Você está na página 1de 14
Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES Exercício n o

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

Exercício n o 2

Para uma economia fechada sem governo são disponíveis as seguintes informações, referentes

a determinado ano, em unidades Monetárias:

Informações disponíveis

Valores

Valor bruto da produção da agropecuária Salários pagos aos trabalhos na agricultura Vendas de serviços de transportes e outros à agropecuária Vendas de matérias-primas agrícolas à indústria Valor bruto da produção da indústria Valor bruto da produção de serviços Vendas de sementes a agropecuária Vendas de fertilizantes à agropecuária Salários pagos aos industriários Vendas de insumos industriais à indústria Salários pagos aos empregados no setor de serviços Vendas de serviços de transporte, energia e outros ao setor de serviços Vendas de serviços de transporte e outros à indústria Vendas de produtos agropecuários ao setor de serviços Vendas de produtos industriais ao setor de serviços

400

28

35

60

550

620

30

40

32

60

15

30

45

110

85

Utilizando apenas as informações necessárias, calcule o produto bruto por setor de

produção e para o conjunto da economia.

Solução:

Entre as informações disponíveis, só deverão ser utilizadas aquelas que são insumos ou

valor bruto da produção setorial. Deste modo, não deverão ser levados em consideração os

salários pagos, uma vez que são, na verdade, uma parcela da renda e não há outros dados

disponíveis para mensurar o agregado do produto sob esta óptica.

Assim, o produto será obtido a partir do valor bruto na produção, deduzidos os insumos

utilizados no processo produtivo, setor por setor. São, a propósito, conhecidos o valor bruto

da produção agropecuária (400), e os insumos que esse utilizou no processamento de sua

produção, provenientes do próprio setor (30), da indústria (40) e do setor de serviços (35). São

também dados o valor bruto da produção da indústria (550) e do setor de serviços (45). Por

fim, são também dados os valores brutos da produção do setor de serviços (620), do qual se

deduzem os produtos que este setor absorveu da agropecuária (110), da indústria (85) e dele

próprio (30).

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES Assim, em

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

Assim, em resumo, a nível setorial, temos:

Produto bruto setorial

Valores

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO DA AGROPECUÁRIA Menos bens e serviços intermediários

400

Do próprio setor

30

Da indústria

40

Do setor de serviços

35

Igual a PRODUTO BRUTO DA AGROPECUÁRIA VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO DA INDÚSTRIA Menos bens e serviços intermediários

295

550

Da agropecuária

60

Do próprio setor

60

Do setor de serviços

45

Igual a PRODUTO BRUTO DA INDÚSTRIA VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO DE SERVIÇOS Menos bens e serviços intermediários

385

620

Da agropecuária

110

Da indústria

85

Do próprio setor

30

PRODUTO BRUTO DO SETOR DE SERVIÇOS

395

Para a economia como um todo, o produto será dado pela soma de produtos calculados

setorialmente. Assim, temos:

Produto bruto da economia = 295 + 385 + 395 = 1.075

Exercício n o 3

Considere uma economia fechada sem governo, constituída, por apenas três empresas,

sendo que a empresa A vende todo seu produto para a empresa B. e esta vende todo seu

produto para a empresa C. O valor dos salários pagos por A é a metade dos pagos por B e um

terço dos pagos por C. Nesta economia, o valor adicionado distribui-se apenas entre lucros e

salários. O produto em determinado ano é igual a 180 unidades monetárias. Sabe-se ainda que

o valor adicionado é igual nas três empresas e que o total de lucros é igual ao dobro dos totais

de salários.

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES Solução: A

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

Solução:

A complexidade deste exercício é apenas aparente. Na realidade ele é bastante simples.

Primeiramente, é bastante fácil a obtenção do valor adicionado (conceitualmente igual ao

produto) de cada empresa, pois se o produto da economia é igual a 180 unidades monetárias e

se é dado que o valor adicionado é igual nas três empresas sabemos que tanto em A, quanto

em B e C, o valor adicionado é igual a 60.

Sabemos, também, que o valor adicionado nessa economia hipotética é constituído apenas

por salários e lucros e que estes últimos totalizam o dobro dos primeiros. Logo, se o valor

adicionado para a economia como um todo é igual a 180, os lucros totais gerados pelas três

empresas são, respectivamente, iguais a 120 e a 60.

