Você está na página 1de 37

ESCOLA TÉCNICA POLICURSOS

Técnico em Eletrônica de Automação e Controle

LUÍS ANDRÉ GONÇALVES

RELATÓRIO
DE
ESTÁGIO

Mogi das Cruzes


2003
LUÍS ANDRÉ GONÇALVES

Relatório de Estágio

TÉCNICO EM ELETRÔNICA DE AUTOMAÇÃO


E CONTROLE
BRINQUEDOS BANDEIRANTE

________________________
Supervisor Walter Polansky

___________________________
Estagiário Luís André Gonçalves
Agradecimentos

Agradeço primeiramente a Deus pela saúde e força que


tenho, pela minha família por ter me apoiado e todas as
pessoas que contribuíram direta e indiretamente para
realização desse período, que foi de tamanha
importância para o meu aprendizado técnico e social.
Histórico

O que Originou o Nome Brinquedos Bandeirante?


Homenagear a história de um movimento de homens que mudou o rumo da história do país.
Aventureiros que se embreavam nas matas atrás de índios e ouros e que tiveram seus nomes
marcados na história. Em uma tradução mais universal Bandeirante significa escoteiro
feminino, porem em nosso caso Bandeirante é sinônimo de desbravador, empreendedor.

Nascimento e Evolução da Empresa

Nossa empresa é familiar, constituída por 03 sócios sendo eles o Sr. Manuel Francisco de
Almeida, Sr. Pedro Pucci e o Sr. Cyro de Souza Nogueira, foi fundada em 11 de julho
de 1952, na cidade de São Paulo, no Bairro da Moóca. Após alguns anos mudamos para
V.Ema, que hoje é nosso escritório administrativo e comercial.
Estamos em Ferraz de Vasconcelos desde 29 de março de 1974, em uma área total de
600.000 m2 e área fabril de 100.000 m2, onde contamos com aproximadamente 1.000
colaboradores.
Exportamos nossos produtos para toda América do Sul e importamos da China e Japão
peças como catracas, pneus, motores elétricos, baterias e correntes para bicicletas.
Nossos principais clientes são Casas Bahia, rede Extra, Carrefour, Wal Mart, Magazine
Luiza (Franca), Lojas Colombo (RGS), Gazim (PR), Hi-Happy, Ponto Frio, Bom Preço
(Recife / Salvador), Casa e Vídeo (Rj) e muitos outros.

Produção

Nossa produção restringe a brinquedos sobre rodas, brinquedos pedagógicos e puericultura.

Objetivo
Nosso maior objetivo é aperfeiçoar a qualidade dos nossos produtos e, para isso contamos
com a participação de nossos colaboradores para que nossos brinquedos sejam fabricados
com qualidade e segurança , pois serão usados por crianças.

Missão da Empresa

Desenvolver produtos que estimulam a coordenação motora, o senso de direção e o


conforto com total segurança .
Proporcionar à criança a sensação de liberdade e a independência de controlar seus próprios
movimentos, contribuindo para um crescimento saudável e divertido, garantindo
tranqüilidade para seus familiares.

Fábrica Situada em Ferraz de Vasconcelos com 600.000 m2 de área total e 100.000 m2 de


área fabril
Produtos fabricados pela Brinquedos Bandeirante
2518 - Moto Vulcan (preta) - Elétrica 6V

- Design no estilo "Harley Davidson", com super carenagem e pára-brisa


- Câmbio com duas marchas (frente e ré)
- Movida à bateria selada de 6V (acompanha carregador 127/220V automático)
- Rodas largas com capas de P.V.C antiderrapante: oferecem maior aderência,
durabilidade e evitam ruídos excessivos durante o movimento
- Fusível de proteção do motor
- Estrutura com dupla camada (garante maior durabilidade)
- Fiação totalmente embutida, garantindo maior segurança para a criança e
tranqüilidade para os papais
- Velocidade aproximada: 4 km/h
425 - F 1 Racer (prata)
Um F1 super espaçoso, para a garotada curtir as emoções das corridas!

- Anel de P.V.C. antiderrapante nas rodas traseiras e dianteiras para melhor tração -
Estrutura monobloco com dupla camada (garante maior durabilidade) - Tração pelo
sistema Cardan (mais conforto e agilidade ao pedalar)
482 - EcoJipe – Vermelho
Diversão e aventura para a alegria da criança!

- Capô abre e tem espaço para a criança guardar seus brinquedinhos


- Compartimentos laterais para guardar objetos
- Rodas largas estilo Off-Road com aro antiderrapante em borracha
- Volante com buzina
551 - Kid Seguro
Desenvolvido ergonomicamente para elevar a posição da criança no assento do carro

- Prático e confortável, desenvolvido ergonomicamente para elevar a posição da


criança no assento do carro, permitindo que o cinto de segurança fique na posição
correta: no peito criança e não no pescoço.
- Novo tecido xadrez
- Apoio de braços para total conforto da criança durante o passeio
- Proteção lateral para garantir maior equilíbrio nas curvas

Máquina Sopradora TRC- 10 Litros

Dados Técnicos da Máquina


Extrusora

Rosca- Ø 60mm
Relação- 21:1 L/D
Rotação da rosca- 0-90 rpm
Capacidade de plastificação- 60 kg/h
Acionamento- 25 cn
Calefação- 16 kW
Zonas de aquecimento- 3

Cabeçote 5.000/8.000 TRC


Capacidade do acumulador- 1.500 cm3
Calefação- 10 kW
Zonas de aquecimento- 3
Trafila Ø máximo- 150/200 mm

Mesa de Moldagem
Volume máximo- 10 litros
Força de fechamento- 11 ton
Abertura máxima- 730 mm
Abertura mínima- 222 mm
Dimensões entre colunas- 450x600 mm

Sistema Hidráulico

Motor da bomba- 10 hp
Bomba da centralina- 3,5 kW
Pressão de trabalho máxima- 100/140 kgf/cm2
Pressão de sopro- 1-7 kgf /cm2

Consumo Médio

Água- 2,5 m3/h


Ar- 8 kp / cm2 0,5 m3/h
Elétrico- 30 kW

Painel

Calefação- aparelhos transistorizados


Comando- microprocessador Atos MPC 506
Programador- eletrônico parison Moog P 25

Refrigeração
Alimentação- água a 20ºC
Canhão- Ventoinhas de ar circulante
Tanque de óleo- água através de intercambiador de calor

Redução

Engrenagens e pinhões- helicoidais com dentes retificados


Relação RPM da rosca- 1:18

Energia Instalada
Motor da extrusora- 14,72 kW
Motor da bomba- 7,36 kW
Calefação (canhão)- 16 kW
Calefação (cabeçote) 7 kW
Peso total do equipamento- 6.000 kg

Informações Gerais
1- Esta máquina é dotada de grande versatilidade de trabalho, pois o movimento
entre a mesa e a extrusora são servo assistido permitindo com isso uma rapidez de
ajustagem a cada troca de molde.
São estes os movimentos:

- Translação horizontal da mesa sobre os trilhos.


- Deslocamento longitudinal da extrusora.
- Deslocamento vertical da extrusora.
- A remoção de peças sopradas é realizada pelo operador.
- A espessura do parison é controlada por um programador que trabalha em
conjunto como cabeçote acumulador.
- A alimentação da matéria prima na máquina pode ser feita por um alimentador
automático (opcional).

2- Hidráulica

A máquina é dotada de duas bombas, que são:


- Bomba de palheta vazão regulável tipo lpv2v4-10/32 RAOMC160 A1
Função: Acionar os cilindros de fechamento e injeção do material
- Bomba de palheta vazão regulável tipo lpv2v4-10/20 RAI MC160 A1
Função: Acionar o circuito hidráulico do programador de parison

3- Circuito Hidráulico da Máquina

O circuito hidráulico aciona os cilindros de fechamento da mesa e o pistão de


injeção do cabeçote acumulador tipo F.I.F.O (first in first out) primeiro que entra
primeiro que sai, o qual será detalhado posteriormente.
-Quantidade de óleo no tanque: 300 litros
- Tipo de óleo usado na Brinquedos Bandeirante: Mobil AW68(ISO), faixa de
temperatura ambiente de 50 a 65ºC sistema quente.

4- Circuito Hidráulico do Programador de Parison

Este circuito tem a finalidade de acionar a servo válvula do programador,


controlando a espessura da mangueira (matéria prima) a ser injetada na saída do
cabeçote acumulador; uma bomba recalca o óleo para um acumulador hidráulico de
bexiga.
Temperatura do óleo em regime: 65ºC
OBS: - Importante: antes de montar a servo válvula para iniciar o trabalho com o
programador de parison o óleo do reservatório deverá sofrer um processo de
filtragem no próprio circuito durante 24 horas com o filtro, isso só na instalação da
máquina.
5- Circuito de Resfriamento Hidráulico

O Circuito de resfriamento de óleo, visa promover uma redução da temperatura no


tanque de armazenamento do circuito hidráulico.
Temperatura do óleo em regime: 65ºC
Trocador de calor: Piro 8-750
Vazão de água necessária: 10 m3/h
Temperatura da água na entrada do trocador de calor: 20ºC
OBS:-Importante: para maior segurança do sistema hidráulico, existe um termostato
instalado no tanque de armazenamento, e é regulado para temperatura máxima do
óleo (60ºC), evitando assim super aquecimento do circuito, assim sendo a bomba
desliga automaticamente. No caso de existir falhas no circuito de resfriamento,
existe uma luz de aviso no painel elétrico que indicará que se isso ocorrer.

6- Cabeçote Acumulador

O cabeçote utilizado é do tipo acumulador, baseado nos princípios First in first out
(F.I.F.O). A tecnologia deste cabeçote permite alcançarmos tempos mínimos de
injeção (chute) proporcionando também uma melhor plastificação do material,
assim como, uma grande facilidade na limpeza do material plastificado.
A injeção do material é feita através de um êmbolo acionado hidraulicamente como
já foi mencionado anteriormente, a espessura do parison é controlada através de um
programador que programa o perfil da mangueira ao longo de seu comprimento.
Dispomos de uma saída de ar (ar de apoio), situada no centro do cabeçote,
utilizando ar seco, filtrado e regulado para realizar o pré-sopro de peças durante o
chute da mangueira até o completo travamento da mesa.
OBS:- Importante: quando houver problemas com programador de parison,
interrompendo o uso da máquina, poderemos trabalhar sem o programador, como
segue:
- Mude a chave seletora do painel para posição sem programador.
- Fixe a abertura necessária do cabeçote por meio de três parafusos situados na parte
superior do mesmo.
- Regule os sensores fim de curso 01 e 02 determinando assim o volume de material
a ser injetado
- Inicie a produção sem o uso do programador.

7- Pneumática

A máquina é dotada de componentes pneumáticos comandados pelo CLP e que são


necessários para um bom funcionamento.
Para tanto se faz necessário uma instalação de ar comprimido capaz de suprir
adequadamente a demanda requerida.
Vazão de ar exigido: 6000 l/h
Pressão de serviço: 7 kp/cm2
OBS:- Importante: para o bom funcionamento do sistema que o ar comprimido seja
seco.

8- Calibrador e Alargador

Com a utilização do equipamento calibrador e alargador de mangueira pode-se


soprar peças grandes e com gargalos fora de centro, pois graças ao sistema
desenvolvido alcançamos uma grande versatilidade no equipamento.A seqüência de
comando é a seguinte: O CLP emite um sinal para que os dois cilindros (pneumático
e hidráulico) sejam acionados verticalmente, sendo que existe ainda o recurso de um
controle de retardo desta subida. Após o fim de injeção ou chute,dois cilindros
pneumáticos acionam no sentido horizontal o alargamento da mangueira, também
com o recurso de um retardo deste movimento.

9- Mecânica

Um dos componentes primordiais de uma extrusora para termoplástico é sem


dúvida o cilindro de extrusão (canhão).
Utilizamos na construção da máquina cilindro de aço-liga nitretado a gás,com
grande resistência ao desgaste atingindo dureza de 58 a 60 HRC preenchendo com
isto os requisitos para o processo de plastificação.
O aquecimento do cilindro para transformação de termoplástico é feito através de
resistências elétricas. A cada duas resistências ligadas em paralelo, é tomada uma
zona de aquecimento por intermédio de um termoelemento que ligado ao pirômetro
montado no painel, permite o controle individual de cada circuito, sendo estes do
tipo liga/desliga de banda proporcional.
Cada circuito passa através de um contator e chave disjuntora o que dá máxima
proteção ao sistema.
O arrefecimento é feito por ventoinhas de ar, também com sistema individual em
cada zona.

10- Redutor

O redutor utilizado para o acionamento mecânico é para o seguinte movimento:


Acionamento da extrusora
As faixas de lubrificação indicadas para o redutor especificam que deverá ser
utilizado óleos com especificação ISO VG 220 – Mobil Rarus 427.

11- Eletrônica

Todos os acionamentos da máquina são comandados eletronicamente por meio de


um CLP e os sinais serão receptados através de sensores de aproximação.
A utilização do CLP confere à máquina uma grande performance alcançada na
regulagem,comando de movimento e uma facilidade na identificação de possíveis
defeitos de comando,pois através de leds e mais um código e o esquema de
programação de memória verifica-se o acionamento de cada movimento.

12- Conjunto de Velocidade Varíavel (Varimot)


É constituído, de motor assíncrono normal de 4 ou 6 pólos, acoplado a uma
embreagem eletromagnética. Esta é composta basicamente de um ventilador que é
acionado diretamente pelo motor acionador, um rotor no qual está ligado o eixo de
saída do variador e uma bobina fixa de campo.
Na medida em que se varia a excitação da bobina, esta provoca um aumento ou
diminuição do fluxo magnético, que por sua vez modifica a força de arraste da
aranha, proporcionando assim um controle contínuo da velocidade de saída com
aceleração suave, sem trancos, independentemente da carga.
Sua velocidade é comandada através de controle eletrônico transistorizado, que
acionado por comando remoto (botoeira), permite variações de 0 a 1600 RPM que
está sendo girada a rosca do equipamento.

-Dados Técnicos do Variador de Velocidade:

 Motor – trifásico de 30 cv
 RPM - 1750
 Volts – 220 / 380 / 440 / 760
 Hz – 50 / 60
 Pólos – 4
 Marca - Varimot
 Modelo do variador – VAF - D
 RPM do variador – 0 a 1600
 Refrigeração – ar

Nesta figura a seguir mostramos a desmontagem do variador e seus componentes,


mecânicos e elétricos.
fig. 1

A figura a seguir mostra a ligação elétrica para controle do variador de velocidade.


fig. 2

O motor elétrico acoplado ao variador tem um esquema de partida muito


interessante e pouco conhecida, ‘Partida Estrela Série-Paralelo (Y-YY).
Para esse tipo de partida , o motor parte com tensão reduzida. A chave série-paralelo
proporciona uma redução de corrente elétrica para 25% do seu valor para partida
direta.
Apropriada para cargas com partida necessariamente em vazio, pois o conjugado de
partida fica reduzido a ¼ de seu valor para tensão nominal (partida direta), este tipo
de chave é utilizada para motores de 4 tensões e no mínimo 9 cabos. Na partida
executa-se a ligação estrela série (apto a receber 760 V) e aplica-se tensão de
estrela-paralelo (380 V), para isto o motor deve ser 220/ 380/ 440/ 760 V, ou 380/
760 V, a tensão da rede deve ser 380 Volts. Exemplo:

13- CLP Atos MPC 506


O MPC 506 é um controlador programável de média capacidade destinado ao
controle de equipamento industrial ou controle de processos. O MPC é programado
através de diagrama de relés e suas principais funções são temporizações,
contagens, operações lógicas “OR”, “AND” e “NOT”, acionamento de saídas,
sinalizações led, operações de conversões A/D e D/A.

