Você está na página 1de 1

CMYK I-1

informática
CORREIO BRAZILIENSE
Brasília,terça-feira,1º de julho de 2008
Editor:Renato Ferraz//renato.ferraz@correioweb.com.br
e-mail: informatica@correioweb.com.br
Tel: 3214 1184
O que você faria se ti-
vesse na conta bancária nada mais
que US$ 58 bilhões de dólares? O bilionário nor-
te-americano Bill Gates já decidiu: depois se afastar Paul Sakuma/AP - 6/1/08
oficialmente do cargo de presidente da Microsoft, vai aju-
dar os mais necessitados. Gates, um dos criadores, ao lado de
Paul Allen, da mais importante empresa de software do mundo,
pretende se dedicar agora à instituição filantrópica que ele e sua
esposa, Melinda, conduzem. O afastamento, anunciado há dois
anos, foi conduzido de forma cautelosa pelo executivo. Porém, o
homem que arquitetou o Windows e revolucionou o mundo do
software deixa a organização num momento crucial, em que to-
dos os executivos do setor se voltam para um mundo que a cada
dia ganha mais importância estratégica para as companhias do
O CRIADOR DA segmento: a internet. A tarefa de concluir a transição com o de-
MICROSOFT SAI DE senvolvimento de programas como o navegador Internet Ex-
CENA PARA SE
DEDICAR À plorer e o comunicador instantâneo MSN está nas mãos ago-
FUNDAÇÃO BILL & ra de Steve Ballmer, atual executivo chefe oficial (CEO), e
MELINDA GATES. NO do arquiteto chefe de software, Ray Ozzie. Na empresa
ENTANTO, ELE AINDA
OCUPARÁ UMA desde 1979, Ballmer terá como principal objetivo oferecer uma
POSIÇÃO NO plataforma integrada que possibilite a utilização de uma vasta
CONSELHO
ESTRATÉGICO DA
gama de serviços em diferentes ambientes. Já Ozzie tem a respon-
EMPRESA sabilidade de transformar a companhia em um nome de destaque
na web 2.0. Ele está encarregado de arquitetar a estratégia baseada em
serviços online. Isso significa que, depois de reinar absoluta durante
três décadas em que a computação esteve centrada no desktop e
no uso de sistemas operacionais e softwares licenciados, a Mi-
crosoft terá que saber lidar agora com alguns desafios que vão
além das batalhas judiciais antitrustes que a companhia enfren-
ta em tribunais pelo mundo.A oferta de softwares como serviço
(SaaS) é um deles. E sob essa bandeira, uma empresa que emergiu
nos últimos 10 anos e têm dado muito trabalho à companhia criada FERNANDO BRAGA
por Gates é o Google. Principal concorrente online do conjunto de DA EQUIPE DO CORREIO
aplicativos Office — e, conseqüentemente, de um dos maiores gerado-
res de receita da Microsoft — , o Google Docs oferece praticamente as
mesmas funções do pacote de escritório da Microsoft (editor de planilha,
texto e apresentações em slides, entre outros) na web. E de graça. Defendi-
da por grandes nomes do setor como Adobe, Dell e IBM, a filosofia do cloud DEPOIS DE
computing é a utilização de softwares que rodam a partir de sites, sem a ne- REVOLUCIONAR A
cessidade de tê-los instalados num computador fixo — caminho contrário ao
trilhado pela Microsoft nos últimos anos. Para Daniel Domeneghetti, CEO da COMPUTAÇÃO PESSOAL,
Dom Strategy Partners, consultoria centrada em estratégia corporativa, a Micro-
soft teria que enfrentar essa briga com ou sem Bill Gates no comando. “O desafio é
FUNDADOR DA
o mesmo, com ou sem ele. O mercado está empenhado em uma briga ferrenha para COMPANHIA SE DESPEDE
definir alguns padrões de webservices, tendo como principais players Nokia, Google e
Microsoft”, comenta. Além dessas questões, a criadora do Windows terá que lidar com OFICIALMENTE DA
uma tendência que cresce a cada dia —abertura do código-fonte de programas e sistemas. PRESIDÊNCIA. GIGANTE
Em janeiro, a empresa deu livre acesso a alguns de seus produtos, para fomentar o desenvol-
vimento de independentes. Porém, a abertura deve ser cada vez maior para facilitar, inclusive, DO SETOR DEVERÁ
a interoperabilidade com os demais fornecedores do segmento.“Esse modelo de negócio basea-
do na venda de licenças e em códigos fechados está ultrapassado. Cada vez mais o mercado e for- CONCLUIR, AGORA,
necedores demandam softwares com código aberto”, comenta Pedro Antônio Dourado, professor A TRANSIÇÃO PARA
do departamento de Ciência da Computação da UnB. Com as fabricantes centrando gradativamente
o foco nos usuários e dando a eles o comando da operação, a visão estratégica da gigante de tecnologia INTERNET SEM
deverá ser pautada cada vez mais no cliente e menos nos compromissos com a receita. Como equalizar
essa questão? Esse é um justamente um dos primeiros desafios que Steve Ballmer, Ray Ozzie & Cia.
A LIDERANÇA DE
irão encontrar pela frente — com a diferença, é claro, de não ter a presença de Bill Gates na mesa ao lado. SEU MENTOR

A Microsoft

SEM BILL LEIA MAIS NA PÁGINA 3

CMYK I-1