Você está na página 1de 98

5 a SÉRIE 6 o ANO

ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS

Caderno do Aluno

Volume 1

MATEMÁTICA

5 SÉRIE 6 ANO ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS Caderno do Aluno Volume 1 MATEMÁTICA
5 SÉRIE 6 ANO ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS Caderno do Aluno Volume 1 MATEMÁTICA
5 SÉRIE 6 ANO ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS Caderno do Aluno Volume 1 MATEMÁTICA
5 SÉRIE 6 ANO ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS Caderno do Aluno Volume 1 MATEMÁTICA
5 SÉRIE 6 ANO ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS Caderno do Aluno Volume 1 MATEMÁTICA
GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO MATERIAL DE APOIO AO CURRÍCULO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

MATERIAL DE APOIO AO CURRÍCULO DO ESTADO DE SÃO PAULO

CADERNO DO ALUNO

MATEMÁTICA

ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS 5 a SÉRIE/6 o ANO VOLUME 1

Nova edição

2014-2017

São Paulo

Governo do Estado de São Paulo

Governador

Geraldo Alckmin

Vice-Governador

Guilherme Afif Domingos

Secretário da Educação

Herman Voorwald

Secretário-Adjunto

João Cardoso Palma Filho

Chefe de Gabinete

Fernando Padula Novaes

Subsecretária de Articulação Regional

Rosania Morales Morroni

Coordenadora da Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Professores – EFAP

Silvia Andrade da Cunha Galletta

Coordenadora de Gestão da Educação Básica

Maria Elizabete da Costa

Coordenadora de Gestão de Recursos Humanos

Cleide Bauab Eid Bochixio

Coordenadora de Informação, Monitoramento e Avaliação Educacional

Ione Cristina Ribeiro de Assunção

Coordenadora de Infraestrutura e Serviços Escolares

Ana Leonor Sala Alonso

Coordenadora de Orçamento e Finanças

Claudia Chiaroni Afuso

Presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Educação – FDE

Barjas Negri

Caro(a) aluno(a), Para viver no mundo atual com qualidade de vida é preciso ter cada vez mais conhecimentos,

respeitar valores e desenvolver atitudes positivas em relação a si e aos outros. Os conhecimentos que a humanidade construiu ao longo do tempo é um valioso tesouro, que nos permite compreender

o mundo que nos cerca, interagir com as pessoas, tomar decisões

Ler, observar, registrar, analisar,

... comparar, refletir e expressar-se são algumas formas de compartilhar esse tesouro. Sendo assim, este material foi elaborado especialmente para ajudar você a compreender e a utilizar parte desses conhecimentos.

O objetivo das Situações de Aprendizagem deste Caderno é apresentar conhecimentos matemáticos de forma contextualizada, para que a aprendizagem seja construída como parte de sua vida cotidiana e do mundo ao seu redor. Logo, as atividades propostas não devem ser consideradas simplesmente exercícios ou problemas a serem resolvidos com técnicas transformadas em rotinas automatizadas. Pelo contrário, muitas dessas situações podem ser vistas como ponto de partida para estudar ou aprofundar uma noção ou propriedade matemática.

Aprender exige esforço e dedicação, mas também envolve curiosidade e criatividade, que es- timulam a troca de ideias e conhecimentos. Por isso, sugerimos que você participe das aulas, observe as explicações do professor, faça anotações, exponha suas dúvidas; além disso, é importante que você não se intimide em fazer perguntas e que procure respostas aos seus questionamentos, e que também dê sua opinião.

Neste Caderno, você estudará os seguintes assuntos: sistema de numeração decimal e suas ope- rações, sequências numéricas, mínimo múltiplo comum, divisores de um número natural, números primos, frações e medidas, equivalência e operações com frações, números decimais (agrupamentos e valor posicional, transformações), equivalência e operações com números decimais, uso da lingua- gem mista e localizações desses números na reta numérica, e também as medidas não padronizadas.

Se precisar, peça ajuda ao professor, pois ele pode orientá-lo sobre o que estudar e pesquisar, como organizar os estudos e onde buscar mais informações sobre um assunto. Reserve todos os dias um horário para fazer as tarefas e rever os conteúdos, porque assim você evita que eles se acumulem. Ajude e peça ajuda aos colegas, pois partilhar ideias é fundamental para a construção do conhecimento.

Aprender pode ser muito prazeroso, e temos certeza de que você vai descobrir isso.

Equipe Curricular de Matemática

Coordenadoria de Gestão da Educação Básica – CGEB Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

?

!

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
? ! Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1

O SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL E SUAS OPERAÇÕES

Contando de diferentes maneiras

Experimentação

Contexto: Gabriel tem 9 anos. Maria tem 3 irmãs. Minha classe tem 16 meninas e 20 meninos. Faltam 2 meses para o aniversário de minha irmã. Meu amigo tem 12 lápis de cores diferentes. Muitas são as situações do nosso cotidiano que envolvem algum tipo de contagem. Estamos tão habituados ao ato de contar que nem percebemos como esse processo realmente acontece. Além disso, usamos os algarismos do nosso sistema de numeração como se fosse uma coisa natural, sem nos questionarmos se poderia haver outras formas de representação das quantidades e dos valores.

Provavelmente, contamos de dez em dez porque temos um total de dez dedos nas duas mãos. Mas será que isso poderia ser diferente? Se tivéssemos quatro dedos em cada mão, nosso sistema de numeração seria diferente? Seria mais vantajoso contar de cinco em cinco em vez de dez em dez? Para tentar responder a essas perguntas, vamos propor uma atividade prática envolvendo diferentes maneiras de contar.

Objetivo: contar o número de pedrinhas contidas em uma caixa sem usar o sistema de nume- ração decimal. Para isso, deverá ser usada outra forma de contagem (de quatro em quatro, de seis em seis etc.) que não a decimal (de dez em dez). Também será necessário o uso de outros símbolos para fazer o registro dessa contagem.

Materiais: duas caixas de papelão, pedrinhas ou qualquer outro objeto de fácil manipulação (bolinhas de isopor, bolinhas de gude etc.) e uma tabela para registro da contagem.

© Conexão Editorial
© Conexão Editorial

5

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Grupos formados por ___ Tabela de contagem grupos de ___ unidades Grupos de ___ unidades Unidades
Grupos formados por ___
Tabela de contagem
grupos de
___
unidades
Grupos de ___
unidades
Unidades
Registro de
contagem
Resultado

Desenvolvimento: a turma será dividida em quatro grupos, e cada grupo receberá uma caixa contendo certo número de pedrinhas e uma caixa vazia. Eles devem contar as pedrinhas da seguinte maneira: Grupo 1 – de cinco em cinco pedrinhas; Grupo 2 – de seis em seis pedrinhas; Grupo 3 – de sete em sete pedrinhas; Grupo 4 – de oito em oito pedrinhas.

Transporte: um aluno de cada grupo será responsável por transportar, uma a uma, as pedrinhas da caixa cheia para a caixa vazia.

Contagem manual: outros três alunos deverão fazer a contagem usando os dedos da mão. Cada pedrinha transportada corresponderá a um dedo levantado. Só poderá ser usado o número de dedos equivalente aos agrupamentos da contagem.

Exemplo: se a contagem for feita de quatro em quatro unidades, os alunos só poderão usar quatro dedos da mão no processo de contagem.

© Conexão Editorial
© Conexão Editorial

Para cada pedrinha transportada, levanta-se um dedo. Quando completar quatro dedos, o pró- ximo aluno levanta um dedo, indicando a contagem de um agrupamento de quatro unidades. O primeiro aluno inicia a contagem novamente. Quando o segundo aluno levantar os quatro dedos, o terceiro aluno entra em ação levantando um dedo, indicando a contagem de um agrupamento maior, equivalente a quatro agrupamentos de quatro unidades.

6

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Registro: um aluno será responsável pelo registro da contagem em uma tabela apresentada anteriormente. A tabela estará dividida em três colunas, uma para cada tipo de agrupamento. No exemplo anterior (contagem de quatro em quatro), o registro funcionaria da seguinte maneira.

