Você está na página 1de 18

Formação Para Novos Coroinhas

DEUS
Deus é o princípio de tudo e, fim de todas as coisas, é o α e o Ω (alpha e ômega).
Com exceção do pecado, Deus é quem criou tudo. Tudo que é visível como: a Terra, as
Águas, as Estrelas, o Sol e os Animais da Natureza. Criou também tudo que não é visível
(invisível) como os Anjos, o Calor, a Luz e até os anjos caídos. Deus criou a Vida.
1. No princípio, Deus criou os céus e a terra. 2. A terra estava informe e vazia; as
trevas cobriam o abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas. 3. Deus disse:
"Faça-se a luz!" E a luz foi feita. 4. Deus viu que a luz era boa, e separou a luz das
trevas. 5. Deus chamou à luz DIA, e às trevas NOITE [...]. (Gênesis 1,1-5).

O SER HUMANO
“Ser humano” significa “isto que é feito do barro”, ou seja, que foi criado a partir
do barro, da terra; os outros animais Deus ordenou que eles existissem a assim de fez;
mas o homem não. O homem tem um diferencial, ele foi formado, trabalhado por Deus.
Ele fez o homem que representa a humanidade, e para ser a parte mais importante da
criação.
7. O Senhor Deus formou, pois, o homem do barro da terra, e inspirou-lhe nas narinas
um sopro de vida e o homem se tornou um ser vivente. (Gênesis 2,7).

A VIDA
A vida como nós conhecemos, ou seja, a vida humana; é para Deus a melhor parte
de criação, já que foi à humanidade que Deus deu a liberdade (o poder de escolher, de
decidir). Deus nos criou e permanece conosco a vida toda, o tempo todo e, sempre
disposto a nos ajudar.
15. O Senhor Deus tomou o homem e colocou-o no jardim do Éden para cultivá-lo e
guardá-lo. 16. Deu-lhe este preceito: “Podes comer do fruto de todas as árvores do
jardim; 17., mas não comas do fruto da árvore da ciência do bem e do mal; porque no
dia em que dele comeres, morrerás indubitavelmente.” (Gênesis 2,15-17).

É essa capacidade de escolher que nos permite nos aproximar ou nos afastar de
Deus. Mas só podemos conhecer o que Deus nos revelou; a nós Ele nos deu preceitos
para seguir, e nós só podemos escolher seguir ou não. Aceitar seguir os preceitos de
Deus é encontrar a dignidade e a felicidade, é descobrir que somos filhos “Imagem e
semelhança de Deus”, ou seja, encontrar a verdadeira alegria, que não passa como nas
brincadeiras, ou em uma festa. Não! A felicidade que Deus tem para nós é para sempre.
A DIGNIDADE
A palavra dignidade tem muitos significados, mas para nós é importante
compreender que a dignidade é: “ser compreendido, reconhecido e tratado” pelo que
somos, e por quem somos, ou seja, filhos e filhas de Deus; a partir do momento que
somos tratados de forma diferente como outra coisa ou objeto qualquer: estamos sendo
tratados de forma indigna.
“A dignidade é o valor de que se reveste tudo aquilo que não tem preço, ou seja, que
não [pode] ser substituído por um equivalente.1”

1 <http://www.significados.com.br/dignidade/>
Página 1

Pois todas as vezes que nos comportamos de uma forma diferente da que Deus deseja para nós: estamos nos comportando de forma indigna. 5. A VOCAÇÃO Costuma-se falar (sempre) que a vocação é um “chamado”. 1Cor 12. “tomar. mais ERGOS. aceitar”. ou seja. temos funções diferentes. Então a dignidade é ser o que fomos feitos para ser! Talvez a definição que mais se correta seja: “compatível com os propósitos”: Ela vem do Latim DIGNITAS.2 Agora que já sabemos o que é a dignidade.com. o sagrado requer um tratamento especial. O Altar é onde de se realiza 2 <http://origemdapalavra.28s. 2.23. A vocação é como um desígnio.22s.8-12 4 http://origemdapalavra. 4. ou seja.br/site/palavras/dignidade/> 3 Ef 1. Tem um sentido que nem todos conseguem compreender. (Já se deu o nome de Altar é justamente para não ser chamado de mesa. o profano se permite ser usado de qualquer forma. para o cumprimento de uma tarefa ou missão. mesmo com todas as dificuldades encontradas nos caminhos da vida. e no Grego LEITOURGOS. Gl 3. seguir sua vocação. é nela que a Igreja Católica reúne o povo. Mas como já sabemos para nós católicos ela tem um significado muito maior. Chamar o altar de mesa reduz a sacralidade do Altar). ou da Liturgia. A CELEBRAÇÃO LITÚRGICA A celebração Litúrgica. ser escolhido para um propósito. Contudo. mas para o nosso pensamento católico. Cl 1.19. 3 Na Santa Igreja Católica Apostólica Romana há uma diversidade de carismas para os quais há os vocacionados. aquele que realiza uma cerimônia sagrada ou serviço público”. Pois a sua felicidade está em cumprir o seu propósito. 4 É em torno do ALTAR e não da Mesa Eucarística.com.17. “o que faz um trabalho”.br/site/pergunta/palavra-8/ Página 2 . que supõem uma vocação na e para a comunidade.18. de uma base DEK. “público”. O nome de um objeto também serve para identificar sua função. já o sagrado não. é muito mais que isso. que é a escolha de seguir os preceitos de Deus. compatível com os propósitos”. 10. o seu propósito. Você tem o propósito de viver com dignidade! Podemos ver que todos aqueles que descobrem e vivem suas vocações são muito mais feliz de que aqueles que vivem sem descobri-la. Mt 23. de DIGNUS. Liturgia é uma palavra de origem o significado: No Latim LITURGIA. “serviço ou adoração pública”. “servidor público.Formação Para Novos Coroinhas Mas tudo isso ainda é muito pouco para descrever que e a dignidade. O sagrado é o que é separado do profano. “Vocação” é uma palavra que vem latim e significa “chamar”. “digno. de LEITO-.11-16. Na Igreja todos somos iguais por razão da vocação em Cristo. que é: descobrir a vocação e o seu sentido. adequado. do Indo-Europeu DEK-NO.13. já podemos dar o próximo passo. os filhos de Deus. valioso. “o que tem valor”.

a se tornar íntimo do Senhor. ou seja. No seu serviço o coroinha deve buscar sempre a alegria e a disposição. É para o serviço do Altar que os coroinhas são instituídos à servirem. é contemplar o Cristo ressuscitado com os olhos da fé e viver alegremente o Evangelho.30-35). prometido e instituído por Cristo (Jo 6. 11. Por isso é em torno do Altar do Cordeiro de Deus.Formação Para Novos Coroinhas o sacrifico de Jesus Cristo. Jo 17. 33.8. Na oração recebem-se as graças de Deus. Aqui já podemos perceber como a vocação é muito mais que um chamado.26-28. A SANTA MISSA A Santa Missa é o ponto mais auto da nossa Igreja. Vitima e Altar. e Ele se revelou a nós de forma que pudéssemos compreender. É o "pão da vida". da Paixão-Morte-Ressureição de Cristo. Nela o Ressuscitado está presente (Lc 24. ocasionalmente é um monumento que lembra experiências religiosas dos patriarcas (Gn 12. mas..7. Celebra-se no domingo. Feito de terra ou de pedras (Ex 20. O próprio Jesus que disse: “É necessário que eu me vá”. e que a dignidade é muito mais que ter direito a uma coisa ou outra.11). [. o altar servia em geral para oferecer sacrifícios.42. 13. uma das mais importantes. 1Cor 11. forma o coroinha é chamado a servir como Cristo. que pode não parecer. o auxílio para os momentos difíceis e a força para superar o pecado e as falhas pessoais. Mas o Altar é destinado ao sacrifício. Na vida do coroinha a oração é fundamental. Servir ao altar é estar aos pés da cruz. refeição pascal (Jo 6. 26. Da mesma. É pela oração que o jovem aprende a se relacionar com Deus.46. Servir ao altar não é apenas ajudar o padre. Sem oração não se pode servir ao altar. servir junto ao Altar é estar próximo de Deus.26. Misticamente falando: Jesus é ao mesmo tempo Sacerdote. Mt 26. 1Cor 10. O jovem deve demonstrar que vive sua fé. é na Missa que temos a possibilidade de participar do Sacramento mais Perfeito. Deve continuamente dar testemunho de que Cristo é o seu Senhor [Salvador] e Mestre. é uma missão.4) e messiânica. que nos reunimos para a celebração litúrgica. Um altar não de uso comum como uma simples mesa onde se põe outras coisas além das refeições. At 2. é saber amar e viver a caridade. Por isso é na Santa Missa que acontece a: “Fração do pão" rito tipicamente cristão (At 2. o contato fraterno e amigo.16-17.24).8. 11.25. Mt 26. Morte e Ressurreição” de Jesus Cristo. A vida de Cristo foi dedicada a servir o próximo.17-34. Lc 24.23-25). É o sacramento de Unidade (1Cor 10.] No templo havia o altar dos holocaustos e o altar do incenso.20). tanto em Espirito quanto nos Sacramento. Pois há muito tipos e modelos de mesa e para os mais variados usos. a expressão do Amor que Deus tem por nós. é ser um amparo e consolo para os que necessitam. Servir ao altar é muito mais: é participar do Mistério Pascal de Cristo. o respeito e a dedicação às coisas sagradas. O COROINHA “Ser coroinha é estar a serviço: à serviço do altar e do próximo. contudo ainda permanece entre nós. isso é uma vocação. transportar os objetos litúrgicos ou executar as funções que lhe são próprias. que observa os Mandamentos de Deus e que procura sempre ser justo e correto.42-46. de Cristo. dia da Ressurreição (At 20.1s.30-35).24).. ou seja. Estar a serviço do próximo é estar pronto para a doação e a entrega. pois como vamos estar com Cristo se Página 3 .16. na “Paixão.

A Eucaristia é a fonte de todas as graças.google. é Alimento que fortalece a alma e nos conduz ao Pai. assim. Ser coroinha é viver a Eucaristia. então a segure firme.” 5 Os Objetos Litúrgicos Âmbula ou Cibório Objeto onde são guardadas as partículas da comunhão (hóstias). de tamanho pequeno. oração e amor e. Ao viver a Eucaristia. santifica-se e aproxima-se cada vez mais de Deus. o coroinha vive o seu ministério de serviço com mais dignidade.com/site/pastoraldoscoroinhassjt/ser-coroinha Página 4 . em que é colocada a teca em que são levadas as Hóstias consagradas aos doentes e idosos. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Aspérges Usado junto com a caldeirinha para aspergir a água benta sobre o povo ou algum objeto. dedicação. que na hora da consagração se tornam o Corpo de Cristo. algumas ainda têm uma “capinha” chamada conopeu. é viver Cristo em todos os momentos da vida. tem diversos tamanhos e modelos. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Bolsa de Viático Bolsa. quase sempre de pano. cuidado ao manejá-las porque geralmente carregamos mais de uma. Repare que a âmbula (ou cibório) tem tampa.Formação Para Novos Coroinhas não temos intimidade com Ele? É a oração que permite ao coroinha exercer a sua serviço ao próximo e ao altar de forma digna. 5 https://sites.

o cálice com o vinho e as âmbulas com as hóstias pequenas. É também sobre ele que se coloca o ostensório e a teca. existem vários modelos de diferentes tipos e tamanhos. Ele deve ficar sobre o Altar e com a face de Jesus voltada para o Padre e de Página 5 . durante a celebração na hora da consagração esse vinho se torna o Sangue de Cristo.Formação Para Novos Coroinhas -----------------------------------------------------------------------------------------------------Caldeirinha Local onde fica a água benta que o padre asperge sobre a comunidade ou algum objeto que vai ser bento. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Corporal Pano branco de linho. uma na sua base e sobre ele. Crucifixo Geralmente é usado em missas campais (fora da igreja) onde não se tem um pregado à parede. Acendese também nas celebrações do Batismo. Para não confundir o cálice com a Âmbula repare que ele tampa. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Castiçal Local onde a vela fica durante a celebração. Algumas vezes é solicitado aos coroinhas segurarem o castiçal ao lado da mesa da palavra durante a proclamação do Evangelho. estendido sobre o altar. que é benta solenemente na Vigília Pascal o Sábado Santo e que permanece nas celebrações até o Domingo de Pentecostes. Quando for tenha cuidado e o segure com as duas mãos. Cálice Objeto manejá-lo outra não tem onde é colocado o vinho. que. recebe sobre si a patena com a hóstia grande. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Círio Pascal Vela grande.

Página 6 . Lanterna processional ou tocha Utilizada na leva a tocha é o entrada da missa em procissões. simbolizando as nossas preces e orações a Deus. O acólito que ceroferário. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Galhetas São duas pequenas “garrafinhas” que podem ser tanto de vidro ou de louça. A galheta com água é usada novamente após a comunhão na purificação do cálice. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Cruz Processional Utilizada na entrada da missa e em procissões. --------------------------------------------------------------------------------------------------------Incenso Resina de aroma suave. O coroinha que a leva é chamado cruciferário. Produz uma fumaça que sobe aos céus. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Lavabo Composto por uma jarra e uma bacia. é onde o padre lava sua mão durante a celebração.Formação Para Novos Coroinhas costas para o da assembléia. Nelas ficam a água e o vinho (que mais tarde é consagrado como o Sangue de Cristo) segure-as com cuidado para evitar acidentes.

para lo é necessário muita atenção com suas pontas e para não cair. que com uma queda pode ser quebrar. Página 7 . -----------------------------------------------------------------------------------------------------Patena Pequeno prato de metal onde fica a hóstia que o padre eleva na consagração. Ostensório É usado manejádeixá-lo tampa em situações onde o Santíssimo é exposto ao povo. pois é um material muito frágil e geralmente tem uma de vidro no centro. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Naveta Pequeno compartimento onde é guardado o incenso que é usado no Turíbulo vem acompanhado de uma pequena “colherinha” que o celebrante usa para colocar as pedras de incenso dentro do Turíbulo.Formação Para Novos Coroinhas -----------------------------------------------------------------------------------------------------Manustérgio Pequena toalha que é usada pelo sacerdote para enxugar as mãos. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Pala Pequeno pedaço de plástico ou papelão que é usado para cobrir o cálice para protegê-lo. O coroinha encarregado da naveta é chamado de naveteiro.

