Você está na página 1de 21

RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Jaqueline Pinheiro Ramos

Tucuruí – PA
2012

SUMÁRIO
1 ‒APRESENTAÇÃO ........................................................................................................... 4
2 ‒OBJETIVOS ...................................................................................................................... 4
3 ‒APRESENTAÇÃO DA EMPRESA ................................................................................. 4
4 ‒DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO ........................................................................... 5
4.1. Treinamento Introdutório........................................................................................... 5
4.2. Setor de Manutenção Civil ........................................................................................ 6
4.3. Construção de local para deposito de produtos contaminantes .................................. 6
4.4. Reforma do banheiro feminino próximo ao estacionamento na elevação 11,20m. .... 8
4.5. Construção de mecanismos para isolamento de vibração e ruído na sala de controle
na Casa de Força II da UHE- Tucuruí ........................................................................ 9
4.6. Auscultação............................................................................................................... 10
4.6.1 Sistema Computacional GESTIN ................................................................... 10
4.6.2. Medidor Triortogonal de Junta. ..................................................................... 12
4.6.3. Drenos ............................................................................................................ 12
4.6.4. Medidor de vazão ........................................................................................... 13
4.6.5. Inclinômetro ................................................................................................... 13
4.6.6. Piezômetro Casagrande .................................................................................. 14
4.6.7. Piezômetro de Contato e fundação ................................................................ 14
4.6.8. Piezômetro Pneumático Tipo IPT .................................................................. 15
4.6.9. Pêndulo direto ................................................................................................ 16
4.6.10. Extensômetros de múltiplas hastes .............................................................. 16
4.7. Monitoramento da sismicidade ................................................................................. 17
5 ‒ATIVIDADES COMPLEMENTARES .......................................................................... 19
5.1. Educação Corporativa e Rede DTCOM ................................................................... 19
5.2. Painel do estagiário ................................................................................................... 19
6 ‒CONCLUSÕES ............................................................................................................... 20
7 ‒REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ............................................................................ 21

2

....... .... 9 Figura 11 – Isopor para isolação..... 12 Figura 14 ........ .................................... .................... 8 Figura 7 – Novas peças instaladas................................................... ................. ... 18 Figura 24 ............................ 11 Figura 12 ......Detalhe do local de armazenagem dos barris........................................................ 7 Figura 5 – Quebra do revestimento cerâmico..................................................Piezômetro no dique do Caraípe............................................................................................... ........................ 14 Figura 20 . ................................................Piezômetro no talude da UHE.... 8 Figura 6 – Execução do novo revestimento................Pêndulo. 12 Figura 13 ......................... 15 Figura 22 ........................................ . B) Detalhe do aparelho detector.......... ... .......................................................................................................................................................... 7 Figura 2 ........ 14 Figura 18 ....Resultado gráfico do sistema computacional GESTIN........Aparelho de leitura Hall...................... ................................................Coleta de água na proveta........... B) Ativação do novo HD no aparelho................... 13 Figura 17 ......................... ........................................................ ...........................................................Montagem do equipamento...................................... 9 Figura 40 .....Aferição da quantidade de água coleta............................ .. ...........................................................................A) Troca dos HD's........ 8 Figura 8 – Parede de bloco de concreto......... 13 Figura 16 – Início da coleta de dados do inclinômetro.. 18 3 .......... .... 15 Figura 21 . ..........................A) Estação sismográfica..... 9 Figura 9 – Preparação da argamassa...................................Leitura do piezômetro de fundação........ ............... ................... .......................................................... 7 Figura 4 – Detalhe da cobertura e armazenagem dos barris de combustíveis... 14 Figura 19 ............................................................................................Leitura piezométrica na eclusa............................................................................................ 16 Figura 23......... .......................................LISTA DE FIGURAS Figura 1 – Sala do gerador.................................. 9 Figura 10 – Detalhe da parede de bloco de concreto..... 7 Figura 3 – Detalhe da espessura da plataforma de concreto..............................................................................

objetiva ainda promover a complementação do ensino superior refletindo-se na integração Empresa e Universidade proporcionando a participação em situações reais de vida. Amazonas. Balbina. com sede no Distrito Federal.1 ‒ APRESENTAÇÃO Nome da estagiária: Jaqueline Pinheiro Ramos Empresa onde foi realizado o estágio: Eletrobrás/Eletronorte Setor de desenvolvimento: Manutenção Civil . parques térmicos e sistemas de transmissão 4 . Amapá.OGHTC Orientador/Supervisor do estágio: Eden Sérgio Bernardo Período do estágio: 18/10/2011 a 17/04/2012 Carga horária semanal: 20 horas 2 ‒ OBJETIVOS O presente relatório de estágio supervisionado tem por objetivo descrever as principais atividades realizadas pela estagiária Jaqueline Pinheiro Ramos. Roraima e Tocantins. gera e fornece energia elétrica aos nove estados da Amazônia Legal – Acre. Maranhão. 3 ‒ APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Centrais Elétricas do Norte do Brasil S. também fornece energia a compradores das demais regiões do País. A Eletrobrás Eletronorte construiu e opera usinas hidrelétricas (Tucuruí. Rondônia. Curuá-Una. O estágio supervisionado na Eletrobrás Eletronorte. Pará. é uma sociedade anônima de economia mista e subsidiária da Centrais Elétricas Brasileiras S. buscando desta maneira uma preparação para o mercado de trabalho. Por meio do Sistema Interligado Nacional – SIN. Mato Grosso. Criada em 20 de junho de 1973. – Eletrobrás. – Eletronorte. o referente período representa a oportunidade para a realização das atividades práticas com aplicação dos conhecimentos teóricos viabilizando assim. Coaracy Nunes e Samuel). uma curta experiência no específico âmbito profissional. Uma vez que.A. durante o período de estágio no Setor de Manutenção Civil da empresa Eletrobrás/Eletronorte. é uma concessionária de serviço público de energia elétrica.A.

fomentando e desenvolvendo ações que promovam a inserção social das comunidades amazônicas. Treinamento Introdutório Refere-se ao período de tempo determinado para ação educacional realizado no Centro de Treinamento da empresa. o World Class Award. implantação de sistemas de transmissão e distribuição de energia elétrica. certificações de qualidade (ISSO 9001) e capacidade de manter bons índices de confiabilidade de seus sistemas elétricos. as características e responsabilidades do setor de atuação. É também a única empresa pública. 4 ‒ DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO Visa descrever as principais atividades desenvolvidas durante o período de estágio. A Empresa também está comprometida com as populações da área onde atua.1. ambiental e eficiência energética. A potência total instalada é de 9. visando qualidade.  Gerência e divisão organizacional. conferido pelo Japanese Institute for Plant Maintenance – JIPM. 4.888.02 quilômetros de linhas. A Eletrobrás Eletronorte se tornou a única empresa de energia do mundo a receber. projetos. economia e sustentabilidade. por seu processo de geração hidráulica interligada. construção de usinas geradoras.associados. por meio da superintendência de Geração Hidráulica. Além do serviço público de energia elétrica a empresa Eletrobrás Eletronorte atua com finalidade principal na realização de estudos.294.  Missão. por meio da regional de Transmissão do Tocantins. 5 . deveres e das principais políticas da empresa tais como:  Política de gestão de risco.33 megawatts e os sistemas de transmissão contam com mais de 9. na qual os estagiários tomam conhecimento de seus direitos. e a receber também o Prêmio Especial TPM. É reconhecida também por sua excelência empresarial por meio das eficientes técnicas de gestão.  Código de ética. treinamento introdutório. o prêmio máximo da metodologia Manutenção Total Produtiva – TPM. a ter alcançado este nível de desenvolvimento na metodologia. visão e Valores.

Construção de local para deposito de produtos contaminantes O abastecimento de energia elétrica na ilha de Germoplasma da UHE – Tucuruí provém do gerador por meio da queima de combustíveis líquidos e também das placas fotovoltaicas. compra e aquisição de materiais necessários à manutenção civil das estruturas. elaboração e planejamento dos serviços a serem realizados. rotineira e eventual. 4. Visto o exposto à cima o Setor de Manutenção Civil da UHE . É ainda de responsabilidade deste setor a realização de serviços de reforma.3. requerem manutenção preventiva. de alguma forma. Política de tecnologia da informação. bem como os procedimentos que façam com que tais componentes sejam mantidos em conformidade com os critérios previstos.5m. com a legislação vigente e também alinhado com a operação da mesma. obras de adequação com as normas vigentes. A medida adotada pelo setor de Manutenção Civil foi construir uma plataforma de concreto ao lado da sala do gerador.5m x 4.2. No entanto os barris de combustíveis eram armazenados na mesma sala que os geradores não sendo a favor da segurança viabilizando os riscos de acidentes e comprometimento do mecanismo de fornecimento de energia elétrica. 6 .Tucuruí é o responsável pela manutenção das estruturas constituintes das barragens de concreto e terra por meio da realização de inspeções que visam à observação das condições da barragem e suas estruturas auxiliares incluindo observações a cerca do reservatório e também é responsável pela coleta de dados proveniente da instrumentação e auscultação. As dimensões da plataforma construída são de 1. Setor de Manutenção Civil Primeiramente é importante destacar que o objetivo da manutenção em uma Usina Hidrelétrica é o de identificar e descrever todos os componentes que. porém a mesma deverá ser coberta. 4.

Figura 3 – Detalhe da espessura da plataforma de concreto.Detalhe do local de armazenagem dos barris.Figura 1 – Sala do gerador. . Figura 2 . Figura 4 – Detalhe da cobertura e armazenagem dos barris de combustíveis.SERVIÇOS GERAIS LTDA. 7 . A atividade descrita foi executada pela prestadora de serviço: ESCOVAM. A plataforma para armazenagem foi construída em concreto armado com fck considerável para resistir aos esforços mecânicos e seu acabamento foi a base de revestimento epóxi.

Após uma avaliação de tais departamentos percebeu-se a necessidade de reforma. 8 .20m.Tucuruí os banheiros em gerais apresentam um elevado grau de desgaste. retirada das peças sanitárias. espelhos e portas. . Como grande parte das normas construtivas sofreram atualizações os mesmo apresentam-se inadequados com as atuais normas vigentes. Figura 5 – Quebra do revestimento cerâmico.4. Manteve-se o piso do banheiro e as divisões em mármore bem como as tubulações hidráulicas. Figura 6 – Execução do novo revestimento. balancins. O serviço foi executado pela própria mão de obra da empresa terceirizada: ESCOVAM. Levando em consideração o tempo de construção da UHE. Figura 7 – Novas peças instaladas. Instalação de novas peças sanitárias padronizadas e criação de duas cabines com chuveiro que não existiam antes.4. Inicio da reforma começou com a quebra do revestimento cerâmico.SERVIÇOS GERAIS LTDA. Reforma do banheiro feminino próximo ao estacionamento na elevação 11.

Construção de mecanismos para isolamento de vibração e ruído na sala de controle na Casa de Força II da UHE. . Figura 10 – Detalhe da parede de bloco de concreto.4.5. A atividade baseou-se em construir uma parede de blocos de concreto com todos os revestimentos argamassado e uma camada de isopor e material específico para isolação sonora. Figura 8 – Parede de bloco de concreto. Figura 11 – Isopor para isolação. Também foram executadas medidas mitigadoras no piso como colocação de parte do contra-piso com isopor O serviço foi executado pela própria mão de obra da empresa terceirizada: ESCOVAM. 9 . Figura 9 – Preparação da argamassa.SERVIÇOS GERAIS LTDA.Tucuruí Devido as fortes ondas de vibração e ruídos ocasionados durante o funcionamento e operação das turbinas geradoras da casa de força II estar afetando a sala de controle e assim prejudicando a integridade física dos colaboradores houve-se a necessidade de construir uma barreira de isolamento.

o cálculo das respectivas medidas e o retorno gráfico que sistematizam os resultados obtidos como mostra a figura 40. ele também se interliga a outras usinas tais como Balbina. Além de conter informações sobre o monitoramento e manutenção da UHE-Tucuruí. possibilitando a tomada de medidas oportunas de controle.1 Sistema Computacional GESTIN Na coleta de dados em campo com os instrumentos e equipamento específicos para cada tipo de leitura é inicialmente armazenada em uma lista com área e tipo particular de instrumentação em seguida a análise dos dados coletados é desenvolvida por meio de um sistema computacional próprio denominado GESTIN.6. diques do Moju e do Caraípe e também as eclusas. comprometer a segurança do empreendimento. No que se refere à instrumentação de uma barragem sua função é gerar um histórico de comportamento da estrutura para poder prevenir. Por isso faz-se necessária à auscultação que consiste num processo de acompanhamento e avaliação permanentes do comportamento de tal estrutura e têm como ferramentas principais as inspeções visuais e a instrumentação. reparos ou modificações. Samuel e Coraci Nunes. O GESTIN tem como finalidade permitir a entrada remota de dados (via satélite) e o processamento das leituras de instrumentos instalados fornecendo subsidio para analise do comportamento das estruturas civis desde a fase construtiva e fase de enchimento e na fase de operação da usina. 10 . talude de terra e enrocamento. ambas realizadas apenas pelo setor de Manutenção Civil. Auscultação Desde o projeto a construção de uma barragem a segurança é um objetivo fundamental. Sendo instrumentadas as seguintes estruturas e áreas: as fundações.6. barragem de gravidade. durante a sua vida útil. pois as reais possibilidades de ocorrência de acidentes envolvendo a ruptura de barragens podem implicar no alagamento de vastas áreas a jusante e causar danos imensuráveis socioeconômicos e ambientais.4. 4. qualquer evolução que possa eventualmente. O programa compreende basicamente o armazenamento da coleta de dados das leituras.

Figura 12 . 11 .Resultado gráfico do sistema computacional GESTIN.

y. os deslocamentos horizontais e o eixo 0z os deslocamentos verticais. O medidor triortogonal tem por finalidade registrar os deslocamentos em juntas e fissuras em barragens de concreto. onde se recolhe a água que está escoando através do dreno. acompanham os movimentos relativos.6. túneis e maciços rochosos. Medidor Triortogonal de Junta.2. dos drenos de junta entre blocos e das fissuras do concreto. Figura 13 . Figura 14 . A medição das vazões dos drenos internos ou dos drenos de junta deve ser realizada dreno a dreno. uma vez que seu comportamento é aleatório. o eixo 0y. em três eixos ortogonais (x. por estarem solidárias com a região instrumentada. 4. Drenos A medição das vazões de infiltração por meio do concreto envolve geralmente as seguintes fontes: dos drenos internos do concreto.6. ocorridos nesta região.Aferição da quantidade de água coleta. 12 . obtém-se facilmente as medidas das variações nos três eixos ortogonais desejados.4. Com relógio comparador adaptado para ser instalado nos furos existentes nas barras retangulares do medidor triortogonal de junta. O sistema de eixos triortogonais é orientado de modo que o eixo 0x forneça os deslocamentos de abertura ou de fechamento da junta.Coleta de água na proveta. em um espaço de tempo que é medido utilizando um cronômetro. z). galerias. As bases de leitura. São normalmente realizadas com o emprego de um recipiente graduado (ml) como a proveta.3.

Medidor de vazão Utilizados para medir a vazão percolada através de maciços de terra/enrocamento suas fundações e ombreiras e fundações de estruturas de concreto. Consiste em um torpedo que é inserido no interior de um tubo guia. O tubo-guia vertical é dotado de quatro ranhuras. A cada 0.5 m o instrumento mede o desvio do tubo com relação à vertical. Figura 16 – Início da coleta de dados do inclinômetro. Inclinômetro O inclinômetro é um instrumento utilizado para observar deslocamentos horizontais ao longo de uma vertical. A leitura dessa instrumentação procede-se no instante que o sensor é introduzido até o final do tubo e.6. Os mesmos estão dispostos em toda a extensão da barragem de terra e percorrem o caminho de ligação das eclusas. Figura 15 . O torpedo é dotado de certo acelerômetro que mede a inclinação em relação a vertical. a medida que vai sendo puxado de volta. vai sendo medida a inclinação do tubo em intervalos iguais ao comprimento do inclinômetro. 4.6. 13 . Dessa forma é possível calcular o deslocamento horizontal.Montagem do equipamento. O grande interesse está em se detectar juntas com deslocamento cisalhante concentrado. São na forma de vertedores triangulares e recebem a identificação de VMT. O tubo guia é instalado no interior de um furo de sondagem e precisa ser engastado em uma camada indeslocável.5.4.4. As medidas são efetuadas por meio de leitura da régua graduada instalada em seu interior.

7.6. através da água contida na tubulação plástica. Figura 19 . A finalidade dessa instrumentação é obter as pressões neutras em maciços de terra. onde a subpressão atuando na célula piezométrica é transmitida.4.Leitura do piezômetro de fundação.6. 4. no qual se introduz um pio elétrico (espécie de aparelho sensor) que ao tocar a lamina d’água emiti um sinal sonoro. Piezômetro de Contato e fundação A leitura do piezômetro de contato é obtida através do manômetro portátil. Figura 18 .Piezômetro no talude da UHE. A medição direta da poropressão é expressa pela altura da coluna d’água no interior de um tubo de pequeno diâmetro. Piezômetro Casagrande É um instrumento convencional utilizado para medidas de poropressões. taludes e fundações e subpressões em fundações de estruturas de concreto. 14 .Piezômetro no dique do Caraípe. Figura 17 .6.

aplicando-se nitrogênio através da tubulação de nylon de emissão de gás. Em seguida aumenta-se gradativamente a pressão de gás até atingir valores superiores a pressão intersticial atuante no instrumento. A pressão da mesma nas imediações da célula é transmitida ao diafragma. Piezômetro Pneumático Tipo IPT Esses piezômetros tem a finalidade de medir as pressões da água intersticial desenvolvidas nas fundações (solo e rocha) e nos maciços compactados de terra. Esta pressão força o diafragma para o interior da célula.Aparelho de leitura Hall. Após a estabilização do fluxo lêse no manômetro a pressão de gás aplicada. 15 . Figura 20 . O diafragma se defletirá. Figura 21 . em interfaces solo/muros de concreto e em regiões de fundação constituídas de materiais semipermeáveis onde se requer um tempo rápido de resposta do instrumento ou locais de difícil acesso para leitura de piezômetros tipo Casagrande. Esses instrumentos foram instalados nos maciços compactados de terra.8. enchimento e operação da usina.Leitura piezométrica na eclusa. durante as fases construtivas. obtendo-se a pressão de água atuante nas proximidades do piezômetro pneumático. através do outro tubo de nylon uma parte do fluxo de gás até o aparelho de leitura.4. permitindo retornar. Funciona baseando-se no principio do transdutor pneumático e responde imediatamente as variações das pressões da água intersticial ocorrida na região adjacente ao instrumento. fletindo-o de maneira a vedar os orifícios conectados aos tubos de nylon de emissão e retorno de gás. A medida do instrumento é feita por meio do aparelho de leitura Hall.6.

4. Extensômetros de múltiplas hastes Esse instrumento consiste em um conjunto de hastes instaladas dentro de um furo de sondagem. Pêndulo direto Esses instrumentos são utilizados para observa os deslocamentos horizontais. Figura 22 . As extremidades inferiores das hastes são chumbadas na rocha em cotas distintas e as extremidades superiores dispostas no cabeçote de leituras. 4. As mesmas são rígidas e devem ser protegidas ao longo de comprimento.10.6. 16 . As leituras dos deslocamentos horizontais são realizadas com auxilio de coordinômetros óticos segundo as direções montante/jusante e margem direita/esquerda. Sua função é medir deslocamentos e deformações em maciços rochosos e concretos a leitura é realizada a partir de um relógio comparador posto em pequenos instantes em cada ponto. Eles estão fixos à crista da barragem indo até o contato concreto/rocha.6. sendo importante manter a sua verticalidade para não interferir no campo de leitura do instrumento. Os mesmo foram instalados em poços verticais no final do período construtivo da barragem. para evitar sua movimentação e estão instalados tanto na usina como nas eclusas.9. O pêndulo direto é constituído essencialmente de um fio de prumo com um peso dotado de aletas e imerso em um tanque de óleo. que foram deixados na concretagem das estruturas.Pêndulo.

7. bem como verificar as eventuais mudanças no nível da sismicidade devido à influência do lago. 17 . Vale ressaltar ainda que devido à sensibilidade dos equipamentos os mesmos devem ficar longe de influencia de terceiros. isto é. a ocorrência de sismos induzidos. Esse acompanhamento se faz necessário ainda para a estabilidade das estruturas constituintes da barragem estando atentas as principais movimentações geológicas provocadas pelo peso de água no leito do lago. visando mudanças como possíveis erosões dos talvegues ou outros fenômenos que afetem elementos importantes tais como as fundações da UHE-Tucuruí.Tucuruí. validar e analisar quando for o caso. Fonte 1 . Por isso existe uma quantidade determinada de estações sismográficas instaladas em pontos estratégicos como mostra o seguinte mapa. Monitoramento da sismicidade O monitoramento sismológico tem por finalidade registrar atividades sísmicas na área circunvizinha ao reservatório. Mapa 1 .54º Congresso Brasileiro de Concreto.Estações sismográficas da UHE .4.

B) Detalhe do aparelho detector. onde as informações enviadas são processadas e interpretadas. B) Ativação do novo HD no aparelho. onde está instalada uma estação de estudo da sismicidade circunvizinha. Figura 23.Em cada estação é realizada a coleta de informações contida no HD do equipamento específico. Na Base – 4.A) Estação sismográfica. Ao chegar à cabine onde está o sismógrafo efetua-se a substituição do HD acoplado no aparelho onde ficam armazenadas as informações pelo HD que estão portando. As informações contidas no HD recolhido são descarregadas em um programa específico em um único computador do setor que está (via rede) conectado diretamente ao Observatório Sismológico da Universidade de Brasília .A) Troca dos HD's. a coleta de dados é feita mensalmente. Os colaboradores do setor de manutenção civil vão até o referido local para a coleta dos dados sísmicos da estação levando consigo um HD de armazenamento. A) B) 18 . para que este armazene novos registros de sismicidade caso existam.UnB. A) B) Figura 24 .

 Excel I – Básico. para aprimoramento das habilidades individuais e aumento da produtividade.1. Painel do estagiário Resumisse no desenvolvimento de um trabalho realizado em paralelo com as atividades de estágio que pode ter como base a aplicação de uma melhoria na organização. proporciona à força de trabalho da empresa um sistema de educação corporativa online.  Como preparar apresentações de sucesso. 5.  Ética profissional. em parceria com a Rede DTCOM. Educação Corporativa e Rede DTCOM A Educação Corporativa Eletrobrás Eletronorte. Oferecendo programas de aprendizagem contínua. que converge TV digital via satélite.  Excel I – Intermediário. 19 . e Internet. 5. possibilitando o acesso integral aos dois pilares da educação à distância: conteúdo e tecnologia. Os cursos realizados durante o período de estágio são descritos abaixo:. Os cursos da DTCOM são estruturados em competências e destinados a potencializar o trabalho dos colaboradores.2.5 ‒ ATIVIDADES COMPLEMENTARES São atividades que visam enriquecer ainda mais o estágio ofertado pela empresa refletindo em uma dinâmica educacional e demonstrativa do crescimento do estagiário bem como sua interação com o setor destinado. logístico ou ferramenta operacional em um ou mais setores específicos ou descrever uma atividade de extrema importância realizada durante o período de estágio demonstrando a aplicação de conhecimentos específicos sob a orientação de um profissional. planejamento.  Licitações e Contratos I e II. de acordo com as necessidades de treinamento do mercado e das mudanças e tendências em gestão empresarial.

Além de proporcionar os conhecimentos específicos da área de atuação. Entretanto no decorrer do estágio supervisionado é necessário haver diálogo entre o profissional experiente da área e o estagiário. das suas principais partes constituintes. pois o estágio ainda é caracterizado como uma fase de aprendizagem. no entanto acrescentou o conhecimento dos materiais e método executivo para o mesmo. Neste período de estágio supervisionado foi possível vivenciar diversas etapas de execução de serviços importantes permitindo a partir desses. Instigando ao futuro engenheiro raciocinar de maneira rápida e eficaz para tomada de decisões ou indagar a decisão de terceiros com argumentos plausíveis. 20 . é possível ainda. Com o estágio supervisionado.Tucuruí. É também importante ressaltar a relação interpessoal para o crescimento do futuro profissional ensinando-o a trabalhar em equipe e entender a importância de sua função. entender que cada atividade ou serviço a ser realizado está sujeito a problemas de diversas origens.6 ‒ CONCLUSÕES Pode-se afirmar que o estágio supervisionado proporciona situações realísticas para complementar as atividades realizadas durante a graduação e a vivência de um dia a dia de uma empresa reforçando o cotidiano da profissão. e planejamento. logística de operação e a sua zona de influência. o período de estagio oportuniza conhecimento a cerca da própria UHE. potência gerada. A aplicação da teoria para realização de uma determinada tarefa reflete a capacidade e o conhecimento até então obtidos. com uma explicação clara e direta das atividades para que a mesma proporcione uma experiência satisfatória. obter-se experiência e aprendizado que envolveu áreas relevantes da construção civil tais como orçamento.

F.: Avaliação de instrumentos para auscultação de barragem de concreto. ELETRONORTE. São Paulo.A. 2006. Dissertação de mestrado. Linha de produtos 2008. Segurança de Barragens na Eletrobrás Eletronorte. Manual de Manutenção. Outubro de 2012. MC-Bauchemie Brasil. S. G. MATOS. M. 2008 . Seminário de Grandes Construções – 54º Congresso Brasileiro de Congresso. Universidade Federal do Paraná. 2002. 21 . Curitiba – PR. LUZ. Maceió-AL. MC-Bauchemie. Relatório de Inspeção Técnica nas Estruturas de Concreto da UHE Tucuruí . Fevereiro de 2009. Estudo de caso: deformímetros e tensômetros para concreto na barragem de Itaipu. BRASIL.7 ‒ REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRASIL.Eletronorte Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.