Você está na página 1de 3
Campus Araranguá Curso de Tecnologias de Informação e Comunicação Rua Pedro João Pereira, 150 Bairro
Campus Araranguá Curso de Tecnologias de Informação e Comunicação Rua Pedro João Pereira, 150 Bairro

Campus Araranguá Curso de Tecnologias de Informação e Comunicação Rua Pedro João Pereira, 150 Bairro Mato Alto Araranguá - Santa Catarina Brasil / CEP 88900-000 www.ararangua.ufsc.br / +55 (48) 3721.6448

Curso: Tecnologias de Informação e Comunicação Disciplina: Informática na Educação Nome professor: Márcia Barros de Sales Data: 22/03/2011

Visão Analítica da Informática Na Educação do Brasil: a questão da Formação do professor

Resumo

Suelen Macedo Laurindo

VALENTE, J.A. ALMEIDA, F.J. VISÃO ANALÍTICA DA INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO DO BRASIL: a questão da Formação do professor. [S.l]:[s.n.],20-?

A informática na educação surgiu na década de 60 nos Estados Unidos da América, anos depois na França e na década de 70 teve inicio no Brasil. Nos E.U.A o uso de computador na educação foi impulsionado pelo mercado e com o aparecimento de microcomputadores nos anos 80 aconteceu a disseminação dos micros nas escolas, em 1983 mais de 7000 software educacionais já estavam no mercado. A linguagem Logo desenvolvida em 1967 teve casos que se mostrou eficiente para a construção de conhecimento através do computador, foi adotada em muitas escolas, mas os relatos de que o uso do logo não necessitaria de ajuda do professor fez com que muitos professores se sentissem desmotivados a utilizarem a linguagem, com medo que sua função fosse desnecessária no mercado. No inicio dos anos 90 o computador já era utilizado na maioria das escolas e universidades, mas isso não foi suficiente para ter provocado uma mudança pedagógica. A preparação dos profissionais para atuarem na educação ainda é feita com o objetivo de capacitá-los para atuarem na transmissão de informação, são

poucas as escolas que realmente utilizam o computador em seu potencial para a aprendizagem. Na França a informática na educação teve apoio do governo, foi planejada, dedicaram anos na formação dos professores. Nos anos 60 e inicio dos 70 os softwares utilizados eram de teoria comportamentalista e estimulo-resposta, somente nos anos 80 que começaram a utilizar a linguagem Logo. O objetivo que a França tinha não era de mudança pedagógica e sim que o aluno saísse da escola capacitado para a utilização da tecnologia da informática. Um dos pontos mais marcantes da informática na educação pode ter sido a preocupação que mostraram com a capacitação dos professores, em 1985 com o Plano Informática para Todos foram capacitados 100.000 professores. No Brasil teve inicio nos anos 70 com iniciativa da UFRJ, UFRGS e UNICAMP, em 1975 com o projeto “Introdução de computadores no Ensino do 2º Grau” aconteceu a visita do co - criador da linguagem Logo Seymour Papert e de Marvin Minsky ao Brasil, que lançaram as primeiras ideias do Logo. A implantação do programa de informática na educação aconteceu após dois Seminários que originaram o projeto EDUCOM que tinha como base que as politicas que fossem implantadas deveriam ser fundamentadas em pesquisas baseadas em experiências concretas. O programa brasileiro possui diferença em relação aos outros países, como a França e os Estados Unidos, pois possui uma descentralização de politicas. No Brasil as politicas de implantação não tiveram apenas o envolvimento do governo ou apenas envolvimento do mercado e sim uma junção de ambos. O objetivo de introduzir a informática na educação no Brasil era provocar mudanças pedagógicas e não apenas automatizar o ensino, mas os resultados obtidos não conseguiram mudar o sistema educacional como um todo. A formação dos professores de 1º e 2º grau é a atividade principal de todos os Centros de Informática Educativa (CIEd), essa formação era feita de uma forma que necessitaria a presença continuada do professor o que estaria fora da realidade de vida deste. O FORMAR I e o FORMAR II foram cursos que tinha o objetivo de fornecer a especialização de informática na educação, mas estes foram realizados na UNICAMP com duração de 45 dias e necessitavam que o professor com interesse no curso se deslocassem até a UNICAMP. E como resultado dos cursos não foi alcançado a mudança e ainda ocorreu o fracasso dos cursos de formação dos professores. Essas experiências mostraram que a formação dos professores é importante e necessita ser diferente, precisa passar a vivência de experiências que contextualiza com o conhecimento que o professor constrói (Valente Almeida). Os microcomputadores que foram utilizados no Brasil não foram os mesmos que os outros países adotaram. Nos estado Unidos foi adotado os microcomputadores Apple, mas no Brasil por algumas limitações estes não puderam ser adotados, era necessário que o padrão de teclado fosse brasileiro e o Apple não fornecia isso. Então nas universidades foram adotados o I 7000 da Itautec, mas devido ao preço as escolas não puderam aderir este, estas aderiram o MSX da Sharp e Gradient. Em 1994 os microcomputadores passaram a utilizar o sistema Windows, que possibilitou o desenvolvimento de vários programas, fornecendo mais opções de ambientes de aprendizagem além do Logo para os professores.

Em diferentes países pode ser notado que os objetivos com a introdução dos computadores na educação não foram alcançados em seu todo. E que a formação dos professores deve lhe fornecer base para que ele construa conhecimento integrado com as técnicas computacionais.