Você está na página 1de 2

Um crescimento de 45% em relação a 2008,

com vendas a incidirem nas marcas


Porta da Ravessa, Anta da Serra e Real Lavrador

Adega de Redondo exportou mais de


dois milhões de garrafas de vinho em 2009
Com mais de dois milhões de garrafas de vinho exportadas em 2009, a que
corresponde um crescimento de 45 por cento em relação a 2008, a Adega de
Redondo encerrou o ano como o segundo maior exportador de vinhos do
Alentejo. Com Angola, Suíça, Inglaterra, Luxemburgo e EUA a assumirem-
se como mercados preferenciais, foram contudo 20 os países onde foram
consumidas marcas como Porta da Ravessa, Anta da Serra, Real Lavrador e
Reserva AcR. A exportação representou 15% das vendas da Adega de
Redondo, que fechou o ano de 2009 com um volume de negócios na ordem
dos 19 milhões de euros.

Q uando os analistas económicos consideram a exportação como cada vez mais


determinante para o sucesso das empresas e marcas, a Adega de Redondo é um
caso paradigmático disso mesmo. É que dos mais de 15 milhões de garrafas de
vinho que, todos os anos, saem da linha de engarrafamento do maior produtor da sub-
região de Redondo, mais de dois milhões são reservados aos mercados externos.

Na realidade, em 2009, a Adega de Redondo superou – pela primeira vez! – a barreira dos
dois milhões de garrafas exportadas. Um crescimento de 45 por cento em relação ao ano de
2008 e de 186 por cento em relação a 2004, ano em que foram exportadas 265.524 garrafas.
Os vinhos Porta da Ravessa, Anta da Serra, Real Lavrador e Reserva AcR foram
consumidos num total de 20 países, embora os cinco mercados referenciais tenham sido
Angola, Suíça, Inglaterra, Luxemburgo e EUA que, por si só, representaram mais de 50 por
cento do volume de exportações.

Se a Suíça foi a excepção a uma tendência de crescimento generalizada, natural destaque


para a significativa evolução registada em mercados como Angola, Inglaterra, EUA e Japão.

Quanto ao portfólio, a marca Porta da Ravessa foi responsável por 42% do volume de
exportação, enquanto as marcas Anta da Serra e Real Lavrador representaram no seu
conjunto cerca de 52%. Uma referência, ainda, para o Reserva AcR, a marca de entrada no
segmento “premium”, que registou um crescimento de 164% do volume de exportação,
muito em parte devido ao sucesso que tem tido no mercado polaco, na sequência de um
contrato estabelecido com a maior rede de retalho daquele país de Leste.

Estrada de Évora, 7170-999 Redondo - Portugal; Email: geral@acr.com.pt ; T:. (+351) 266 989 100
Para o corrente ano, “os objectivos da Adega de Redondo passam por ultrapassar a
barreira dos três milhões de garrafas exportadas”, confidencia João Vieira de Carvalho.
“É um objectivo ambicioso, mas em função da estratégia que estamos a
desenvolver e dos contratos que temos celebrados, é um número que está ao nosso
alcance”.

Com os volumes de exportação a registarem um crescimento acumulado de 186% em


apenas cinco anos, João Vieira de Carvalho não esconde que o segredo do sucesso reside,
“na qualidade e na consistência dos vinhos que produzimos, bem como na sua
excelente relação qualidade-preço. Por outro lado, estes resultados também
resultam do êxito da política comercial da Adega de Redondo para os mercados
externos e do excelente trabalho desenvolvido pelos nossos parceiros nos 20 países
em que estamos presentes”.

Redondo, 22 de Fevereiro de 2009

Estrada de Évora, 7170-999 Redondo - Portugal; Email: geral@acr.com.pt ; T:. (+351) 266 989 100