Você está na página 1de 2

SOBRE A NATUREZA DOS PROBLEMAS

RESUMO Este documento é uma tentativa de clarificação do conceito de "problema" e


origina uma preocupação para melhorar o ensino de resolução de problemas. As seguintes
categorias são identificadas e empregadas na análise dos vários exemplos de problemas
relacionados com noções de: (a) a formulação de um problema, ou seja, a definição da
tarefa a ser executada, (b) o contexto em que o problema está incorporado, (c) o conjunto
de soluções adequadas, (d) os métodos de abordagem que poderiam ser empregadas na
resolução do problema. Coisas comuns, bem como os contrastes entre os exemplos
específicos são usados para identificar elementos importantes de problemas. O estudo
sugere uma possível classificação de "tipos" de problemas de interesse educacional e
desenha algumas implicações para a escolha e utilização de problemas na instrução em sala
de aula.

I. INTRODUÇÃO
Resolução de problemas, sem dúvida, é agora um dos principais temas da educação
matemática e afecta várias outras áreas do ensino, também. Investigação foi conduzida para
estudar tanto estratégias de grupo como individuais, dificuldades e abordagens na solução
de diversos tipos de problema. Tópicos de curriculum sobre resolução de problemas têm
sido concebidos para complementar ou, para ser integrado com outros tópicos padrão no
currículo. No entanto, uma análise dos problemas usado nestes estudos de investigação e
para fins de currículo sugere que a palavra "problema" não é sempre usada da mesma
forma em diferentes contextos e por autores diferentes, e que o próprio conceito está a
necessitar de esclarecimento. Só recentemente foi colocada a questão “o que é realmente um
problema”, por Kilpatrick (1982) no ensino de matemática e pelo Agre (1982) em filosofia da
educação. Este documento é uma tentativa de contribuir para esta questão, com a
convicção de que uma análise da natureza dos problemas é totalmente necessária para
avaliar e explorar o escopo e a importância dos problemas na educação. Dada a natureza
complexa e discutível do tópico, a nossa meta é mais para iniciar o inquérito e estimular a
discussão, que para fornecer respostas concretas. A nossa tentativa de clarificar a noção do
problema pode ser vista como um exemplo de uma classe mais geral dos estudos, comum
na filosofia da educação, onde um conceito caracterizado por uma palavra na língua
comum é analisado (ver por exemplo Scheffler, 1960; Lakoff e Johnson, 1980;
Wittgenstein, 1968). Várias abordagens poderiam ser usadas para essa finalidade.
Escolhemos iniciar a partir da análise e comparação de algumas instâncias do conceito, com
o objetivo de identificar as características dos "problemas" que poderiam ser de interesse
para educadores de matemática. Será útil, em tal análise, referir-se às ocorrências de
problemas em outros campos, bem como a matemática. Em alguns casos, isso ajudará a
reconhecer alguns elementos importantes de problemas normalmente ausentes nos
problemas matemáticos padrão. Uma vez que tais elementos são identificados, será mais
fácil encontrar - ou construir - exemplos de problemas matemáticos mostrando
características semelhantes. Conforme observado anteriormente, não temos ainda um
definitivo significado da palavra "problema". Esta falta de consenso sugere que noções
relacionadas com "problema" assumem importância. Se não podermos determinar à priori
se algo é um problema ou não, pode ser necessário e vale a pena considerar as instâncias de
problemas juntamente com instâncias de noções relacionadas (como por exemplo, a que
alguém chamaria enigmas, exercícios ou situações). Decidimos fazê-lo na nossa análise,
como reflectido pela lista de exemplos reportados na secção II.
Logo percebemos que era irremediável tentar avançar por abstração, isto é, definir o
conceito de problema por uma colecção de propriedades comuns a TODAS as suas
instâncias. Como Wittgenstein (1968) salientou, no que se refere a outros conceitos, como,
por exemplo, o conceito de "jogo", não parece ser qualquer propriedade realmente
compartilhada por TODOS os "problemas" examinados, mas apenas semelhanças do tipo
de "semelhanças familiares". Enquanto abstracção através da colecção de propriedades
comuns de execução parece inovador, não parece igualmente fácil de usar a noção de
semelhança familiar. No caso do conceito de problema, tentámos fazê-lo através da
identificação de alguns elementos estruturais, constitutivos de problemas (ou Noções
relacionadas) e analisando as diferentes formas e os atributos que eles podem assumir em
diferentes instâncias. Os resultados desta actividade serão relatados na secção III.
Os elementos estruturais de problemas assim identificados podem fornecer categorias para
a classificação e a análise dos problemas a partir de um ponto de vista educativo. Na secção
IV apresentaremos uma aplicação desta ferramenta. Em primeiro lugar, na Tabela I iremos
sugerir uma nova classificação de problemas que esperamos poder ser do interesse de
educadores. Então faremos uso das noções desenvolvidas na secção III para analisar as
características e o valor educativo de um exemplo matemático significativo para cada um
dos sete tipos de problemas identificados na Tabela I.
Esperamos que este trabalho convide os leitores a reflectir sobre a importância da escolha
de problemas adequados a fim de aprimorar habilidades de resolução de problemas, e que
fornecerá aos educadores algumas ferramentas para a avaliação dos exemplos específicos
para usar na instrução em sala de aula.