Você está na página 1de 6

CONTABILIDADE ANALÍTICA

CapítuloIII
III––Centros
Centrosde
deCustos
Custos
Capítulo

Contabilidade Analítica
III – Centros de Custos

DIVISÃO FUNCIONAL DE CUSTOS
Os custos (gastos) são repartidos pelas diferentes unidades funcionais,
designadamente
pelas
funções
aprovisionamento,
produção,
comercialização, administrativa e financeira.

Por vezes, recorre-se a unidades sub-funcionais para uma melhor
individualização na imputação dos custos.

Contudo, o problema que existe em encontrar uma base de imputação
proporcional aos GGF, mantém-se na divisão funcional de custos. Existem
custos que são comuns às diferentes funções.

Como reparti-los?
-2-

© António Samagaio / Pedro Ferreira Santos

Page 1

São igualmente indispensáveis à evolução positiva da fabricação. “Passamos.º unidades obra Imputação dos Custos => + horas significa + produção. de um critério em que os custos de transformação são imputados indiscriminadamente por todos os produtos para um outro critério em que a imputação se faz em função dos centros que determinam tais custos” (Pires Caiado) -4- © António Samagaio / Pedro Ferreira Santos Page 2 .º determinar os diferentes custos de transformação que estão incluídos nas contas #61 a #67 da fábrica. Cada Centro deve ter uma unidade de imputação – Unidade de Obra – que permite a distribuição dos custos pelos diferentes produtos. ou seja. 2.º repartir os custos dos centros produtivos pelos produtos de acordo com o nível de utilização das unidades de obra. Este método consiste 1. 3. + custos Uma secção homogénea é um centro que tem custos variáveis. Auxiliares: ajudam na transformação da matéria-prima. Tipo de Centros de Custos: Principais: aquele que transforma a matéria-prima e que a faz progredir no processo produtivo. -3- © António Samagaio / Pedro Ferreira Santos Contabilidade Analítica III – Centros de Custos SECÇÕES HOMOGÉNEAS OU CENTROS DE CUSTOS A unidade de obra permite: Custo Controlo de Custos através da seguinte equação: n. assim.º classificá-los pelos centros de custos que os originaram ou determinaram.Contabilidade Analítica III – Centros de Custos SECÇÕES HOMOGÉNEAS OU CENTROS DE CUSTOS Os custos de transformação (MOD e GGF) são agrupados e imputados aos produtos de acordo com o método das secções homogéneas. Secção homogénea: uma unidade organizacional que desempenha operações semelhantes onde são acumulados ao longo de um determinado período os custos de transformação (MOD e GGF) e os quais se considera que são proporcionais à unidade de obra/unidade de custeio.

Primeiro deve-se tratar dos Centros de Custos em que não existam reembolsos nem prestações recíprocas. quando se utiliza o sistema de custeio real. Prestações Recíprocas: quando existem Centros que prestam serviços mútuos entre si. Custo específico: se respeita exclusivamente a um centro. -6- © António Samagaio / Pedro Ferreira Santos Page 3 . Custo comum: se respeita a diferentes centros sendo necessário efectuar a sua repartição. calculam-se os reembolsos até às prestações recíprocas. se utilize um sistema de equações.Contabilidade Analítica III – Centros de Custos SECÇÕES HOMOGÉNEAS OU CENTROS DE CUSTOS Esquema: CUSTOS POR NATUREZA CENTROS DE CUSTOS AUXILIARES CENTROS DE CUSTOS PRINCIPAIS CUSTOS DOS PRODUTOS Matérias-primas Centro A CUSTOS TRANSFORMAÇÃO Centro B Produto O Reembolsos Produto P Matérias Subsidiárias FSE Impostos Custos com pessoal Centro C Custos Directos Produto Q Centro D Centro E Outros custos operacionais Centro F Amortizações do exercício -5- © António Samagaio / Pedro Ferreira Santos Contabilidade Analítica III – Centros de Custos REPARTIÇÃO DOS CUSTOS PELOS DIFERENTES CENTROS Repartição Primária: afectação dos custos aos centros. Repartição Secundária: os custos dos Centros de Custos Auxiliares são repartidos pelos Centros de Custos Principais com base na utilização destes dos serviços prestados pelos primeiros. Em seguida. a valorização dessas prestações obriga a que.

Ao aumento de actividade corresponde um aumento destes custos. Por vezes não existe esta proporcionalidade dado ocorrerem fenómenos de economias de escala. Custo Fixo Unitário = Total dos Custos Fixos Produção -7- © António Samagaio / Pedro Ferreira Santos Contabilidade Analítica III – Centros de Custos MAPA DOS CUSTOS DE TRANSFORMAÇÃO Unidade Física Custo Secção A: (actividade) Secção B: (actividade) Secção C: (actividade) Unitário Quantidade Valor Quantidade Valor Quantidade Valor Custos Directos Energia Seguro Água ……… ……… Total Reembolsos Secção A Secção B ……… Total Custo Total Custo Unitário da Secção -8- © António Samagaio / Pedro Ferreira Santos Page 4 .Contabilidade Analítica III – Centros de Custos NATUREZA DOS CUSTOS DIRECTOS Custos Variáveis A sua ocorrência e respectivo montante está relacionado com o nível de actividade. Por exemplo: consumo de energia nas máquinas. Custo Variável Médio = Total dos Custos Variáveis Produção Custos Fixos: A natureza destes custos não se altera com o nível de actividade. pois são independentes e constantes ao longo do tempo.

Contabilidade Analítica III – Centros de Custos APURAMENTO DO CUSTO DE PRODUÇÃO Unidade Física Custo Unitário Produto Acabado (Qt) Produto Acabado (Qt) Produto Acabado (Qt) Quantidade Valor Quantidade Valor Quantidade Valor Matérias-Primas MP 1 MP 2 ……… Total Custos de Transformação Secção Principal A Secção Principal B ……… Total Subprodutos Subproduto X ……… Total Custo Total do Produto Principal Custo Unitário Qual o critério de valorização do Subproduto: lucro nulo ou custo nulo CIPT = Existência Inicial PVF + Custo Produção Mês – Existência Final PVF -9- © António Samagaio / Pedro Ferreira Santos Contabilidade Analítica III – Centros de Custos PRODUÇÃO EM CURSO DE FABRICO Exercício 4 MP 1 + MP2 MP 3 Semi-produto SP3 Secção 1 Secção 2 Produto P1 Produto P2 Produto P3 Subproduto Z -10- © António Samagaio / Pedro Ferreira Santos Page 5 .

Contabilidade Analítica III – Centros de Custos PRODUÇÃO EM CURSO DE FABRICO Exercício 5 MP 3 Subproduto 1 MP 1 Secção 1 Semi-produto 1 Secção 2 Produto P2 Subproduto 2 MP 2 Secção 1 Secção 3 Secção 3 Semi-produto 2 Produto P1 Produto P3 -11- © António Samagaio / Pedro Ferreira Santos Page 6 .