Você está na página 1de 4
XIX CONI C III CONITI CTG - UFPE - 2011 ESTUDO PARAMÉTRICO DA PRES SÃO DE
XIX CONI C III CONITI CTG - UFPE - 2011 ESTUDO PARAMÉTRICO DA PRES SÃO DE

XIX CONI C III CONITI VII JOIC

CTG - UFPE - 2011

ESTUDO PARAMÉTRICO DA PRESSÃO DE FALHA DE DUTOS COM DEFEITOS CAUSADOS POR CORROSÃO

João Renato Bezerra da Silva¹; Silvana Maria Bastos Afonso da Silva².

  • 1 Estudante do Curso de Engenharia Mecânica – CTG –UFPE; E-mail: dayvson_74@hotmail.com.

    • 2 Docente/pesquisador do Depto. de Engenharia Civil – CTG – UFPE. E-mail: smb@ufpe.br

Sumário: A corrosão é um dos principais agentes causadores de ruptura de gasodutos, oleodutos e de outros dutos transportadores de hidrocarbonetos. Tal problema causa graves impactos ambientais e gera inúmeras despesas para as empresas responsáveis pelo transporte destes fluidos. A análise dos defeitos em dutos causados por corrosão tem sido objeto de estudo para evitar estas catástrofes. Neste sent ido, o Método dos Elementos Finitos se mostra muito eficiente na resolução deste problema. Este trabalho objetiva a implementação de novas ferramentas no “PIPEFLAW”, programa que está sendo desenvolvido por integrantes do grupo PadMec da UFPE. O programa é composto de várias ferramentas computacionais responsáveis por automatizar a modelagem de defeitos em dutos. A inovação mais atual do programa é a pré-visualização do duto e dos seus defeitos, assim como a localização de cada um deles antes da modelagem tridimensional. Esta ferramenta recebeu a designação de “PREVIEW 2D” e permite a detecção de erros de entrada de dados antes mesmo da modelagem tridimensional, o que evita o desperdício de tempo e, por conseguinte, de recursos financeiros.

Palavras-Chave: Avaliação estrutural; defeitos de corrosão; dutos; elementos finitos; modelagem automática.

INTRODUÇÃO

A grande extensão e elevada vida operacional da malha duto viária tem agravado a preocupação das companhias de petróleo em relação à corrosão dos dutos. Um defeito causado por corrosão pode antecipar a fratura do duto, provocando acidentes que implicam em danos ambientais, sociais e econômicos. A segurança operacional destas malhas vem sendo garantida pelo seu monitoramento continuo para detecção de defeitos e posterior reparação dos dutos. Os defeitos são reproduzidos em laboratório a partir dos dados obtidos da medição para o cálculo da diminuição da pressão de ruptura da linha provocada pelo aumento das tensões induzidas pelos defeitos. A análise computacional com o Método dos Elementos Finitos permite a substituição dos experimentos em laboratórios por modelos que fornecem resultados mais rápidos que os experimentais e mais precisos que os semi-empíricos. Há cerca de cinco anos os integrantes do grupo PadMec da UFPE vem trabalhando no desenvolvimento de ferramentas computacionais que permitem a modelagem e análise totalmente automática de dutos com defeito. O código desenvolvido, denominado PIPEFLAW[1], possibilita que sejam gerados modelos em Elementos Finitos de defeitos com diversas geometrias idealizadas, além de defeitos reais gerados a partir de uma entrada de dados matricial das espessuras remanescente do duto obtida da medição realizada no processo de monitoramento. Os parâmetros de pré-processamento são definidos pelo usuário através de uma interface amigável, que ainda permite configurar a densidade de malhas e escolher o solver que será utilizado na análise da pressão de falha de

XIX CONI C III CONITI CTG - UFPE - 2011 dutos corroídos. A presente pesquisa vi
XIX CONI C III CONITI CTG - UFPE - 2011 dutos corroídos. A presente pesquisa vi

XIX CONI C III CONITI VII JOIC

CTG - UFPE - 2011

dutos corroídos. A presente pesquisa visa o aperfeiçoamento das ferramentas computacionais existentes no PIPEFLAW[1] e a criação de novas, no sentido de utilizar modelos cada mais realistas que forneçam resultados com excelente grau de confiabilidade.

MATERIAIS E MÉTODOS

O projeto visa o desenvolvimento e melhoramento de ferramentas para a geração automática de modelos de dutos com defeitos de corrosão. Tais ferramentas utilizam o programa comercial MSC. PATRAN através da linguagem de programação PCL (Patran Command Language) [2]. As dimensões e localizações dos defeitos são fornecidas pelo usuário via interface gráfica e a modelagem é realizada automaticamente pelo PIPEFLAW. Além disso, a pesquisa realizada entre agosto de 2010 a julho de 2011 viabilizou a completa implementação da ferramenta ‘PREVIEW 2D’, que torna possível a visualização das características dimensionais e de posicionamento do duto e dos seus defeitos. Assim, o usuário pode identificar erros efetuados na entrada de dados antes que a modelagem tridimensional seja iniciada, o que evita o desperdício de tempo de recursos financeiros. O objetivo previsto para a pesquisa é o estudo paramétrico do comportamento da pressão de falha de dutos com defeitos causados por corrosão em função da variação de alguns parâmetros geométricos que caracterizam os defeitos. São tratados defeitos individuais e conjuntos de defeitos. Outro objetivo da pesquisa é dar prosseguimento aos estudos e colaborar na continuidade dos desenvolvimentos a serem conduzidos no sistema PIPEFLAW para aperfeiçoar o programa e torná-lo cada vez mais simples e de fácil utilização.

RESULTADOS

Realizado estudos preliminares do software PATRAN e utilizando a linguagem PCL (Patran Command Language), foi desenvolvido um código para a geração automatizada de dutos com defeitos em duas dimensões para ser implementado no programa PIPEFLAW em etapas posteriores. Este código recebeu o nome de “PREVIEW 2D”, que é visualização prévia do modelo que será gerado pelo programa PIPEFLAW em três dimensões. Sabe-se que a geração de um modelo via método dos elementos finitos demanda um tempo razoável, dependendo da quantidade de defeitos envolvidos ou da complexidade do posicionamento dos defeitos, este processo poderá se tornar muito longo e tedioso. Se a definição dos parâmetros dos defeitos for incompatível com as características dimensionais do duto haverá um desperdício de tempo, que pode ser evitado pelo uso do “PREVIEW 2D”. Foi com a finalidade de detectar erros como este que o código foi pensado. De agora em diante o usuário poderá ter uma noção prévia dos erros que poderão ocorrer na modelagem do duto antes mesmo que o modelo seja gerado em três dimensões. O método utilizado para elaborar o código do “PREVIEW 2D”, consiste em projetar a vista superior

do duto, tendo uma visão bidimensional do duto, tal como ilustrado nas figuras a seguir.

XIX CONI C III CONITI CTG - UFPE - 2011 dutos corroídos. A presente pesquisa vi
XIX CONI C III CONITI CTG - UFPE - 2011 dutos corroídos. A presente pesquisa vi
XIX CONI C III CONITI CTG - UFPE - 2011 Fig. 1 – Método utilizado no
XIX CONI C III CONITI CTG - UFPE - 2011 Fig. 1 – Método utilizado no

XIX CONI C III CONITI VII JOIC

CTG - UFPE - 2011

XIX CONI C III CONITI CTG - UFPE - 2011 Fig. 1 – Método utilizado no

Fig. 1 – Método utilizado no PREVIEW 2D: Duto sendo planificado.

Através desta opção o duto que inicialmente possuía formato cilíndrico é representado ao longo de 3 vistas. As três vistas principais da planificação do duto da Figura 2 foram desenhadas conforme a Figura 3 abaixo, que permite a visualização da configuração e do posicionamento dos defeitos no duto.

XIX CONI C III CONITI CTG - UFPE - 2011 Fig. 1 – Método utilizado no

Fig. 2 – Método utilizado no PREVIEW 2D: Duto totalmente planificado e suas 3 vistas principais.

A etapa seguinte para a construção do código, foi a construção do PREVIEW 2D para todos os casos de defeitos existentes no programa PIPEFLAW, isto inclui os defeitos simples: Retangular, Pite, Elíptico e Retangulares Sobrepostos. Foi também tratado o caso de n defeitos retangulares alinhados longitudinalmente e circunferêncialmente, sendo ambos com a profundidade do defeito constante ou variável ao longo da secção. Finalmente, foram tratados os casos arbitrários que leva em consideração o desenho do duto completo e não apenas ¼ do duto como vem sendo feito com os demais casos. Todos os arquivos criados estão no formato *.pcl, ou seja, são de rápido acesso e estão definitivamente prontos para serem implementados no programa PIPEFLAW via interface gráfica. Estas e outras etapas deste projeto irão ocorrer em etapas futuras através da renovação já concedida a este subprojeto para o período de agosto 2011 a julho de 2012. Sabe-se, no entanto, que estas funções, serão acessadas na pré-modelagem, conjuntamente com o botão “Data Check”, que é utilizado para checar os parâmetros iniciais do modelo a ser construído, digitados pelo usuário. Assim que estes parâmetros geométricos forem mostrados, ao lado, será também mostrada a figura esquemática do PREVIEW 2D do duto, isto facilitará a interação do usuário com o duto a ser modelado.

DISCUSSÃO

XIX CONI C III CONITI CTG - UFPE - 2011 Foram desenvolvidos e gerados esquemas de
XIX CONI C III CONITI CTG - UFPE - 2011 Foram desenvolvidos e gerados esquemas de

XIX CONI C III CONITI VII JOIC

CTG - UFPE - 2011

Foram desenvolvidos e gerados esquemas de visualização em duas dimensões para diversas geometrias de modelos de defeitos causados por corrosão em dutos. Utilizando as funções do PREVIEW 2D. Os defeitos gerados foram nas seguintes configurações geométricas: defeito isolado retangular, defeito isolado retangular sobreposto, defeitos alinhados longitudinalmente e circunferêncialmente (para o caso de “n” defeitos, com a profundidade dos defeitos variáveis ou constantes). O usuário pode escolher a quantidade de defeitos ao longo do duto, se por um acaso, algum dos defeitos estiver “fora” do lugar geométrico que representa o duto, por exemplo, este será um indicativo de que a modelagem do duto em 3D ocorrerá com problemas, sugerindo que o usuário deve reavaliar o posicionamento dos defeitos ou até mesmo os parâmetros geométricos envolvidos na modelagem deste duto. Por ultimo e não menos importante, o caso: “n” defeitos arbitrários. Este tipo de defeito abrange o duto completo e o usuário pode variar de forma complexa o posicionamento dos defeitos, não atendendo assim, a uma ordem lógica ou seqüencial, fica a critério do usuário a localização de tais defeitos. A pesquisa conduzida de agosto de 2010 a julho de 2011 permitiu a implantação completa do PREVIEW 2D, que permite a pré-visualização do modelo, possibilitando a detecção de erros que causam um grande de desperdício de tempo.

CONCLUSÕES

Visto que as atividades delegadas ao aluno substituído foram cumpridas, seu trabalho foi

realizado satisfatoriamente. A maior dificuldade encontrada foi a implementação de novas funções que até então não existiam. Conforme a elucidação do problema, foi possível elaborar as funções que constituem o PREVIEW 2D, permitindo uma pré-análise do modelo 3D a ser gerado pelo PIPEFLAW.

AGRADECIMENTOS

Agradecimentos especiais a CAPES/PIBIC pelo incentivo financeiro que é tão motivador para o aluno. Agradeço também a professora Silvana Maria Bastos Afonso da Silva pela

oportunidade de fazer parte de um projeto de iniciação científica que vem contribuindo de forma efetiva na vida das pessoas, e ao CNPq.

REFERÊNCIAS

[1] CABRAL, HDL. Desenvolvimento de ferramentas computacionais para modelagem e análise

automática de defeitos de corrosão em dutos. Dissertação de mestrado, DEMEC-UFPE fevereiro,

2007.

[2] PATRAN, 2005. Help system: User’s Guide, Reference Manual, PCL.

Reference. http://www.mscsoftware.com/products/patran_suport.cfm.