a entrecasca para cozinhar com pouca água, depois adicione a calda de açúcar em ponto de fio
junto com o suco de limão. Deixe cozinhar por mais cinco minutos e desligue.

Calda em Ponto de Fio:

Coloque o açúcar e o suco de limão com água para cozinhar até ponto de fio, de modo que
permaneça transparente.

ESTROGONOFE DE ABÓBORA

(Rendimento: 10 porções)

Ingredientes:

100g de cebola
100g de tomate
200g de farinha de trigo
½ maço de cheiro-verde
5 colheres de sopa de óleo de soja
1 colher de sopa de vinagre
3 dentes de alho
½ abóbora kabutiá ou japonesa média cortada em cubinhos com casca
1 colher de sopa de gengibre picado
1 colher de sopa de colorau
1 prato de sobremesa de ervas medicinais cortadas em tiras bem finas (alfavaca ou manjericão e
serralha)
sal a gosto

Modo de Fazer:

Cozinhe a abóbora cortada em cubinhos com casca (a semente e o miolo devem ser reservados para
fazer suco, bolo, pão ou farofa). Refogue os temperos: alho, sal, óleo, tomate, gengibre e colorau.
Liquidifique a farinha de trigo com a água fria e a cebola e em seguida adicione à preparação. Deixe
ferver até que o caldo fique mais espesso. Depois, acrescente a abóbora. Apague o fogo, adicione as
ervas medicinais e sirva.

ESTROGONOFE DE ENTRECASCA DE MELANCIA

Ingredientes:

(Rendimento: em média, 20 porções)

200g de cebola
300g de tomate
200g de fubá ou 200g de farinha de trigo
½ maço de cheiro-verde
5 colheres de sopa de óleo de soja
1 colher de sopa de vinagre
3 dentes de alho
entrecasca de 1 melancia (só a parte branca cortada em cubinhos, a vermelha com sementes para
suco e a parte verde para farofa)
1 colher de sopa de gengibre picado
1 colher de sopa de colorau
1 prato de sobremesa de ervas medicinais cortadas em tiras bem finas (alfavaca ou manjericão e
serralha)
sal a gosto

Modo de Fazer:

Refogue a "parte branca" da melancia (a entrecasca) com os temperos: alho, sal, óleo, cebola,
gengibre e colorau. Misture o fubá ou farinha de trigo com a água fria em vasilha à parte. Em
seguida, adicione à preparação. Deixe ferver, apague o fogo e adicione as ervas medicinais e sirva.

FAROFA DE CASCA DE BANANA

(Rendimento: 10 porções)

Ingredientes:

5 colheres de sopa de óleo


½ kg de flocos de milho pré-cozido ou farinha de milho
200g de cebola picada
3 dentes de alho
1 colher de sopa de colorau
½ maço de cheiro-verde
somente a casca lavada de 1kg de banana (banana caturra, d’água ou nanica)
1 prato de sobremesa de ervas medicinais cortadas (alfavaca ou sálvia ou manjericão, dente-de-leão
ou serralha e tanchagem)
sal a gosto

Modo de Fazer:

Refogue primeiramente as cascas de banana com cinco colheres de sopa de óleo. Depois, adicione a
cebola, alho, colorau e sal. Em seguida, acrescente o floco de milho e misture. Desligue o fogo e
adicione as ervas medicinais.
FAROFA DE CASCA DE MELANCIA (SOMENTE A PARTE VERDE)

(Rendimento: 10 porções)

Ingredientes:

5 colheres de sopa de óleo


½ kg de flocos de milho pré-cozido ou farinha de milho
200g de cebola picada
3 dentes de alho
1 colher de sopa de colorau
somente a casca (parte verde) picadinha de 1 melancia
1 prato de sobremesa de ervas medicinais cortadas (alfavaca ou sálvia ou manjericão, dente-de-leão
ou serralha e tanchagem)
sal a gosto

Modo de Fazer:

Refogue primeiramente as cascas de melancia com cinco colheres de sopa de óleo. Depois, adicione
a cebola, o alho, o colorau e o sal. Em seguida, acrescente o floco de milho e misture. Desligue o
fogo e adicione as ervas medicinais.

FEIJÃO TROPEIRO LIGTH

(para 1kg de feijão cozido ao ponto de salada)

Ingredientes:

1kg de feijão cozido com água, sal e vinagre


100g de fibra de trigo torrado
½ kg de floco de milho pré-cozido ou farinha de milho amarelo
4 dentes de alho
1 colher de sopa de gengibre
½ maço de cheiro-verde
1 prato de sobremesa de ervas medicinais picadas (hortelã ou alfavaca ou manjericão, serralha ou
dente-de-leão, caruru ou bredo)
200g de cebola picada
3 colheres de sopa de óleo
1 colher de sopa de vinagre
3 ovos fritos (fritos e mexidos a parte)
300g de berinjela em cubinhos
sal a gosto

Modo de Fazer:

Refogue a cebola, o alho e o gengibre com o óleo. À parte, prepare a berinjela ligeiramente frita
(substituindo o bacon) e prepare os ovos mexidos com pouco sal. Em seguida, adicione a farinha de
milho e mexa bem. Depois, acrescente o feijão (sem água). Desligue o fogo e acrescente os demais
ingredientes preparados à parte e adicione as ervas medicinais já cortadas em tiras bem finas.
FOLHA DE ASSA–PEIXE À MILANESA

Ingredientes:

50 unidades de folhas de assa-peixe


100g de farinha de trigo
10g de fibra de trigo
óleo suficiente para fritar
sal a gosto

Modo de Fazer:

Faça uma mistura tipo creme com a farinha e fibra de trigo, água e sal a gosto. Mergulhe as folhas
de assa-peixe, uma a uma, nessa preparação e coloque cuidadosamente na panela com o óleo bem
quente. Ao retirar as folhas da panela, disponha-as em posição inclinada dentro de vasilha com
papel absorvente para escorrer o excesso de óleo.

GELÉIA DE ENTRECASCA DE MARACUJÁ

Ingredientes:

entrecasca de cinco maracujás


suco puro e natural dos cinco maracujás
açúcar cristal (coloque a mesma quantidade de suco de maracujá)

Modo de Fazer:

Cozinhe as cascas do maracujá retirando a película interna, sem polpa e sem semente. Coe a polpa
do maracujá em uma peneira sem adição de água (suco puro e concentrado). Reserve. Cozinhe as
cascas com água até que a entrecasca fique bem macia. Depois, retire as entrecascas já cozidas e
liquidifique com um pouco d’água (a mesma que foi cozida). Leve ao fogo com uma xícara de chá
de açúcar e mexa até apurar bem. Adicione o suco de maracujá com a mesma quantidade de açúcar
e deixe apurar até o ponto de geléia. (Sugestão: pode-se servir a geléia dentro da própria casca,
acompanhada de sorvete de creme OU creme de leite OU chantily.)

PURÊ DE MANDIOCA (AIPIM OU MACAXEIRA)

Ingredientes:

1kg de mandioca cozida com sal


1 litro de Leite
4 colheres de sopa de margarina ligth
2 colheres de sopa de queijo ralado (opcional)
½ ramos de cebolinha verde picadinha (opcional)
sal a gosto

Modo de Fazer:

Liquidifique todos os ingredientes e reserve. Leve ao fogo brando por cerca de cinco minutos. Após
desligar, adicione a cebolinha verde picada.
REQUEIJÃO COM ERVAS FINAS

Ingredientes:
1 ricota (300g)
200ml de leite integral OU desnatado OU água
2 colheres de sopa de margarina ligth OU manteiga (fica mais gostoso)
2 colheres de sopa de manjericão OU alfavaca, sálvia, serralha OU dente-de-leão, hortelã e
cebolinha
sal a gosto

Modo de Fazer:

Liquidifique todos os ingredientes. Obs.: Ferva o leite OU a água com margarina e, ainda bem
quente, adicione aos poucos junto com o suco do limão até obter a consistência desejada. Depois de
pronto, misture as ervas finas ou medicinais.

SALADA COM ENTRECASCA DE MELANCIA (PARTE BRANCA)

Ingredientes:
1 limão ou 1 colher de sopa de vinagre
1 colher de chá de óleo
3 pratos rasos de entrecasca da melancia cortada em cubinhos
gengibre picado a gosto
1 cebola cortada em tiras
1 ramo de salsa cortada bem fininha
sal a gosto ou shoyo

Modo de Fazer:

Misture todos os ingredientes, tempere a gosto e use da criatividade para decorar.


OBS.: Pode-se temperar com o requeijão com ervas finas.

SALADA CROCANTE DE ENTRECASCA DE AIPIM (MANDIOCA OU MACAXEIRA)

Ingredientes:

entrecasca de três mandiocas grandes


1 limão ou 1 colher de sopa de vinagre
3 cenouras raladas em tiras bem finas
1 colher de chá de óleo
1 dente de alho picadinho (opcional)
gengibre picado a gosto
1 cebola cortada em cubinhos
1 ramo de salsa cortada bem fininha
3 colheres de sopa de gergelim torrado
sal a gosto ou shoyo

Modo de Fazer:

Retire a entrecasca do aipim e leve para cozinhar com pouca água, sal e uma colher de sopa de
vinagre. Escorra a água e reserve. Misture todos os ingredientes, tempere a gosto e use a
criatividade para decorar. Enfeite a seu gosto e salpique gergelim. Obs.: Pode-se temperar com o
requeijão com ervas finas.

SALADA DE ABÓBORA CRUA

Ingredientes:

2 fatias de abóbora raladas com casca


1 limão ou 1 colher de sopa de vinagre
1 colher de chá de óleo
1 dente de alho picadinho (opcional)
gengibre picado a gosto
1 cebola cortada em cubinhos
1 ramo de salsa cortada bem fininha
sal a gosto ou shoyo

Modo de Fazer:

Misture todos os ingredientes, tempere a gosto e use a criatividade para decorar. Enfeite a seu gosto
e salpique gergelim. Obs.: Pode-se temperar com o requeijão com ervas finas.

SALADA VERDE

Ingredientes:

1 pé de alface ou 1 maço de couve manteiga cortada em tiras finas


1 limão ou 1 colher de sopa de vinagre
1 colher de sopa de óleo
gengibre picado a gosto
1 cebola cortada em tiras
1 ramo de salsa cortada bem fininha
sal a gosto ou shoyo

Modo de Fazer:

Misture todos os ingredientes, tempere a gosto e use da criatividade para decorar. Obs.: Pode-se
temperar com o requeijão com ervas finas.

SUCO DE ABÓBORA

(Rendimento: dois litros)

Ingredientes:

2 fatias de abóbora com casca e sementes


3 limões
açúcar a gosto

Modo de Fazer:

Liquidifique a abóbora com água, coe em peneira fina e depois adicione o suco do limão. Adicione
açúcar a gosto e sirva gelado. (Sugestão: reserve o resíduo para fazer bolo, pão, pudim, farofa, angu,
sopa, purê.)

SUCO DE BATATA-DOCE

(Rendimento: dois litros)

Ingredientes:

1 batata-doce média com casca


3 maracujás
2 limões
açúcar a gosto

Modo de Fazer:

Liquidifique a batata doce com água e coe em peneira bem fina, depois adicione o suco do maracujá
e do limão e açúcar a gosto. Sirva preferencialmente gelado.

(Sugestão: reserve o resíduo para fazer bolo.)

SUCO DE MELANCIA COM SEMENTE

(Rendimento: dois litros)

Ingredientes:
1 melancia com semente (pequena)
suco de Limão a gosto
açúcar a gosto

Modo de Fazer:

Liquidifique a melancia com semente e coe em peneira fina. Adicione açúcar e suco de limão a
gosto. Sirva gelado. (Sugestão: reserve o resíduo para fazer bolo.)
O que é que o inhame tem!
Pesquisador do Mato Grosso do Sul defende que cultivo da planta é fácil e barato. Pode até ser
fonte de renda para pequenos produtores.

Folhas em forma de coração. Parece até uma planta ornamental. Uns dizem que é hortaliça. Outros,
que é tubérculo ou raiz. Tem gente até que confunde o nome, chama o inhame de cará. Mas os
especialistas explicam: o inhame é um rizoma, um caule modificado que leva água e nutrientes para
a planta.
"Parte é usada pela planta para crescer e o que não é usado, como a nossa gordura, é acumulado no
rizoma", esclarece o engenheiro agrônomo Néstor Herédia, doutor em inhame. No Equador, onde
nasceu o professor, o inhame entra cedo na dieta das crianças.
Há 23 anos Néstor mora no Brasil. É pesquisador e professor na Universidade Federal de Mato
Grosso do Sul (UFMS). Defensor ferrenho do inhame, ele diz que o cultivo da planta é muito fácil e
barato. Pode até ser uma fonte de renda para os pequenos produtores. "É praticamente plantar,
limpar e colher. É só manter – não tem praga, não tem doença", ressalta o professor.
Na região serrana de Santa Leopoldina, no Espírito Santo, os pequenos agricultores descobriram
isso. Eles já produzem mais de 5 mil toneladas de inhame por ano e estão exportando para Europa,
Estados Unidos e Canadá.
O inhame é uma planta rústica, resistente às pragas. Para crescer, precisa de sol, calor e umidade.
Por isso, ele pode ser cultivado em praticamente todo o Brasil. E essa planta guarda embaixo da
terra uma reserva de energia: são os rizomas redondos, ricos em carboidratos, sais minerais e
vitaminas.
A especialista em educação ambiental Mariza Correia da Silva nunca cuidou muito da alimentação.
Mas quando decidiu engravidar, começou a fazer reeducação alimentar. Queria uma gravidez e um
bebê saudáveis. E um dos novos alimentos sugeridos pela nutricionista Jaira Moura foi justamente o
inhame.
"É um alimento rico em carboidrato, cheio de cálcio, ferro, fósforo, além de ter vitaminas do
complexo B, especialmente a vitamina B1, importante no crescimento das crianças, e a vitamina
B5, que auxilia o sistema imunológico", ressalta a nutricionista.
O inhame é ingrediente que não falta na alimentação da pequena Joana, que já está com um ano e
meio. "Desde os seis meses ela come todos os alimentos, inclusive o inhame, e ama!", conta
Mariza.
Rico em amido, o inhame é um enérgico natural para a criançada. A nutricionista alerta: deve ser
sempre muito bem cozido. O bom é que a quantidade de carboidratos contida no inhame não o torna
calórico demais. "Se compararmos, cem gramas de inhame têm menos calorias que duas
bolachinhas recheadas e uma quantidade de nutrientes muito importantes", diz a nutricionista.
Na fabricação da farinha de inhame, o aproveitamento desses nutrientes é total. Primeiro, tem de
lavar bem. O inhame é cortado com casca e tudo. Depois de seco, é triturado. Aí é só peneirar. "Nós
temos a vantagem de não utilizar nenhum produto químico na produção", comenta o pesquisador
equatoriano.
Na casa da engenheira agrônoma Maria do Carmo Vieira, também professora da UFMS, o pão de
cada dia tem um toque tropical: a receita tem farinha de inhame.
"Nós fizemos um teste substituindo, por exemplo, 20% da farinha de trigo pela farinha de inhame, e
o pão ficou em torno de 10% a 12% mais barato. E podemos usar também o inhame cozido. Não
tendo a farinha, que é feita com o inhame seco e triturado, a pessoa pode apenas cozinhar os
rizomas e amassá-los. Na mistura para preparar o fermento, vamos dizer assim, tem um pouco de
farinha de trigo, uma xícara de açúcar, o fermento para pão e leite morno. A gente deixa crescer e
depois acrescenta os outros ingredientes", ensina a professora.
A massa, que dá para seis pães, leva ainda ovos, óleo, manteiga, sal, açúcar mascavo e a farinha de
inhame.
"Temos que acrescentar farinha de trigo até o ponto que se possa abrir para montar os pães", diz
Maria do Carmo. Na massa aberta, a professora põe ainda um pouco de canela. Depois, é só assar e
está pronto. Fica crocante.
Além de gostoso, as qualidades do inhame são tantas que a gente não se cansa de descobri-las. "O
inhame, além de minerais e vitaminas, que as pessoas normalmente necessitam na alimentação, tem
fibra, que favorece o funcionamento do intestino. Ele ainda é rico em hormônio, que pode amenizar
os sintomas da menopausa em mulheres. É só comer o inhame", aconselha a professora.
Receitas energizantes
SUCO DE LUZ DO SOL (SUCO VIVO OU SUCO VERDE)
Modo de Fazer:

Cortar uma maçã em pedaços pequenos e tirar as sementes grandes. Colocar no liquidificador. Usar
um pepino como socador para auxiliar a extrair o líqüido que mora dentro das hortaliças.
Acrescentar os grãos germinados*, as folhas verdes comestíveis, o legume e a raiz escolhida na
proporção indicada, variando as hortaliças sempre que possível e privilegiando as de produção
orgânica. Coar em um pano e beber logo em seguida.

Legumes e raízes: cenoura, abóbora, maxixe, batata-doce, inhame, quiabo, couve-flor, abobrinha,
nabo, beterraba.

*Como germinar grãos

1 – Colocar de uma a três colheres de sopa de grãos em um vidro e cobrir com água limpa.
2 – Deixar de molho por uma noite (8 horas).
3 – Cobrir o vidro com filó e prender com elástico. Despejar a água e enxaguar bem sob a torneira.
4 – Colocar o vidro inclinado em um escorredor em um lugar sombreado e fresco.
5 – Enxaguar pela manhã e à noite. Nos dias quentes, é preciso lavar mais vezes. Os grãos iniciam
sua germinação em períodos variáveis. Em geral, estão com sua potência máxima logo que
sinalizam, o processo do nascimento, quando ficam prontos para serem consumidos.

Sugestões de sementes:

Todas as sementes comestíveis, tanto pelo homem como pelos pássaros: girassol, painço, niger,
colza, aveia, trigo, linhaça, arroz, soja, centeio, gergelim, grão-de-bico, amendoim, lentilha, nozes,
castanha-do-pará, amêndoas, ervilha, feno-grego etc.

Um dos ingredientes mais importantes é a "grama" do trigo. Muito rica em clorofila, é encontrada
em mercados e muito fácil de ser plantada em casa. É só comprar sementes de trigo e colocar em
bandejas de isopor ou copos plásticos. Basta regar que ela brota, nem precisa de terra. O ideal é
comer enquanto está verdinha, até a altura de cerca de um palmo.

Receita: Ana Branco, designer e professora da PUC-RJ

ENERGIZANTE NATURAL DE VINAGRE

Ingredientes:

1 colher rasa de mel


1 colher de vinagre
água com gás

Modo de Fazer:

Dissolver o mel no vinagre. Em seguida, adicionar a água gasosa, sem mexer, para não perder o gás.
Como alternativa à água com gás, pode-se usar água de coco ou chá verde.

Receita: Vitório dos Santos Júnior, biólogo

MOLHO DE VINAGRE PARA SALADA

Ingredientes:

1 maçã-verde sem casca e sem semente


3 colheres de vinagre de maçã
1 colher (sopa) de azeite
1 dente de alho pequeno
sal a gosto

Modo de Fazer:

Misturar todos os ingredientes e usar para temperar saladas verdes.

Receita: Vitório dos Santos Júnior, biólogo

LASANHA DE ABOBRINHA

Ingredientes:

4 abobrinhas cortadas ao comprido


1 queijo minas padrão ralado
1 tomate
1 cebola
1 pimentão
alho a gosto (para quem gosta)
1 pacote de soja em grão (no lugar da carne moída)
cheiro-verde
molho de soja (para dar cor à carne)
3 copos de água quente
½ colher de açúcar
um pouco de óleo

Modo de Fazer:

Soja à Bolonhesa:

Colocar a soja em grão em uma vasilha com a água quente e um pouco de molho de soja. Deixar
por 5 minutos e escorrer. Refogar a cebola, o tomate, o pimentão e o alho picados com um pouco de
óleo. Depois, despejar a soja, misturar, acrescentar mais um copo de água e um pouco de molho de
soja. Quando ferver, apagar o fogo e reservar. Acrescentar o cheiro-verde picado.

Montagem da Lasanha:

Em uma tigela refratária, colocar uma camada da soja à bolonhesa, uma camada da abobrinha
cortada e uma camada do queijo ralado. Repetir as camadas até terminar. A última camada deve ser
de queijo. Colocar no forno pré-aquecido entre 15 a 20 minutos.

Receita: Sandra da Conceição Oliveira, empregada doméstica

MÚSCULO COZIDO COM ESPECIARIAS

Ingredientes:

1kg de músculo cortado em cubos pequenos


400g de cebola picadinha
5 dentes de alho
1 colher de chá de páprica doce
1 colher de chá de páprica
sal a gosto
3 colheres de sopa de óleo vegetal
água para cobrir o músculo na panela

Modo de Fazer:

Em uma panela de pressão pré-aquecida, acrescentar o óleo e dourar bem as cebolas. Acrescentar o
alho e, em seguida, o músculo. Acrescentar as pápricas e o sal. Tampar a panela e esperar apitar.
Após o apito, baixar o fogo e deixar cozinhar por 20 minutos.

Receita: Clóvis Evaristo, motorista e professor de culinária

CALDEIRADA DE FRUTOS DO MATO

Ingredientes:

Hortis:

1 maço de couve-flor
1 maço de brócolis
1 berinjela
½ repolho branco ou roxo
½ maço de cebolinha
3 unidades de shiitake grande
outros produtos de horta a gosto

Sementes:

100g de trigo
100g de cevadinha
100g de gergelim branco

Temperos:

Miso, cúrcuma, louro, pimenta dedo-de-moça, almeirão, chicória, salsa ou coentro e azeite
extravirgem.

Modo de Fazer:

Picotar o brócolis, o repolho e a berinjela. Prensá-los com miso até brotar o néctar. Picotar os outros
hortis e colocá-los na panela de barro em fogo baixíssimo, prensando levemente com os temperos
até atingir o amornamento. Adicionar shiitake fatiado junto aos prensados. Servir com aziete
extravirgem.

Receita: Oficina da Semente


Ração humana atrai adeptos pela praticidade
Dietas malucas podem fazer muito mal ao organismo, pois os músculos ficam mais fracos e sofrem
com a falta de energia.

No Brasil, a busca incansável tem uma nova receita. Ração humana: você sabe o que é isso?
São, pelo menos, 10 ingredientes, todos em pó e naturais. É uma receita que está se espalhando pelo
Brasil, a dieta da moda.
A corretora de seguros Léa Fornazzari resolveu substituir o café da manhã por essa mistura
milagrosa que promete de tudo: perda de peso, rejuvenescimento e bom funcionamento do intestino.
“Eu não engordo mais. Eu como, mas não engordo, e tenho disposição”, afirma.
Paranaense de 52 anos, Léa mora em São Paulo. Ela é ativa, sempre interessada em alimentação
saudável e chegou a tomar o suco vivo para emagrecer.
A corretora de seguros conta que, com o suco vivo, ela tinha muita energia, que o cabelo e a pele
melhoraram, mas explica por que parou de tomar. “Você não pode deixar ele cortado na geladeira.
Você tem que cortar na hora em que você vai fazer. Então, não é uma coisa prática que eu possa
carregar, levar para onde eu for. Por isso, eu parei, porque dava muito trabalho”, revela.
Esse é um trabalho que a mistura de cereais não dá. Mas de onde vem a receita que parece mágica?
Léa Fornazzari, como milhares de brasileiros, encontrou a fórmula na internet.
E o Globo Repórter foi para a feira, junto com a corretora de seguros, em busca dos produtos
naturais da farinha. Na receita, ela mistura 13 ingredientes. Léa leva a receitinha e já pede a
quantidade que vai precisar para preparar a mistura.
A corretora de seguros revela alguns itens que estão na sua lista: soja em pó, farelo de trigo, farelo
de aveia, gergelim, levedo de cerveja, linhaça dourada moída.
“A linhaça é um elemento muito importante que mantém o ritmo intestinal, tem vitaminas e
modifica o trato de trânsito do intestino. Ao mesmo tempo, ele previne algumas alterações que nós
temos de doenças”, aponta o nutrólogo e professor Mauro Fisberg, da Universidade Federal de São
Paulo (Unifesp).
Quantos produtos naturais! Mas será que misturar tudo isso é mesmo bom para todo mundo?
O professor Mauro Fisberg diz que três colheres ao dia não fazem mal a ninguém. Mas quem é
diabético ou tem problemas cardíacos, cuidado: é melhor evitar açúcar mascavo, cacau e o guaraná
em pó. “Uma pessoa que é normal e come normalmente todos os tipos de alimentos não precisaria
de nenhum outro suplemento”, afirma o nutrólogo.
“Não adianta colocar coisas que sejam muito diferentes, porque a pessoa não consegue manter estes
alimentos que não são do seu hábito durante muito tempo”, ressalta a nutricionista Sônia Tucunduva
Phillípi, da Universidade de São Paulo (USP).
Na receita da Léa, ainda tem gelatina sem sabor, açúcar mascavo, cacau, farinha de maracujá,
quinua, gérmen de trigo e guaraná em pó. No total, a conta da corretora de imóveis deu R$ 36.
Isso dá menos de R$ 1 por dia para duas pessoas e dura quase dois meses na geladeira. De todas as
dietas que Léa já fez, essa é a mais saudável e prática.
Mas Léa afirma que não vale tudo para entrar em um vestido, existem limites. “Eu não sou deste
tipo que acha que vale tudo. Eu acho que em primeiro lugar está a minha saúde”, afirma.
Pouca gente se preocupa com o corpo o ano inteiro. A maioria exagera, come o que tem vontade e
não faz nada para queimar aquelas gordurinhas extras que em dias nublados nem chamam tanta
atenção. Mas é só sair o sol que muitos deixam o bom senso de lado e são capazes de fazer loucuras
para entrar em forma.
As magrinhas se exibem e confessam sacrifícios assustadores. “Eu não tomava café da manhã, não
comia nada, só almoçava salada e um grelhado, durante praticamente um ano. Mas tive tontura, dor
de cabeça. Todo dia, passava mal”, conta a supervisora Vívian Nogueira.
“A primeira coisa que você acaba perdendo são as proteínas mais nobres que são as proteínas
musculares”, explica o nutrólogo Mauro Fisberg.
O nosso corpo está programado para proteger os órgãos vitais, como o cérebro, o coração e os
pulmões que precisam de muita energia, que vem dos alimentos.
Quando entramos em um regime maluco, o cérebro determina: a energia deve ser retirada dos
músculos. E eles ficam mais fracos, sofrem com a dieta. A falta de vitaminas derruba nossas defesas
e aumenta a degeneração celular.
“Para matar a fome, eu tomava muito café sem açúcar. Matava a fome, mas acabou com o meu
estômago também”, lembra a aposentada Clarice Quagio.
“A cafeína, em alguns elementos, tira bastante a fome, mas, ao mesmo tempo, tem uma ação
estimulante importante. E ao mesmo tempo, uma ação tóxica age sobre o nosso trato intestinal, e ela
acaba tendo uma duodenite, uma esofagite e pode chegar até a uma úlcera, por irritabilidade”, diz
Mauro Fisberg.
“Eu consegui emagrecer 20kg, em um ano”, conta a manicure Téia Santana que, há três anos,
passou a comer só carne e salada durante a semana. As lasanhas, pizzas, carboidratos ficaram só
para sábados e domingos.
“Em vez de ela restringir o carboidrato para uma vez por semana, ela poderia comer porções muito
menores de carboidrato todos os dias, combinadas com proteína, combinadas com vegetais,
legumes e frutas que poderiam ser exatamente iguais em termos de perda de peso com muito menos
dano para a vida futura dela”, explica o nutrólogo.
“Acho que tudo tem que ter um equilíbrio. Eu não deixo de comer nada do que eu tenho vontade,
mas eu sei até onde eu posso ir. Quando exagero, eu sei que eu tenho que voltar. E aí dar uma
revisão na coisa. O ideal é você comer sem culpa”, comenta a corretora de seguros Léa.
Sem culpa e com muito prazer. No dia seguinte, ela vai queimar os excessos, até porque aquele
pretinho básico precisa entrar no verão que vem.
Aprenda a preparar a receita da ração
humana
Veja aqui os ingredientes necessários para você fazer essa mistura em casa.

Abaixo está a receita da ração humana usada pela corretora de imóveis Léa Fornazzari. Conforme o
nutrólogo da UNIFESP, Mauro Fisberg, e a nutricionista da USP, Sônia Tucunduva Philipi, para
quem tem uma alimentação equilibrada durante o dia, a substituição do café da manhã por três
colheres de sopa da receita misturadas ao leite ou suco não faz mal à saúde e pode enriquecer a
dieta.
Os especialistas alertam que as pessoas não devem se alimentar somente desta mistura, nem
exagerar na quantidade usada. Os especialistas recomendam ainda que pessoas com doenças
crônicas, como diabetes e hipertensão, tomem cuidado. Estas pessoas devem eliminar o açúcar
mascavo, o guaraná em pó e o cacau.

500g de soja em pó
500g de farelo de trigo
500g de farelo de aveia
100g de gergelim
100g de linhaça dourada
100g de guaraná em pó
100g de levedo de cerveja
100g de gérmen de trigo
100g de açúcar mascavo
100g de gelatina sem sabor
100g de quinua
100g de cacau em pó
100g de farinha de maracujá
Dietas à base de líquidos não ajudam a
emagrecer
Ao substituir refeições por sucos ou sopas, o líquido não sustenta o organismo. Uma hora o cérebro
pede para mastigar alimentos.

Sol e praia são puro prazer, mas não para todo mundo. A comerciante Áurea Barcellos está sempre
de regime. Se a promessa é emagrecer, ela faz. Já tentou cada receita, até a dieta de suco de couve
com laranja.
Mesmo fazendo cara feia, Áurea se arrisca nas dietas líquidas. A da sopa, ela aguentou pouco
tempo. “Aquele que diz que faz dieta da sopa todo dia, não faz. Faz um sopão, bota na geladeira e
vai esquentando. E aquilo vai enjoando”, critica a comerciante. Áurea conta também que com a
dieta do suco chegou a emagrecer 3 kg, mas manteve por apenas três meses.
O problema é manter o peso. Nesse calor, seguir dietas líquidas, substituindo refeições por sucos,
sopas e vitaminas, parece uma boa pedida. Mas como o corpo reage a essa mudança alimentar?
“Ela tem um efeito limitado, porque uma pessoa precisa de 2.000 a 2.200 calorias para manter o
peso corporal. Se ela passa a tomar 600 calorias em uma sopa, não tem como não emagrecer”, diz a
nutricionista Josefina Bressan, da Universidade Federal de Viçosa (UFV).
Encontrar respostas é um desafio para as nutricionistas e pesquisadoras Josefina Bressan e Denise
Machado Mourão. Suco de melancia ou a fruta em pedaços: o que mata a fome por mais tempo?
Leite de coco ou coco em pedaços? Leite ou queijo?
Um estudo feito por elas nos Estados Unidos investigou o que acontece com a nossa fome, quando
ingerimos alimentos líquidos e sólidos. Ao todo, 120 pessoas participaram do estudo, entre homens,
mulheres, gordos e magros.
As porções de líquidos e sólidos eram idênticas. Havia a mesma quantidade de calorias na fruta e no
suco. Os voluntários comiam em um dia a refeição líquida, e no outro, a sólida. Depois, comiam
pequenos sanduíches até ficarem satisfeitos. Não deu outra. No dia dos líquidos, a fome era sempre
maior.
“Por exemplo, nos dias em que eles testavam os líquidos, eles já comiam mais sanduíches na hora
do almoço, comparando com o dia em que eles comiam o sanduíche e o sólido”, diz a nutricionista
Denise Machado Mourão. “Também ao longo do dia, a gente viu isso. Então, a fome veio muito
mais rápida”.
“Com a dieta do suco, do segundo para o terceiro dia, você fica fraca. Não tem condições. Aí,
quando passa o efeito, você está fraca e precisa comer. Então, você come o dobro”, aposta a
comerciante Áurea Barcellos.
Os pesquisadores confirmaram que ninguém aguenta muito tempo se alimentando só com líquidos.
Chega uma hora em que o cérebro pede para comer e mastigar alimentos. A pesquisa também
revelou que se engana quem pensa que vai emagrecer trocando uma boa refeição por sucos,
vitaminas e sopas.
Ao mastigar os alimentos, enviamos sinais ao cérebro. No hipotálamo, ficam os centros de controle
da fome e o da saciedade. É ali que chegam as informações de que estamos nos alimentando.
Outros sinais vêm do sistema digestivo. Quando a gente mastiga e engole os alimentos, o estômago
vai enchendo e as paredes vão se distendendo. Este movimento ativa receptores estomacais que
enviam sinais ao centro de controle da fome no cérebro.
A presença de comida no estômago inibe a produção de grelina, o hormônio da fome, e aumenta a
produção de leptina, o hormônio da saciedade.
“A fome não é por alimento líquido. Ela exige algo que mastigue. Então, normalmente são pães que
ela vai comer ou algo que ela possa colocar na boca e mastigar”, diz a nutricionista Josefina
Bressan, da Universidade Federal de Viçosa (UFV).
Mas e, quando a gente para com as dietas líquidas, o que sente vontade de comer? “Sente mais
necessidade de comer comida pesada mesmo. Comer macarrão, feijão, arroz, carne assada, farofa”,
revela a comerciante Áurea.
Ainda assim, essas dietas sempre atraem muitos seguidores. São centenas de páginas na internet,
onde Áurea encontra as novidades.
O problema é que, a cada tentativa desesperada de emagrecer, a pessoa faz dietas pobres em
nutrientes, perde peso, mas não perde gordura e, sim, massa magra, que são os músculos. E quando
engorda de novo, não recupera a musculatura. Ganha gordura!
“Por que algumas pessoas dizem que já tentaram de tudo e não conseguem? Porque a composição
corporal está toda modificada”, alerta diz Josefina Bressan. “É mais difícil voltar a essa saúde. O
que a gente está tentando colocar na cabeça das pessoas é não ganhar peso. E se ganhar peso, perder
de forma saudável”.
Para a simpática Áurea, é uma batalha que ela ainda sonha em vencer. “Adoro praia, fiquei não
querendo mais saber de praia. É porque a pessoa fica se sentindo mal. Você não vai à praia e diz que
é por causa do sol. Mentira, é por causa do corpo mesmo”, revela a comerciante.
Sorvetes nascidos em laboratório não
engordam e são deliciosos
Na busca por uma receita mais nutritiva e saudável, foram feitos vários testes e se chegou a um
sorvete sem leite, feito de soja.

