Relatório de Actividades 2014

relatório de

actividades 2014
Cercibeja

24 de Março de 2015

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

1.

Sumário Executivo

Identificação da entidade
Cercibeja – Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de Beja, CRL
Quinta dos Britos – Apartado 6115 – 7801-908 Beja
Telf.: 284 311 390 Fax: 284 311 399 NIPC: 500807914
Web: www.cercibeja.org.pt Email: geral@cercibeja.org.pt

Visão
Uma Organização de referência na defesa da cidadania e na prestação de serviços orientados
para pessoas socialmente excluídas ou em risco, com qualidade, inovação e sustentabilidade,
com pleno respeito pelos valores e princípios orientadores e pela cultura da organização, e com
fortes parcerias com todos os intervenientes da comunidade nacional e local (stakeholders).

Missão
É nossa missão apoiar públicos socialmente excluídos ou em risco, no sentido da defesa dos
seus direitos de cidadãos, na sua inserção social e profissional e na satisfação sustentável do
seu bem-estar através da prestação de serviços orientados pela satisfação das necessidades dos
clientes, em conformidade com as suas expectativas e sempre que possível envolvendo todos
os stakeholders e parceiros.

Valores
Dignidade; Respeito; Individualidade; Autonomia; Capacidade de Escolha; Privacidade e
Intimidade; Confidencialidade; Igualdade; Participação.

Área de negócio (tipo de produtos e serviços a prestar e respectivo público-alvo)
De acordo com o tipo de deficiência ou de dificuldade dos indivíduos (clientes), a CERCIBEJA
dispõe de 3 tipos de resposta social (RS), ou UPS (Unidades de Prestação de Serviços):
Centro de Actividades Ocupacionais (UPS-CAO): Destinado a pessoas com deficiência mental
profunda, que apresentam baixas capacidades de trabalho e altos níveis de dependência.
Qualificação
e
Emprego
(UPS-QE):
Composta
por
programas
de
informação/orientação/avaliação/formação profissional, visando o desenvolvimento de
2

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

capacidades para uma futura integração de PCDI (Pessoa com Deficiências e Incapacidades) no
mercado de trabalho. Destina-se a jovens maiores de quinze anos, com deficiência mental,
sensorial ou motora, e com potencialidades para o exercício de uma profissão.
Lar Residencial “Vidas Coloridas” I e II (UPS-LRVC): Esta Resposta Social visa o acolhimento e
atendimento da pessoa com deficiência mental ou multideficiência, em situação de
risco/exclusão social.

Identificação da equipa responsável pela elaboração do documento
Direcção da Cercibeja em colaboração com os Coordenadores ou Directores Técnicos da UPS
(Unidades de Prestação de Serviços).

Corpos Sociais da Cercibeja triénio de 2013-2015
Assembleia Geral
Presidente: Paula Luísa Mendonça Pinto Mendes
Vice-Presidente: Maria Laura Teodósio Abraços
Secretário: Maria Filomena Moisão Janota

Direcção
Presidente: José Hilário Tareco Pereira Mendes
Vice-Presidente: Teresa da Conceição Inverno Fialho
Tesoureiro: Luís Miguel Fernandes da Silva Vieira
Secretário: Vanda Maria Gonçalves Rodrigues
Vogal: Vera Cristina Horta Lopes Neca
Suplente: Hugo António Caetano Inácio
Suplente: Patrocínia Rosa Lourenço Júnior Páscoa

Conselho Fiscal
Presidente: Sónia Cristina Lampreia Batista Guerreiro
Secretário: Anabela Maria Raminhos Chaveiro
Relator: Inês Guerreiro Valente Machado
3

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

2.

Notá Previá

É intenção deste relatório de actividades, comunicar à Assembleia Geral da Cercibeja e a todas as partes
interessadas, a actividade desta Organização, de forma sintetizada, durante o ano de 2014.

3.

Menságem dá Direcçáo

“Não é o trabalho, mas o saber trabalhar, que é o segredo do êxito no trabalho. Saber trabalhar quer
dizer: não fazer um esforço inútil, persistir no esforço até ao fim, e saber reconstruir uma orientação
quando se verificou que ela era, ou se tornou, errada.”
Pessoa, F.
Este foi um ano diferente. Já nos vamos habituando a anos diferentes, mas esta instabilidade altera
imenso a nossa estratégia pensada, acarreta maiores esforços e mais energia na replanificação e na
insistência.
Não fizemos tudo o que queríamos, mas ainda assim muito foi feito. Gostaríamos de apresentar mais
actividades e objectivos concluídos, mas terminámos o ano com uma execução consistente e
financeiramente estável. Houve certamente oportunidades que não soubemos ou não pudemos
aproveitar. Existem oportunidades de melhoria que carecem de atenção. Podemos mesmo dizer que
temos vindo a alterar gradualmente a estratégia de liderança e de gestão da Cercibeja ao longo do
tempo. O conhecimento gera mudança, e nós não estamos estáveis no tempo, nem enquanto direcção,
nem enquanto colaboradores, nem enquanto indivíduos. Esta mudança reflecte-se nas relações intra e
inter institucionais e em última instância na Cercibeja, que queremos que seja uma organização
sustentável, inovadora, dinâmica e onde se sinta aquilo que nos dá a força de trabalhar.
Como diz o poeta, temos de saber trabalhar. Nos dias que correm, precisamos cada vez mais de
parceiros, trabalho de equipa, rentabilização de recursos, esforço colectivo de todos os interessados em
criar a mudança. A sapiência deste paradigma reside também nos instrumentos de trabalho. A geração
de mudança que introduza resultados relevantes para a Cercibeja e todas as partes interessadas carece
de metodologias e estratégias, que não sendo imediatamente visíveis, trazem formas de alcançar
objectivos, que é o que em última instância, resultam no sucesso dos esforços de todos os que
trabalham e abraçam a Cercibeja e a sua causa, como sua.
A equipa de trabalho que faz a Cercibeja são todos os seus colaboradores, mas também os que de fora
apoiam e solidificam os nossos esforços, através da adesão a iniciativas, pela formação de parcerias,
pela sua generosidade ou ainda pela capacidade de influenciar decisões, sejam elas fundamentadas e
justas. Nisto apelámos à capacidade que cada um tem em si de ser um embaixador da causa Cercibeja e
de todas as Pessoas com Deficiência e Incapacidade (PCDI). A sociedade tem um papel cada vez mais
preponderante na vida das Instituições, públicas ou privadas. Somos nós uma Cooperativa, caracterizada
pelos seus valores sociais e pela importância que temos vindo a mostrar pelo nosso trabalho. A nossa
visibilidade precisa de ser reforçada continuamente, de forma positiva, nos locais onde intervimos. Beja
é um concelho grande, mas a nossa área de intervenção é muito maior.
Para consolidar essa visibilidade, temos efectuado reuniões descentralizadas de trabalho, com os corpos
sociais da Cercibeja, apresentando-nos, de peito aberto e orgulhosos do nosso trabalho, a outros
actores da sociedade, sejam eles autarcas ou dirigentes de organismos públicos ou privados. Só o temos
conseguido porque confiámos nos que trabalham para o êxito da Cercibeja.
4

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

Este relatório de actividades é um documento simples, que jamais poderá transmitir o esforço de cada
um e do colectivo, na conquista dos objectivos, que têm tanto de sólidos, como de justos. Somos
Cercibeja e Juntos, Construímos Felicidade!

5

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

4.

Relátorio de áctividádes

Neste capítulo apresentaremos uma síntese das actividades realizadas na Cercibeja durante o ano de
2014. Sempre que possível uma análise à actividade será igualmente apresentada, de forma a não
apenas contextualizar a actividade, mas também avaliar o seu desempenho, a relevância ou outros.
Primeiramente todas as actividades apresentadas correspondem ao planificado para o ano de 2014
(Plano de actividades da Cercibeja para o ano de 2014), e apenas após isso, as actividades que não
estavam estruturadas no plano e que ao longo do ano aconteceram.
A Cercibeja apresenta-se como uma instituição dinâmica e também flexível e reactiva aos factores
externos que se lhe apresentam. As grandes exigências que têm sido colocadas ao sector social de uma
forma particular e ao País, de forma geral, levam a que muitas vezes repensemos a nossa forma de
actuar, objectivos e caminhos ou estratégias. Estas alterações, mudanças ou ajustes, conforme se lhe
interessar chamar, provocam alterações que não estão sempre reflectidas nos planos. Há coisas que não
conseguimos mesmo planificar, ainda que o tentemos, dada a sua imprevisibilidade, ou talvez também,
a nossa incapacidade para o antecipar. Mas a nossa acção, não sendo de tratar tudo no imediato, leva a
um ajustar de objectivos e acções de forma contínua. A intenção é não se deixar apanhar pelo
imprevisto e aproveitá-lo como vantagem estratégica, criando mais valor, respeitando os valores que
caracterizam a Cercibeja.

6

OBJECTIVOS
a.

META/OBJECTIVOS GERAIS

Dia de Reis

a)

Festa de Carnaval

S. Valentim

b)
a)
b)
a)

Dia da árvore, da água e da Primavera

a)

Páscoa

Santos Populares

Vanda Rodrigues

Concluído

Vanda Rodrigues

Concluído

Vanda Rodrigues

Concluído

Vanda Rodrigues

Concluído

Vanda Rodrigues

Concluído

Vanda Rodrigues

Concluído

Ovibeja

b)
a)
b)
a)
b)
a)

Participação de pelo menos 50% dos clientes
internos.
Realização de uma peça de teatro
Realizar e usar máscaras de carnaval;
Participar num desfile com pelo menos 15 clientes
Participar com pelo menos 50% dos clientes
internos em festa temática
Realizar evento na Cercibeja, sensibilizando para
questões ambientais
Pelo menos um convidado externo interveniente
Realizar um baile da pinha;
Participação de 50% dos clientes
Participação dos clientes da Cercibeja (50%)
Realização de uma marcha popular
75% de clientes internos a visitar a Ovibeja

Teresa Fialho

Concluído

S. Martinho

a)

65% de clientes internos a participar no evento

Luís Vieira

Concluído

Natal

a)

Lanche para os clientes da Cercibeja (internos) e
participantes externos
Entrega de prendas d natal a pelo menos 90% dos
clientes internos
Decorar os espaços da Cercibeja com aspectos
ligados ao natal
Realizar um plano de actividades especifico e de
pormenor para este dia.

Vanda Rodrigues

Concluído

Vanda Rodrigues

Concluído

Realizar a colónia de férias para pelo menos 30
clientes
Respeito pela dotação orçamental prevista em
sede de candidatura a financiamento
Obtenção de financiamento ainda que parcial
Criação do grupo com representatividade da
Cercibeja
1 reunião por mês.

Teresa Fialho

Concluído

c)

Dia Internacional da Pessoa com
Deficiência
Realização da Colónia de Férias

a)
a)
b)

c)

CONCLUSÃO

Eventos organizados com e para os clientes

b)

b)

RESPONSÁVEL

Grupo de participação de clientes

c)
a)
b)

Vera Neca

Não concluído

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

META/OBJECTIVOS GERAIS

OBJECTIVOS

RESPONSÁVEL

CONCLUSÃO

1.

Voluntariado na Cercibeja

a) 1 Parceria no âmbito do voluntariado;
b) 1 Plano de voluntariado;
c) Execução de pelo menos 1 actividade de voluntariado

Vera Neca

Não Concluído

a)

Acordos de cooperação para o LRVCII

a)

Obtenção de acordo para mais 2 clientes no LRVCII

José Hilário

Não concluído

a)

Formular pelo menos 4 parcerias ou protocolos com entidades no
âmbito do projecto
Criar cartão de associado

Vanda Rodrigues

Não concluído

a)

Participar em pelo menos 85% das reuniões para as quais a
Cercibeja é convocada

Teresa Fialho

d) Plano Estratégico da Cercibeja

a)
b)

Reformular Plano estratégico no primeiro trimestre do ano
Disseminação do Plano pelo menos a 70% dos colaboradores

Luís Vieira

Não Concluído

e)

Plano de Marketing

a)

Reformular o Pmkt no 1º semestre de 2013 e para 2 anos

Vanda Rodrigues

Não Concluído

f)

Estágios curriculares

a)

Assinatura de pelo menos 2 protocolos de estágio com Inst. de
ensino Superior;

Teresa Fialho

Concluído

g) Encontros e seminários

a)

Participação de pelo menos 2 colaboradores em pelo menos um
encontro

Vanda Rodrigues

Concluído

h) Certificação da Qualidade

a)
b)

Realizar plano de pormenor para esta actividade no início de 2014
Solicitar auditoria até final de 2014

Luis Vieira

Não Concluído

i)

Formação a colaboradores

c)
a)

Elaborar plano de formação interna
Proporcionar formação de 30 horas a pelo menos 10% dos
colaboradores a contrato sem termo

Vera Neca

Concluído

j)

Diagnóstico de necessidades da comunidade

a)
b)

Actualizar o diagnóstico de necessidade até final do 1º semestre
Disseminação do mesmo pelas partes interessadas

Teresa Fialho

Concluído

k)

Candidaturas aos programas de incentivo ao
emprego do IEFP

a)

Candidatar pelo menos o mesmo número de activos do ano de
2013;
Manter o Dossier Financeiro das candidaturas actualizado;

Luís Vieira

Concluído

l)

Parcerias

a)

>2 Parcerias realizadas no 1º semestre de 2013 e em conformidade
com os procedimentos internos da Cercibeja, para o
estabelecimento de parcerias.
Estabelecimento de protocolos com empresas públicas e privadas
com vista à integração em formação em contexto de trabalho de
100% dos formandos abrangidos.

Ricardo Rosa

Concluído

b) Projecto Sócio: Campanha de valorização do
associado da Cercibeja

c)

Representação nas redes sociais dos concelhos de
Beja, Serpa, Aljustrel e Mértola

b)

b)

b)

Concluído

8

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

META/OBJECTIVOS GERAIS

OBJECTIVOS

RESPONSÁVEL

CONCLUSÃO
Concluído

m) Encontro Regional de Cerci’s

a)

Realização de um encontro com a participação alargada a clientes
e colaboradores das cerci’s do Sul

Teresa Fialho

n) Programa de reconhecimento público do mérito

a)

Integrar no Plano de Marketing (Pmkt) o programa “Sou
Solidário”, com planeamento e monitorização pormenorizada.
Execução do programa até final do ano

Vanda Rodrigues

Não Concluído

Rever actual sistema de monitorização organizacional, com vista a
uma agilização dos processos e simplificação da informação;
Avaliar o desempenho organizacional de forma clara e
transparente

Luís Vieira

Não Concluído

Concluído

solidário e altruísta das boas práticas de cidadania
para com as PCDI e a Cercibeja: Programa “Sou
Solidário”

o) Melhoria e implementação de mecanismos de
monitorização e melhoria contínua

b)

a)
b)

p) Implementar um sistema de facturação

a)

Instalar e utilizar adequadamente um software de facturação na
Cercibeja

Luís Vieira

q) Rever e implementar procedimento para cumprir

a)

Rever procedimentos de compra de bens e serviços de acordo com
o legislado e aplicável a todos os bens e serviços.

Ricardo Rosa

quanto à aquisição de bens e serviços

Não Concluído

r)

Criação de um banco de ideias

a)

Constituição de um “dossier” onde ideias, sugestões de
actividades, projectos, etc possam ser desenvolvidos até certo
ponto, de forma a possibilitar uma melhor procura quanto ao seu
financiamento e execução, aberto à comunidade em geral.

Vera Neca

Concluído

s)

Dinamizar áreas de CAO e LRVC com novas
actividades artísticas

a)

Aumentar a oferta de serviços aos clientes CAO e LRVC,
internamente, para que, em complementaridade terapêutica, se
promova a inovação artística e o bem estar dos clientes

Vanda Rodrigues

Concluído

t)

Criar plano de manutenção de infra-estruturas e
viaturas

a)

Identificar e planificar intervenções nas viaturas e infra-estruturas
da Cercibeja.

Luís Vieira

OBJECTIVOS

1. Remodelar instalações sanitárias na Cercibeja-sede até
final de 2014

META
a)

b)
c)

Melhorar as condições das instalações sanitárias do edifício
administrativo da Cercibeja-sede, com recurso a obras de
remodelação;
Cumprir com os requisitos de acessibilidade;
Construir sanitários reservados a homens e mulheres, de acordo
com o projecto arquitectónico definido;

Não Concluído

RESPONSÁVEL

CONCLUSÃO

José Hilário
Mendes

Não Concluído

9

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

OBJECTIVOS

META
d)
e)

Rentabilizar recursos, recorrendo apenas a fundos de tesouraria
Cumprir com os respectivos requisitos legais de contratação
pública.

2. Projectos

a)

Candidatar a Cercibeja a financiamentos durante o ano, para pelo
menos três projectos promotores de actividades que criem maisvalias à Cercibeja e/ou aos seus clientes e significativos.

