Você está na página 1de 15

Universidade Federal do Ceará

Centro de Tecnologia
Física Experimental para Engenharia

Prática 03
Pêndulo Simples

Fortaleza (CE), 03 de Maio de 2012.

9 Gráficos ----------------------------------------------------------------------------------------------------------11 Conclusão --------------------------------------------------------------------------------------------------------12 Referências ------------------------------------------------------------------------------------------------------13 .8 Questionário ----------------------------------------------------------------------------------------------------.6 Procedimento ---------------------------------------------------------------------------------------------------.4 Material Utilizado ----------------------------------------------------------------------------------------------.7 Resultados -------------------------------------------------------------------------------------------------------.Sumário Objetivo ----------------------------------------------------------------------------------------------------------3 Introdução -------------------------------------------------------------------------------------------------------.

.

Objetivo Demonstrar as leis que regem o movimento do pêndulo simples assim como as forças que atuam durante o movimento. 3 . Também será possível demonstrar o cálculo da aceleração gravitacional usando o pêndulo simples.

é denominada de força restauradora.Introdução Pêndulo simples é um sistema composto por uma massa puntiforme. já que a força não é proporcional à elongação e sim ao seno dela. Ѳ< 15°. Assim é possível concluir que o movimento de um pêndulo simples não descreve um MHS. e m. sem atrito. o valor do seno do ângulo é aproximadamente igual a este ângulo. Então. ao considerar-se de pequenos ângulos de oscilação: Como P=mg. num plano vertical. e age sobre a massa m. O peso pode ser decomposto obtendo-se as componentes mgcos Ѳ e mgsen Ѳ. O movimento é definido como oscilatório e periódico. A outra componente. presa a um fio inextensível de comprimento L que é capaz de se mover. g e ℓ são constantes neste sistema. podemos considerar que: 4 . No entanto. Quando afastado da posição inicial de equilíbrio o pêndulo oscila sob a ação da gravidade. A resultante da tração no fio e mgcosѲ produz a aceleração centrípeta. para ângulos pequenos. As forças aplicadas a massa puntiforme dado uma posição afastada ângulo Ѳ da posição de equilíbrio são: mg(peso) e T(tração no fio). mgsenѲ.

logo: g = 4π²/(ΔT²/ΔL) (ΔT²/ΔL) o valor dessa expressão poderá ser obtido a partir das medições realizadas em laboratório. reescrevendo-se a força restauradora do sistema como: Sendo assim. o período é dado por: e como. Então o período de um pêndulo simples pode ser expresso por: Determinação experimental da aceleração da gravidade g A partir da equação T=2π√l/g podemos determinar o valor experimental da gravidade no ambiente em que serão realizados os estudos. Basta elevar os dois membros da equação ao quadrado e isolar a variável g. um pêndulo simples descreve um MHS. Como para qualquer MHS. 5 . a análise de um pêndulo simples nos mostra que.Então. para pequenas oscilações.

Material Utilizado Massas aferidas (m1 e m2) Cronômetro Fios Transferidor Coluna graduada 6 .

45g e m2=101. o operador do cronômetro deveria ser o mesmo que larga o pêndulo a oscilar. Deslocou-se o corpo da posição de equilíbrio (deslocamento angular igual a 15°) e determinou-se o tempo necessário para o pêndulo executar 10(dez) oscilações completas. A experiência foi repetida para os comprimentos 40 cm.2. Os dados foram registrados na tabela 3. Foram seguidos os seguintes passos: 1. 7 . Manteve-se o comprimento de 140 cm e estudou-se a influência da massa e da amplitude sobre o período. 4. 120 cm e 140 cm e registrada a tabela 3. 5. do ângulo e da massa do pêndulo.Procedimento O procedimento consistia em uma sequência de medições de tempo onde haveria variação do comprimento do fio do pêndulo. 80 cm. 100 cm. 3. sendo m1= 50. Para minimizar os erros. 2.1. Anotou-se a massa dos corpos (m1 e m2) A massa dos corpos que foram utilizados no experimento tiveram suas massas conferidas e anotadas. Ajustou-se o comprimento do pêndulo de modo a obter 20 cm do ponto de suspensão até o centro de gravidade do corpo.12g. 60 cm.

2 3 T3=1.45 10T7=23.54 L3=60 Ѳ3=15 m1= 50.96 L6=120 Ѳ6=15 m1= 50.77 T²4=3.5 1 2.45 10T8=23.Resultados Tabela 3.9 4 10T9=23.45 10T3=15.7 2 10T4=17.3 5 10T7=23.38 L=140 Ѳ2=10 8 .9 2 2.3 5 10T7=23.99 T²5=3. 10T10=23.4 7 10T8=23.39 101.35 L=140 Ѳ2=10 m1= 50.9 1 10T9=23.5 6 10T7=23.35 T²7=5.12 m2= 10T10=23.45 10T4=17.82 10T1=8.5 6 10T7=23.8 2 10T6=21.5 0 10T8=23.8 8 10T5=19.2 Resultados experimentais para o estudo da influência da massa e da amplitude sobre o período do pêndulo simples.84 T1=0.4 4 2.8 7 T5=1.18 T²6=4.52 Tabela 3.52 T²3=2.8 5 T6=2.1 Resultados experimentais para o pêndulo simples.24 T²2=1.4 4 T7=2.88 T²1=0.1 9 10T3=15.31 L4=80 Ѳ4=15 m1= 50.9 1 10T5=19.45 10T7=23. L(cm) Ѳ(graus ) m(gramas ) 10T(s) 10T(s) 10T(s) T(s) T²(s) L1=20 Ѳ1=15 m1= 50.85 10T1=8.3 8 10T2=12. 2.45 10T6=21.45 10T1=8.35 L=140 Ѳ1=15 m2= 10T9=23.4 1 10T2=12.13 L5=100 Ѳ5=15 m1= 50.77 L2=40 Ѳ2=15 m1= 50.3 7 T2=1.2 0 10T3=15.6 5 T4=1.75 L7=140 Ѳ7=15 m1= 50.8 7 10T6=21.5 9 10T4=17. L(cm) Ѳ(graus ) m(gramas ) 10T(s) 10T(s) 10T(s) T(s) L=140 Ѳ1=15 m1= 50.45 10T5=19.45 10T2=12. 10T10=23.