Quem resiste ao sorvete? É um desfile de cores e sabores. O gosto varia, depende da região do
Brasil. Tem de bacuri, guavira, castanha, cupuaçu, açaí, taperebá. Os nomes diferentes das frutas
revelam a fartura e a criatividade dos brasileiros. Mas tem gente que exagera na combinação.
É um tal de incrementar o sorvete com creme, leite condensado e açúcar. Será possível tomar aquele
sorvete sem se preocupar com a balança?
O sorvete foi criado há mais de três mil anos pelos chineses. Eles usavam neve, mel e frutas. Aqui,
no Brasil, as receitas ganharam toques exóticos.
Chinesa de nascimento e brasileira por opção, a bioquímica Sin Huei Wang, da Universidade
Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), e a engenheira de alimentos Renata Torrezan, da
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), fizeram o sorvete sem leite de vaca.
“O sorvete tradicional, além de ter leite de vaca, agrega creme de leite, leite em pó e nata. São
fontes de gordura animal. E essa gordura animal faz mal para a saúde”, diz Sin Huei Wang.
Mas como fazer sorvete sem leite? Foram feitos vários testes no laboratório, numa corrida pela
receita mais nutritiva e saudável. Tira a casca da soja, separa o grão, cozinha e tritura. E tem uma
razão para fazer a massa com o grão de soja descascado e não usar o extrato, o leite de soja.
“No caso de utilizar o grão, a gente vai ter uma concentração muito maior de proteína nessa massa
de soja, porque, quando a gente faz o extrato a partir do grão de soja, a gente perde 70% a 80% da
proteína. Então, nessa massa, nós temos maior concentração de proteína”, explica a engenheira de
alimentos Renata Torrezan, da Embrapa.
A massa substitui o leite de vaca, bom para quem tem intolerância a lactose. E as vantagens não
param aí.
“Tem menos 80% de gordura, 50% menos de caloria e ainda tem fibra”, afirma a nutricionista
Elaine Souza Lima, da UFRRJ. “A gordura que ele tem é uma gordura boa. São os ácidos graxos
poli-insaturados que são os ácidos que têm o papel na diminuição do colesterol ruim”, diz Elaine.
Que a soja faz bem todo mundo sabe, mas como evitar aquele gosto de feijão cru? “Nós
desenvolvemos uma tecnologia. Os grãos de soja passaram por um tratamento térmico que tira esse
sabor forte da soja”, declara Elaine Souza Lima.
A essência de morango é para ficar ainda mais atrativo. A repórter faz o teste do sabor e aprova: “é
igualzinho”.
O sorvete sem leite e com massa de soja ainda está sendo testado, mas as pesquisadoras já
descobriram que é viável e barato.
Nesse verão escaldante, o geladinho cremoso é um alívio. O Brasil produz por ano mais de 950
milhões de litros de sorvete. Ao todo, 70% dessa quantidade são consumidos nessa época.
Em Minas Gerais, a nutricionista Ana Vládia buscou nos sabores da infância, novas alternativas de
receitas geladas. Que tal fazer do sorvete um aliado para reforçar o sistema imunológico, proteger a
pele, a visão e o intestino?
Nesses dias ensolarados e quentes, quem não gosta de um sorvete pra refrescar? Várias pessoas
formam fila para experimentar o sorvete desenvolvido na Universidade Federal de Viçosa (UFV),
na praça da igreja matriz.
Mas será que as pessoas vão conseguir identificar quais ingredientes foram usados no sorvete?
“É muito gostoso, não estou descobrindo do que é”, declara um senhor. O menino provou o sorvete
e gostou. Na hora de adivinhar o sabor, ele aposta: “é de nata?”. “Está bom, mas eu não consegui
definir o sabor”, comenta uma mulher.
Até que a repórter revela que o sorvete é inhame. Uma mãe diz que a filha não come inhame, apesar
de ter provado o sorvete e ter adorado o sabor.
“É uma forma de incentivar as crianças a comerem alimentos mais saudáveis. Sorvete toda criança
gosta”, elogia uma mulher.
As receitas foram testadas no Laboratório de Nutrição e Saúde da Universidade Federal de Viçosa.
E é fácil fazer.
O inhame cozido é batido no liquidificador. A nutricionista acrescentou coalhada feita em casa. É
um excelente anti-inflamatório e ajuda no funcionamento intestinal. Se quiser simplificar, pode usar
iogurte natural industrializado. Tudo é batido no liquidificador, junto com o leite condensado, que
pode ser light.
O segredo para que fique no ponto certo é não bater muito, senão o inhame acaba engrossando. É
para ficar igual a um purê.
O inhame é depurativo do sangue. A ação anti-inflamatória faz bem para pele e ajuda até no
combate as celulites, que são inflamações nas células de gordura. É um sorvete turbinado!
“Você tem vitaminas do complexo B, você tem vitamina C, você também tem traços de vitamina E
e um conjunto de outras substâncias naturais que você encontra no próprio inhame, como
antioxidantes, que juntamente com as vitaminas e os outros componentes dessa preparação,
auxiliam na prevenção de doenças crônicas, principalmente aquelas relacionadas ao stress”, explica
a nutricionista Ana Vládia Bandeira Moreira, da UFV.
Mas um alerta: ele não é aconselhável para diabéticos, porque tem muito açúcar.
O sorvete de abóbora com abacate também é uma alternativa de alimento refrescante rico em ácidos
graxos, que fazem bem ao coração.
“Tem o betacaroteno, tem vitamina A, que ajuda não só na questão dos processos ligados à
cicatrização, à função da nossa visão. Previne também doenças de pele e câncer de pele. Essa
substância é importante na prevenção nessa época do verão”, aponta a nutricionista Ana Vládia.
Nessa receita, vai abóbora cozida, com abacate. Metade do emulsificante, aquele produto usado
para dar cremosidade ao sorvete, é substituída por um gel de linhaça feito a partir da fervura da
semente.
“Então, além de substituir parcialmente o aditivo você também está adicionando na preparação
fibras solúveis, uma fibra da linhaça bem conhecida e estudada na prevenção de doenças do trato
digestório, disfunções intestinais e o próprio diabetes”, diz Ana Vládia.
E o mais surpreendente: o número de calorias desses sorvetes nutritivos é muito menor. Dá para
comer sem culpa!
“No caso do sorvete de inhame, uma bola de sorvete tem apenas 69 calorias. O de abacate com
abóbora tem em torno de 83 calorias. O sorvete convencional de creme ou chocolate, na mesma
quantidade, deve ter em torno de 120 a 140 calorias. Então, é uma redução de 40%”, explica a
nutricionista.
É um sorvete altamente nutritivo com pouca gordura. “Muito bom, muito bom mesmo. Não só para
crianças, mas para a gente também”, comenta um senhor.

Saiba como preparar a receita do sorvete de


inhame
Veja aqui um passo a passo pra você fazer essa delícia em casa.

Vamos acompanhar, passo a passo, a receita do sorvete de inhame que o Globo Repórter mostrou.
As porções são para 15 pessoas.
Primeiro, vamos mostrar como fazer o sorvete de inhame tipo picolé ou sacolé, cristalizado, com
gelo. Depois, o sorvete cremoso, que leva creme de leite.
Ingredientes

- 400g de inhame;
- 400 ml de kefir. Se não tiver kefir, pode ser iogurte natural;
- 200 ml de leite condensado;
- 300 ml de creme de leite;
- duas colheres de sobremesa de emulsificante.
Modo de preparo

Primeiro, descasque e cozinhe o inhame. Depois, bata no liquidificador o inhame cozido e cortado
em pedaços médios, com o kefir ou o iogurte natural e o leite condensado.
Se preferir tomar picolé, já pode levar a mistura ao congelador.
Mas, se você quiser o sorvete cremoso, bata na batedeira o creme de leite gelado e o emulsificante e
junte as duas partes. Ponha em um recipiente plástico, leve ao congelador e deixe de um dia para o
outro, por, no mínimo, quatro horas.
Antes de servir, deixe um tempo fora do congelador. Pode acompanhar com frutas da época ou
castanha.
Importante: quem não tiver inhame em casa pode usar outro tubérculo, como a batata-doce e a
macaxeira ou aipim.

Leite condensado diet

Se você está preocupado com o peso, não tem problema. Anote a receita do sorvete de inhame em
versão diet, sem açúcar. Basta substituir o leite condensado comum pelo diet.

Ingredientes

- 1 xícara de chá de leite desnatado em pó;


- ½ xícara de chá de água fervente;
- ½ xícara de chá de adoçante dietético para uso culinário;
- 1 colher de sopa de margarina light.

Ponha todos os ingredientes no liquidificador e bata de cinco a 10 minutos, até obter um creme
homogêneo. Conserve na geladeira antes de utilizar.

Sorvete de inhame sem leite de vaca

Agora, aprenda a receita do sorvete de inhame sem leite vaca que é substituído por leite de soja:

- 400g gramas de inhame;


- 400 ml mililitros de kefir fermentado em leite de soja;
- 200 ml mililitros de leite condensado de soja;
- 1 colher de sobremesa de emulsificante.

O modo de preparo é o mesmo da versão padrão.


Aprenda a fazer o sorvete de abóbora com
abacate
Aprenda a preparar a receita do sorvete saudável que o Globo Repórter mostrou.

Quem poderia imaginar que a combinação de abóbora com abacate daria um bom sorvete? Aprenda
a preparar a receita do sorvete saudável que o Globo Repórter mostrou. As porções são todas para
15 pessoas.

Ingredientes

- 200g de abóbora
- 200g de abacate
- 400ml de leite
- 200ml de leite condensado
- 200ml de creme de leite
- 1 colher de sobremesa de emulsificante

Primeiro, cozinhe a abóbora. Em seguida, bata no liquidificador a abóbora cozida, o abacate com o
leite e o leite condensado. Se você quiser fazer picolé, basta levar ao congelador.
Mas se preferir o sorvete cremoso, bata na batedeira o creme de leite gelado e o emulsificante. Junte
as duas partes. Ponha em um recipiente de plástico e leve ao congelador. Deixe de um dia para o
outro, no mínimo, por quatro horas. Antes de servir deixe um tempo fora do congelador.
No sorvete de abóbora com abacate o leite condensado também pode ser substituído pelo leite
condensado light, e o kefir pode ser feito com leite de soja.
Um detalhe: nessa receita do sorvete de abobora e abacate, foi reduzida a quantidade de
emulsificante. Esse produto normalmente é usado para fazer o sorvete, porque dá aquela textura de
creme. A metade vai ser colocada e substituída por gel de linhaça.
Os ingredientes para preparar o gel são duas colheres de grãos de linhaça e um copo de água filtrada
250 ml.
Cozinhe os grãos de linhaça por aproximadamente 15 minutos. Vai se formar o gel, que deve ser
separado com ajuda de uma concha ou de uma peneira. Em vez de duas colheres de emulsificante,
que é um produto industrializado, você vai usar apenas uma colher e completar com o gel de
linhaça.
Pronto: aí está uma forma saudável e refrescante de encarar o calor.
Modo de preparo
Leite condensado diet
Se você está preocupado com o peso, não tem problema. Anote a receita do sorvete de inhame em
versão diet, sem açúcar. Basta substituir o leite condensado comum pelo diet.

Ingredientes

- 1 xícara de chá de leite desnatado em pó;


- ½ xícara de chá de água fervente;
- ½ xícara de chá de adoçante dietético para uso culinário;
- 1 colher de sopa de margarina light.

Ponha todos os ingredientes no liquidificador e bata de cinco a 10 minutos, até obter um creme
homogêneo. Conserve na geladeira antes de utilizar.
Globo Repórter - 19 de fevereiro de 2010
Fonte: http://g1.globo.com/globoreporter/0,,LS0-16627-79968,00.html