Você está na página 1de 5

Pró-Reitoria de Graduação

Plano de Componente Curricular

1.1 Nome do Componente curricular


1.1 Nome do componente curricular: Projetos Interdisciplinares nas áreas de Comércio e Gestão 3

2. Identificação da Atividade

2.1. Data de Início: 13/02/2010

2.2. Data de Término: 21/06/2010

2.3 Carga Horária Total: 80 horas/aula

2.3.1 Carga Horária Total Presencial: 16 horas/aula

2.3.2 Carga Horária Total não presencial: 64 horas/aula

2.4 Distribuição da Carga Horária:

MÓDULO/ ASSUNTO PRESENCIAL DATA


AULA
Introdução ao Teleduc e apresentação do plano de 2h/a 13/02
Aula 1
trabalho
Formação das equipes e orientação sobre o projeto – 4h/a 27/02
Aula 2
Balanço Social
Aula 3 Acompanhamento dos projetos 2h/a 20/03
Aula 4 Correção / alterações 4h/a 24/04
Aula 5 Apresentação do trabalho final 4h/a 05/06
MÓDULO/ ASSUNTO NÃO DATA de Início de
AULA PRESENCIAL cada módulo
Visão histórica da Responsabilidade 16h/a 20/02
Módulo 1
Social (RS)
Estudo de Caso: Empresas que 4h/a 13/03
Módulo 2
praticam RS
Balanço Social (BS) e o Gestor 16h/a 20/03
Módulo 3
Financeiro
Módulo 4 Modelo IBASE 4h/a 17/04
Estudo de Caso: Empresas que 4h/a 24/04
Módulo 5
Publicam BS
Benefícios & Incentivos para o 16h/a 08/05
Módulo 6
Balanço Social
Análise do Balanço social e novos 4h/a 29/05
Módulo 7
indices / indicadores de desempenho
2.5 Freqüência às aulas presenciais: obrigatória

2.6 Número de participantes (mínimo e máximo): mínimo de 15 e máximo de 50 alunos por sala.

Projetos Interdisciplinares nas áreas de Comércio e


2.7 Público-alvo da Atividade: alunos da disciplina
Gestão 3 – Responsabilidade Social e Balanço Social

2.8 Local dos encontros presenciais: sala xxx – câmpus Seminário.

2.9 Dados Pessoais do Responsável pela Atividade.

Nome: Gustavo Benevides Colegiado: Gestão Financeira


Telefone fixo: 3418-1859 Titulação: Mestre,
Telefone móvel: 8809-3590 e-mail: gustavo.benevides@prof.uniso.br

3. Descrição da Atividade

3.1 JustificativaOs conteúdos dispostos nos módulos pretendem desenvolver habilidades e conhecimentos
necessárias para o entendimento da evolução da Responsabilidade Social (RS), o papel do Estado e da iniciativa
privada. Demonstrar a relevância da RS no contexto do desenvolvimento equitativo da sociedade, bem como
sua aplicação nas organizações. Esta disciplina é difundida em diversos cursos da Universidade e vem ao
encontro da necessidade de se estender aos discentes conteúdos contemporâneos, debatidos em âmbito global.

3.2 Ementa

1. Responsabilidade Social
2. Balanço Social

3.3. Objetivos

Permitir ao aluno a assimilação de conceitos e o entendimento dos problemas econômicos, a partir da visão
microeconômica e macroeconômica. Dessa forma, os estudos desenvolvidos, deverão criar estímulos e
fortalecer a tomada de decisões empresariais, mediante utilização dos fundamentos econômicos.

4. Metodologia: critérios gerais

Os módulos que compõem o curso serão disponibilizados no TelEduc, ambiente virtual disponível no site da Uniso e
através do blog: http//profgustavobenevides.blogspot.com. Os participantes terão acesso a este ambiente, mediante
matrícula na disciplina, autorizada pela Secretaria Acadêmica, uma senha gerada pelo sistema no ato do aceite da
inscrição, e um login criado pelo próprio aluno, no ato da inscrição.

Os módulos serão, obrigatoriamente, numerados em algarismos arábicos e corresponderão, no máximo, a 15 dias de


aula.

Cada módulo deverá apresentar explicitamente, em local apropriado, a introdução, objetivos, ferramentas de interação
síncrona e assíncrona, exercícios e tarefas, trabalhos em grupos e individuais, pesquisas e a forma como serão feitas
as avaliações de cada módulo.

Todas as atividades propostas aos alunos terão data limite para entrega, explicitadas no momento da solicitação das
tarefas, assim como as respostas e comentários do professor.

O ambiente oferecerá ao aluno opções de interatividade que o auxiliarão a fazer uma auto-avaliação da aprendizagem.
Os conceitos não compreendidos pelo aluno, detectados por ele durante a realização das atividades, deverão ser
encaminhados ao professor nos locais apropriados, dentro da sala de aula virtual: Fórum, Mural, Portfólio, Sala de bate-
papo e Correio.

Nestes espaços o professor procurará esclarecer as dúvidas do aluno e, caso necessário, sugerir exercícios
complementares.

As dúvidas que não puderem ser esclarecidas desta forma poderão ser sanadas no Plantão de Dúvidas, conforme
agenda do curso. (vide acima)

Todas as outras dúvidas que não envolvam conhecimentos específicos sobre o componente curricular serão respondidas
pelo tutor do curso.

Caberá ao tutor também, promover a interação entre os alunos, manter o grupo coeso e interessado e zelar para que o
ambiente virtual torne-se um ambiente de aprendizagem colaborativa e participativa. A participação do tutor, no curso,
será diária, nos dias úteis.

Poderão ser agendadas pelo tutor e/ou pelo professor, sessões de interação síncrona (bate-papo) dentro da sala virtual.
Os horários das sessões serão acordados entre os participantes.

Eventuais mudanças e alterações na programação, administração e conteúdo do curso poderão ser feitas, desde que
atendam a todos os alunos e no melhor juízo do professor do componente curricular.

5. Avaliação: critérios gerais

A avaliação será feita segundo os critérios regimentais da Uniso e o conceito final será apresentado em forma de
conceitos.

O conceito “A” corresponde ao aproveitamento total, pelo aluno, dos objetivos propostos; o conceito “B” corresponde ao
aproveitamento suficiente dos objetivos e o conceito “R” ao aproveitamento insuficiente, pelo aluno, dos objetivos
propostos no componente curricular.

A menção final é o juízo que o professor fará do aproveitamento do aluno, considerando os seguintes instrumentos de
avaliação:

- provas presenciais abertas (não de múltipla escolha);


- resolução de exercícios;
- trabalhos individuais (produção de textos e reflexões);
- trabalhos em grupo (pesquisas e seminários)
- participação nas discussões e sessões de interação síncrona e assíncrona propostas.

Obs. Será realizada, ao menos, uma atividade de auto-avaliação.

1- A falta às provas e às atividades presenciais, assim como atividades entregues fora do prazo ou não entregues, serão
analisadas pelo professor, levando em conta as justificativas do aluno. O professor poderá, a seu critério, solicitar novas
atividades, trabalhos ou provas que lhe forneçam elementos para avaliação do aluno.

2- As atividades propostas oferecerão a possibilidade de o aluno verificar a exatidão de suas respostas ao final de cada
exercício na sala de aula virtual. Caso o aluno não tenha acertado, existe a possibilidade de novas tentativas. Há
também a possibilidade de o aluno consultar, clicando no botão apropriado, a demonstração dos exercícios resolvidos
pelo professor.

3- Os trabalhos de pesquisa individuais e em grupo serão acompanhados pelo professor e pelo tutor e, ao final, poderão
ser enviados para a sala virtual para discussões e comentários de todos os participantes do curso, ou apresentados
presencialmente, conforme determinado pelo professor.

4- As participações nas discussões desenvolvidas nos diversos ambientes do curso são registradas e quantificadas pelo
programa TelEduc. O professor poderá considerá-las não apenas quantitativamente, mas também pela qualidade das
interações, das idéias e opiniões do aluno. Esses dados auxiliarão o professor na composição do perfil do aprendiz e
composição do conceito final.
5- O TelEduc guarda registro de todas as participações de professores e alunos, em todas as sessões. Esses registros
servem como parâmetro para o acompanhamento da participação dos alunos e de seu processo de aprendizagem.

