Você está na página 1de 62

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ.

NÚCLEO UNIVERSITÁRIO DE TUCURUÍ – CAMPUS XIII

ELETROCARDIOGRAMA
Danyelly Monção
Géssica Lustosa
Gilvander Dias
Lauro Fábio
Neuzileny Nery
Suely de Moura
Professor Wagner
Enfermagem 2007 - Biofísica 1
ELETROCARDIOGRAMA

ELETROCARDIOGRAMA

Enfermagem 2007 - Biofísica 2


ELETROCARDIOGRAMA

O que é?
O eletrocardiograma é um teste simples que
detecta e registra atividade elétrica do coração
para localizar problemas cardíacos. Os sinais
elétricos fazem o músculo cardíaco contrair à
medida que viajam através do coração.
Quando o coração contrai ele bombeia sangue
para o resto do corpo. O eletrocardiograma
mostra a rapidez das batidas do coração e seu
ritmo. Ele ainda registra a força e ritmo dos
sinais elétricos à medida que eles passam por
cada parte do coração.

Enfermagem 2007 - Biofísica 3


ELETROCARDIOGRAMA

O que o ECG revela?


Muitos problemas cardíacos alteram a assinatura elétrica do
coração de formas distintas. O registro que o eletrocardiograma faz
da atividade elétrica ajuda a revelar vários problemas cardíacos
como: ataque do coração, falta de fluxo sanguíneo no músculo
cardíaco, batimento irregular do coração e falta de força no
bombeamento do coração. Os registros do eletrocardiograma podem
ajudar os médicos a diagnosticarem um ataque cardíaco que está
acontecendo ou que ocorreu no passado. Isso é particularmente
verdadeiro quando o médico pode comparar o eletrocardiograma
atual com um antigo. Os registros do eletrocardiograma também
revelam: músculo cardíaco muito grosso ou partes do coração muito
grandes, defeitos de nascença no coração, doença nas válvulas
cardíacas. Um eletrocardiograma também mostra se o batimento
cardíaco começa na parte superior direita do coração como deveria e
o tempo que leva para os sinais elétricos atravessarem o coração.

Enfermagem 2007 - Biofísica 4


ELETROCARDIOGRAMA

Como surgiu?
• O eletrocardiograma
foi desenvolvido no
final do século XIX. O
médico holandês
Willeim Einthoven foi
quem desenvolveu o
galvanômetro de
corda, permitindo o
registro de atividade
elétrica a partir de
eletrodos colocados
nos membros Enfermagem 2007 - Biofísica 5
ELETROCARDIOGRAMA

Galvanômetro de Corda

Enfermagem 2007 - Biofísica 6


ELETROCARDIOGRAMA

• CORAÇÃO
O coração é um órgão muscular oco localizado no centro do
tórax, onde ocupa o espaço entre os pulmões (mediastino) e
repousa sobre o diafragma. Ele pesa aproximadamente 300g,
embora seu peso e tamanho sejam influenciados pela idade, sexo,
peso corporal, extensão do exercício e condicionamento físicos e
por doença cardíaca. O coração bombeia o sangue para os tecidos
suprindo-os com oxigênio e outros nutrientes.
A ação de bombeamento do coração é realizada pela contração
e relaxamento rítmicos de sua parede muscular.
O coração é Composto por três camadas.
• Endocárdio
• Miocárdio
• epicárdio
Ele envolvido por um fino saco fibroso composto por duas
camadas.
• Pericárdio visceral: encontra-se aderido ao epicárdio.
• Pericárdio parietal: Tecido forte e fibroso que se insere nos grandes
vasos, diafragma, esterno e coluna vertebral e sustenta o coração no
mediastino. Enfermagem 2007 - Biofísica 7
ELETROCARDIOGRAMA

• As estruturas
variadas das
paredes atriais e
ventriculares
relacionam-se com
a carga de trabalho
exigida para cada
compartimento.

Enfermagem 2007 - Biofísica 8


ELETROCARDIOGRAMA

Sistema de condução
No coração existe um sistema de condução cardíaca que
possui células especializadas e que geram metodicamente e
coordenam a transmissão dos impulsos elétricos para as células
miocárdicas. O resultado é a contração átrio ventricular
seqüenciada,o que propicia o fluxo mais efetivo do sangue,
otimizando, assim o débito cardíaco.
Três características fisiológicas das células de condução
cardíaca contribuem para essa coordenação:
Automaticidade: capacidade de iniciar um impulso elétrico.
Excitabilidade: Capacidade de responder a um impulso elétrico.
Condutividade: capacidade de transmitir um impulso elétrico de
uma célula para outra.

Enfermagem 2007 - Biofísica 9


ELETROCARDIOGRAMA

• Trajetória do impulso elétrico


Nódulo do sinoatrial (AS): é referido como o marcapasso primário
do coração, localiza-se na junção da veia cava superior com o átrio
direito.
Os impulsos elétricos gerados pelo nódulo sinoatrial provocam a
estimulação elétrica e subseqüente contração dos átrios.

Nódulo atrioventricular (AV): Localizado na parede atrial direita


próximo à válvula tricúspide, consiste em outro grupo de células
musculares especializadas semelhantes àquelas do nódulo S.A.
Ele retransmite os impulsos elétricos para os ventrículos.

Enfermagem 2007 - Biofísica 10


ELETROCARDIOGRAMA

Nódulo sinoatrial
Nódulo atrioventricular
Ramo esquerdo Ramo anterior esquerdo
Feixe de His Ramo posterior esquerdo
Ramo direito

Fibras de purkinje

A atividade elétrica cardíaca é a conseqüência do movimento de íons


através da membrana celular. As alterações elétricas registradas dentro
de uma única célula resultam no que é conhecido como o potencial de
ação cardíaco.

Acoplamento Eletromecânico

Enfermagem 2007 - Biofísica 11


ELETROCARDIOGRAMA

Enfermagem 2007 - Biofísica 12


ELETROCARDIOGRAMA

• A Evolução do Eletrodo no Registro


dos Potenciais Elétricos Cardíacos

Enfermagem 2007 - Biofísica 13


ELETROCARDIOGRAMA

Os eletrodos são usados desde meados


do século XIX até a atualidade e, principalmente, após
a construção do galvanômetro de corda original criado
por Willem Einthoven, em 1901, na Holanda

Enfermagem 2007 - Biofísica 14


ELETROCARDIOGRAMA

Após a definição matemática dos potenciais


elétricos originados do coração, postulada por
Einthoven durante a primeira década do século
XX, outros autores como Sir ThomasLewis
(Inglaterra), Frank Wilson e E.
Goldberger(EUA), Sodi-Pallares (México) e
outros, aprimoraramos registros
eletrocardiográficos e sua
interpretação,baseados na teoria vetorial de
Wilson, a qual é ainda usada na prática
médica. Enfermagem 2007 - Biofísica 15
ELETROCARDIOGRAMA

Atualmente, os eletrodos são usados largamente como


uma simples e pequena placa de metal no ECG de repouso
na prática diária,no ECG dinâmico, nos monitores, nos
laboratórios de pesquisa, nos métodos invasivos e nos
marca-passos.

Esta é a grande importância de um simples eletrodo,


que não chama muito a atenção por ser uma coisa tão
simples, mas que é de grande importância para a vida
profissional.

Enfermagem 2007 - Biofísica 16


ELETROCARDIOGRAMA

• O emprego do eletrodo para registro de


potenciais elétricos em animais de
laboratório e sua investigação no homem
é conhecido desde a metade do século
XIX.

Enfermagem 2007 - Biofísica 17


ELETROCARDIOGRAMA

• Em 1856, Kollicker e Muller


demonstraram a presença de correntes
elétricas de ação que provocavam
contraturas musculares em preparações
nervo-músculo de rãs, estimuladas por
fios elétricos, sendo observado também
por outros investigadores da época.

Enfermagem 2007 - Biofísica 18


ELETROCARDIOGRAMA

• Em 1887, Waller, usando um


instrumento denominado eletrômetro
capilar criado anos antes por Lippmann,
foi o primeiro a demonstrar a
mensuração da quantidade de corrente
elétrica que circulava no corpo humano,
associada à contração do coração.

Enfermagem 2007 - Biofísica 19


ELETROCARDIOGRAMA

Figura 1
Tubo capilar de vidro
(amplificado), demonstrando o
princípio básico do eletrômetro
capilar de Gabriel Lippman
(1872): eletrodos são colocados
nas superfícies do mercúrio (em
negro) e do ácido sulfúrico (em
pontilhado). A passagem da
corrente elétrica altera a tensão
superficial do mercúrio que se
move em ondas que são
registradas.

Enfermagem 2007 - Biofísica 20


ELETROCARDIOGRAMA

Figura 2
Potenciais elétricos do
coração correspondentes às
ondas P, QRS e T (em
negro), registrados pelo
eletrômetro capilar de
Lippman. Abaixo, o ECG
que Einthoven comparou
com o registro do
eletrômetro.

(Einthoven W. Pflugers
Arch.1903;99:472.
Einthoven Fundation)2,3

Enfermagem 2007 - Biofísica 21


ELETROCARDIOGRAMA

À direita (C), a derivação D1 de Einthoven: braços dentro dos


recipientes contendo solução salina concentrada;
À esquerda(E), derivação D2 obtida com o braço e perna esquerdos
dentro de outros recipientes.

Enfermagem 2007 - Biofísica 22


ELETROCARDIOGRAMA

Os potes faziam três pares de eletrodos bipolares:


Os braços direito e esquerdo
formavam a derivação a que chamou de lead I
(D1);
o braço direito com a perna esquerda lead II (D2)
e o braço esquerdo com a perna esquerda lead III
(D3);
a perna direita que tinha o mesmo potencial da
esquerda tinha a função de terra .
Enfermagem 2007 - Biofísica 23
ELETROCARDIOGRAMA

Galvanômetro de corda de Einthoven já modificado,


fabricado pela Cambridge Instrument, em 1911. Os braços e a
perna esquerda estão mergulhados em recipientes contendo
solução salina, para o registro das três derivações D1, D2
e D3.
Enfermagem 2007 - Biofísica 24
ELETROCARDIOGRAMA

• O E.C.G. é um registro gráfico da atividade


elétrica.
• Se um paciente queixa-se de que seu coração
está descompassado, podemos submetê-lo ao
E.C.G. que em tempo real irá mostrar
graficamente este descompasso, sua natureza e
freqüência, pois o mesmo será desenhado em
um papel especialmente preparado para ser
estudado.

Enfermagem 2007 - Biofísica 25


ELETROCARDIOGRAMA

• O E.C.G. serve para obtermos informações


sobre:
– freqüência cardíaca;
– ritmo cardíaco;
– aumentos nas câmaras cardíacas;
– anormalidades na posição anatômica do coração;
– intoxicações;
– processos obstrutivos nas artérias coronárias;
– atividade da musculatura cardíaca.

Enfermagem 2007 - Biofísica 26


ELETROCARDIOGRAMA

• Sala

Enfermagem 2007 - Biofísica 27


ELETROCARDIOGRAMA

• Eletrodos

Enfermagem 2007 - Biofísica 28


ELETROCARDIOGRAMA

• Braceletas (4)

Enfermagem 2007 - Biofísica 29


ELETROCARDIOGRAMA

Diferentes modalidades de E.C.G.

Enfermagem 2007 - Biofísica 30


ELETROCARDIOGRAMA

Diferentes modalidades de E.C.G.


• E.C.G. Dinâmico ( HOLTER - 24h)

Enfermagem 2007 - Biofísica 31


ELETROCARDIOGRAMA

Diferentes modalidades de E.C.G.


• E.C.G. de Esforço (Teste Ergométricos)

Enfermagem 2007 - Biofísica 32


ELETROCARDIOGRAMA

ONDAS

Enfermagem 2007 - Biofísica 33


ELETROCARDIOGRAMA

Enfermagem 2007 - Biofísica 34


ELETROCARDIOGRAMA

• A morfologia de uma onda do ECG tem três


componentes básicos, podem ser divididos em ondas e
intervalos
• Onda P
• Segmento P-R
• Complexos QRS
• Segmento S-T
• Onda T
• Intervalo Q-T
• Intervalo PP
• Intervalo RR

Enfermagem 2007 - Biofísica 35


ELETROCARDIOGRAMA

• Onda P: Representa a despolarização do músculo


atrial, ou seja, o impulso elétrico que se inicia no nodo
sino atrial, espalha-se através dos atrios.

Enfermagem 2007 - Biofísica 36


ELETROCARDIOGRAMA

• Segmento P-R: Representa a transmissão do impulso para o nodo


atrioventricular,
Feixe de His --> Até o ponto de Ativação do tecido muscular
ventricular.

Enfermagem 2007 - Biofísica 37


ELETROCARDIOGRAMA

• Complexos QRS: Uma grande onda que representa


despolarização ventricular.
• Ondas superior e inferior a 5mm de altura.
• O complexo QRS é normalmente inferior a 0,12s de
duração.

Enfermagem 2007 - Biofísica 38


ELETROCARDIOGRAMA

• Segmento S-T:
Representa arte da repolarização ventricular, é o
espaço final do complexo QRS e o início da
onda T

Enfermagem 2007 - Biofísica 39


ELETROCARDIOGRAMA

• Onda T: Representa a repolarização do


ventrículo

Enfermagem 2007 - Biofísica 40


ELETROCARDIOGRAMA

• Intervalo Q-T :Representa a despolarização e


repolarização ventricular, ou seja, é um intervalo
que representa a duração total da sístole elétrica

Enfermagem 2007 - Biofísica 41


ELETROCARDIOGRAMA

• Intervalo PP : É utilizado para determinar o ritmo e


freqüência Atrial
• Intervalo RR: É usado para determinar a freqüência
e o ritmo ventricular
• Quando não se detecta nenhuma atividade elétrica ,
a linha no gráfico permanece plana e, é chamada de
isoelétrica.
• Onda U: Acredita-se que represente a repolarização
das fibras de Purkinje
• HIPOCALEMIA, HIPERTENSÃO E CARDIOPATIA.

Enfermagem 2007 - Biofísica 42


ELETROCARDIOGRAMA

Enfermagem 2007 - Biofísica 43


ELETROCARDIOGRAMA

• Arritmia atrial
• Etiologia:Freqüentemente nos quadros de
ICC.
• Característica no ECG:Onda P prematura
ou junta da onda T

Enfermagem 2007 - Biofísica 44


ELETROCARDIOGRAMA

• Fibrilação atrial: 400 a 650 bpm.


• Ausência da onda P.
• Etiologia: ICC, infarto, hipertenção cardiopata.

Enfermagem 2007 - Biofísica 45


ELETROCARDIOGRAMA

• Isquemia:Interrompe temporariamente o fornecimento sanguíneo ao tecido


miocárdio, mas geralmente não causa morte celular.
• Injúria: Lesão aguda ou recente, gerada pela interrupção prolongada no
fornecimento sanguíneo.
• infarto: Resulta da ausência completa de sangue no tecido.Isso causa morte das
células miocárdicas (necrose).

Enfermagem 2007 - Biofísica 46


ELETROCARDIOGRAMA

• Taquicardia atrial .
• Onda P :Ereta ou a onda P se perdeu na onda
T prévia .
• Hipertenção Sistêmica.

Enfermagem 2007 - Biofísica 47


ELETROCARDIOGRAMA

TRATAMENTO DE
PACIENTES

COM DISTÚRBIOS
VASCULARES

CORONARIANOS

Enfermagem 2007 - Biofísica 48


ELETROCARDIOGRAMA

DOENÇA DA ARTÉRIA
CORONÁRIA-CAD
 ANGINA DE PEITO
 ANGIOPLASTIA CORONARIANA TRANSLUMINAL PERCUTÂNEA-
(ACTP)
 ATEROMA
 ATEROSCLEROSE
 ENXERTO DE BYPASS DA ARTERIA CORONÁRIA (CABG)
 INFARTO DO MIOCÁRDIO
 MORTE CARDÍACA SÚBITA
 TROPONINA
 VASOCONTRITOR
 VASODILATADOR
 ISQUEMIA
 TROBOLÍTICO
 CREATINA-CINASE(CK)
 DESIDROGENASE LÁTICA (LDH)
Enfermagem 2007 - Biofísica 49
ELETROCARDIOGRAMA

ATEROSCLEROSE CORONARIANA-Acumulo anormal de substâncias

lipídicas, ou gordurosas,e tecido fibroso na parede vascular.


 Fisiopatologia-linfocitos t mais monócitos lipídios capa
fibrosa ateromas obstrução do fluxo sanguíneo
 Manifestações clinicas
• Isquemia
• Angina de peito
• Morte cardíaca
 Fatores de risco
• Aumentam com a idade
• história familiar positiva
 Prevenção
• Anormalidades do colesterol;
• Fumo;
• hipertensão;
• Diabetes Melito;
 Nível Sanguíneo elevado de colesterol
• LDL
• HDL Enfermagem 2007 - Biofísica 50
ELETROCARDIOGRAMA

 Dieta
• Tamanho da porção expresso em medidas domiciliares
• Quantidade de lipídios por porção
• Quantidade de lipídios saturados por porção
 Medicamentos
 Fumo
• Aumento no nível sanguíneo (co)
• Ácido nicotínico deflagra a liberação de catecolaminas
• Aumenta a adesão plaquetária
Enfermagem 2007 - Biofísica 51
ELETROCARDIOGRAMA

Angina de peito -É caracterizada por episódios ou


paroximos de dor ou pressão na parte anterior do tórax.
 Fisiopatologia -Está associada a uma obstrução
significante de uma artéria coronária importante.
Manifestações clinicas
• Dor
• Sufocação
• Peso na parte superior do tórax
 Considerações gerontológicas
• Respostas diminuídas dos neurotransmissores
• Menos tecido adiposo subcutâneo
 Histórico e achados diagnósticos
• Historia do paciente e manifestações clínicas de dor
• Alterações no ECG Enfermagem 2007 - Biofísica 52
ELETROCARDIOGRAMA

Infarto do miocárdio(IM) –morte do tecido cardíaco


causado por isquemia.
 Fisiopatologia- IM refere-se ao processo pelo
qual áreas de células miocárdicas no coração
são destruídas de maneira permanente.
 Manifestações clínicas
• Dor torácica
• Ansiedade, agitação, pele fria,pálida,úmida,
• Frequência cardíaca e respiratória aumentada
 Considerações gerontológicas
• Pacientes com + 65 anos
• IM agudo Enfermagem 2007 - Biofísica 53
ELETROCARDIOGRAMA

 Histórico e achados diagnósticos


• Historia da doença atual
• ECG; exames laboratoriais
• Exame físico isolado “insuficiente”
 História do paciente
 Eletrocardiograma
• Obtido dentro dos “10 min”
• Onda T aumentada e simétrica
• Alterações no segmento ST

Enfermagem 2007 - Biofísica 54


ELETROCARDIOGRAMA

Eletrodo
•Medem a intensidade e a direção das correntes elétricas
do coração durante cada batimento
•São indispensáveis a adequada preparação cutânea e
aplicação de eletrodos, para realização do exame.
•O tipo de eletrodo atualmente utilizado para monitorar o
ECG é revestido de prata ou níquel descartável, centrado
em um círculo de papel adesivo ou espuma de borracha.
São confortáveis para o paciente e quando não aplicados
adequadamente, podem levar a alarmes falsos

Enfermagem 2007 - Biofísica 55


ELETROCARDIOGRAMA

Material a ser usado para a


realização do ECG
• Eletrocardiógrafo
• Braceletes
• Álcool, se necessário
• Gel
• Eletrodo
• Depilador, se necessário
• Gaze

Enfermagem 2007 - Biofísica 56


ELETROCARDIOGRAMA

Riscos e técnicas
Riscos:
Técnicas:
• Deve-se lavar as mãos;
• Explicar ao paciente cada etapa do processo;
• O paciente deve estar descansado há pelo menos 10 minutos,
sem ter fumado a pelo menos 40 minutos, estar calmo
• Posicionar o paciente
• Delimitar as áreas de colocação dos eletrodos
•Esfregar o local fortemente com gaze para remover a oleosidade,
se necessário aplicar álcool para facilitar a remoção
•Colocar o gel, se necessário
•Aplicar os eletrodos, os cabos, ligar eletrocardiógrafo para
realizar o exame
•Encaminhar o paciente para o cardiologista.

Enfermagem 2007 - Biofísica 57


ELETROCARDIOGRAMA

LOCAIS
PRECORDIAIS:
• V1: Quarto espaço intercostal na borda direita
do esterno
• V2: Quarto espaço intercostal na borda
esquerda do esterno
• V3: espaço intermediário entre V2 e V4
• V4: Quinto espaço intercostal na linha média
clavicular esquerda.
• V5: linha axilar anterior esquerda, ao nível
horizontal de V4
• V6: Linha média axilar esquerda, ao nível
horizontal de V4
Enfermagem 2007 - Biofísica 58
ELETROCARDIOGRAMA

MEMBROS:
Braço esquerdo (amarelo)
Braço direito; (vermelho)
Perna esquerda (verde)
Perna direita (preto)

Nota: Marcapassos cardíacos, ou outros


estimuladores elétricos, não afetam e nem são
afetados pela operação do eletrocardiógrafo
(modernos), Não causam nenhum risco a
segurança.

Enfermagem 2007 - Biofísica 59


ELETROCARDIOGRAMA

• Deixe o doente falar e ele lhe dirá


o diagnóstico
William
Oesler

Enfermagem 2007 - Biofísica 60


ELETROCARDIOGRAMA

96 BPM 192 BPM

Enfermagem 2007 - Biofísica 61


ELETROCARDIOGRAMA

• Referências
• www.socerj.org.br/revista/pdf/a2007_v20_n03_art13.pdf
• http://www.unioeste.br/huop/ecg.htm
• http://www.einstein.br

Enfermagem 2007 - Biofísica 62