AS CORES LITÚRGICAS As diferentes cores das vestes litúrgicas visam manifestar externa-mente o caráter dos mistérios celebrados. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Sineta ou carrilhão É usada para chamar a atenção da assembléia na parte mais importante da missa. Também pode ser usado em outras partes dependendo do tipo da celebração. O coroinha encarregado do turíbulo é chamado de turiferário. Página 8 . -----------------------------------------------------------------------------------------------------Turíbulo É um compartimento onde o incenso é queimado. das âmbulas e da bem como os dedos e os lábios após comungar. Seu manejo requer atenção. Evangelho. São usadas quatro vezes numa cerimônia normal: Entrada. Ofertório e Consagração. pois ao se balançar numa igreja temos que tomar muito cuidado para não acertar os outros. geralmente fica uma luz vermelha ao seu lado indicando a presença do corpo de Cristo.Formação Para Novos Coroinhas -----------------------------------------------------------------------------------------------------Sacrário Local onde ficam armazenadas as hóstias consagradas. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Teca Pequeno compartimento usado pelos ministros da comunhão para levar o Corpo de Cristo aos doentes da comunidade. Quando entramos na Igreja e vemos essa luz acesa temos que ter o maior respeito pois estamos dentro da casa de Deus e Jesus está conosco. e também a consciência de uma vida cristã que progride com o desenrolar do ano litúrgico. a Consagração. Sanguíneo Pano de linho que é usado para fazer a purificação do cálice.

dos Santos mártires e dos Evangelistas. em todo o Tempo Pascal. no Tempo do Natal. está havendo uma tendência a se usar o violeta. Cátedra de São Pedro e Conversão de São Paulo. Estas cores foram fixadas em Roma no século XII.Lecionário Dominical: Contém as leituras Página 9 . chamado aqui "Laetare". o martírio. nas festas dos santos (quando não mártires) e nas festas do Senhor (exceto as da Paixão). na festa de Todos os Santos. para distingui-lo da Quaresma. Em pouco tempo os cristãos do mundo inteiro aderiram a este costume. e no 4º Domingo da Quaresma. no Natal. Não existiam ainda as chamadas "cores litúrgicas". dos Santos Anjos. Romano: Livro que contém as leituras para a celebração. a paz. Roxo: Simboliza a penitência. nas festas e memória da Bem-aventurada Virgem Maria. Róseo: Simboliza também a alegria. É usado: no Domingo de Ramos e da Paixão. e não de penitência. na Vigília Pascal do Sábado Santo. OS LIVROS SAGRADOS Missal Livro que contém o ritual da missa. Usa-se no Tempo do Advento e da Quaresma. nas festas dos Apóstolos. pois Advento é tempo de feliz expectativa e de esperança. Usa-se no Tempo Comum. Vermelho: Simboliza o fogo. o amor divino. São três: . na Sexta-Feira santa. Veja abaixo as cores litúrgicas e seus significados: Branco: Simboliza a vitória. no Domingo de Pentecostes. Usa-se: na Quinta-feira Santa. usa-se então a cor da festa). São João Batista. Pode ser usado nas missas pelos mortos e nas Exéquias. Preto: É símbolo de luto. São João Evangelista. como a Quaresma). a alma pura. É a cor predominante da ressurreição. chamado "Gaudete". a alegria. em vez do roxo. ambos domingos da alegria. Verde: É a cor da esperança. Podese também usar nos ofícios e missas pelos mortos. num viver sóbrio. o sangue. (Quando no TC se celebra uma festa do Senhor ou dos santos. Pode ser usado no 3º Domingo do Advento.Formação Para Novos Coroinhas No princípio havia certa preferência pelo branco. (Quanto ao Advento.

o povo cristão revive anualmente todo o Mistério da Salvação centrado na Pessoa de Jesus. O ANO LITÚRGICO O Ano Litúrgico é o "calendário religioso". O Ano Litúrgico contém as datas dos acontecimentos da História da Salvação. contudo.Formação Para Novos Coroinhas Lecionário: dos domingos e de algumas solenidades e festas. . . Em outras palavras. Evangeliári o: <. Rituais: -> Contém diversos ritos (batismo.Lecionário Semanal: Contém as leituras dos dias de semana. O evangelho é sempre o mesmo para os dois anos. O Ano Litúrgico. não coincide com o ano civil. cumprindo sempre três ciclos: A. Nele também constam as leituras para uso na administração de sacramentos e para diversas circunstâncias. O Ano Litúrgico é composto de diversos "tempos litúrgicos" e sua estrutura é a seguinte: Tempo do Advento Tempo do Natal Tempo Comum (Primeira parte). o Messias. B. exorcis mos. A primeira leitura e o Ralmo Responsorial estão classificados por ano par e ímpar. entre outros).É o livro que contém o texto do evangelho para as celebrações dominicais e para as grandes solenidades. bênçãos. e C. No Ano (ou ciclo) A. Tempo da Quaresma Tríduo Pascal Página 10 . predomina a leitura do Evangelho de São Mateus. onde se celebra a solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo. predomina a leitura do Evangelho de São Lucas. começa com o Primeiro Domingo do Advento e termina na última semana do Tempo Comum. confirmação. Por ele.Lecionário Santoral: Contém as leituras para as celebrações dos santos. ele começa e termina quatro semanas antes do Natal. Rei do Universo (Cristo Rei). dedicação de uma igreja e altar. por sua vez. no Ano (ou ciclo) B. predomina a leitura do Evangelho de São Marcos e no Ano (ou ciclo) C. que começa no dia primeiro de janeiro e termina no dia 31 de dezembro. matrimônio.

porém. No segundo domingo depois do Natal (entre 2 e 8 de janeiro). alegria. quando o Natal do Senhor ocorrer no Domingo. com quatro velas a serem acesas a cada Domingo. Tempo de Natal Início: 25 de dezembro | Toda semana seguinte a esse dia é chamada Oitava de Páscoa. a Festa da Sagrada Família se celebra no dia 30 de dezembro. celebra-se a Festa da Sagrada Família. com moderação. luzes. Ensinamento: anúncio da vinda do Messias. Símbolos: presépio.Formação Para Novos Coroinhas Tempo Pascal Tempo Comum Tempo do Advento Início: Primeiro Domingo do Avento Término: 24 de dezembro. Domingo da alegria. pode-se usar cor-de-rosa. Personagens bíblicos mais lembrados nesse tempo: Isaías. a Igreja se volta para a primeira vinda do Salvador. O Símbolo mais comum desse Tempo é a Coroa do Advento. No dia 01 de Janeiro. acolhimento. No primeiro Domingo após o dia 25 de dezembro. Cor: Roxa O terceiro Domingo é chamado Domingo "Gaudete". que vai acontecer no fim dos tempos. a Igreja se volta para a segunda vinda do Salvador. João Batista e Maria. Cor: Branco Espiritualidade: Fé. a Festa do Batismo do Senhor é celebrada na segunda-feira seguinte. celebra-se a Solenidade da Santa Maria. Duração do tempo: quatro semanas. Mãe de Deus. celebra-se a Solenidade da Epifania do Senhor. Página 11 . Esse tempo é dividido em duas partes: do início até o dia 16 de dezembro. No domingo seguinte à Epifania ocorrer no Domingo 7 ou 8 janeiro. Essa alegria é por causa do Natal que se aproxima. É uma cor mais suave. O Tempo do Natal termina com a Festa do Batismo do Senhor. A recitação do Hino de Louvor ("Glória a Deus nas alturas") é omitida. à tarde. Ensinamento: O Filho de Deus se fez Homem. Obs: usa-se instrumentos musicais e ornamenta-se o altar com flores. porém. ou seja. A partir do dia 17 até o final. Nesse dia. que se encarnou no ventre de Maria e nasceu na pobre gruta de Belém. Espiritualidade: esperança. São dias tão solenes quanto o dia 25.

São dias tão solenes quanto àquele primeiro Domingo. inicia-se a Semana Santa. Durante todo o Tempo. Na Quinta-feira. ou seja. a partir da tarde desse dia. -No sétimo Domingo da Páscoa. essa primeira parte vai até a Terça-feira de Carnaval. A cor do paramento é Branca. Semelhante ao terceiro Domingo do Advento. Tempo da Quaresma. Nesse dia. celebra-se a Vigília Pascal. No Sábado Santo. Término: Quinta-feira Santa de manhã. celebra-se a Ação Litúrgica da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo. Início: Quarta-feira de Cinzas. Essa celebração não é Missa. Com isso. celebra-se a Missa da Ceia do Senhor e Lava-pés. omite-se o Aleluia. começa o Tríduo Pascal: Quinta-feira Santa. à noite. Também nesse dia. A cor é vermelha. o quarto da Quaresma também é caracterizado pela alegria da Páscoa que se aproxima. Tempo Pascal Início: Primeiro Domingo da Páscoa Toda a semana seguinte há esse dia é chamada Oitava de Páscoa. celebra-se a Solenidade da Ascensão do Senhor. O sexto Domingo da Quaresma é Domingo de Ramos na Paixão do Senhor. mãe de todas as vigílias. Ensinamento: Anúncio do Reino de Deus. -O Tempo Pascal termina com a Solenidade de Pentecostes -Espiritualidade do Tempo Pascal: Alegria em Cristo Ressuscitado. Observações para o Tempo da Quaresma: excetuando o Domingo "Laetare" ( Alegria). bem como também o Hino de Louvor. Espiritualidade: Penitência e conversão. também pode-se usar paramento cor-de-rosa. Página 12 . O Tempo Comum é interrompido pela Quaresma. Domingo da Alegria. Tríduo Pascal | Terminado a Quaresma na Quinta-feira Santa de manhã. Nesse dia. -Ensinamento: Ressurreição e vida. Ao final da Celebração é feito o translado do Santíssimo Sacramento. Trata-se de uma Missa solene e deve-se ornamentar o altar com flores. à tarde. Cor: Verde | Espiritualidade do Tempo Comum: Escuta da Palavra de Deus. pois na Quarta-feira de Cinzas já começa o Tempo da Quaresma. Cor: Roxa | O quarto Domingo é chamado "Laetare". não se ornamenta o altar com flores e o toque de instrumentos musicais é só para sustentar o canto. que é uma cor mais suave.Formação Para Novos Coroinhas Tempo Comum (Primeira Parte) Início: primeiro dia logo após a Festa do Batismo do Senhor. a cor Vermelha. Ensinamento: A Misericórdia de Deus. Na Sexta-feira Santa. Sexta-feira Santa e Sábado Santo.

MISSA No momento da Celebração o coroinha é visto por toda comunidade.10). minha tão grande culpa.Formação Para Novos Coroinhas Cor: Branca | Tempo Comum (Segunda Parte). celebra-se a Solenidade da Santíssima Trindade. Em pé: É uma posição de quem ouve com atenção e respeito. Os fiéis podem inclinar a cabeça para receber a bênção solene. Falando dos bem-aventurados.. O Tempo Comum que havia sido interrompido pela Quaresma. na terra e debaixo da terra" (Fl 2. iniciar o outro como primeiro Domingo do Tempo do Advento. em sinal de adoração. Na 34a semana. é de 34 semanas. É a atitude de quem fica à vontade e ouve com satisfação.9). pôs-se de joelhos para orar" (At 9.25). (.. Bater no peito: é expressão de dor e arrependimento dos pecados. a cor é Branca. "de pé.. mais especificamente na véspera do Primeiro Domingo do Tempo do Advento. Por isso é necessário uma postura. consequentemente termina aquele Ano Litúrgico. O Tempo Comum também é chamado "Tempo Durante o Ano". Indica prontidão e disposição do "orante". "Pedro. A Bíblia diz: "Quando vos puserdes em pé para orar.40). celebra-se a Solenidade do Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo ("Corpus Christi"). Significa adoração a Deus. portanto. Também fazemos genuflexão diante do crucifixo na Sexta-Feira Santa. João vê uma multidão. De joelhos: Posição comum diante do Santíssimo Sacramento e durante a consagração do pão e do vinho. sejam quais for. contanto desde a primeira parte. que é Jesus (Ap 7. termina o Tempo Comum e. Todos na assembleia vêm seus movimentos. Fazemos quando entramos na igreja e dela saímos se ali existe o sacrário. Rezar de joelhos é mais comum nas orações individuais. O COROINHA NA S. sem pressa de sair. Página 13 .)" (Mc 11. tendo muita consideração pela pessoa que fala. (Não é adoração à Cruz. diante do Santíssimo Sacramento. Inclinação: Inclinar-se diante de alguém é sinal de grande respeito. a homilia e meditar. Na Quinta-feira após o Domingo da Santíssima Trindade.. mas a Jesus que nela foi pregado). A duração do Tempo Comum. no céu. Este gesto ocorre na oração “Confesso a Deus todo poderoso.” Genuflexão: É um gesto de adoração a Jesus na Eucaristia. tendo mandado sair todos. É também adoração. todos que estão presentes na Santa Missa. no momento em que se pronuncia “Por minha culpa. isto é. devendo.”. diante do Cordeiro". de vestes brancas. se dobre todo joelho. Sentado: É uma posição cômoda que favorece a catequese. boa para a gente ouvir as Leituras. reinicia na Segunda-feira após a solenidade de Pentecostes. São Paulo diz: "Ao nome de Jesus. Nesse dia. No Domingo seguinte.

Não havendo canto de entrada. a seguir. faz o sinal da cruz. Estes se prostravam com o rosto na terra para orar. A Liturgia da Palavra e a Liturgia Eucarística. Hoje essa atitude é própria de quem se consagra a Deus. sem ira e sem contendas" (1 Tm. e concluído pela absolvição do sacerdote (que não alcança pecados graves). Mãos juntas: Significa recolhimento interior. É o gesto aconselhado por Paulo a Timóteo: "Quero. se for oportuno. no tempo pascal. particularmente. e o sacerdote. busca de Deus. é Página 14 . o diácono e os ministros saúdam o altar com uma inclinação profunda. tende piedade' (Kyrie Eleison) é rezado/cantado por todos. como na ordenação sacerdotal. o 'Senhor. Entoado pelo sacerdote ou. Assim fez Jesus no Horto das Oliveiras. súplica. e acompanhar a procissão do sacerdote e dos ministros. Ato penitencial Realizado por toda a assembleia. e cada um desses ritos também possui seu passo a passo.8). 2. Kyrie Se não foi incluído no ato penitencial. a antífona proposta no missal é recitada. Prostração: Gesto muito antigo. Mas cada parte tem um passo a passo. que os homens orem em qualquer lugar. Ajuda o aprofundamento nos mistérios da fé. incensa a cruz e o altar. introdução e preparação. pode-se optar pela bênção e aspersão da água em recordação do batismo. Silêncio: O silêncio tem seu valor na oração. Aos domingos. Chegando ao presbitério. que é cheio de sentido. Significa morrer para o mundo e nascer para Deus com uma vida nova e uma nova missão. reunindo-se em assembleia. Em seguida. levantando ao céu as mãos puras. Entrada A celebração começa com o canto de entrada. o sacerdote. para implorar a misericórdia de Deus. o sacerdote junto com toda a assembleia. por meio de uma confissão geral. e termina com os Ritos Finais. cuja finalidade é inserir os fieis no mistério do tempo litúrgico ou da festa. Saudação Executado o canto da entrada. fé. RITOS INICIAIS O objetivo dos ritos iniciais que precedem a liturgia da palavra e têm o caráter de exórdio. É atitude de profunda piedade. pois. A MISSA PARTE-POR-PARTE A Celebração da Santa Missa se divide essencialmente em duas partes. o sacerdote e o diácono beijam o altar. pelo cantor ou o grupo de cantores.Formação Para Novos Coroinhas Mãos levantadas: É atitude dos "orantes". confiança e entrega da vida. Começa com os Ritos Iniciais. expressa à comunidade reunida a presença do Senhor. constituam uma comunhão e se disponham para ouvir atentamente a palavra de Deus e celebrar dignamente a Eucaristia. Significa súplica e entrega a Deus. se for o caso. bem a gosto dos orientais. "O Senhor fala no silêncio do coração". pela saudação. Sua finalidade é fazer com que os fiéis. Glória O texto deste hino (remonta ao século II) não pode ser substituído por outro.

Leitura do Evangelho É o ponto alto da liturgia da palavra. antes de iniciar sua celebração na Eucaristia. Página 15 . Salmo responsorial O salmo responsorial deve responder a cada leitura e normalmente será tomado do lecionário. LITURGIA DA PALAVRA A liturgia da palavra deve ser celebrada de tal modo que favoreça a meditação. De preferência. após a primeira e a segunda leitura. ocasionalmente. canta-se o Aleluia. Por tradição. uma vez que a cerca mais do que as outras. Conforme antiga tradição da Igreja. deve ser recitado por todos juntos ou por dois coros dialogando entre si. a oração costuma ser dirigida à Trindade Santa. Leituras bíblicas As leituras conservam a unidade dos dois Testamentos e da história da salvação. este diz a oração que se costuma chamar 'coleta'. os fieis respondem à palavra de Deus anunciada da Sagrada Escritura e explicada pela homilia. O Glória é próprio aos domingos (exceto no Advento e na Quaresma) e nas solenidades e festas. por exemplo. como também após o término da homilia. Deve ser cantado ou recitado pelo sacerdote com o povo aos domingos e solenidades. não podendo ser omitida. recordar e professar os grandes mistérios da fé. salvo por motivo grave. a um leigo. sob a ação do Espírito Santo. conforme exigir o tempo litúrgico. Convém que tais momentos de silêncio sejam observados. pelos quais. É obrigatória aos domingos e festas de preceito. O Evangelho é lido pelo sacerdote. proclamando a regra da fé através de fórmula aprovada para o uso litúrgico. quem a leu profere a aclamação. Se não for cantado. Credo Ao rezar o Credo. bem como. A própria liturgia ensina que se lhe deve manifestar a maior veneração. Aclamação ao Evangelho Após a leitura que antecede o Evangelho. no lugar do Aleluia. o ofício de proferi-las é ministerial: deve ser feito pelo leitor. pela qual se exprime a índole da celebração. Se não puder ser cantado. canta-se o versículo antes do Evangelho proposto no lecionário. Não é permitido trocá-las por outros textos não bíblicos. Em casos especiais e por motivo razoável a homilia também pode ser feita pelo Bispo ou presbítero que participa da celebração sem que possa concelebrar. de honra especial.Formação Para Novos Coroinhas cantado por toda a assembleia. Na ausência deste. Após cada leitura. respondida pelos demais. seja recitado do modo mais apto para favorecer a meditação da palavra de Deus. Tal aclamação constitui um rito ou ação por si mesma. Integramna também breves momentos de silêncio. porém. se acolhe no coração a Palavra de Deus. ao menos no que se refere ao refrão. antes de se iniciar a própria liturgia da palavra. pode ser feito pelo sacerdote. será cantado. Na Quaresma. nunca. Após a homilia convém observar um breve tempo de silêncio. Oração da coleta Ao convite do sacerdote ('Oremos'). a um diácono. Homilia É proferida pelo próprio sacerdote celebrante ou por ele delegada a um sacerdote concelebrante ou. por meio do qual os fieis acolhem o Senhor que lhes vai falar no Evangelho.

pela salvação de todo o mundo. convidando os fiéis a rezarem e depois a conclui.aclamação pela qual toda a assembleia. Em seguida. A Igreja dispôs toda a celebração eucarística de modo a corresponder às palavras e gestos de Cristo: na preparação dos dons levam-se ao altar o pão e o vinho com água. As intenções são proferidas do ambão pelo diácono. o missal e o cálice. o sacerdote lava as mãos.Formação Para Novos Coroinhas Oraçã o univer sal Cabe ao sacerdote dirigir a oração. na oração eucarística. a cruz e o próprio altar. pelos que sofrem e pela comunidade local. isto é. a não ser que se prepare na credência. Ação de graças . quando Cristo instituiu o sacramento eucarístico. recebem o Corpo e o Sangue do Senhor de um só pão e de um só cálice. em seguida.). Ele a introduz com breve exortação. ao lado do altar. por Cristo. unindo-se à oração. pelo leitor ou por um fiel leigo. louva a Deus. pelos poderes públicos. glorifica a Deus e lhe rende graças por toda a obra da salvação ou por um dos seus aspectos. aqueles elementos que Cristo tomou em suas mãos. LITURGIA EUCARÍSTICA É a parte central da missa. a festividade ou o tempo. que podem ser levadas pelos fieis. até o sacerdote. das mãos do próprio Cristo. pala fração do pão e pela comunhão os fieis.o sacerdote. exéquias etc. Outras podem ser agregadas de acordo com a ocasião (matrimônio. O povo. As intenções são pelas necessidades da Igreja. O canto do ofertório acompanha a procissão das oferendas e se prolonga pelo menos até que os dons tenham sido colocados sobre o altar. Depositadas as oferendas sobre o altar e terminados os ritos que as acompanham. Página 16 . a faz sua pela aclamação 'amém'. proferindo as fórmulas estabelecidas. Traz presente a última ceia. A oração eucarística exige que todos a ouçam respeitosamente e em silêncio. pelo cantor. Oração eucarística O sacerdote convida o povo a elevar os corações ao Senhor na oração e ação de graças e o associa à prece que dirige a Deus Pai. Preparação das ofertas Oração sobre as ofertas O sacerdote prepara o altar colocando nele o corporal. rendem-se graças a Deus por toda a obra da salvação e as oferendas tornam-se Corpo e Sangue de Cristo. trazem-se as oferendas. e com a oração sobre as oferendas. o purificatório.a Igreja implora por meio de invocações especiais a força do Espírito Santo para que os dons oferecidos pelo ser humano sejam consagrados e que a hóstia imaculada se torne a salvação daqueles que vão recebê-la em comunhão. embora muitos. unindo-se aos anjos. Santo . de acordo com o dia. A seguir. conclui-se a preparação dos dons e prepara-se a Oração eucarística com o convite aos fieis a rezarem com o sacerdote. do mesmo modo como os apóstolos. como rito de purificação. O pão e o vinho são depositados sobre o altar pelo sacerdote. Epiclese . em nome de todo o povo santo. o sacerdote pode incensar as oferendas colocadas sobre o altar e. no Espírito Santo.

oferece ao Pai. que foram chamados a participar da redenção e da salvação obtidas pelo Corpo e Sangue de Cristo. usando as palavras prescritas do Evangelho. respondido pelos fieis. tanto celeste como terrestre. e o sacerdote acrescenta sozinho o embolismo.Formação Para Novos Coroinhas Consagração . que a oblação é feita por ela e por todos os seus membros vivos e defuntos. A saudação entre os fieis há de ser sóbria e apenas aos que lhe estão mais próximos. em particular a assembleia atualmente reunida. Intercessões . Anamnese .pelas palavras e ações de Cristo. relembrando principalmente a sua bem-aventurada paixão. todos os fiéis recitam a oração com o sacerdote.a Igreja. ajudado. se for o caso. Pai Nosso Rito paz O sacerdote profere o convite. por meio da qual a Igreja implora a paz e a unidade para si mesma e para toda a família humana. o Cordeiro de Deus. pelo diácono ou um concelebrante. Enquanto o sacerdote recebe o sacramento. que o povo encerra com a doxologia. o sacerdote profere a oração depois da comunhão. é confirmada pela assembleia. que em certos dias e ocasiões é enriquecida e expressa pela oração sobre o povo. Doxologia final – Oração rezada somente pelo sacerdote. então. dando-lhes a ordem de perpetuar este mistério. a hóstia imaculada. com um solene 'Amém'. A seguir. RITOS FINAIS Nos ritos de encerramento temos breves comunicações (avisos). Oblação . Comunh O sacerdote prepara-se por uma oração em silêncio para ão receber frutuosamente o Corpo e Sangue de Cristo. para significar a unidade do Corpo e do Sangue do Senhor. faz um ato de humildade. Para encerrar todo o rito da Comunhão.a Igreja faz a memória do próprio Cristo. Entoa-se. da Oração dita somente pelo sacerdote. saudação e bênção do sacerdote. Os fiéis fazem o mesmo. ao oferecer o seu Corpo e Sangue sob as espécies de pão e vinha. e. a gloriosa ressurreição e a ascensão aos céus. se realiza o sacrifício que ele instituiu na última Ceia. em que implora os frutos do mistério celebrado. se forem necessárias.pelas quais se exprime que a Eucaristia é celebrada em comunhão com toda a Igreja. e entregá-los aos apóstolos como comida e bebida. O sacerdote coloca uma parte da hóstia no cálice. realizando esta memória. unindo-se aos fiéis. ou por outra fórmula mais solene. Fração do pão O sacerdote parte o pão eucarístico. no Espírito Santo. entoa-se o canto da comunhão que se estenderá à comunhão dos fieis. rezando em silêncio. o sacerdote mostra aos fiéis o pão eucarístico sobre a patena ou sobre o cálice e convida-os ao banquete de Cristo. despedida do povo pelo diácono ou pelo Página 17 .

para que cada qual retorne às suas boas obras. a inclinação profunda ao altar pelo sacerdote. o diácono e os outros ministros. louvando e bendizendo a Deus. o beijo ao altar pelo sacerdote e o diácono e. Página 18 .Formação Para Novos Coroinhas sacerdote. em seguida.