Você está na página 1de 3

DIVERSÃO

ENREDADO NA
MADRUGADA
Passar a noite jogando em rede é uma opção para adultos, e mais
ainda para os adolescentes que não podem dirigir ou entrar em casas
noturnas. As lan houses preenchem a lacuna que existe entre a
infância e a idade adulta e prometem um ambiente de lazer e
segurança em tempos de medo, principalmente dos pais.

TEXTO DE LETÍCIA CASTRO E VERA LÚCIA STUMM. noite. As atrações eram futebol, pião.” Se já idade. Esta é uma iniciativa das lan houses,
FOTOS DE VALÉRIA GUILARDI tentou jogar os jogos que o filho gosta? Pau- pois não há nenhuma legislação que as
lo é taxativo: “Não, eu só vejo que é sempre obrigue a fazer isso.

D
epois de uma semana inteira o mesmo jogo, o bandido e o ladrão”. O jogo Estas e outras características das lan
ralando, finalmente chega a é o Counter Strike, o grande preferido nas houses facilitam a vida dos filhos que que-
sexta à noite: você pega o car- lan houses, seguido por jogos como Battle rem convencer os pais a deixá-los sair à noi-
ro, reúne os amigos e vai para Field, War Craft 3, Quake e Fifa. te, especialmente porque lá são proibidos ci-
um barzinho relaxar. Afinal, Joner Cyrre Worm, proprietário da Nu- garros e bebidas alcoólicas. Drogas, nem
você merece. Mas, e se você não trabalha, ke Lan House, na zona sul de Porto Alegre, pensar. Resumindo, os pais acham uma op-
não tem idade para dirigir e muito menos comenta que, em geral, os pais não sabem ção segura da qual os filhos gostam, aten-
pra beber? Quais as opções para essa fase? muito bem o que os filhos fazem lá, apenas dendo à necessidade deles de terem uma vi-
A maioria das casas noturnas exige a maio- os largam e voltam na hora combinada para da social ativa, à noite, longe da incerteza da
ridade, por venderem bebidas alcoólicas, o levá-los para casa. Acabou a “função do segurança nas festinhas, uma outra opção
que já exclui esse público. pai”, como diz Paulo: levar, buscar, pagar. para menores de idade. Joner, que tem filhos
As lan houses recebem pessoas de ida- Mas há quem se interesse mais pelo que os que freqüentam a sua lan house, lembra
des diversas, principalmente jovens e pré- filhos fazem. Por isso mesmo, Joner tem bem: “o que é que tem nestas 'festinhas'? Be-
adolescentes, pais e até mesmo avôs. Sim, no planos para um Ciber Café ao lado da lan bida, cigarro, e as lan houses tentam se des-
masculino, pois as mulheres ainda são house, onde os pais podem aguardá-los, vincular disso”. Grande parte das lan houses
minoria. Mas há curiosidades, como conta conferir se o lugar é seguro, e para atingir premia com horas grátis quem tem boas no-
Paulo Júnior: “Tem até uma senhora que vai outro público, que gosta de bater papo na tas, dependendo da média escolar.
lá jogar o Show do Milhão”. Uma raridade, Internet ou precisa fazer trabalhos. A grande dúvida dos pais é se essa ati-
uma mulher, mais velha, que vai jogar sozi- No quesito segurança, há várias vidade é realmente saudável, se não com-
nha em um ambiente cheio de garotos. iniciativas. Uma delas é a de colocar web promete o comportamento e a vida social
Afinal, por que sair do conforto da sua cams na loja, e os pais, de casa, podem veri- dos freqüentadores. Normalmente, as pes-
casa, se os mesmos jogos podem ser jogados ficar se o ambiente é saudável para os seus soas têm uma idéia preconceituosa de que
de qualquer lugar, até da própria casa? “Ah, filhos e até mesmo darem uma espiadinha quem passa muito tempo na frente do com-
tem vários motivos, como a velocidade. E neles quando estiverem jogando. Outra me- putador seja anti-social, esquisito, um
eu tenho um Lentium 4”, explica Paulo Ri- dida muito bem aceita entre os pais é a de “nerd”. Segundo Celso Cândido de Azam-
cardo Ferreira Júnior. Seria só esse o moti- solicitar autorização para os menores de buja, doutor em psicologia clínica, só o fato
vo? Conta bastante, mas contribui o fato de
que também vão lá os colegas de escola e
amigos do prédio. Além disso, os garotos fi-
cam livres da vigilância dos pais. É uma al-
ternativa de lazer noturno para quem está
começando a descobrir a noite, principal-
mente nos finais de semana, quando acon-
tecem os “corujões”, noites em que as lan
houses funcionam a noite toda.
Os pais nem sempre entendem os fi-
lhos, mas, nessa idade, isso não é novidade.
A cena de decidir quem leva e quem busca
da festa é rotina nessa faixa etária. No caso
das lan houses, não é diferente: eles se reve-
zam para não sobrecarregar ninguém. Paulo
Ricardo Ferreira, pai de Júnior, diz que não
se importa de buscar o filho de 13 anos,
mas acha que ficam muito tempo sentados
na frente do computador. Como é esporádi- Um sentido
co, acha que dá para ir levando, e ressalta a menos: com os fones
que esse hábito fez com que o filho abando- de ouvido, é possível
nasse algumas atividades físicas. “No meu mergulhar no jogo
tempo não tinha nada disso, ainda mais à

PRIMEIRA IMPRESSÃO DEZEMBRO/2003 39


DIVERSÃO
Alta
concentração:
de eles se encontrarem já é positivo. “Eles aquecimento para a festa de mais tarde, ou nada distrai
se encontram para interagir, jovens preci- para encerrar a noite. “Tem jovem que sai da os jogadores
sam de jovens. Só não seria saudável se es- festa porque achou chata e vem jogar.”
se hábito substituísse outras atividades im- A alimentação é a mais rápida possível.
portantes na vida deles. Ou seja, se isso se Alguns levam lanches de casa, outros com-
torna um vício.” Logo, os pais precisam es- pram salgadinhos ou chocolates na própria
tar atentos e saber que nenhum hábito é to- casa, quando ela vende. Outras só possuem
talmente negativo ou positivo, mas sim os sanduíches e refrigerantes, por serem vizi-
excessos. Há pontos positivos, como o estí- nhas de redes de fast food, como Mc
mulo à lógica, à rapidez de raciocínio e ao Donald's, Pizza Hut e postinhos.
trabalho em equipe. O público, além de ser variado, é vasto.
Leonardo Farenzena Felin, proprietário A maioria das lan houses faz o corujão nos
da franquia de Porto Alegre da lan house finais de semana e feriados, pois quem cos-
Monkey, que possui outras 57 franquias pelo tuma jogar em geral tem aula no dia
país, diz que, além do trabalho em equipe, seguinte. Mas há casas que fazem corujão
surgem também grandes amizades em lan todas as noites. “O pessoal adulto é o que
houses. “Eu mesmo fiz muitas aqui. Já vi até mais utiliza esse horário”, diz Leonardo.
pessoas que não tinham amigos na escola se Em geral, as mulheres só aparecem pa-
soltarem e ficarem mais sociáveis.” Segundo ra acompanhar os namorados, ou para ar-
ele, existe um público cativo, e a freqüência ranjar algum. Júnior diz que há uma lan
cria laços, estimulados pelo companheiris- house em que vão meninas, sim, mas elas
mo que foi necessário ao jogar em equipe. quase nem jogam. “Ficam no mIRC, ou em
Cláudia Presser Sepé, professora de outros programas de bate-papo, ou em volta
Português para Comunicação na Unisinos, dos meninos que elas conhecem.”
visitou uma destas casas para embasar seu Uma coisa é certa: passar a noite em
anteprojeto de pesquisa para o doutorado, e frente ao computador, jogando, parece não
observou o comportamento dos jovens nas cansar nunca. Júnior é sincero: se pudesse,
lan houses. “Eles gritam, se xingam, é a ma- jogaria todos os dias. Mas há um custo por
neira de eles se comunicarem.” É uma co- hora de jogo, que pode variar bastante, de-
municação diferente, em que eles nem pendendo do horário, e sai caro no final do
olham para o lado. “Nem perceberam a mi-
nha presença”, diz a professora.
mês. Poderia-se pensar que este é um desejo
isolado de quem não está todos os dias den-
A regra ainda
Vale lembrar: apesar de as lan houses tro de uma lan house, mas não é verdade.
serem uma grande atração noturna para me-
nores de idade, maiores também as
Leonardo e Estevão, ambos proprietários de
lan houses, passam dias e noites dentro das
não é clara
freqüentam. E nas mais diversas situações. lojas, jogando os mesmos jogos, e, mesmo Segundo o Centro de Apoio da
Estevão Kirsch Koff é sócio em uma lan hou- assim, não enjoam. “Eu jogo muito menos Infância e da Juventude de Porto
se localizada ao lado de um dos mais fre- do que eu gostaria”, diz Leonardo. Quando Alegre, por enquanto, a legislação
qüentados postos de conveniência de Porto recebeu a equipe da Primeira Impressão, Es- existente é o Estatuto da Criança e
Alegre, e conta que há grupos de pessoas tevão estava jogando, ao lado de seu sócio. do Adolescente. E é com base no
que saem do serviço e vão jogar com os cole- “É só ter menos gente e ter máquinas vagas ECA que, em Porto Alegre, que pos-
gas de trabalho. Além disso, servem como que a gente está jogando”, diz Estevão. sui 39 alvarás emitidos na atividade
Jogos Eletrônicos/Fliperama, e 136
em Jogos Vídeogame e Locação de
Infra-estrutura: Cartuchos, há um Projeto de Lei do
não é preciso Vereador Beto Moesch (PLL 182)
levar lanche tramitando na Câmara de Vereado-
de casa res. Ele pretende disciplinar a entra-
da de menores, o horário de per-
manência, limites por faixa etária e
tempo de uso das máquinas, além
de fazer com que as casas possuam
um banco de dados para acompan-
har a idade e o turno de estudo dos
freqüentadores, evitando que faltem
às aulas para irem jogar.
O Conselho Tutelar entrará em
ação para fiscalizar e atender denún-
cias. De acordo com o Vereador, o
mais importante é que a sociedade
participe do debate que essa lei vai
provocar.

40 PRIMEIRA IMPRESSÃO DEZEMBRO/2003