Crítica a teoria dos estágios: uma criança pode, na verdade, possuir a

capacidade exigida, mas falhar na tarefa porque faltam-lhe outras
habilidades que esta requer. Como resultado, as capacidades das
crianças têm sido freqüentemente subestimadas pelos teóricos dos
estágios.

Piaget – Desenvolvimento cognitivo
Nasceu na Suiça em 1896. Em sua infância e
adolescência demonstrou uma rara e precocidade
intelectual. Graduou-se em ciências sociais, mas
estudava outras ciências, com especial interesse pela
epistemologia (como o conhecimento é adquirido).
Estudava as respostas incorretas das crianças,
demonstradas nos testes de inteligência, para entender
mais sobre as idéias e os processos mentais infantis.
Desenvolveu seus estudos observando principalmente
seus 3 filhos: Jacqueline, Laurent e Luciene. Escreveu o
livro “O nascimento da inteligência na criança”, dentre
outros vários. Para Piaget, a criança nasce
biologicamente equipada para realizar uma grande
variedade de respostas motoras, que constituem a
armação para os processos de pensamento seguintes.
Faleceu em 1980, tendo trabalhado por mais de 40
anos com crianças e é considerado autoridade em
desenvolvimento cognitivo (processo gradativo da
Sigmund Freud – Desenvolvimento psicossexual
Nasceu na Áustria, em 1856. Formou-se em Medicina pela
Universidade de Viena em 1881 e logo após dirigiu-se a Paris
para estudar neurologia com o Dr. Charcot, de quem recebeu
grande influência. Voltando a Viena, trabalhaou na clínica do
Dr. Breuner, no tratamento de doenças mentais, empregando
a hipnose. Desenvolveu o método da Psicanálise que consiste
em
3 técnicas: associação livre, análise dos sonhos e análise dos
atos falhos. Desenvolveu a teoria da sexualidade infantil. Sua
concepção da mente é composta pelo id, ego e superego e
seus 3 estados de consciência pelo consciente, pré-consciente
e inconsciente. Para Freud o comportamento humano é
superdeterminado, ou seja, alguns atos são realizados, mas
de forma inconsciente. Faleceu em 1939.

O remédio . seja qual for o país ou cultura.Erik Erikson – Desenvolvimento psicossocial Discípulo de Freud. com sua tese de doutorado em 1958. As pessoas. após estudos psicanalíticos. os mesmos para todas as pessoas. como o valor da vida humana ou as razões para fazer coisas “certas”. Angela Biaggio comprovou a teoria kohlberguiana para o Brasil. Era uma forma de rádio [elemento químico altamente radioativo] que um farmacêutico da mesma cidade havia descoberto recentemente. apresentado abaixo: “Na Europa. o chamado “O Dilema de Heinz”. que o convidou a se formar no Instituto Psicanalítico de Viena. uma mulher estava quase à morte. Enquanto realizava seu trabalho. Nasceu na Suécia em 1902. o que remetia a profundas dúvidas sobre a opção mais correta que se deve tomar. Geralmente os dilemas expostos por Kohlberg expunham os entrevistados a situações limites. Ou seja. sendo um de seus mais famosos. Kohlberg criou diversos dilemas. A fim de explorar o raciocínio da criança a respeito de um problema moral difícil. Esse desenvolvimento se dá em estágios. de ambos os sexos. Desenvolveu carreira universitária nos EUA sempre trabalhando para mostrar como os eventos e as reações durante a infância preparam as pessoas para Lawrence Kohlberg – Desenvolvimento moral Concebeu a teoria do desenvolvimento moral. Erikson passou a ser analista de crianças. no início do estudo. Era pintor de quadros de crianças. de uma formação geral. estavam com idades variando entre 10 e 16 anos e foram observadas até os 30 e 36 anos. com um tipo específico de câncer. Havia um remédio que os médicos achavam que poderia salvá-la. trocava experiências com Freud. Viajava o mundo e recebeu uma proposta para pintor um retrato da filha de Freud (Anna). Teoria resultante de 20 anos de estudos longitudinais com crianças e adultos. Kohlberg faleceu em 1987. e de diferentes classes sociais. realizado em vários países.

procurou todo mundo que ele conhecia para pedir dinheiro emprestado. que representam distintos estágios do raciocínio. Heinz. p. Jane sai escondida de casa e vai ao baile. Ele pagava 200 dólares pelo rádio e cobrava 2000 dólares por uma pequena dose do remédio. Jane lava a louça. O marido da mulher doente. segundo as autoras. Cada fase possui 2 estágios: . que as pessoas podem defender a mesma ação por razões muito diferentes. apresentado.moralidade convencional: estágios 3 e 4 e . por FONTANA (1998. Mas o farmacêutico disse: “Não. por sua vez. eu descobri o remédio e vou ganhar muito dinheiro com ele”. mas os argumentos por trás das respostas sobre o que o personagem do dilema faria. apontam DE VRIES e ZAN (1998). o que define o desenvolvimento moral da pessoa é o modo pelo qual ela justifica o comportamento sugerido. Período da Meninice Começa com a entrada na escola de primeiro grau (mais ou menos 7 anos) e termina com o início da puberdade (mais ou menos 12 anos). A parte menos importante é o “sim” ou “não” das pessoas.moralidade pós-convencional: estágios 5 e 6 5. Assim. confiando o segredo à sua irmã Mary. Então Heinz ficou desesperado e assaltou a farmácia para roubar o remédio para sua mulher. e não a deixará ir ao baile. . Ele afirma.era caro para se fazer e o farmacêutico estava cobrando dez vezes mais do que ele lhe custava na fabricação. a metade do preço do remédio. sua mãe diz ter mudado de idéia. . Ele disse ao farmacêutico que sua mulher estava morrendo e pediu-lhe para vender o remédio mais barato ou deixá-lo pagar o restante depois.moralidade pré-convencional: estágios 1 e 2. 254): “ A mãe de Jane promete que ela poderá ir ao baile no sábado se lavar a louça durante a semana inteira. mas só conseguiu aproximadamente 1000 dólares. mas chegando o sábado.” Outro de seus famosos dilemas seria o dilema de Jane. Mary deve contar o fato para a mãe?” Não existe uma solução claramente correta ou incorreta para o dilema.5.

