Você está na página 1de 24

Força e Movimento

Leis de Newton

1
1

Sumário

Dinâmica:

Primeira lei de Newton;

Segunda Lei de Newton;

Terceira lei de Newton.

2
2

Força e movimento

Neste capítulo vamos começar a estudar dinâmica.

Vamos introduzir as três leis de Newton que são o coração da mecânica classica.

Devemos observar que as leis de Newton descrevem fenômenos físicos de uma vasta gama.

3
3

Força e Movimento

Por exemplo, leis de Newton explicam o movimento de estrelas e planetas. Devemos observar também que as leis de Newton falham em duas situações seguintes:

Quando a velocidade de objetos aproxima-se (1% ou

mais) da velocidade da luz no vácuo (c = 8 × 10 8 m/s). Neste caso, devemos usar a teoria especial da relatividade de Einstein (1905).

Quando os objetos de estudo tornam-se muito pequeno (por exemplo, elétrons, átomos, etc.) Neste

caso, devemos usar a mecânica quântica (1926).

4
4

Primeira Lei de Newton

Os cientistas antes de Newton pensaram que uma

força (a palavra "influência" foi utilizado) era necessária para manter um objeto em movimento em velocidade constante. Um objeto foi pensado para ser

em seu "estado natural" quando ele estava em

repouso.

Este erro foi cometido antes do atrito ser reconhecido como uma força. Por exemplo, se deslizar um objeto sobre um piso com uma velocidade inicial v 0 muito em breve o objeto entrará em repouso.

5
5

Primeira Lei de Newton

Se, por outro lado nós deslize o mesmo objeto em uma superfície muito escorregadia, como gelo, o objeto irá percorrer uma distância muito maior antes de parar. Newton checava suas idéias sobre o movimento da

lua e os planetas. No espaço não há atrito, então ele foi

capaz de determinar a forma correta do que é conhecida como "primeira lei de Newton":

Se nenhuma força atua no corpo, a velocidade do copo não pode mudar; isto é, o corpo não pode acelerar.

Nota: Se muitas forças agem sobre o corpo, a torça total é definia como :

Note: If several forces act on a body (say

is defined as

F F

, and

F

) the net force F

, A B C net
,
A
B
C
net

F

net

F

A

F

B

F

C

, i.e.,

F

net

is the vector sum of

F F

A

,

B

, and

F

.

the net force F , A B C net F net  F A  F
6
6

C

Força O conceito de força foi definido como o fato de puxar ou empurrar um

Força

O conceito de força foi definido como o fato de puxar ou empurrar um objeto. Nós podemos definir a força exercida em um

objeto quantativamente pela medida da

aceleração que esses movimentos causam. Nós colocamos um objeto de massa m = 1 kg em uma superfície sem atrito e medimos a aceletação a que resulta da aplicação da força F. A força é ajustada para a = 1 m/s 2 . Então, temos que F = 1 newton (símbolo: N).

Note: If several forces act on a body

(say

(símbolo: N). Note: If several forces act on a body (say F A , F B

F

A

,

F

B

, and

F

) the net force

F

C net
C
net

F

n

et

F

A

F

B

F

C

,

is defined as

i.e.,

net force F C net F n et  F A  F B  F

F is the vector sum of

net force F C net F n et  F A  F B  F

F

A

,

F

B

, an d

F

C

.

7
7

F

m 0 a 0 F m X a X
m
0
a 0
F
m
X
a X

Massa

Massa é uma caracterísitca intrínseca do corpo.

Mas o que é exatamente? Então volta que a

massa do corpo relaciona a força aplicada F no corpo resultando aceleração a.

Considerando um corpo de massa m 0 = 1 kg em que aplicamos uma força F = 1 N. De acordo com a definição de Newton, F causa uma

aceleração a 0 = 1 m/s 2 . Aplicamos F no segundo corpo de massa deconhecida m X , que resulta em uma aceleração a X . A razão da aceleração é inversamente proporcional a razão das massas:

m

X

m

0

a

0

a

X

m

X

m

0

a

0

a

X

Assim pela medida de a X somos capazes de determinar a masa m X de qualquer objeto.

8
8

Segunda Lei de Newton

O resultado da discussão da relação entre a força total aplicada em

um objeto de massa m e a acelereção resultante a pode ser resumida pela Segunda lei de Newton.

m

F net

ser resumida pela “ Segunda lei de Newton. ” m F net a A força total

a

A força total em um corpo é igual ao produto

da massa com a aceleração.

A segunda lei de Newton em forma de equação:

F net  ma

F

net

ma

A equação acima é uma forma compacta de resumir três equações

independentes, um para cada eixo de coordenadas:

F net, x

ma

x

F net, y

ma

y

F net, z

ma

z

9
9

Exemplo 01

Na figura abaixo, uma ou duas forças agem sobre um disco metálico que se move sobre o gelo sem atrito ao longo do eixo x, em u movimento unidimensional. A massa do disco é m = 0,20 kg. As forças F 1 e F 2 atuam ao longo do eixo x e tem módulos F 1 = 4 N e F 2 = 2 N. A força F 3 faz um ângulo de 30 o com o eixo x tem módulo F 3 = 1 N. Qual é a aceleração do disco em cada situação?

