Você está na página 1de 8

Centro Educacional Exponencial SA / CEESA – Faculdade exponencial

Departamento de Ciências Exatas


Curso: Sistemas de Informação
Disciplina: Plano de Negócios em Informática
Acadêmicos: André G. Mendes e Odinei Onghero
Professor: Ana Paula do Nascimento Vivian
Data : Setembro de 2005

PLANEJAMENTO E TOMADA DE DECISÕES

Planejar é antecipar a forma em que se darão no futuro determinados acontecimentos. Por meio do
planejamento se estabelece a ordem futura dos fatos que constituem o desempenho da empresa. Dessa
maneira se assegura o funcionamento correto da entidade frente a interferências não previstas em seu
processo produtivo. Pode-se considerar o planejamento como um conjunto de decisões antecipadas
tendentes a guiar a empresa até seus objetivos.

A forma de planejamento varia de acordo com o tipo de empresa. Existem setores produtivos em que as
oscilações imprevistas do mercado, a escolha de opções que implicam grandes riscos e outras
circunstâncias -- intrínsecas ou extrínsecas à empresa -- impõem um sistema de planejamento flexível,
capaz de adaptar-se a qualquer momento a um ambiente em mutação. Por outro lado, há setores em que o
planejamento deve ser muito rígido, com um grau bastante preciso de explicitação numérica dos
resultados em cada uma das seções da empresa. É este habitualmente o caso das empresas estatais nos
países de economia dirigida.

O planejamento envolve a tomada de decisões corretivas, adicionais e estratégicas para alcançar


os objetivos e expectativas esperadas no negócio. A base para a tomada de decisão, em todos os
níveis da organização, é a análise de fatos e dados gerados em cada um de seus processos, bem
como os obtidos externamente e que possibilitam a comparação dos resultados da empresa com
outras que são referências de mercado.

Estes dados transformam-se em informações relacionadas a todos os aspectos fundamentais para


a organização: clientes, mercados, finanças, pessoas, fornecedores, produtos, processos,
sociedade e comunidade. Essas informações representam a inteligência da organização,
viabilizando a análise crítica e a tomada das ações necessárias, em todos os níveis.

Para o processo de tomada de decisões ser eficaz e a introdução de melhorias e inovações ser
mais rápida, a organização deve dispor de sistemas estruturados de informação adequados ao seu
negócio e deve também, desenvolver formas de obtenção e uso sistemático de informações
comparativas.

SER UM GERENTE EFICAZ

Muitas pessoas deixam de lado o sonho de incrementar seus negócios ou nem começam um negócio
próprio pois não acreditam ter talento ou habilidade suficientes para o sucesso. As características do
empreendedor precisam ser reconhecidas e desenvolvidas para que as ferramentas certas sejam usadas e as
idéias sejam germinadas.

O Brasil é uma terra fértil para o empreendedorismo. Uma recente pesquisa publicada pelo Global
Entrepreneurship Monitor (GEM) coloca o País em 6º lugar entre as nações mais empreendedoras do
mundo, à frente de países como Estados Unidos, Japão e Alemanha.
Ser um gerente eficaz é encontrar soluções para executar tarefas complexas e multifuncionais, no tempo
previsto e dentro do orçamento, mas sem a pretensão de fazer tudo sozinho. A habilidade de planejar,
coordenar e entregar projetos significa utilizar as habilidades necessárias de liderança para influenciar
seus colaboradores, para que estes executem o trabalho.

Dicas de como ser um gerente eficaz :

* Defina claramente, desde o início, o escopo do projeto em questão. Tome os objetivos e necessidades do
projeto e os transforme em parâmetros concretos para sua implementação. Essa é a melhor maneira de
evitar que o projeto evolua fora do controle.

* Defina prazos realistas que permitam que você se mantenha no cronograma. Defina tais prazos em
conjunto com seus colaboradores e todos aqueles da equipe para quem o projeto está sendo desenvolvido.

* "Realista" é a palavra-chave, pois a própria equipe não irá comprar a idéia se não acreditarem que
poderão entregar no prazo.

* Desmembre o seu projeto em tarefas menores e gerenciáveis. Isto fará o trabalho menos intimidante para
os membros da equipe e permitirá que se termine determinado grupo de tarefas no prazo.

* Delegue as tarefas baseando-se nas competências dos membros da equipe. Conheça os atributos
individuais de cada membro e delegue tarefas baseando-se neles. Monitore o trabalho para assegurar que
as tarefas estejam sendo realizadas conforme previsto.

* Estime o impacto que o custo terá sobre o seu projeto. Um gerente precisa estimar, com antecedência,
todos os custos inerentes ao projeto, para então começar a dispor dos recursos requeridos.
* Seja um entusiasta em relação ao projeto. O entusiasmo de um líder inspira outros, facilitando a
manutenção da equipe motivada e envolvida. Seja otimista, mesmo que algo não saia conforme o
planejado, para evitar que o moral da equipe baixe. Ajude o grupo a superar depressões emocionais com
atitudes positivas.

* Instale e valorize o espírito de equipe. Os membros da sua equipe devem estar orgulhosos em fazer parte
do grupo. Quando eles não estão entusiasmados pelas realizações passadas nem motivados pelos novos
objetivos, não estarão comprometidos em um esforço conjunto junto a você. Isto poderá criar problemas
para você, tornando mais difícil a conclusão do objetivo da equipe.

* Antecipe possíveis obstáculos. Todos os projetos têm problemas. Desenvolva e dê prioridade aos planos
de contingência e saiba quais as alternativas para implementá-los, quando necessário. Isto reduzirá a
necessidade de medidas drásticas, e irá assegurar a conclusão bem sucedida do seu projeto.

* Planeje as mudanças. Durante toda a extensão de um projeto, mudanças poderão ser necessárias. Um
gerente de projeto eficaz terá sempre pronto um sistema de mudança que irá lhe ajudar a ajustar o rumo do
seu projeto rapidamente.

* Mantenha uma visão global. Em vez de focar somente nos detalhes das tarefas que devem ser feitas,
foque no objetivo final. Dessa forma, você ficará menos vulnerável se um problema específico ocorrer no
meio do caminho. Mantenha uma visão clara e prepare o seu projeto para os momentos difíceis.

* Tome o controle do “pulso” do projeto. Como líder você tem a obrigação de monitorar o progresso da
sua equipe, em função das tarefas realizadas, bem como dos recursos aplicados. Não diminua a sua
participação. Seu envolvimento permanente ajudará a manter o seu projeto no trilho.

UM EXEMPLO USANDO MICROSOFT PROJECT

O Microsoft Project é um aplicativo que tem o objetivo de gerenciar projetos. Do mais simples ao mais
complexo com riqueza de detalhes. Dentre os principais pontos que poderão ser controlados de seu projeto
destacamos: Controle de tempo de execução das tarefas; Controle de recursos para aquisição de materiais;
Controle de recursos para a contratação de mão de obra; Controle geral de gastos com o projeto;
Relatórios estatísticos, etc...

Quando criamos o nosso projeto para que o Project gerencie o mesmo, este irá de forma automática criar
uma agenda de trabalho facilitando assim a administração geral dos processos que compõe o projeto.

Ao criar o projeto estamos na verdade criando etapas que deverão ser seguidas para que o mesmo
seja gerenciável. Estas fases podem ser seguidas: Definir objetivos; Criação de plano do projeto;
Ajuste de projeto; Gerenciamento do projeto.

A primeira etapa consiste em identificar com riqueza de detalhes o objetivo principal do projeto. A
segunda etapa consiste em traçar metas para a conclusão do projeto e, a principal informação deste ponto é
determinar prazos para a concretização de tarefas que o compõe. A terceira etapa consiste em chegar a
alguns dados importantes para um resumo do que se deve realizar e de quanto será necessário (em valores)
para concluir os procedimentos e, neste ponto deveremos chegar a um equilíbrio entre tarefas, prazos e
valores. A quarta etapa é basicamente composta pela execução das tarefas, dentro da programação traçada
acima.

Quando empregamos a ferramenta objeto de estudo deste curso, iremos seguir alguns passos para que as
etapas acima sejam cumpridas, conforme podemos observar na listagem abaixo:

a) Lançamento de dados – entre diversos dados necessários para alimentar o banco de dados e tornar
possível o gerenciamento eletrônico do projeto, você deverá informar ao aplicativo alguns dados
fundamentais, entre eles destacamos: Data de inicio do projeto; Data prevista para término do projeto;
Tarefas a serem executadas; Responsáveis por cada etapa a ser desenvolvida; Orçamento disponível para
cada etapa.

b) Gerenciamento de prazos x custos – aqui teremos uma noção bastante próxima da realidade final de
tempo x custo do projeto;

c) Ajuste de planos de execução – aqui poderemos ajustar alguns detalhes e rotinas que deverão ser
executadas para que o projeto seja realizado dentro das metas traçadas;

d) Gerenciamento global do controle do projeto – durante o período em que o projeto estiver sendo
realmente executado se tornará necessário alimentar o sistema com informações importantes para que,
você possa realizar uma análise entre o plano de execução e a realidade da execução do projeto.

Para que você possa desenvolver tais tarefas será necessário também conhecer alguns conceitos
fundamentais para se trabalhar com o Project, dentre os quais destacamos:

TAREFAS: Um projeto nada mais é do que a reunião de diversas atividades que deverão ser executadas
para que um determinado objetivo seja alcançado. Por exemplo: lixar a parede, passar massa corrida e
passar tinta na parede são tarefas necessárias para que o projeto “Pintar parede” possa ser executado com
sucesso. Assim sendo podemos afirmar que as tarefas são rotinas que, em grupo, formam o objetivo de um
projeto.

RECURSOS: Para que uma tarefa seja executada, será necessário empregar recursos. Ao contrário do
que muitos pensam, os recursos não se limitam à verba. São considerados recursos: mão de obra,
máquinas necessárias, objetos, materiais, etc...

CAMINHO CRÍTICO: Tarefas que devem ser finalizadas na data prevista quando do desenho
do projeto e, a não entrega da mesma na referida data, poderá comprometer o sucesso do projeto.

EXEMPLOS DE RELATÓRIOS GERENCIAIS

Impostos por Região para Vender o Produto Monitor R$ 300,00.

Código Descrição Uni Prazo Médio de Alíquota Nominal (%) Alíquota Efetiva (%)
Pagto
- Região : Exportação
P002 COFINS % 25 0,00 0,00
P004 COMISSÕES % 20 7,00 6,89
P006 FRETE % 10 3,00 2,98
P001 ICMS % 25 0,00 0,00
P005 OUTRAS DESPESAS % 10 3,00 2,98
P003 PIS % 27 0,00 0,00
12,83652855
- Região : Região 0%
P002 COFINS % 25 0,00 0,00
P004 COMISSÕES % 20 0,00 0,00
P006 FRETE % 10 3,00 2,98
P001 ICMS % 25 0,00 0,00
P005 OUTRAS DESPESAS % 10 3,00 2,98
P003 PIS % 27 0,00 0,00
5,95081746
- Região : Região 04%
P002 COFINS % 25 1,00 0,98
P004 COMISSÕES % 20 7,00 6,89
P006 FRETE % 10 5,00 4,96
P001 ICMS % 25 4,00 3,92
P005 OUTRAS DESPESAS % 10 3,00 2,98
P003 PIS % 27 0,21 0,21
19,92368438

Como saber o Custo de um produto ou serviço?

Descrição do Item Uni Tipo Sequênci Centro de Custo Processo Tempo Tipo do
a de Tempo
Operaçã
o
- Código do Item : 1022E
- Atividade : 21006 - Montar Eq. 03
Monitor 17 un PRO 1 21 - Montagem 04 - MONTAGEM 0,8696 V
- Atividade : 23006 - Furo p/Parafuso do Suporte e Dobradica (Eq. 01 Pessoa)
Monitor 17 un PRO 2 23 - Furadeira 05 - FURACAO 0,3200 V
- Atividade : 27001 - Macear 2 Lados
Monitor 17 un PRO 3 27 - Massa 06 - LIXACAO 0,6383 V
- Atividade : 28002 - Lixar Lado Externo
Monitor 17 un PRO 4 28 - Lixadeira Banda Larga 06 - LIXACAO 0,0954 V
- Atividade : 32001 - Selar 1 Lado 1.a. Mão Eq. 2 Pessoas
Monitor 17 un PRO 5 32 - Cabine Seladora 07 - PINTURA 0,3922 V
- Atividade : 32003 - Selar 1 Lado 2.a. Mão Eq. 2 Pessoas
Monitor 17 un PRO 6 32 - Cabine Seladora 07 - PINTURA 0,3922 V
- Atividade : 34002 - Lixar Maquina Velocidade (5,0)
Monitor 17 un PRO 7 34 - Lixacao lixadeira Banda 07 - PINTURA 1,3333 V
Larga
- Atividade : 35001 - Pintura 1 Lado 1A. Mao Equipe 3 Pessoas
Monitor 17 un PRO 8 35 - Cabine Verniz 07 - PINTURA 0,4317 V
- Atividade : 36001 - Passar Cola Na Caixa Eq.01 Pessoa
Monitor 17 un PRO 9 36 - Embalagem - Montagem 08 - 1,0000 V
de Caixas EMBALAGEM
- Atividade : 37001 - Carregar Caminhao Eq. 06 Pessoas
Monitor 17 un PRO 10 37 - Embalagem - 08 - 0,8428 V
Carregamento EMBALAGEM
- Atividade : 45004 - Colocar Espelho E Grampear Eq. 02
Monitor 17 un PRO 11 45 - Montagem 3 04 - MONTAGEM 1,2766 V

Custos Gerais

Conta Descrição da Conta Valor Nominal


- Centro de Custo : 01
3 SISTEMA DE RESULTADO 715.476,26
3.03 CUSTOS 715.476,26
3.03.01 CUSTOS 715.476,26
3.03.01.01 CUSTOS DOS PRODUTOS VENDIDOS 524.886,32
3.03.01.01.001 Matéria Prima 534.071,51
3.03.01.01.004 Fretes S/Compras 1.192,86
3.03.01.01.005 COMISS™ES S/COMPRAS 2.277,84
3.03.01.01.007 (-) CREDITO DO PIS LEI 10.6337438 -2.247,80
3.03.01.01.008 (-) CREDITO PRESUMIDO DO IPI -10.353,49
3.03.01.01.010 (-) Remessa Mercadoria -54,60
3.03.01.02 MAO-DE-OBRA DIRETA 105.966,41
3.03.01.02.001 Salarios e Ordenados 58.772,50
3.03.01.02.002 Férias -176,40
3.03.01.02.005 Horas Extras 3.684,73
3.03.01.02.007 Adicional Noturono 477,88
3.03.01.02.008 Adicional de Insalubridade 900,00
3.03.01.02.009 INSS 19.920,43
3.03.01.02.010 FGTS 5.910,25
3.03.01.02.012 Provisão de Férias 7.849,08
3.03.01.02.013 Provisão 13 Salário 5.817,46
3.03.01.02.014 Provisão INSS s/Férias 624,52
3.03.01.02.015 Provisão FGTS S/Férias 184,42
3.03.01.02.021 Provisão FGTS S/13 Salário 456,11
3.03.01.02.022 Provisão INSS S/13 Salário 1.545,43
3.03.01.03 OUTROS CUSTOS DIRETOS 5.056,79
3.03.01.03.001 Serviços de Terceiros 2.733,00
3.03.01.03.002 Combustívies e Lubrificantes P/Máquinas Industrial 2.593,49
3.03.01.03.004 Vale Transporte -269,70
3.03.01.04 CUSTOS INDIRETOS DE PRODUÇAO 33.435,01
3.03.01.04.002 Depreciação 28.889,59
3.03.01.04.003 Equipamentos de Segurança 4.545,42
3.03.01.05 MATERIAIS DE MANUTENÇAO E REPARO 5.252,72
3.03.01.05.001 Peças de Reposição Em Máquinas -2.540,16
3.03.01.05.002 Manutenção de Veículos da Produção 234,27
3.03.01.05.004 PE€.REPOS.MAQ.SERV.OUT.C/CRED. NAO-CUMUL 7.558,61
3.03.01.06 UTILIDADES E SERVIÇOS 40.879,01
3.03.01.06.001 Energia Elétrica 22.933,11
3.03.01.06.002 Água 153,00
3.03.01.06.003 Transporte 437,56
3.03.01.06.004 Refeições 451,60
3.03.01.06.005 Combustíveis E Lubrificantes S/Veículos 5.780,26
3.03.01.06.006 Seguros S/Vidas 987,48
3.03.01.06.007 Seguros S/Cargas 551,60
3.03.01.06.008 Seguros S/Veiculos 208,91
3.03.01.06.009 Seguros 610,34
3.03.01.06.011 Outros Gastos de Fábrica 8.309,19
3.03.01.06.013 Gastos Fabrica c/direito a credito nao acumulativo 455,96

Custo por Venda

Código Descrição do Item Uni Qtd Custo Custo Custo Custo Custo Custo Total
do Item Unitário Total Unitário Total Fixo Unitário
Variável Variável Fixo Total
1003E c/5 Gavetas un 1,00 77,72 77,72 24,69 24,69 102,41 102,41
1003M c/5 Gavetas un 1,00 87,93 87,93 28,76 28,76 116,70 116,70
1004E TV/Video un 11,00 86,00 946,01 29,41 323,53 115,41 1.269,53
1004M TV/Video1 un 8,00 88,09 704,71 30,99 247,93 119,08 952,65
1005E C/Sapateira un 8,00 102,05 816,39 36,91 295,27 138,96 1.111,66
1005M C/Sapateira2 un 6,00 111,04 666,25 44,80 268,79 155,84 935,04
1006E Criado Mudo un 26,00 22,34 580,90 10,99 285,85 33,34 866,74
1006M Criado Mudo2 un 19,00 23,80 452,16 13,16 250,03 36,96 702,19
1010E Roupeiro 1 un 66,00 222,44 14.681,21 95,52 6.304,01 317,96 20.985,22
1010M Roupeiro 1 un 12,00 226,83 2.721,96 102,86 1.234,36 329,69 3.956,32
1011E Roupeiro 2 un 76,00 255,96 19.453,20 102,72 7.806,65 358,68 27.259,86
1011M Roupeiro 2 un 14,00 265,98 3.723,67 108,10 1.513,46 374,08 5.237,13
1012E Cama Solteiro PC 3,00 57,47 172,40 36,37 109,12 93,84 281,52
1012M Cama Solteiro PC 3,00 56,44 169,32 35,88 107,63 92,32 276,95
1013E Cama Casal 2 PC 21,00 85,79 1.801,63 46,77 982,16 132,56 2.783,80
1013M Cama Casal PC 15,00 87,77 1.316,58 46,68 700,23 134,45 2.016,81

CONCLUSÃO

O mercado atual é dinâmico, com alta competitividade em meio à acelerada economia global da
atualidade requer uma satisfação excepcional do cliente, que exige entregas no prazo e no menor número
de dias possível. Além de um refinado conceito de estratégia para que as empresas possam buscar o
melhor posicionamento em sua áreas de atuação. Empresas são freqüentemente mais eficientes quando
realizam planejamento e em decorrência, oferecem serviços e produtos personalizados aos seus clientes.

As ferramentas tradicionais de planejamento freqüentemente consideram capacidade infinita de produção.


Através de técnicas de planejamento avançado, planos de produção podem ser criados considerando a
capacidade dos recursos e a necessidade dos materiais, otimizando a tomada de decisões e resultando em
uma operação pró-ativa e eficiente. Dar ênfase ao planejamento reflete em benefícios significativos
visando a tomada de decisão num conjunto de metas comuns.

O planejamento permite prever um crescimento real e garantido, principalmente pela manutenção da


inovação e da produtividade. Atualmente o mercado empresarial é dinâmico e mutável, que exige, além
do planejamento, que as empresas tenham capacidade de resposta imediata e que detenham um processo
de tomada de decisões rápidas, objetivas e eficazes. Por tanto a informação precisa estar disponível para as
pessoas certas, no formato esperado, no momento e local desejados. Dentro deste contexto, a informação
representa um recurso de alto teor estratégico, que necessita ser maximizado como gerador de diferencias
e vantagens competitivas. A gestão estratégica da informação representa um parte integrante e vital na
gestão empresarial eficiente.

REFERÊNCIAS

BELLINO Ricardo, CASE Silvana. COMO SER UM GERENTE EFICAZ. www.catho.com.br


Baptistetti . Consultoria e sistemas de Gestão. www.bcmanager.com.br
Site do acadêmico de Administração. www.saadm.com/temas/adm.htm
Site Planejamento Estratégico em FIEMG.
www2.fiemg.com.br/planejamento_estrategico/informacao_analise.htm