Você está na página 1de 9
AVALIAÇÃO DOS DADOS OBTIDOS NAS SETORIZAÇÕES DE RISCO REALIZADAS NO ESPÍRITO SANTO Deslizamentos e Corrida
AVALIAÇÃO DOS DADOS OBTIDOS NAS SETORIZAÇÕES DE RISCO REALIZADAS NO ESPÍRITO SANTO Deslizamentos e Corrida

AVALIAÇÃO DOS DADOS OBTIDOS NAS SETORIZAÇÕES DE RISCO REALIZADAS NO ESPÍRITO SANTO

NAS SETORIZAÇÕES DE RISCO REALIZADAS NO ESPÍRITO SANTO Deslizamentos e Corrida de Detritos – Baixo Guandu,ES

Deslizamentos e Corrida de Detritos – Baixo Guandu,ES – Dezembro de 2013.

Lazaretti, Andrea Fregolente – andrea.lazaretti@cprm.gov.br;

Pinho, Deyna – deyna.pinho@cprm.gov.br;

Silveira, Maria Cecília Medeiros – maria.silveira@cprm.gov.br;

Antonelli, Tiago – tiago.antonelli@cprm.gov.br;

dos-Santos, Luiz Fernando – luiz.santos@cprm.gov.br;

Antonelli, Tiago – tiago.antonelli@cprm.gov.br; dos-Santos, Luiz Fernando – luiz.santos@cprm.gov.br ;
INTRODUÇÃO Desde novembro de 2011 o Serviço Geológico do Brasil – CPRM vem atuando no

INTRODUÇÃO

Desde novembro de 2011 o Serviço Geológico do Brasil – CPRM vem atuando no Estado do Espírito Santo, realizando mapeamento de riscos geológicos considerando os graus Alto a Muito Alto para processos de movimentos de massa, inundações e enchentes, em metodologia própria (Sampaio et al. 2013), adaptada de Carvalho, C.S; Macedo, E.S.; Ogura, A.T; 2007 . Até janeiro de 2015, o SGB/CPRM mapeou em todo o Brasil 860 municípios. O Espírito Santo conta com 59 destes municípios, cobrindo 76% do estado.

Já atingimos 1.050!
Já atingimos 1.050!

Municípios setorizados pela CPRM entre 2011 e abril de 2015 em todo o território nacional.

estado. Já atingimos 1.050! Municípios setorizados pela CPRM entre 2011 e abril de 2015 em todo
RELAÇÃO ENTRE GEOLOGIA E PROCESSOS Nos gnaisses-migmatitos , em geral rochas muito descontínuas e de

RELAÇÃO ENTRE GEOLOGIA E PROCESSOS

Nos gnaisses-migmatitos, em geral rochas muito descontínuas e de grande anisotropia mecânica, ocorre mais facilmente o desplacamento das rochas em grandes blocos ou lascas bem como queda destes, na presença de solos, mesmo pouco espessos, são locais mais favoráveis a ocorrência de deslizamentos e corridas. Já nas regiões de granitoides, também há a ocorrência de blocos e solo com grande potencial natural erosivo e, nas áreas de coberturas mesozoicas e cenozoicas representada pelas formações sedimentares, por vezes bastante friáveis, com avançada ação de intemperismo físico e químico.

A B
A
B

Exemplo da Formação Barreiras em corte de estrada, com alto grau de intemperismo (A) e dos granitoides sustentando os relevos mais altos, com feições de escorregamentos (B), na região de Aracruz – ES (Fonte: Tiago Antonelli / CPRM, 2014).

mais altos, com feições de escorregamentos (B) , na região de Aracruz – ES (Fonte: Tiago
MUNICÍPIOS SETORIZADOS Estes 59 municípios, representam cerca de 9,16% da população brasileira em áreas de

MUNICÍPIOS SETORIZADOS

MUNICÍPIOS SETORIZADOS Estes 59 municípios, representam cerca de 9,16% da população brasileira em áreas de

Estes 59 municípios, representam cerca de 9,16% da população brasileira em áreas de risco (310.350 mil pessoas), em 65.906 moradias (8,16% do total nacional), para um total de 757 setores de risco Alto e Muito Alto.

mil pessoas), em 65.906 moradias (8,16% do total nacional), para um total de 757 setores de
ESTATÍSTICAS DOS PROCESSOS Processos Alto % Alto Muito % Total   Alto Muito   Alto

ESTATÍSTICAS DOS PROCESSOS

Processos

Alto

% Alto

Muito

%

Total

 

Alto

Muito

 

Alto

Inundação

91

75

31

25

122

Queda e rolamento de blocos

50

43

67

57

117

Erosão

30

51

29

49

59

Deslizamentos em taludes

80

53

70

48

150

Deslizamentos

55

19

224

82

279

planares

Deslizamentos

0

0

5

100

5

rotacionais

Rastejo

3

20

12

80

15

Ravinamentos

2

40

3

60

5

Sulcos

0

0

1

100

1

Solapamento de margens

3

75

1

25

4

A predominância no estado é por processos do tipo deslizamentos (434 setores em todos os municípios), seguido pela inundação (122 setores em 49 municípios), pela Queda/Rolamento de Blocos (117 setores em 19 municípios) e, pela Erosão (59 setores em 8 municípios)

pela Queda/Rolamento de Blocos (117 setores em 19 municípios) e, pela Erosão (59 setores em 8
ESTATÍSTICAS DOS PROCESSOS

ESTATÍSTICAS DOS PROCESSOS

ESTATÍSTICAS DOS PROCESSOS
ESTATÍSTICAS DOS PROCESSOS
ESTATÍSTICAS DOS PROCESSOS
ESTATÍSTICAS DOS PROCESSOS

ESTATÍSTICAS DOS PROCESSOS

ESTATÍSTICAS DOS PROCESSOS
ESTATÍSTICAS DOS PROCESSOS
CONCLUSÕES Comparando-se todos os dados quantitativos das ocorrências geológicas aqui expostas, com a geologia do

CONCLUSÕES

Comparando-se todos os dados quantitativos das ocorrências geológicas aqui expostas, com a geologia do estado do Espírito Santo pode-se notar que a tipologia dos processos de movimento de massa está intrinsicamente ligado à formação geológica do local e, por consequência, com o tipo de solo presente. A alta suscetibilidade natural a movimentos gravitacionais de massa somada a ocorrência de chuvas intensas e ocupações sem o devido planejamento, configuram-se no cenário atual de áreas de risco geológico de graus Alto e/ou Muito. Diante disto, podemos concluir que a ação antrópica, tanto por construções irregulares edificadas sem os devidos cuidados geotécnicos, quanto pelo rápido avanço do desmatamento, é um fator que aumenta e potencializa a probabilidade de deflagração desses e consequentemente principal fator agravante de risco geológico. Sendo assim, é de extrema importância à divulgação destes dados para os gestores em todas as escalas, bem como estudos detalhados de mapeamento (cartas geotécnicas, de aptidão e outras) em escalas adequadas ao planejamento urbano para o correto dimensionamento das intervenções estruturais onde necessário, e auxílio nos planos de expansão dos municípios, evitando-se novos desastres e para que a Defesa Civil execute seu trabalho de monitoramento e prevenção, como parte das .

novos desastres e para que a Defesa Civil execute seu trabalho de monitoramento e prevenção, como
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALMEIDA, F.F.M. 1977 O Cráton do São Francisco . Rev. Bras. de Geociências.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALMEIDA, F.F.M. 1977 O Cráton do São Francisco. Rev. Bras. de Geociências. 7: 349– 364, p.

CARVALHO, C.S; MACEDO, E.S.; OGURA, A.T; 2007. Mapeamento de Riscos em Encostas e Margem de Rios. Brasília: Ministério das Cidades; Instituto de Pesquisas –

BERTONE, P. & MARINHO , C. 2013. “Gest ão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais: a visão do planejamento.” In: Congr. do Cons. Nac. de Secret. de Estado da Adm. – CONSAD de Gestão Pública, VI, Brasília, DF.

CPRM 2012. Geologia e Recursos Minerais da Folha Nova Venécia *SE-24-Y-B-IV escala 1:100.000, Ministério de Minas e Energia, Brasília.

CPRM 2013. Atlas de Rochas Ornamentais do Estado do Espírito Santo, Projeto Geologia e Recursos Minerais de Estado do Espírito Santo, Ministério de Minas e Energia, Brasília.

PEDROSA-SOARES A.C., NOCE C.M., WIEDEMANN C., PINTO C.P. 2001 The Araçuaí- WestCongo Orogen in Brazil: An overview of a confined orogen formed during Gondwanaland Assembly. Precambrian Research, 110 (1-4): 307-323 p.

PEDROSA - SOARES, A. C., NOCE, C. M., ALKMIM, F. F., SILVA, L. C., BABI NSKI, M., CORDANI, U., CASTAÑEDA, C 2007. Orógeno Araçuaí: Síntese do Conhecimento 30 anos após Almeida 1977. Geonomos 15(1): 1 - 16 p.

PEDROSA - SOARES A.C., ALKMIM F. F., TACK L., NOCE C.M., BABINSKI M., SILVA L.C., MARTINS-NETO M.A. 2008 Similarities and diferences between the Brazilian and African counterparts of Neoproterozoic Araçuaí-West Congo orogen. In: Pankhrust R., Trouw R., Brito-Neves B B., Wit M. de. 2007 . The Gondwana Peleocontinent in the South Atlantic Region . Special Publication; Geological Society of London, 294 p.

NOCE, C.M.; PEDROSA-SOARES, A.C.; DA SILVA, L.C.; ALKMIM, F.F 2007. O embasamento arqueano e paleoproterozóico do Orógeno Araçuaí. Geonomos, v.15, No. 1, p. 17-23.

SAMPAIO, T. Q., PIME NTEL, J., SILVA, C. R., MOREIRA, H. F. 2013. “A Atuação do Serviço Geológico do Brasil – CPRM na Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais.” In: Congr. do Conselho Nac. de Secretários de Estado da Adm. – CONSAD de Gestão Púb., VI, Brasília, DF.

Tecnológicas

IPT.

do Conselho Nac. de Secretários de Estado da Adm. – CONSAD de Gestão Púb., VI, Brasília,