Você está na página 1de 4

O que significa:

A palavra Bruxaria, segundo o uso corrente da


língua portuguesa, designa as faculdades
sobrenaturais de uma pessoa, que geralmente se
utiliza de ritos mágicos, com intenção maligna - a
magia negra - ou com intenção benigna - a magia
branca. É também utilizada como sinónimo de
curandeiros e prática oracular, bem como de
feitiçaria.

Para os bruxos actuais, contudo, a Bruxaria é o culto


à Deusa e ao Deus em sistemas que variam de uma
deidade única hermafrodita ou feminina à
pluralidade de panteões antigos, mais notadamente
os panteões celta, egípcio, assírio, greco-romano e
normando (viking).

Feiticeiro seria aquele que realiza feitiços, seja ele


bruxo ou não, e feitiço, o gênero de magia cujo
objectivo é interferir no estado mental, astral, físico
e/ou na percepção que outra pessoa tem da
realidade. A magia, por sua vez, é o uso de forças,
entidades e/ou "energias" não pertencentes ao
plano físico para nele interferir.

A bruxaria tradicional e a bruxaria moderna

Há uma grande confusão, entre os leigos, acerca de


bruxaria tradicional e da moderna. A bruxaria
tradicional tem suas raízes aprofundadas através do
período pré-histórico, podendo ser considerada em
parte irmã e em parte filha de antigas práticas e
cultos xamânicos. Historicamente, tal e qual os
xamãs, o papel social das bruxas tradicionais era
basicamente dividido entre a prestação de auxílio à
população na cura de problemas de saúde
(problemas da carne, da psique e do espírito) e o
contacto com os espíritos dos mortos e dos deuses
(encaminhamento de espíritos recém -
desencarnados a seu destino, obtenção de favores
da Deusa e/ou dos Deuses, previsões do futuro para
facilitar a tomada de decisões tanto no nível pessoal
quanto para a comunidade - neste último caso a
leitura do futuro seria para os chefes).

A bruxaria moderna, por outro lado, embora se


relacione firmemente com a Bruxaria tradicional,
surge historicamente com Gerald Gardner, com a
criação da Wicca no ano 1950 da Era Comum.
Apesar de a bruxaria tradicional, ao longo de seus
estimados mais de 20.000 anos de existência, ter
vindo absorvendo elementos estranhos a suas
raízes ancestrais, sendo uma religião viva e que
evolui continuamente, seu eixo fundamental é
bastante distinto do da bruxaria moderna, pois
Gardner não apenas adoptou novos elementos, mas
tornou alguns destes em bases fundamentais da
Wicca, amalgamando de forma indissolúvel o que
teria aprendido como iniciado na bruxaria
tradicional com conhecimentos adquiridos junto ao
druidismo e conceitos de origem claramente
oriental. Agrava-se a confusão entre bruxaria
moderna e bruxaria tradicional ao ter se tornado
recorrente o uso da expressão "wicca tradicional"
para designar aqueles cuja linhagem iniciática
remonta a Gerald Gardner.