O controlador programável MPC 506 oferece:

- Estrutura modular: a unidade de processamento, fonte de alimentação e os


módulos de entrada e saída são facilmente alojados no bastidor (B 519), o qual deve
ser instalado em placa de montagem.

- Estrutura de entrada / saída flexível: qualquer módulo da série MPC 506 pode ser
inserido nos “slots” disponíveis.

- Tempo de varredura: 20 a 30 ms típico.

- Capacidade de memória: 2048 passos de programa.

- Capacidade de endereçamento: 256 entradas / saídas / estados internos /


temporizadores, contadores.

- Auto diagnóstico:são executados vários programas de teste possibilitando detectar


falha de memória de programa, falha de memória RAM e falha de varredura.

• Falha de Memória de Programa – um programa especial permite verificar a


consistência do programa de usuário, detectando seqüência de instruções
inadequadas ou códigos de operação inexistentes.

• Falha de Memória RAM – através de escrita e leitura de dados de teste é


possível à verificação de seu bom funcionamento.

• Falha de Varredura – através de um watchdog timer (WDT) é possível à


detecção de eventuais falhas de processamento, providenciando o desligamento
das saídas do sistema evitando-se desta maneira operações indesejadas.

O controlador programável MPC 506 é de fácil instalação e manutenção. A


Construção modular assegura um tempo de parada mínima portanto um máximo de
de produtividade.

-Descrição do Hardware
Esta seção descreve os componentes do MPC 506, cada componente foi projetado
para ser montado ou substituído em poucos minutos. O MPC é formado pelos
seguintes componentes :

• Módulo de fonte de alimentação

• Módulo de processamento

• Módulo de entrada e saída

• Bastidor

• Cabos de ligação

• Frontal de teclado e sinalização


14- Programador de Parison Moog P 25

Programar o parison significa variar a espessura da mangueira de plástico enquanto


a mesma é extrudada.
Existem dois tipos de programadores parison:

- Extrusão contínua.
- Extrusão por acumulação

A Brinquedos Bandeirante utiliza a extrusão por acumulação, com o programador


Moog P 25.
Figura do programado Moog P 25:

Todo programador parison por acumulação tem seus ajustes no próprio painel.
1- Ajuste da quantidade de material:

1.1- Carga:

Ajusta o volume de material que deve ser acumulado para forma a peça.

1.2- Colchão:

Determina a quantidade mínima de material que deve ficar dentro do acumulador após
a injeção do material. Estes ajustes são encontrados apenas nos modelos atuais.

1.3- Início de Programa:

Determina um atraso no início da programação em relação ao início da injeção do


material. Neste tipo de programador não é usado.

1.4- Fim de Programa:

Determina um atraso no fim da programação, isto é, o programa atinge o último ponto,


porém a máquina contínua injetando. Assim como o anterior não é usado.

2- Ajustes de Espessura:

2.1- Peso ou Espessura Base:

Determina a abertura mínima da ferramenta.

2.2- Escala:

Atenua (limita) a ação dos potenciômetros de programa durante o “chute”.

2.3- Potenciômetros de Programa:

Desenham a curva de programação para uma correta distribuição de material.

2.4- Espessura de Retorno ou Espessura Total:

Determina uma abertura constante da ferramenta durante a acumulação.

3- Indicações Visuais (Leds):

3.1- Ligado:

Indica que o programador está energizado.


3.2- FCI (Fim de Curso Inferior):

Indica o final da injeção de material. Neste momento, o programador envia um sinal


para a máquina (contato seco NA ou NF) indicando que está pronto para a acumulação
de material.

3.3- Acumulador Enchendo:

Indica que a máquina está acumulando material. Nos programadores P25, P25C, P50,
existe a indicação de ESPESSURA DE RETORNO logo acima do ajuste do painel
frontal. Deve-se observar que o sinal de ESPESSURA DE RETORNO pode ter um
certo retardo com relação ao sinal de FCI (selecionado e ajustado internamente).

3.4- FCS (Fim de Curso Superior):

Indica o final da acumulação. Neste momento o programador envia um sinal para a


máquina (contato seco Na ou NF) indicando que está pronto para injeção e
programação.

3.5- Bargraph:

Indica a abertura da ferramenta durante todo o processo (injeção e acumulação). Nos


programadores P25, P50, o bargraph pode indicar tanto a posição da ferramenta,
quanto à posição da haste do transdutor de posição do acumulador, sendo que a
seleção é feita através de uma chave localizada no painel de controle.

3.6- LEDs de Programa:

O LED aceso indica que, na injeção, o respectivo ponto está controlando a ferramenta
na acumulação, apenas indicam a posição da haste do transdutor de posição do
acumulador em relação ao início do programa.
Observação: Para todo este funcionamento é necessário que tenha uma eletro-válvula,
chamada de SERVOVÁVULA, bem regulada e calibrada com o programador, para
obter um bom funcionamento do sistema.
A figura a seguir mostra o esquema hidráulico do programador:

Trabalho de Melhoria
Sopradora TRC- 10 Litros

Este trabalho foi realizado com a finalidade de se obter um melhor


resultado no custo e benefício dos produtos a serem produzidos pela
máquina, principalmente na produção e manutenção do equipamento.
A manutenção, seja ela mecânica ou elétrica, é um dos pontos que a
Brinquedos Bandeirante tem o intuito de desenvolver, melhorando assim
também os seus equipamentos, seja trocando-os ou implementando
trabalhos de melhoria como o realizado na máquina em questão.
Este trabalho de melhoria que foi realizado neste equipamento, foi o
primeiro a ser feito pela nossa equipe de manutenção, 80 % realizado por
nós, e 20 % realizado por terceiros com o acompanhamento da equipe de
manutenção da Brinquedos Bandeirante.
No início do trabalho realizado nesta máquina, houve algumas dificuldades
com relação ao tipo de material e equipamento a ser utilizado na máquina,
mas no decorrer dos dias e através de consultas aos fornecedores de
equipamentos já conhecidos por nós. Hoje pode-se concluir que não foi tão
difícil assim, com isso, já temos planos para outros trabalhos de melhoria
em mais equipamentos da Brinquedos Bandeirante.
- Equipamentos que foram utilizados no trabalho de melhoria:

 Controlador Lógico Programável Atos MPC 4004

 IHM Atos 2002.96 (gabinete de plástico)

 Inversor de Freqüência da Reliance Electric GV 3000 / SE (Rockwell)

 Redutor da linha Helicon (Cestari)

- CLP Atos MPC 4004


MPC 4004 é uma família de microcontroladores programáveis incorporando além das
tradicionais funções de relés, temporizadores e contadores, um avançado conjunto de
instruções tais como operações aritméticas (+, -, x, ÷), comparações, transferência de
dados, transferência de blocos de dados, conversões BCD para binário, binário para
BCD, calendário impressão de dados, jump, call, etc...
Os módulos de processamento incorporam dois canais seriais de comunicação, sendo
um no padrão RS 232 e o outro no padrão RS 485, tanto para comunicação local para
troca de dados como para programação de usuário.

Características Gerais do MPC 4004:

 Tensão de alimentação nominal - 93 a 250 Vca, 50/60 Hz ou 24 Vcc ± 20%

 Falta momentânea de energia permissível - máximo 50 ms

 Isolação óptica - 1500 Vca entre alimentação ou terminal de E/S e terra

 Temperatura de operação - 0 a + 55 ºC

 Vibração - 5 a 50 Hz /0,625 G (0,1 mm pico a pico)

 Imunidade a ruído - conforme Nema Standard ICS 2-230

 Indicadores Led - entradas (verde); saídas (vermelho); STS (vermelho)

 Método de programação - diagrama de relés

 Interface homem-máquina - frontal de teclado/display LCD

 Capacidade de programação - 12 K bytes

 Tempo de varredura - 6 ms/K (típico)

 Temporizadores / Contadores -
32 (controlados pelo firmware: resolução de 0,01s)
02 (controlados pelo firmware: resolução de 0,001s)

 Interface de comunicação - padrão RS 232 / RS 485


MPC 4004 Atos

- IHM Atos 2002.96


A Interface Homem-Máquina é indispensável para garantir uma iteração perfeita no
controle automatizado.
A Atos desenvolveu vários modelos de interface, o modelo 2002.96 foi usado em
nossa máquina, pois foi o que mais se ajustou em nossa programação e utilização

Características do IHM 2002.96

 Contém um display de cristal líquido composto por 2 linhas de 20 caracteres,


teclado numérico

 12 botões (tecla F) e 10 botões (tecla K) de uso geral.

 12 Leds de sinalização.

 Tempo de varredura típico - 6 ms/k

 Números de flags internos - 1024

 Capacidade de programação - 16 Kbytes

 Temporizadores e Contadores de firmware - 32

 Registros de dados - 1469

 Retenção de dados (sem energia) - 30 dias Ram (com capacitor Gold) /10 anos
NVRAM

 Comunicação - uma RS 232 C e uma RS 485

 Máxima capacidade E/S - 120 E digitais, 120 S digitais, 48 E analógicas e


32 S analógicas
IHM Atos 2002.96
- Inversor de Freqüência Reliance Electric (Rockwell)

Os inversores de tensão e freqüência variáveis da série GV 3000 / SE estão prontos


para instalação e disponíveis em diferentes tamanhos com correntes de saídas na faixa
de 2 a 360A. São projetados para alimentar motores de indução com velocidades
variáveis utilizando tecnologia PWM.

 Tensão de entrada - 340 VAC -506 VAC


 Limites de tolerância à tensão de linha padrão - 380-460 V ± 10%
 Freqüência de rede - 48 – 62 Hz
 Modulação - modulação por largura de pulso de onda senoidal PWM
- Redutor da Linha Helicon (Cestari)

Como foi falado anteriormente, o redutor serve para acionar a extrusora mais preciso a
rosca que fica dentro do cilindro por onde o material (plástico) passa.
A mudança que foi feita no redutor só internamente com mudanças de eixos,
rolamentos e engrenagens, com essas mudanças, nos poderemos ganhar um pouco mais
de produção.

Redutor usado anteriormente:


Tipo – H 217
Série – 137-765
Redução – 1:18

Redutor alterado
Tipo – H 217
Série – 324-145
Redução – 1:14

Lembrando que o motor de acionamento do redutor continuou o mesmo, sendo


RPM 1750, CV 30, marca Weg
Redutor Helicon (Cestari)
Conclusão

O estágio realizado proporcionou-me um ganho de conhecimento prático e


mostrou-me a aplicação de determinadas teorias ensinadas na escola.
Durante esse período foi possível acompanhar a implantação dos grupos de
autogestão, fazendo com que os colaboradores se conscientizassem dos
benefícios provenientes desse projeto.
Pode-se verificar também, as dificuldades encontradas diariamente,onde a
manutenção enfrentava os problemas decorridos na área e as soluções,alem
de apresentadas, eram desenvolvidas pela mesma.
Enfim o estágio desenvolvido na Brinquedos Bandeirante, só veio a
acrescentar a minha formação profissional.