Sacerdócio Universal

de Todos os Crentes
Do Antigo Testamento aos tempos do Metodismo
Por
Bispo Ildo Mello

No Antigo Testamento

Os Sacerdotes atuavam
como mediadores entre
Deus e os homens.
Uma vez ao ano o sumosacerdote entrava no
Santo dos Santos para
sacrificar a favor do
perdão do povo.

No Novo Testamento

Através da Cruz, o véu do
templo se rasgou!
Jesus tornou-se nosso Supremo
Sumo-sacerdote oferecendo um
sacrifício perfeito e definitivo
(Hb 7:23–28).
Agora, somente Cristo é
mediador entre Deus e os
homens (1 Tm 2:5).

No Novo Testamento

Através de Cristo, todos
temos acesso a Deus!
Todos recebemos a missão de
pregar o Evangelho.

Algumas distinções permanecem

Dizer que todos os cristãos são sacerdotes não é o
mesmo que dizer que todos são pastores ou bispos.
Episkopos significa supervisor.
Paulo e Barnabé designavam pastores em todas as
igrejas (At 14:23).
Eles recebiam salários (1 Tm 5:17).
Paulo descrevia as características específicas que os
pastores deveriam possuir (Tt 1:6)

Na Igreja Primitiva

Devido a perseguição, a
expansão do cristianismo
deveu-se principalmente
ao testemunho de pessoas
comuns nas atividades do
cotidiano.
Os cultos aconteciam em
pequenos grupos caseiros
para não chamar a
atenção.

No Catolicismo

Com o passar do tempo, o clericalismo
foi ocupando mais e mais espaço.

Na Reforma Protestante

Lutero ergueu a
bandeira do sacerdócio
universal de todos os
crentes.
Mas na prática, o
clericalismo continuou
inalterado.

No Metodismo

Uma mudança significativa

A princípio, Wesley era contra

Mas devido ao rápido
crescimento do metodismo,
Wesley precisou de mais e mais
assistentes.

O primeiro pregador leigo
Quando Wesley soube que MaxfieId, seu
primeiro assistente, estava pregando, ele
quis repreendê-lo, mas sua mãe o advertiu:
“John, olha o que você vai fazer a respeito
daquele jovem rapaz, pois ele foi chamado
para pregar tanto quanto você. Examine os
frutos da sua pregação pessoalmente.”
Quando Wesley escutou-o pregando, ele
pode apenas dizer: “É de Deus!"

Quanto mais os opositores zombavam da falta
de cultura dos pregadores metodistas, mais
surpreendente se mostravam os resultados:

Milhares de vidas transformadas

Bêbados feitos sóbrios.

Ladrões regenerados

Prostitutas transformadas em mulheres decentes.

Wesley exigia que os líderes leigos
fossem estudiosos

Wesley trabalhava diligentemente para educá-los.

Carta que Wesley escreveu a um de
seus pregadores leigos:
“Sua habilidade de pregar
não tem melhorado;
permanece a mesma de sete
anos atrás; ela é viva, mas
superficial… Apenas a
leitura pode reparar este
mal. Você nunca se tornará
um pregador profundo sem
o devido estudo."

Classes ou pequenos grupos
que costumavam ser liderados por leigos
Wesley costumava dizer: “Pregue em toda parte e organize
tantos grupos pequenos quanto possível. Mas não ousem
pregar sem organizar novas classes de discipulado"
Whitefield pregava melhor que Wesley.
No entanto, quando morreu, ele não deixou grupos de
discipulado para preservar e multiplicar os frutos de seu
ministério.
Agora, 60 anos após a morte de Wesley, ⅓ da população
americana era metodista!

Uma igreja pastocêntrica acaba
deixando de ser cristocêntrica

Deus promoveu a democratização do ministério
ao conceder dons espirituais a todos os crentes.
Todos os crentes possuem algum ministério na
Igreja.
Uma das principais funções do pastor e
capacitar os crentes para o exercícios de seus
respectivos ministérios. (Ephesians 4).

O propósito de Deus é ter um Reino onde todos
são sacerdotes
Pedro disse a todos os crentes: “Vocês são
sacerdócio real" (1 Pe 2:9)
O propósito de Cristo não foi fazer crentes, mas
pescadores de homens!
Todos receberam o chamado de pregar e fazer
discípulos.

A Igreja está presente na sociedade através de cada
membro.
Os leigos podem pregar com mais eficácia em seu
contexto familiar, de amizade, trabalho e estudo que
os pastores que não pertencem aquele contexto.
Cada cristão deve ser capaz de fazer discípulos que
serão também discipuladores.
Qual seria o resultado se os líderes leigos recebem o
mesmo treinamento dado a formação de pastores?

Minha atuação como leigo
Liderei um grupo de
evangelismo na escola
Evangelizei amigos do bairro e
do trabalho
Preguei e ensinei nas casas e na
igreja.
Liderei a plantação de um igreja
3 anos antes de ser ordenado.

Como líder leigo

Sou grato a Metodista Livre pelas
oportunidades de servir e pregar como leigo

Mas sofri perseguição por líderes que viram
em mim alguma espécie de ameaça aos seus
postos.

Pastores e líderes devem tomar cuidado para
não servirem de pedra de tropeço para o
surgimento de novos pastores e líderes.

João Batista

Não é fácil chegar ao
ponto de dizer como
João Batista:
“Importa que você
cresça e eu
diminua" (Jo 3:30)!

Fomos chamados para promovermos o
crescimento dos outros! Disto depende o
avanço da Igreja.
Não devemos nos se sentir ameaçados
diante de líderes potencialmente mais
talentosos e capazes.

Barnabé

Que tragédia para a igreja
se Barnabé tivesse sentido
inveja de Paulo!
Graças a Deus ele devotouse a treinar aquele novo
convertido que viria a
tornar-se o maior dos
apóstolos!

Barnabé

Após cumprir sua
missão com Paulo,
ele foi fazer o mesmo
em favor de João
Macos!
Que grande
exemplo!

Bons pais desejam que seus filhos tornem-se
melhores que eles!
Queiramos que a Igreja cresça ainda mais
após nossa partida.
Para o bem da Igreja devemos investir na
formação de futuros líderes.

Barnabé nunca perdeu seu lugar!
Nosso lugar é fazer discípulos, o
melhor que pudermos!
Façamos isto com paixão e
dedicação!

Vídeo desta Palestra no link abaixo:

https://youtu.be/ggFR4z3KkAI

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful