M

EI

ENTE

BI

nº 04

O AM

CONSERVAÇÃO
DO SOLO

Certa vez, na
roça...

MERCEARIA

É!... As coisas
estão
melhorando...

...com as
práticas de conservação do
solo que estou adotando
na propriedade!

...De carro
novo, hein
Afonso!

É... o solo é a base
de tudo!...

Não sei mais o que
fazer. Desmatei, fiz
queimada, plantei,
usei tudo que
é adubo químico
e agrotóxicos...

...aro e capino a
terra até ela
ficar limpinha e
nada! Não ganho
dinheiro e a
colheita não
melhora...

Gente, este aqui é o
Paulo e acho que
ele precisa de uma
mãozinha!

Sabe, Paulo, a
solução para suas
lavouras está em
sua própria terra!

Prazer! Em
que podemos
ajudar?

Nela e no
conhecimento!

Com a ajuda
dos técnicos,
descobrimos a
melhor maneira de
trabalhar a terra!

Boa
tarde,
pessoal!

O Paulo estava perguntando
sobre as práticas de
conservação do solo que
nós adotamos.

O solo armazena a água
da chuva, formando
as nascentes.

Rapaz, você
não morre tão
cedo, viu?

Aqui está um
grande parceiro,
Paulo!

Ô João Carlos,
explica para o Paulo
como o solo foi
formado.

Tomara que não,
mesmo! Tenho
dois filhos
pra criar!

BASTA entender
a importância do
solo e de seus
recursos. É dele
que tiramos
nosso sustento
e é onde vivem as
plantas e os
animais.

...causado
Tudo começou
principalmente pelo
com o desgaste
vento, pelo sol e
das rochas...
pela chuva durante
bilhões de anos.

milhões
de anos
Linha do TEMPO

milhares
de anos

dias de
hoje

O solo é composto
por minerais, matéria
orgânica, água e ar.
o equilíbrio
entre essas partes é o
que o torna bom para
produzir.

Ar: é responsável pela
aeração, que facilita o
desenvolvimento
das raízes

Água: é fundamental
para levar os nutrientes
do solo até as plantas.

20%

30%

45%

5%

Matéria orgânica (ou húmus):
é formada por plantas e
animais que morrem e se
transformam em nutrientes.

Minerais: são partículas
formadas pela decomposição
das rochas que geram os
torrões de terra. São
responsáveis pela textura
(argilosa ou arenosa) e pelo
fornecimento de
nutrientes (fósforo, potássio,
nitrogênio e outros).

o solo é formado
por camadas ou
horizontes.

HORIZONTE

HORIZONTE

HORIZONTE

A
B

C

Abundante matéria orgânica
decomposta (húmus).
raízes de plantas e
organismos vivos.

Solo mineral quase sem
matéria orgânica.

fragmentos soltos
da desagregação
da rocha-mãe.

O Horizonte “A” é
onde plantamos. É a
parte mais fértil.

É nessa parte que vivem
pequenos animais, como
insetos e minhocas,
que ajudam a melhorar
a fertilidade.

As plantas protegem a
terra do sol forte e
mantêm o solo úmido.

Com o solo
desprotegido
e mal-utilizado, o
Horizonte "A"
se desgasta.

Mas então é
por isso que a
minha terra
ficou fraca e a
produção caiu!
Mas tudo tem
jeito, Paulo!
Vamos ver como
o Antônio faz?

Além disso, ajudam a
evitar a erosão.

Chegando lá...

É uma bela
propriedade,
Antônio!

uso a terra de
acordo com a sua
capacidade.

Pois é, tive
que proteger
e recuperar o
solo!

Plantei em
curva de nível,
com covas
intercaladas.

e usei banquetas
individuais nos locais
de maior declividade,
seguindo as
curvas de nível
do terreno.

Tá vendo aquela encosta e o
topo do morro? Deixei a
vegetação se recuperar.
mas, também plantei espécies
nativas para evitar a erosão
e alimentar as nascentes.

Também fiz faixas de
retenção com cana-deaçúcar, capim ou com
restos de cultura.

nas grotas fiz
barraginhas!

com essas práticas,
criei barreiras para
evitar enxurradas e
ajudar a infiltrar a
água da chuva.

Outra coisa é roçar bem baixinho
ao invés de capinar. É mais fácil,
rápido e diminui a mão-de-obra. A
terra fica coberta e mais úmida.

Também faço o plantio
direto, sem arar e
gradear a terra.
Economizo tempo e
dinheiro...

...e evito a
compactação
do solo.

Além disso, não
fazemos mais
queimadas, que
destroem a parte
viva do solo.

Todas essas medidas
são de proteção.
Agora vamos ver as
de recuperação.

Caso necessário,
faço a calagem e
a adubação.

A cada ano faço a
análise de solo para
saber o que melhorar
para produzir mais.

Hoje em dia já estou
adubando com composto
orgânico para melhorar
também a vida do solo.

Você ainda pode
fazer adubação
verde.

e também fazemos
rotação de
cultura, ou seja,
plantamos milho,
depois
da colheita
plantamos feijão,
e assim por
diante.

adotei o “pastoreio
rotacionado” criando mais
animais em menos espaço.

e ainda faço
consórcio de
culturas.

Assim a pastagem não fica
“rapada” e dá tempo do capim
se recuperar produzindo
mais alimento para o gado.
isso também facilita
a infiltração da água.

As árvores dão
sombra e
conforto para
o gado.

e As folhas que
elas ainda
caem ajudam na
protegem o solo
cobertura do solo da incidência direta
e na recuperação
de chuva e do sol
dos nutrientes.
escaldante...

ah! As estradas, que são uma das
principais causas da erosão,
foram adequadas e ganharam
caixas secas.

A questão não é capital,
paulo! É mudança de
atitude!

Se você cuida bem
da terra, economiza
na compra de
fertilizantes!

Mas, hein Antônio, onde o amigo
arrumou o capital inicial para
fazer essas mudanças?

... e, com a
propriedade
em equilíbrio,
a produção
melhora e o
lucro
é certo!

Mas tudo isso não
foi feito de um dia
pro outro...
Espero que
tenha ajudado,
Paulo!

faz alguns
anos que
comecei e fui
aplicando as
práticas de
conservação
do solo aos
poucos!

ô Antônio! Agora
entendi! o solo é a
base de tudo e
temos que cuidar
dele como se fosse
da família!!

1

2

s

3

COMPLETE A CRUZADINHA
ao lado E DESCUBRA UMA
DAS MAIS IMPORTANTES
ÁREAs DE PreservaçãO
PERMANENTE (APPs)

1 - ANTÔNIO / 2 - JOÃO CARLOS / 3 - ROCHA
4 - ÁRVORE / 5 - BANANA / 6 - CAFÉ / 7 - SOL

4

5

t
6

LIGUE os tipos de horizonte
as suas respectivas
características

7

SIGA A LINHA PARA SABER A FORMA
CORRETA DE PLANTAR EM MORROS

HORIZONTE

A

FRAGMENTOS DA
DESAGREGAÇÃO DA
ROCHA-MÃE

HORIZONTE

B

Abundante matéria
orgânica e
organismos vivos

HORIZONTE

C

SOLO MInERAL
QUASE SEM
MATÉRIA ORGÂNICA

1

2

3

a - 2 / B - 3 / C - 1

*CURVA DE NÍVEL

PRINCIPAIS PRÁTICAS DE PROTEÇÃO DO SOLO
Manutenção da vegetação nas Áreas de Preservação Permanente
Topos de morros, encostas íngremes, entorno das nascentes e margens dos cursos d’água devem estar
protegidos com vegetação.
Contenção dos processos erosivos
Plantio em curva de nível com covas intercaladas; faixas de retenção com cana-de-açúcar, capim ou restos de culturas; barraginhas e outras formas de barreiras para evitar erosão.
Evitar movimentos de terras
Plantio direto sem arar ou gradear a terra. Roçar ao invés de capinar.
Conservação das estradas
As estradas são uma das principais causas da erosão das terras no meio rural. Por isso, as vias de acesso
devem ser bem planejadas e construídas com sistema de drenagem como forma de evitar os processos
erosivos.

PRINCIPAIS PRATICAS DE RECUPERAÇÃO DO SOLO
Análise do solo
A análise de solo é fundamental para conhecer as condições do solo, deve ser feita periodicamente e antes de realizar a calagem e adubação se for necessário. Para tirar dúvidas procure o escritório do Incaper
de seu município.
Adubação Verde
E aquela que utiliza plantas leguminosas para melhorar a fertilidade do solo, por meio da fixação de Nitrogênio. Podem ser utilizadas por exemplo: mucuna-anã, crotalária, feijão-de-porco, lab-lab e outras.
Adubação Orgânica
Mantém os elementos vivos do solo, melhorando a estrutura, armazenando água e aumentando a fertilidade.
Pode ser feita com restos de cultura e demais materiais orgânicos disponíveis na propriedade.
Rotação de culturas
O uso de diferentes culturas na mesma área, de forma intercalada, permite o melhor aproveitamento dos
nutrientes do solo. Da mesma forma, a pecuária em sistema rotacionado permite otimizar a produção
animal utilizando-se menos área.
Sistemas Agroflorestais e consórcios de culturas
O elemento arbóreo presente nos sistemas agroflorestais e consórcios de culturas protege o solo da incidência direta do sol e da chuva. As folhas que caem ajudam na adubação natural, recuperando os
nutrientes do solo. Além disso, o sistema favorece a infiltração de água e a manutenção da umidade.

Equipe técnica
Miguel Ângelo Aguiar - Maria da Penha Padovan
Fabiana Gomes Ruas - JOSÉ SÉRGIO SALGADO

Projeto gráfico, roteiro, texto, ilustrações e arte-finalização
ás Comunicação Ltda / (27) 3347.0163 - 3347.2499 - as@ascomunicacao.com.br

realização

O Projeto Corredores Ecológicos é uma parceria entre:
per

Incaper
Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural
Rua Afonso Sarlo, 160, Bento Ferreira, Vitória, ES CEP: 29.052-010 Caixa Postal: 391
teleFone (27): 3137-9888 / dcm@incaper.es.gov.br - www.incaper.es.gov.br

IEMA
Instituto ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS
Projeto CORREDORES ECOLÓGICOS
BR 262, KM 0, S/N, JARDIM AMÉRICA, PORTO VELHO, CARIACICA, ES CEP: 29.140-500
Fone (27): 3136-3476 - CORREDORESECOLOGICOS@IEMA.ES.GOV.BR www.IEMA.es.gov.br

Utilizamos papel reciclado

ISSN 1519-2059 - 1A EDIÇÃO - Tiragem: 10.000 - março de 2010

Não agredimos a natureza

Incaper
Série Meio Ambiente 04

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful