Você está na página 1de 5

UNIBH - CENTRO

UNIVERSITÁRIO

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA: CAPACIDADE DE TAMPONAMENTO DA SALIVA
RESUMO
O objetivo deste experimento é testar a capacidade de tamponamento da saliva antes
e após a ingesta de determinados reagentes. As alterações do pH de cada individuo
logo depois da ingestão, em 20 e em 40 minutos, bem como o pH do próprio reagente.
Visando instigar os integrantes a discutir o assunto e associá-lo com a propensão a
caries. Finalmente elaborar um relatório para comparação e interpretação dos
resultados.
Para este teste foram divididos grupos de quatro e cinco pessoas, cada integrante ficou
responsável pela ingesta de determinado reagente medindo seu pH salivar antes da
ingesta, logo após a ingestão, 20 e 40 minutos após, também foi medido o pH do
próprio reagente para determinar sua mudança em contato com a saliva. Todos os
resultados foram registrados, comparados e discutidos.
INTRODUÇÃO
O termo pH é usado para descrever o grau de acidez ou alcalinidade (basicidade) de
uma solução. A acidez ou a alcalinidade de uma solução é expressa em uma escala de
pH que vai de 0 a 14. Essa escala de pH é baseada no
número de hidrogênios livres (H+) em uma solução. Uma solução com valor 0 na
escala de pH tem muitos H+ e poucos OH-. Uma solução com pH 14, em contraste,
tem muitos OH- e poucos H+. (1)
A medida do ph é um dos procedimentos mais importantes e frequentemente utilizados
em bioquímica, pois o pH determina muitas características importantes da estrutura e
atividade das macromoléculas biológicas, como a atividade catalítica das enzimas (5)
Embora o pH dos vários fluidos corporais possa ser diferente, os limites normais de
cada um são específicos e estreitos. Mesmo sabendo-se que ácidos e bases são
continuamente ingeridos em forma de comidas e bebidas, os níveis de pH dos fluidos
corporais permanecem relativamente constantes por causa dos sistemas de
tamponamento do corpo. Os tampões são encontrados nos fluidos corporais. Eles
previnem mudanças drásticas de pH e auxiliam na manutenção da homeostasia.
Os fluidos corporais devem manter um equilíbrio constante de ácidos e bases pelo fato
de as reações bioquímicas que ocorrem em sistemas vivos serem extremamente
sensíveis mesmo a pequenas alterações de acidez ou alcalinidade do meio. Exemplo:
cárie e tártaro. (1)
fatores como o tipo de glicídios presentes, a consistência pegajosa
ou aderente do alimento e o tempo que o alimento permanece na boca exercem
grande influência na sua capacidade de provocar cáries. (6)

Uma mudança na concentração de qualquer componente de uma reação de equilíbrio
requer uma mudança concomitante de todos os componentes. (3)

pois muitas bactérias necessitam de um pH específico para seu crescimento máximo. (2) Dentre os fluidos biológicos. não sendo rapidamente tamponados e limpos pela saliva. que bloqueiam o excesso de ácidos e de bases. As soluções-tampão tendem a resistir a mudanças de ph perante adições de pequenas quantidades de ácido ou de base fortes. por negar-lhes as condições ambientais ideais. 3. podem desmineralizar o esmalte. HCO3 / H2CO3 e HPO4 / H2PO4.Suco de limão(vou levar) B . Um de cada vez.Ingerir. lentamente. 4 goles de suco de: A. (4) A capacidade-tampão da saliva (CTS) é a propriedade de a saliva manter o seu pH constante a 6. mucinato/mucina.Comparar e interpretar os valores encontrados.Iogurte(vou levar) Papel indicador de pH 1. B. o elevado poder tamponante da saliva mantém a higidez da mucosa bucal e dos dentes. os microrganismos da placa podem produzir ácido a partir de açucares. os quais. coletar a saliva em outro copo de béquer pequeno e medir o pH.Imediatamente. do mesmo modo descrito no item 1 e anotar o seu valor. na saliva coletada a ponta de uma tira de papel indicador de pH e com auxilio de uma tabela anotar o valor do pH obtido. C. 6.Coletar a saliva.9-7. evitando o desenvolvimento de bactérias que formam a placa bacteriana.Leite(vou levar) C . Os tampões mucinato/mucina e monofosfato/bifosfato agem da mesma forma. graças aos seus tampões.Fazer a medição do pH de cada uma das substâncias utilizadas em aula e anotar os resultados. 5. 2. a saliva também constitui uma solução tampão.0. cuspindo em copo de béquer pequeno. repetir o item 1 anotar o resultado obtido. evitando a colonização da boca por microrganismos potencialmente patogênicas. 4.UNIBH .CENTRO UNIVERSITÁRIO ‘ Uma solução tampão consiste de uma mistura de um acido fraco e sua base conjugada. Mergulhar. com a função de neutralizar os ácidos presentes na boca. em segundo lugar. e assim.Após 25 minutos. A saliva protege a cavidade oral de duas maneiras: primeiro. MATERIAL E MÉTODO Reagentes: Saliva A . .

Lazaro. 2001 Bioquimica 3 edição . – Manual de bioquímica com correlações químicas – Traduzido da 7 edição por Yara M. Devlin.saliva. Lehninger. 5.UNIBH .CENTRO UNIVERSITÁRIO ‘ Referencias: 1. 1994 – editora Sarvier.acessado em 01/08/2013 as 20:00 2.acessado em 31/08/2013 as 11:35.br/saliva/saliva/ph .São Paulo. 6. et al – Revista de Nutrição – Campinas .org. 2011 4.Editora Artmed 3. Thomas M. http://www. Cristiane P. Albert L. – Principios de Bioquimica. http://qnesc.pdf .sbq.com. Mary K.br/online/qnesc13/v13a04. Campbell. Michelacci – Editora Blucher .

UNIBH .CENTRO UNIVERSITÁRIO ‘ FOLHA DE REGISTROS EXPERIMENTAIS TÍTULO DA PRÁTICA: CAPACIDADE TAMPONANTE DA SALIVA PROFESSOR: DATA: CURSO: TURMA: INTEGRANTES DO GRUPO: OBJETIVO: Parte 1 pH saliva pura pH suco de limão pH leite pH iogurte Parte 2 pH da saliva logo após ingestão de A pH da saliva logo após ingestão de B pH da saliva logo após ingestão de C pH da saliva 25 minutos após ingestão de A pH da saliva 25 minutos após ingestão de B pH da saliva 25 minutos após ingestão de C .

UNIBH .CENTRO UNIVERSITÁRIO ‘ Conclusão .