Você está na página 1de 10

Secção de Alvalade - FAUL

NOTÍCIAS DE Director: Paulo Ferreira

ALVALADE WWW.PSALVALADE.ORG
Número: 9 > OUT 2008

ALVALADE > CAMPO GRANDE > SÃO JOÃO DE BRITO > SÃO JOÃO DE DEUS > LISBOA > PORTUGAL > EUROPA > MUNDO

Comício de Guimarães
Pág. 3

Guimarães abraçou o
secretário-geral

:. EM DEBATE # O ADESIVO > FREGUESIAS


A EUROPA E OS SINAIS DE UMA Em dossier, as
DESAFIOS DO CRISE ANUNCIADA freguesias de
TRATADO DE LISBOA Políticas de Saúde, São João de
O Eurodeputado Joel Hasse escasses de recursos Deus e de
Ferreira, debateu em Alvalade humanos Alvalade

PÁG. 6 PÁG. 8 PÁG. 4 e 5


NOTÍCIAS DE
ALVALADE N.º9 OUT|08 2

Conteúdos
..........................::
::
02 Editorial
À PARTICIPAÇÃO DOS MILITANTES
EDITORIAL
Editor: Paulo Ferreira
O Notícias de Alvalade surge com um reno- pauloalexandre29@gmail.com
do grafismo, procurando construír melhores
f o r m a s d e c o m u n i c a ç ã o À PARTICIPAÇÃO DOS MILITANTES

Com um grafismo renovado o Noticias de Alvalade pretende chegar de forma


07 Ius nostrum
infortiatum est mais apelativa a todos os militantes, assumindo que este é um suporte de
comunicação da Secção para a Secção.
A opinião, por André Caldas
Estatutos Político-Administrativos das Regiões A edição n.º 9 marcará a regularidade mensal das futuras edições.
Autónomas dos Açores e da Madeira Com esta nova dinâmica pretendemos trazer mais oportunidades para a
participação de todos os militantes. Renovamos o convite, para que nos enviem
artigos de opinião, informações acerca das nossas freguesias e da cidade de
09 A “MODA” Lisboa, bem como, temas relevantes sobre o País, a Europa e o Mundo.
ELEITORAL Esperamos que vos agrade esta nova fase do Notícias de Alvalade, fazemos
votos para que este seja mais um instrumento de aproximação entre os militantes,
A análise das eleições norte-americanas por visando uma militância mais activa, buscando um trabalho mais efectivo e
Jorge Franco
empenhado, não só para o PS mas também para a cidade de Lisboa,
Blogosfera designadamente das nossas freguesias.
O Notícias de Alvalade, dá corpo ao nosso lema “O MILITANTE NO CENTRO
Em destaque > DA DECISÃO!”
www.camaradecomuns.blogs.sapo.pt
www.jumento.blogspot.com

A PRETO E BRANCO
Em Agenda
12|JUL. - 2|Nov. > Museu de Serralves - cidade do
Porto. Exposição sobre o trabalho do cineasta
Manuel de Oliveira

07|SET. - 30|DEZ. > DRAWING A TENSION -


Colecção Deutsche Bank + COLECÇÃO CAMJAP -
C.A.M., Fundação C. Gulbenkian

27|NOV. - 30|DEZ. > LEONARDO FINOTTI - 100


anos, 100 obras, 100 fotos - OSCAR NIEMYER -
Centro Cultural de Lagos

17|OUT. - 18|OUT.> 21.30H Instituto Franco-


Português. Neste Ano Europeu para o Diálogo
Intercultural, a odisseia homérica e o fascínio do
encontro com o Outro, as viagens sem fronteiras,
são o ponto de partida para uma série de reflexões
que personalidades de várias áreas partilharão
connosco.

19|OUT. > Coliseu dos Recreios, Lisboa. Actuação


dos Thievery Corporation Também em
www.psalvalade.org
NOTÍCIAS DE

Por: Pedro Lagido


ALVALADE
N.º9 OUT|08 3

O secretário-geral foi recebido por


19 mil socialistas no comício de
Guimarães
Os discursos estiveram a cargo, do Presidente da Câmara de Guimarães, do Presidente da
Federação do distrito de Braga do PS, do Presidente do Governo Regional dos Açores,
Carlos César, da Ministro da Educação, Maria Lurdes Rodrigues, do Primeiro Ministro e
Secretário Geral do PS, José Sócrates

O comício do PS em Guimarães

No passado sábado, dia 20 de Setembro, o PS realizou


um grandioso comício que se deverá qualificar de
grande sucesso político.
Foi excelente o local escolhido pela dimensão do
espaço, pelas condições de visão e som, pela enorme
área de estacionamento de veículos e zonas de estar e
circulação de pessoas. A decoração exterior do edifício
e áreas de estar revelavam profissionalismo.
De todo o País confluíram grande número de -Carlos César: Excelente discurso. Perfeita
autocarros e veículos particulares. Devido à hora da sintonia do PS açoriano com o PS nacional e o
concentração muitos grupos de socialistas se seu Secretário-Geral.
espalharam pela cidade procurando sítio para almoçar. -Maria de Lurdes Rodrigues: As reformas da
Dois grupos de tambores e bombos davam animação e Educação que estavam no Programa de Governo
emoção quer durante o período de espera quer durante do PS já não são promessas estão concretizadas
o comício. Milhares de bandeiras e faixas contribuíram e são reformas de esquerda.
para uma dinâmica vivência de cor e de entusiasmo. -José Sócrates: A determinação, o espírito de
Os discursos estiveram a cargo, do Presidente da combate, a vontade de levar Portugal para a
Câmara de Guimarães, do Presidente da Federação do frente apesar das “nuvens negras” do presente.
distrito de Braga do PS, do Presidente do Governo As reformas em curso e a sua importância. A
Regional dos Açores, Carlos César, da Ministro da importância dada pelo Governo aos debates na
Educação, Maria Lurdes Rodrigues, do Primeiro Assembleia da República. Os novos
Ministro e Secretário Geral do PS, José Sócrates. investimentos na energia e infra-estruturas e
Todos os discursos foram muito aplaudidos, com indústria que se vão concretizar. Tudo o que se
especial relevo, claro, para Sócrates. Assistiram muitos está a fazer em ordem a um futuro promissor,
dirigentes e deputados do PS. nomeadamente na área da Educação e
Dos vários discursos salientamos os mais importantes qualificação dos portugueses. Foi, ainda,
e as suas grandes linhas de força: relevante a resposta às críticas, em especial do
PSD e do PCP.
NOTÍCIAS DE
ALVALADE
N.º9 OUT|08 4

> DOSSIER
Entre nas nossas freguesias
Nesta edição percorremos as freguesias de S. João de Deus e de Alvalade

> S. João de Deus e a dama esquecida

No centro da capital, na zona das “avenidas novas” habita São


João de Deus, a freguesia. Ao introduzi-la ao leitor, devo referir-me
a um dos seus traços mais marcantes, uma das suas virtudes mais
acentuadas, um dos seus mais valiosos pergaminhos.
Ao fazer-se uma, ainda que breve incursão pela Freguesia, torna-
se de imediato notório o potencial da mesma no referente ao
aspecto cultural. Ao longo das suas ruas e avenidas, plantados
como que aleatoriamente, surgem perante os olhos do transeunte
mais atento, centros de arte e espectáculos que fariam as
assistir, qual dama graciosa abandonada,
maravilhas de todos aqueles que por tais assuntos
ignorada e esquecida a um canto. Não
demonstrassem interesse.
permitamos silenciosamente este panorama,
Perante tal apresentação, não restariam quaisquer dúvidas ao
pelos valores que estão em causa e que tão
caríssimo leitor de que os grandes emblemas da freguesia em
caros nos são, em nosso nome e no dos
análise seriam indubitavelmente o lazer, a cultura, a arte, o
nossos ancestrais, que nos legaram tão digno
espectáculo. Dir-se-ia que esta era uma freguesia de forte
património. Esses que arduamente o
dedicação aos temas supracitados o que seria uma irrepreensível
conquistaram, em longas batalhas de opinião,
dedução lógica. Urge todavia alertarmos o nosso estimado leitor, a
campo legitimado onde os espíritos mais
quem não temos qualquer intento de ludibriar, que nesta freguesia
nobres e inquietos lutam contra a falta de
a aparência ilude, não apenas ao leitor, mas a todos os que nela
apetência no que se refere à cultura, inércia
vivem ou são seus frequentadores. Ainda que munida de vários
que em todos os períodos da humanidade,
centros propícios à realização de todo este tipo de actividades,
qual erva daninha teima em proliferar. Hoje
saiba o leitor que são poucos os que são verdadeiramente
faço-lhe um convite, excelentíssimo leitor, não
explorados e dos que o são, não chega nem ao mais atento e
se conforme, ouse, junte-se a nós e a todos
interessado por estas áreas qualquer tipo de informação sobre os
aqueles que ao longo dos tempos
desejados eventos. Triste sorte a desta tão virtuosa, quanto
percorreram estes caminhos na demanda do
escassamente aproveitada Freguesia.
santo graal da cultura.
Por amor a Ela, à cultura, e por verificar que são reduzidos os
espaços que podem trazer efectivamente este bem incontornável
Por: Raquel Brito
até nós, apresentamos-lhe hoje esta Freguesia, onde os mesmos
efectivamente existem. Apresentamo-la para que recorde todo o
NOTÍCIAS DE
ALVALADE
N.º9 OUT|08 5

> DOSSIER

A Nossa Alvalade

> Urge, quando falamos sobre qualquer coisa, tentar antes


percepcionar exactamente o que essa coisa é, ou seja, deve-mos
ter primeiro uma noção do passado histórico e cultural do tema que
alvejamos discutir.Pois bem, pretendendo eu falar sobre a nossa
freguesia de Alvalade deixem-me que comece pela própria
denominação da freguesia. Alvalade deriva do termo Al-Balade que
significa lugar habitado e murado, ora murado (pelo menos no
sentido literal do termo) Alvalade já não é e habitado infelizmente é
cada vez menos.De facto, segundo dados estatísticos provindos
do INE até 2005, e olhando para Lisboa como um todo, por cada
indivíduo que se predisponha a vir para cá morar, 2,5 saíam, o que,
assim problemas nomeadamente no
a meu ver é grave.Contudo não pretendo alongar-me muito sobre
que toca ao estacionamento.Uma freguesia que
esta problemática, uma vez que o próprio senso comum colectivo
se preocupe com os seus residentes terá que,
já percepcionou, interiorizou e discutiu o fenómeno em
atentando ás suas necessidades, melhorar o
causa.Pretendo antes discutir outro problema, as condições de
estacionamento e, lembrando-se da faixa etária
vida não dos que partem mas dos que por cá ficam, é que, segundo
da maioria da população, cuidar e melhorar os
os últimos dados por cada 100 habitantes “activos”(por activos
espaços verdes, assegurar-se que á segurança
entendem-se a população com idade para exercer uma profissão),
adequada, incentivar e apoiar as iniciativas que
existem 141,1 habitantes com mais de 65 anos de idade.Não
envolvem e potenciam o lazer e a actividade
entendo que isto seja um problema per si, mas entendo que para a
recreativa e cultural e cuidar das
junta de freguesia de alvalade se esteja a tornar um problema, isto
acessibilidades. Fazer política deve, tem que
porque as características da população não são o problema, o
ser isto mesmo, não se pode traduzir em
problema é não ser facultada a essa população os instrumentos
medidas avulsas e muitas vezes enviesadas,
que necessita para ser feliz.Assim sendo, a prioridade para
têm, as políticas, que ser adaptadas, dirigidas e
Alvalade deveria ser adaptar a freguesia ás necessidades dos seus
construídas propositadamente para quem delas
moradores.Senão vejamos, temos dois factores na nossa
vai usufruir.
freguesia, o primeiro sendo a população idosa e o segundo o
grande dinamismo do sector terciário, ora se existe muito sector Fica a Reflexão.
terciário é porque existem muitos funcionários, e se alvalade é
Por: Jorge Franco
maioritariamente idosa, então esses funcionários não vivem cá,
tendo assim que se deslocar para alvalade diariamente causando
NOTÍCIAS DE
ALVALADE
N.º9 OUT|08 6

A EUROPA E OS DESAFIOS DO TRATADO DE LISBOA


DOSSIER
O secretariado da secção de Alvalade iniciou no dia 20 de Setembro, um ciclo de
debates com Eurodeputados Socialistas

O eurodeputado Joel Hasse Ferreira foi o


orador convidado da secção de Alvalade, para
o debate A EUROPA E OS DESAFIOS DO
TRATADO DE LISBOA, que decorreu no dia
25 de Setembro, pelas 21h30 no Hotel Roma
(Av. de Roma, 33) em Lisboa.
O eurodeputado socialista focalizou a sua
intervenção, em temas nomeadamente,
ligados à necessidade de eficácia na liderança
da União Europeia, à importância do Protocolo
específico sobre Serviços de Interesse Geral, à
inserção no Tratado da "promoção de um nível
elevado de emprego e a luta contra a exclusão
social". Abordou ainda a vantagem da
unificação das políticas externas da União bem
como a futura possibilidade de os cidadãos
poderem desenvolver iniciativas legislativas.
Para além disso, o camarada Hasse Ferreira
elencou alguns dos temas relevantes nesta
fase do processo de construção europeia, nas
áreas sociais e da saúde, económica,
financeira e energética, para além das que
dizem respeito ao alargamento da própria

Secção de
ALVALADE
Federação da Área Urbana de Lisboa

PARTICIPE
Eleições - XIII Congresso FAUL
24|OUT. 2008 - 18.00H - 23.00H - Hotel Roma
NOTÍCIAS DE
ALVALADE
N.º9 OUT|08 7

Ius nostrum infortiatum est O facto de os portugueses não compreenderem a


questão não lhe retira importância. Apenas coloca o
Presidente no âmbito da incredulidade e incompreensão
nacionais, como resulta da apreciação dos comentários
1. Começo por uma declaração de interesses: sou socialista, que se seguiram à intervenção que, com o devido
republicano e laico. respeito, acertam fora do alvo.
Apoiei Mário Soares, integrando a sua Comissão
Não devo nada a este Presidente da República. Devo apenas respeito Nacional de Honra. É a primeira vez que concordo com
a boas soluções constitucionalmente consagradas e que merecem Cavaco, mas nesta é preciso afirmar: esteve bem!
estudo atento. A intervenção política não se faz só do que parece ser, 2. O combate à criminalidade violenta foi o tema que
mas também se faz daquilo que efectivamente é. retirou o silly à última season. No passado ocupavam-
Os Estatutos Político-Administrativos das Regiões Autónomas dos nos os incêndios. Seja como for, a Administração Interna
Açores e da Madeira são actos legislativos considerados como tem tido sempre o que fazer.Não se sabe ainda a
"duplamente reforçados". Caracterizam-se pela sua natureza proporção real, estatisticamente determinada, do
reforçada pelo procedimento produtivo e pela sua hierarquia superior aumento da criminalidade. Só se nota o aumento da sua
em relação a outras leis, de que são parâmetro material. cobertura noticiosa, em detrimento do acompanhamento
Do ponto de vista procedimental, a aprovação de uma lei estatutária de incêndios florestais. Parece que o investimento feito
carece de um agravamento produtivo, dotando-a de rigidez. São disso nessa matéria deu resultados.
nota a reserva de iniciativa das assembleias legislativas regionais e a A criminalidade tem de ser combatida através de uma
necessidade de algumas das suas normas necessitarem de ser estratégia concertada por todos os órgãos de soberania
votadas favoravelmente por dois terços dos deputados presentes, e outros entes da Administração do Estado.
desde que superior à maioria absoluta dos deputados em efectividade O Governo deu um primeiro passo na alteração da lei
de funções, na Assembleia da República. das armas. É natural que o Governo haja com mais
Do ponto de vista material, estão-lhe vinculadas ao respeito quaisquer celeridade naquilo que no ordenamento português vem
outras leis do ordenamento português. ganhando neste órgão centralidade - a legiferação.
Ora, destes dois pontos de vista, os Estatutos estão a meio caminho Muitas críticas tem sido aduzidas. Essencialmente,
entre a Constituição e as demais leis. critica-se por as alterações serem em leis avulsas e não
Pronunciada a inconstitucionalidade de quaisquer normas pelo nos Códigos Penal e de Processo Penal.
Tribunal Constitucional, em sede de fiscalização preventiva, está o Ora, após extensas revisões dos Códigos,
Presidente vinculado ao veto e devolução do diploma ao órgão autor, independentemente da avaliação que delas se faça, não
podendo aquele ser reformulado ou confirmado por maioria de dois se devem fazer sucessivas alterações em períodos tão
terços. Relembremos que no caso dos Estatutos esta era a maioria breves. Ainda não foi dada à doutrina e à jurisprudência
necessária para a aprovação, estando a Assembleia da República tempo suficiente para trabalhar em soluções criadoras
sempre em condições de ultrapassar o veto jurídico. de direito em torno do novo material legislativo.
É também impensável querer consagrar especialidades que vinculam Assim, havendo necessidade de agravar a moldura
órgãos de soberania à margem da Constituição, fazendo essas penal e os mecanismos da prisão preventiva em crimes
normas cavalgar a rigidez de um Estatuto Político-Administrativo. associados ao uso de armas, há que introduzir
Ora, no caso presente, o diploma foi aprovado por unanimidade, era de alterações, tão breve quanto possível, na lei que regula
crer que a AR procuraria superar o veto por esta via. Mas mais do que em especial esta matéria. Bem!
as questões de consitucionalidade o Presidente sublinhou questões Aliás, em matéria de Direito Penal, temos de reconhecer
político-institucionais não pronunciadas inconstitucionais pelo TC. Na as valias deste Ministro. Até Marcelo Rebelo de Sousa,
minha opinião de forma ajustada. É de facto a unidade do Estado que insuspeito de gostar dele, o fez.
está em causa, pese-se embora o respeito pela regionalização
periférica.
O que esteve em causa foi o equilíbrio de competências entre órgãos
de soberania, que fundamenta a própria separação com
interdependência de poderes desenhada na nossa Constituição. Não
Actualização de Dados
tem de facto nenhum sentido que sejam agravados os trâmites para
dissolução de uma Assembleia Legislativa Regional, em relação O secretariado tem realizado um
àqueles homólogos para a Assembleia da República. elevado esforço, na tentativa de reforço
O Presidente não deve reflectir sobre a unanimidade que rodeou a da comunicação com os Militantes.
aprovação deste diploma. Deve antes alarmar-se por essa Neste sentido, vimos apelar à sua
unanimidade incidir sobre um texto que suscitou 13 dúvidas de
constitucionalidade, 8 das quais pronunciadas inconstitucionais pelo participação. Para tal, basta que nos
TC. e n v i e u m e - m a i l p a r a
Ao Presidente sobraria a possibilidade de veto político, também geral@psalvalade.org com os seus
superável pela Assembleia, mas nesta matéria complexa do ponto de dados (nome, n.º Militante, n.º
vista jurídico-constitucional, poderia criar-se um conflito entre três
órgãos de soberania (AR, Presidente e TC) de dimensões
Telemóvel, morada da residência e e-
desconhecidas. mail). Agradeçemos a sua colaboração.
Cavaco poderia ter alertado por outro método, na sombra. Optou
pela demonstração de força. Consegui-o.
Observando as atitudes do PS-Açores imediatamente subsequentes
ao anúncio, teme-se pelo braço-de-ferro que na sombra sucedesse.
Todos os portugueses sabem agora com o que contam. Cavaco teme
O MILITANTE NO CENTRO
pelo funcionamento das instituições democráticas. Na minha opinião DA DECISÃO
não hesitaria em dissolver. Por isso se justifica a prudência de todo o
arco parlamentar.
# Coluna: O Adesivo
NOTÍCIAS DE
ALVALADE
N.º9 OUT|08 8

Sinais de uma crise anunciada


As últimas semanas têm sido ricas em notícias sobre maternidades, de onde se destacam duas da cidade
de Lisboa: a Maternidade Alfredo da Costa (MAC) e a urgência de obstetrícia do Hospital São Francisco
Xavier. Se numa existe o risco de colapso devido a um aumento dos atendimentos sem o correspondente
aumento em recursos humanos, noutra verificou-se o seu encerramento por falta de médicos. Quer num
caso quer noutro o problema subjacente é o mesmo: opções políticas em saúde de forma geral e de
recursos humanos em particular.
Ora vejamos: Por: Bruno Noronha Gomes

Já é comentado há algum tempo que a MAC irá os restantes profissionais dos locais encerrados
encerrar quando o Hospital de Todos os Santos (HTS) temporariamente?; sabendo que grande parte dos partos
e o Hospital de Loures abrirem, sendo o seu volume são realizados pelas enfermeiras especialistas em Saúde
assistencial repartido pelos dois. Neste quadro, o HTS Materna e Obstétrica quais as verdadeiras implicações,
absorveria os casos “mais complicados” e o Hospital em termos de partos realizados, de toda esta situação?;
de Loures os “mais simples” (de sublinhar nesta opção ou será que as implicações, diria, complicações, só se
o facto de se perspectivar que o Hospital de Loures verificam ao nível dos atendimentos médicos urgentes
venha a ter a gestão clínica privatizada e o HTS não, (na medida em que a informação veiculada centraliza na
sendo os casos “mais complicados” sinónimo de maior falta destes profissionais as razões da crise)?; que
risco, complexidade e severidade clínicas, o que coordenação está a haver por parte da ARS de forma a
resulta numa menor probabilidade de lucro. Não distribuir pelas instituições públicas da região as utentes e
obstante esta constatação empírica é igualmente não deixar que as mesmas se concentrem num só local?
verdade que se perspectiva que o HTS venha a ser
mais avançado tecnologicamente). Perante esta
hipótese porque é que a MAC tem vindo a realizar
avultados investimentos em aquisições e
remodelações com uma relação custo/benefício em
termos de percentagem de população assistida no
mínimo questionável? E se teve essas verbas
disponíveis para materiais porque é que não investiu
igualmente em recursos humanos, peça estrutural na
crise agora instalada? Aliás, desde há largos anos que
os profissionais da MAC, com destaque para os
enfermeiros, têm que fazer horas extraordinárias
“programadas” (note-se o paradoxo) sem que tenha
havido uma resposta a esse problema mesmo
existindo condições para tal.

Porque é que existindo uma maternidade


praticamente do outro lado da rua da MAC (refiro-me à
maternidade Magalhães Coutinho, do Hospital Dona
Estefânia) estas apresentam índices de produção
profundamente díspares? Porque não se fundiram
recursos humanos e tecnológicos da mesma área, Além da questão da capacidade das infra-estruturas para
ainda mais quando se andou a fechar maternidades atender tantas utentes o problema central são os recursos
por esse país fora com a justificação de uma maior humanos para esse fim. Quanto a isso é preciso ver que
racionalidade na utilização dos recursos? Aliás, o os membros da Comissão Técnica referida acima são em
anterior ministro da Saúde advogava que é na grande parte membros do Colégio da Ordem dos Médicos
concentração de recursos que está o ganho, que recomenda o número de especialistas a serem
nomeadamente em termos de eficiência. Então formados anualmente. Portanto, não só determinam a
porque não fundir duas estruturas orientadas para o capacidade de resposta do sistema como inclusive
mesmo fim separadas por uns meros metros? Será propuseram o redesenho do sistema conforme a resposta
que o facto do presidente do Conselho de que desejam que exista. Onde não houver resposta
Administração da MAC pertencer à Comissão Técnica reencaminham-se as utentes para os serviços privados,
que propôs o encerramento das maternidades tem onde muitos desses mesmos especialistas trabalham.
alguma coisa a ver com essa dualidade de opções? Confuso? Não. Apenas conflito de interesses. Dá-se,
As notícias que vêm a público focam 3 aspectos: o portanto, poder a alguém para definir a assistência
encerramento do Bloco de Partos do Hospital de Vila pública em todas as suas vertentes sem que o mesmo ou
Franca de Xira, o encerramento da urgência de as suas opções tenham sido escrutinadas por quem paga
obstetrícia do Hospital São Francisco Xavier e o limite essa assistência: os cidadãos.
da capacidade instalada na MAC. Face a estes dados Para fechar o círculo é preciso não esquecer o facto que o
surgem logo algumas questões: o que estão a fazer critério dos 1500 partos anuais para as maternidades
>
continua
NOTÍCIAS DE
ALVALADE
N.º9 OUT|08 9

> públicas não irá ser aplicado às privadas, podendo estas realizar menos desde que assegurem os recursos
técnicos exigíveis. Associando a isto a forte aposta na privatização da assistência em saúde e o facto de no
privado a percentagem de cesarianas* ser muito superior ao parto normal (custando o dobro deste),
facilmente se descortina quem tem estado a definir o nosso sistema de Saúde e qual a direcção que lhe
quer imprimir.
Quanto à situação concreta da MAC uma última nota: trabalham lá profissionais excepcionais, muito dos
quais em situações repreensíveis tanto em termos de condições laborais como de garantia da qualidade
assistencial. No entanto, continuam a dar a melhor resposta que conseguem para garantir um direito
inalienável de todos nós. À saúde, com qualidade.
Urge outra forma de definir as políticas de saúde em todas as suas vertentes, principalmente na natureza
da provisão e dos recursos humanos.

P.S.: *o maior número de cesarianas no privado é justificado com critérios clínicos que, na avaliação das
situações, optam por esta solução face aos riscos. Afirmar tal é o mesmo que dizer que as pessoas que
recorrem ao privado apresentam percentualmente gravidezes de maior risco que as que recorrem ao
público. Nem estatisticamente tal é possível. Eu diria que o critério tem outro nome: lucro.

A “MODA” ELEITORAL
Por: Jorge Franco

Quando decidi escrever um artigo sobre as eleições conseguirá perceber que esta escolha se deve, quase
americanas ainda não tinha escolhido a abordagem concreta exclusivamente, á necessidade de McCain em capitalizar
sobre a qual este artigo iria versar.Pensei, em primeiro lugar, no sucesso de Hillary Clinton.
analisar os candidatos de ambos os partidos, contudo, sinto
Erro crasso, pensarão todas as cabeças que gerem a
que esta temática específica já foi suficientemente explorada
campanha McCain que o eleitorado de Hillary Clinton vai
por especialistas bem mais letrados na matéria do que a minha
votar em Sarah Palin só porque também é mulher?
pessoa, pensei, em seguida, analisar o sistema eleitoral
Pensarão eles que o eleitorado é assim tão primário?
americano no seu todo, contudo achei que o tema seria, para
Qualquer um percebe que uma pessoa é constituída por
além de acessório e secundário, tendo em conta o momento, e
uma multiplicidade de características, entre elas há,
enfadonho para quem está mais interessado na corrida do que
efectivamente o género, a idade, a cor da pele ou a
propriamente no processo em si.Decidi-me, finalmente, deixar
religião, mas isso é apenas uma pequena parte do que é
escorrer algumas ideias sobre o que penso que se está a
uma pessoa, há também a sua personalidade a ter em
passar por estes dias nos Estados Unidos, sobretudo acerca da
conta, os seus ideais, crenças, experiências,
nova moda que identifiquei.
etc.Tomando por exemplo o caso Palin, a única
Deixem-me, e com isto inicio o tema, lamentar a visão (ou a falta
semelhânça entre Palin e Clinton é mesmo o facto de
dela) da campanha McCain, é que, mesmo num ambiente tão
serem ambas mulheres (e talvez o facto de ambas terem
profissionalizado como é a política e o marketing político
escândalos familiares), tirando este aspecto que motivos
americano, mesmo assim cometeram um erro clássico, aliás 2
terão os eleitores de Clinton para votar em Palin?
erros clássicos, não estudar o eleitorado e presumir que este (o
Vejamos: McCain admitiu só a ter visto uma vez antes de
eleitorado) é imbecil e primário, (um erro aliás não exclusivo da
a convidar, tem um conjunto de crenças ultra
campanha republicana como mais á frente explanarei).
conservadoras quase tiradas da época vitoriana, ainda
O exemplo disto mesmo é a escolha de Sarah Palin, a
acredita em Adão e Eva e rejeita a teoria evolucionista,
governadora do Alasca, de 44 anos. Penso que qualquer um
tem apenas 18 meses de experiência política e nesse

>
continua
NOTÍCIAS DE
ALVALADE
N.º9 OUT|08 10

mandato conseguiu despedir chefe da polícia de possibilidade de todos eles terem mérito próprio,
>
Wasilla (cidade onde Palin foi presidente da Câmara) contudo parece-me curioso que tanta coincidência
porque este não despediu um seu funcionário depois de aconteça no mesmo ano eleitoral, relembro que até
Palin o ter considerado um “mau ex-marido” porque hoje candidatos afro-americanos e candidatas
estava em pleno processo de disputa da tutela das filhas mulheres só se viam se concorressem como
de uma irmã de Palin, e breve militância no Partido independentes, nem os pequenos partidos
Independetista do Alasca, que defende um referendo à apostavam muito neles (ainda que com uma ou
independência do território norte-americano.Será que os outra excepção) e os que apareciam eram
americanos conseguem esquecer todo isto e votar nela estériotipos ambulantes.
só porque é mulher? Essa aparentemente é a ideia da
De qualquer forma quis deixar este pensamento, é
campanha McCain, mas não só!
mau, ingénuo e contraproducente presumir que
E é aqui que quero chegar com a ideia que lancei no início qualquer eleitorado (mesmo que seja um que tenha
sobre a moda que se instalou, é que esta noção não é só votado 2 vezes no Bush) é estúpido ao ponto de
republicana, senão vejamos votar em qualquer candidato só pelo factor género,

Dos 13 partidos que concorrem ás próximas eleições rácico, ou outro sem que tenham também em conta

presidenciais de 4 de Novembro contam-se, entre todas as demais características que perfazem uma

candidatos a presidente e vice-presidente 5 mulheres e 6 pessoa. E estas campanhas que têm esta

afro-americanos. Reconheço que não conheço o presunção preocupam-me pois arriscam-se a

percurso político de alguns deles, logo não excluo a ganhar o cargo mais importante do mundo, e todos
já sabemos o que acontece quando na casa branca
moram indivíduos pouco atilados.

Só uma Reflexão...

PS-ALVALADE convida:

“GOVERNAR À ESQUERDA”
António José Seguro
João Soares
14|NOV. 2008 - 21.30H > Hotel Roma

www.psalvalade.org