Por solução algébrica, obtemos os salários pagos por A, B e C. De acordo com as hipóteses

assumidas, os salários pagos por A totalizam 10 unidades monetárias; os pagos por B,

totalizam 20 (o dobro de A); os pagos por C, totalizam 30 (três vezes o de A).

Finalmente, como já conhecemos os salários pagos por A, B e C e, sabendo que os valores

agregados por essas empresas distribuem-se apenas entre salários e lucros, os lucros pagos

serão iguais à diferença entre o total dos valores agregados e dos salários. Temos, assim, em

conclusão:

Valor Adicionado

Empresas

Total

Salários

Lucros

A

B

C

60

60

60

10

20

30

50

40

30

Exercício n o 4

Suponha os seguintes valores, expressos em unidades monetárias, referentes a uma

economia fechada sem governo em anos consecutivos:

Agregados

Ano 1

Ano 2

Novos prédios construídos Novos equipamentos produzidos Bens e serviços produzidos para o consumo Bens e serviços efetivamente consumidos

5

5

10

10

110

90

90

110

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES Depreciação

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

Depreciação estimada dos prédios Depreciação estimada dos equipamentos Estoques no início do ano Estoques no final do ano

10

10

10

10

30

50

50

30

Determine, para cada um dos dois anos, os seguintes agregados macroeconômicos:

a) Produto Nacional Bruto;

b) Produto Nacional Líquido.

Solução:

Conceitualmente, o Produto Nacional Bruto, para uma economia fechada sem governo, é

igual ao consumo acrescido do investimento bruto. Logo, o primeiro passo consiste em

calcular o conjunto agregado, entendido como a soma dos bens e serviços efetivamente

consumidos, e o investimento bruto, que é igual à formação bruta de capital fixo mais a

variação monetária.

Para o ano 1, o consumo efetivo de bens e serviços, diretamente dado na tabela inicial, é

igual a 90. Já o investimento bruto resulta da soma da formação bruta de capital fixo (novos

prédios construídos mais novos equipamentos produzidos, no total de 15) com a variação de

estoques, dada pela diferença entre os estoques no final e no início do ano, no caso igual a 20.

Somando esses agregados, obtemos então o PNB para o ano 1, cujo valor é de 125. Quanto ao

Produto Nacional Líquido, corresponde à soma do consumo efetivo com o investimento

líquido, entendendo-se este ultimo como a diferença entre o investimento bruto e a

depreciação de ativos fixos durante o ano. Tendo sido a depreciação total (dos prédios e dos

equipamentos) estimada em 20, o PNL para o ano 1 é igual a 105.

Para o ano 2, aplicam-se os mesmos critérios, notando-se apenas que tanto o investimento

bruto como o líquido apresentam valores negativos, em decorrência da variação de estoques

haver sido negativa, em montante superior ao dos investimentos efetivos.

Assim, em resumo, são os seguintes os valores para os agregados solicitados:

Agregados

Ano 1

Ano 2

Produto Nacional Bruto - PNB

125

 

105

a) Consumo

90

110

b) Investimento Bruto

35

-

5

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES ∑ Formação

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

Formação bruta de capital fixo

 

15

 

15

Variação de estoques

20

-

20

Produto Nacional Líquido - PNL

105

85

a) Consumo

90

110

b) Investimento bruto Menos

35

-

5

c) Depreciação de capital fixo

-

20

-

20

Cabe observar que o agregado bens de consumo produzidos aparentemente não foi

utilizado nos cálculos. Todavia, aquela informação mostra como surge o estoque de bens de

consumo no final do ano. Segundo as hipóteses do exercício, este estoque se modifica, em

decorrência da diferença entre o valor dos bens de consumo produzidos e os dos efetivamente

consumidos.

