Você está na página 1de 32

QUINZENÁRIO INDEPENDENTE AO SERVIÇO DAS COMUNIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA

2 a Quinzena de Março de 2010


Ano XXX - No. 1082 Modesto, California
$1.50 / $40.00 Anual

Luso-American Education Foundation

To Foster, Sponsor and


Perpetuate the Portuguese
Culture

Portuguese Youth Day na Universidade da California, Berkeley - o futuro está aqui Pag. 15 a 18

www.portuguesetribune.com www.tribunaportuguesa.com portuguesetribune@sbcglobal.net


2 SEGUNDA PÁGINA 15 de Março de 2010

Alheiras Crónicas do Perrexil

EDITORIAL de Tracy J. B. Castro Avila

Morreu o Lusitânia!
H
oje vou falar-vos de alhei- prios para entrar em contacto com Beira Alta e Trás-os-Montes se fa-
ras, mas antes de vos con- géneros alimentícios, em atmosfera zem alheiras artesanais de excelente
tar a minha relação com normal, controlada ou em vácuo. A qualidade.
Morreu o Sport Clube Lusitânia. Melhor dizendo, elas, deixem-me oferecer- rotulagem deve cumprir os requisi- Geralmente são fritas em azeite e
mataram-no. Tinha 88 anos e um historial de relevo no vos o que delas se diz no Roteiro
desporto açoriano. tos da legislação em vigor, mencio- servidas com legumes cozidos.
Gastronómico de Portugal.
Enquanto a sua gestão foi baseada no tamanho do seu nando também a menção Produto Mas também podem ser estufadas,
ideal e das suas reais possibilidades, tudo correu bem. "A Alheira é um enchido tradicional Específico. A Alheira de Mirandela depois de envolvidas em couve lom-
Depois apareceram Presidentes com ideias megalómanas, fumado, cujos principais ingredien- deve ostentar a marca de certificação barda."
subsídios daqui e dali, falta de liderança daqueles que não tes são a carne e gordura de porco, aposta pela respectiva entidade cer-
tinham condições de estar à frente de um clube com aquele a carne de aves (galinha e/ou peru) e tificadora. Eu e as alheiras
historial e pergaminho. pão de trigo, o azeite e a banha, con- Quando fomos para Mafra em 1966
De lastimar é saber que esses maus gestores, maus líde- dimentados com sal, alho e colorau História cumprir o serviço militar, o almo-
res, maus lusitanistas, continuam a passear-se pelas ruas doce e/ou picante. Podem ainda ser Foi inventado pelos judeus como ar- ço às quartas-feiras eram alheiras,
de Angra do Heroísmo em vez de estarem na cadeia por
usados como ingredientes a carne de timanha para escaparem às malhas ovos e muito arroz. Como eu nunca
gestão danosa.
animais de caça, a carne de vaca e da Inquisição. tinha comido alheiras, fazia troca de
Bom, falemos agora de coisas mais alegres e que se podem o salpicão e/ou o presunto envelhe- Como a sua religião os impedia de alheiras por ovos. E esta mania de
controlar. Refiro-me à próxima Conferência sobre o Espí- cidos. É um enchido com formato comer carne de porco, eram facil- nunca comer alheiras durou cerca de
rito Santo a realizar em San José em Junho deste ano. de ferradura, cilíndrico, sendo o mente identificáveis pelos seus per- cinco anos.
Melhor do que eu, deixem-me partilhar aquilo que saíu da interior constituído por uma pasta seguidores pelo facto de não fazerem Um dia fomos a Lisboa tirar um cur-
ultima reunião da Conferência: fina na qual se apercebem pedaços nem fumarem os habituais enchidos so e num dos almoços apresentaram-
Purposes of the Conference: de carne desfiadas e cujo invólucro é de porco. nos alheiras. Pensei que já era adulto
1. Share the experiences, history and legacy of the Holy constituído por tripa natural, de vaca Assim, substituiram a carne de por- bastante para provar uma das delí-
Spirit celebrations. ou de porco. O uso da menção Pro- co por uma imensa variedade de cias da cozinha portuguesa. E assim
2. Describe the unique characteristics of these societies as duto Específico obriga a que o en- carnes, que incluíam vitela, coelho, aconteceu, e hoje sou um apaixona-
they evolved over the years in their geographical areas.
chido seja produzida de acordo com peru, pato galinha e por vezes per- do por elas.
3. Enable conference participants to participate in a Holy
Ghost Festa in California. as regras estipuladas no caderno de diz, envolvidos por uma massa de As alheiras que hoje comemos, são
É importante que todas as organizações e empresas espa- especificações, o qual inclui, desig- pão que lhes conferia consistência. feitas e vendidas por Fernandes Lin-
lhadas pela California possam contribuir na medida das nadamente, o processo de produção. A receita acabaria por se popula- guiça, de Tracy e também as podem
suas possibilidades para ajudar a Conferência nas suas Comercialmente este enchido pode rizar entre os cristãos, mas estes comprar no Abilio Liquors, de Fre-
despesas e para o sucesso da mesma. apresentar-se acondicionado em em- juntavam-lhe a omnipresente carne mont e no Rosa Trade Rite Market
josé avila balagens de cartão, de plástico ou de porco. Hoje, as mais afamadas em San José.
ULTIMA HORA - talvez o Lusitânia possa ainda viver. de PVC, ou de outros materiais pró- são as de Mirandela, mas por toda a Experimentem e vão adorar.

Year XXX, Number 1082, March 15th, 2010


COLABORAÇÃO 3

Tribuna da Saudade
Árvores e Adágios
Ferreira Moreno

G N
aspar Frutuoso afian- a maçã na macieira, não caia nem tes moreira que amendoeira. Le- árvore que só dá fruto a poder do unca se transplanta
çou que a Ilha da Ma- apodreça, que atrás virá quem na nha de figueira, rija de fumo, fra- trato. À sombra da nogueira não uma árvore carregada
deira teria recebido mereça. Pequeno machado derru- ca de madeira. Seja tua a figueira, te deites a dormir. Alguma hora a de fruta, e não se deve
esse nome “por causa ba grande carvalho. esteja eu à tua beira. Árvore mui- minha pereira terá pêras. cortar ou abater a ár-
do muito, espesso e grande arvo- Nascem paus no mato p’ra se- tas vezes transporta, nem cresce Não pode o carvalho dar morcela, vore que sombra nos dá. Árvore
redo que era coberto”. (Saudades nova, dobra; árvore velha, que-
rem adorados e outros p’ra serem nem medra. nem o ulmeiro dar pêras. Amores
da Terra, Livro II, edição 1998, bra. Não crescem as árvores que
queimados. Quem racha lenha, Encontrei maior número de adá- de freira, flores de amendoeira,
página 20). No que diz respeito
cedo vêm e pouco duram. rebentam. Aonde cai a árvore, aí
aos Açores, “os arvoredos en-
Faz-se o arrocho dum pau direito, fica. Verga-se a árvore ao nosso
chem com a sua presença todas
as épocas históricas destas ilhas, que dum torto está ele feito. De gosto só quando nova é. Árvore
constituindo logo de início apre- tal árvore tal fruta, e de tal acha morta não produz orvalho.
ciável, recurso p’ràs necessida- tal racha. O figo sabe a figueira Não trepes a uma árvore à procu-
des e exigências dos primeiros e a figueira quer pé na água e ra de peixe, e não cortes uma ár-
povoadores”. (Carreiro da Costa, cabeça ao sol. O maior carvalho vore p’ra apanhar a fruta. Sobe-
Etnologia dos Açores, Volume I, sai duma bolota. Mais cresce a se uma árvore de baixo p’ra cima
edição 1989). árvore mais sombra dá. Não bus- e não ao contrário.
Veio-me, pois, à ideia encami- ques o figo na ameixoeira. Não há Quem sacode uma árvore, saco-
nhar-me pelos dois volumes do madeira sem nó. Não há pancada de-se a si próprio. Se quiseres
Adagiário Popular Açoriano, de de vara que amadureça a azeito- subir a uma árvore, vê primeiro
Armando Cortes Rodrigues, na na. Não há madeira tão verde que se dela podes descer. Se tiveres
busca de adágios associados com não ateie. O pau mais forte não é subido, não te queiras ver caído.
árvores. Imediatamente surge o o que dá a casca mais depressa. Respeita a árvore que te dá re-
conselho: Chega-te, encosta-te e Pequeno machado derruba gran- pouso e sombra. Árvore frutífera
senta-te ao pé da boa árvore que de sobreiro. Ruim árvore nem o e alta com pedradas é alvejada.
de boa sombra te cobrirá. Segui- sol a cresta. O vento agita a árvore altanei-
damente lê-se: Figueira, a de meu Enquanto zoa a carvalheira não ra. Não há árvore que não sinta
pai; vinha, a que eu plante. Igual- saias da tua fogueira. a força do vento. São as árvores
mente, figueira seca, meu filho Vou agora preencher o resto des- mais altas aquelas que mais vento
que a carreie e meu genro que a ta crónica com adágios extraídos apanham.
fenda. com cavacos apanha. gios na terceira edição de “Nova duma enciclopédia de provérbios Árvores largas crescem devagar,
Lenha de figueira, muito fumo, No livrinho “Adágios portugue- recolha de provérbios portugue- mundiais, escritos em inglês e por caem de repente, dão mais som-
pouca madeira. Lenha de loiro ses reduzidos a lugares comuns” ses e outros lugares-comuns”, de mim adaptados em português. bra e menos fruta. Uma árvore
verde, serre meu genro e fenda (edição 1923), de António Delica- Fernando Ribeiro de Melo. Árvore caída, sombra falida, le- sozinha não faz nem floresta nem
meu filho. Lenha verde, não se do, deparei apenas com: Oliveira, Assim, castanheiro p’ra plantar, nha p’rà lareira. Árvore boa pro- bosque. Pereira espinhosa não
queima, nem se acende. Lenha a de meu avô; figueira, a de meu deve ir na mão; o carvalho às cos- duz sempre boa fruta, dá abrigo produz pêssegos. Nenhuma ár-
vozeira, sinal de ventaneira. Fique pai; e vinha, a que eu puser. An- tas e o sobreiro no carro. Má é a e ninho a mil passarinhos. Maior vore cai com o primeiro golpe do
é a queda quanto maior machado. Pela fruta se conhece
a árvore é. Árvore apo- a árvore e não pela sua casca. A
drecida curva-se antes árvore com menos do teu tama-
de cair. A árvore dará nho carece de sombra bastante.
fruta embora lhe atirem Árvores que dão flor nem sempre
pedras. Uma árvore, dão fruta.
muitas vezes transplan- Finalmente, no céu não há árvore
tada, não crescerá nem mais alta do que a árvore da pa-
sobrevirá. De boas ra- ciência!
ízes crescem boas ár-
vores. Quando secam
as raízes da árvore,
também secam os seus
ramos.
4 COMUNIDADE 15 de Março de 2010

Não perca a oportunidade de participar


e discutir o fenómeno Espírito Santo
COLABORAÇÃO 5

Muito Bons Somos Nós


Complexo de inferioridade
Joel Neto
neto.joel@gmail.com

E
screvo-vos no domingo – se riem. Eu digo-lhes: “O golfe aconteceu em 2006, quando se organizativa,
e, como tem acontecido não é só um desporto, mas uma realizou na Irlanda) e um impac- Espanha já
de há tantos domingos filosofia.” Falo-lhes da insana te indirecto que pode ir até mil foi o palco da
a esta parte, chove co- dificuldade do jogo. Falo-lhes vezes esse valor. Trata-se, afinal, única edição
piosamente. Alguns acham gra- das páginas que Faulkner e Wo- do terceiro maior evento despor- europeia da
ça: dispensados de mergulhar no dehouse e Updike lhe dedicaram. tivo do mundo em termos televi- prova dispu-
trânsito, põem-se à janela a ver a Falo-lhes do convívio quase re- sivos, chegando a 180 países – e tada fora das
chuva cair, como se a sua casa, o ligioso com outros pacientes da é nesses países que quase 1,5 mil ilhas britâ-
seu ecrã plasma e o seu bacalhau mesma obsessão. Falo-lhes da milhões de espectadores se da- nicas (1997).
com natas fossem ameias de uma perfeição daquele exercício físi- riam conta do milagre que é, em Resta Portu-
fortaleza que nada alguma vez co, do equilíbrio mental a que ele Outubro, mês em que se disputa gal. Proble-
abalará a um domingo. Para mim, nos desafia, das proezas que nele a prova, haver um país ocidental ma: Portugal
é um pequeno desastre. Este era o conseguimos e dos imensos de- repleto de campos de golfe belís- é, com Espa-
meu domingo: o domingo em que saires que nele experimentamos. simos, de hotéis fantásticos, de nha, candida- seria um sucesso. Mas não. Pre-
se disputava um torneio essencial Riem-se. O golfe é um jogo de praias convidativas e, entretanto, to à organização do Mundial de ferimos rir-nos de quem gosta de
para a escolha da selecção que velhos, dizem. Um jogo de ricos. de sol maravilhoso. futebol desse mesmo 2018 – e em golfe, um jogo com 250 anos de
o meu clube de golfe enviará ao Um jogo de palermas. E eu, para Não será fácil. A candidatura da nenhum caso a Ryder Cup Euro- tradição (e, aliás, inventado pelos
campeonato nacional do meu es- não erguer as mãos aos céus e pa- Holanda parece frágil, mas a Sué- pe permitirá que as competições pobres, ao contrário do futebol).
calão – e, se é verdade que acabei rafrasear o Cristo: “Perdoa-lhes, cia, a Alemanha e a Espanha têm se cruzem. Preferimos interpor providências
por jogar os 18 buracos da or- Pai, porque não sabem o que di- tradições competitivas com que É claro que, se Portugal possuís- cautelares para salvar três pinhei-
dem, persuadindo dois mártires zem”, rio-me com eles. não podemos sequer sonhar. Por se um jogador de topo, era mais ros podres (como aconteceu no
a caminhar comigo sob a chuva Portanto, não é de literatura que outro lado, tanto na Suécia como fácil fazer vingar a sua candi- Jamor), obstruindo a construção
e a trovoada, também o é que a me socorrerei para explicar-vos na Alemanha já faz frio em Ou- datura. É claro que, se Portugal de uma infra-estrutura modelar
prova em si foi cancelada e, bem porque é que a candidatura de tubro, o que poderá fazer pender tivesse mais do que os 20 mil para a formação de jogadores.
vistas as coisas, o meu domingo Portugal à organização da Ryder a balança para os três candidatos golfistas que tem, poderia muito Preferimos mandar fechar um
se estragou. Cup 2018 é, de facto, um impe- do Sul: França, Espanha e Portu- mais eficazmente obter esse ma- campo de treinos perfeito (como
Às vezes tento explicar a um in- rativo nacional. Socorro-me de gal. A França é um pretendente jor boost para a sua desgraçada aconteceu nas Amoreiras) só
créu o que é que, no golfe, chega números. Erguida sobre um in- fortíssimo: tem bastante tradição economia. É claro que, se os por- porque não gostamos de ver os
para arrancar-me da cama a um vestimento infinitamente menor competitiva, tem experiência or- tugueses acompanhassem aquele ricos brincar. Preferimos exercer
domingo de madrugada e fazer- do que o necessário (por exem- ganizativa e tem algum sol. Mas, que é agora o desporto em mais o nosso velho ressentimento, a
me enfrentar o frio, o vento, a plo) para um Europeu de Futebol, se o bom tempo for essencial, acentuado processo de globali- nossa velha inveja, a nossa velha
chuva e os trovões para percorrer a Ryder Cup pode ter um impacte como parece que será, Espanha zação, era incomparavelmente ignorância. Somos assim.
oito quilómetros a bater com um directo na nossa economia acima e Portugal levam vantagem. Ora, mais simples provar que qualquer
pau numa bola. Quase sempre dos 250 milhões de euros (como se ambos têm calor e experiência prova golfística aqui realizada in NS', 07 de Março de 2010

Das relações e ralações


Crónicas Terceirenses

entre Graciosa e Terceira


Victor Rui Dores
victor.dores@sapo.pt

A
s ilhas Terceira e Graciosa sem- Terceira encarada pelo graciosense que
pre estiveram profundamente ainda não saiu da sua ilha e que fala da
ligadas por laços históricos, Terceira com algum distanciamento, des-
afectivos, sócio-económicos, tacando, com alguma ironia, outros costu-
administrativos e culturais. Por isso mes- mes e modos de ser:
mo, são ilhas irmãs e, para qualquer gra-
ciosense, a ilha Terceira é uma referência A Terceira é boa terra
incontornável e permanente. Dá de comer a quem passa
Nas veias de muitos graciosenses corre A quem não trouxer dinheiro
sangue terceirense, pois que alguns dos Nem água lhe dão de graça.
homens e mulheres que ajudaram a po-
voar a Graciosa vieram precisamente da A Terceira é boa terra
ilha de Jesus. E começa logo por haver Ninguém o pode negar
aqui algum complexo de Édipo e algumas Até a gente de lá
questões freudianas dos graciosenses em É diferente no falar.
relação aos graciosenses… Só que isto é
uma crónica e a psicanálise não é para aqui Numa segunda perspectiva, temos a Ter-
chamada. ceira como a ilha madrasta, a terra ingrata,
Terceirenses e graciosenses têm muito em pois era para lá que iam os mancebos gra-
comum, em termos de tradições, usos e ciosenses cumprir o serviço militar, sinó-
costumes. Uns e outros são festivos e fes- nimo de “ir p´ró Castelo” (fortaleza de S. Para o ver num regimento Quem me dera na Terceira
teiros, gostam de toiros e são dionisíacos. João Baptista, em Angra do Heroísmo). De Amarrado com correias. Naquelas varandas verdes
Por outro lado, por mais que se seja uma tal facto se queixavam, em primeiro lugar, E há o sentimento das namoradas Apanhar cravos e rosas
Região Autónoma, prevalece ainda nos os próprios soldados: que, permanecendo na Graciosa, Alecrim pelas paredes.
Açores a lógica do ex-distrito (Angra do lamentavam a longa ausência dos
Heroísmo, no caso vertente). E, sendo as- Quando cheguei à Terceira seus apaixonados que no “Castelo” Quem me dera na Terceira
sim, as ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge Fiquei como a noite escura sobreviviam: Antes que fosse no cais
continuam e continuarão a estar próximas Ai triste Castelo de Angra Então eu diria
e imbuídas do mesmo espírito, irmanadas És a minha sepultura. Ó Castelo da Terceira Graciosa nunca mais.
no mesmo destino colectivo. Quem te visse derrubado
Por razões profissionais, andei ultimamen- A Terceira é boa terra Se tu não fosses Castelo Ontem como hoje, a Graciosa não pode
te a ler o Cancioneiro Geral dos Açores, de Embora que alguém se zangue Meu bem não era soldado. passar sem a Terceira, nem esta sem aque-
Armando Côrtes-Rodrigues, e decidi re- Eu por ela faço guerra la. E se o desenvolvimento de ambas passa
colher algumas quadras que, estando dis- Derramo todo o meu sangue. Terceira, terra ingrata necessariamente pelo turismo, então estas
persas no dito Cancioneiro, agora por mim Terra das ingratidões duas ilhas terão que se unir cada vez mais,
reunidas e sequenciadas visam perspec- Ecoavam também queixas das mães dos A alegria tens roubado conjugando vontades e interesses e articu-
tivar a ilha Graciosa na sua relação com soldados, que viam os seus filhos partir e A mais de mil corações. lando políticas e estratégias. Sem nunca
a Terceira. Aliás, o folclore graciosense é ficavam aflitas: descurar o mais importante: os afectos.
detentor de duas modas que são únicas e Numa terceira e última perspectiva, temos
originais no contexto da música tradicional Ó Terceira, terra ingrata uma já clara identificação do graciosense
das restantes ilhas: “José” e “Terceira”. Castelo da falsidade com a ilha Terceira, sentindo ele um dese-
Em síntese, e sobre a matéria em apreço, Roubas os filhos às mães jo irreprimível de largar amarras e deixar a
avanço aqui três perspectivas: Na flor da sua idade. sua Graciosa para fixar residência naquela
Uma mãe que cria um filho ilha vizinha e irmã:
Numa primeira perspectiva, temos a ilha Com sangue nas suas veias
6 COLABORAÇÃO 15 de Março de 2010

Falecimento Livro de Fotografias sobre o


Margareth Helen Soares Espírito Santo de Jackson Nichols
words: “A Mother’s Love is for all Sea-
sons”. We know that her love will sustain
her family in each new season through the
years.
She was so proud of her daughter and
son. She jumped at any chance to help
them, from the small moments, to those
that will stand out forever. It was a spe-
cial time in planning Jenny and Tim’s
wedding in Monterey, and she couldn’t
wait to wear all of her USC gear and visit
her son John at college. She would relish
in the daily moments of parenthood too;
from checking John’s term papers to liste-
ning and advising when Jenny would call
Margaret Helen Soares passed away so often with questions about parenting.
peacefully surrounded by her family on She loved without condition, and all those
March 8, 2010 at Stanford Hospital. She who knew her felt special. She shined in
was born in South San Francisco on Mar- the presence of others, and loved hearing
ch 28, 1951 to her mother, Virginia, her their stories and sharing her own.
best friend and quiet confidant, and fa- Margaret had a profoundly positive impact
ther Jay. Four years later she became a on her many friends. She loved to share
big sister to her brother Jay, whom she moments with “the girls” and treasured
always admired for his quick wit, humor, their stories, advice, and friendship. She
and intelligence. Together they had many truly loved and cared for others, and her
memories of growing up in San Jose. She thoughtfulness and generous spirit brou-
attended Mt. Pleasant High School and ght such happiness to the world. She often
San Jose State University, where she later sent a card just because she was thinking
earned her teaching credential. This led to of a friend, or wanted to offer a word of
a long career in education, and she taught encouragement, or let us know us how
at St. John Vianney School in San Jose, much we meant to her. So often she would
as well as twenty-five years at Our Lady pick up a little treat for her grandchildren,
of Fatima School in Los Banos. Her stu- and the kids would light up to receive so-
dents and their families meant the world mething in the mail, or talk with her on
to her, and she truly dedicated her life to the phone, and most especially to pick her
instilling a love of learning in each child. up at the airport. She continued to be a
Their creativeness, humor, hugs, and smi- teacher even after retirement, and Erin
les always made her happy and brought soaked up everything grandma taught
great joy to her life. her, whether gardening, baking, or their
Although fifty-eight years seems such a special trips to the Monterey Bay Aqua-
short time to us, she filled each moment rium together.
of her life with joy, generosity, and a love She is preceded in death by her mother,
beyond measure that touched countless Virginia Smith and her father, John Wi-
people. She dedicated her life to her fa- chtendahl. She is survived by her brother
mily, and every day we knew we were Jay, beloved husband Larry, children
loved. She and Larry were married thirty- John and Jenny, son-in-law Tim, and her
six years, and they were truly the best of grandchildren Erin and Jack, whom she
partners. They enjoyed so many memo- showered with unconditional love. She
ries together, and supported each other was their shining star, and will never be
through the best moments of life and the forgotten. She never failed to make those Como se pode ler neste livro de 80 pá- California State University, Hayward, e
challenges they faced, always looking around her feel treasured and unique, and ginas, do fotógrafo free-lancer Jackson precisava das fotografias para ilustrar a
forward to new adventures and time with our treasured wife, mother, sister, teacher, Nichols, todas as fotografias, a preto e sua tese.
their family. They supported each other’s and friend will be in our hearts forever. branco, foram tiradas durante as festas do É um livro para amantes das nossas Fes-
interests, and recently they created a be- Sunday evening the Rosary was held at Espírito Santo que ocurrerram entre os tas e o preto e branco dá-lhe um toque de
autiful garden at their home in Pacific St. Joseph's Catholic Church at 6 pm. The anos de 1990 e 2009 no Norte e Centro da realismo e de uma outra profundidade ar-
Grove. She loved to sit there for hours, funeral Mass was Monday March 10th.
California. tística.
reading and meeting new friends as they
walked past, admiring her flowers. Many O autor começou a fotografar as Festas Vale a pena a sua compra.
Tribuna Portuguesa envia sentidas condo-
things will remind us of her, but no doubt a pedido de sua esposa que é Portugue-
lências a toda a família Soares.
when we see a beautiful new bloom, or a sa, quando ela estava a completar o seu Os interessados na sua compra podem con-
butterfly resting on a leaf we will think of Mestrado em Antropologioa Cultural na tactar jackson.nichols@comcast.net
her. She had a stone in her garden, which
she bought as a memorial for her mother

O Tribuna dos Leitores


whom she loved so much, and on it are the

A Foto da Quinzena Caro director


Benjamin e Olívia Silveira no Aniversário do Grupo
Infelizmente vou seguir o mesmo caminho Nota do editor:
Folclórico Tempos de Outrora, em San José de muitos outros que por aqui tem passa-
do e dado a opinião sobre a direcção que Os "muitos outros" são sómente 2, incluin-
este jornal tem tomado nos últimos tem- do o Sr. José Pereira.
pos. Vocês parecem mais interessados em
dar opiniões políticas do que divulgar a Em sete anos só nos lembramos de duas
cultura e as noticias da nossa comunidade. desistências devido a discordâncias políti-
Vejo o sr. Borges atacar a cadeia Fox News cas, por isso achamos que o uso de "muitos
que por acaso é a única cadeia de noticiário outros" é super excessivo.
que presenta as noticias de ambos os lados.
Vejamos o caso do major Hasan, um belo Chamar este jornal comunitário de "ex-
exemplo. Por isso quero pedir o anulamen- trema esquerda" é desconhecer o espectro
to da minha assinatura do "vosso" jornal. político de qualquer país.
Jornal esse que deixou de servir a nossa
comunidade e passou a servir as ideias e No respeitante ao vosso email (não carta,
política da extrema esquerda - sei que como diz) de 2 de Novembro, entendi ser
devido á censura praticada por este jornal, sómente uma opinião a que não foi pedida
que não vão publicar esta carta, como não publicação.
publicaram a carta de 2 de Novembro que
vos tinha enviado.

José Pereira
San José, Califórnia
COLABORAÇÃO 7

Golo Nostálgico
Rasgos d’Alma
Luciano Cardoso
lucianoac@comcast.net

C
inco décadas e pique desportiva no seu distinto palma- pronto a fazer
à superfície da Terra, rés, merece-nos muito mais do das suas. Toda
quer eu queira quer que uma simples crónica. Esta, a gente está ali
não, já me convidam no entanto, não passa duma sin- para ver o glo-
a olhar para trás com uma certa gela homenagem que lhe fica rioso Benfica
melancolia mimoseando recorda- muitíssimo bem. passear a sua
ções que ficaram para sempre. De Quase sempre à sombra do seu classe e nin-
olhos humedecidos, surpreendo- eterno rival da Rua da Sé (S.C. guem se atreve
me, de quando em vez, a revi- Lusitânia), o S.C. Angrense sou- sequer a pensar
rar com estranha inquietude no be grangear ao longo do seu rico que o modesto
historial pergaminhos únicos de Angrense se
acuculado baú das memórias que
orgulho incontornável. possa acercar
não se apagam.
Por vezes, não é a espetacular com grande
Cada qual afaga as suas. Umas
vitória na taça ou o celebrado perigo das con-
fazem-nos rir. Outras dão para
triunfo no campeonato que aca- sagradas redes
chorar. As melhores, a meu ver,
bam por nos ficar propriamente adversár ias.
nem uma coisa nem outra. São as
na memória. Às vezes, basta-nos Toda a gente,
raras reminescências colectivas
um golo memorável para nos en- não é bem as-
de momentos únicos que quase engasga-se. A ilha pasma. O país, final já pouco importava. A festa
cher as medidas a valer. sim. O matreiro do Laureano,
se exprimem num fôlego e rema- incrédulo, rende-se à fibra golea- estava feita. Em si, aquela fantás-
reles rato temido no interior das
tam numa palavra. Às vezes, nem dora do primoroso dianteiro local tica cabeçada representava uma
Se fosse hoje, aquele soberbo go- áreas açorianas, bem lá no fundo,
são precisas quaisquer palavras. que se atrevera a empatar a par- vitória fenomenal e ficaria para
laço do Laureano tinha-lhe vali- a jogar no seu pelado, sonha em
Basta apenas que o retrato não se tida. sempre retratada a preto e branco
do uma fortuna. poder marcar.
tenha estragado. O fulminante bicampeão euro- na coloridinha história do aguer-
A tarde estava magnífica para a No entanto, mal o árbitro apita, e
A imagem ainda está bem clara peu, acabava de sofrer um cho- rido futebol local.
prática do futebol. O vélhinho sem grande surpresa, é o Eusébio
na retina de todos aqueles que lá cante golo dos filiados amadores Um momento giro. Um golo nos-
Municipal de Angra, com o impo- quem marca primeiro. O Benfica
estiveram. Os que lá nao pude- da minúscula Terceira. O jogo talgico. Uma recordação a perpe-
nente Castelo à espreita, rebenta- festeja. O Angrense encolhe-se.
ram estar, por sua vez, recordam nem ia a meio mas o resultado tuar.
va pelas costuras. Impressionan- A cabazada teme-se. O descala-
com agrado o radiofónico relato
te moldura humana preparava-se bro adivinha-se. Ninguem, mes-
duma cabeçada feliz, um golo
para receber em grande o ilustre mo ninguem arrisca adivinhar o
magnífico, que marcou com rego-
visitante que se deslocava de Lis- surpreendente recorte técnico da
zijante euforia toda uma geração
boa para cumprir em estranho magistral jogada a seguir: o des-
e fez vibrar de entusiasmo a ilha
arranjo de encarnado compadrio carado Laureano, dando largas a
inteira. Doida pelos seus toiros e
aquela desnivelada eliminatória sua ousada fantasia, esquiva-se
toiradas, a formosa ilha Tercei-
da Taça de Portugal. Era o todo pela esquerda e agiganta-se no ar,
ra devotou em tempos idos uma
poderoso Benfica. Trazia a equi- saltando mais alto do que todos,
especial afeição ao seu futebol e
pa de luxo, com Simões, Eusébio, com o marcante oportunismo que
aos seus futebolistas de eleição.
Calado, Cavem e companhia. lhe é peculiar, remata de cabeça
Alguns fizeram história.
Impunham respeito e, a sério, até à entrada da área, fazendo com
Foi o caso do popular Jorge Lau-
metiam medo. belo efeito um golão de se lhe
reano. Jogava no Angrense. A ve-
O Angrense, porem, não se inti- tirar o chapéu. Os companheiros
neranda colectividade da Rua de
mida. Joga em casa e conta com o abraçam-no. O
São João, agora com oito brilhan-
“Tractor”, o “Patachão” e, tá cla- público deli-
tes décadas de notável actividade
ro, o atrevido Laureano, sempre ra. O relatador
8 COLABORAÇÃO 15 de Março de 2010

Quando o fim Do Vale à Montanha


The Undiscovered se aproxima Sergio Pereira

Island
sergiopereiradvm@hotmail.com

O
Resenha sobre o romance luso-americano The Undiscovered Island, artigo desta edição que muitos dos casos terminais confortáveis e de boa saude, isto
publicado recentemente pelo Center for Portuguese Studies & Culture concentra-se numa não são olhados de uma forma inclui boa nutrição, vacinação
da U-MASS Dartmouth (Portuguese in the Americas Series, 411pp., realidade que para directa e objectiva, mas sim de adequada e de rotina conforto
$25). O autor, Darrell Kastin é descendente de açorianos pelo lado todos nós é dificil. uma forma por vezes egoista e etc. Contudo se tiver que me
materno e natural do sul da Califórnia. Quando falamos de casos termi- descuidada. O que quero dizer deparar com alguma das situ-
nais nos nossos animais sendo com isto é que muitos dos donos ações que referi, irei tomar a
(Esta resenha foi publicada em inglês no periódico Easy Reader, Cali- eles domésticos, de estimacão destes animais acham correcto decisão que for mais adequada
fornia, 13 de Agosto, 2009) ou de produção, há que avaliar prolongar o sofrimento dos seus para o animal. A vida dos ani-
a situação de uma forma objec- animais para que eles assim pos- mais como a nossa é um ciclo,
“Que leitura excelente!” – Gregory Rabassa* tiva e tendo sempre em atenção sam fazer parte de suas vidas por nascem e morrem. Tenham sem-
mais algum tempo. Sei também pre em consideração o bem estar
o melhor para esses mesmos
Com estas palavras, Rabassa conclui o seu comentário sobre este ro- que muitas destas situações são dos vossos animais, e quando for
animais.
mance. Para um verdadeiro céptico, o exagero é tanto uma abomina- resultado do grande afecto que tempo para tomar decisões difí-
Quando falo de casos terminais
ção como um desafio. Mas depois de ter lido The Undiscovered Island nutrem pelos seus animais, o que ceis, procure o seu veterinário e
refiro-me a qualquer doença
(A Ilha Não-Descoberta), este céptico reconhece o facto de ser um dos resulta na decisão de os manter siga os concelhos e indicações
para a qual o tratamento já se te-
raros instantes em que o elogio exagerado foi ainda pequeno. por mais tempo. Nos animais de que este vos der.
nha esgotado. Exemplos destas
Rabassa, há muito admirado pelo seu talento e perspicácia, usou tam- produção temos outra realidade, Se alguém, ao ler este artigo,
são os cancros avançados, insu-
bém a palavra “epopéia” no seu comentário. Depois de uma leitura aqui noto que muitas vezes o so- tiver alguma pergunta sobre o
ficiências renais crónicas e car-
ficamos a ver que o uso desta palavra não foi nem descuido nem de- frimento prolongado de animais que aqui escrevi ou sobre algum
díacas etc. Nestes casos termi-
lusão. Na verdade quero que fique registado que fui dos primeiros a com doenças terminais é resul- caso em particular posso sempre
nais também tenho que incluir
reconhecer este livro como uma obra seminal da literatura do século tado de descuido. Muitas vezes tentar aconselhar ou dar a minha
qualquer trauma ou acidente que
XXI. Certamente que irá inspirar inúmeras investigações doutorais, e deparo-me com situações bár- opinião profissional. Para isso
resulte num prógnóstico grave
será revisitado periódicamente pela crítica literária e pelos estudiosos baras onde o animal se encontra usem o seguinte email: sergio-
onde o tratamento seja duvidoso
de línguas. Mais, acho que também deverá ser minado na perpetuida- a sofrer e onde os cuidados para pereiradvm@hotmail.com.
ou mesmo impossível. Exem-
de por professores da Metafísica. minimizar o seu sofrimento não O próximo artigo será sobre o
plos destes casos são os mem-
É um romance-mistério, de pessoa desaparecida no palco dos Açores. existem ou são inadequados. tratamento que é dado aos bovi-
bros partidos em vacas adultas,
As ilhas, elas próprias, actuam proeminantemente no enredo. Os Casos assim podem resultar em nos nas leitarias e o seu impacto
trauma na zona lumbar de cães
Açores, bem como as personagens humanas bem delineadas, compe- processos criminais e multas na guerra aberta que os defenso-
e gatos que resulta em paralisia
lem e recompensam a atenção do leitor. Sebastião do Canto e Castro pesadas para os que não cum- res dos animais lançaram sobre
dos membors anteriores, etc.
desapareceu durante uma estadia nos Açores. A filha, Julia Castro, prem as regras e não respeitam a industria de animais de produ-
Á medida que o tempo vai pas-
chega para o procurar. Mais tarde, António, seu irmão, junta-se à o sofrimento dos animais. ção e a agricultura em geral.
sando e com a experiência que
busca. Também tenho animais domés- Até lá, fiquem bem.
vou adiquirindo com os diver-
Este é o esquema que Kastin utilizou para erguer um “edifício” que é ticos e de estimação. Tento fa-
sos pacientes que vou traba-
tão verdadeira-mente durável como ricamente adornado. O suspense zer o que posso para os manter
lhando, começo a aperceber-me
mantém-se enquanto a busca de Julia pelo pai desaparecido torna-se
cada vez mais complexa e frustrante. Mas, (outra vez “epopéia”), esta
narrativa compartilha a característica das epopéias antigas, de ser

Lançamento do livro
eclipsada pelo modo como é redigida.
Kastin está atento à interacção do mito e da realidade; das lendas e
do peso misterioso que tem a genealogia. Ele é sensível aos efeitos
que os fenómenos naturais inconcebíveis podem ter sobre a imagina-

"Dos Vulcões dos Açores"


ção. E está aberto ao uso da alucinação como um meio de percepção.
Mais, ele mostra reconhecer o poder que tem a Poesia para iluminar,
motivar e também inebriar. (Um luminoso incidente é a apresentação
de extasiante Poesia Portuguesa). Os poemas actuam como se fossem
glândulas adrenais activas no corpo do texto.
Além do mais, observações, reflexões e divinações sobre os Açores, A Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta vatório Vulcanológico e Geotérmico dos Açores,
por várias figuras históricas e literárias dos últimos 700 anos, servem Delgada, o Observatório Vulcanológico e Geotér- Vítor Hugo Forjaz, é o responsável pela coordena-
para enfocar e dar energia à narrativa, agindo como preâmbulos às mico dos Açores e a editora Publiçor organizam ção desta obra composta por 160 páginas. Este es-
aparições. Finalmente, um componente fascinante do livro é a des- o lançamento do livro Dos Vulcões dos Açores / pecialista defende que o livro que irá ser lançado
coberta que Julia faz, em várias ocasiões, de fragmentos da escrita From the Azores Volcanoes, da autoria de Victor pretende divulgar o papel da vulcanologia como
do pai. Ela examina-os minuciosamente buscando pistas para o seu Hugo Forjaz, Zilda T. M. França, Jorge M. Tava- uma área muito importante da ciência dos Açores,
paradeiro. Este leitor, por si gostaria de saber muito mais sobre a obra res, Luís Miguel Almeida e José António Rodri- uma vez que faz parte da sociedade açoriana, sob
deste enigmático e secreto mago. Um romance subsequente? gues, no próximo dia 4 de Março, pelas 18h00, no vários pontos de vista, não podendo ser dissociada
Auditório da Biblioteca, o qual será apresentado da história deste povo.
J.B. Kennedy, Easy Reader pelo Prof. Doutor António Manuel B. Machado
Pires. Estará patente ao público uma Mostra Bibliográ-
* Tradutor das obras de Saramago e de García Márquez entre outros. fica e Documental alusiva à temática do livro a
Nota do tradutor: O romance encontra-se à venda através da internet Antes do encerramento da sessão será exibida lançar, bem como materiais do Vulcão dos Cape-
pela Amazon.com e pela distribuidora Small Press Distribution. Mais uma curta-metragem da RTP-Açores, realizada linhos.
informações na página do autor www.darrellkastin.com ou da editora
pelo jornalista José Serra, intitulada História de
www.portstudies.umassd.edu
um Vulcão (Capelinhos).
GaCS/SF/BPARPD
Esta obra de cariz científico, acompanhada de
um DVD e em versão bilingue, conta a história
dos Açores do ponto de vista vulcanológico e é a
primeira de uma série temática organizada pela
Publiçor. A história das raízes e evolução destas
ilhas açorianas ao longo dos séculos é relatada
através dos textos do livro, dos modernos mapas
e de uma selecção fotográfica que ficou a cargo de
José António Rodrigues.

O vulcanólogo e presidente da Direcção do Obser-


COLABORAÇÃO 9

Sabor Tropical
Elen de Moraes
Simplesmente Mulher!
elendemoraes_rj@globo.com

P
elo dia internacional fomos consideradas úteis só para amada e nesse gesto leio todas não quero e não vou separar uma da outra.
da mulher, deduzo que procriar; que muitas mulheres as palavras ditas sem palavras e
muitas receberam telefo- abdicam da vida, dos estudos, não me perco em considerações
nemas, cartões, e-mails, de uma carreira, para trabalhar e se elas me foram ofertadas des- Simplesmente mulher.
flores e até presentes, com votos sustentar os filhos, quando aban- necessariamente ou carentes de Elen de Moraes
de “muitas felicidades” e “para- donada e sem assistência do ma- sentido, no dia em que se come-
béns” pela data. Grande parte das rido ou do namorado; que ainda mora o dia da mulher.
Podes não ser a esposa mais perfeita,
feministas torce o nariz e afirma hoje há mães que educam a me- Não empunho armas nessa
serem machistas tais demonstra- nina para ser submissa e o meni- “guerra dos sexos” e há algum A amante felina, bela e charmosa,
ções. Procuro respostas que me no para mandar; que a violência tempo decidi não levar em conta Namorada na medida... E gostosa!
surpreendam, satisfatoriamente, dentro do lar, contra a mulher, é o preconceito e a crítica, femini- Fêmea sensual que ao seu homem deleita...
e me dêem o significado desse uma realidade da qual nem sem- na ou masculina, de quem vê um Podes não ter perfil que se receita
cumprimento e chego à conclu- pre se consegue fugir e elas são ato nobre de deferência e carinho, Para ser mãe ou avó amorosa,
são que elas são desencontradas espancadas, assassinadas, sem aqui, no caso, as flores e os “pa- A irmã presente, a amiga preciosa,
e que cada pessoa tem a sua pró- que haja consideráveis modifica- rabéns”, com a força das aparên- Podes não ser filha que se sujeita...
pria explicação ou rejeição. ções nas leis que punem os agres- cias, com olhos racionais ou com Que importa?! És valiosa obra de arte!
Quanto a mim, acho que a feli- sores e assassinos (no Brsil). as frias lentes da indiferença. Eu Jóia invulgar que todos querem ter,
cidade, em questão, está em ser Sabemos que homens e mulheres mesma resolvi passar por cima
Rara flor que muitos querem colher...
lembrada, quer seja no dia dos são diferentes e essa diferença se da minha própria resistência para
nossos anos, no dia das mães, no acentua à medida que os pais se abordar um tema tão delicado e
dia dos namorados ou no dia da mostrem mais ou menos conser- colocar-me feminista sem radica- Anjo guardião que está em toda a parte,
mulher e, aqui, tanto faz se pelas vadores. Como somos produtos lismos, ao exigir meus direitos de Luz que a estrada de todos alumia.
justas reivindicações femininas do meio onde vivemos, é claro cidadã e sem, no entanto, renun- Simplesmente Mulher... E poesia!
por melhores salários, pela igual- que a educação recebida nos mos- ciar à minha condição feminina
dade de direitos no trabalho, na tra a forma de ver o mundo. Por de mulher e mãe, pois não posso,
sociedade, etc., ou ser festejada, isso, já disse e repito que está em
simplesmente, só por ser mulher. nossas mãos mudar esse conceito
Penso que bem pior seria se nin- machista de ver a mulher como
guém desse importância ao acon- ser frágil e inferior, de pouca in-
tecimento e o dia passasse como teligência.
outro qualquer. Não diminui o valor da nossa
luta, tampouco a desmerece,
Há mulheres que não gostam des- nem nos faz omissas em relação
se dia, abominam a sua criação e à violência contra a mulher, se
acham-no dispensável por acre- aceitarmos os parabéns pelo nos-
ditarem que acirra muito mais a so dia, os votos de felicidades ou
discriminação contra a mulher um belo buquê de rosas verme-
do que traz maiores benefícios. lhas, embora haja feministas que
Outras temem que ele se torne, nos aconselham a não recebê-las,
num futuro bem próximo, uma para não desvirtuar o sentido das
boa desculpa para o comércio comemorações.
faturar mais alto e há, ainda, as Sei perfeitamente que os homens
que o rejeitam sob o pretexto de não as mandam por causa das
que dia da mulher são os 365 dias nossas vitórias ou derrotas nas
do ano. lutas pelos nossos direitos, pelas
nossas reivindicações ou pela de-
Todas têm lá as suas razões: tanto sigualdade que há entre homens e
devemos festejá-lo, como ter em mulheres e, sim, por delicadeza,
mente que ele significa que a luta pela data em si, por nos valorizar
é contínua. E não devemos nos e pela mulher que somos. Con-
esquecer que há menos de um fesso que as flores me fazem sen-
século não tínhamos o direito ao tir mais feminina, delicada, so-
voto; que durante muitos séculos nhadora, importante, admirada,
10 COLABORAÇÃO 15 de Março de 2010

Reflexos do Dia–a–Dia
Diniz Borges
Há Terroristas e
d.borges@comcast.net há terroristas!
N
o dia 18 de Feverei- mundo, as televisões e as pró- de violência contra o ocidente, da porque as mesmas estão a pro- mais do que claro que a palavra
ro de 2010, Joseph prias entidades governamentais, ou ainda mais especificamente, vocar violência no mundo árabe, terrorista está despejada de qual-
Andrew Stack, de 53 recusaram etiquetá-la como: um contra os Estados Unidos. Daí a essa pessoa é qualificada como quer verdadeiro sentido e tem
anos de idade, ateou acto de terrorismo. O jornal New confusão e a dúvida que domina- um terrorista que merece ser apenas um único propósito: o
fogo à sua própria casa, dirigiu- York Times, numa análise feita ram as notícias e as análises na assassinada. Quando as forças demonismo dos muçulmanos.
se a um pequeno aeródromo na ao evento, insiste em que apesar comunicação social sobre se um militares americanas invadem e Daí que não se pode subestimar
cidade onde vivia, Austin, no es- da recusa oficial e pela parte de homem que executou um clássico ocupam um país muçulmano e a importância semântica deste
tado de Texas, entrou numa avio- alguns órgãos da comunicação, acto de terrorismo deveria ser ou os seus residentes muçulmanos termo porque como se sabe, o
neta, que alguns minutos depois este horrível incidente, tem todas não chamado um terrorista. Mas que não concordam com a inva- terrorismo, e o termo terrorista
de descolar, despenhou contra as nuances clássicas da definição como insistiu a Fox News, "este são atacam as forças invasoras, em particular, têm sido parte in-
um edifício de sete andares onde oficial do que é um acto de terro- não é, no sentido mais abrangente também são classificados como tegrante do discurso e do debate

N
estão instalados os serviços das rismo. Houve até quem comen- da palavra, aquilo que nós enten- terroristas. político nos Estados Unidos. Fo-
finanças daquela região, o IRS. tasse que não é um acto de ter- demos como um acto de terroris- ão deixa de ser inte- ram, desde o 11 de Setembro de
Fê-lo, segundo escreveu num blo- rorismo porque o perpetrador foi mo...um acto de terrorismo com ressante que quando 2001, e durante os últimos sete
gue publicado na Internet, para "um cidadão americano." Aliás, T maiúsculo." Claro que é mais um muçulmano as- anos da administração de Geor-
protestar contra a carga fiscal na Fox News um analista disse do que óbvio a insinuação de que salta alvos militares, ge W. Bush, os termos que jus-
americana. O seu manifesto de que talvez pudesse ser visto como quem comete um acto de terro- mesmo em zonas de guerra, e tificaram algumas das maiores
suicídio, está repleto de elemen- um acto de terrorismo, mas não rismo com "T maiúsculo" nunca mesmo no seus próprio país, é, atrocidades políticas e humanas
tos anti-governativos contidos no "terrorismo com o T maiúsculo." poderá chamar-se Joseph Stack. imediatamente, cognominado de dos últimos tempos, desde as in-
novo "Tea Party"(movimento da Perguntem às vitimas e às famí- Em claro contraste com a rejei- Terrorista. Porém, quando um vasões à tortura, desde a suspen-
extrema direita americana) assim lias dos que pareceram se a letra ção colectiva de classificar Stack homem que não é árabe, nem são de algumas liberdades cívi-
como alguns princípios da ex- maiúscula faz alguma diferença. como um terrorista, está a faci- cas à instalação de comissões e
muçulmano, despenha um avião
trema-esquerda populista. Tudo Toda a discussão e a fuga ao ter- lidade com que se cataloga todo tribunais militares.
contra um edifício do governo
isto entrelaçado com o raciocínio mo, vem-nos mostrar, ainda mais e qualquer acto de violência de Há que ter a coragem de se abolir
federal para tentar avançar as
de que só a violência poderá pro- uma vez, que Terrorismo é simul- extremistas muçulmanos como o termo porque, como facilmen-
testar contra as injustiças gover- taneamente a palavra mais exígua puro terrorismo. Quando um suas crenças políticas não é um
te se entende, está a ser usado
namentais: "Finalmente, estou e mais manipulada no léxico po- americano muçulmano assaltou terrorista. Nem quando cristãos
com dois pesos e duas medidas.
pronto para acabar com esta lou- lítico norte-americano. O termo uma base militar que estava pres- protestam contra as clínicas que
E toda a gente perde com tal du-
cura", escreveu Stack, que acres- tem cada vez menos relação com tes a enviar mais soldados para a praticam abortos e acabam por as-
plicidade.
centa: "Bom, 'homem do fraque', a natureza do acto e cada vez guerra, foi, imediatamente, e sem sassinar médicos ou enfermeiros,
vamos tentar algo diferente; fica mais com a identidade do actor, qualquer contestação, apelidado esses também não são terroristas.
com a pouca carne que me resta e particularmente com a sua identi- de terrorista. Quando um ame- Nem tão pouco quando as forças
dorme bem". Mas este não é um dade religiosa. O termo está cada ricano de origem muçulmana diz armadas dos aliados matam 14
acto de terrorismo! vez mais circunscrito a um mu- que a violência contra as forças civis inocentes, como aconteceu
Logo que a notícia circulou o çulmano que incremente um acto militares americanas é justifica- recentemente no Afeganistão. É

São Roque - exemplo de hu-


Memorandum
João-Luís de Medeiros
jlmedeiros@aol.com mildade com cara de gente
Em memória de sócio-religioso que seduziu o coração e a um dos mais antigos centros universitários samente, há uma outra localidade italiana
Raul A. Medeiros mente do jovem Roque, filho do governa- da europa (1220). Mais tarde, a história re- onde a memória do santo continua acesa:
(... valente soldado do Cristianismo) dor da cidade de Montpellier, cuja esposa gista a presença académica de humanistas refiro-me a Casamassima, ali mesmo no

T
era muito atreita ao sentimento da humil- de renome oriundos daquele centro, nome- sul, no “calcanhar” da península italiana...
ivemos boa sorte, Raul: assim que dade cristã. adamente, Francesco Petrarca, François Para visitar São Roque (micaelense) e
nossa saudosa tia Terezinha “par- Naquele tempo (estamos a imaginar, por Rabelais, Paul Valéry... (imagino que algus apreciar a benigna rusticidade da imagem
teira” aplicava a meiga ‘palmada’ volta de 1370) havia grandes epidemias a dos eventuais leitores tenham tido acesso venerada pela simplicidade sócio-religiosa
para nos facilitar a entrada no re- dizimar a população europeia. O jovem às palavras de Rabelais, proferidas nos da comunidade local, bastaria um passeio
creio travesso do mundo dos vivos, a nossa Roque não vivia preocupado com a sua derramentos momentos de vida: “ ... vou familiar pela avenida litoral recentemente
freguesia ficava com mais um herdeiro ao própria protecção física, pelo que acabou partir em busca dum grande Talvez!” ) inaugurada (que um dia há-de ser “Aveni-

M
património das suas tradições multicente- contaminado pela lepra e outras mazelas da Prior do Crato”!), que vai do canto dos
nárias. Mais tarde, ao atingirmos a idade endémicas da época medieval. Na sua as vamos adiante. Afinal, Prestes até à prainha do Poço Velho, onde
do “uso da razão”, o grupo da catequese azáfama de acudir aos doentes e ajudar fa- que dom especial (divino?) antigamente a rapaziada local começava
crescia, as coroações tinham mais um “an- mílias carecidas, consta que aconteceram terá sido conferido ao exem- a nadar antes de saber andar. Pela minha
jinho” a desfilar ao lado da coroa; e, já em fenómenos depressa associados com pa- plo de São Roque para o parte, espero este ano estreitar as 6.000
plena adolescência, o cortejo processional recenças de milagres, cujas ressonâncias transformar numa referência multicultural milhas da distância que nos separa...
em honra de São Roque podia contar com santimoniais começaram a ser ventiladas, celebrada nas mais remotas parcelas do
mais uma presença disfarçada pela opa com compreensível emotividade, pelas po- planeta, tais como França, Itália, Espanha, PS - ... no olhar saudoso da familia Medei-
vermelha que emprestada uniformidade pulações rurais franco-italianas... Escócia, Estados Unidos, Canadá, Brasil, ros, a procissão do próximo 15 de Agosto
social à desigualdade consuetudinária dos Considero não ser oportuno poluir a fé dos vai parecer mais curta pela ausência eter-
Filipinas... sem esquecer Portugal e res-
participantes. admiradores de S. Roque com as conclu- na do nosso irmãol. Diria que o reencontro
pectivas regiões autónomas dos Açores e
Até começos da década de 60, o saudoso ti sões do recente simpósio (2004) realizado do Raul com são Roque não vai ser difícil:
da Madeira?
Jaquim Dias era o cavalheiro que cuidava em Pádua, no qual o investigador belga o santo tem uma cruz vermelha no lado
Não sei. Mas desde rapaz trago no peito
do “banho geral” às imagens alojadas na Pierre Bolle defende a tese de que são Ro- esquerdo do peito e uma ferida histórica
um pressentimento muito “tocante” que
igreja paroquial (à excepção daquela ain- que (1348-1376) veio reforçar o eco espiri- no joelho; o Raul partiu com a alma intei-
me fala da valentia sócio-religiosa de um
da hoje consagrada à Senhora de Fátima, tual que já vinha em trânsito na memória ra, embora a sua perna e ferida ficassem
jovem herdeiro, filho único, que optou por
encimada por uma coroa doirada, oferta colectiva popular (1295-1327). Prefiro op- atrás... na ânsia de partir mas ficar à mesa
colocar o bem-comum à frente do próprio
da família de sô Hermanino de Sousa). A tar pelas fontes históricas que atestam que da boa-memória da Amizade...
bem-estar. São Roque não foi teólogo aca-
imagem de São Roque, mais difícil de ma- são Roque morreu aos 28 anos, em 1376
démico ou um geógrafo-jesuita interessa-
nejar devido à rústica imponência da sua (Voghera, Itália), após cinco anos de ca-
do no estudo das auto-estradas do céu; São
estatura, era tratada com genuina devo- tiveiro. O seu corpo terá sido identificado
Roque não distribuiu a sua fortuna pelos
ção pela equipa encarregada da tarefa de devido à marca duma cruz vermelha gra-
pobres para ser idolatrado como líder co-
proteger as cores originais, sem magoar o vada no lado esquerdo do peito.
munitário; nem sequer suspeitou que o seu
cãozinho, leal companheiro durante a cur- Para além da autenticidade história dos fac-
corpo haveria de ser um dia transladado
ta vida do santo... tos alusivos à vida e morte do jovem- santo
para Veneza (1485)... onde ainda pode ser
Mas, afinal, quem foi São Roque? Sabe- francês, o que mais interessa apreciar é a
venerado num túmulo de vidro, numa igre-
mos pouco, para além de que a sua vida longevidade e a intensidade da credibili-
ja daquela cidade italiana. Numa palavra,
continua a ser uma vénia humana à Perfei- dade do seu exemplo de vida. Conviria tal-
S.Roque foi um humanista cristão. Curio-
ção. Somos informados de que os italianos vez proporcionar aos paroquianos de são
Roque um panorama simplificado de Mon-
são muito devotos de S. Rocco; na escócia,
tpellier, berço natal do “nosso” São Ro- CASAL OFERECE-SE PARA TRABALHAR
chamam-lhe St. Rollock; em latin, o seu
nome aparece escrito Rochus... Não vamos que, já lá vão cerca de sete séculos. Poucos em limpesas, quer em casas particulares
anos após o reconhecimento papal da in-
gastar o vosso tempo com exercícios de
dependência do reino de Portugal (1143), a
ou em escritórios.
‘comparative linguistics’. O que interessa
é aderir à aprendizagem do “chamamento” cidade francesa de Montpellier viria a ser Contactar 209-667-4064
COLABORAÇÃO 11

Temas de Agropecuária
Egídio Almeida
Ainda hoje persistem
egidioisilda@charter.net problemas de há 25 anos
As iniciativas mais antigas so- os mercados nem sempre dão o criar um clima económico no

Grande Noite
bre os programas da Agrope- devido valor aos produtores, e qual as famílias agrícolas pudes-
cuária foram um mapa geral recomendaram que os preços mí- sem sobreviver económicamente
nimos fossem levantados usando e moralmente, recomendando
da indústria que ainda hoje

de Fados
uma fórmula económica, tendo ainda que o Governo Federal não
nos dão razões para meditar. em conta entre outros factores, o

C
utilizasse o tamanho dos negó-
custo de produção e o poder de cios individuais como guia de
om a recém-formada compra do consumidor. classificação para implementar
"Dairy Industry Advi- Ainda mais recomendaram uma os seus programas.
sory Committee", do plataforma pronta para acção Muitas destas recomendações fo-
Secretario da Agricul- sempre que a produção excedesse ram rápidamente esquecidas ou
tura no horizonte, faz-nos pensar
na "National Commission on Dai-
a demanda o equivalente de 1.7%
ou mais. Não esquecer que estas
recomendações foram imediata-
precáriamente implementadas, e
para muitos os problemas de há
Anita Guerreiro
e Chico Avila
ry Policy" estabelecida pela pro- 25 anos persistem e infelizmen-
posta Lei da Agricultura de 1985. mente após o famosíssimo "1985 te os baixos preços do leite tam-
Este grupo de 18 personalidades whole herd buyout" financiado bém.
ligados à industria de lacticínios, pela industria, com a participarão
reuniram-se por sete meses con- do Governo Federal.
secutivos em Washington D.C.,
escutaram 250 testemunhas em
Controles dos custos de produção
seriam pagos pelos produtores, e Sexta-feira, 26 de Março
10 audiências em volta da Nação
e criaram uma declaração final
haveria custos adicio-
nais para processar e de 2010 às 7:00pm
com 158 páginas. comercializar exces-
sos de leite para man- Jantar estilo Bufete: peixe frito e acompanhamentos
Nós não podemos afirmar cate-
góricamente que esta comissão ter o preço mínimo Bilhetes a venda no Sousa's Discount Liquors e Furtado Imports
desenhou um novo rumo para a de $10.33 cwt, que é
industria de lacticínios, mas por económicamente su- Reservas pelos telefones: 510-795-7059 ou
certo levaram a sua missão mui- perior ao presente, 25 510-714-2915

E
to a sério. Eis alguns dos pontos anos mais tarde.
ainda hoje visíveis.
A comissão recomendou que
a indústria teria que procurar
sta comis-
são viu ain-
da a neces-
Newark Pavilion
um caminho com orientação no
mercado, de oferta e procura, o
que não é surpreendente. O Pre-
sidade de
abreviar o processo
de audiências nas Or-
Não faltem!
sidente Reagan estava na Casa dens Federais, e ain-
Parte dos lucros a favor das vitimas da Madeira
Branca e John Blok era o Secre- da outras recomenda-
tário da Agricultura, no entanto ções de teor idêntico,
esta Comissão reconheceu que com a finalidade de Admisão $30.00

Aniversário da Banda
Portuguesa de San José

SJGI tem o prazer


de apresentar

Eduardo da
Silveira, M.D.
Diplomado em
Gastroenterologia.
Especialista em Doenças
do Fígado e do Aparelho
Digestivo.

O Dr. Eduardo da Silveira


fala múltiplas línguas
Homenagem de despedida a dois grandes músicos - Gil Nunes e Gilberto Nunes
incluindo o Português,
Banda Portuguesa de San José com o Mestre Joe Amaral. Ler mais na página 19 Inglês, Espanhol e Francês.

Bem-vindos a San Jose Gastroenterology (SJGI)


Agradecemos a oportunidade de
oferecer os melhores cuidados médicos em
Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva.

Dois escritórios para o servir em San Jose


MONTPELIER OFFICE: 2340 Montpelier Dr., Suite A
O'CONNOR OFFICE: 231 O'Connor Dr.

Telefone: (408) 347-9001


12 COLABORAÇÃO 15 de Março de 2010

Perspectivas
Fernando M. Soares Silva
Quem inventou a Rádio?
fmssilva@yahoo.com

N
a sua quase totalidade, as A informação a emitir é transportada por CONJUGAÇÃO DOS do uso de ondas electromagnéticas como
muitas e diversas invenções, modulações ou mudanças sistemáticas nas ESFORÇOS DE MUITOS meio de transmissão de informação, con-
descobertas, e inovações que, ondas radiadas, isto é, especificadas am- forme James Clerk Maxwell havia previs-
através dos séculos, têm ocor- plitudes, frequências ou fases. Quando as O âmbito inicial da “rádio” evoluiu e cres- to. Assim mais um passo gigantesco se deu
rido em esferas de especial importância e ondas radiadas passam por um condutor ceu em paralelo com a profusão de con- na implementação e no avanço da radiodi-
interesse para a Humanidade, --- tais como eléctrico, os campos oscilantes, ou modu- tínuas inovações e com o enorme desen- fusão. Pouco após este evento, a telegrafia
o vasto mundo das ciências, os complexos lações, induzem uma corrente alternada volvimento verificado nas várias áreas da “sem fios” começou a ser substituída por
industriais e tecnológicos, as arrojadas no condutor, a qual é detectada e transfor- radiodifusão, isto é, na formulação e na comunicações orais transmitidas pela rá-
criações da arquitectura e da engenharia, mada em sons ou outros sinais consoante experimentação das ondas electromag- dio.
os eficientes e dinâmicos sistemas sociais a informação. néticas; no desenvolvimento técnico das DAVID EDWARD HUGHES --- ( 1831-
e económicos, e outras áreas relevantes à O âmbito das radiofrequências é variável e comunicações “wireless” (“sem fios”); e 1900) -- Na década de 1870, outro grande
contínua afirmação do espírito e da dig- estende-se desde poucas dezenas de hertz nas fases de implementação comercial da passo foi dado em radiotecnologia com as
nidade humana,---, todas elas, têm sido até 300 gigahertz. Mas há tipos de radia- radiocomunicação. invenções deste cientista e filósofo, natu-
o resultado dos cumulativos esforços, da ção electromagnética com radiofrequên- Varios foram os inovadores e os funda- ral de Londres, Inglaterra, e reconhecido
inspiração, da férrea persistência e da in- cias superiores; entre estes incluem-se as mentais obreiros da concretização dos co-inventor do “carbon” microfonico, es-
teligente determinação de muitos seres hu- microondas, as ondas infravermelhas, as sonhos de mais e melhor no mundo das sencial para o desenvolvimento do telefo-
manos que não hesitaram em sonhar por ondas ultravioletas, os raio-X, e os raios radiocomunicações. Inventores, inova- ne. David Edward Hughes também criou o
um mundo melhor e por uma Humanidade gama. dores, engenheiros e empresários, todos primeiro sistema de transmissão por indu-
mais progressiva. eles contribuíram para a expansão e para ção. Esta nova técnica permitiu a recepção
A invenção da RÁDIO, ou radiotelefonia EVOLUÇÃO DE OBJECTIVOS o prodigioso desenvolvimento da indústria e a transmissão do código Morse mediante
como era então conhecida, não foi obra E PROCESSOS RADIAIS de radiocomunicações através do mundo. a utilização do que mais tarde seria cha-
de um feliz acaso, ou o feito notável de só A primeira definição da “radio” ultrapas- mado ondas hertzianas.
um ser humano. Na realidade, ela baseou- A industria da rádio e os processos de im- sou os seus exíguos limites originais e o THOMAS EDISON --- (1847-1931) ---
se em duas invenções anteriores, isto é, plementação dos seus numerosos, diversos seu significado tem aumentado pratica- Este famoso cientista norte-americano, um
no advento do TEÉGRAFOA (inventado e sempre crescentes objectivos têm evo- mente desde o seu início, quando a inven- dos mais prolíficos e importantes invento-
em 1837 por Samuel F. B. Morse (1791- luído muito ao longo da sua existência de ção não transmitia sons ou comunicações res do século XIX, --- inventor da lâmpada
1872), e no invento do TELEFONE (cria- mais de 100 anos. Enorme é a variedade verbais, mas estava limitada à função de eléctrica incandescente, e de grandes ino-
do em 1876 por Alexander Graham Bell, dos processos e métodos actualmente uti- “telegrafia sem fios”, que perdurou duran- vações em fotografia, e em filmologia,---
(1847-1922). Estas três grandes descober- lizados nos diferentes e altamente sofisti- te várias décadas. começou a fazer experiências, na década
tas fundamentaram-se na descoberta e no cados meios e sistemas de informação e Como já se salientou aqui, a invenção da de 1880, com um magnete vibrante como
desenvolvimento das “ondas electromag- comunicação espalhados por todo o mun- “rádio” não foi o resultado da inspiração e transmissor e receptor de transmissões in-
néticas”. do. dos esforços de uma só pessoa, mas, sim, dutivas segundo as técnicas de Hughes.
A Rádio evoluiu, desenvolveu-se e atingiu Basicamente, um sistema radial inclui a conjugação e a culminação dos estudos Após uns anos de varias tentativas, as suas
proporções anteriormente inimagináveis, um transmissor que contém uma fonte de e das experiências de vários cientistas, que experiências foram frutíferas quando, fi-
podendo actualmente transmitir e receber energia eléctrica produtora de corrente individualmente se dedicaram à inovação nalmente, ele conseguiu instalar um semá-
uma quase infinidade de sons e comunica- alternada de especificada modulação ou de diversas áreas e aspectos da radiação foro “wireless” numa estação ferroviária.
ções de toda a espécie. frequência. O sistema de modulação do electromagnética e das ondas radiais, es- Note-se que vários desses e outros expe-
O conceito de “ondas electromagnéticas” transmissor transforma a energia produ- pecialmente durante o findar do século rimentos de Edison foram formulados por
e a sua ampliada aplicação a novas tec- zida e imprime-lhe um específico sinal, XIX e na aurora do século XX. sofisticados peritos empregados e por ele
nologias de manifesta utilidade humana, tal como simplesmente ligar ou desligar o Muitos foram os pioneiros e inovadores agrupados nos seus laboratórios de Menlo
expandiu o mundo de telecomunicações e transmissor, ou estabelecer a desejada am- das novas ciências radiais. Para esclareci- Park, na Califórnia.
as próprias tecnologias de rádio- comuni- plitude, frequência ou fase, ou uma combi- mento do leitor, segue-se agora uma lista Notam os historiadores (“Edison, his life
cação através do universo. nação destes sinais. dos que, de uma forma ou outra, são con- and inventions” --- Frank Lewis Dyer,
Como ilustração destes pontos, bastará O transmissor emite então a modula- siderados mais basilares e têm recebido Thomas Commerford Martin) que Edison
salientar que estações e aparelhos de rá- da energia eléctrica a uma sintonizada e maior notoriedade através dos anos. lhes deu pleno crédito pelos seus planos e

J
dio, microondas, telemóveis, aparelhos de ressonante antena que, imediatamente, inovações, tendo sido as respectivas paten-
controlo remoto, bem como estações tele- converte as alternantes ou alternadas cor- AMES CLERK MAXWELL tes registadas nos nomes desses dedicados
visivas e televisores, e até mesmo muitos rentes em ondas electromagnéticas. Estas cientistas.
--- (1831-1879) --- Também conhe-
brinquedos para crianças (de quase todas então atravessam e difundem-se no es- TEMISTOCLE CALZECCHI ONESTI
cido pelas suas inovadoras teorias
as idades...) operam mercê de ondas elec- pecificado espaço quer directamente ou --- (1853- 1922) --- Este fisicista e inventor,
fisicistas, e pelos seus conceitos de
tromagnéticas,. mediante percursos alterados por reflexão, nascido em Lapedona, na Itália, demons-
gases e de mecânicas quânticas, este cien- trou, numa série de experimentos realiza-
refracção, ou difracção. tista escocês, pioneiro das ciências elec-
ESPECIFICAMENTE, O QUE A intensidade das ondas electromagnéticas dos desde 1884 até 1886, que filamentos
tromagnéticas, celebrizou-se, sobretudo de aço contidos num tubo apropriada-
É A RÁDIO? pode ser diminuída por dispersões geomé-
durante a década de 1860, pelos suas “pro-
tricas, sendo também a energia reduzida ou mente insulado podem ser condutores de
féticas” conjecturas e previsões do que se correntes eléctricas sob a acção de ondas
O termo “rádio” foi usado para significar parcialmente absorvida por intervenientes
tornaria o fundamento de todas as pesqui- electromagnéticas. Esta descoberta foi de
transmissão sem fios. Derivada da pala- obstáculos ou mediums. Geralmente, ru-
ídos ou intervenientes sons derivados de sas e estudos em radiodifusão, isto é, que grande importância nas subsequentes ex-
vra “radiocondutor” cunhada pelo fisicista
causas naturais ou artificiais (tais como os as ondas electromagnéticas poderiam ser periências de vários cientistas, tais como
francês Édouard Brandy, em 1897, a desig-
provenientes de outros transmissores e de manipuladas e convertidas em meios de Guglielmo Marconi.
nação “rádio” foi popularizada mais tarde,
em 1944, pelo publicista Waldo Warre. outros aparelhos) podem interferir com si- transmissão de sons.
Etimologicamente, a palavra “rádio” é, nais electromagnéticos, alterando-os. Se a MAHON LOOMIS --- (1826-1886) --- (conclui na nossa próxima edição)
na realidade, proveniente do vocábulo la- magnitude do ruído é considerável, o sinal Quase 10 ano mais tarde, embora não liga-
tino “radius”, cujo significado primário é emitido poderá ficar indiscernível, limi- do directamente à radiodifusão, este cien-
“raio”, (como em “raio de luz”. ou o “raio” tando assim a sua progressão e o alcance tista e dentista anglo-norte-americano, foi
de uma roda de bicicleta). ulterior da comunicação.. o primeiro a transmitir a primeira mensa-
Eventualmente, a Marinha dos EUA adop- Os antigos sistemas da rádio dependiam gem telegráfica “sem fios” , demonstran-
tou o termo Radio que se tornou comum exclusivamente da energia colectada pela do e provando assim a validade da teoria
com as primeiras emissões comerciais ra- antena para produzirem sinais para o ope-
diofónicas na década de 1920. rador. Mas a radio evoluiu e tornou-se
O significado de “rádio” é muito mais msid prática após a invenção de dispositi-
amplo e complexo do que, simplesmente, vos electrónicos tais como o transistor que
“aparelho de sons radiofónicos, ou sistema tornou possivel amplificar sinais fracos ou
de emissão e transmissão de sons, utilizan- quase imperceptíveis. Os transistores fo-
do as propriedades das ondas hertzianas”. ram introduzidos em 1960 pela corpora-
Segundo “Dictionary of Electronics” de ção SONY.
Rudolf F, Graf (1974), “Rádio” é transmis- Actualmente, sistemas radiais são usados
são (e recepção) do sinais mediante a mo- em muitas e variadas aplicações desde
dulação de ondas electromagnéticas em walkie-talkies para crianças até ao contro-
“frequências” abaixo de luzes visíveis. As lo de veículos espaciais, bem como para
radiações electromagnéticas são emitidas uma vasta profusão de sistemas de radio-
por meio de oscilantes campos electro- difusão, e muitas outras coisas.
magnéticos que “passam” pelo ar e através
do vácuo espacial.
PATROCINADORES 13

TENHA ACESSO A MAIS OPÇÕES. MAIS CONTROLE.