Para cada pedrinha contada, marca-se um traço vertical (

) na coluna da direita. Quando

completar quatro traços, esses devem ser riscados (

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 Registro : um aluno será responsável

) e substituídos por um traço vertical na

coluna seguinte. Inicia-se novamente o processo até completar os quatro traços verticais. O mesmo ocorre na coluna do meio. Quatro traços verticais devem ser riscados e subs tituídos por um traço vertical na coluna da esquerda. Veja como ficariam o registro e a contagem de 31 pedrinhas em

agrupamentos de quatro em quatro:

© Conexão Editorial
© Conexão Editorial
Grupos formados por quatro grupos de quatro unidades Grupos de Tabela de contagem Unidades quatro unidades
Grupos formados
por quatro grupos de
quatro unidades
Grupos de
Tabela de contagem
Unidades
quatro unidades
Registro de
contagem
Resultado
1 grupo de 4 4 = 16
3 grupos de 4 = 12
3 unidades = 3

O resultado da contagem deve ser escrito da seguinte maneira: o número de traços verticais não riscados, da esquerda para a direita, colocados entre parênteses. Em seguida, o número da base utilizada na contagem. Chamamos base o tipo de agrupamento utilizado na contagem. No exemplo anterior, obtivemos 1 agrupamento de 4 4, 3 agrupamentos de 4 e 3 unidades. As- sim, o resultado será escrito como (133) 4 , isto é, 133 na base 4. Para saber quanto isso significa na base decimal, basta fazer as contas: 1 (4 4) + 3 4 + 3 1 = 16 + 12 + 3 = 31, ou seja, 31 pedrinhas.

Agora, cada grupo vai organizar e registrar a contagem das pedrinhas na tabela. Todos os gru- pos receberão o mesmo número de pedrinhas. Ao final da contagem, o professor organizará uma rodada para que cada grupo apresente o resultado da sua contagem. Preencha a tabela a seguir com os resultados obtidos pelos outros grupos.

7

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 Grupos/Base Resultado Resultado na base dez
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Grupos/Base
Resultado
Resultado na base dez
Grupo 1/Base cinco
Grupo 2/Base seis
Grupo 3/Base sete
Grupo 4/Base oito
LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA

Aprendendo com a experimentação

1. Em uma escola, dois grupos realizaram a mesma atividade de contagem de pedrinhas utilizando dois conjuntos distintos de pedrinhas. O primeiro grupo contou as pedrinhas em grupos de cinco e o outro, em grupos de nove. Os resultados obtidos estão registrados nas tabelas a seguir. Na coluna das unidades estão indicadas apenas as unidades restantes após a formação dos grupos de cinco unidades, ou seja, os traços verticais riscados não aparecem.

Tabela de contagem Grupo 1 Grupos formados por cinco grupos de cinco unidades Grupos de Unidades
Tabela de contagem
Grupo 1
Grupos formados por
cinco grupos de cinco
unidades
Grupos de
Unidades
cinco unidades
Registro de contagem
Tabela de contagem Grupo 2 Grupos formados por nove grupos de nove unidades Grupos de nove
Tabela de contagem
Grupo 2
Grupos formados por
nove grupos de nove
unidades
Grupos de nove
unidades
Unidades
Registro de contagem
8
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
a) Escreva os resultados obtidos pelos dois grupos em cada base utilizada. Grupo 1: Grupo 2:
a)
Escreva os resultados obtidos pelos dois grupos em cada base utilizada.
Grupo 1:
Grupo 2:
b)
Determine quantas pedrinhas cada grupo contou na base decimal.
Grupo 1:
Grupo 2:
c)
Qual dos grupos contou o maior número de pedrinhas?
2. Na atividade de Experimentação, você viu que uma contagem pode ser feita por meio de
agrupamentos diferentes (cinco em cinco, oito em oito etc.). Os números que usamos diaria-
mente são agrupados em conjuntos de dez. Dez unidades formam uma dezena, dez dezenas
formam uma centena, dez centenas formam um milhar, e assim por diante. Por essa razão, o
número 358 equivale a três centenas (3 100), cinco dezenas (5 10) e oito unidades (8 1), ou
seja, 358 = 3 100 + 5 10 + 8 1.
Decomponha os números a seguir conforme o exemplo dado.
a)
234 =
b)
136 =
c)
1 568 =
d)
28 001 =
e)
1 203 045 =
VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

Problemas envolvendo as quatro operações

3. Resolva os problemas a seguir usando as quatro operações aritméticas. Escreva cada sentença em linguagem matemática de acordo com a operação utilizada.

9

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
  • a) Antônio recebe R$ 25,00 de mesada de seu pai. Quanto ele terá recebido depois de 6 meses?

Resposta:

  • b) Dois irmãos possuem um cofrinho com 72 moedas. Quantas moedas estarão no cofrinho se um dos irmãos colocar 17 moedas e o outro, 25?

Resposta:

  • c) Maria levou R$ 20,00 para fazer compras no supermercado. Ela gastou R$ 5,00 com bolachas e chocolates e R$ 9,00 com produtos de limpeza. Quantos reais sobraram para Maria?

Resposta:

  • d) Uma parede retangular está coberta por ladrilhos quadrados dispostos em 15 colunas e 10 linhas. Quantos ladrilhos há nessa parede?

Resposta:

10

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
  • e) Um funcionário de uma loja precisa colocar 336 latas de refrigerantes em caixas de papelão. Se em cada caixa cabem 16 latas, quantas caixas serão necessárias para armazenar todas as latas de refrigerante?

Resposta:

  • f) Em uma partida de basquete, André fez 32 pontos e Carlos, 46. Quantos pontos Carlos fez a mais que André?

Resposta:

  • g) João deu 15 figurinhas para um amigo e ainda lhe restaram 48. Quantas figurinhas João tinha inicialmente?

Resposta:

  • h) Um pai deixou de herança para seus 3 filhos uma coleção com 3 216 moedas de diversos países. Supondo uma divisão equilibrada, quantas moedas caberão a cada filho?

Resposta:

11

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
  • i) Um restaurante oferece no almoço 3 opções de salada e 5 opções de prato quente. De quantas maneiras diferentes podemos combinar as saladas e os pratos quentes nesse restaurante?

Resposta:

LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA

As ideias associadas às quatro operações

4. Na atividade 3, você resolveu nove problemas envolvendo as quatro operações aritméticas (adição, subtração, multiplicação e divisão). Em cada um deles, havia uma ideia principal associada à operação utilizada: reunir, restaurar, retirar, comparar, abreviar a soma de parcelas iguais, combinar, calcular o número de elementos dispostos em linhas e colunas, repartir e formar agrupamentos. Preencha a tabela a seguir associando cada um dos problemas resolvi- dos com a operação utilizada e a ideia principal presente no problema (veja o exemplo na primeira linha):

Problema Operação Ideia principal Problema a Multiplicação Abreviar a soma de parcelas Problema b Problema c
Problema
Operação
Ideia principal
Problema a
Multiplicação
Abreviar a soma de parcelas
Problema b
Problema c
Problema d
Problema e
Problema f
Problema g
Problema h
Problema i

12

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

Desfazendo operações

Muitos problemas na Matemática podem ser resolvidos por meio de operações inversas. Se um número somado com 12 resulta em 20, podemos descobrir qual é esse número realizando a operação inversa da adição: 20 menos 12. Ou seja, o número é 8. Utilize essa ideia para resolver as seguintes atividades:

  • 5. Complete os quadrados com os números adequados:

 

a)

b)

a) b) 3 240 ÷ 8 25 c) – 60 2 40 d) + 30 ÷
a) b) 3 240 ÷ 8 25 c) – 60 2 40 d) + 30 ÷
3 240
3
240
÷ 8 25
÷ 8
25
  • c) – 60

c) – 60 2 40 d) + 30 ÷ 2 60

2

c) – 60 2 40 d) + 30 ÷ 2 60
40
40
  • d) + 30

÷ 2 60
÷ 2
60
  • 6. Agora, resolva os seguintes problemas:

 

a)

Pensei em um número. Somando 38 a esse número obtém-se 95. Em que número pensei?

 
 

b)

Um número multiplicado por 7 resultou em 119. Que número é esse?

 
 
 

c)

Pensei em um número. Dividi por 3 e subtraí 5, obtendo 6. Qual é esse número?

 
 

d)

Qual é o número que, multiplicado por 5 e somado com 12, resulta em 72?

 
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA
  • 7. Preencha as pirâmides numéricas a seguir de acordo com a operação determinada:

a) adição b) multiplicação 134 54 640 28 8 8 20 4 3 15 1 4
a)
adição
b)
multiplicação
134
54
640
28
8
8
20
4
3
15
1
4
  • 8. Resolva os seguintes problemas:

    • a) Qual é o número que, somado com 10 e multiplicado por 5, resulta em 80?

b) Descubra qual é o número cujo dobro mais 4, dividido por 2, resulta em 5.

VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

Expressões numéricas

  • 9. Qual das expressões a seguir foi resolvida corretamente?

    • a) 45 – 3 8 + 2 =

    • b) 45 – 3 8 + 2 =

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 LIÇÃO DE CASA 7. Preencha as

= 42 8 + 2 =

= 45 – 3 10 =

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 LIÇÃO DE CASA 7. Preencha as

= 336 + 2 =

= 45 – 30 =

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 LIÇÃO DE CASA 7. Preencha as

= 338

14

= 15

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
  • c) 45 – 3 8 + 2 =

c) 45 – 3 8 + 2 =
c) 45 – 3 8 + 2 =
c) 45 – 3 8 + 2 =

d)

= 45 – 24 + 2 =

= 21 + 2 = = 23

45 – 3 8 + 2 =

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 c) 45 – 3 8 +

= 42 10 =

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 c) 45 – 3 8 +

= 420

  • 10. Explique por que as outras alternativas não estão corretas.

  • 11. Ao digitar uma expressão numérica, esqueceu-se de colocar os parênteses. Coloque-os no lugar apropriado de modo a obter 800 como resultado final.

25 – 10 4 + 16 ÷ 2 + 50 4 = = 15 20 ÷ 2 + 50 4 = = 300 ÷ 2 + 50 4 = = 150 + 50 4 = = 200 4 = = 800

  • 12. Nas expressões numéricas a seguir, coloque os símbolos das operações (+, , ou ÷) e os parên- teses, de modo a obter o resultado indicado. Não é necessário usar todos os símbolos.

  • a) 1

2

3 = 7

 
  • b) 1

2

3 = 5

  • c) 10

2

4

5 = 7

  • d) 10

2

4

5 = 25

  • e) 4

3

2

1 = 9

  • f) 4

3

2

1 = 13

  • g) 20

10

4

1 = 2

  • h) 20

10

4

1 = 18

15

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA

13. Resolva as seguintes expressões numéricas:

  • a) 12 3 + 15 ÷ 5 =

  • b) (40 – 25) ÷ 3 + 7 5 =

    • c) (12 – 5) (12 + 5) – 17 =

  • d) (20 ÷ (12 – 8)) 7 – 10 =

16

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
  • e) 100 ÷ (25 – 5) + 3 10 =

  • f) (((40 ÷ 8) – 3) 4) ÷ 8 =

LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA

Cálculo mental

Leitura e análise de texto O cálculo mental é uma habilidade muito importante na vida do
Leitura e análise de texto
O cálculo mental é uma habilidade muito importante na vida do cidadão. Caixas
de banco, feirantes, lojistas, cobradores de ônibus, jornaleiros são algumas das pro-
fissões que dependem muito da habilidade de fazer contas de cabeça. Mesmo quando
se usa uma calculadora, é preciso saber avaliar bem os resultados obtidos, pois podemos
cometer erros ao digitar uma grande quantidade de algarismos. Do mesmo modo, o
cidadão comum precisa ter um bom conhecimento de cálculo mental para lidar com
pagamentos, trocos e compras. Para efetuar o cálculo mental com rapidez e precisão, é
importante conhecer diferentes estratégias. Algumas delas serão apresentadas a seguir,
mas cada um pode desenvolver seu próprio método de cálculo.
Soma dos algarismos de mesmo valor posicional: efetuar a adição de unidades com
unidades, dezenas com dezenas, centenas com centenas etc. Em seguida, somar os
resultados obtidos. Exemplo: 36 + 42 = (30 + 40) + (6 + 2) = 70 + 8 = 78.
Para adicionarmos um número terminado em oito, basta somar a dezena seguinte
e subtrair dois. Exemplo: 25 + 38 = 25 + (40 – 2) = 65 – 2 = 63.
43 + 78 = 43 + (80 – 2) = 123 – 2 = 121

17

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Observação! A mesma estratégia pode ser utilizada na adição de números terminados em nove, sete etc.
Observação!
A mesma estratégia pode ser utilizada na adição de números terminados em nove,
sete etc.
VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?
  • 14. A estimativa é uma habilidade muito importante na Matemática, principalmente quando se trata do cálculo mental. Responda às perguntas sem efetuar o cálculo exato.

    • a) 27 + 72 é maior ou menor que 110?

  • b) 138 + 267 é maior ou menor que 400?

  • c) 427 + 665 é maior ou menor que 1 100?

  • d) 665 – 427 é maior ou menor que 200?

  • e) 1 231 – 829 é maior ou menor que 400?

  • f) 27 12 é maior ou menor que 300?

  • g) 66 15 é maior ou menor que 1 000?

  • h) 714 ÷ 5 é maior ou menor que 130?

i)

1 200 ÷ 24 é maior ou menor que 50?

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

15. Calcule mentalmente as operações a seguir e registre o resultado obtido.

  • a) 24 + 18 =

  • b) 55 + 38 =

  • c) 26 + 39 =

  • d) 78 + 27 =

  • e) 45 + 86 =

  • f) 134 + 69 =

  • g) 143 + 48 =

  • h) 216 + 67 =

  • i) 237 + 66 =

  • j) 333 + 59 =

  • k) 444 + 117 =

  • l) 115 + 218 =

19

?

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 2 EXPLORANDO OS NÚMEROS NATURAIS VOCÊ APRENDEU?
!
SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 2
EXPLORANDO OS NÚMEROS NATURAIS
VOCÊ APRENDEU?

Sequências numéricas

1. Nas sequências numéricas a seguir, cada número é obtido a partir de uma mesma operação

aritmética. Descubra o padrão de crescimento (ou decrescimento) e complete as sequências.

Exemplo: 2, 6, 10, 14, 18, 22...

? Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 ! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 2

+4

+4

  • a) 3, 12, 21, 30, ___

,

,

___.

e)

10, 100, 1 000, 10 000,

 

,

_____.

  • b) 5, 16, 27, 38, ___

,

___

,

___.

f) 800, 400, 200, 100,

 

,

___.

  • c) 32, 27, 22, 17, ___

,

 

,

___.

g)

1, 4, 9, 16, 25, ___

,

___

,

___.

  • d) 2, 6, 18, 54, ___

,

,

___.

h)

1, 3, 6, 10, ___

,

,

,

___.

2. Crie quatro sequências numéricas diferentes, usando as quatro operações aritméticas básicas. Em

seguida, escreva os três primeiros termos das sequências criadas em uma folha de papel e troque

com um colega. Você deverá tentar resolver as sequências propostas por ele, e ele, as suas. Após

um tempo, as trocas são desfeitas, e cada aluno verifica se o colega completou corretamente a

sequência proposta.

Lembre-se! O objetivo principal é aprender a identificar o padrão das sequências. Não se trata de
Lembre-se!
O objetivo principal é aprender a identificar o padrão das sequências. Não se trata de
uma competição, mas sim de uma colaboração mútua.
20
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Escreva a seguir as sequências que você criou:

Sequência 1:

,

,

,

,

,

,

,

____.

Sequência 2:

,

,

,

,

,

,

,

____.

Sequência 3:

,

,

,

,

,

,

,

____.

Sequência 4:

,

,

,

,

,

,

,

____.

LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA
  • 3. Complete as sequências sabendo que elas são formadas pela adição de um mesmo número natural.

  • a) ___,

6, 13,

27,

48.

d) 5,

25, ___.

  • b) 17,

11,

26.

e)

0,

18,

30.

  • c) ____,

7,

28,

42.

f)

0,

48.

  • 4. Os múltiplos dos números naturais são exemplos de sequências numéricas muito importantes na Matemática. Escreva os 15 primeiros elementos das sequências dos múltiplos de 2, 3, 4, 5, 8, 10 e 12.

    • a) M(2) =

  • b) M(3) =

  • c) M(4) =

  • d) M(5) =

  • e) M(8) =

  • f) M(10) =

  • g) M(12) =

21

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
  • 5. Determine os múltiplos comuns entre as seguintes sequências:

    • a) entre M(2) e M(3) =

  • b) entre M(3) e M(4) =

  • c) entre M(4) e M(12) =

  • d) entre M(2), M(5) e M(10) =

VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

Mínimo múltiplo comum

  • 6. Resolva os seguintes problemas:

    • a) Da estação rodoviária de uma cidade do interior saem dois ônibus de uma mesma com- panhia em direção à capital: um leito e o outro, convencional. O ônibus leito parte a cada 16 minutos e o convencional, a cada 12 minutos. A primeira saída conjunta acon- tece às 16h30 e a última, às 20h30. De quanto em quanto tempo os dois ônibus saem no mesmo horário?

Resposta:

  • b) Em uma avenida, os postes de iluminação estão espaçados por uma distância fixa de 120 metros. Existem telefones públicos instalados a cada 300 metros. De quan- tos em quantos metros haverá um telefone público instalado junto a um poste de iluminação?

Resposta:

22

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
  • c) No alto da torre de uma emissora de televisão, duas luzes piscam com frequências dife- rentes. A primeira luz pisca 15 vezes por minuto e a segunda, 10 vezes por minuto. Em certo instante, as luzes piscam simultaneamente. Após quantos segundos as duas voltarão a piscar juntas?

Resposta:

Divisores de um número natural

  • 7. Encontre todos os divisores dos seguintes números:

    • a) Divisores de 28:

  • b) Divisores de 72:

  • c) Divisores de 100:

  • d) Divisores de 26:

  • e) Divisores de 49:

  • f) Divisores de 71:

LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA
  • 8. Encontre os divisores comuns entre os seguintes pares de números:

    • a) 12 e 30

D(12) =

D(30) =

D(12, 30) =

23

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

b)

28 e 48

D(28) =

D(48) =

D(28, 48) =

c)

26 e 28

D(26) =

D(28) =

D(26, 28) =

d)

25 e 100

D(25) =

D(100) =

D(25, 100) =

e)

12 e 72

D(12) =

D(72) =

D(12, 72) =

f)

7 e 16

D(7) =

D(16) =

D(7, 16) =

24

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

9. Determine o maior divisor comum entre os pares de números da atividade anterior:

  • a) entre 12 e 30:

  • b) entre 28 e 48:

  • c) entre 26 e 28:

  • d) entre 25 e 100:

  • e) entre 12 e 72:

  • f) entre 7 e 16:

10. Temos dois tubos de PVC que devem ser cortados em pedaços iguais. O primeiro deles mede

24 metros e o segundo, 40 metros. Determine o maior tamanho que deve ter cada pedaço de

modo que os dois tubos sejam utilizados inteiramente, sem sobras. Represente as divisões nos

tubos ilustrados a seguir.

24 metros

40 metros

Resposta:

25

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

Números primos

11. Os números primos são muito importantes na Matemática.

O nome

“primo” vem

do

latim e significa “primeiro”. Um número primo só é divisível por 1 e por ele mesmo.

Os números que têm mais de dois divisores são chamados números compostos.

Classifique os números a seguir em primos ou compostos, preenchendo a tabela:

3, 6, 7, 11, 12, 13, 15, 21, 23, 24 e 31.

Números primos Números compostos
Números primos
Números compostos

Descobrindo os números primos

12. Agora você vai usar um método para descobrir todos os números primos existentes entre 1 e

100. Esse método foi inventado por um filósofo grego chamado Eratóstenes (século III a.C.),

que foi o chefe da maior biblioteca da Antiguidade, localizada na cidade de Alexandria.

Etapas:

  • a) Preencha a Tabela 1 com os 100 primeiros números naturais a partir do 1, em ordem crescente, alinhando as dezenas por colunas.

  • b) Risque o número 1, pois ele não é primo.

    • c) Risque da tabela todos os múltiplos de 2, maiores que 2. Em seguida, os múltiplos de 3, maiores que 3. Como o 4 já estará riscado, risque em seguida os múltiplos de 5 maiores que 5. E assim por diante, até completar a tabela.

  • d) Anote na Tabela 2 os números que ficaram sem riscar. Eles são os 25 números primos menores que 100.

26

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Tabela 1 – Crivo de Eratóstenes

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 Tabela 1 – Crivo de Eratóstenes

Tabela 2 – Os 25 números primos menores que 100

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 Tabela 1 – Crivo de Eratóstenes

27

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

13. Com base na atividade anterior, responda às seguintes perguntas:

a) Você observa alguma regularidade nessa sequência de números primos?

b) Com relação à terminação dos números, quais algarismos aparecem com mais frequência?

Quais os que nunca aparecem?

Preencha a tabela a seguir: Algarismo 1234567890 N o de vezes
Preencha a tabela a seguir:
Algarismo
1234567890
N o de vezes
Leitura e análise de texto Além de encontrar um papel na espionagem, os números primos também
Leitura e análise de texto
Além de encontrar um papel na espionagem, os números primos também aparecem
no mundo natural. As cigarras, mais notadamente a Magicicada septendecim, possuem o
ciclo de vida mais longo entre os insetos. A vida delas começa embaixo da terra, onde as
ninfas sugam pacientemente o suco da raiz das árvores. Então, depois de 17 anos de espera,
as cigarras adultas emergem do solo e voam em grande número, espalhando-se pelo campo.
Depois de algumas semanas elas acasalam, põem seus ovos e morrem.
A
pergunta que intrigava os biólogos
era:
por
que
o
ciclo
de vida
da cigarra
é
tão longo? E será que existe um significado no fato de o ciclo ser um número primo
de anos? Outra espécie, a Magicicada tredecim, forma seus enxames a cada 13 anos,
sugerindo
que um
ciclo vital
que dura
um número primo de anos oferece alguma
vantagem evolutiva.
28
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Uma teoria sugere que a cigarra tem um parasita com um ciclo igualmente longo,

que ela tenta evitar. Se o ciclo de vida do parasita for de, digamos, 2 anos, então

a cigarra procura evitar um ciclo vital que seja divisível por 2, pois, de outro modo, os ci-

clos da cigarra e do parasita vão coincidir regularmente. De modo semelhante, se o ciclo de

vida do parasita for de 3 anos, então a cigarra procura evitar um ciclo que seja divisível

por 3, para que seu aparecimento, e o do parasita, não volte a coincidir. No final, para

evitar se encontrar com seu parasita, a melhor estratégia para as cigarras seria ter um

ciclo de vida longo, durando um número primo de anos. Como nenhum número vai

dividir 17, a Magicicada septendecim raramente se encontrará com seu parasita. Se o

parasita tiver um ciclo de vida de 2 anos, eles só se encontrarão uma vez a cada 34

anos, e se ele tiver um ciclo mais longo, digamos, de 16 anos, então eles só vão se en-

contrar a cada 272 anos.

SINGH, Simon. O último teorema de Fermat. Rio de Janeiro: Record, 1999. p. 112-3.

VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

14. Com base no texto apresentado na seção Leitura e análise de texto, responda às questões

a seguir:

a) Sublinhe no texto as palavras cujo significado você desconhece. Em seguida, consulte um

dicionário e anote os significados encontrados.

b) Por que a cigarra desenvolve um ciclo de vida que dura um número primo de anos?

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 c) O que aconteceria se a cigarra tivesse

c)

O que aconteceria se a cigarra tivesse um ciclo de vida de 12 anos e o parasita, de 4 anos?

  • d) Explique, em termos matemáticos, a última frase do texto: “Se o parasita tiver um ciclo de vida de 2 anos, eles só se encontrarão uma vez a cada 34 anos, e se ele tiver um ciclo mais longo, digamos, de 16 anos, então eles só vão se encontrar a cada 272 anos”.

Potenciação

15. Todas as pessoas possuem antepassados, vivos ou mortos. Os nossos antepassados mais próxi-

mos são os nossos pais (pai e mãe). Em seguida, vêm os avós, dois por parte de pai e dois por

parte de mãe, totalizando quatro antepassados. E assim por diante, a cada geração dobrando o

número de antepassados.

  • a) Como se chamam os pais dos bisavós? E os avós dos bisavós?

  • b) Faça um diagrama para representar os seus antepassados até a quarta geração. (Observação: a primeira geração é a dos pais.)

30

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 c) Escreva o número de pessoas em cada

c)

Escreva o número de pessoas em cada geração na forma de potência.

d) Quantos antepassados uma pessoa tem na décima geração anterior?

  • e) Quantos são os trisavós dos seus tataravós?

Resposta:

16. Quantos resultados diferentes podem-se obter no lançamento de 2 dados numerados de 1 a 6?

E com 3 dados?

(Dica: desenhe um diagrama e identifique que potência representa melhor essa situação.)

31

?

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 3 NA MEDIDA CERTA: DOS NATURAIS ÀS FRAÇÕES VOCÊ APRENDEU?
!
SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 3
NA MEDIDA CERTA: DOS NATURAIS ÀS FRAÇÕES
VOCÊ APRENDEU?

As frações no Tangram

O Tangram é um quebra-cabeça chinês composto por sete figuras geométricas: cinco triângu-

los, um quadrado e um paralelogramo. Nesta atividade, você vai construir um Tangram por

meio de dobraduras e recortes. Acompanhe as instruções a seguir.

Material: uma folha de papel A4, tesoura, régua e lápis.

1 a Etapa: recorte um quadrado da folha de papel. Em seguida, dobre o quadrado ao meio

e recorte dois triângulos retângulos, unindo o ponto P ao P’.

P’ Excesso
P’
Excesso
  • P

Cortar

Cortar

? Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 ! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 3

32

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

2 a Etapa: divida um dos triângulos obtidos ao meio e corte em duas partes, obtendo os

triângulos 1 e 2.

1 2 P’ P
1
2
P’
P

Cortar

3 a Etapa: dobre o outro triângulo ao meio e, em seguida, junte o vértice ao ponto médio do

lado oposto, como mostra a figura. Em seguida, recorte o triângulo 3.

P 3 Cortar P’ 5 4 P’ Cortar Cortar P’ 7 6
P
3
Cortar
P’
5
4
P’
Cortar
Cortar
P’
7
6
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 2 Etapa : divida um dos

Cortar

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 2 Etapa : divida um dos

P

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 2 Etapa : divida um dos

4 a Etapa: dobre e recorte o triângulo 4 e o quadrado 5.

P
P

5 a Etapa: em seguida, dobre o trapézio restante e recorte o triângulo 6.

33

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Junte as sete peças e monte o quadrado maior com as figuras do Tangram.

1 4 5 2 6 3 7
1
4
5
2
6
3
7

Triângulos grandes: peças 1 e 2

Triângulo médio: peça 3

Triângulos pequenos: peças 4 e 6

Quadrado pequeno: peça 5

Paralelogramo: peça 7

Quadrado grande: Tangram completo

  • 1. Tendo como base as peças do Tangram, responda às seguintes perguntas:

    • a) Quantos triângulos pequenos são necessários para formar um quadrado pequeno?

  • b) Um triângulo pequeno corresponde a que fração do quadrado pequeno?

  • c) Um triângulo pequeno corresponde a que fração do triângulo grande?

  • d) O quadrado pequeno corresponde a que fração do triângulo grande?

  • e) O paralelogramo corresponde a que fração do quadrado grande?

  • f) Um triângulo pequeno corresponde a que fração do quadrado grande?

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

g) Um triângulo pequeno e um triângulo médio juntos correspondem a que fração do triângulo

grande?

  • h) O paralelogramo e um triângulo pequeno juntos correspondem a que fração do quadrado grande?

PESQUISA INDIVIDUAL 2. Pesquise em jornais e revistas e selecione uma notícia que faça uso de
PESQUISA INDIVIDUAL
2. Pesquise
em
jornais e revistas e selecione uma notícia que faça uso de frações.
Leve a notícia encontrada na próxima aula e faça um resumo sobre ela no espaço a
seguir, incluindo o valor ao qual se refere a fração encontrada.

35

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

Números mistos, frações e medidas

3. Determine a medida em polegadas dos seguintes objetos (como número misto e como fração).

A régua está graduada em inteiros, meios, quartos e oitavos de polegada.

a) Comprimento da caneta:

© Conexão Editorial
© Conexão Editorial

b) Comprimento da borracha:

© Conexão Editorial
© Conexão Editorial

36

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 c) Comprimento da tesoura:

c) Comprimento da tesoura:

© Conexão Editorial
© Conexão Editorial

d) Diâmetro de um CD:

© Conexão Editorial
© Conexão Editorial

37

?

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4 EQUIVALÊNCIAS E OPERAÇÕES COM FRAÇÕES VOCÊ APRENDEU?
!
SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4
EQUIVALÊNCIAS E OPERAÇÕES COM FRAÇÕES
VOCÊ APRENDEU?

Frações equivalentes

1. Obtenha as frações equivalentes das seguintes frações, completando o numerador ou denomi-

nador com o número apropriado:

 

3

12

30

  • a) =

=

=

=

5

5

30

  • b) =

10

100

100

=

=

=

4

5

1

  • c) =

40

30

100

=

=

=

25

40

8

  • d) =

10

2

100

=

100

10

=

3

12

  • e) =

21

=

=

 
 

7

35

72

12

  • f) =

90

=

45

Comparação de frações

2. Preencha as figuras de acordo com a fração. Em seguida, compare as frações de cada série usando

os sinais de desigualdade: maior que ( > ) ou menor que ( < ):

  • a) Denominador fixo, numeradores diferentes.

1 7 2 7
1
7
2
7

38

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
7 7 9 7 1 2 7 9 7 7 7 7 b) Numerador fixo, denominadores
7
7
9
7
1
2
7
9
7
7
7
7
b) Numerador fixo, denominadores diferentes.
2
3
2
4
2
6
2
12
2
2
2
2
3
4
6
12

c) Numeradores e denominadores diferentes.

(Verifique se a fração é maior ou menor que a metade.)

2 5 4 7 7 8 2 4 7 5 7 8
2
5
4
7
7
8
2
4
7
5
7
8

39

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA
  • 3. Compare as duas frações usando os sinais <, > ou .

2 2 9 9 a) f) 9 15 17 19 11 5 22 35 b) g)
2
2
9
9
a)
f)
9
15
17
19
11
5
22
35
b)
g)
10
10
45
60
3
3
9
c)
h)
2
10
9
8
33
77
4
7
d)
i)
100
100
8
14
5
12
e)
j)
3
3 1
12
5
3
4. Usando o princípio da equivalência, transforme as frações a seguir em frações de mesmo
denominador e compare-as, usando os sinais <, > ou .
2
7
5
7
a)
d)
5
15
12
18
7
13
2
5
b)
e)
4
10
10
25
4
5
32
6
c)
f)
7
8
100
20
VOCÊ APRENDEU?

Fração de um número natural

  • 5. Escreva as operações na forma de fração e calcule:

Exemplo: dois terços de 18

18 3 6

2 6 12

  • 3 2 18 12

__

40

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
  • a) metade de 420;

  • b) um quarto de 20;

    • c) três quartos de 60;

  • d) um quinto de 400;

    • e) três quintos de 600;

    • f) dois décimos de 700;

    • g) um sexto de 72;

41

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
  • h) vinte centésimos de 500.

6. As frações do relógio: calcule as frações indicadas e dê a resposta em minutos.

  • a) 1

de 1 hora:

4

  • b) 1

de 1 hora:

3

  • c) 1

de 1 hora:

5

  • d) 1

de 1 hora:

6

  • e) 3

de 1 hora:

4

  • f) 2

de 1 hora:

3

  • g) 2

de 1 hora:

5

© Dorling Kindersley/Getty Images
© Dorling Kindersley/Getty Images

42

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 5 h) de 1 hora:
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
5
h)
de 1 hora:

6

1

  • i) de 2 horas:

3

1

  • j) de 2 horas:

8

LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA
  • 7. Escreva a que fração da hora correspondem os minutos:

    • a) 30 minutos:

  • b) 10 minutos:

  • c) 15 minutos:

  • d) 1 minuto:

  • e) 50 minutos:

  • f) 20 minutos:

  • g) 25 minutos:

  • h) 36 minutos:

VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

Adição e subtração de frações

  • 8. Efetue as operações e dê o resultado em linguagem mista. Em seguida, escreva a operação na forma fracionária:

Exemplo: 3 quintos + 4 quintos = 7 quintos

4

  • 3 7

+

=

  • 5 5

5

43

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

a)

5 sétimos + 6 sétimos =

b)

2 terços + 8 terços =

c)

15 décimos – 6 décimos =

d)

18 quinze avos – 3 quinze avos =

e)

1 quarto + 5 quartos =

44

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

9. Escreva duas frações equivalentes à fração dada em linguagem mista:

Exemplo: 2 terços = 4 sextos = 6 nonos

  • a) 1 quinto =

  • b) 3 oitavos =

  • c) 7 décimos =

  • d) 7 sextos =

  • e) 20 centésimos =

10. Efetue as operações conforme o exemplo:

Linguagem mista

  • 3 quartos + 5 sétimos =

  • 3 7 vinte e oito avos + 5 4 vinte e oito avos =

    • 21 vinte e oito avos + 20 vinte e oito avos =

    • 41 vinte e oito avos

Forma fracionária

3

5

+

=

4

7

3 7

5 4

 

+

=

28

28

21

20

 

+

=

28

28

41

28

  • a) 2 quintos + 1 quarto =

Linguagem mista

Forma fracionária

45

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
  • b) 10 terços + 5 oitavos =

Linguagem mista

Forma fracionária

c)

5 meios – 2 quintos =

Linguagem mista

Forma fracionária

  • d) 15 quartos – 7 décimos =

Linguagem mista

Forma fracionária

46

?

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 5 O SOROBAN E OS NÚMEROS DECIMAIS Leitura e análise de texto
!
SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 5
O SOROBAN E OS NÚMEROS DECIMAIS
Leitura e análise de texto
Soroban, o ábaco japonês
Soroban é o nome do ábaco japonês. O ábaco é um dos instrumentos de cálculo e
registro numérico mais antigos da história da humanidade. Ele foi utilizado por diversos
povos e civilizações, entre eles os babilônios, os romanos, os árabes e os chineses. Não se
sabe ao certo quando o ábaco foi inventado, embora haja indícios de que os babilônios já
utilizavam esse instrumento desde o século III a.C. Na China, o ábaco surgiu por volta do
século XIII, com o nome de suan-pan, que significa “tábua de contar”.
O soroban é uma versão adaptada pelos japoneses do suan-pan chinês. Uma das prin-
cipais vantagens desse instrumento em relação aos outros ábacos é o menor número de
peças utilizadas para registrar os números. Além disso, ele foi utilizado não apenas para
contar e registrar números, mas também para realizar operações aritméticas como adição,
subtração, multiplicação, divisão e extração de raiz quadrada.
O desenvolvimento das técnicas de cálculo propiciou grande rapidez na realiza ção de
operações aritméticas. Em alguns casos, o cálculo com soroban chega a ser mais rápido do
que com a calculadora. As crianças japonesas aprendem a manusear o soroban na escola,
a partir dos 5 anos de idade. Ainda hoje, no Japão, é comum observarmos seu uso por
comer ciantes locais.
© Michael Maslan Historic Photographs/Corbis/Latinstock

47

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

A estrutura do soroban é muito semelhante à do sistema de numeração decimal. Cada haste

vertical representa uma casa decimal. As unidades estão representadas no centro, onde aparece

o sinal

. . .

À esquerda, estão localizadas as casas dos múltiplos da unidade (dezena, centena, milhar

etc.). À direita, os submúltiplos ou divisões da unidade (décimo, centésimo, milésimo etc.), confor-

me mostra a figura a seguir.

Godama Hari Ichidama Milhar Centena Dezena Unidade Décimo Centésimo Milésimo
Godama
Hari
Ichidama
Milhar
Centena
Dezena
Unidade
Décimo
Centésimo
Milésimo

Diferentemente do ábaco tradicional, o soroban não necessita de dez peças em cada haste para

repre sentar os algarismos de um número. Cada haste possui somente cinco peças, uma valendo

cinco e as demais, um. Desse modo, podemos representar os algarismos de 0 a 9 com menos

peças por haste.

A haste horizontal central, chamada hari , divide o soroban em duas partes. Na parte infe-

rior de cada haste vertical, existem quatro peças chamadas ichidama , que valem uma unidade

cada uma delas. O termo ichi em japonês significa “um”, e dama significa “peça”. Na parte

superior, encontra-se apenas uma peça por haste, chamada godama ( go é o número cinco, em

japonês), que vale 5 unidades.

Para uma peça representar valor, ela deve estar em contato com o hari ou encostada em outra

peça que está em contato com o hari. Assim, se em uma haste vertical nenhuma das peças estiver em

contato com o hari, o valor registrado nessa casa será zero. Se houver dois ichidama e um godama

deslocados de forma a entrar em contato com o hari na casa das unidades, então o valor registrado

será 7. A mesma configuração na casa das dezenas valerá 70. Na casa dos centésimos, 7 centésimos.

Vejamos alguns exemplos de representação de números no soroban. Para facilitar a leitura, as peças

em contato com o hari estarão pintadas de preto.

48

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 ichidama tocando o hari das unidades

ichidama tocando o hari das unidades

ichidama tocando o hari ichidama e 1 godama tocando o hari
ichidama tocando o hari
ichidama e 1 godama tocando o hari

1 godama ichidama tocando o hari 1 godama tocando o hari Nenhuma peça tocando o hari
1 godama ichidama
tocando o hari
1 godama tocando o hari
Nenhuma peça tocando
o hari das dezenas
1 ichidama tocando o hari

ichidama tocando o hari

49

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Construindo um soroban Para construir um soroban com 7 hastes, indo uma caixa de papelão de,
Construindo um soroban
Para construir um soroban com 7 hastes, indo
uma caixa de papelão de, aproximada-
de largura, para servir de estrutura do
soroban (pode ser uma caixa de sapatos);
de 6 a 8 canudinhos de plástico, para fazer os
ichidama e os godama;
8 palitos de madeira para churrasco (ou fio de
barbante), para fazer 7 hastes verticais e 1 hari.
Etapas
© Fernando Favoretto

meça o comprimento da parte frontal da caixa e calcule a distância necessária para fixar

7 hastes igualmente espaçadas entre si (

  • 8 1 do comprimento). Em seguida, faça 7 furos nas

__

meça o comprimento da parte lateral da caixa e calcule a distância em que será fixado o

__ hari ( 4 superior; 4 1 8
__
hari (
4
superior;
4
1
8

ichidama e 7 godama;

insira 4 ichidama e 1 godama em cada haste e as 7 hastes verticais nos furos feitos na caixa;

50

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

em seguida, coloque o hari pelos furos laterais, tomando o cuidado de separar os ichidama

dos godama;

faça o sinal

. .

na região da caixa acima da haste central, que representará a casa das uni-

dades. À esquerda desse sinal ficarão as hastes das dezenas, centenas e milhares. À direita,

ficarão as hastes dos décimos, centésimos e milésimos. . .
ficarão as hastes dos décimos, centésimos e milésimos.
.
.

O soroban

© Fernando Favoretto
© Fernando Favoretto
Dica importante! Antes de iniciar qualquer operação ou registro numérico, procure “zerar” o soroban, de modo
Dica importante!
Antes de iniciar qualquer operação ou registro numérico, procure “zerar” o soroban,
de modo que nenhuma peça fique em contato com o hari, ou seja, o valor inicial deve ser
sempre igual a zero.

51

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

1. Registre no soroban os números representados nas figuras. Em seguida, determine qual é o

100 80 0
100
80
0

a)

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 VOCÊ APRENDEU? 1. Registre no soroban os números

b)

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 VOCÊ APRENDEU? 1. Registre no soroban os números

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

c)

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 c) d) e)

d)

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 c) d) e)

e)

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 c) d) e)

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

soroban. Posteriormente, desenhe os ichidama e/ou godama que

  • a) 76,8

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 soroban . Posteriormente, desenhe os ichidama

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 soroban . Posteriormente, desenhe os ichidama
  • c) 0,0015

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 soroban . Posteriormente, desenhe os ichidama
  • d) 1 501,51

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 soroban . Posteriormente, desenhe os ichidama

54

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

e) 987,654

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 e) 987,654 LIÇÃO DE CASA soroban
LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA

soroban. Posteriormente, desenhe os ichidama e/ou godama que

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 e) 987,654 LIÇÃO DE CASA soroban

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 e) 987,654 LIÇÃO DE CASA soroban

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 e) 987,654 LIÇÃO DE CASA soroban

55

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 4. Registre os seguintes números decimais

4. Registre os seguintes números decimais no soroban. Depois, fazendo as transformações ne-

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 4. Registre os seguintes números decimais

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 4. Registre os seguintes números decimais

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 4. Registre os seguintes números decimais

56

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 5. Efetue as operações indicadas a

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 5. Efetue as operações indicadas a

5. Efetue as operações indicadas a seguir no soroban. Depois, registre o resultado obtido nas figu-

ras. (Observação soroban.)

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 5. Efetue as operações indicadas a

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 5. Efetue as operações indicadas a

57

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 58

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 58

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 58
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 58

58

?

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
! SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 6 EQUIVALÊNCIAS E OPERAÇÕES COM DECIMAIS VOCÊ APRENDEU?
!
SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 6
EQUIVALÊNCIAS E OPERAÇÕES COM DECIMAIS
VOCÊ APRENDEU?

Frações e números decimais

1. Complete a tabela a seguir, obedecendo à correspondência entre fração decimal, linguagem

mista e notação decimal.

Notação decimal Fração decimal Linguagem mista Unidade Décimo Centésimo Milésimo 9 a) 9 décimos 10 b)
Notação decimal
Fração decimal
Linguagem mista
Unidade
Décimo
Centésimo Milésimo
9
a)
9 décimos
10
b)
0,
0
7
c)
1 000
d)
0,
5
17
e)
17 milésimos
1 000
f)
g)
0,
7
5
h)
1,
5
1 100
i)
j)
k)
10

59

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

0,35 = 3 décimos + 5 centésimos =

3

___

10

+

5

____

100

= 0,3 + 0,05

60

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Frações equivalentes e números decimais equivalentes Linguagem 1 10 décimos de ... mista décimo centésimos milésimos
Frações equivalentes e números decimais equivalentes
Linguagem
1
10
décimos de
...
mista
décimo
centésimos
milésimos
milésimos
Fração
1
...
decimal
10
Número
0,1
...
decimal

4. Escreva em linguagem mista e na forma decimal os números representados pelas figuras da

-

dade, o retângulo representa o décimo e o quadrado menor, o centésimo.

Figura Linguagem mista Notação decimal a) b)
Figura
Linguagem mista
Notação decimal
a)
b)

61

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
c) d) e) f) g)
c)
d)
e)
f)
g)
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA

5. Preencha a tabela a seguir obedecendo à equivalência entre os submúltiplos da unidade.

Use frações para indicar o fracionamento da unidade.

Quanto vale em unidades em décimos em centésimos em milésimos 1 unidade 1 10 1 1
Quanto vale
em unidades
em décimos
em centésimos
em milésimos
1 unidade
1
10
1
1 décimo
1
10
1
1
1 centésimo
100
10
1
1
1
1 milésimo
1 000
100
10

 

centésimos

 

décimos

 

centésimos

 

décimos

 

unidades

décimos

 

unidades

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

Multiplicação e divisão por 10, 100, 1 000, ...

0,012 10 = 12 milésimos 10 = 12 centésimos = 0,12

g) 0,01

64

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

8. Escreva os números representados nos sorobans

a)

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 8. Escreva os números representados nos
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 8. Escreva os números representados nos
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 8. Escreva os números representados nos
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 8. Escreva os números representados nos
1,802
1,802
18,02
18,02
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 8. Escreva os números representados nos

b)

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 8. Escreva os números representados nos
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 8. Escreva os números representados nos
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 8. Escreva os números representados nos
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 8. Escreva os números representados nos
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 8. Escreva os números representados nos
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 8. Escreva os números representados nos
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 8. Escreva os números representados nos

65

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

a)

O que acontece com as peças do soroban quando multiplicamos um número por 10? E por

100? E por 1 000?

b)

O que acontece com as peças do soroban quando dividimos um número por 10? E por 100?

E por 1 000?

LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA

10. Preencha as tabelas efetuando as operações indicadas nas laterais.

a)

MCDU d c m 1, 8 10 10 10
MCDU
d
c m
1,
8
10
10
10

66

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

b)

c)

d)

e)

MCDU d c m 507 ÷ 10 ÷ 10 ÷ 10 MCDU d c m 1
MCDU
d
c
m
507
÷ 10
÷ 10
÷ 10
MCDU
d
c
m
1
100
÷ 1 000
÷ 10
MCD
U
d
c
m
0,
6
1
8
1 000
÷ 10
100
MCDU d c m 100 8 ÷ 1 000 10 000 67
MCDU
d
c m
100
8
÷ 1 000
10 000
67
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

11. Efetue as operações indicadas, colocando a vírgula na posição correta e/ou acrescentando zeros

a) 4 0 10 4 0 ÷ 1 000 4 0 10 4 0 b) 5
a)
4
0
10
4
0
÷ 1 000
4
0
10
4
0
b)
5
÷ 1 000
5
100
5
1 000
5

c)

815 ÷ 1 000 815 ÷ 100 815 10 815 68
815
÷ 1 000
815
÷ 100
815
10
815
68
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

d)

e)

6 1 000 6 ÷ 10 000 6 ÷ 100 6
6
1 000
6
÷ 10 000
6
÷ 100
6
1 456 ÷ 10 1 456 ÷ 100 1 456 10 000 1 4 5 6
1
456
÷ 10
1
456
÷ 100
1
456
10 000
1
4 5
6
VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

Localização de números decimais na reta

(A unidade de medida da régua é o centímetro, subdividido em milímetros.)

0 1 2345 6 7 8 9 10 © Conexão Editorial
0
1
2345
6
7
8
9
10
© Conexão Editorial

69

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

  • a) 0

a) 0
 

10

 
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
 
  • b) 0

 

1

a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
 
 
  • c) 0,5

 

0,6

a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
a) 0 10 b) c) 0,5 0,6 d) 1,45 e)
 
   


d)

d)
d)
d)
d)
d)
d)
d)
d)
d)
d)
d)
 
   

1,45


e)

e)
e)
e)
e)
e)
e)
e)
e)
e)
e)
e)

70

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA

< para “menor que” > para “maior que” = para “igual”
< para “menor que”
> para “maior que”
= para “igual”

 

0,7

0,100

 

 

0,7

VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

Operações com decimais

15. Efetue as operações entre as frações decimais. Transforme-as em frações equivalentes de mesmo

denominador.

a)

7 15

  • 100 1 000

b)

18

10

100

71

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 15 c) 100 10 1 000
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
15
c)
100
10
1 000

d)

100

e)

7

  • 10 100

f)

5

10

100

16. Usando a linguagem mista, faça as transformações para as mesmas unidades e efetue as opera-

32 décimos + 4 centésimos =

320 centésimos + 4 centésimos = 324 centésimos

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA

74

?

!

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
? ! Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 7

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 7

MEDIDAS NÃO PADRONIZADAS

Atividade experimental: medindo de diferentes maneiras

Contexto

-

queno? O cachorro é um animal grande? Ora, para responder a essas questões, precisamos ter uma

© Conexão Editorial
© Conexão Editorial

O cachorro é grande quando comparado a um rato, mas pequeno em relação ao cavalo.

© Conexão Editorial
© Conexão Editorial

E o cavalo é pequeno quando comparado à girafa.

75

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Para determinar se um objeto é grande ou pequeno, é preciso compará-lo com outro.

Essa é a ideia básica do que chamamos de medida. Medir é um processo de comparação entre

uma grandeza e outra, cujo resultado pode ser expresso por um número. Alguns exemplos de gran-

Toda medida envolve a comparação entre grandezas de mesmo tipo, isto é, podemos com-

parar a altura da girafa com a altura do cachorro, ou o peso do cavalo com o peso da girafa.

Contudo, não haveria sentido em compararmos o peso do cavalo com a altura do cachorro, pois

são grandezas diferentes.

Podemos medir a altura do cachorro comparando-a

com a altura

do rato. Para isso, é

preciso verificar quantas vezes a altura do rato “cabe” na do cachorro.

© Conexão Editorial
© Conexão Editorial

Nesse exemplo, podemos verificar que o resultado da medida é 5, ou seja, a altura do cachorro é

5 vezes a do rato. Nesse caso, dizemos que a unidade de medida utilizada foi a altura do rato.

Para compararmos duas grandezas de mesma espécie, geralmente escolhemos uma ter-

ceira grandeza como padrão. Ao longo da história, muitas referências foram adotadas como

Faremos, a seguir, uma atividade envolvendo medidas de comprimento utilizando diferentes

padrões.

Material necessário

Orientações

determinados objetos utilizando diferentes unidades de medida. Serão definidas duas categorias

as provenientes de objetos do cotidiano (palito de fósforo, caneta, cinto e cabo de vassoura).

76

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Unidades de medida não padronizadas Corpo humano Objetos do cotidiano Polegar Palito de fósforo Polegada Palmo
Unidades de medida não padronizadas
Corpo humano
Objetos do cotidiano
Polegar
Palito de fósforo
Polegada
Palmo aberto
Caneta
Passo simples
Cinto
Longitude dos braços abertos
Cabo de vassoura
© Samuel Silva
© Samuel Silva
© Samuel Silva
© Samuel Silva
© Fernando Favoretto
© Fernando Favoretto
© Jacek/Kino
© Jacek/Kino

77

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Comparação

como padrão, teremos de contar quantas vezes o comprimento do livro “cabe” no comprimento da

mesa. O resultado dessa medida poderá ser um número inteiro se o livro “couber” um número

exato de vezes na mesa. Por exemplo, 4 vezes. Nesse caso, o resultado da medida é o número 4.

Dizemos que a mesa mede 4 unidades “livro”.

Ou, então, pode ser um número “quebrado”, isto é, um número entre dois valores inteiros. Se no

comprimento da mesa “couber” mais do que 4 e menos do que 5 vezes o comprimento do livro, para

medir o comprimento total da mesa, precisaremos determinar a fração do comprimento do livro

de um livro. O resultado da medida é o

número misto 4

__

.

__

comprimento de um lápis;

altura de um aluno;

comprimento de uma carteira;

comprimento da sala;

largura da lousa.

Para cada objeto medido, escolham qual é a unidade-padrão mais adequada. Para cada objeto,

resultados de suas medidas na tabela a seguir.

Após a finalização da tarefa, os resultados obtidos pelos grupos serão compartilhados e

discutidos coletivamente, sob a orientação de seu professor. Unidades provenientes Unidades provenientes Objetos do corpo humano
discutidos coletivamente, sob a orientação de seu professor.
Unidades provenientes
Unidades provenientes
Objetos
do corpo humano
dos objetos do cotidiano
Comprimento de um lápis
Altura de um aluno
Comprimento de uma carteira
Comprimento da sala
Largura da lousa

78

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

  • a) Quais foram as unidades de medida usadas para medir o comprimento da carteira?

  • b) A longitude dos braços abertos é uma unidade adequada para medir o comprimento de um lápis? Por quê?

  • c) Houve diferença entre as medidas obtidas em cada grupo? Se sim, quais seriam as causas dessa diferença?

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 a) Quais foram as unidades de

79

?

!

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
? ! Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 8

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 8

MEDIDAS E TRANSFORMAÇÕES

? ! Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 8

Leitura e análise de texto

A criação do metro

Antigamente, a utilização de unidades de medida como o palmo ou o passo causava

uma série de problemas para as pessoas, principalmente no comércio. Como determinar a

medida exata de um produto se a unidade-padrão variava de tamanho? O desenvolvimen-

to das grandes cidades e o consequente aumento de intercâmbio entre os povos geraram a

necessidade de estabelecer padrões estáveis e confiáveis para as medidas.

Um desses padrões foi o metro. A palavra “metro” vem do grego métron, que signifi-

ca medida. O metro foi criado no final do século XVIII por uma comissão de cientistas,

da qual faziam parte os matemáticos Pierre Simon Laplace e Joseph-Louis Lagrange. Ao

contrário dos outros padrões de medida, que tinham o corpo humano como referência, o

metro foi definido com base no meridiano terrestre.

distância entre o polo Norte e o Equador, ao longo do meridiano que passava por Paris.

Imagine a quarta parte do meridiano terrestre dividida em 10 milhões de partes iguais.

Cada uma dessas partes mede 1 metro.

Porém, em virtude da pouca praticidade em se determinar tal distância, o comprimen-

to do metro foi registrado em uma barra metálica de platina e irídio, que está guardada na

cidade de Sèvres, na França. Construído o padrão, cópias exatas foram distribuídas para

diversos países, que passaram a adotar o metro como unidade-padrão de medida.

Em 1960, foi criado o Sistema Internacional de Unidades (SI), que definiu os prefi-

mento), quilograma (massa), segundo (tempo) etc. Essas divisões seguiram o mesmo

prin cípio do sistema numérico decimal, em que cada unidade corresponde a dez unida-

des da posição anterior. Não é por acaso que os três primeiros submúltiplos do metro

milímetro.

80

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
A tabela a seguir mostra os principais múltiplos e submúltiplos do metro. Múltiplos do metro Submúltiplos
A tabela a seguir mostra os principais múltiplos e submúltiplos do metro.
Múltiplos do metro
Submúltiplos do metro
quilô metro
hectô metro
decâmetro
metro
decímetro
centí metro
milímetro
(km)
(hm)
(dam)
(m)
(dm)
(cm)
(mm)
1
1
1
m
m
m
10
100
1 000
1 000 m
100 m
10 m
1 m
0,1 m
0,01 m
0,001 m
VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

1. Com base no texto apresentado na seção Leitura e análise de texto, responda às seguintes

a) Por que houve a necessidade de se criar uma unidade-padrão internacional para medidas

de comprimento?

b) Dê um exemplo de situação em que a adoção do palmo da mão como unidade de medida

poderia causar problemas.

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

c) Faça um desenho que ilustre a definição do padrão metro.

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

d) Com base nas informações do texto, determine quantos quilômetros mede o meridiano

terrestre.

I.

Altura de uma criança

a) 1,5 centímetro

II.

Comprimento de uma sala

b) 1,5 metro

IV. Largura de uma borracha

d) 10 metros

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

  • a) Quantos centímetros equivalem a 1 metro?

  • b) Quantos metros equivalem a 1 milímetro?

    • c) Quantos milímetros equivalem a 1 centímetro?

  • d) Quantos centímetros equivalem a 10 metros?

    • e) Quantos centímetros equivalem a 1 milímetro?

84

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
LIÇÃO DE CASA
LIÇÃO DE CASA

4. A régua a seguir possui medidas em centímetros (na parte superior) e polegadas (na parte infe-

1 4 5 6 7 8 9 10 11 14 15 16 1 4 5 6
1
4
5
6
7
8
9
10
11
14
15
16
1
4
5
6
© Conexão Editorial

85

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

5. A polegada é a unidade comumente usada para medir a tela dos televisores. Essa medida refere-se

32 polegadas © Conexão Editorial
32 polegadas
© Conexão Editorial

a) Quantos centímetros tem a diagonal da tela desse televisor?

86

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

b) Se a diagonal da tela de um televisor mede 1 metro, quantas polegadas, aproximadamente,

tem esse televisor?

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 b) Se a diagonal da tela

PESQUISA INDIVIDUAL

6. Faça uma pesquisa e descubra qual é a diferença de significado entre as palavras peso
6. Faça uma pesquisa e descubra qual é a diferença de significado entre as palavras peso
e massa.
87

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

Unidades de massa

7. Com base na tabela dos múltiplos e submúltiplos do metro, complete a tabela a seguir com o

valor de cada múltiplo e submúltiplo das unidades de massa. Múltiplos do grama Submúltiplos do grama
valor de cada múltiplo e submúltiplo das unidades de massa.
Múltiplos do grama
Submúltiplos do grama
quilograma
hectograma
decagrama
grama
decigrama
centigrama
miligrama
(kg)
(hg)
(dag)
(g)
(dg)
(cg)
(mg)
1 g

  • a) Quantos gramas há em 1 quilograma?

  • b) Quantos miligramas há em 1 quilograma?

    • c) Quantos quilogramas há em 1 tonelada?

  • d) Quantos gramas há em 1 tonelada?

    • e) Quantos quilogramas equivalem a 1 grama?

88

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1
Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1 PESQUISA INDIVIDUAL 9. Faça uma pesquisa

PESQUISA INDIVIDUAL

9. Faça uma pesquisa e descubra quanto valem as seguintes unidades de medida de massa e em que

situações geralmente são utilizadas.

1 arroba 1 onça 1 libra 1 quilate
1
arroba
1
onça
1
libra
1
quilate
Situações em que são utilizadas
Situações em que são utilizadas

89

Matemática – 5 a série/6 o ano – Volume 1

Matemática – 5 série/6 ano – Volume 1 VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?
VOCÊ APRENDEU?

Estimativas

  • a) a largura de uma caixa de fósforos;

  • b) o comprimento de uma sala de aula;

    • c) a espessura de um palito de fósforo;

  • d) a largura de uma rua;

    • e) a distância entre duas cidades;

    • f) a massa de uma caixa de fósforos;

90