Exercício n o 5

Suponha uma economia fechada sem governo, que apresenta as seguintes informações para

determinado ano, em valores monetários, quanto às transações inter e intra-setoriais e quanto

ao valor bruto de produção:

   

Transações intermediárias

   

Destino

       

Valor Bruto

Setor

Setor

Setor

Total

da Produção

Origem

primário

secundário

terciário

Setor Primário

200

350

40

590

1.350

Setor Secundário

300

250

100

650

1.800

Setor Terciário

250

180

50

380

690

Total

650

780

190

1.620

3.840

Suponha ainda que se conhecem, por setor de produção, os lucros, os juros e aluguéis e as

reservas para depreciação, que atingiram, no mesmo ano considerado, os seguintes valores:

Setores de

Lucros

Juros e aluguéis

Reservas para

produção

depreciação

Primário

150

130

20

Secundário

180

90

50

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES Terciário

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

Terciário

100

95

5

Total

430

315

75

Calcule os seguintes agregados para a economia como um todo, indicando-os também

setorialmente:

a) Produto Nacional Bruto

b) Produto Nacional Líquido

c) Salários

Solução:

Deve ser inicialmente observado que as transações inter e intra-setoriais, necessárias para o

cálculo do produto bruto, partindo-se do valor bruto da produção, estão apresentadas sob

forma matricial. Esta forma de apresentação em nada dificulta a solução do exercício,

bastando que se interprete a matriz corretamente. A matriz dada nada mais é do que uma

forma alternativa de se registrarem os fluxos de transações que ocorreram dentro do aparelho

de produção da economia. As linhas indicam os destinos das produções realizadas pelos

diferentes setores de produção; assim, por exemplo, o setor primário destinou 200 unidades

monetárias de produção para o atendimento de suas próprias necessidades produtivas, além de

350 e de 40, respectivamente para os setores secundário e terciário, sob a forma de insumos

de utilização intermediária. Ainda explicando a matriz, cabe observar o significado das

colunas; estas, indicam a origem dos insumos utilizados por cada setor para o processamento

das suas produções; assim, por exemplo, o setor primário utilizou 200 dele próprio, 300

procedentes do setor secundário e 150 do terciário.

Feitas estas observações, torna-se simples o cálculo do primeiro agregado solicitado, o

Produto Nacional Bruto, PNB. Sendo o produto bruto dado pela diferença entre o valor bruto

da produção e dos fluxos de transações intermediárias, temos, setor por setor:

Setores de

Valor bruto da

Transações intra e

Produto bruto

produção

produção

inter-setoriais

Primário

1.350

650

700

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES Secundário

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

Secundário

1.800

780

1.020

Terciário

690

190

500

Como o PNB é conceitualmente igual à soma dos produto bruto calculado dos diferentes

setores de produção da economia nacional, temos:

Produto Nacional Bruto = 700 + 1.020 + 500 = 2.220

Conceitualmente, o Produto Nacional Líquido, PNL, é igual ao PNB deduzido do da

depreciação do capital fixo. Assim, para cada setor de atividade, o produto líquido é o

seguinte:

Setores de

     

produção

Produto bruto

Depreciações

Produto líquido

Primário

700

20

680

Secundário

1.020

50

970

Terciário

500

5

495

Somando os produtos líquidos de cada setor, obtemos o PNL. Temos, assim:

Setores de

Produto líquido

Totais dos lucros,

Salários

produção

juros e aluguéis

Primário

680

280

400

Secundário

970

270

700

Terciário

495

195

300

Total

2.145

745

1.400

Exercício n o 6

Para uma economia fechada sem governo, constituída apenas por unidades familiares e

empresas, considere as seguintes transações:

 

Transações

Valores

Remuneração dos fatores Salários Aluguéis Juros Lucros Distribuídos Não Distribuídos

 

2.400

150

105

225

75

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES Reservas para

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

Reservas para depreciação Consumo das unidades familiares Poupança das unidades familiares Formação bruta de capital fixo Variação de estoques

45

2.580

300

390

30

Contabilize essas transações a débito e a crédito das empresas, das unidades familiares

e da conta de acumulação.

Solução

A solução deste exercício implica conhecimentos sobre os critérios de contabilização,

em partidas dobradas, adotadas pelos sistemas convencionais de Contabilidade Social.

Recordando esses critérios, sabendo que as remunerações de fatores são contabilizadas a

débito das empresas; trata-se de pagamentos que as empresas fazem pela utilização de fatores

de produção cuja propriedade é das unidades familiares, devendo, portanto, em contrapartida,

ser lançadas a crédito destes últimos agentes. A única exceção são os lucros não distribuídos,

embora estes também sejam debitados às empresas, a contrapartida do crédito é lançada na

conta de acumulação, pois eles se constituem em recursos para a formação de capital. As

reservas para depreciação, também entendidas como recursos para a formação de capital, são

lançadas a débitos das empresas e a crédito da conta de acumulação.