3. Eventos em Comunidade e Angariação de Fundos,
durante o ano de 2014

a)

Promover pelo menos três eventos de angariação de fundos e
promotores da Cercibeja na comunidade,

b)

Fortalecer a imagem de solidariedade e confiança.

a)

Renegociar pelo menos dois contractos de fornecimento de
serviços;
Aplicar a lei da contratação pública;

4. Fornecimento de serviços durante o ano de 2014

b)

5. Candidatura a formação de Pessoas com Deficiência e
Incapacidade (PCDI)

6. Campanha Pirilampo Mágico

c)

Diminuir gastos, rentabilizando recursos e ajustada às
necessidades da Cercibeja, assim como dos seus clientes e
significativos.

a)

Apresentar candidatura para formar 150 PCDI, com capacidade de
integração no mercado de trabalho;

b)

Apresentar candidatura para formar 9 PCDI, com capacidade
muito limitada para integrar o mercado normal de trabalho

c)

Apresentar candidatura no âmbito do Centro de Recursos para
integração de 4 clientes em IAOQE

d)

Apresentar candidatura no âmbito do Centro de Recursos para
integração de 3 clientes em Apoio à Colocação

e)

Apresentar candidatura no âmbito do Centro de Recursos para
integração de 3 clientes em Acompanhamento Pós Colocação

a)

Desenvolver em parceria com a Fenacerci a Campanha Pirilampo
Mágico 2014, na região da nossa influência;
Promover o envolvimento de colaboradores, clientes, significativos
e comunidade em geral;
Efectuar receitas pela venda do artigo, com resultados pelo menos
idênticos aos doo ano de 2013;
Sensibilizar a comunidade em geral para a questão da deficiência
mental durante o mês de Maio.

b)
c)
d)

7. Participação com stand da Cercibeja na Ovibeja

a)
b)

Participar com um stand na Ovibeja;
Evidenciar o trabalho desenvolvido na Cercibeja;

RESPONSÁVEL

CONCLUSÃO

Teresa Fialho

Concluído

Vanda Rodrigues

Concluído

Ricardo Rosa

Concluído

Ricardo Rosa

Concluído

Presidente da
direcção

Concluído parcialmente

Vanda Rodrigues

Concluído

10

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

OBJECTIVOS

8. Colónia de Férias

META
c)
d)

Reforçar a nossa imagem;
Apelar à solidariedade através da venda de produtos feitos na
instituição.

a)

Candidatar em Janeiro de 2014 a Cercibeja junto do INR,IP a um
projecto na área do lazer;
Obter financiamento ainda que parcial para a realização da colónia
de férias a pelo menos 30 clientes da Cercibeja;
Realizar a Colónia de Férias, no Verão.

b)
c)

RESPONSÁVEL

CONCLUSÃO

Teresa Fialho

Concluído

11

1

ACTIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TRANSVERSAIS ÀS VÁRIAS
UPS

a. Eventos organizados com e para os clientes.
Ao longo do ano são realizadas diversas actividades festivas, de acordo com o plano definido. Para a sua
dinamização é nomeado um colaborador por acção, no sentido de mobilizar uma comissão de trabalho,
envolvendo outros colaboradores das diversas UPS, para a concretização dos objectivos estabelecidos.
Este tipo de organização permitiu desenvolver a capacidade de trabalho em equipa e de criatividade das
diferentes comissões, resultando em actividades diversificadas, incluindo a comemoração das datas
festivas. Estas actividades têm vindo ao encontro das motivações e gostos dos clientes, favorecendo a
sua participação e socialização com as restantes UPS. Este ano além das actividades tradicionais e que se
realizam anualmente, surgiram por iniciativa de alguns colaboradores três novas temáticas que se
enquadraram neste mesmo plano, sendo elas denominadas de comemorações do 25 de Abril, Boas
Férias e ainda Bem-vindos à Cercibeja.
Quanto à actividade de S. Martinho, a não entrega por parte do responsável pela actividade do
relatório, resulta numa forma não evidenciada de concretização. A actividade foi executada, com
sucesso, tendo sido envolvidas as várias UPS que compõem a Cercibeja. Houve a participação de clientes
e colaboradores. A actividade contou indiscriminadamente com a presença de todos os clientes e
colaboradores que quiseram estar presentes. Consideramos que este objectivo foi cumprido, apesar de
não conseguirmos evidenciar o facto.
Em 2014, as actividades realizadas para além das planificadas e aprovadas pelo Plano de Actividades
para 2014, foram as seguintes:

24/04/2014
31/07/2014

Actividade

Meta

Resultados

Comemorações do 25 de Abril

Concretização

Verificado

Boas Férias – Futebol, Zumba e pinturas de

Concretização

Verificado

Concretização

Verificado

Concretização

Verificado

Concretização

Verificado

mural…
Bem-vindos à Cercibeja – “ o meu olhar

03 e 04 /09/2014

sobre a Cercibeja…fotografia; ”Peça de
teatro *– Aldeia da Roupa Branca e aula
de ginástica
Visita e Participação na Rural Beja com

17/10/2014

apresentação da Peça “Aldeia da
Roupa Branca”
*Comemorações do Dia internacional da
pessoa com Deficiência- apresentação
de duas peças de Teatro – “As Aventuras

03/12/2014

de João sem medo” e “Juntos
Construímos Felicidade” no Cine Teatro
Pax Júlia e Noite Colorida – Caminhada
nocturna

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

b. Realização da Colónia de Férias
A colónia de férias foi realizada pela primeira vez nas instalações do Colégio Nossa Senhora da Graça,
em Vila Nova de Mil Fontes. Este projecto teve o envolvimento de 52 pessoas – clientes e colaboradores
voluntários da Cercibeja. Esta actividade foi organizada para dois grupos, o primeiro foi de 7 a 11 de
julho e o segundo de 11 a 16 de julho.
O financiamento para a colónia de férias foi realizado pela Cercibeja, através de uma candidatura ao
programa de financiamento a projectos do INR, IP, que financiou em 2 628,23 €; pela comparticipação
dos próprios clientes e pela própria instituição, tendo sido o custo total de 6.110,00€. Esta acção
continua a ter uma grande importância para os clientes e famílias, no sentido de promover um contacto
com ambientes diferentes do habitual- praia, o convívio e o lazer, como também o momento de algum
descanso dos familiares.

c. Grupo de participação de Clientes
Neste objectivo foi concretizada uma reunião preparatória, na qual ficou definida a necessidade de
visitar outras entidades congéneres, que se encontrem a desenvolver este tipo de trabalho. Estas visitas
visam conhecer e assimilar novas experiências no que se refere à auto-representação, de forma a
facilitar o enquadramento na realidade dos nossos clientes.