MAIS RAPIDEZ. E MAIS ALTA DEFINIÇÃO DO QUE NUNCA.

O upgrade XFINITY da Comcast. Internet mais rápida, o triplo de canais de Alta Definição, TV no
seu computador e uma coleção On Demand com aproximadamente 20.000 títulos. Tenha acesso
à TV, Internet e Telefone XFINITY. Somente pela Comcast. Visite xfinity.com para mais detalhes.

©2010 Comcast. Todos os direitos reservados. O serviço XFINITY não está disponível em todas as áreas.
14 PATROCINADORES 15 de Março de 2010
COMUNIDADE 15

Portuguese Youth Day in Berkeley

Os Professores de Português Dinis Borges (Tulare) e José Luís da Silva


(San José) até prometeram comer cravos se o Dia da Juventude fosse
um sucesso. E foi. Cantou-se "Grândola Vila Morena", de José Afonso
e "O Povo Unido Nunca Mais Será Vencido".
Teve uma certa piada celebrar numa Universidade Americana o 25
de Abril um mês e meio antes da data mais importante do Portugal
Moderno. Dançou-se também modas folclóricas das nossas Ilhas, com
os Grupos das Escolas de Tulare e de San José
16 COMUNIDADE 15 de Março de 2010

O Dia da Juventude começou com uma visita ao Campus da Universidade da Califor-


nia, Berkeley.
Cerca do meio-dia celebrou-se o 25 de Abril com canções alusivas e depois dançou-se
folclore das nossas Ilhas.
A seguir ao almoço, os jovens estudantes visitaram a Exposição Comemorativa dos
100 anos da República Portuguesas na Biblioteca Bancroft.
Estes sete alunos de Português da Universidade da California, Berkeley, recitaram poesia Seguiu-se o "Enrollment & Financial Aid Workshop", acabando o dia com encontros
portuguesa depois do almoço de Sábado. dos Clubes Portugueses presentes em Berkeley. Foi um dia importante para todos.

O Cônsul de Portugal António Costa Moura e Esposa Sónia, ofereceram uma Recepção na
Sexta-feira, dia 12 de Março, a todos os participantes da Conferência da Lusa-American
Education Foundation e a outras pessoas de relevo na nossa Comunidade.

As palestras sobre a implementação da República em Portugal foram sempres seguidas


com muita atenção, porque o tema foi mesmo fascinante.

Material escolar apresentado no "Portuguese Teachers' Workshop"


COMUNIDADE 17

Conferencistas: o sucesso da República

Richard Herr, Universidade da California, Berkeley Susana Goulart Costa, Universidade dos Açores Pedro Tavares de Almeida, Universidade Nova de Lisboa

Stanley Payne, Universidade de Wisconsin Douglas Wheeler, Universidade de New Hampshire Rui Feijó, Universidade Aberta, Lisboa

Maria Inácia Rezola, Universidade Nova de Lisboa António Costa Pinto, Instituto de Ciências Sociais, Lisboa Manuel Aguiar, Directora da Associação das Mulheres
Emigrantes

Deolinda Adao, Universidade da California, Berkeley Luís Campos e Cunha, Universidade Nova de Lisboa Miguel Glatzer, Universidade de Massachussetts-Dartmouth

Na nossa próxima edição, publicaremos as fotos de outros conferencistas, todos eles residentes na California. Também faremos uma análise desta Conferência.
18 COMUNIDADE 15 de Março de 2010

Em Berkeley aprendeu-se
a História da República

Donald Warrin, Universidade da California, Berkeley: "Portuguese Oral Um dos paineis da Exposição Comemorativa da implementação da República
History Project. Joanna Câmara a ser entrevistada. Interessante projecto em Portugal

Matt Kondolf, Universidade da California, Berkeley

A Lusa American Education Foundation homenageou Candace Slater e Charles B. Faulhaber pelos seus importantes
contributos à Língua e preservação da Cultura Portuguesa. Além dos homenageados reconhecem-se Manuel Betten-
court (Co-Chair da Conferência) ), Richard Herr (Co-Chair da Conferência sobre o Centenário da República Portugue-
sa), José Luis da Silva (Chairman da Lusa
American Education Foundation e Deolin-
Dana Redford, Portuguese Studies Program, Universidade da Adão (Co-Chair da Conferência)
da California, Berkeley

Diniz Borges foi o galardoado com o "Language and Cultural Award" da Lusa-American Education Foun-
dation e que foi entregue por Rodrigo Oliveira, Sub-Secretário dos Assuntos Europeus do Governo Regional
dos Açores. À direita - Mário Soares, o ausente, presente. Enviou um vídeo de saudação à Fundação.
COLABORAÇÃO 19

Coisas da Vida POSSO Agua Viva


Maria das Dores Beirão um carinho Filomena Rocha
winesao@gmail.com muito especial filomenarocha@sbcglobal.net

É Aniversário da Banda
sempre com grande expec- to do serão. A resposta veio pronta, “Tempos de Outrora”, que celebrou
tativa que recebo a nossa decidida e generosa. Para nós tem o seu décimo sexto aniversário. É es-
Tribuna. Primeiro folheio,
passo os olhos pelos tí-
tulos, vejo as fotografias, volto ao
sido uma das experiências mais gra-
tificantes. Apesar dos compromissos
próprios da idade, das ocupações
pantoso a presença de tantos jovens,
cheios de boa vontade e disciplina,
que anos após anos,aprendem, cres-
de San José

D
princípio e começo a leitura. Uma profissionais e académicas, lá es- cem e participam num dos melhores
das coisas que me dá mais satisfação tão à hora marcada para os ensaios, grupos do género, na diáspora por- esde o primeiro dia deste mês se tem cumpri-
é a presença da nossa juventude nas cheios de talento, alegria e camara- tuguesa. Tudo isto está certamente do o Adágio: “Março, marçagão, de manhã
diversas actividades culturais, desde dagem. Pena é a distância que nos na força e coesão dos responsáveis. focinho de cão, à tarde sol de verão”. Não sei
as populares danças do carnaval, às separa deles, e que por isso reduz a E agora para terminar, não posso porque se há-de ofender o cão, quando muitos
festas solenes, às actividades aca- frequência das nossas idas a S. José, deixar de mencionar a alegria, o humanos que conheço conseguem ter uma cara mais feia
démicas, às filarmónicas, enfim a mas não impede o progresso devido orgulho que nos deu, ver o “nosso” que a do cão. Mas enfim, são ditados, palavras do povo,
todas estas causas que mantêm os à boa vontade desta gente linda, que Henrique Cordeiro, o senhor de uma no seu antigo entendimento e expressão; talvez porque al-
jovens interessados participantes. com muitos outros, serão as forças das vozes mais bonitas do fado, que guém teve má experiência com algum que não se deixou
Se é verdade que a juventude é entu- vivas dos acontecimentos do futuro. encheu as salas da comunidade com levar por abusos e devolveu-lhes um daqueles focinhos
siasta e generosa, não posso deixar Há muito, temos pela POSSO um ca- a alegria dos Ibéricos, que nos can- com os dentes de fora… E todos nós sabemos que nem
de pensar com muita admiração nos rinho muito especial, pelos enormes tinhos de fado encantou tanta gente, sempre os portugueses deram bons tratos ao seu mais fiel
responsáveis dos clubes, das organi- serviços que presta e uma população e que com vigor e dignidade parti-
amigo. Ainda hoje é comum ouvir-se dizer: Cães e ga-
zacões, das escolas e colégios, que cuja faixa etária está cada vez mais cipou com os colegas do Tempo de
tos… É na rua! Felizmente que hoje em dia algumas men-
apoiam e encorajam os mais novos. fragilizada, carente e limitada, por Outrora na distribuição do saboroso
talidades estão mudadas; já se ouve falar da fundação de
Embora haja algum desânimo quan- isso tem sido um acto de amor a nos- jantar. Foi muito bom ver-te Henri-
to à falta de mais participação dos sa humilde participação, ao que este que. Na viagem a caminho de Napa, canis, já se fala de adopção, de gente dócil para com os
nossos jovens, o certo é que cente- ano se junta o orgulho de estar com recordamos a tua maravilhosa voz, animais, para além de apenas dar um osso a roer ao pobre
nas deles, estão dando vida, alegria estes jovens, que por sua vez tam- alguns dos teus fados, e com afecto animal que vigia a casa dia e noite, de um dono que nem
e talento por todas as comunidades bem merecem todo o apoio e carinho e nostalgia cantarolamos... consideração lhe tem. É possível, porém, que desde que o
portuguesas desta California. da comunidade. “ Belos Tempos”. nosso cão-de-água foi habitar a Casa Branca, uma maior
Com a proximidade do aniversário E ainda com os olhos na juventude, sensibilidade possa nascer no hábito dos nossos compa-
da POSSO, foi decidido pedir ajuda na cultura e na tradição, fomos no Até à volta triotas, nem que seja para ser “chic”. Por mim, quanto
a alguns jovens para o entertenimen- dia 6 jantar com o grupo folclórico mais tenho conhecido certas pessoas, mais amizade e res-
peito tenho pelos meus gatos, que me fazem companhia,
que olham para mim com tristeza quando estou triste e

A Língua e Cultura Portuguesas em são capazes de me lamber o rosto num gesto de conforto
que não encontro nos falsos amigos que ainda se riem das

destaque no Ensino Secundário Americano


minhas desventuras. Palavra que sim, e até me orgulho
de ter sido salvadora de alguns, que tiveram a pouca sorte
de não terem nascido entre gente de meigos sentimentos.
As escolas secundárias da celebração que culminou tradicionais. (Society of Portuguese- Não é em vão que dizem os provérbios: “A criança e o
cidade de Tulare acabam com uma grande assem- Segundo Diniz Borges, Di- American Students) pro- gatinho vão para quem lhe faz o miminho”; “Bem se lam-
de celebrar, de 1 a 7 de bleia onde se celebraram rector do Departamento de move a semana de cultura be o gato depois de farto”; “De noite, todos os gatos são
Março, a semana dedica- DUAS LÍNGUAS (Portu- Línguas Mundiais e Pro- açoriana e o festival da pardos”; “Enquanto o gato anda pelo telhado, anda o rato
da à difusão das línguas guês e Espanhol) e MUI- fessor de Português, esta juventude portuguesa em pelo sobrado”; “Gato escaldado, de água fria tem medo”;
estrangeiras. Durante cin- TAS CULTURAS. A é uma celebração especial Outubro e em breve, de 19 “O cão e o gato não comem no mesmo prato”; “Quanto
co dias os alunos tiveram celebração foi no auditó- que motiva os alunos para a 25 de Abril a Semana da mais gatos, mais ratos”. E quando alguma coisa não mui-
oportunidade de aprender rio da escola secundária a aprendizagem de línguas Herança Portuguesa onde to clara acontece, também costumamos dizer com des-
algo sobre várias línguas de Tulare e contou com a e alerta-os para as várias se destaca os contributos confiança: “Aqui há gato encerrado”, ou ainda se alguma
e em destaque, mais uma participação de mais de culturas que compõem a dos portugueses e luso- maldade tiver sido descoberta, diz-se que foi “gato escon-
vez, a língua portuguesa 900 alunos que aprendem língua portuguesa. Para americanos para o estado dido com o rabo de fora”. Mas, “O melhor é não pisar o
e desta feita seguintes os português e espanhol na além da Celebração da da Califórnia e celebra-se rabo do gato”, que o mesmo é dizer que cada ser vivo tem
países e regiões lusófonas: escola Tulare Union High Semana de línguas estran- o 25 de Abril e a moderni- o direito de ser respeitado no seu habitat, tal como “fraco
Portugal, Brasil, Angola, School. Houve música, geiras, o curso de língua e dade de Portugal. é o cão que não pega em osso”.
Cabo Verde e a Região poesia, informação sobre cultura portuguesas, com E seria muito bom que todos se dessem bem, cada um no
Autónoma dos Açores. o benefício da aprendiza- a colaboração da asso-
seu mundo, qual sinfonia… Como a que ouvi no dia do
Todos os dias houve uma gem de línguas e danças ciação estudantil SOPAS
Trigésimo Nono Aniversário da Banda de São José, uma
festa excelente na sua Sede, onde os bons apreciadores de
música tiveram ocasião de escutar belíssimos intérpretes,
tanto das Filarmónicas North Bay, Santa Clara, União
Popular, Nova Aliança e jóvens expoentes desta arte para
o ouvido, como o pequeno-grande trompetista Daniel
Santos, entre muitos outros e o retirar de Gil Nunes e Gil-
berto Nunes que ao longo de todos estes anos deram o
seu contributo à Banda de San José, dirigida com orgulho
e saber pelo Mestre Joe Amaral. Foi uma festa digna de
registo que nem o mau estado do tempo conseguiu impe-
dir o seu sucesso. Parabens à Direcção, colaboradores, a
todos os músicos e muitos anos de celebração!

Cantando e tocando música popular portuguesa

1600 Colorado Avenue


Ver Dinis Borges entre os seus alunos, vestido de Matador
de Toiros foi algo único na Semana dedicada às Línguas Turlock, CA 95382
Estrangeiras na California Telefone 209-634-9069
20 COLABORAÇÃO 15 de Março de 2010

Ao Sabor do Vento
José Raposo
O poder, a força e a
raposo5@comcast.net inteligência de uma Mulher

E
ra eu ainda criança quando, uma A mulher, por natureza, presta-se a certos sobre a cidade de Nova York. mente não a todos.
vez, durante o que chamavam a serviços e faz coisas que homem algum O grito havia sido lançado nessa grande Pena é que a comercialização tenha trans-
explicação do Evangelho, o pa- jamais poderá fazer. Houve e haverá na cidade mas, em outras cidades e em outras formado o dia internacional da mulher,
dre diz: história dos povos e das nações, mulheres partes do mundo, desde a Dinamarca onde num dia em que se compra cartões, flo-
- Uma mulher boa é um anjo, mas, uma que foram e serão capazes de fazer frente se realizou a primeira conferência do dia res e outras prendas, que fazem com que
mulher má é um monstro da iniquidade. a quem quer que seja. internacional da mulher, em 1910, à Rússia o verdadeiro significado do dia se tenha
Na altura, não prestei atenção a essas pa- Às obrigações de esposa, mãe, cozinhei- onde a greve das operárias contra a fome e ofuscado.
lavras, no entanto, nunca me esqueci de- ra, enfermeira, etc., etc., eram tarefas que, contra o Czar Nicolau II foi o rastilho para De uma forma ou de outra, tolo é o homem
las e, uma vez que outra, ao lembrar-me normalmente, competia à mulher fazer, e a revolução de Fevereiro. As mulheres que ignora o poder, a força e a inteligência
das mesmas é que realizei quão machista, isso porque assim o homem o determinou. uniram-se, fizeram-se ouvir, protestaram, de uma mulher.
menos próprio e que falta de respeito para Juntaram-se uma outra quantidade de pro- abriram os olhos a certos homens. Infeliz-
com a mulher foi dizer tal coisa. Há seres fissões onde a mulher supera o homem,
humanos que cometem monstruosidades e na habilidade, destreza, perfeição e inte-
acontece tanto ao homem como à mulher. ligência.
Para mim a mulher ocupa um lugar único Foi o homem que qualificou a mulher
em qualquer parte que esteja e considero-a como sendo o sexo fraco o que eu discordo
a obra-prima da natureza. O homem, regra plenamente. Fracos são os homens que ao
geral, talvez pela superioridade física, é verem um rosto bonito, um rabo de saias,
que colocou a mulher sempre em segundo umas pernas esbeltas ou uns seios volup-
plano. Até a Bíblia, inspirada ou não pelo tuosos, perdem por completo as estribei-
Espírito Santo, prova isso. ras e cometem os maiores disparates. Foi
É muitas vezes a inferioridade de alguns por causa da fraqueza de certos homens
homens, a sua mediocridade, a sua inve- que governos foram derrubados, nações
ja e ciúme, amoroso ou não, que faz com foram vencidas, exércitos destroçados e
que eles se enalteçam e vangloriem para, muitas causas perdidas.
de uma forma ou de outra, espezinhar a Em 1857, no dia 8 de Março, em Nova
mulher. E são, muitas vezes, a feminili- Iorque, as mulheres trabalhadoras das fá-
dade de certas mulheres, o seu pacifismo, bricas têxteis protestaram contra as con-
ternura, dedicação e amor, que faz com dições de trabalho e a má remuneração.
que certos homens tirem vantagem dessas Os protestos continuaram a surgir todos
virtudes à quais, devido à sua incompreen- os anos, sendo digno de nota o protesto de
são, chamam fraquezas. 1908 em que 15000 mulheres marcharam
TECNOLOGIA 21

Comcast lanca Xfinity, uma nova Marca de


Tecnologia e Produtos
Esta nova marca significa mais Alta De- podem inscrever-se no website e receber onde você estiver. SA, CMCSK) (www.comcast.com) é uma
finição (HD), mais rapidez, mais opções um e-mail de alerta assim que o XFINITY -Novos recursos convergidos que permi- das maiores provedoras de produtos e ser-
e mais controle para os clientes estiver disponível em suas localidades. tem que a TV, o telefone e a Internet fun- viços de entretenimento, informações e
cionem integradamente através de manei- comunicações do país. Com 23.8 milhões
PHILADELPHIA, PA – 12 de fevereiro Tenha certeza de que poderá aproveitar ras inovadoras, incluindo: de clientes de serviços por cabo, 15.7 mi-
de 2010 – Comcast Corporation (Nasdaq: dos mesmos preços, da mesma progra- oTelefones sem fio HomePoint aprimora- lhões de clientes de serviços de Internet de
CMCSA, CMCSK), uma das maiores pro- mação excepcional e das mesmas ofer- dos. alta velocidade e 7.4 milhões de clientes do
vedoras de produtos e serviços de entrete- tas internacionais da Comcast, com uma -Identificador Universal de Chamadas Comcast Digital Voice, a Comcast dedica-
nimento, informações e comunicações do qualidade ainda melhor e ilimitadas novas (Universal Caller ID) (funcionando em se principalmente ao desenvolvimento,
país, anunciou hoje o lançamento do XFI- opções. Não haverá um aumento de pre- nossos serviços de TV, telefone e Inter- gerenciamento e operação de sistemas de
NITY, uma nova marca da sua plataforma ço decorrente da introdução da tecnologia net). cabo e ao suprimento de conteúdo de pro-
de tecnologia, produtos e serviços. XFI- XFINITY e todas as assinaturas e servi- -Aplicativos para celular que permitem gramação.
NITY destaca o compromisso da Comcast ços Comcast continuarão a vigorar. acesso aos serviços Comcast onde você
em inovar, evoluir e proporcionar o maior estiver (on the go). As redes de conteúdo e investimentos da
número de opções e possibilidades. O lan- XFINITY aprimora radicalmente a expe- -Aplicativos para televisão que proporcio- Comcast incluem E! Entertainment Te-
çamento completo incluirá uma abrangen- riência de nossos clientes, através do au- nam ao cliente a opção de fazer compras levision, Style Network, Golf Channel,
te reformulação da marca através dos pro- mento da velocidade da Internet para 100 através do controle remoto e também de VERSUS, G4, PBS KIDS Sprout, TV One,
dutos TV XFINITY, Telefone XFINITY e Mbps, da expansão das opções do Video participar em votações e levantamentos de dez redes dedicadas aos esportes e opera-
Internet XFINITY. On Demand e da introdução do entreteni- opinião pública em seus programas favo- das pelo Comcast Sports Group e Com-
mento online “a qualquer hora, em qual- ritos. cast Interactive Media, que desenvolvem
A partir de 12 de fevereiro, iniciou-se o quer lugar” com a FANCAST XFINITY e operam os negócios da área de Internet
lançamento em mercados selecionados in- TV. Oferecemos: Novos processos e tecnologias de retaguar- da Comcast, inclusive Comcast.net (www.
cluindo-se Chicago, Portland, Seattle, Bal- -Aumento da velocidade de banda larga da (back-end) garantem o mais alto nível comcast.net). Além disso, a Comcast é tam-
timore, localidades ao norte e sul de New para 100 Mbps ou mais. de serviço de atendimento ao cliente, in- bém proprietária majoritária da Comcast-
Jersey, na área metropolitana da Grande -Mais 100 Canais de Alta Definição (HD), cluindo dispositivos de melhor qualidade à Spectacor, cujos maiores investimentos
Philadelphia e locais significativos da área elevando o número de opções de HD para disposição de técnicos de campo, opções incluem o Philadelphia Flyers, time de ho-
de San Francisco Bay. Os clientes atuais e acima de 3.000 e continuando a oferecer de pagamento e acesso ao gerenciamento ckey da NHL (National Hockey League),
futuros da Comcast podem acessar XFI- a melhor qualidade disponível de imagem online e kit de instalação fácil e simples o Philadelphia 76ers, time de basquetebol
NITY.com para conhecer a disponibilida- HD. para rede doméstica (home networking), da NBA (National Baskteball Association)
de dos produtos, serviços e ofertas do XFI- -Mais opções de Video On Demand, ele- vídeo digital e telefone. e dois grandes estádios usados para várias
NITY. A entrada dos produtos acontecerá vando o número para 20.000 ou mais. finalidades em Philadelphia.
gradualmente em inúmeras comunidades -FANCAST XFINITY TV, com milhares Sobre a Comcast Corporation
em todo o país quando os serviços passa- de filmes, shows de primeira linha e outros
rão a ser totalmente digitais. Os clientes conteúdos disponíveis online, em casa ou A Comcast Corporation (Nasdaq: CMC-

Please join us in celebrating Steak and Salmon Steve Lemos, Chris Martins, Cipriano Martins,
POSSO’s 34th anniversary of ser- Dessert and wine included Eric Moules
vice to the community 9:00 pm – Variety Show: “Voices and Strings” Dance and Poetry: Mirelle Leal Sound: Nelson
Saturday, March 27, 2010 Ponta-Garça
IES Hall Arranged by Helio Beirão, performing with some
1401 East Santa Clara Street of the most talented artists of our community Please RSVP by March 18th Donation: $50
San Jose, California 95116 Presented by Maria das Dores Beirão For more information, please call POSSO

6:00 pm – No Host Cocktails Voices: David Garcia, Lorraine Jacinto, Shana Leal, at 408-293-0877
7:00 pm – Dinner Crystal Mendes, Joe Ribeiro, Sylvia Soares
Menu: Roasted New York Sirloin Strings: Joe Bettencourt, David and Julia Borba,

Cães de Fila
para Venda
P'ra uma casa guardar,
não há nada como um cão
só precisa ele ladrar
para fugir o ladrão.

Para mais informações contactar António Carvalho


559-351-2181
22 DESPORTO 15 de Março de 2010

LIGA SAGRES
Leão endiabrado aplica chapa 3

A
vassalador e en- Liedson, aos nove, ga-
diabrado são os nhou a bola no meio cam-
adjectivos que me- po para fazer um golo de
lhor qualificam a bandeira e aumentar a
entrada dos leões, esta noite sua conta pessoal para
em Alvalade, onde bateram 11 golos e igualando o
o Vitória de Guimarães por benfiquista Saviola no
3-1, em jogo da 23ª jornada da terceiro lugar da lista de
Liga de futebol. melhores marcadores.
Os comandados de Pau-
O leão renasceu, disso não há lo Sérgio reagiram aos
dúvida. Nos três últimos en- 11 minutos com um
contros para a Liga, o Spor- cruzamento impecável
ting apontou 10 golos e hoje de Desmartes , mas Rui
segurou o quarto lugar, quan- Miguel falhou a emenda
do o disputava com o adversá- à boca da baliza. Como
rio directo. quem não marca sofre,
Numa casa cheia, com 35 007 decorria o minuto 12
espectadores, onde também quando Saleiro, num ex-
se celebrava o Dia da Mulher, celente trabalho, passou
por Nilson e rematou para nenhum sofrido e o Sporting A dois minutos do fim, foi o
com Alvalade pintada de cor- de duas vitórias categóricas so- poste que salvou o Sporting.
de-rosa, Grimi, Liedson e Sa- o fundo das redes, mas o árbi-
tro invalidou o lance por fora bre FC Porto (3-0) e Belenen- Num livre à entrada da área,
leiro “arrumaram” a questão ses (4-0, poker de Liedson) e depois de falta de Saleiro, An-
em 20 minutos. Valdomiro, jogo. O avançado estava em
posição regular. com a baliza intacta. drézinho viu os dedos de Rui
aos 67’, fez o tento dos vima- No entanto, a dinâmica apre- Patrício, e depois o poste, im-
ranenses, numa altura em que Não tardou muito para que o
camisola 9 leonino fizesse o sentada por ambas esta noite pedirem o 3-2.
o Sporting baixou o ritmo de não demonstrou tais seme- Carlos Carvalhal sofre, no en-
jogo. “gosto ao pé”, desta feita num
golo validado. Liedson flectiu lhanças. O Sporting só baixou tanto um revés, já que Miguel
O primeiro golo dos leões o ritmo na segunda parte, o Veloso e João Moutinho viram
surgiu aos sete minutos. Mi- bem para o meio, abriu para
Saleiro na esquerda e o avan- que poderia ter custado caro o quinto amarelo e não vão à
guel Veloso, na direita, bateu aos pupilos de Carlos Carva- Madeira, no final do mês, para
o pontapé livre e Grimi subiu çado assinalou outro golo de se
“tirar o chapéu”. lhal, até aí com uma exibição o encontro com o Marítimo, da
mais alto que a defesa vimara- imaculada. Aos 67’, Valdomi- 24ª jornada.
nense para inaugurar o marca- As duas equipas apresentavam-
se para este jogo com estatísti- ro conseguiu bater um invicto
dor. No entanto, o jogador do Rui Patrício. Inês Henriques in
Sporting estava em posição cas muito semelhantes: ambos
os guarda-redes estavam há Ao minuto 80, Rui Patrício fez SapoDesporto
irregular. uma defesa incompleta, a bola
A dominar por completo, não 391 minutos sem sofrer golos,
o Vitória de Guimarães vinha sobrou para Douglas, que num
demorou muito para Alvalade pontapé de bicicleta obrigou o
voltar a gritar golo. Num erro de três vitórias consecutivas,
com cinco golos marcados e guardião à defesa da noite.
defensivo crasso de Gustavo,

Benfica cada vez mais


perto de ser Campeão

O
Benfica manteve a liderança iso- O Sporting também continua na senda dos
lada com três pontos de vanta- bons resultados e hoje, mais eficaz do que
gem sobre o Sporting de Braga, exuberante, consolidou o quarto lugar ao
ao vencer na Madeira o Nacional, vencer o seu mais directo perseguidor, um
por 1-0, enquanto o Sporting ganhou folga esbanjador Vitória de Guimarães, que agora
do quarto lugar ao +vencer, 3-1, o Vitória ficou a cinco pontos.
de Guimarães. Grimi (08), Liedson (09) e Saleiro (20) fize-
ram os golos dos "lesões", de nada valendo
aos minhotos o escasso tento de Valdomiro LÍDER DO FUTEBOL
(67).
A União de Leiria, sexta classificada, tam-
bém perdeu, 1-1, com a Naval, sábado, e fi- AGORA PODE VER A LIGA
cou a oito pontos do conjunto de Alvalade.
O terceiro posto também continua a parecer ESPANHOLA NO ESPN
miragem para a equipa de Carlos Carvalhal, LIGA PORTUGUESA
pois o FC Porto venceu sábado, 2-1, na vi-
sita à Académica e persiste com 12 pontos
NA RTP E SPT NO PACOTE
de avanço sobre os "leões", mas com oito de LUSO $24.99
atraso para os bracarenses.
No fundo da tabela, o Leixões, penúltimo,
RTP $4.00+100 CANAIS TURBO BRONZE $19.99 AO MÊS
deu um passo atrás na luta pela permanên-
cia, ao ser derrotado em casa pelo seu rival
Especial válido por 12 meses
mais directo, o Vitória de Setúbal, por 2-1, Instalamos de 1 a 4 Tv’s com contrato de 2 anos
A 23ª terceira ronda da Liga de futebol ficou ficando agora a cinco pontos da salvação.
marcada pelo triunfo dos quatro primeiros, João Paulo (25) ainda adiantou o conjun-
ANTENA ESPECIAL SÓ PARA A RTP E RADIO E
pelo que nada mudou na frente, quando na to de Matosinhos, mas Sandro (41) e Keita CANÇÃO NOVA
próxima ronda se defrontam os dois primei- (79) consumaram a reviravolta que permitiu COMPRE A ANTENA E NÃO PAGA NADA POR MÊS
ros no estádio da Luz. igualar o Olhanense (13ª), penalizada com
Três minutos depois de falhar uma grande derrota caseira, 1-3, frente ao Belenenses,
LIGUE AGORA MESMO PARA LUCIANO COSTA
penalidade, Óscar Cardoso (64 m) concluiu último classificado e que não vencia há mais 1-559-435-1276 CELL 1-559-347-8257
um contra-ataque com emenda fácil na pe- de meio ano.
quena área e permitiu ao Falamos Português
Benfica responder da melhor forma à pres- in SapoDesporto
são colocada na véspera pelo Sporting de
Braga, que tinha ganho, 1-0, ao Rio Ave.
COSTA ELECTRONICS
DEALER AUTORIZADO DO DISH NETWORK
PATROCINADORES 23

Assine o Tribuna Portuguesa e fique a par


do que se passa na nossa Comunidade
24 TAUROMAQUIA 15 de Março de 2010

Rui Fernandes Quarto Tércio

O elemento fundamental da José Ávila


Festa é o TOIRO josebavila@gmail.com

Esta conversa com o ca- eu ainda nessa altura continua- altos temos que caminhar para 680Kg o que é que o aficionado para a noite. Conforme me esti-
valeiro de alternativa Rui va a vender os cavalos que tinha Espanha. Lógicamente que adoro em si pode ganhar com isso. Um ve a preparar, a empresa devia-se
na minha quadra, para poder me tourear no meu País que é Portu- toiro grande é muito difícil que ter preparado para dar melhores
Fernandes aconteceu em manter e ir arranjando melhores gal, mas as corridas em Espanha tenha a mesma mobilidade do condições aos toureiros, não é
Outubro, depois da Feira condições de trabalho. Num dia têm um significado diferente, a que um toiro mais pequeno, pois no dia da corrida, sabendo o que
de Thornton, mas só agora no principio de uma temporada, aficion também é diferente, mas não pode galopar da mesma ma- choveu que se pode arranjar o
foi possível transcrevê-la. surgiu uma novilhada para ir a fundamental para uma carreira neira e um toiro que não galopa piso da praça.
Vila Franca com seis novilhei- ser mais bem conseguida e poder é extremamente difícil tourear.
Como é que te tornaste cavalei- ros, a qual ninguém queria abrir viver dela, temos que caminhar a Um toiro que galopa é um toiro Pensas vir à California mais
praça a seis novilheiros, porque Espanha e eu gosto muito de tou- que obedece, que dá para lidar, vezes?
ro?
é extremamente cruel nós irmos rear em Espanha. dá para templar. O toiro tem que Estou sempre disposto a vir à Ca-
Há sempre aqueles que contam,
tourear a cavalo e haver mais pu- fundamentalmente galopar e um lifornia, sempre que os empresá-
que quando éramos pequeni-
blico do toureio a pé, mas como Só interessa ir a Espanha se es- toiro com 680Kg tem muita difi- rios o desejarem. Para já fiz ami-
nos, queríamos ser toureiros. Na
pagavam as despesas, o meu pai tiver ao nível dos melhores do culdade em fazer isso. zades aqui na California. Graças
minha casa nunca tinha havido
foi logo de acordo. Fui e tive a Pais vizinho, não é verdade? a Deus por todos os sítios que
nenhuma relação com o toureio
sorte de estar a ver essa corrida Eu até aos dias de hoje sempre Qual a tua impressão da Cali- tenho passado tenho amizades e
a cavalo, havia sim sem dúvida
o Virgilio Palma Fialho que dava andei nos altos circuitos, houve fornia e qual é a evolução que sinto-me bastante bem aqui a tou-
alguma, duas pessoas aficiona-
a Corrida da Rádio Renascença, uns anos que toureei mais cor- vês desde a primeira vez que rear. O público comprendeu que
das que era o meu avô e o meu
que era a corrida mais importante ridas de primeira do que outras. toureaste cá? eu sempre me esforcei ao máxi-
pai, que adoravam ver corridas
que havia no calendário taurino Sou um profissional que já optou A primeira vez que vim à Cali- mo e gostaram. Sempre que quei-
de toiros. O meu pai por coin-
português e as coisas correram por tourear em Portugal e não em fornia foi em 2001, esta é a quar- ram que o Rui Fernandes venha à
cidência ou não, conheceu um
extremamente bem e contrata- Espanha mas houve tempo que ta vez que estou entre vocês. A California, desde que me dêem as
grupo de amigos, alguns deles
ram-me para a corrida da Rádio preferi tourear mais em Espanha verdade seja dita, aqui as pessoas condições desejadas para que eu
eram bandarilheiros e meu pai
Renascença e daí para a frente do que em Portugal. Isto é uma cada vez entendem mais e torna- me sinta bem, para poder dar um
como era um grande aficionado
nunca mais parei. Sem estar bem profissão como outra qualquer, se para nós, cada vez mais com- bom espectáculo, vou estar cá as
do toureio a cavalo, tinha sempre
preparado para aqueles compro- lógicamente temos que disfrutar plicado. Recordo-me que quando vezes que quizerem.
um ou dois cavalos em casa e eu
missos, as coisas surgiam e eu dela para que o publico também vim cá a primeira vez, era chegar
fui acostumado desde pequenino
correspondia.Chamaram-me para disfrute. Estamos a dar a nossa aqui e pôr os ferros o melhor pos- Nos últimos anos houve muitos
a ir às corridas. O meu pai sendo
ir um dia a Espanha, nunca tinha magia lá dentro da praça e sem sível e as pessoas ficavam todas investimentos em cavalos na
amigo com essas pessoas sabia as
morto um toiro na minha vida e essa magia é difícil ter triunfos, ir contentes, batiam palmas, mas California. O que é que pensas
dificuldades que era fazer uma
ganhei o prémio do melhor reje- a Espanha, à Califórnia, ao Méxi- agora já não é bem assim. Já nos disso?
carreira de cavaleiro profissional
neador desse dia. Hoje estou mui- co, à Colômbia ou Equador, por exigem muito, mais a uns do que As coisas por cá vão evoluindo e
e mais a mais viver dela, pois era
to contente com a minha carreira onde ja toureei. a outros, pois chegar aqui e com isso é que é bom e penso que vo-
uma coisa quase que impossível
e lógicamente que o apoio de meu Mesmo com a crise que está pas- os cavalos que não são nossos e cês aqui quanto mais unidos pos-
e sabendo que não tinha posses
pai foi fundamental e os conheci- sando, Portugal a nível de corri- em cinco ou seis dias, fazer o que sam estar, melhor, a união faz a
para me poder dar as coisas, se
mentos que ele tinha de grande das foi um êxito em 2009, apesar levamos anos a fazer com os nos- força e cada qual diz a sua ideia e
calhar como eu desejaria. Meu
aficionado ao cavalo, do dom que deste ano eu não ter chegado a sos, torna-se complicado. Saber ao fim chega-se a uma conclusão
pai fez um picadeiro lá em casa
ele tinha em me dizer para esco- acordo com a empresa do Campo que aqui não se picam os toiros democráticamente para o bem da
para o Carlos Pinto que era um
lher este ou aquele cavalo. Pequeno, todas as corridas lá tou- é outra dificuldade. O ano pas- festa. O Paulo Ferreira a montar
dos melhores ginetes. A seguir ao
readas tiveram sempre excelentes sado e este ano, tive a sorte ou a os cavalos do Jorge Martins tem
Carlos Pinto esteve na minha casa
Como é que foste recebido pelos sido uma peça fundamental, pois
o D. José de Ataíde, que a esse já
teus colegas com os quais tou- os cavalos durante o ano estão
o apanhei tinha eu os meus 8 ou 9
reias hoje? em forma, ele tem os cavalos bem
anos, com o qual eu tive algumas
Sempre fui um toureiro polémi- montados. Quando chegamos cá
aulas de equitação, a seguir ao
co, não sei se era da forma como ele pode dizer-nos qual é o géne-
D. José veio o Afonsinho Cortes
andava ou da maneira como eu ro de cada um, e isso ajuda-nos
que é irmão do José Manuel Cor-
sempre quis tourear, mas Graças muito. As coisas evoluiram, an-
tes, que ia ali, montar os cavalos.
a Deus dou-me bem com todos os tigamente chegava-se aqui e os
Também o Gustavo Zenkl tinha
meus colegas, como eles me res- donos dos cavalos que eram uns
lá os seus cavalos.
peitam também a mim e viram apaixonados pelos seus cava-
Eu continuava a montar e sempre
que tudo aquilo que consegui, los, todos eram extraordinários.
a dizer que queria ser cavaleiro,
foi conseguido por mim e com Era lógico de se compreender e
mas meu pai não me fazia caso
grande mérito e sinto-me mui- os cavalos eram sempre bons e
nenhum. Um dia surgiu uma
to orgulhoso. Sou o único por- serviam para tudo. Hoje em dia
garraiada, lá na minha terra, na
tuguês que até aos dias de hoje como já falam mais com os pro-
Charneca da Caparica, no qual
abriu as Portas do Príncipe em fissionais e apercebem-se que já
o senhor que organizou, per-
Sevilha, já cortei uma orelha na não é bem assim. Outro dia falan-
guntou-me se eu queria tourear.
Praça México e em Madrid, por do com o Jorge Martins disse-lhe
Para mim foi uma loucura, mas
onde tenho passado, tenho conse- que ele tem uma excelente qua-
eu nunca tinha posto um ferro
guido sempre triunfar. Sabemos dra, mas não pode parar, tem que
na tourinha, quanto mais numa
que para manter esta profissão continuar, o trabalho tem que se-
bezerra ou numa vaca. Tentámos
que é extremamente difícil, por guir da mesma maneira, de novas
dar a volta ao meu pai para me
vezes há altos e baixos, a nível de montadas, de novos reforços.
deixar tourear essa garraiada.
montadas, a nível de nós mesmo, É como uma equipa de futebol.
Meu pai disse que sim uns oito
como pessoas. Temos que criar
dias antes. Eu tinha um fato cur-
condições para podermos disfru-
to de ir à feira da Golegã desde PT- Como é que te defines quan-
tar desta vida e mais tarde poder
miúdo e então comecei a tourear to ao teu estilo?
sustentar uma família. É muito
duas, três bezerras em casa, mas É muito subjectivo. Por exemplo
complicado, pois há poucos tou-
tinha dificuldade de pôr ferros na definir o estilo do Moura, sabe-
reiros a fazerem isso por muita
tourinha. Lá chegou o dia e como mos que o Moura é que trouxe
pena nossa, como e lógico, mas
todas as coisas às primeiras cor- o temple para as praças. Mas o
Graças a Deus tenho-me manti-
rem sempre bem e tudo correu Moura, aos anos que já toureia,
do e ainda quero alcançar muito casas. Em todas as corridas que felicidade de deparar com alguns
bem e toda a gente ficou satisfeita toureia de todo o feitio e então
mais coisas e tenho ainda muito toureei e algumas que fui ver, cavalos aqui em casa do Jorge
e diziam que eu tinha muito jei- como definir o estilo do Mou-
mais para dar. Sou ainda muito sempre houve casas muito boas Martins e seus irmãos, a qual
to. Meu pai sempre a dizer das ra, ele já toureou por câmbios
jovem, sou um trabalhador nato, a nível de público. Foi extraordi- estou muito grato a eles da ma-
dificuldades que isto tinha, não por fora, e quanto a mim o meu
onde quer que vou dou sempre a naria esta época em Portugal, e é neira como me receberam na sua
achou muita graça à situação,
cara e ainda tenho muito para al- sinal que está bem viva. casa, que foi extraordinária e tive estilo que até à data tenho mar-
mas foi deixando andar. Comecei
cançar e quero chegar muito mais a sorte de me adaptar bem aos ca- cado sempre é o toureio frontal.
logo muito cedo a ser eu a pôr os
alto. Como é que vês este apareci- valos. As corridas correram-me Sempre que posso e sempre que
meus cavalos a tourear e depois
mento de toiros de 680 Kg e bastante bem, a de Sábado não as condições se propiciam prati-
vendia-os aos meus colegas com
Que benefícios é que te trouxe a 710Kg? Que interesse é que tem foi um êxito, porque não havia co o toureio frontal. A partir daí
os quais hoje toureio, Rui Salva-
ida para Espanha? estes toiros para a festa brava? condições para mim e para os dou largas à minha imaginação,
dor, Paulo Caetano, Moura. Bas-
Por incrível que pareça, Portu- Penso, como se costuma dizer, cavalos podermos disfrutar den- aquilo que levo dentro de mim,
tinhas.
gal é considerado a pátria do que isto são borradas que as pes- tro da praça e podermos andar improvisar e poder dar recortes
Fui andando pouco a pouco, ti-
toureio a cavalo e a verdade é soas gostam de fazer. Já me ca- de outra maneira com os toiros. nos toiros e poder andar de lado.
rei a prova de praticante. O meu
que todas as figuras que houve lhou a mim ter que tourear toiros Por vezes o toiro sai mais compli- Fui eu que trouxe para as praças a
pai tinha uma relação muito boa
a nível mundial do toureio a ca- muito pesados. cado ou menos complicado, mas
com o Ricardo Chibanga, que Sorte de Gaiola a quiebro, fui eu
valo tiveram sempre que ir be- O elemento fundamental da fes- somos profissionais e temos que
tinha uma praça desmontável, que trouxe a Lambada. Sou novo
ber água a Portugal. Espanha é ta é o toiro e não podemos abrir estar preparados para essas difi-
que ainda hoje tem e organiza- mas já trouxe algumas sortes no-
muito maior que Portugal, tem mão desse ingrediente que é tão culdades com esse tipo de toiro
va umas corridas no Norte e foi vas.
uma dimensão a nível de corridas fundamental para que haja es- para podemos sempre dar a cara.
-me pondo nessas corridas como
enorme e quando se quer tourear pectáculo, alegria, tristeza, triun- Na Segunda-feira bastante cedo,
cavaleiro praticante, as coisas
cinquenta a sessenta corridas ao fo, fracasso. Dependemos todos estava eu na praça de toiros para
foram surgindo, correndo bem e
ano e chegar a outros voos mais muito do toiro e um toiro com ver se o piso estava em condições
PATROCINADORES 25
26 ARTES & LETRAS 15 de Março de 2010

Apenas

Quase o grau zero Duas


Palavras

Diniz Borges
d.borges@comcast.net
Já aqui escrevi sobre a crónica e a sua
rica tradição na literatura de língua por-
tuguesa. Escrevi, e repito-o sem qual-
quer dúvida, que um dos meus cronistas
predilectos da língua portuguesa (e te-
nho tido a oportunidade e a felicidade de
humilde, você não tem esta- ler muitos) é Onésimo Teotónio Almei-
tura para isso! Pelo menos eu da. Daí que esta Maré Cheia tem, ainda
já conhecia ambas quando mais uma vez (e esperamos que se repi-
há tempos um gabarolas de ta, muitas vezes), a grata oportunidade
Onésimo Almeida fazer De Gaulle humilde, me de publicar mais uma crónica do distinto
catedrático, exímio contador de histórias

H
admitiu em conversa: Como e amigo Onésimo Almeida. Uma cróni-
avia antigamente, mas já muito sabe, eu sou um pouco orgu- ca que é uma autêntica delícia.
antigamente, no milénio pas- lhoso. Desprevenido, saiu-me E por último deixo-vos nestas duas pala-
sado, uma virtude (em caso sem dar tempo para o supe- vras (desta feita muito mais do que duas)
de dúvida, consultar a palavra rego reprimir: Não seja tão uma citação de Artur de Távola do Bra-
no Google) chamada humildade, paren- modesto! sil, parte duma pesquisa sobre a cónica
Hoje, todavia, essa piadas que ando tentando fazer para um texto
te de outra quase-irmã, a modéstia, que
perderam a força. Estamos que quero alinhavar um dia destes e que
por vezes se revestia de conotações com sintetiza o que é de facto a crónica. Vai
indumentária. Modesto podia significar rodeados de gente que faria
enriquecer o descobridor de na ortografia brasileira.
decente. E havia ainda outro parentesco É o samba da literatura. É ao mesmo
semântico a implicar pobreza. No entanto, uma magnífica receita para
tempo, a poesia, o ensaio, a crítica, o re-
é da primeira que me apetece escrever hoje ganhar dinheiro facilmente:
gistro histórico, o factual, o apontamen-
pois estou nostálgico de estórias sobre vir- comprar as pessoas pelo pre- to, a filosofia, o flagrante, o miniconto,
tudes dos antepassados. ço que valem e vendê-las pelo o retrato, o testemunho, a opinião, o
Fui educado por eles a ponto de recorrer a que elas pensam que valem. depoimento, a análise, a interpretação,
pseudónimo nos meus escritos juvenis por Nalguns casos o lucro seria o humor. Tudo isso ela contém, a poliva-
ser imodesto usar o próprio nome. Nun- parco, reconheçamos. Não lente. Direta a simples como um samba.
há muito tempo, Terence Profunda como a sinfonia.
ca ouvira falar de Walt Whitman nem do
Rafferty abria assim uma É compacta, rápida, direta, aguda, pe-
seu I celebrate myself, and sing myself, netrante, instantânea (dissolve-se com
epítome da autocelebração, nos antípodas recensão ao romance de um
autor que todos conhecemos: o uso diário), biodegradável, sumindo
do que me ensinavam. Se calhar não vivia sem poluir ou denegrir, oxalá perfume,
longe do mundo da freirinha que dizia a A voz na terceira pessoa no
saudade e algum brilho de vida no sor-
outra: Sou muito mais humilde do que a novo romance de X tem um
riso ou na lágrima do leitor.
irmã. Costumava contar uma estória de tom altissonante e uma auto- A literatura do jornal. O jornalismo da
Charles De Gaulle (como vêem hoje estou convicção a rondar o ponti- literatura. É a pausa de subjetividade,
para dinossauros) de que nunca soube a fício, uma caprichosa deter- ao lado da objetividade da informação
tirada final pois quem ma contou tinha-a minação que o próprio Deus do restante do jornal. Um instante de
incompleta. Já tentei junto de muitos fran- invejaria. No caso, porém, reflexão, diante da opinião peremptória
em reacção, o autor bem po- do editorial.
cófonos na esperança de que algum a co-
deria ter repetido a desculpa É tímida e perseverante. Não se enga-
nhecesse, mas até hoje sem êxito. Era as- lana com os grandes edifícios da lite-
sim: o Presidente foi confessar-se e o padre do outro: Como ser humilde
quando se é grande como eu ratura, mas pode conter alguns de seus
lembrou-lhe que se esquecera de referir o melhores momentos. Não se enfeita com
seu grande pecado - o orgulho. Em pe- sou?
os altos sistemas de pensamento, mas
nitência, impunha-se uma oferta na caixa O leitor deve estar a interro-
pode conter a filosofia do cotidiano e da
das esmolas. De Gaulle cumpriu, acompa- gar-se sobre o porquê deste vida que passa. Não se empavona com a
nhando o óbulo de uma mensagem : Du tema para crónica. Vou des- erudição dos tratados, mas pode trazer
Grand De Gaulle au Petit Jésus. Vendo o vendá-lo: Sinto-me hoje par- agudeza de percepção dos bons ensaios.
envelope, o sacerdote foi todo bons modos ticularmente humilde. Esta Para ser boa, não deve ser mastigada.
admoestar Mr. le Président que, contrito, manhã arribou-me no Goo- Deve dissolver-se na boca do leitor,
gle um aviso. Alguém pare- deixando um sabor de vivência comum.
substituiu: Du Premier de la France à la
ce ter encomendado o meu Deve parecer que já estava escrita há
2.ème personne de la Trinité. (Avisei que muito tempo na sensibilidade de quem a
me faltava a terceira parte, certamente a livro De Marx a Darwin. A
desconfiança das ideologias lê e foi apenas lembrada ou ativada pelo
mais desbragada. Uma pena! Será que o escritor/jornalista que lhe deu forma.
leitor conhece? Se sim, conte-me!) via um serviço internacional
Deve ser rápida como a percepção e de-
Eram múltiplas as estórias de De Gaulle a de vendas pela Internet. A morada como a recordação. Verdadeira
glosar o mesmo tema: Ele a rezar: Sagrado vendedora tornou públicas as como um poente e esperançosa como a
Coração de Jesus, tem confiança em mim! estatísticas, assim me infor- aurora. Irreverente como um carioca.
(datadíssima esta!). Ou ainda: a mulher, no mando do meu grau de popu- Suave como pele de mulher amada e ir-
seu primeiro encontro com ele inteiramen- laridade: 1 em 3 807 590. ritada como uma criança com fome.
te desfardado, exclamando: Mon Dieu! E o Aí está uma notícia capaz de Terna como a amamentação e insegura
confirmar no seu lugar até o como toda primeira vez. Religiosa como
general: Na intimidade trata-me por tu.
ego mais humilde. Se bem a portadora do mistério e agnóstica
Churchill, nada perito em modéstia, não como um livre pensador. A crônica nos
perdoava abusos nesse capítulo e deixou- entendo, em três milhões oi-
tocentas mil e tal requisições obriga à síntese, à capacidade de con-
nos aquela pérola a propósito de Clement densar emoções em parágrafos-barra-
Atlee, líder do Partido Trabalhista: Um de livros uma destinava-se
gem. Faz-nos prosseguir, mesmo quan-
homem modesto com muitos motivos para ao meu. É obra!!! do nos sentimos repetitivos. É, pois, a
isso, boca provavelmente conhecida de expressão jornalístico-literária da ne-
Golda Meir, retraída mas incisiva, baixi- cessidade de não desistir de ser e sentir.
nha porém dona de altivez, que desferiu A crônica é o samba da literatura.
contra já não recordo qual alvo: Não seja abraços
diniz
PATROCINADORES 27

P.O.S.S.O. & ROSIE’S


TOURS
PASSEIO A IDAHO PARA A FESTA
DO DIVINO ESPÍRITO SANTO
Dias 21 de Maio até 2 de Junho 2010
13 dias e 12 noites.
Preço: Para duas pessoas num quarto, $1,585.00 cada uma.
Para uma pessoa só num quarto $1,900.00
Preço inclui:
Transporte no autocarro, acomodação, 12 pequenos almoços,
3 jantares, 1 almoço.

IDAHO HOLY GHOST TRIP


MAY21-JUNE 2, 2010
PRICE PER PERSON: $1585.00 (dbl occ)
SINGLE PERSON: $1900.00
INCLUDES THE FOLLOWING:
BUS TRANSPORTATION
ACCOMMODATIONS
12 BREAKFASTS
3 DINNERS
1 LUNCH
HOLY GHOST IN IDAHO
COVERED WAGON COOKOUT - WYOMING
YELLOWSTONE PARK - WYOMING/MONTANA
PASS THROUGH DEADWOOD - SOUTH DAKOTA
SIGHTSEEING TOUR OF BLACK HILLS - SOUTH DAKOTA
WITH BREAKFAST & DINNER & SHOW
MT. RUSHMORE, CRAZY HORSE, CUSTER STATE PARK
AND MUCH MORE - SOUTH DAKOTA
MINI TOUR OF DENVER, COLORADO
PASS THROUGH ROCKY MOUNTAINS
ARCHES NATIONAL PARK - UTAH
BRYCE CANYON - UTAH
ZION CANYON - UTAH
HOOVER DAM, ETHEL M. CHOCOLATES - LAS VEGAS
SHOW IN LAS VEGAS
Para mais informações favor contactar a P.O.S.S.O. pelo telefone (408) 293-0877
28 ENGLISH SECTION 15 de Março de 2010
serving the portuguese–american communities since 1979 • engLish section

Ideiafix
portuguese
Miguel Valle Ávila
miguelavila@tribunaportuguesa.com

Economy of scale in education Superintendent Escobar to retire

T L
ivingston Union School me realize you can do anything if built as soon as higher student
he State of California spends almost $8,800 dollars per stu- District Superintendent you set your mind to it,” Escobar enrollment warrants its cons-
dent per academic year, according to the California Depart- Henry Escobar’s office said. “His is the model I picked truction. Until then, the district
ment of Education latest data (from 2008-2009). In 2006- features lean trappings, for myself -- to help children who has leased the land on which the
2007, California ranked first in teacher salaries, had only 3/4 more meager than you’d expect, come from disadvantaged homes. new school will be built to a swe-
of the administrators compared to the national average, ran 5,764 ele- given it’s been his office for 16 My only regret is that he died be- et potato grower. Money from
mentary schools for 3,027,561 students and 149,862.8 full-time equi- years. Pictures of local school- fore I became a superintendent.” that lease is used to help fund the
valent teachers (a student-teacher ratio of 20.2 in elementary school). children and his grandchildren, Escobar said he believes the district’s Superintendent’s Lite-
The state expenditures are broken down as following: 32% transfers a few favorite books, a model of power to positively influence racy Program, an effort Escobar
between agencies, 29% instruction, 17% instruction-related services a sailing craft, a calendar and a children’s lives rests with clas- began which, among other contri-
(e.g., local school administration, supervision, libraries, etc.), 9% ge- computer monitor are about all sroom teachers. “That’s where butions, provides gift certificates
neral administration (e.g., district, superintendent, Board, etc.), 9% that’s in plain view. On his desk the rubber meets the road,” he to Barnes & Noble where chil-
pupil services (e.g., counseling, psychological services, health, trans- rest a blotter, a phone, a little rack said. “It’s not about the progra- dren can buy books for themsel-
portation, food), 4% facilities and maintenance, and 3% other services filled with business cards and the ms -- it’s about the practitioners. ves. The program also funds bus
(e.g. ancillary, community, enterprise). one item he says characterizes In this district we have teachers transportation for field trips to
From the latest available data (2008-2009), California spent $8,736 his time at the district’s helm -- a and teacher supporters. You don’t the bookstore and pays for books
per student per school. Among the local Silicon Valley elementary small card in a modest frame on need fancy programs, you need that are given away to students
school districts, Saratoga Union Elementary spent $10,521, Santa Cla- which is written, “All decisions good people -- people who truly and parents attending open hou-
ra Unified $9,410, Sunnyvale Elementary $9,275, Alum Rock Union made in this office are made on care for kids. “We can give them ses and back-to-school nights.
Elementary $9,128, Campbell Union Elementary $8,544, and Cuper- behalf of students.” Escobar, 60, the technical skills, but after 38 Escobar’s work helping children
tino $7,697. announced last week he’ll resign years I’ve realized I cannot teach has extended beyond the district’s
One would assume that California would be at the top among all Ame- as district superintendent June a teacher to love kids.” Students classrooms and into the Livings-
rican states in education. In 2009, the Adequate Yearly Progress under 30. He said that framed sentence at Livingston’s Yamato Colony ton community. “His reputation
the federal No Child Left Behind Act ranked California as RED, whi- is going with him when he packs Elementary School were the first in the community is very positi-
ch means that student performance and participation did not meet the his belongings. “It’s been my mot- in the district to surpass the 800 ve,” Sousa said. John Mucci, the
Annual Measurable Objectives. According to a 2009 report, Califor- to from day one,” he explained. “I mark on the state’s Academic city’s recreation director from
nia ranked 49th out of 50 states in adults with high school education have never made a decision that I 1992-99, said Escobar and the
(it was 1st or 2nd between 1977 and 1987) and 13th out of 50 states in didn’t think was in the best inte- district’s school board members
adults with a college education (1st or 2nd from 1977 to 1987). There rest of kids. I have always held to offered district-owned facilities
is something very wrong with this scenario. that, and I’m most proud of it.” as venues for local talent shows,
An independent Silicon Valley private Catholic school (K-8), not asso- Escobar began his career in edu- dances for schoolchildren and si-
ciated with a parish or the Diocese of San José, charges $9,900 per stu- cation as a fifth-grade teacher at milar events free of charge. “He’s
dent per academic year for elementary school. Enrollment is over 200 Selma Herndon School in Livin- been a great community leader,”
students and growing at 30 to 40% per year since 2005. The expenses gston after graduating from CSU Mucci said. “It’s hard to descri-
are very similar to those of the state-funded public schools -- teacher Stanislaus in 1972. He spent the be how much easier he made my
and administrator salaries (slightly higher than in the public schools), next five years in the classroom, job.” Livingston’s interim Poli-
insurance, building and facility leases, outsourced custodial services, save a one-year break when he ce Chief Sharon Silva, who has
etc., etc., etc. It does not offer cafeteria service (it outsources it to a helped design and implement a been with the police department
third-party catering service) or student transportation (these expenses Title VII Federal Demonstration for 18 years, said Escobar’s sup-
actually account for only about 1% in the public school budgets). The Project (the Livingston Area Mul- port for various drug prevention
student-teacher ratio is mantained below 20. ticultural Project), the first bilin- events the department supports,
Some people say you can’t compare public with private elementary gual project in Merced County, such as Red Ribbon Week, has
schools. Well, let’s see: he said. He served as director of been immeasurable. “Anytime
state and federal programs for we needed help, he was always
Elementary School Public School/ Private School/ the school district for two years there,” Silva said. “It’s going to
Comparison Taxpayer Pays User Pays and in 1979 became principal of be a big loss for the city when he
Annual cost/student $7,697-$10,521 $9,900 Campus Park Elementary School. leaves.” Escobar said, he’s “proud
Student/teacher ratio 20.6 <20 In 1986, he took over as principal we’ve made a collaborative cul-
Performance Index. Scores from
of Livingston Junior High Scho- ture where everybody works to-
Teacher salaries $$$ $$$$ other schools are nearing that
ol and was promoted to assistant gether for the education of their
Teacher benefits $$$ $$ mark. Escobar credits a district-
superintendent of instruction and children.” Merced County Office
wide buy-in to the Success for
Teacher education/ ? 1/3 have advanced personnel in 1989. He was hired of Education Superintendent Lee
All program he implemented
credentials university degrees to the district’s top job in 1994. Andersen has known Escobar for
10 years ago as the main reason
Teacher diversity **** **** “Henry is a believer -- in our kids many years and has served with
for gains in standardized test
and the people in this communi- him and other local superinten-
Student diversity **** **** scores. “I’m surrounded by the
ty,” said Livingston Middle Scho- dents on the Merced County Ad-
Curriculum variety ** **** best leadership team, and I’m
ol Principal Filomena Sousa, who ministrative Council. Escobar is
so proud of our teachers,” he
Curriculum focus Test score focused Integral forma- has worked with Escobar since a past chairman of that council.
said. “The district has become a
tion (intellectual, she began her career in education “He’s done a great job leading
magnet for some of the best te-
character, spiritual, as a third-grade teacher at Cam- his district, both in terms of im-
achers there are.” On Escobar’s
apostolic) pus Park while Escobar was prin- proving education programs and
watch, the school district built
Food/nutrition costs ~0% of budget, 35% 0% of budget, cipal there. “His legacy will be he keeping the district on sound fi-
Livingston Middle School, a $20
receive free/reduced students bring their always believed our kids deserve nancial footing,” said Andersen,
million project, and opened two
price meal own or order online anything we can do for them and who has announced his own re-
child development centers. The
more. He’s been someone who’s tirement this year. Escobar isn’t
Nutritional value * **** middle school was built without
fought for kids.” Most of the stu- planning to retire when he leaves
Parent involvement * **** a local bond by using part of the
dents enrolled in the Livingston his post in June. Instead he will
district’s reserve fund, certifi-
Student success School-dependent Top 15% nationally district come from immigrant, be investing his time building a
cates of participation and state
rates on SAT 10; 100% non-English-speaking, econo- company he recently founded,
bond proceeds. “We are probably
of graduates ac- mically disadvantaged homes. Escobar Group LLC, which will
the most fiscally sound district
cepted into private Those backgrounds are similar provide leadership, professional
in the state,” Escobar said. The
high school of their to Escobar’s, who immigrated development and mentoring ser-
Livingston district is one of few
choice to this country from the Azores vices. “This is simply a transi-
statewide that hasn’t been forced
when he was 10. He spoke no En- tion,” he said. “Change for me is
to trim programs or staff during
Then a question begs to be asked: why do we accept lower educational glish when he enrolled in fourth energizing.” But about his time at
the economic downturn. In fact,
standards and success rates from our public schools for almost the grade at a school in Hopeton. His the helm of the Livingston district
the district has added both. “He’s
same cost as an independent private school? experiences in grammar school Escobar said, “I’ve been blessed.
leaving the district in incredibly
I’m not one to propose or support the use of vouchers, but in an eco- classrooms, and the many years All I can say is thank you. It’s
good condition both financially
nomy of scale such as the California public educational system, why of mentoring and encouragement been an honor to serve this com-
and with regard to student achie-
aren’t the taxpayers benefiting from that economy of scale? he received from Kenneth Finlay- munity.” On behalf of students.
vement levels,” Sousa said. “He’s
son, then a sixth-grade teacher in
leaving it in much better condi-
Sources: www.cde.ca.gov, www.edsource.org, www.ed-data.org the El Nido school district, have By KIM YANCEY
tion than he found it.” Another kyancey@losbanosenterprise.com
influenced Escobar’s career in
elementary school is ready to be Courtesy of Merced Sun-Star
education. “He (Finlayson) made
ENGLISH SECTION 29
30 ENGLISH SECTION 15 de Março de 2010

California Chronicles
Ferreira Moreno

Terceiros & Passos

G
rowing up in the Azores Islan- Friars Minor Capuchin derived from the
ds, before coming to Califor- original Order of Friars Minor established
nia more than half a century by Francis of Assisi.
ago, I recall that the Lenten In my hometown of Ribeira Grande, it
season (a period of forty days previous to was the Irmandade (Brotherhood) of Ter-
Easter Sunday) was observed with much ceiros that
reverence and a spirit of penance. In me- was in charge of promoting the above-
mory of Christ's sufferings, we were not cited procession of penance, as well as
even allowed to play or listen to music, the celebration of the feast days in honor
and all musical instruments were simply of St. Francis and St. Isabel (1271-1336),
off 1imits for both young and old. Queen of Portugal, who belonged to the
With the imposition of the ashes, on Ash Third Order and entered the Poor Clares'
Wednesday, the rigorous observance of convent in Coimbra, when she became a
the laws of fast and abstinence came into widow.
effect. However, it is not the purpose of Another Lenten cortege called the Passos
this chronicle to dwell on old penitential procession displayed more solemnity and
rites and customs. I would rather describe a sense of mystic wonder. While church
the traditional processions which, at the bells chimed mournfully, the procession
time, took place in the Azores Islands. moved slowly outdoors, accompanied
In contrast to the more festive corteges and by two rows of men wearing purple sle-
cheerful parades of the Summer months, eveless garments (opas). Even though it
the Lenten processions lacked pomposity was not allowed to decorate windows
and seemed to be engulfed in sadness. On and balconies, the streets were carpeted
the other hand, a series of andores (woo- with greens, and the little chapels known
den platforms), carried on men's shoulders as PASSOS, because they displayed pa-
and displaying saints' statues, conveyed a nels depicting various steps (passos) of
sense of piety and compassion. Christ's journey to Calvary, or Stations of
In my hometown of Ribeira Grande on the Cross, were profusely decorated with
São Miguel Island, the Terceiros proces- a great variety of flowers and greens.
sion departed from and returned to the The cortege, with a platform holding a
São Francisco Church, popularly known statue of Jesus carrying the cross, stopped
as Friars' Church, adjacent to the Hospi- at each of those Passos (chapels). Then a
tal, headquartered in a former Franciscan choir would sing the Stabat Mater, follo-
convent building. It is noteworthy to point wed by another Latin chant performed
out that after the discovery and set- by the Três Marias, three young girls in
t1ement of the Azores lsIands in the 1400's, Jewish costumes representing Mary Clo-
the Franciscans established themselves on pas, Mary Magdalene and Mary Mother
the islands and built their convents. of Jesus, together with Veronica, identi-
That is why the people of Ribeira Grande fied in Tradition as the womam who wi-
gave the name of Igreja dos Frades (Friars' ped clean the bloody face of Jesus on the
Church) to the church originally dedica- Via
ted to St. Francis. Dolorosa. At the end of the Marias' chant,
As for the name Terceiros, we must re- Veronica climbed to a chair and displayed
member that St. Francis of Assisi (1181- the shroud, where Jesus' Bloody face was
1226), in addition to being the founder of imprinted.
the religious order known as the Order of It was at Adro das Freiras (Nuns' chur-
Friars Minor (O.F.M.), was also the co- chyard, site of an extinct nunnery) where
founder, with St. Clare of Assisi (l194- stood the Passo which my family was in
1253) of a second charge of, and the one chosen for the En-
religious order geared exclusively for contro (encounter).
women, taking the name of Poor Ladies, After the Tres Marias' repertoire, another
which later changed to Poor Clares (Cla- cortege appeared with the platform car-
rissas in Portuguese), as they are still kno- rying the statue of Our Lady of the Sole-
wn today. dade, also known as Lady of Sorrows and
Under the leadership of Francis, a third Tears, which would stop and stand a short
group was organized, comprising lay distance from Our Lord's platform, as a
people, who wished to share in the goals reenactment of the historic encounter of
and ideals of the Franciscans, but living at Mother and Son referred to in the gospel
home without taking the religious vows. narrative.
The group received the name of Tertiaries It was a scene packed with much tender-
(Terceiros in Portuguese), or members ness and emotion which, to this day, still
of the Third Order, now called Secular lingers on among the memories of my
Franciscans. childhood in the Azores Islands, where I
Just for the sake of clarification, it should grew up sharing a whole treasure of the
be included here that both the Order of most precious traditions!
Friars Minor Conventual and Order of

CAVALHEIRO
Cavalheiro de 40 anos, residente na Cos-
ta Leste, pretende conhecer Senhora até
aos 35 anos para efeitos de casamento.

Por favor telefone para O. Oliveira



978-667-0576 Assine este jornal e partilhe-o com a família
COMUNIDADE 31

16° Aniversário do G F Tempos de Outrora

Aspecto do Salão do I.E.S. de San José, na noite do 16° Aniversário do Grupo Folclórico Tempos de Outrora

Os jovens que receberam Bolsas de Estudo: John Manuel Diniz, Jorge Silva Ferreira,
As "cantadoras" dos Tempos de Outrora Jason Anthony Santos, Kevin Gomes Lemos

No palco do I.E.S. os tocadores e cantadores do Grupo Tempos de Outrora Vitor Santos, dos Amigos da Terceira, cantou a Saudade

Desta cozinha e das mãos desta gente saíu um excelente jantar de Sopas, Cozido e Alcatra

Qualquer enciclopédia dirá que "Folclore culturais que nasceram e se desenvolve-


é um género de cultura de origem popu- ram com o povo".
lar, constituído pelos costumes e tradi-
ções populares transmitidos de geração E é esta cultura popular que os Tempos de
em geração. Todos os povos possuem suas Outrora e tantos outros grupos espalha-
tradições, crendices e superstições, que dos pela California, nos recordam todos
se transmitem através de lendas, contos, os meses, nas suas actuações nos nossos
provérbios, canções, danças, artesanato, salões de festas ou nos terreiros das nos-
jogos, religiosidade, brincadeiras infantis, sas cidades. Maioritáriamente constitui-
mitos, idiomas e dialetos característicos, dos por jovens já nascidos aqui, o que é
adivinhações, festas e outras actividades sempre uma mais valia.
32 ÚLTIMA PÁGINA 15 de Março de 2010