Os fluxos de dispêndio da economia, aqui representados pelo consumo das unidades

familiares, pela formação bruta de capital fixo e pela variação de estoques são lançados a

crédito das empresas; trata-se, efetivamente de pagamentos dos agentes que consumiram ou

que acumulam às empresas fornecedoras dos bens e serviços destinados a estas duas

categorias de dispêndios. A contrapartida do débito é feita em duas contas. O consumo é

lançado a debito das unidades familiares, enquanto os dois outros dispêndios, que constituem

o investimento bruto da economia, são lançados a débito da conta de acumulação.

Resta apenas a poupança das unidades familiares. Tratando-se de um fluxo de recursos

para o financiamento do processo de acumulação, dá entrada nessa conta, sendo nela lançada

a crédito. Os agentes de onde se originam essa poupança, as unidades familiares, recebem a

contrapartida do debito.

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES Assim, em

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

Assim, em resumo, por esses critérios usuais de contabilização, temos:

   

Unidades

 

Transações

Empresas

familiares

Acumulação

D

C

D

C

D

C

Salários

2.400

   

2.400

   

Aluguéis

150

   

150

   

Juros

105

   

105

   

Lucros distribuídos

225

   

225

   

Lucros não distribuídos

75

       

75

Reservas para depreciação

45

       

45

Consumo das und. Familiares

 

2.580

2.580

     

Poupança das und. Familiares

   

300

   

300

Formação bruta de capital fixo

 

390

   

390

 

Variação de estoques

 

30

   

30

 

Totais

3.000

3.000

2.880

2.880

420

420

Cabe observar que os resultados obtidos constituem uma confirmação de que os

lançamentos contábeis foram corretos. Em cada conta, as somas dos lançamentos a débito e a

crédito resultaram iguais. Estas igualdades são, também, uma demonstração da coerência do

Sistema de Contas adotado.

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES Exercício n o

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

Exercício n o 7

Para uma economia fechada sem governo, considere as seguintes transações, ocorridas

em determinado ano, expressas em unidades monetárias:

Transações

Valores

Valor agregado líquido pelos setores Primário Secundário Terciário Remuneração dos fatores Salários Aluguéis Juros Lucros distribuídos Lucros não distribuídos Depreciação capital Consumo das unidades familiares Poupança das unidades familiares Formação bruta de capital fixo Variação de estoques

30

70

50

100

20

5

10

15

5

120

15

25

10

Transporte essas transações para um sistema padrão de Contas Nacionais, constituído

pelas Contas de Produção, de Apropriação e Consolidada de Capital.

Solução

Conta de Produção. Esta conta revela o total da oferta e o total da procura de bens e

serviços finais. O total da oferta é dado pelo valor líquido agregado pelos setores primários,

secundários e terciários mais a depreciação do capital; a inclusão da depreciação é aqui

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES justificada

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

justificada para que se obtenha o valor bruto da oferta agregada. Quanto à procura, é

determinada pelas transações que constituem o fluxo de dispêndio da economia, ou seja, o

consumo das unidades familiares, a formação bruta de capital fixo (investimentos brutos) e a

variação de estoques. Temos assim:

Débito

Crédito

Transações

Valores

Transações

Valores

Valor agregado liquido

 

Consumo das unidades

 

pelos setores

familiares

120

Primários

35

Formação bruta de

Secundário

70

Capital fixo

25

Terciário

50

Variação de estoque

10

Total da oferta de

 

Total de procura de

 

Bens e serviços

155

bens e serviços

155

Conta de Apropriação. Esta conta revela os totais da despesa das unidades familiares

e o total de sua renda. Em uma economia fechada sem governo, a despesa é dada pelo

consumo desses agentes, enquanto a receita provém dos salários, aluguéis, juros e lucros

distribuídos. Para o ajuste da conta, cabe observar que se lançam, em contrapartida ao total da

renda, além do consumo, também a poupança praticada pelas unidades familiares. Temos,

assim:

Débito

Crédito

Transações

Valores

Transações

Valores

Consumo das unidades familiares Poupança das unidades familiares

 

Salários

100

120

Aluguéis Juros

20

5

15

Lucros Distribuídos

10

Total das despesas

135

Total da renda

135

Conta Consolidada de Capital. Esta conta registra as fontes e as aplicações de

recursos para a formação bruta de capital da economia, também denominada investimento

bruto. Este, como sabemos, resulta da soma dos investimentos em capital fixo com a variação

de estoques. Quanto aos fluxos de recursos para o financiamento do investimento, resultam,

em uma economia fechada sem governo, da poupança das unidades familiares, das reservas

para depreciação e dos lucros não distribuídos. Temos, assim:

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES Débito

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

Débito

Crédito

Transações

Valores

Transações

Valores

Formação bruta de capital fixo Variação de estoques

 

Poupança das unidades familiares

15

25

Lucro não Distribuído

15

10

Depreciação do capital

5

Total da formação bruta de capital

35

Total dos recursos para formação de capital

35

EXERCÍCIOS PROPOSTOS

Exercício nº 1

A economia de uma tribo indígena em determinado ano, produziu apenas os seguintes bens

de consumo e de produção, finais e intermediários, medidos em unidades monetárias:

Canoas, como equipamentos pra pesca e transporte do pescado

10.000

Redes e covos para pescar

30.000

Iscas para armação dos covos

2.000

Peixes

200.000

Equipamentos para caça

15.000

Caças

120.000

Frutos silvestres coletados

50.000

Durante o ano, 15.000 unidades monetárias de redes e de covos, 2.000 de canoas e 3.000

de equipamentos para caça foram abandonadas pela tribo,por se encontrarem danificadas.

Considerando que todos os bens produzidos durante o ano foram consumidos ou

acumulados no próprio ano, determinar, para a economia dessa tribo, os produtos bruto e

líquido e totais bruto e líquido dos investimentos.

Exercício nº 2

Supondo uma economia constituída apenas pro famílias e empresas, calcular o Produto

Nacional Bruto por setor de produção e para a economia como um todo, sendo dados, em

unidades monetárias, as seguintes informações referentes às transações realizadas em

determinado ano:

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES Informações

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

Informações disponíveis

Valores

Valor bruto da produção da agropecuária Vendas de serviços à agropecuária Vendas de matérias-primas agrícolas à indústria Valor bruto da produção da indústria Vendas de insumos industriais ao setor de serviços Valor bruto da produção de serviços Vendas de sementes a agropecuária Vendas de insumos industriais à indústria Vendas de serviços ao próprio setor Vendas de insumos industriais à agropecuária Vendas de serviços à indústria Vendas de insumos agropecuários ao setor de serviços

600

30

60

750

70

550

40

50

55

35

45

70

Exercício nº 3

Para uma economia fechada sem governo, dispõe-se das seguintes informações, expressas

em unidades monetárias e referentes às transações intra e inter-setoriais, verificadas, em

determinado ano, em seu aparelho de produção:

   

Transações intermediárias

   

Destino

       

Valor Bruto

Agropecuária

Indústria

Serviços

Total

da Produção

Origem

Agricultura

30

50

100

180

390

Indústria

70

100

120

290

750

Serviços

20

80

230

330

710

Total

120

230

450

800

1.850

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES São também

Coordenação do Curso de Ciências Contábeis

DISCIPLINA: CONTABILIDADE SOCIAL PROFESSOR: FRANCISCO LOPES

São também conhecidas as seguintes informações, sobre a decomposição, por setor produtivo,

do valor agregado bruto:

Setores de

Salários

Aluguéis

Juros

Lucros

Reservas para

produção

depreciação

Agricultura

200

50

10

5

5

Indústria

400

80

20

10

10

Serviços

210

25

15

5

5

Admitindo

efetivamente consumidos ou destinados à formação de capital fixo durante o mesmo ano, não

tendo

macroeconômicos:

de estoques, calcular os seguintes agregados

que todos os bens e serviços finais produzidos durante o ano foram ou

ocorrido

nenhuma

variação

A. Produto Nacional, PNB

a) Pela óptica da produção

b) Pela óptica da renda

c) Pela óptica do dispêndio

B. Renda Nacional, RN