Você está na página 1de 3

Secretária Super Star

Neste ano especial, talvez a maioria das mensagens comemorativas do dia 30 de setembro - Dia
Nacional da(o) Secretária(o), façam alusão ao final de uma época e o início de novos tempos. Nada
mais propício do que um balanço profissional desta última década, enfocando a profissão de
secretário, suas transformações e desenvolvimento.

A profissão mudou muito nestes últimos anos, a uma velocidade compatível com sua realidade e a
cultura nacional em termos de imagem profissional, valorização e respeito. Felizmente as matérias
veiculadas na mídia são matérias sobre a profissão e o profissional, verdadeiras e enfocam, cada
uma em seu tema, a complexidade e diversificação de ser secretário.

Pelas suas características próprias, tanto de profissão empreendedora, como de aglutinar as


diversas áreas de conhecimento, necessárias ao desempenho profissional que é exigido no confuso
e competitivo mercado de trabalho atual nossa profissão, em pesquisas recentes, possui mais de
10% de índice de crescimento para os próximos anos, conforme pesquisas americanas, o que para
qualquer profissão, nos tempos atuais, é um excelente índice.

O trabalho das entidades de classe em todo o País e no Exterior sedimentou a imagem do


profissional de secretariado brasileiro, como profissional de vanguarda no cenário mundial.

Os cursos de nível médio e superior cresceram igualmente, embora em alguns casos as turmas
tenham diminuído em número de participantes, devido à recessão e o desemprego. Os cursos de
atualização proliferaram em todo País, em decorrência das exigências de mercado.

Mesmo em tempos de dificuldades, é verdade, em tempo de informação veloz, o que também é


verdade, em tempo de viver e conviver com o desconhecido, o não codificado, o novo, a profissão de
secretário tem se revelado de forma altamente positiva.

Acompanhando as notícias de jornais, revistas e demais meios de comunicação, também se percebe


a transformação e o crescimento da profissão.

Estes fatos, crescimento da profissão em todo mundo, aumento dos cursos em todo o País,
transformação da profissão - para melhor - faz, cada vez mais, que tenhamos orgulho do que somos
e do que fazemos.

Mais orgulho ainda sentimos quando verificamos nossas realizações.

A FENASSEC - Federação Nacional das Secretárias e seus Sindicatos filiados, comprovam, através
de seu Relatório de Atividades, a ininterrupta convivência com os membros da Categoria Profissional
Diferenciada dos Secretários em todo o País, com os profissionais estudantes, aposentados,
desempregados e da ativa, através de reuniões cursos e Eventos/Cursos de treinamento,
totalizando, apenas no ano de 1998 mais 60.000 atendimentos diversos e 15.000 profissionais
treinados em todo o País.

Note-se que realizamos cursos para desempregados o ano todo, com verbas próprias, sem a
interferência de programas do Governo, pois na maioria dos estados é necessário que o sindicato
seja "filiado" a Centrais Sindicais, para obter recursos para treinamento, oriundos por exemplo do
FAT - Fundo de Amparo ao Trabalhador, embora não exista documento oficial, lei, portaria ou
mesmo declaração oficial do Governo que determine a obrigatoriedade desse procedimento.

Mesmo assim seguimos nosso extenso programa de treinamento em todo o País e estamos nos
aprofundando nas pesquisas sobre a profissão, com estudos relevantes para melhor compreender a
complexidade da profissão e do mercado de trabalho.

Terminamos, recentemente, um Estudo que a FENASSEC encomendou ao CESIT - Centro de


Estudos Sindicais da UNICAMP - Universidade de Campinas sobre o Perfil e Tendências do
Profissional Secretário no Brasil, realizado pelos Economistas Amilton Moretto e Cláudio Roberto de
Jesus. Os dados foram coletados pelos próprios pesquisadores, fundamentados em documentos
disponíveis e considerados oficiais no Brasil, tanto de Instituições como o IBGE, como documentos
dos próprios Sindicatos de Secretárias e notícias veiculadas nos meios de comunicação.

Este estudo nos possibilita, num primeiro momento, constatar a situação do profissional no mercado
de trabalho brasileiro, e num segundo momento, verificar quais serão as perspectivas do profissional
secretário no Brasil, útil também para empresas de "headhunter" ou colocação no mercado, que
trabalham com esta profissão.

Nunca é demais lembrar que ainda precisamos melhorar, e muito, em termos de consciência
profissional enquanto Categoria, enquanto Profissão. Não basta, hoje, apenas a consciência da
profissão, sua importância, seu papel. É preciso mais que isso e nesse ponto os dados, embora
também positivos, ainda precisam melhorar mais.

Não existe coisa mais antiga do que negar o movimento e a luta de classes de um sindicato. Não
existe coisa mais antiga do que "falar mal" do sindicato que representa sua profissão. Não existe
coisa mais retrograda e reacionária do que tentar fazer com que o sindicato e seus dirigentes sejam
os vilões de tudo que está errado nesse País, vendo-os como exploradores. Seguramente um
sindicato sério não arrecada de seu salário, mais do que você gastaria se fosse - meia dúzia de
vezes, durante um ano inteiro, jantar fora.

Para isso é necessário ter consciência profissional. Para acompanhar os acontecimentos e o


trabalho de sua entidade de classe, compreender e entender o que acontece é necessário que o
profissional secretário entenda também de política e de economia, mesmo que isso não seja exigido
(e provavelmente não será ainda nos próximos 10 anos) no seu trabalho diário.

Falando em acompanhar o trabalho da entidade de classe você já assinou o abaixo assinado pró
criação dos Conselhos Federal e Regionais de Secretariado? Caso ainda não tenha feito isso ainda
dá tempo.

É tempo também de você se inscrever para o XII CONSEC - Congresso Nacional de Secretariado e
III SIMISEC - Simpósio Internacional de Secretariado e a I FEISEC - Feira de Produtos e Serviços
para a Secretária, nosso mega evento do ano 2000. (maiores informações
sobre o CONSEC: em Eventos/Cursos)..

Se precisamos melhorar, e precisamos, se precisamos nos qualificar, e


precisamos, se precisamos de um País mais ético, mais sério, mais
competente, menos corrupto, e precisamos, será necessário também
compreender melhor nosso papel de cidadãos.

Embora nossa profissão já tenha crescido muito, ser versátil, pois trabalhamos
com diversas formas de horário e sistemas de contratação, ou seja
trabalhamos onde existe trabalho, ainda assim é necessário aprender para
poder separar o joio do trigo, sabendo porquê, sabendo como, sabendo onde
e, principalmente, sabendo as conseqüências desse ato.

A responsabilidade que temos representando no Brasil 2.000.000 de


profissionais, praticamente nos obriga a conhecer tudo o que acontece com o País, com o mercado
de trabalho, com qualificação e desenvolvimento de pessoas.

Para isso é importante considerar o passado e não simplesmente dizer que ele não serve mais. No
mínimo servirá para entendermos o futuro, como nesta frase que a título de exemplo, ilustra o
passado e o presente da nossa profissão:

"SUGIRO QUE VOCÊ FAÇA UM CURSO DE SECRETÁRIA OU SE CASE".

Esta frase foi dita por Emmeline Snively - Diretora de uma agência de modelos a Norma Jean Baker,
em 1944, a futura estrela Marilyn Monroe - Super Star.

E vejam vocês que maravilhosa e completa atriz ela foi. Pois é, o mundo é assim. Uns acreditam,
outros não. Você precisa saber e avaliar.

Parabéns a todas as profissionais secretárias por terem escolhido ser o que são e por fazerem o que
fazem, verdadeiras estrelas, "Super Stars" do universo do trabalho!
Leida Moraes
Presidente da FENASSEC/SINSESP