M

EI

ENTE
BI

nº 07

O AM

Adubação

quase toda a
produção sai da
propriedade e leva
os nutrientes que
as plantas tanto
precisam...

...e muito pouco
volta para a
terra onde tudo
é produzido.

e o pior é que nas
cidades tudo que
não é utilizado se
transforma...

que
chato!

...em um grande
problema ambiental,
que são os lixões.

a crescente
degradação da
natureza também
faz com que a
terra tenha que
ser adubada.

A mecanização da lavoura, a
falta de proteção do solo
e as monoculturas levam ao
empobrecimento do solo.

e quanto mais
pobre ele fica
mais é necessário
adubá-lo. eu
mesmo percebi
isto!

NO início, o solo
responde bem ao
adubo químico. com o
tempo, é necessário
aumentar a dose, pois
a produtividade
vai caindo.

Além de adubar
muito, tivemos que
molhar mais a terra,
já que, sem a matéria
orgânica, ela secava
mais rápido.

passei a gastar mais
energia para fazer
o solo produzir.
e o custo de
produção aumentou
muito.

é, tio antônio! e o
senhor foi gastando
cada vez mais...

com certeza! O solo adubado
quimicamente faz com que a
planta absorva de forma
desequilibrada os nutrientes,
facilitando o ataque de
pragas e doenças.

quanto
problema!

E assim tive que gastar ainda
mais com agrotóxicos.

É! Agora vocês já sabem que o uso
de agrotóxicos prejudica a saúde
de quem produz e de quem
consome os alimentos.
E a saúde
é tudo.

Pois é, Duda! Por tudo isso a nossa
propriedade foi ficando muito degradada.

E o pior é que o produtor entra
em um círculo vicioso: quanto
mais pobre a terra, mais ele usa
adubo químico e agrotóxico
e assim por diante...

E a produção
continuava baixa...

Quando percebemos que o solo
não respondia e a nossa saúde
estava sendo prejudicada,
decidimos mudar para uma forma
mais natural de produção...

Adotamos Boas práticas
agrícolas e as coisas
começaram a melhorar

Meu pai foi um dos
primeiros da região a
cumprir a legislação
ambiental...
...protegendo as Áreas de
Preservação Permanente-APPs
e averbando em cartório a
reserva legal.

Implantamos sistemas
agroflorestais-SAF
e corredores
ecológicos...

É a propriedade
mudou totalmente...

Foi aí que o senhor passou
a fazer a adubação verde e
a orgânica, abandonando
de vez o uso de adubo
químico?

Sim! Mas fui
mudando aos
poucos.

Meu pai procurou
a ajuda de um
técnico, que fez a
análise do solo e
constatou que
a terra estava
pobre em
nutrientes e
matéria orgânica.

Mas a produtividade
não caiu?

Teve um vizinho que fez
diferente: substituiu tudo
de uma vez. Mas, para isto,
ele teve que investir mais.

É, no primeiro momento,
tem que colocar uma
quantidade maior de
adubo orgânico.

Para melhorar o solo,
começamos a substituir
parte do adubo químico
pelo orgânico.

Não! Eu fui
substituindo a
adubação química
gradativamente e em
quatro anos já tinha
trocado tudo por
adubo orgânico.

O adubo orgânico
libera os nutrientes
pouco a pouco.
Portanto, para
garantir uma boa
produtividade, é
preciso usar mais
adubo orgânico
no início.

Esta quantidade a mais
de material orgânico
fica incorporada no
solo e será aproveitada
pelas plantas nas
próximas safras.

Já na adubação química, os
nutrientes são prontamente
liberados para as plantas.

A parte que não é absorvida
pelas plantas vai para as
camadas mais profundas do
solo e pode contaminar o
lençol freático

E no adubo
orgânico, tio, o
que o senhor
coloca?

A gente tem que
molhar e revirar a
pilha. quando você
usar material picado,
o ideal é revirar
primeiro com 7 dias,
em seguida com 30,
depois com 60 e,
por fim, com 90 dias.

Para dar massa, usamos
material fibroso, como a
capineira, além de restos
de cultura e de poda:
milho, palha de feijão,
capim-meloso e o que
mais tiver disponível.
Esse material,
preferencialmente,
deve ser picado.

Para enriquecer
o adubo, uso
esterco de boi e
de galinha, que
temos aqui mesmo
na propriedade.

Mas tem que tomar
cuidado porque a pilha
fica muito quente.

Aqui em cima,
consórcio de
difícil molhar,
hidratar a

E quem
não tem
criação,
papai?

Aí tem que
comprar ou
trocar com
o vizinho...

E é bom lembrar que o
ideal é a gente produzir o
composto perto da área
que será adubada. Vamos
lá em cima ver...

a gente fez outra pilha, perto do
banana com café. Como aqui é mais
usamos troncos de bananeira para
pilha e também para dar massa.
Primeiro deixamos tudo
parado por 60 dias. Depois
passamos a enxada rotativa
para picar um pouco, juntamos
o monte e deixamos
mais 30 dias.
Em seguida, passamos de novo
a enxada rotativa e reviramos
tudo para ficar mais 30 dias
parado. Se puder, é bom deixar
ainda mais um pouco...

Quando o
material está
todo curtido,
não tem mais
cheiro, a
temperatura
diminui, ficando
igual à do
ambiente.

E quando o
composto
fica pronto?

ué, por que o
milho está
com tamanhos
diferentes?

Agora vamos
descer para
ver o
milharal.

A adubação verde É FEITA
USANDO PLANTAS LEGUMINOSAS
QUE RETIRAM O NITROGÊNIO
PARA SUA PRÓPRIA NUTRIÇÃO.
apesar do nitrogênio estar em
abundância no ar, a maioria das
plantas não consegue
absorvê-lo diretamente.

Planta
Leguminosa

Estamos fazendo uma
experiência: do lado
mais alto usamos
adubação verde e, no
outro, não adubamos.
Viu a diferença?

QUANDO AS LEGUMINOSAS SE
DECOMPÕEM NO SOLO, O NITROGÊNIO
FICA DISPONÍVEL PARA AS OUTRAS
PLANTAS: ISSO É ADUBAÇÃO VERDE.

NITROGÊNIO
(N2)

Nutriente que a planta
mais precisa

AS LEGUMINOSAS, EM
SIMBIOSE COM BACTÉRIAS
ESPECIAIS, TEM A CAPACIDADE
DE RETIRAR O NITROGÊNIO DO
AR PARA A SUA NUTRIÇÃO

Demais
Plantas

NO3-

NITRATO

AS LEGUMINOSAS QUE
podem ser usadAs:
feijão-de-porco,
lab-lab, crotalária,
mucuna-preta E
feijão-guandu.

DECOMPOSITORES
Fungos e bactérias
aeróbicas e anaeróbicas

NITRITO

AMÔNIA

(NH4+)

bactérias
nitrificantes

(NO2-)

ni bac
tri té
fic ria
an s
te
s

bactérias
fixadoras de
nitrogênio

(NO3-)

bactérias
desnitrificantes

Aproveitando
sempre a troca
de cultura para
plantar as
leguminosas.

Por exemplo: planto quiabo e,
quando está terminando o
período de colheita, eu coloco
mucuna-preta entre as filas para
preparar o terreno para a
próxima plantação.

Quando tenho menos tempo
para esperar o próximo
plantio, uso crotalária ou
mucuna-anã e, com 70 a 90
dias, já posso roçar tudo.

Cento e vinte dias
depois, eu roço
tudo para o plantio
de inhame.

As leguminosas em
geral também podem
ser usadas na
implantação de
culturas permanentes,
como o café
e a laranja.
Nossa, a adubação
verde é muito
legal!
É, mesmo! Mas é
importante saber
qual a leguminosa
certa em cada
cultura. Para isso,
deve-se procurar
ajuda de um
técnico.

É, tio Antônio,
A MAIORIA NÃO
aprendi muito hoje SOBRE
SABE QUE ATITUDES
COMPOSTAGEM E ADUBAÇÃO SIMPLES, COMO A DE
VERDE. VOU LEVAR ESSE
SEPARAR O LIXO SECO
CONHECIMENTO PRÁTICO
DO ÚMIDO, PODEm
PARA MEU COLEGAS
AJUDAR A PRODUZIR
DE CURSO.
ADUBO ORGÂNICO.

1

e

2

N2

u

3

4

Ajude o caminhão a
levar o lixo orgânico
da cidade para
o campo.

n

5

7
8

1 - alface / 2 - nitrogênio / 3 - grama
4 - milho / 5 - cenoura / 6 - sapo / 7 - galinha

Complete a cruzadinha
ao lado e descubra
o tipo de planta usada
na adubação verde

1

2

3

Resposta: caminho 3

DICAS PARA UMA ADUBAÇÃO EFICIENTE

1

Se a sua propriedade tem um área que pode ficar parada por até 90 dias, plante crotalária juncens e mucuna-anã, para depois fazer adubação verde com essas leguminosas. Ao final dos três
meses, as leguminosas já poderão ser cortadas e incorporadas ao solo, servindo como uma excelente
adubação para a próxima cultura.

2

Já se a sua propriedade tem uma área que pode ficar parada por mais de 120 dias, você pode
usar diversas leguminosas: feijão-de-porco, mucuna-cinza, mucuna-preta, crotalária juncens,
feijão-guandu ou outras. No final dos quatro meses, você pode usar a roçadeira manual para cortar
as leguminosas, pois essas espécies, principalmente as mucunas (cinza e preta), são resistentes ao
corte manual.

3
4

Em regiões de baixa altitude, as leguminosas mencionadas no item anterior podem ser cultivadas durante todo o ano, desde que haja disponibilidade de água.

5
6

Existem experiências muito positivas com a utilização de Galactia striata y e Tefrósia em consórcio com café, cultivados com espaçamentos maiores (acima de 2,5m).

Em regiões de altitude superior a 600m, as culturas acima não vão bem no período de inverno,
mas podem ser substituídas por ervilhaca, tremoço ou nabo forrageiro (não é leguminosa, mas
tem a capacidade de ajudar a romper as camadas mais compactadas do solo). Ainda em regiões
altas, pode ser usado um mix de aveia, nabo forrageiro e tremoço que, além de ajudar a fazer a adubação, também forma uma massa ideal para a cobertura do solo com plantio de abril a junho.

A melhor época de corte das leguminosas de cultura anual, visando a adubação, em geral é no
pleno florescimento e início da formação de vagem. Se o objetivo for também cobertura de solo,
recomenda-se o corte em uma fase mais avançada, podendo deixar até o amadurecimento do fruto.

7

Para mais informações sobre adubação procure o escritório do Incaper ou a Prefeitura do seu
município.

Equipe técnica
Maria da Penha Padovan - Edegar Antonio Formentini
Fabiana Gomes Ruas

Projeto gráfico, roteiro, texto, ilustrações e arte-finalização
ás Comunicação Ltda / (27) 3347.0163 - 3347.2499 - as@ascomunicacao.com.br

realização

O Projeto Corredores Ecológicos é uma parceria entre:

Incaper
Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural
Rua Afonso Sarlo, 160, Bento Ferreira, Vitória, ES CEP: 29.052-010 Caixa Postal: 391
teleFone (27): 3137-9888 / dcm@incaper.es.gov.br - www.incaper.es.gov.br

IEMA
Instituto ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS
Projeto CORREDORES ECOLÓGICOS
BR 262, KM 0, S/N, JARDIM AMÉRICA, PORTO VELHO, CARIACICA, ES CEP: 29.140-500
Fone (27): 3136-3476 - CORREDORESECOLOGICOS@IEMA.ES.GOV.BR www.IEMA.es.gov.br

Utilizamos papel reciclado

ISSN 1519-2059 - 1A EDIÇÃO - Tiragem: 10.000 - março de 2010

Não agredimos a natureza

Incaper
Série Meio Ambiente 07

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful