Você está na página 1de 7

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA MECÂNICA

JOANNE BRUNA DA SILVA SANTOS ROGÉRIO FELICIANO DE MOURA SANTOS SUELLEN CRISTINA SOUSA ALCÂNTARA

PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE LATAS DE CERVEJA

TERESINA-PI DEZEMBRO DE 2014

1. INTRODUÇÃO

A história da lata começou em 1795 quando o governo Francês ofereceu um prêmio de 12.000 francos para quem Inventasse um método de conservar comida. O seu desenvolvimento foi, como muitos outros da história da humanidade, impulsionado por necessidades militares, o objetivo era atender às tropas de Napoleão Bonaparte, enfraquecidas pela fome que as atingia durante as batalhas. Com a Revolução Industrial as latas que por 100 anos foram produzidas manualmente, passaram a ser fabricadas em máquinas, o que possibilitou ampliar o seu ritmo produtivo. Em 1933, a primeira lata de cerveja foi feita nos Estados Unidos pela American Can Company, em Newark, New Jersey, para a Cervejaria Krueger. Que com o objetivo de ter uma ideia da aceitação dos consumidores a cervejaria lançou uma pequena quantidade para teste da Cerveja Krueger Especial, tornou-se um sucesso. Como a quantidade foi pouca, atualmente nenhum exemplar desta lata é conhecido. Já no Brasil, as primeiras latas para bebidas foram fabricadas em folhas de flandres (chapas metálicas feitas de ferro e uma pequena parte de estanho ou cromo) na Metalúrgica Matarazzo, a pedido da Skol Internacional Beer, em 1968, hoje Skol Cerveja Pilsen. Existiram apenas duas fábricas de latas para cervejas e refrigerantes no Brasil, a Metalúrgica Matarazzo e a Rheen. O processo produtivo consistia em várias etapas, que podem ser divididas em cinco diferentes fases. O corte da chapa, a estampagem da marca da bebida, o seu calandramento (enrolamento), a prensagem do fecho e finalmente a colocação da tampa. O seu fundo era colocado após o envase, na cervejaria. Já em 1965 elas passaram a ser produzidas em alumínio, material que trouxe mais praticidade à cadeia produtiva, já que permitiu a fabricação da lata em apenas duas partes: o corpo e a tampa. Nos próximos tópicos veremos como as latas de cerveja são fabricadas atualmente, além dos tipos existentes e algumas curiosidades.

2. PROCESSO ATUAL DE FABRICAÇÃO DE LATAS DE BEBIDAS (CERVEJA)

Os materiais utilizados atualmente nos processos de fabricação de latas são o alumínio e o aço. Os processos de fabricação de latas de bebidas, como refrigerantes e cerveja, a partir desses materiais, são praticamente os mesmos e seguem as seguintes etapas. Primeiramente uma porção de grandes bobinas, também chamadas de serpentinas, do material do qual a lata será fabricado chegam a fábrica. Possui aproximadamente 1,7 metro de largura e aproximadamente 1 quilômetro de

extensão, o suficiente para produzir 1.500.000 latinhas. O que sobra de material da bobina é enviada para as empresas recicladoras, no caso do alumínio ele é cem por cento reciclável. Assim que é posicionada no tombador de bobina, a chapa é introduzida na máquina de prensa de copos, a Cupper, a primeira máquina de corte do processo, nela o alumínio ou o aço são cortados ganhando o formato de copos rasos. A velocidade da esteira por onde passam os copos, variam de acordo com a percepção de sensores, instalados na máquina, que vão liberando os copos pros próximos passos do processo de fabricação. O próximo passo é o processo de estiramento. Nessa etapa os copos são esticados para ganhar o formato da latinha, ou seja, será alongado e afinado. A máquina responsável por esse procedimento é conhecida como Bodymaker que usa pressão para estender cuidadosamente o copo da lata para que no caso, o alumínio, não rasgue ao ser esticado. O Trimmer é o equipamento seguinte. Ele é o responsável por aparar a borda superior das latas, retirando suas irregularidades e deixando-as niveladas. Depois, para remover as partículas resultantes dos procedimentos anteriores, as latas passam por uma máquina lavadora, por uma processo de esterilização química e por um forno de secagem, com uma temperatura de aproximadamente 200 graus Celsius, procedimentos que tornam a lata mais brilhante e facilitam a etapa seguinte: a impressão dos rótulos. Para a pintura dos rótulos é utilizada uma máquina chamada Printer. As latinhas também recebem verniz na área externa, e os rótulos são feitos por um sistema de dry offset que tem como característica a sobreposição de todas as cores na embalagem. As máquinas mais modernas são capazes de imprimir

mais de 2000 latinhas por minuto. Nesse processo também podem ser utilizadas tintas especiais que fazem as latas brilharem no escuro, ou as termo- crômicas, que demonstram se a bebida está na temperatura ideal para o consumo. Na próxima etapa as latinhas seguem para uma máquina de spray, conhecida como Inside Spray, para a aplicação de verniz interno, criando assim uma barreira protetora entre a bebida e o alumínio ou aço. Depois elas seguem novamente para um forno de secagem. Chega a vez da formação do pescoço das latas, procedimento realizado por um equipamento chamado Necker, que diminui o diâmetro do bocal da lata para o posterior encaixe da tampa. Depois, os corpos de latas finalizados passam por máquinas de inspeção, compostas por um sistema eletrônico sofisticado com câmeras e luzes de alta intensidade, que podem observar o interior de cada lata, detectando sujeiras, amassamentos e defeitos. O equipamento conhecido como light tester, que aplica testes de luz nas latas, é um exemplo. As latinhas que não atendem aos padrões são eliminadas da linha de produção. Na etapa seguinte, máquinas de paletização encarregam-se então da organização das latas, que serão embaladas e transportadas ao local onde o enchimento será realizado.

3.

TIPOS DE LATAS E FORMAS GEOMÉTRICAS

A lata de cerveja é uma embalagem versátil que permite, de acordo com as necessidades dos fabricantes e dos consumidores, a utilização de vários formatos e impressões. Para uma mesma marca, a padronização pode ser diferente de acordo com o país onde será comercializada. Por exemplo, a cerveja Budweiser, possui latinhas fabricadas e vendidas apenas nos Estados Unidos com o formato que lembra uma gravata borboleta no seu centro (Figura 1 ), enquanto no Brasil ela possui o formato tradicional (Figura 2)

3. TIPOS DE LATAS E FORMAS GEOMÉTRICAS A lata de cerveja é uma embalagem versátil que

Figura 1- Lata da Cerveja Budweiser nos EUA

3. TIPOS DE LATAS E FORMAS GEOMÉTRICAS A lata de cerveja é uma embalagem versátil que

Figura 2- Lata de Cerveja Budweiser no Brasil

No Brasil, a forma geométrica mais utilizada, é a de um corpo cilindro com parte superior estreita para fixar e acomodar uma tampa que possui um diâmetro menor que o da latinha. Elas também possuem também um fundo convexo necessário para resistir à pressão interna e de acordo com seu conteúdo podem possuir várias capacidades volumétricas. A figura abaixo mostra os formatos que são fabricados no Brasil e seus respectivos volumes.

3. TIPOS DE LATAS E FORMAS GEOMÉTRICAS A lata de cerveja é uma embalagem versátil que

Figura 3- Formatos fabricados no Brasil (1- 250ml-Squat; 2- 250ml-Slim; 3- 269ml-Sleek; 4- 310ml-Sleek; 5- 500ml; 6- 550ml; 7- 710ml; 8- 350ml; 9- 350ml-Sleek; 10- 473ml)

4. CURIOSIDADES

  • I. Não existe uma norma que rege a fabricação de latas de cerveja, no Brasil há apenas uma norma fiscal para comercialização. (Norma de Procedimento Fiscal Nº 2591-8/00- FABRICAÇÃO DE EMBALAGENS METÁLICAS) O alumínio, utilizado na maioria das latas de cerveja, pode ser reciclado infinitamente sem que haja perda de suas propriedades

II.

III. Latas de alumínio possuem uma vasta utilização pois conservam

IV.

o sabor das bebidas, além de oferecerem facilidade no transporte e refrigeração mais rápida. A cerveja em lata de alumínio completa 25 anos de existência no Brasil a Skol foi a pioneira nesse inovação. A aceitação do publico no incio não foi favorável, sua presença maciça hoje veio por meio da popularização do formato latão”, que traz 473 ml em vez dos tradicionais 355ml da lata de folha de flandres. O preço acessível dos latões colaborou para a sua aceitação.

4. CURIOSIDADES I. Não existe uma norma que rege a fabricação de latas de cerveja, no

Figura 4 - As primeiras informações sobre as latas de lauminio no Acervo O GLOBO, reportagem curta, sem assinatura do reporter, publicada em 11 de novembro de 1989.

5.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

<http://abralatas.org.br/index.php/lata-de-aluminio/> Acessado em 10 de dezembro de 2104. <http://forum.wmonline.com.br/topic/25439-dry-offset/> Acessado em 10 de dezembro de 2014. <http://housepress.com.br/mundoUsinagem/secao.asp?idSecao=285 > Acessado em 10 de dezembro de 2014. <http://www.cervisiafilia.com.br/> Acessado em 15 de dezembro de

2014

<http://www.cervesia.com.br/> Acessado em 18 de dezembro de 2014

Acessado em 20 de dezembro de 2014.

Acesado em 20 de dezembro de 2014

budweiser-ganham-novo-visual/ > Acessado em 20 de dezembro de 2014