Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

ESCOLA DE TETRO DA UFBA


PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES-CÊNICAS

ISA SARA PEREIRA REGO

O Novo Espírito Científico e a Relação Arte e Ciência:


Epistemologias-não cartesianas

Salvador
2010
ISA SARA PEREIRA REGO

O Novo Espírito Científico e a Relação Arte e Ciência:


Epistemologias-não cartesianas

Anteprojeto de pesquisa apresentado para a


seleção de aluno especial no Programa de
Pós-Graduação em Artes Cênicas, da
Universidade Federal da Bahia.

Salvador
2010
INTRODUÇÃO

Esse estudo tem como tema “o novo espírito científico”, termo elaborado
pelo filósofo francês Gaston Bachelard (1884-1962), que compreende estudos
relacionados a dois epistemólogos do século XX: Edgar Morin (1921) e
Boaventura Souza Santos (1940). Cada autor em sua particularidade vai
propor temas do novo espírito científico, ligados ao objetivo comum de produzir
pesquisas com abordagens não-cartesianas.
A abordagem de estudos que correlacionam estudos críticos-
comparados entre artes e ciências é sempre, a meu ver, catalisadora para
embasar o processo de construção do pensamento não-cartesiano. O artista
não pode deixar de participar dos diálogos entre arte e as diversas áreas de
conhecimento. Esse estudo acredita no potencial produtivo desses novos
diálogos, objetivando a produção de conhecimento em arte.
O Novo Espírito Científico propõe, entre outras coisas, rever
questões ligadas à práxis do professor de arte e explorar modelos
contemporâneos do fazer artístico. Procuro compreender margens de limitação
para seu desenvolvimento e a atenção na precisão de eventuais processos
identificados no percurso.

OBJETIVOS

Estimular diálogos férteis entre as duas áreas de conhecimento,


pensando na relação complexa entre ambas, destacadas pelo filósofo francês
Edgar Morin (1921). Estudar conceitos ligados a educação, referenciados por
Boaventura Souza Santos (1940). Conceitos bachelardianos pretendem ser
revisados e divulgados, através de vídeo-aulas e interpretações artísticas, em
vídeo.

Objetivos específicos:

• Estudo do pensamento complexo de Edgar Morin, através da


leitura do livro Introdução ao pensamento complexo.
• Analisar as noções de “obstáculo epistemológico”, “erro” e
“retificação”, propostas por Gaston Bachelard (1884-1962).
• Discutir argumentos das principais críticas feitas a Boaventura
Souza Santos.
• Correlacionar os conteúdos analisados com a prática do ensino
da arte, bem como o fazer artístico.
• Documentar, durante o processo, as lições apreendidas, que
terão registros na internet, possibilitando o acesso a muitos
leitores.

JUSTIFICATIVA

Esse estudo visa dar continuidade à pesquisa PIBIC (2008-2009 e 2009-


2010) que teve como foco as análises dos principais epistemológos do séc. XX,
a saber, Paul Feyerabend (1924-1994), Gaston Bachelard (1881962), Pierre
Bourdieu (1930-2002) e Richard Rorty (1931-2007), resultando em vídeo-
entrevistas com professores da UFBA convidados, além de fichamentos e
transcrições.
O "novo espírito científico" encontra-se em descontinuidade, em ruptura,
com o senso comum, o que significa uma distinção, nesta nova ciência, entre o
universo em que se localizam as opiniões, os preconceitos, enfim, o senso
comum e o universo das ciências, algo imperceptível nas ciências anteriores,
baseadas em boa medida nos limites do empirismo, em que a ciência
representava uma continuidade, em termos epistemológicos, com o senso
comum. O novo espírito científico forma o professor enquanto se reforma,
propõe o diálogo entre as diversas áreas de conhecimento e é caracterizado
por novos modelos de produzir conhecimento.
A justificativa para esse estudo é o próprio modo de pensar
ciência e arte cada vez mais imbricados; o pensamento não-cartesiano torna-
se a base para estudos epistemológicos em arte, superando posições
cartesianas. Nesse sentido, a tecnologia no fazer artístico é também uma
influente ferramenta que abre espaço para promover a linguagem
contemporânea da arte através das diversas possibilidades de criação-
tecnologia.
Captar o pensamento científico na sua dialética, realçar o caráter
inovador da ciência contemporânea com o espírito de síntese que a anima, tal
é aqui o propósito do projeto. Para isso sugere uma epistemologia não-
cartesiana que apreenda o ritmo acelerado de seriedade e energia, de
descontínuo e contínuo, de racionalismo e empirismo, próprio das histórias da
ciência. Desenve ainda habilidades críticas e propositivas com relação aos
materiais da cultura, das artes e da docência, com rigor ético, ultrapassando a
dicotomia teoria X prática.

MÉTODO

A pesquisa se orienta pelo exame crítico das obras de Bachelard, Edgar


Morin e Boaventura Souza Santos, inicialmente num estudo de natureza
teórico-conceitual que busca investigar a relação dialética entre arte e ciência.
A análise tem como ponto de partida o conceito do “Novo Espírito Científico”,
elaborado por Bachelard, do seu livro A formação do espírito Científico
(2008), bem como as criticas a essa obra. Segue a contextualização das
concepções de Edgar Morin sobre o pensamento complexo numa relação com
o fazer artístico. Análise e interpretação dessas questões serão abordadas a
partir do estudo crítico-comparado com o tema acima proposto. A partir dessa
seleção temas são selecionados para a produção de vídeo-aula que já estão
sendo disponibilizadas na web no endereço http://conexaoic.blogspot.com. E,
por fim, redação da monografia e revisão da redação. A proposta é também
criar uma obra artística.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

· BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico: contribuição


para uma psicanálise do conhecimento. Trad. Estrela dos Santos Abreu.
Rio de Janeiro: Contraponto, 2008.
· MORIN, Edgar. Introdução ao Pensamento Complexo. Lisboa: Instituto
Piaget, 1991.

· MORIN, Edgar. O método 3: o conhecimento do conhecimento. Trad.


Juremir da Silva. Porto Alegre: Sulina, 2008.