10
10

Exemplo 02

Na vista superior da figura abaixo, uma lata de biscoitos de 2 Kg e acelerada a 3 m/s 2 na orientação definida por a, em uma superfície horizontal sem atrito. A aceleração é causada por três forças horizontais, das quais apenas duas são mostradas: F 1 , de modulo 10 N, e F 2 , de modulo 20 N. Qual é a terceira força, F 3 , em termos de vetores unitários e na notação módulo-ângulo?

, de modulo 20 N. Qual é a terceira força, F 3 , em termos de
11
11

Exemplo 03

A figura a mostra um arranjo no qual duas forças são aplicadas a um bloco de 4 kg em um piso sem atrito, mas apenas a força F 1 está indicada. Essa força tem módulo fixo mas o ângulo θ entre ela e o semi-eixo x positivo pode variar. A força F 2 é horizontal e seu módulo é constante. A figura b mostra a aceleração horizontal a x do bloco em função do intervalo 0 o θ 90º. Qual é o valor de a x para θ = 180º?

a x do bloco em função do intervalo 0 o ≤ θ ≤ 90º. Qual é
12
12

Força Gravitacional

F y g
F
y
g

Essa é a força que a Terra exerce em qualquer objeto. É voltada para o centro da Terra. Sua magnitude é dada pela segunda lei de Newton.

ˆ
ˆ

F ma mg j

g



F mg

g

13
13
g W y mg
g
W y
mg

Peso

O peso de um corpo é definido como a

magnitude da força requerida para previnir o

corpo de queda livre.

F

net, y

0

ma W mg   W mg

y

Note: O peso de um objeto não é a massa. Se o objeto levado para um local onde a aceleração da gravidade é diferente (ex: a lua, onde g l = 1.7 m/s 2 ), a massa não muda mas o peso sim.

14
14

Forças de contato

Força de contato, como o nome diz, essas forças agem emtre dois objetos em contato.

As forças de contato tem duas componentes: uma que

age ao longo da normal da superfície de contato (força

normal) e a segunda age paralela a superfície de contato. (força de atrito).

15
15

Força Normal

Quando um corpo é pressiondao contra uma superfície, a superfície deforma e empurra o corpo

com uma força normal perpendicular a superfície de

contato. Exemplo é mostrado na figura abaixo. Um bloco de massa m sobre a mesa.

F

net, y

0

ma F mg   F mg

y

N

N

Note: Neste caso, F N = mg. Nem sempre é assim.

16
16

Atrito

Se escorregarmos ou tentarmos escorregar um objeto em uma superfície, o movimento tem uma resistência pela ligação do objeto com a superfície. Essa força é conhecida como atrito.

17
17
Exemplo 01: Na figura um passageiro de massa m = 72,2 kg está de´pé em

Exemplo 01: Na figura um passageiro de massa m = 72,2 kg está de´pé em uma balança no interior de um elevador. Estamos interessados na leitura da balança quando o elevador está parado e quando está se movendo para cima e para baixo. a) Escreva uma equação para leitura da balança em função da aceleração vertical do elevador. b) Qual é a leitura se o elevador está parado ou está se movendo para cima com uma velocidade constante de 0.5 m/s? c) Qual a leitura da balança se o elevador sofre uma aceleração para cima de 3,2 m/s 2 ? Qual a leitura se o elevador sofre uma aceleração para baixo de 3,2 m/s 2 ?

18
18

Tensão

Essa é a força excercida por um corda ou por um campo ligado

a um objeto. A tensão tem três caractrísticas:

É sempre dirigida ao longo da corda;

É sempre puxando o objeto;

Ela tem o mesmo valor ao longo da corda.

É sempre dirigida ao longo da corda;  É sempre puxando o objeto;  Ela tem
19
19

Tensão

As seguintes suposições são feitas:

A corda tem massa desprezível em comparação com a massa do objeto que ele puxa. A corda não estica.

Se a polia é usada como na fig. (b) e (c), assumimos

que a polia é sem massa e sem atrito.

20
20

Exemplo 04

A figura mostra um bloco S de

massa M = 3,3 kg. O bloco está livre

para se mover ao longo de uma

superfície horizontal sem atrito e está ligado por uma corda que passa por uma polia sem atrito, há

um segundo bloco H, de massa m =

2,1 kg. As masas da corda e da polia

podem ser desprezadas em comparação com a massa dos

blocos. Enquanto o bloco pendente

H desce, o bloco deslizante S acelera para a direita. Determine (a) a aceleração do bloco S, (b) a

aceleração do bloco H e (c) a tensão

na corda.

21
21

Terceira Lei de Newton

Quando dois corpos interagem, exercendo forças uns sobre os outros, as forças são iguais em magnitude e opostas em direção.

F

BC



F

CB

Ação e reação

22
22
Receita para aplicação das leis de Newton
Receita para
aplicação das leis de
Newton

1) Escolha o sistema a ser

estudado. 2) Faça um esboço simples

do sistema.

3) Escolha um sistema conveniente de

coordenadas.

4) Identificar todas as forças que atuam sobre

o sistema. Etiquetá-las

no diagrama. 5) Aplicar as leis do movimento de Newton para o sistema.

23
23

Próxima aula

PROVA

24
24