Os instrumentos de avaliação mencionados serão utilizados de duas formas:

a) avaliação diagnóstica: propicia ao professor, através de provas abertas (não de múltipla escolha) presenciais,
avaliar o crescimento do aluno e a sua capacidade de aplicação dos conceitos desenvolvidos nos módulos
estudados;
b) avaliação formativa: propicia ao professor e tutor acompanharem o desenvolvimento do aluno. Neste caso, o
professor atuará como facilitador do processo de aprendizagem. O tutor fará o acompanhamento diário das
dificuldades do aluno, procurando auxiliá-lo e motivá-lo.

Obs.: O processo avaliativo será dialógico entre professor, tutor e aluno . Ele será conduzido na forma de
orientações, sugestões e comentários. Algumas atividades desse processo poderão também receber uma menção
parcial de aproveitamento. Ao final do curso, o professor emitirá juízo final, individualizado, na forma de conceito A, B
ou R, sobre todo o processo de ensino-aprendizagem desenvolvido.

Obs.: Na modalidade de ensino semipresencial, o papel do aluno como agente da sua aprendizagem é reforçado.
Isto significa que ele deve procurar estar sempre consciente e atento às suas dificuldades de aprendizagem e
usufruir todas as facilidades de interação e comunicação que a tecnologia e o Setor de EaD oferecem através do
serviço de tutoria.

Considerações finais sobre a avaliação:

Os diversos tipos de avaliação, serão levados em consideração, todos os conceitos , avaliação, participação,
freqüência no curso, opinião e debate será levado julgado e somado ao conceito final. Deve-se salientar que os
vários instrumentos de avaliação tem o caráter de somar , sendo a principal a nota da prova escrita.

Está contido também na forma de avaliar, o conceito de auto-avaliação onde seja através do Fórum de discussão ou
de formulário próprio o aluno entenderá o conceito que melhor se aplica a sua participação.
6. Bibliografia

ASHLEY, Patrícia A . Ética e responsabilidade social nos negócios. Ed. Saraiva.

CARVALHO, Luiz Nelson Guedes de, SANTOS, Ariovaldo dos. Balanço social: um indicador de
excelência. In Revista Exame, set/1997.

COUTINHO, L, FERRAZ, J. C. (coord.). Estudos da competitividade da indústria brasileira.


Campinas: Unicamp/Papirus, 1994. 510p.

FICHER, Rosa Maria. O desafio da colaboração – prática de responsabilidade social entre


empresas e tercerio setor. Ed. Gente, 2002.

FREIRE, Fátima de Souza. O balanço social no Brasil: gêneses, finalidade e implementação


como complemento às demonstrações contábeis. Mimeo, 1997.

FREIRE, Fátima de Souza, MOTA, Isabel. O balanço social francês e a relação de informações
sociais no Brasil: um estudo comparativo de suas motivações, finalidades e utilizações.
UFCE, s/d. Mimeo.

GONÇALVES, Ernesto Lima. Um novo instrumento de gestão empresarial: o balanço social da


empresa. In Revista de Administração, IA-USP, n.14, p.73-83, 1979.

KROETZ, Cesar Eduardo S. Balanço Social: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2000.

MELO NETO, Francisco Paulo de e FROES, César. Gestão da responsabilidade social


corporativa: o caso brasileiro. Qualitymark, 2001.

MOREIRA, Joaquim M. Ética empresarial no Brasil. São Paulo: Pioneira, 1999.

SANTOS, Ariovaldo dos, CARVALHO, L. Nelson. Balanço social, um indicador de excelência. In


Revista Exame, 10 set. 1997.

SUCUPIRA, João A."Ética nas empresas e balanço social". Revista Democracia Viva, nº6,
agosto/99. Ed. Segmento/Ibase, 1999.

__________. "A responsabilidade social das empresas" (1999). Boletim Orçamento &
Democracia - Debatendo Políticas Públicas, Ano 5, nº 9, Ibase, Junho de 1999.

TINOCO, João Eduardo Prudêncio. Balanço Social: Uma Abordagem Socio-Econômica da


Contabilidade. Dissertação de Mestrado, Departamento de Contabilidade e Atuária,
Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (USP), 1984.

Importante

O professor deverá, obrigatoriamente, entrar na sala virtual, ao menos duas vezes por semana e fazer contato com a
tutoria de sua sala, no mínimo uma vez por semana, via e-mail, telefone ou presencialmente.

Deverá também participar das reuniões mensais previamente agendadas, com toda a equipe da EaD.

Todas as atividades presenciais devem ter lista de chamada e esta lista deve, imediatamente, ser remetida à
tutoria da EaD para controle.