Você está na página 1de 3

Presente em revista 0 MIOLOƒ 04.12.

03 12:04 Page 14

M Ã O N A M A S S A

Projeto Jornal-Mural
História
SUGESTÕES DE ATIVIDADES

DIVERSIDADE CULTURAL
CID

E ALIMENTAÇÃO
As aulas de História permitem trabalhar a
diversidade cultural presente na nação brasileira
em diferentes tempos.
Mas como abordar as especificidades culturais
das várias etnias presentes no Brasil nas séries
iniciais do Ensino Fundamental?
Um caminho indicado pelos Parâmetros
Curriculares Nacionais é a abordagem de elemen-
tos da vida cotidiana das diferentes etnias, como
moradia, vestimenta, educação, alimentação.
Para exemplificar algumas possibilidades de
trabalho com cada série, selecionamos o tema
“alimentação”.

1ª Merenda
série

das escolas
Um dos temas trabalhados na primeira série
é o das vivências na escola, destacando as
atividades que o aluno realiza no recreio.
Você pode utilizar esse momento para discu-
tir a diversidade cultural presente na alimen-
tação das diferentes regiões do Brasil.
Para isso, leia para os alunos o texto que
segue, sobre as merendas servidas nas escolas
públicas de alguns estados brasileiros:
Presente em revista 0 MIOLOƒ 04.12.03 12:04 Page 15

M Ã O N A M A S S A

Pará de merenda oferecida em um dos Estados já


Açaí (fruta regional) com farinha de tapioca; mencionados.
mingau de tapioca (espécie de farinha feita de · Estas receitas poderão ou compor um livro –
mandioca); arroz com feijão e charque (carne Merendas das escolas do Brasil ou serem afi-
de vaca salgada). xadas no Jornal-Mural da escola.
Amazonas
Mingau de banana com castanha-do-pará ou


farinha de tapioca, mungunzá (mingau de
milho branco); suco de cupuaçú (fruta regional).
Alimentação
Ceará ontem e
Baião-de-dois (feijão e arroz cozidos juntos)
com charque; paçoca com charque (farinha e
série hoje
carne misturadas). Na segunda série, nós trabalhamos o tema
Bahia “família”, destacando os utensílios domésticos
Feijão-tropeiro (feijão com farinha e vários utilizados há cerca de cem anos.
temperos, tudo misturado: carnes, couve, cebo- O momento é propício para mostrar mudanças
la, pimentão, ovo); arroz com frango e legumes. e permanências na forma de produção dos ali-
Espírito Santo mentos. Leia para a classe o depoimento da Sra.
Macarronada com molho de carne moída; Risoleta, que nasceu em 1900:
arroz com feijão; tutu de feijão (pirão de feijão Quase tudo se fazia em casa: a gente matava
e farinha com alguma carne defumada). porco, fazia lingüiça, abria panos de carne, sal-
São Paulo gava e guardava pro mês inteiro, tirava os ossos
Macarrão com carne ou salsicha; arroz com e vendia pras fábricas de botão. (...)
feijão; suco de laranja e pão com salsicha; leite O forno era de tijolos, redondo, cabia vinte,
com bolo. 24 pás dentro do forno. A gente amassava o
Goiás pão na amassadeira, com o cilindro, sovava
bem, que pão gostoso! Eu tenho saudades. O
Galinhada (frango em pedaços, cozido com
forno era fora com a boca dentro da cozinha; a
arroz e temperos); salada de frutas; pratos à
gente enchia de lenha, queimava, quando tava
base de feijão.
bem branquinho, tava bom! Varria, jogava um
Mato Grosso do Sul punhadinho de fubá pra ver a temperatura,
Arroz-de-carreteiro (arroz cozido com carne porque se estivesse muito quente podia
seca, repolho e temperos); farofa com folhas de queimar todo o pão.
beterraba e cenoura; carne moída ou frango.
Extraído de Bosi, Ecléa. Memória de velhos: lembrança de velhos.
Santa Catarina São Paulo: Companhia das Letras, 1994, p. 367-368.
Risoto de frango; sopa de verduras ou feijão; Discuta com os alunos as seguintes questões:
bebidas com leite e biscoito; canja; sucrilhos
· Segundo o texto, como eram produzidos os
com leite.
alimentos na família de D. Risoleta?
Fonte: Secretarias de Educação dos Estados consultados.
· Por que a família da Sra. Risoleta salgava a
Folhinha, 21/09/2002, p. F5.
carne para guardá-la para o mês inteiro?
A partir dessas informações, realize as Proponha uma entrevista com uma pessoa com
seguintes atividades: mais de 50 anos e pergunte como os alimentos
· Usando um mapa do Brasil, localize com os eram produzidos dessa forma em sua família.
alunos os Estados citados. · Proponha a criação de desenhos com legen-
· Divida a turma em nove grupos. Cada grupo das sobre a produção de alimentos há cerca
ficará responsável por pesquisar uma receita de 100 anos e atualmente.
14 15
Presente em revista 0 MIOLOƒ 04.12.03 12:04 Page 16

M Ã O N A M A S S A


Divida a classe em cinco grupos. Cada grupo
Alimentação ficará responsável por solicitar a ajuda dos
adultos com quem vivem para preparar uma
dos diferentes das receitas acima. Num dia combinado, todos
trazem os pratos acompanhados de cartazes
série povos com informações sobre o modo de vida da
respectiva etnia.
Trabalhamos na terceira série o modo de
vida de diferenças grupos étnicos que vivem e
viveram no Brasil em diferentes tempos.


Para ampliar o trabalho com a alimentação
de alguns desses grupos, leia com os alunos
Alimentação
algumas receitas: no Brasil

série
Portugueses
Galinha alardada Colonial
1 galinha inteira/sal e pimenta-do-reino/sumo
de 1 limão/fatias de toucinho defumado. Na quarta série, discutimos as diferenças
Temperar a galinha com o sal, a pimenta e o entre alimentação dos ricos e dos pobres de
limão e cobrir com as fatias de toucinho, pren- Salvador, capital do Brasil colonial.
dendo-as com palitos. Levar ao forno brando Para ampliar essa discussão, leia com os alunos
até assar. um texto sobre a origem da feijoada atual:
Italianos Quando era abatido um porco, as partes con-
Molho ao pesto sideradas menos nobres, como rabo, pé, orelha
e tripas não eram comidas pelos senhores dos
1 xícara de folhas frescas de manjericão/2
escravos. A única solução para a população
dentes de alho picados/4 colheres de queijo
escrava era transformar aquilo em algo que se
parmesão ralado/2 colheres de chá de nozes
pudesse comer. Então, para conservar as partes,
picadas/1/2 xícara de óleo de oliva/sal grosso.
a carne era salgada, reservada para preparar o
Misturar todos os ingredientes, exceto o sal, no cozido com o feijão, levando aquele tempero
liqüidificador, até formar uma massa lisa. que nos faz ficar com água na boca.
Acrescentar o sal e juntar ao macarrão já cozido.
Manual Cidadania, Etnia/Raça. Brasília. MEC/SEF, s/d, p. 27.
Japoneses
Mochi Realize com os alunos as seguintes atividades:
1 Kg de arroz do tipo mochi-gome/1 e 1/2 · Relacionar a origem da feijoada com a dife-
litro de água. rença de alimentação entre ricos e pobres no
Brasil Colonial.
Deixar o arroz de molho na água durante 24
horas. Escorrer e cozinhar em panela tipo cus- · Pesquisar reportagens e imagens que mostrem,
cuzeiro, no vapor, até amolecer e ficar e transpa- hoje, a permanência da diferenciação na ali-
rente, com um pouco de brilho. Colocar o arroz mentação de ricos e pobres no Brasil.
num pilão de pedra ou madeira: enquanto uma · Montar um painel com o material consegui-
pessoa vai socando o arroz, outra vai umedecen- do com essa pesquisa.
do a massa com água, e despregando-a com a
mão das bordas do pilão, mantendo um ritmo Para saber mais...
alternado. Depois de bem socada, a massa deve História da alimentação no Brasil, de Luís da
ficar viscosa, bem ligada. Pegar pequenos pu- Câmara Cascudo. Editora Itatiaia, 2 volumes.
nhados de massa e formar discos com as mãos. 500 anos de sabor, de Eda Romio, publicado
Fonte: ROMIO, Eda. 500 anos de sabor. São Paulo: ER pela ER Comunicações.
Comunicações, 2000.