se não for encorajada a participar das atividades de seu grupo social. tocar um instrumento musical. escrever. teremos diferentes modos de visualizar essa fase: Piaget – Cognitivo Fase das operações concretas.Dependendo do teórico. esse sentimento de domínio. Entretanto. a criança desenvolve um sentimento de domínio. Começa a aprender mais sobre as questões da centralização. se não for bem sucedida em suas tentativas de participação. calcular. inclusão de classe. de saber fazer coisas. Ela já lida com conceitos como idade. classificação. espaço e tempo e a linguagem já está socializada. Freud – psicossexual Fase de latência. colecionar coisas. ao agir no mundo que a cerca. e a criança se dedica à aquisição de habilidades aceitas pelo grupo. Aprende a ler. xadrez. jogar futebol. para aprenderem de fato. devem manipular objetos concretos e não serem questionados sobre hipóteses sem realidade efetiva. Ao aprender habilidades. será substituído por um sentimento de inferioridade. na qual as emoções e os impulsos sexuais parecem aquietar-se por influência da educação. Erik Erikson – psicossocial Fase da idade da competência x inferioridade. Assim. . andar de bicicleta. Ex: aprender aritmética manipulando o “material dourado”. na qual a criança tem o desejo de sentir-se competente na aprendizagem e na realização de inúmeras habilidades. nadar. na qual seu raciocínio só é possível em relação a objetos que a criança possa ver e pegar.

ele poderia não pegar uma pena muito grande se roubasse o remédio. ou “Não. Sua preocupação nas decisões morais é agir de modo a agradar aos outros e receber aprovação. Não seria tão ruim passar um tempinho na cadeia. os atos são moralmente corretos se lhe dão prazer ou se satisfazem uma necessidade sua. ou seja se consegue tirar proveito da situação. portanto não iria adiantar ao marido roubar o remédio. Se ele deixasse sua mulher morrer. Considera ser um “bom menino”. as crianças dão “peso” a considerações subjetivas. não como uma retaliação divina e inevitável (mais ou menos o início do período da moralidade convencional em Kohlberg). pois todo mundo pensará que ele é um criminoso. Depois de roubar. etc. manter boas relações. mas a família o acharia desumano se ele não roubasse. achando que trouxe desonra para sua família e para ele mesmo. Ninguém iria pensar que ele fosse mau se roubasse o remédio. Moralidade convencional: a criança começa a entender que uma ação pode ser julgada pela intenções que a determinaram (e não por suas conseqüências). . não só o farmacêutico. Para Piaget. como as intenções de uma pessoa. ele não se deveria culpar. Respostas típicas para o caso Heinz: “Sim. e ele não poderá encarar ninguém”. se ele tivesse sua mulher quando saísse de lá”. e já começam a compreender a punição como uma opção humana. professores. mas sua mulher provavelmente morreria antes de ele sair da cadeia. Agora. Respostas para o caso Heinz: “Sim. o marido deveria roubar o remédio. ele se sentirá mal. Não leva ainda em consideração a necessidade de outras pessoas. ele nunca teria coragem de encarar ninguém”. ser aprovado pela família. a não ser se também for beneficiada. ele poderia devolver o remédio e não pegaria uma sentença muito grande. ou “Não. no estágio das operações concretas encontrase o terceiro estágio dos julgamentos morais.Kohlberg – julgamento moral Meninos e meninas estão transitando entre duas fases: estágio 2 da fase da moralidade pré-convencional e estágio 3 da fase da moralidade convencional. porque se acontecesse de ser apanhado. Se a mulher morresse. não é culpa dele que ela tenha tido câncer”. Moralidade pré-convencional: por volta dos 10 anos de idade.

suas emoções estão muito relacionadas com a afeição que a professora lhe dispensa e com suposição entre os colegas (se atrasada ou adiantada). portanto que na meninice o indivíduo é suscetível de emocionar-se por causas sociais. as classificações e a atenção da professora são causas de emoções.Comportamento Emocional Na meninice. . as notas. Vemos. Meninos e meninas vão-se separando e seus interesses diferenciam-se por influência das diferenças socialmente estabelecidas entre os sexos e das pressões sociais para que as crianças adotem comportamentos considerados adequados a seu sexo pelo grupo em que vive. a criança freqüenta os primeiros anos do primeiro grau. Nesse período.