Você está na página 1de 11

ETIQUETA

1 Rs 10:1-9 – vs. 5

Pv 31:10 – “Mulher virtuosa, o seu valor excede finas jóias”.

A palavra francesa “étiquette”, adotada pelos portugueses, ingleses, e por


muitas outras línguas, significa rótulo, tarja, bilhete de qualidade. Quando
falamos em etiqueta é comum associarmos esta palavra a regras restritas aos
extratos mais elevados da sociedade, algo fora do alcance da maior parte das
pessoas.

Por muito tempo esta foi a idéia de etiqueta. Hoje, no entanto, ela deve
ser entendida como um importante elemento da formação individual, capaz de
disciplinar a atitude de cada um em relação ao próximo (Gianine Luiza).

Vamos falar de etiqueta!

Etiqueta que torna as pessoas amigas, mais simpáticas, mais sinceras,


mais próximas e prontas para encarar situações de maneira fácil e
descomplicada, pois a etiqueta existe para auxiliar no dia-a-dia.

Algumas regras de etiqueta são básicas e, uma vez assimiladas, não se


esquece jamais, passando a fazer parte dos nossos dias, podendo ser chamadas
de atitudes de carinho, de amizade, boa educação e polidez.

Etiqueta na Prática

1. Comunicação Verbal

1.1. Apresentação:

É dever dos anfitriões apresentar os convidados que não se conhecem,


facilitando assim o clima de cordialidade, o que fará com que a conversa flua
rapidamente.

As pessoas de cortesia sentem que, até na rua, há ocasiões que exigem


uma apresentação. Quando acompanhadas, e ao encontrarem um conhecido,
elas devem ter o cuidado, no caso de a conversa durar alguns minutos, de
apresentarem rapidamente as pessoas que não se conhecem. Isto evita o
constrangimento de elas deixarem alguém de lado e pouco à vontade.

Ninguém gosta, especialmente diante de estranhos, de se sentir


esquecido.

Etiqueta 1
1.2. Cumprimentos:

A forma de saudação varia com o grau de intimidade. Podemos abaixar a


cabeça levemente, fazer um aceno, dar um aperto de mão simultâneo, ou ainda
dar um beijo nas faces.

Apertar a mão de um conhecido significa um gesto simbólico de satisfação.


É por isto que causa uma má impressão o fato de alguém dar a mão sem
nenhuma firmeza, ou só com a ponta dos dedos. Isto é um sinal de insegurança,
e também pode ser interpretado como um desleixo ou pouco caso. Grosseria é
um aperto de mão muito forte, comprimindo os dedos da pessoa e “esmagando-
os”. Quanto à postura no aperto de mão, o braço direito deve ficar dobrado,
formando um ângulo reto, e a outra mão não deve estar no bolso.

Uma senhora não se levanta ao cumprimentar um homem ou uma outra


senhora, mas o homem deve levantar-se, exceto se ele for de muita idade ou
tiver algum impedimento físico.

2. Comunicação Escrita

2.1. Como convidar

Todo convite deve indicar a data, o horário e o local, e, em alguns casos, o


traje também.

Por telefone, o convite deve ser feito com dois dias de antecedência no
mínimo. Nunca deixe para a última hora!

2.2. Recebendo o convite

Ninguém é obrigado a aceitar um convite, porém, devemos recebê-lo de


uma forma cortês, mesmo que não o confirmemos. Se por algum motivo o
convidado não pode ou não deseja comparecer, é importante dizer que ele não
estará presente, pois, numa reunião de poucos convidados, a dona da casa
precisa organizar-se.

2.3. Quando não convidar

Não é correto formularmos um convite diante de outras pessoas que não


serão convidadas, ou falarmos da festa que está sendo programada e que não
terá a presença delas. A ocasião para convidarmos alguém deve ser bem
determinada. Não use um encontro casual na rua, no teatro, ou numa festa,
deixando incerto se já havia a sua intenção deste gesto. No entanto, você poderá
mencionar que o convite será feito num contato posterior.

Etiqueta 2
3. Conversa

3.1. Gestos

Devemos ter o cuidado com o que dizemos e como o dizemos. Também


são importantes os gestos. Os que falam batendo no braço da outra pessoa, em
todo o momento, ou estendem o braço, e com a sua mão quase atingem o rosto
do outro, tornam-se desagradáveis.

3.2. Falar demais

Contar histórias longas sempre é perigoso, quando as demais pessoas não


participam do assunto, pelo menos com perguntas.

3.3. Gafes

Narrarmos uma situação ou um fato doloroso que aconteceu com alguém


de fora, sem sabermos que um dos presentes também passou por coisas
semelhantes é um exemplo disto.

Exemplo de uma gafe: Alguém diz que detesta um determinado prato e,


na hora do jantar, este alimento faz parte do cardápio. O jeito é sorrirmos e não
voltarmos ao assunto!

4. Postura

4.1. Verifique sua postura

Você apresenta afetação ou tensão? Está


encurvada? Esforce-se para conseguir uma pose
natural, que seja descontraída sem ser
desleixada, e “controlada” sem apresentar sinais
de afetação ou tensão!

4.2. Verifique seu perfil

Mesmo que você tenha um corpo privilegiado,


a posição ligeiramente de perfil é muito mais
interessante.

4.3. Verifique seus pés

Não deixe os pés paralelos e perfeitamente


alinhados. A posição mais agradável é quando um
dos pés fica ligeiramente atrás do outro, formando

Etiqueta 3
um ângulo. Os modelos freqüentemente assumem uma posição em que os
pés formam quase um ângulo reto.

4.4. Verifique suas mãos

Não deixe que seus braços e mãos


pendam ao longo do corpo, como se não
tivessem vida. Dobre os braços e mãos
levemente seguindo a linha do corporal,
ou coloque-os para trás. Para diminuir o
incômodo e o embaraço, tenha à mão
algum pequeno objeto.

4.5. Verifique suas pernas

Suas pernas estão deselegantemente


separadas? Quando sentada, não deixe
as pernas separadas. Embora os ombros
e a cabeça possam estar em uma posição
frontal, mantenha as pernas unidas em
posição lateral, com os tornozelos e
joelhos unidos.

4.6. Verifique sua expressão facial

Pela prática você deve desenvolver a


capacidade de apresentar uma expressão
agradável quando quiser. Olhe no espelho até
descobrir sua expressão facial mais bonita!
Que lado lhe oferece uma face mais
charmosa?

5. Esta é a maneira de ficar em pé... andar... sentar

A maneira pela qual você mantém a cabeça determina, em grande parte,


sua postura total e sua graciosidade. As rosas perdem a beleza quando se
curvam sobre a haste, e o mesmo acontece com você!

Uma cabeça pendida causa uma série de transtornos em sua aparência.


Experimente e verá! Deixe sua cabeça pender. O que acontece?

- Seus ombros caem;

Etiqueta 4
- Seu busto perde concavidade;
- Sua cintura aumenta.

Quando a linha da cintura desaparece, o busto e os quadris se emendam.


Você perdeu cerca de três centímetros de altura e
ganhou centímetros na cintura. Perdeu seu
contorno sinuoso. Desmanchou-se como gelatina
fora da forma. Nem mesmo uma pessoa de
medidas perfeitas tem boa aparência nessas
condições! Para um equilíbrio corporal perfeito e
uma aparência realmente charmosa, alinhe seu
corpo da seguinte forma:

5.1. Mantenha a cabeça ereta

Levante-a! Não com o queixo; levante-a com


o pescoço! Levante a cabeça até sentir um
leve puxão atrás das orelhas. Ao mesmo
tempo, force levemente os ombros para
baixo. Mantenha sempre a maior distância
possível entre a cabeça e os ombros.

5.2. Mantenha firmemente a cabeça sobre os


ombros

Nunca deixe a cabeça pender sobre o busto.


Puxe-a deliberadamente para trás com os
músculos do pescoço até que o centro de
sua orelha fique alinhado verticalmente com
o centro do ombro. Peça a uma pessoa que
verifique a posição de sua cabeça, segurando
um lápis ou régua verticalmente junto ao
lóbulo da orelha. Fica este perfeitamente
alinhado com o centro do ombro? Force sua
cabeça para trás até conseguir o
alinhamento. É nessa posição que sua
cabeça deve ficar.

5.3. Mantenha os ombros na horizontal

Não dobre os ombros para frente como se fosse um gavião. Nem os lance
para trás, como um soldado em posição de sentido. Exerça uma suave
pressão para baixo de modo a mantê-los baixos e relaxados. Não os
mantenha altos e tensos.

Etiqueta 5
5.4. Deixe os braços penderem
naturalmente

Não permaneça com os braços rígidos


ou com os punhos fechados. Dobre
ligeiramente os cotovelos e encoste
levemente as mãos na parte lateral
das coxas.

5.5. Mantenha o tórax erguido, porém


descontraído

Não encha o tórax como um balão. O


busto, quando lançado para frente,
projeta os ombros para trás de modo
deselegante, tornando muito salientes
as costas e as nádegas. Mantenha o
busto ereto apenas o suficiente para
deixar bastante espaço entre o quadril
e as costelas. Isso produzirá uma
figura mais atraente!

5.6. Force as nádegas para baixo e o


estômago para cima e para dentro

Estes dois trabalham juntos. Ao


contrair os músculos das nádegas,
forçando-os para baixo e para dentro,
ao mesmo tempo contraia o
estômago, puxando-o para dentro e
para cima. Essa área é sumamente
importante! Mantenha esses músculos
sempre sob controle!

5.7. Mantenha os joelhos descontraídos e


levemente flexionados

Se você mantiver os joelhos rígidos,


produzirá uma figura curvada em
forma de “S”. Tente enrijecer os
joelhos e veja o que acontece! Sente o
seu peso jogado para frente e o
estômago saliente? Note que suas
costas estão curvadas e que seus
quadris se projetam muito para trás.

Etiqueta 6
Ao invés de parecer alta e majestosa, sua figura sacode-se de maneira
grotesca.

5.8. Aponte os dois pés para frente

Nunca sobrecarregue uma das pernas com todo o seu peso. Divida seu
peso igualmente entre as duas pernas. Você ficará mais elegante!

6. A Mesa

6.1. Arranjos de Mesas

Existem várias maneiras de dispor louça, cristais e talheres em uma mesa.


Dependendo da forma, teremos disposição à americana, à brasileira, à francesa,
à russa e à inglesa. No dia-a-dia essas formas são bastante simplificadas, ficando
a critério de cada um. Os esquemas abaixo auxiliam a compreensão:

1. Prato 10. Copo para água


2. Guardanapo 11. Copo para champanhe
3. Garfo 12. Prato para pão
4. Garfo para peixe 13. Faca para manteiga
5. Colher para sopa 14. Faca para sobremesa
6. Faca para peixe 15. Colher para sobremesa
7. Faca 16. Garfo para sobremesa
8. Copo para vinho branco 17. Garfo para ostra ou melão
9. Copo para vinho tinto

ARRANJO À BRASILEIRA ARRANJO À INGLESA ARRANJO À RUSSA

Etiqueta 7
ARRANJO À FRANCESA ARRANJO À AMERICANA ARRANJO SIMPLIFICADO

6.2. Comida

A escolha e a ordem dos pratos a serem servidos são o ponto de partida


para o arranjo da mesa. As características dos convidados também devem ser
levadas em conta. Pratos muito temperados não agradam as pessoas de mais
idade. Se alguém está de regime, prefira receitas mais leves ou ofereça opções.
O clima e o horário da refeição também influenciam. Uma feijoada não é indicada
em dias de calor, ou à noite, pois a nossa digestão torna-se mais difícil. Há
também tipos de refeições de acordo com a ocasião e o local. Num jantar
formal, por exemplo, é deselegante servirmos massas. Os suflês são mais
apropriados em almoços.

6.3. Bebidas

Selecione as bebidas. Em geral, esta é uma tarefa que os homens


assumem de bom grado e com experiência.

6.4. Tipos de cálices

1. Licor 5. Água ou Refrigerante


2. Vinho do Porto 6. Taça
3. Vinho Branco ou Rose 7. Cálice flute para champagne
4. Vinho Tinto

6.5. Toalhas

Num jantar formal, uma tolha tradicional tem a cor branca. Atualmente
há mais liberdade na escolha das cores quando recebemos em casa com mais
formalidade.

Etiqueta 8
6.6. Guardanapos

Os guardanapos de pano são para jantares mais formais, e os de papel


são sempre para reuniões descontraídas e em casas de lazer.

6.7. Montagem à mesa

Deixamos uma folga de 8 cm entre o prato e a borda da mesa. Se a


porcelana tiver motivos florais, desenhos isolados ou um monograma, os pratos
devem ser colocados com o desenho na mesma posição.

6.8. Talheres

As colheres e as facas devem ser colocadas à direita, com o fio para


dentro, e os garfos à esquerda, com exceção do garfinho de ostra.

Os talheres de sobremesa podem ser colocados desde o começo da


refeição, acima do prato.

6.9. Copos

A seqüência vai do mais alto para o mais baixo: champagne, água, vinho
tinto, e vinho branco.

6.10. ATITUDES À MESA

É a anfitriã que mostra os lugares à mesa quando não houver um cartão


indicando os nomes das pessoas. Você deve tomar cuidado com a sua postura
na cadeira: costas retas, pulsos apoiados na mesa, quando você não estiver
comendo.

O guardanapo é logo colocado sobre os joelhos, conservando-se uma ou


duas dobras para que ele não escorregue facilmente. Ao final da refeição, deixe
o guardanapo usado na mesa, à esquerda do prato, sem dobrá-lo.

Etiqueta 9
6.11. Arranjo dos Pratos

Prato principal; prato de sobremesa; no canto superior à esquerda, o


pratinho de pão, com a faca para a manteiga.

6.12. Buffet

É a modalidade mais prática de se receber para o almoço ou jantar,


resolvendo problemas de espaço. O cardápio para um bufê deverá constar de
alimentos que sejam fáceis para se comer.

Os cotovelos são sempre conservados junto ao corpo, e procure não


curvar os ombros.

Se houver dúvidas quanto ao talher apropriado para o prato servido,


observe o que as pessoas experientes estão fazendo. Numa mesa bem posta, a
ordem de uso dos talheres é sempre de fora para dentro, de acordo com a
seqüência dos pratos.

Quem deseja um desempenho mais elegante ao comer poderá usar dois


talheres, adquirindo assim uma naturalidade através da prática.

Jamais devemos levar uma faca à boca!

Ao tomarmos sopa em prato fundo, a colher deverá ser conduzida de


dentro para fora, evitando assim que ela pingue em nossa roupa.

Não devemos gesticular com uma colher na mão.

A indicação de que estamos satisfeitos é feita com os dois talheres sendo


dispostos paralelamente sobre o prato – a faca com o fio para dentro, e o garfo
com a parte convexa para baixo. Este é o sinal para a retirada do prato.

Ao beber, cada vez que você levar o


líquido à boca, você deverá passar
antes o guardanapo nos lábios para
evitar que a gordura da comida fique
no cálice e marcas de vinho em sua
boca. Segure o cálice pela haste.

Etiqueta 10
Etiqueta 11