Você está na página 1de 4

Nº 11524/2011-WM

RECURSO ORDINÁRIO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 30987/DF

RECTE. (S):

GRUPO OK CONSTRUCOES E INCORPORACOES S/A

RECDO.(A/S):

PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA

RELATOR:

MINISTRO MARCO AURÉLIO/STF

Recurso Ordinário em Mandado de Segurança. Recurso Extraordinário inadmitido. Agravo de Instrumento com seguimento negado. Instrumento processual adequado: reclamação. Pelo desprovimento da iniciativa.

Trata-se de recurso ordinário em mandado de segurança

contra

acórdão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que manteve o não conhecimento da impetração, dada a incidência, por analogia, da Súmula nº 267 1 do Supremo Tribunal Federal (STF).

interposto

pelo

GRUPO

OK

CONSTRUÇÕES

E

INCORPORAÇÕES

S/A

O impetrante sustenta a ausência de previsão legal a impedir manuseio do writ, na espécie. Assevera, ainda, que a reclamação constitucional, por não ostentar natureza recursal, não obsta o mandado de segurança.

1 STF – Súmula 267: “Não cabe mandado de segurança contra ato judicial passível de recurso ou correição”.

Nº 11524 / 2011 -WM (RMS 30987/DF)

Vêm os autos para manifestação do custos legis.

A iniciativa não merece ser acolhida.

Confirma-se, em sede preliminar, a competência recursal ordinária do STF para o feito, nos moldes da acepção que esta Corte Suprema imprime à expressão “decisão denegatória” presente no art. 102, II, “a”, da CF/88 2 .

Com

efeito,

a

decisão

adveio

de

julgamento

colegiado,

atendendo-se, portanto, à condicionante insculpida no RMS 24.237/AL 3 , in verbis:

Para instaurar-se a competência recursal ordinária do Supremo

Tribunal Federal (CF, art. 102, II, "a"), impõe-se que a decisão

julgamento

colegiado, proferido, em sede originária, por Tribunal Superior da União (TSE, STM, TST e STJ). Tratando-se de decisão monocrática, emanada de Relator da causa mandamental, torna-se indispensável - para que se viabilize a interposição do recurso ordinário para a Suprema Corte - que esse ato decisório tenha sido previamente submetido, mediante interposição do recurso de agravo ("agravo regimental"), à apreciação de órgão colegiado competente do Tribunal Superior da União. Precedente”. (grifo nosso)

denegatória

do

mandado

de

segurança

resulte

de

Assim, por ser tempestivo o recurso e presentes os demais requisitos, tem-se por positivo o juízo de admissibilidade.

Já em sede meritória, observa-se, na espécie, a insubsistência das teses esposadas pelo recorrente.

Com efeito, o regramento legal prevê limitações ao mandado de segurança, in verbis:

2 STF – RE 423817 AgR/DF – Rel. Min. Sepúlveda Pertence – DJ 2/9/2005.

3 STF – RMS 24.237/AL – Rel. Min. Celso de Mello – DJ 03.05.2002.

2

Nº 11524 / 2011 -WM (RMS 30987/DF)

“Art. 5º Não se concederá mandado de segurança quando se tratar:

I –

suspensivo, independentemente de caução;

II – de decisão judicial da qual caiba recurso com efeito suspensivo;

III – de decisão judicial transitada em julgado”.

de

ato

do

qual

caiba

recurso

administrativo

com

efeito

Ademais, a incidência da Súmula nº 267 do STF, para o caso, dá-se por analogia. De fato, apesar da reclamação não deter natureza recursal, consubstanciando, na visão do Pretório Excelso, verdadeiro direito de petição 4 , é o instrumento adequado previsto na sistemática processual à preservação da competência e autoridade das decisões das Cortes Superiores, não se justificando a utilização do remédio heroico como seu sucedâneo.

Se

por

mais

não

fosse,

o

caso

não

suscita

invasão

de

competência, na esteira do precedente do próprio STF, aplicável na espécie:

“Questão de Ordem. Repercussão Geral. Inadmissibilidade de agravo de instrumento ou reclamação da decisão que aplica entendimento desta Corte aos processos múltiplos. Competência do Tribunal de origem. Conversão do agravo de instrumento em agravo regimental. 1. Não é cabível agravo de instrumento da decisão do tribunal de origem que, em cumprimento do disposto no § 3º do art. 543-B, do CPC, aplica decisão de mérito do STF em questão de repercussão geral. 2. Ao decretar o prejuízo de recurso ou exercer o juízo de retratação no processo em que interposto o recurso extraordinário, o tribunal de origem não está exercendo competência do STF, mas atribuição própria, de forma que a remessa dos autos individualmente ao STF apenas se justificará, nos termos da lei, na hipótese em que houver expressa negativa de retratação. 3. A maior ou menor aplicabilidade aos processos múltiplos do quanto assentado pela Suprema Corte ao julgar o mérito das matérias com repercussão geral dependerá da abrangência da questão

4 STF – ADIn 2212/CE – Rel. Min. Ellen Gracie – j. 2.10.2003.

3

Nº 11524 / 2011 -WM (RMS 30987/DF)

constitucional decidida. 4. Agravo de instrumento que se converte em agravo regimental, a ser decidido pelo tribunal de origem” 5 .

Do exposto, o MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL opina pelo

desprovimento do recurso.

Brasília-DF, 29 de novembro de 2011.

WAGNER DE CASTRO MATHIAS NETTO Subprocurador-Geral da República

(Autos eletrônicos recebidos no Gabinete em 17.11.2011) Jgm/ap.

5 STF – AI 760358 QO/SE – rel. Min. Gilmar Mendes – Pleno – j. 19.11.2009.

4