13

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

2

ACTIVIDADES DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

1) Voluntariado na Cercibeja
a) 1 Parceria no âmbito do voluntariado;
b) 1 Plano de voluntariado;
c) Execução de pelo menos 1 actividade de voluntariado
Os objectivos a que nos propusemos não foram totalmente atingidos, no entanto foram desenvolvidas
algumas actividades com vista a retomar a dinamização do Voluntariado na Cercibeja. Dois elementos
da direcção da Cercibeja estiveram presentes numa acção de formação sobre o Voluntariado,
dinamizada pela Cáritas Diocesana de Beja. A Cercibeja registou-se como entidade receptora de
voluntários no Banco de Voluntariado e foi ainda criado e aprovado em direcção o regulamento do
Voluntariado. Em 2014 foi criada e disponibilizada on-line a Ficha de Inscrição para o Voluntariado,
tendo sido efectuada uma inscrição.
2) Acordos de cooperação para o LRVCII
a) Obtenção de acordo para mais 2 clientes no LRVCII
Foram realizadas diversas diligências junto do centro regional de segurança social, no que se refere a
este ponto e para as quais se aguarda resposta.
3) Projecto Sócio: Campanha de valorização do associado da Cercibeja
a) Formular pelo menos 4 parcerias ou protocolos com entidades no âmbito do projecto
b) Criar cartão de associado

Foi solicitado orçamento para a realização dos cartões de sócio, tal como o levantamento dos sócios
efectivos. Deve ainda ser realizada uma actualização dos dados dos sócios, de forma a ter uma maior
proximidade com os mesmos, facilitando assim a troca de informação. Serão apenas emitidos os cartões
quando estes dados estejam actualizados. No que se refere aos protocolos de parceria, foram realizados
alguns contactos que estão a ser organizados de forma a formalizar as mesmas. A não concretização
deste objectivo não invalida que o mesmo não esteja em curso ou que o mesmo tenha sido
abandonado, apenas se revelou não prioritária no decorrer do ano de 2014.
4) Representação nas redes sociais dos concelhos de Beja, Serpa, Aljustrel e Mértola
a) Participar em pelo menos 85% das reuniões para as quais a Cercibeja é convocada
A Cercibeja esteve representada em todas as reuniões das redes sociais, das quais faz parte, bem como
a representação no núcleo executivo da rede social do concelho de Beja, pelo que este objectivo foi
superado.
5) Plano Estratégico da Cercibeja
a) Reformular Plano estratégico no primeiro trimestre do ano
b) Disseminação do Plano pelo menos a 70% dos colaboradores
Na tentativa de procurar novas formas de intervenção e gestão, foi tomada a decisão de adiar a
concretização deste objectivo. No entanto, e decorrido este tempo sobre o mesmo, ainda não foi
14

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

encetado qualquer procedimento ou actividade para garantir a que o plano estratégico seja
reformulado. Esta actividade não teve concretização à luz do planificado.
6) Plano de Marketing (Pmkt)
a) Reformular o Pmkt no 1º semestre de 2013 e para 2 anos
A reformulação e aprovação deste plano encontra-se dependente da concretização de um Plano
estratégico para a Cercibeja.
7) Estágios curriculares
a) Assinatura de pelo menos 2 protocolos de estágio com Instituições de Ensino Superior;
No que se refere a este ponto foram concretizados vários protocolos de estágio nomeadamente, nas
áreas de Serviço Social (IPBeja); Reabilitação Psicomotora (Universidade Évora) e Desporto (IPBeja).
8) Encontros e seminários
a) Participação de pelo menos 2 colaboradores em pelo menos um encontro
Neste aspecto consideramos que o objectivo foi concretizado de forma simples e pouco ambicioso.
Tivemos dois colaboradores em Évora, formação em Ética e Deontologia. Em Ovar, encontro de
dirigentes com 4 colaboradores. Em Beja, com 2 colaboradores e outro como participante activo no
tema “Qualidades na IPSS”. Houve outras mais, sendo que o desenvolvimento deste ponto deverá ser
melhorado quanto à sua monitorização, como forma de conseguir obter resultados mais fiáveis.

9) Certificação da Qualidade
a) Realizar plano de pormenor para esta actividade no início de 2014
b) Solicitar auditoria até final de 2014
No diagnóstico efectuado no Projecto Q3, a Cercibeja identificou dificuldades na implementação do
sistema da qualidade tal como o tinha definido, já que existiam muitos aspectos que não estavam claros
e criavam pontos de vista entre os vários colaboradores, que não eram comuns. Essa dificuldade foi
resolvida em parte através de duas formações. Uma onde dois elementos da direcção estiveram
presentes e obtiveram conhecimentos que levaram o trabalho desenvolvido nesta área na Cercibeja
para um outro nível. De seguida e também através do Q3, a Direcção e mais alguns elementos
envolvidos na preparação, desenvolvimento e aplicação de procedimentos internos da qualidade,
envolveram-se numa formação e discussão sobre a simplificação e actualização do Sistema de Gestão da
Qualidade da Cercibeja, à luz da ISO9001:2008. Terminando a formação, ficou claro para todos que a
alteração do SGQ para a luz desta nova norma internacional era a mais fácil e útil para a Cercibeja. A
partir daí continuamos a reunir esforços, no âmbito das disponibilidades dos vários responsáveis de

15

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

forma a concluir o mapeamento dos processos e assim, iniciar actividades com a força dos processos e
procedimentos definidos e aprovados.
10) Formação a colaboradores
a) Elaborar plano de formação interna
b) Proporcionar formação de 30 horas a pelo menos 10% dos colaboradores a contrato sem termo
Com o desenvolvimento das acções formativas do Projecto Q3 e tendo em conta o diagnóstico do
mesmo, o plano de formação interna não foi elaborado uma vez que consideramos que se estaria a
duplicar actividades que já estavam planificadas. Foi disponibilizada formação a todos os colaboradores,
não só aos contratados sem termos mas alargada a todos os colaboradores independentemente do
vínculo contratual. De acordo com o Relatório do Projecto Q3, foram realizadas 232 horas de formação
distribuídas pelas seguintes áreas: Elaboração de Planos de Marketing, Segurança no Local de Trabalho –
prevenção de Incêndios, Envelhecimento Activo de Pessoas com Deficiência, Sexualidade em Pessoas
com Deficiência, Gestão da Qualidade – Monitorização e Controlo e Gestão do Posto de Trabalho com
Recurso às Tecnologias da Informação e Comunicação.
11) Diagnóstico de necessidades da comunidade
a) Actualizar o diagnóstico de necessidade até final do 1º semestre
b) Disseminação do mesmo pelas partes interessadas
Neste ponto foram realizadas diversas reuniões de trabalho, com os técnicos responsáveis das diversas
UPS, de forma a elaborar o documento em causa. Este documento foi entregue e divulgado pelas partes
interessadas, tendo ainda sido realizadas algumas acções no sentido de colmatar grande parte das
necessidades diagnosticadas, como por exemplo a revisão de acordos, saúde mental, pólo do CAO em
Mértola.
12) Candidaturas aos programas de incentivo ao emprego do IEFP
a) Candidatar pelo menos o mesmo número de activos do ano de 2013;
b) Manter o Dossier Financeiro das candidaturas actualizado;
No ano de 2014 foram submetidas e aprovadas 4 candidaturas a CEI/CEI+ e uma a Estágio-Emprego,
também aprovada. Estas candidaturas a CEI/CEI+ significaram um reforço em actividades socialmente
úteis em 8 pessoas, sendo que duas delas apenas iniciaram actividade em 2015. Os dossiers financeiros
mantiveram-se actualizados, tendo já em 2015 sido efectuado o encerramento de contas e sua posterior
validação pelo técnico do IEFP, IP dos projectos 090/CEI/14 e do 018/CEI/14 com sucesso.
13) Parcerias
a) >2 Parcerias realizadas no 1º semestre de 2014 e em conformidade com os procedimentos
internos da Cercibeja, para o estabelecimento de parcerias.

16

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

b) Estabelecimento de protocolos com empresas públicas e privadas com vista à integração em
formação em contexto de trabalho de 100% dos formandos abrangidos.
Como novas parcerias foram assinaladas a do “Significativo Azul”, com a Policia de Segurança Pública de
Beja, e outra com o IPB no âmbito da formação em contexto de trabalho dos cursos técnicos superiores
profissionais de Apoio à Gestão em Organizações Sociais e Tecnologias Web e Dispositivos Móveis.
Foram ainda estabelecidos protocolos com empresas públicas e privadas com vista à integração em
formação em contexto de trabalho para 100% dos formandos integrados na UPS-QE, com requisitos
para tal.
No âmbito das Actividades Socialmente Úteis foi protocolado com a Junta de Freguesia de São João de
Negrilhos para integração de um cliente do Centro de Actividades Ocupacionais. Foram ainda
desenvolvidos esforços para pelo menos mais duas integrações ao abrigo das Actividades Socialmente
Úteis.

14) Encontro Regional de Cerci’s
a) Realização de um encontro com a participação alargada a clientes e colaboradores das cerci’s do
Sul
Não havendo a possibilidade de realização de um encontro regional de cercis, foi realizado um encontro
de direcções técnicas de Centro de Actividades Ocupacionais, onde reuniram e os DT e técnicos da área
de desporto/ expressões artísticas.
15) Programa de reconhecimento público do mérito solidário e altruísta das boas práticas de
cidadania para com as PCDI e a Cercibeja: Programa “Sou Solidário”
a) Integrar no Plano de Marketing (Pmkt) o programa “Sou Solidário”, com planeamento e
monitorização pormenorizada.
b) Execução do programa até final do ano
Este ponto encontra-se em desenvolvimento, tendo em conta que se está a realizar uma listagem de
todas as entidades, públicas e privadas e ainda de particulares que têm colaborado com a Cercibeja nas
suas actividades ou iniciativas. Existe aprovado o regulamento deste projecto, tal como a imagem que
será associada a este programa de reconhecimento.
16) Melhoria e implementação de mecanismos de monitorização e melhoria contínua
a) Rever actual sistema de monitorização organizacional, com vista a uma agilização dos processos
e simplificação da informação;
b) Avaliar o desempenho organizacional de forma clara e transparente
Estes procedimentos aqui descritos como objectivos para 2014 foram completamente alterados e
reformulados após a Cercibeja ter idealizado um novo SGQ, baseado não na EQUASS mas sim na
ISO9001:2008. Alguns ainda estão em preparação, como por exemplo a avaliação de desempenho. Tal
significou que não foram então concretizados estes objectivos, mas sim, reformulados novos objectivos
17

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

e que apesar de num prazo mais alargado que o inicialmente pensado, serão implementados no futuro,
Esta reformulação não significa um abandono de se manter uma política de melhoria continua na
Organização, mas sim numa alteração procedimental sobre como o efectuar.
17) Implementar um sistema de facturação
a) Instalar e utilizar adequadamente um software de facturação na Cercibeja
O sistema de facturação está instalado e brevemente entrará em funcionamento. Alterações fiscais
levaram a uma observação de outras possibilidades e exigências por parte das autoridades tributárias,
razão essa pela qual ainda não avançámos com a implementação em pleno deste sistema, neste
momento em adiantado estado de concretização.

18) Rever e implementar procedimento para cumprir quanto à aquisição de bens e serviços
a) Rever procedimentos de compra de bens e serviços de acordo com o legislado e aplicável a
todos os bens e serviços.
Tal como já atrás descrito, este ponto está dependente da concretização do novo Sistema de Gestão da
Qualidade. Como tal, a sua conclusão está dependente também do resultado da definição do próprio
processo. Assim, o mesmo não foi concretizado, apesar de se terem já feito alguns testes,
informalmente, quanto ao que se pretende realizar.
19) Criação de um banco de ideias
a) Constituição de um “dossier” onde ideias, sugestões de actividades, projectos, etc possam ser
desenvolvidos até certo ponto, de forma a possibilitar uma melhor procura quanto ao seu
financiamento e execução, aberto à comunidade em geral.
Este objectivo foi concretizado com a criação de um modelo de registo de ideias de
actividades/projectos a desenvolver, tendo sido divulgado internamente junto de todos os
colaboradores. Foi também disponibilizado, na página web da Cercibeja, um espaço destinado à
participação da comunidade em geral, dando assim a oportunidade de todos poderem contribuir para o
desenvolvimento da instituição.
20) Dinamizar áreas de CAO e LRVC com novas actividades artísticas
a) Aumentar a oferta de serviços aos clientes CAO e LRVC, internamente, para que, em
complementaridade terapêutica, se promova a inovação artística e o bem-estar dos clientes
Com o desenvolvimento de um estágio profissional de Teatro no CAO e outro de Animação SócioCultural no LRVC, foi possível concretizar este objectivo, tendo em conta a diversidade e inovação de
actividades proporcionadas e desenvolvidas com e para os clientes, permitindo um maior envolvimento
e cooperação entre as diversas áreas de trabalho para um objectivo comum.
18

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

21) Criar plano de manutenção de infra-estruturas e viaturas
a) Identificar e planificar intervenções nas viaturas e infra-estruturas da Cercibeja.
Mais uma vez se verificou a não concretização deste procedimento, pelas razões atrás referidas quanto
à alteração do SGQ. São processos e procedimentos mais ou menos complexos que carecem de reflexão
e disponibilidade pessoal para a sua viabilização. O procedimento está em fase avançada de
implementação, aguardando-se neste momento definições de responsabilidades para o processo,
conforme decisão da Direcção da Cercibeja. Tal situação não impediu no entanto de ser efectuado um
plano d investimentos mínimos na remodelação e requalificação da Cercibeja. Tal está neste momento a
decorrer de forma mais ou menos consistente, com base em várias condicionantes externas que têm de
alguma forma atrasado este processo.

3

ACTIVIDADES DE DESENVOLVIMENTO DOS RECURSOS DA CERCIBEJA

1) Remodelar instalações sanitárias na Cercibeja-sede até final de 2014
a) Melhorar as condições das instalações sanitárias do edifício administrativo da Cercibeja-sede,
com recurso a obras de remodelação;
b) Cumprir com os requisitos de acessibilidade;
c) Construir sanitários reservados a homens e mulheres, de acordo com o projecto arquitectónico
definido;
d) Rentabilizar recursos, recorrendo apenas a fundos de tesouraria
e) Cumprir com os respectivos requisitos legais de contratação pública.
Por dificuldades financeiras, não foi possível concretizar este objectivo.
2) Projectos
a) Candidatar a Cercibeja a financiamentos durante o ano, para pelo menos três projectos
promotores de actividades que criem mais-valias à Cercibeja e/ou aos seus clientes e
significativos.
Foram apresentadas 4 candidaturas a programas de financiamento, Cidadania Activa e INR, sendo 2
aprovadas, nomeadamente a Colónia de Férias e a dinamização de actividades artísticas/expressivas na
Cercibeja.
3) Eventos em Comunidade e Angariação de Fundos, durante o ano de 2014
a) Promover pelo menos três eventos de angariação de fundos e promotores da Cercibeja na
comunidade;
b) Fortalecer a imagem de solidariedade e confiança.
Este objectivo foi concretizado através da realização do Jantar Verão Colorido, do VII Festival Taurino e
da Noite Colorida, valorizando assim a imagem da Cercibeja junto da comunidade.

19

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

4) Fornecimento de serviços durante o ano de 2014
a) Renegociar pelo menos dois contractos de fornecimento de serviços;
b) Aplicar a lei da contratação pública;
c) Diminuir gastos, rentabilizando recursos e ajustada às necessidades da Cercibeja, assim como
dos seus clientes e significativos.
Foi concretizado, pela renegociação da fotocopiadora e das telecomunicações.
5) Candidatura a formação de Pessoas com Deficiência e Incapacidade (PCDI)
a) Apresentar candidatura para formar 150 PCDI, com capacidade de integração no mercado de
trabalho;
b) Apresentar candidatura para formar 9 PCDI, com capacidade muito limitada para integrar o
mercado normal de trabalho
c) Apresentar candidatura no âmbito do Centro de Recursos para integração de 4 clientes em
IAOQE
d) Apresentar candidatura no âmbito do Centro de Recursos para integração de 3 clientes em
Apoio à Colocação
e) Apresentar candidatura no âmbito do Centro de Recursos para integração de 3 clientes em
Acompanhamento Pós Colocação
O ano de 2014, por ter sido um ano de transição entre QCA, trouxe alguma incerteza o que dificultou a
execução das acções preconizadas, no entanto com a colaboração de todos os membros da upsQE, foi
possível concretizar, de um modo geral, as metas traçadas. Durante este período foram ainda
apresentadas candidaturas a vários programas de financiamento, no intuito de reforçar a intervenção da
upsQE.
Relativamente à execução financeira, verificou-se uma taxa de execução de cerca de 80%, aquém dos
85% expectáveis. Esta taxa esteve relacionada com a execução do projecto “formação para a
integração” (POPH 6.2) e “formar para integrar” (POPH 6.1) os quais tiveram uma execução abaixo do
previsto, por motivos não relacionados com a Cercibeja, nomeadamente desfasamento entre os
momentos de apresentação de pedidos de pagamento e o recebimento dos mesmos, o que
condicionou, consideravelmente, a gestão de tesouraria da upsQE.
6) Campanha Pirilampo Mágico
a) Desenvolver em parceria com a Fenacerci a Campanha Pirilampo Mágico 2014, na região da
nossa influência;
b) Promover o envolvimento de colaboradores, clientes, significativos e comunidade em geral;
c) Efectuar receitas pela venda do artigo, com resultados pelo menos idênticos aos do ano de
2013;
d) Sensibilizar a comunidade em geral para a questão da deficiência mental durante o mês de
Maio.
No ano de 2014, a Campanha do Pirilampo Mágico decorreu de acordo com o previsto, tendo sido
alcançado os objectivos definidos. É de salientar o envolvimento das entidades parceiras, facilitando a
realização desta actividade.

20

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

7) Participação com stand da Cercibeja na Ovibeja
a) Participar com um stand na Ovibeja;
b) Evidenciar o trabalho desenvolvido na Cercibeja;
c) Reforçar a nossa imagem;
d) Apelar à solidariedade através da venda de produtos feitos na instituição.
Mais uma vez a Cercibeja esteve presente na 31ª edição da maior feira do Baixo Alentejo, oferecendo
aos visitantes a possibilidade de conhecer os diversos produtos feitos na instituição, tal como a
divulgação das actividades desenvolvidas com e para os clientes da Cercibeja, reforçando assim a
imagem institucional na comunidade.
8) Colónia de Férias
a) Candidatar em Janeiro de 2014 a Cercibeja junto do INR,IP a um projecto na área do lazer;
b) Obter financiamento ainda que parcial para a realização da colónia de férias a pelo menos 30
clientes da Cercibeja;
c) Realizar a Colónia de Férias, no Verão.
O financiamento para a colónia de férias foi realizado pela Cercibeja, através de uma candidatura ao
programa de financiamento do INR, IP, que financiou em 2 628,23 €; pela comparticipação dos próprios
clientes e pela própria instituição, tendo sido o custo total de 6.110,00€. Esta acção continua a ter uma
grande importância para os clientes e famílias, no sentido de promover um contacto com ambientes
diferentes do habitual- praia, o convívio e o lazer, como também o momento de algum descanso dos
familiares.
A colónia de férias foi realizada pela primeira vez nas instalações do Colégio Nossa Senhora da Graça,
em Vila Nova de Mil Fontes. Este projecto teve o envolvimento de 52 pessoas – clientes e colaboradores
voluntários da Cercibeja.

5.

Recomendáçoes

Estas recomendações são genéricas e reflectem os vários domínios de intervenção não directa da
Cercibeja, focalizando nos aspectos de gestão.
1. Definir a visão estratégica da cooperativa com o envolvimento dos colaboradores e principais
parceiros de negócio para que todos se revejam na mesma e colaborem na sua execução.
2. Implementar um sistema de reconhecimento e recompensas com vista a melhorar os níveis de
desempenho, motivação e satisfação dos colaboradores, é também fundamental
3. Apostar numa adequada gestão financeira, através do planeamento, monitorização e avaliação
sistemática dos meios financeiros disponíveis para fazer face aos compromissos assumidos.
4. Implementar uma política de retenção de recursos humanos, através da identificação de um
conjunto de benefícios a disponibilizar aos colaboradores.
5. Apostar na inovação ao nível dos serviços prestados, com vista a diferenciar-se no mercado em que
opera e assim aumentar a sua notoriedade.
21

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

6. Explorar o potencial criativo existente e desenvolver parcerias com outros agentes do negócio de
forma a melhorar a sua capacidade de inovação, devendo para isso planear e monitorizar as
actividades associadas a este processo, para assim avaliar os resultados gerados.
7. Implementar um sistema de gestão de planeamento e controlo dos serviços prestados de forma a
dar respostas atempadas às solicitações dos clientes e aos pedidos não programados.
8. Implementar mecanismos de observação e recolha de informação dos mercados, para identificar de
uma forma sistemática as suas necessidades, oportunidades e tendências, permitindo assim, uma
abordagem mais eficiente dos mesmos.
9. Acompanhar o surgimento de novas tecnologias de interesse para a actividade que desenvolve bem
como avaliar o seu custo-benefício.
10. Implementar um sistema de gestão da informação e do conhecimento. O mesmo deve envolver: a
identificação da informação relevante para a Organização; a identificação de fontes de informação
fidedignas; a recolha e análise da informação; a geração de conhecimento útil para a Organização; a
aplicação do conhecimento gerado nos processos de decisão e no desenvolvimento da sua
actividade.

6.

Notá Finál

Mais um ano que esta organização apostou na inovação. A direcção na base do seu trabalho, orientouse pelo acreditar no empenho de cada um.
O resultado verificou-se pela concretização de novas acções, que de acordo com o planeado para as
actividades de 2014 foi bastante superado. Grupos de trabalho, criaram e recriaram os eventos na
Cercibeja. Foi um ano pleno de acções, de investimento pessoal e ainda de convicções que somos
capazes de fazer mais e melhor. A título de exemplo, foi concretizada a Noite Colorida, a apresentação
de duas peças de teatro ou ainda uma Festa de Natal, em que a envolvência da comunidade,
organização e famílias, contribuíram para a imagem da Cercibeja em prol dos nossos clientes.
Esta direcção tem tomado rumos para que a organização melhor o seu plano financeiro. Avaliou o
recrutamento humano de acordo com as necessidades, continuou a envidar esforços para alcançar
acordos de cooperação para o Centro de Actividades Ocupacionais e para o Lar residencial; investiu nas
parcerias provando que estas são essenciais e necessárias para a evolução institucional; apostou em
programas de Contractos de Emprego e Inserção e Estágios Profissionais; na formação de
colaboradores, entre outras.

22

relatório de actividades 2014
24 de Março de 2015

Muito mais poderíamos descrever, mas por agora deixamos apenas o nosso obrigado, porque juntos
construímos felicidade.

Este relatório foi aprovado em Assembleia Geral da Cercibeja aos vinte e quatro dias do mês de Março
de dois mil e quinze.

23

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful