Você está na página 1de 3

Princpio da insignificncia

REQUISITOS
DO
PRINCPIO
DA

STF

STJ

a) mnima ofensividade da
conduta do agente;b)
nenhuma periculosidade
social da ao;
c) reduzidssimo grau de
reprovabilidade do
comportamento;

a) conduta minimamente
ofensiva;b) ausncia de
periculosidade do agente;
c) reduzido grau de
reprovabilidade do
comportamento;

d) inexpressividade da
leso jurdica provocada
(veja HC 84.412-SP).

d) leso jurdica
inexpressa

INSIGNIFICNCIA

Reincidncia/Maus
Antecedentes/Habitualidade

Consideraes sobre a
capacidade financeira da vtima

Crimes contra a ordem


tributria (descaminho,
apropriao indbita
previdenciria, sonegao fiscal)

No cabe a insignificncia
(HCs 123734, 123533 e
123108), mas se admite o
regime aberto ou penas
alternativas substitutivas. A
mesma orientao vale para
o furto qualificado.

Tem julgados que


admitem e julgados que
no admitem no caso de
reincidncia.

A expressividade da leso
tem que levar em conta a
capacidade financeira da
vtima

A expressividade da leso
tem que levar em conta a
capacidade financeira da
vtima

Admite e funciona
considerando insignificante
penal sempre que o tributo
iludido for de valor inferior
ao valor mnimo
considerado pela Unio
como referncia para
dispensar a execuo fiscal
(R$ 20.000,00 conforme o
art. 20 da lei 10522/02 c.c.
Portaria 75/2012 do
Ministrio da Fazenda

Admite e funciona
considerando
insignificante penal
sempre que o tributo
iludido for de valor
inferior ao valor mnimo
considerado pela Unio
como referncia para
dispensar a execuo
fiscal (R$ 10.000,00
conforme art. 20 da lei
10522/02)

STF: HC 120.617/PR, Rel.


Min. Rosa Weber, Primeira
Turma)
Contrabando

Crimes contra a Administrao

Moeda Falsa/F Pblica

Posse de droga para uso pessoal

Trfico de Drogas

Rdio Clandestina

No admite pela
considerao do desvalor
da conduta

No admite pela
reprovabilidade da
conduta

Admite por ausncia de


magnitude do injusto
(insignificncia objetiva)

No admite porque a
ofensa a moralidade
administrativa relevante
independente da
contundncia objetiva do
ato

No admite, pois a
falsidade independe do
valor posto em circulao a
partir do valor de face da
moeda ou do nmero de
cdulas colocadas em
circulao

No admite uma vez que


a f pblica no admite
mensurao

No admite (em regra),


pois impossvel se falar
em ausncia de
periculosidade social da
ao em crimes
relacionados a
entorpecentes (crime de
perigo presumido)

No admite pois
impossvel se falar em
ausncia de
periculosidade social da
ao em crimes
relacionados a
entorpecentes (crime de
perigo presumido)

No admite pois
impossvel se falar em
mnima ofensividade da
conduta do agente em face
da pouca quantidade de
droga apreendida ou em
ausncia de periculosidade
social da ao em crimes
relacionados a
entorpecentes (crime de
perigo presumido)

No admite por ser um


crime de perigo abstrato

No admite (em regra) pelo


elevado coeficiente de
danosidade no caso uma
vez ser comprovado a
possibilidade de
interferncia segurana
no trfego ereo

No admite pois no h
que se falar em mnima
ofensividade da conduta
ou reduzido grau de
reprovabilidade

Crime Ambiental

Admite

Admite

Você também pode gostar