12 72 97 81 Questionário 1. l=gT²/4π² . l(t)=g/4π² 9 . Dos resultados experimentais é possível concluir-se que os períodos independem das massas? Justifique. Qual a representação gráfica que se obtém quando se representa T x L? Explique. Resposta: Desprezando o efeito do ar e desconsiderando o erro experimental podemos afirmar que o período independe da massa utilizada. Resposta: Há uma pequena alteração no período assim como na amplitude. 3. Resposta: A representação gráfica se aproxima de uma parábola.101. 2. Dos resultados experimentais o que se pode concluir sobre os períodos quando a amplitude passa de 10° para 15°? Justifique. T²=4π²l/g . É possível chegar a essa conclusão manipulando as seguintes equações: T=2π√l/g .

Discuta as transformações de energia que ocorrem durante o período do pêndulo.8) .35 + 2. P= 9. Resposta: Tomando como referência L=120 cm e T²=4.37 s Valor encontrado a partir da fórmula: T=2π√L/g . Quando o pêndulo é afastado 10 . Resposta: Os dois principais tipos de energia que ocorrem no pêndulo são a energia potencial e a energia cinética. Resposta: Tomando como referência que os pontos estão aproximadamente alinhados. As pequenas variações se devem a resistência do ar e ao erro experimental. temos que: g=4π²l/T².37s Portanto há concordância entre os valores obtidos experimentalmente e os valores teóricos. g= 4 x (3.A partir do resultado é possível perceber que l é função de t e como g/4π² é uma constante.38)/4 = 2.97 m/s² . Explique.2/4. Comente.75 s. podemos afirmar que o gráfico será uma reta. podemos utilizar a seguinte equação para obter o valor de g. T²=4π²l/g . Idem para T² x L. g=4π²l/T² Substituindo os valores. P=89. Compare o valor médio de T obtido experimentalmente para L=140cm com o seu valor calculado pela fórmula T=2π√L/g (use g=9.4/9. T= 2 x 3.39 +2. Resposta: Valor encontrado experimentalmente: (2.73 kg 7.141592)² x (1. 4.8m/s²). a função l(t) tem como gráfico uma parábola.141592 x √ (1. g=9. T= 2.00 kg x 9.75) . 8.97 m/s² 6. 5.35 + 2. Qual o peso de um objeto de massa 9. T=2π√l/g . Determine o valor de ‘’g’’ a partir do gráfico T² x L.00kg no local onde foi realizada a experiência? Resposta: P=mg .

Resposta: Procurando no gráfico encontramos que T=2s seria para o comprimento de 100 cm. Qual o período deste pêndulo? Resposta: Como o pêndulo passa duas vezes pela posição de equilíbrio durante um ciclo o período será 2xtfornecido. Passando deste ponto haverá transformação de energia cinética em energia potencial até atingir o ápice onde só existirá energia potencial.um ângulo máximo Ѳ da vertical ele possuirá energia potencial máxima.1). logo: T = 2s 10. quando o fio ficar perpendicular ao solo. uma vez em cada segundo. Logo o fio deverá ter 100 cm de comprimento. Determine o comprimento do “Pêndulo que bate o segundo” utilizando o gráfico T² x L. 11 . O processo segue indefinidamente caso não haja resistência do ar. 9. Chama-se ‘’pêndulo que bate o segundo” aquele que passa por sua posição de equilíbrio. ou seja. Gráficos Gráfico de T em função de L(utilizando dados experimentais da tabela 3. A energia cinética será máxima quando o pêndulo passar pela sua posição de equilíbrio. Quando for liberado desta posição iniciará a transformação de energia potencial em energia cinética.

1). 6 5 4 Tempo(s²) 3 Ajuste Linear 2 1 0 0 20 40 60 80 100 120 140 160 Comprimento(cm) Conclusão 12 .Gráfico de T2 em função de L(utilizando dados experimentais da tabela 3.

fatores que acabam influenciando os resultados dos experimentos.Foi possível observar algumas características no sistema que remete ao pêndulo simples. Inicialmente a independência do valor da massa do objeto na determinação do período do pêndulo. Referências 13 . Também foi possível determinar a aceleração gravitacional partir de cálculos feitos usando algumas das expressões que regem o movimento do pêndulo simples. Por último é necessário destacar a presença da resistência do ar assim como o tempo de resposta do operador do sistema.

2009. 8 ed.usp.br/CorpoDocente/egsantana/dinamica/trabajo/pendu lo/pendulo.br/licenciatura/2001/pendulo/PenduloSimples_HTML. RESNICK.fisica.sc.2.ufs. Editora LTC.htm Acessado em 30 de Abril de 2012 HALLIDAY. WALKER. Fundamentos de Física. Vol.http://www.htm Acessado em 30 de Abril de 2012 http://educar. 14 .