Você está na página 1de 202
NOÇÕES BÁSICA DEDE SOCORRISMO NOÇÕES BÁSICA SOCORRISMO
NOÇÕES BÁSICA DEDE SOCORRISMO
NOÇÕES BÁSICA
SOCORRISMO
SISTEMA INTEGRADO DEDE SISTEMA INTEGRADO DEDE SISTEMA INTEGRADO SISTEMA INTEGRADO EMERG ÊÊ ÉÉ DICA EMERGÊÊNCIA NCIA
SISTEMA INTEGRADO DEDE
SISTEMA INTEGRADO DEDE
SISTEMA INTEGRADO
SISTEMA INTEGRADO
EMERG ÊÊ ÉÉ DICA
EMERGÊÊNCIA NCIA MMÉÉDICA DICA
EMERG NCIA MM DICA
EMERG NCIA
“SIEM”
“SIEM”
“SIEM”
“SIEM”
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: • Compreender o que é
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Compreender o que é o SIEM e quais os seus
intervenientes;
• Compreender como activar o sistema de
emergência médica;
• Saber utilizar o número europeu de socorro – 112
Princípios Gerais do Princípios Gerais do Socorrismo Socorrismo PREVENIR … ALERTAR … SOCORRER …
Princípios Gerais do
Princípios Gerais do
Socorrismo
Socorrismo
PREVENIR …
ALERTAR …
SOCORRER …
INEM INEM COORDENAÇÃO dodo SIEM COORDENAÇÃO SIEM SIEM SIEM OBJECTIVO: OBJECTIVO: Garantir aos sinistrados ou vítimas
INEM
INEM
COORDENAÇÃO dodo SIEM
COORDENAÇÃO
SIEM
SIEM
SIEM
OBJECTIVO:
OBJECTIVO:
Garantir aos sinistrados ou vítimas de doença
Garantir aos sinistrados ou vítimas de doença
súbita a correcta prestação de cuidados de
súbita a correcta prestação de cuidados de
Saúde e transporte à unidade adequada
Saúde e transporte à unidade adequada
INTERVENIENTES INTERVENIENTES HOSPITAIS HOSPITAIS BOMBEIROS BOMBEIROS CVP CVP PÚBLICO PÚBLICO TRIPULANTES TRIPULANTES DE AMBULÂNCIA DE AMBULÂNCIA
INTERVENIENTES
INTERVENIENTES
HOSPITAIS
HOSPITAIS
BOMBEIROS
BOMBEIROS
CVP
CVP
PÚBLICO
PÚBLICO
TRIPULANTES
TRIPULANTES
DE AMBULÂNCIA
DE AMBULÂNCIA
OPERADORES
OPERADORES DEDE CENTRAL
CENTRAL
MÉDICOS EE ENFERMEIROS
MÉDICOS
ENFERMEIROS
AGENTES
AGENTES DEDE AUTORIDADE
AUTORIDADE
FASES FASES dodo SIEM SIEM SIEM SIEM Detecção Detecção Protecção Protecção Alerta Alerta Hospital Hospital SIEM
FASES
FASES dodo SIEM
SIEM SIEM
SIEM
Detecção
Detecção
Protecção
Protecção
Alerta
Alerta
Hospital
Hospital
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
Pré
Pré--Socorro
Socorro
Transporte
Transporte
Socorro
Socorro
FASES dodo SIEM FASES SIEM SIEM SIEM Alerta Alerta Hospital Hospital SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM
FASES dodo SIEM
FASES
SIEM SIEM
SIEM
Alerta
Alerta
Hospital
Hospital
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
Pré--Socorro
Pré
Socorro
Transporte
Transporte
Socorro
Socorro
FASES FASES dodo SIEM SIEM SIEM SIEM Hospital Hospital SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM
FASES
FASES dodo SIEM
SIEM SIEM
SIEM
Hospital
Hospital
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
Pré
Pré--Socorro
Socorro
Transporte
Transporte
Socorro
Socorro
FASES FASES dodo SIEM SIEM SIEM SIEM Hospital Hospital SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM
FASES
FASES dodo SIEM
SIEM SIEM
SIEM
Hospital
Hospital
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
Transporte
Transporte
Socorro
Socorro
FASES FASES dodo SIEM SIEM SIEM SIEM Hospital Hospital SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM
FASES
FASES dodo SIEM
SIEM SIEM
SIEM
Hospital
Hospital
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
Transporte
Transporte
Socorro
Socorro
FASES FASES dodo SIEM SIEM SIEM SIEM Hospital Hospital SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM
FASES
FASES dodo SIEM
SIEM SIEM
SIEM
Hospital
Hospital
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
Socorro
Socorro
FASES dodo SIEM FASES SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM SIEM Socorro
FASES dodo SIEM
FASES
SIEM SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
SIEM
Socorro
Socorro
FASES dodo SIEM FASES SIEM SIEM SIEM
FASES dodo SIEM
FASES
SIEM SIEM
SIEM
ACTIVAÇÃO ACTIVAÇÃO Nº telefone Nº telefone LIGAR 112 LIGAR 112 Localização Localização OO que aconteceu que
ACTIVAÇÃO
ACTIVAÇÃO
Nº telefone
Nº telefone
LIGAR 112
LIGAR 112
Localização
Localização
OO que aconteceu
que aconteceu
Nº pessoas
Nº pessoas
Condição emem que
Condição
que sese encontram
encontram
OO que
que jájá foi feito
foi feito
Qualquer outro dado solicitado
Qualquer outro dado solicitado
CODU CODU Centro Centro dede Orientação Orientação dede Doentes Urgentes Doentes Urgentes Atendimento Atendimento Atendimento Atendimento
CODU
CODU
Centro
Centro dede Orientação
Orientação dede Doentes Urgentes
Doentes Urgentes
Atendimento
Atendimento
Atendimento
Atendimento
Triagem
Triagem
Triagem
Triagem
Aconselhamento
Aconselhamento
Aconselhamento
Aconselhamento
Accionamento Meios
Accionamento Meios
Accionamento Meios
Accionamento Meios
Acompanhamento Meios
Acompanhamento Meios
Acompanhamento Meios
Acompanhamento Meios nononono local
local
local
local
Preparação recepção hospitalar
Preparação recepção hospitalar
Preparação recepção hospitalar
Preparação recepção hospitalar
AMBULÂNCIAS AMBULÂNCIAS Ambulâncias Ambulâncias dede Socorro Socorro Estabilização ee transporte Estabilização transporte DDoentes o entes queue
AMBULÂNCIAS
AMBULÂNCIAS
Ambulâncias
Ambulâncias dede Socorro
Socorro
Estabilização ee transporte
Estabilização
transporte
DDoentes
o
entes queue necessit
q
necessitamm
a
assistência durante o
assistência durante o
transporte
transporte
Tripulação
Tripulação
Suporte básico dede vida
Suporte básico
vida
Equipamento
Equipamento
VMER VMER Viatura Médica Viatura Médica dede Emergência Emergência ee Reanimação Reanimação Transporte de equipa médica
VMER
VMER
Viatura Médica
Viatura Médica dede Emergência
Emergência ee Reanimação
Reanimação
Transporte de equipa médica
Transporte de equipa médica
Ao local onde está o doente
Ao local onde está o doente
Acompanhamento durante
Acompanhamento durante
o transporte
o transporte
Tripulação
Tripulação
Suporte avançado
Suporte avançado dede vida
vida
Equipamento
Equipamento
HELI HELI Transporte doentes graves Transporte doentes graves Entre unidades hospitalares Entre unidades hospitalares Do local
HELI
HELI
Transporte doentes graves
Transporte doentes graves
Entre unidades hospitalares
Entre unidades hospitalares
Do local dada ocorrência
Do local
ocorrência -- hospital
hospital
Tripulação
Tripulação
Suporte avançado
Suporte avançado dede vida
vida
Equipamento
Equipamento
CODU-Mar CODU-Mar Aconselhamento médico Aconselhamento médico Situações emergência Situações emergência Organizar Organizar Accionar aa evacuação Accionar
CODU-Mar
CODU-Mar
Aconselhamento médico
Aconselhamento médico
Situações emergência
Situações emergência
Organizar
Organizar
Accionar aa evacuação
Accionar
evacuação
Acolhimento emem terra
Acolhimento
terra
Encaminhamento para hospital
Encaminhamento para hospital
CIAV CIAV Centro dede Informação Anti-Venenos Centro Informação Anti-Venenos Centro médico Centro médico dede informação toxicológica
CIAV
CIAV
Centro dede Informação Anti-Venenos
Centro
Informação Anti-Venenos
Centro médico
Centro médico dede informação toxicológica
informação toxicológica
Diagnóstico
Diagnóstico
Toxicidade
Toxicidade
Intoxicações
Intoxicações
Terapêutica
Terapêutica
Prognóstico
Prognóstico
RN-ALTO RISCO RN-ALTO RISCO Recém-nascidos emem risco Recém-nascidos risco Prematuros Prematuros Transporte para hospitais Transporte para
RN-ALTO RISCO
RN-ALTO RISCO
Recém-nascidos emem risco
Recém-nascidos
risco
Prematuros
Prematuros
Transporte para hospitais
Transporte para hospitais
com Neonatologia
com Neonatologia
Tripulação
Tripulação
Estabilização
Estabilização ee transporte
transporte
Equipamento
Equipamento
SUMÁRIO SUMÁRIO • O I.N.E.M. coordena um conjunto de serviços para responder às situações de emergência
SUMÁRIO
SUMÁRIO
• O I.N.E.M. coordena um conjunto de serviços para
responder às situações de emergência médica;
• A participação de qualquer cidadão é fundamental;
• Ao ligar 112 esteja preparado para responder:
“Onde”, “O quê” e “Quem”
SUPORTE BÁSICO DEDEDEDE SUPORTE BÁSICO SUPORTE BÁSICO SUPORTE BÁSICO VIDA ADULTO VIDA ADULTO VIDA ADULTO VIDA
SUPORTE BÁSICO DEDEDEDE
SUPORTE BÁSICO
SUPORTE BÁSICO
SUPORTE BÁSICO
VIDA ADULTO
VIDA ADULTO
VIDA ADULTO
VIDA ADULTO
OBJECTIVOS OBJECTIVOS OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: ••Compreender Compreender oo
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
••Compreender
Compreender oo conceito
conceito dede SBV
SBV
••Compreender
Compreender asas etapas
etapas dodo SBV
SBV
••Saber
Saber aa sequência das acções
sequência das acções emem SBV
SBV
••Reconhecer
Reconhecer problemas associados aoao SBV
problemas associados
SBV
DEFINIÇÃO DEFINIÇÃO DEFINIÇÃO DEFINIÇÃO Conjunto dede procedimentos Conjunto Conjunto Conjunto dede procedimentos procedimentos ee atitudes procedimentos
DEFINIÇÃO
DEFINIÇÃO
DEFINIÇÃO
DEFINIÇÃO
Conjunto dede procedimentos
Conjunto
Conjunto
Conjunto dede procedimentos
procedimentos ee atitudes
procedimentos ee atitudes
atitudes
atitudes
padronizadas com
padronizadas com
padronizadas com oo objectivo de:
padronizadas com oo objectivo de:
objectivo de:
objectivo de:
Reconhecer
Reconhecer
Reconhecer
Reconhecer asasasas situações
situações situações
situações emememem que
que que
que háháháhá perigo
perigo perigo
perigo dededede vida
vida vida
vida
Saber como eeee quando pedir ajuda
Saber como
Saber como
Saber
como
quando quando pedir pedir ajuda ajuda
quando pedir ajuda
Saber
Saber
Saber
Saber
iniciar
iniciar
iniciar
iniciar
dede
dede
imediato,
imediato,
imediato,
imediato,
sem
sem
sem
sem
recurso
recurso
recurso
recurso
aa
aa
qualquer equipamento
qualquer equipamento
qualquer
qualquer
equipamento manobras
equipamento manobras
manobras que
manobras que
que contribuam
que contribuam
contribuam
contribuam
para
para preservar
para
para preservar
preservar aa circulação
preservar aa circulação
circulação ee oxigenação
circulação ee oxigenação
oxigenação até
oxigenação até
até
até
àà
àà
chegada dede ajuda
chegada
chegada
chegada dede ajuda
ajuda diferenciada
ajuda diferenciada
diferenciada..
diferenciada..
LIMITAÇÕES LIMITAÇÕES LIMITAÇÕES LIMITAÇÕES DODODODO SBV SBV SBV SBV Os procedimentos dede SBV, não são por
LIMITAÇÕES
LIMITAÇÕES
LIMITAÇÕES
LIMITAÇÕES DODODODO SBV
SBV
SBV
SBV
Os procedimentos dede SBV, não são por si só,
Os procedimentos
Os procedimentos dede SBV, não são por si si só,
Os procedimentos
SBV, não são por si só,
SBV, não são por
só,
suficientes para recuperar aa maior parte das
suficientes para recuperar
suficientes para recuperar
suficientes para recuperar aa maior parte das
maior parte das
maior parte das
vítimas dede PCR
vítimas
vítimas
vítimas dede PCR
PCR
PCR
•É uma situação de suporte
•Manter a ventilação e circulação
suficientes até conseguir meios de
reverter a PCR
SEGURANÇA SEGURANÇA SEGURANÇA SEGURANÇA VERIFICAR AS CONDIÇÕES DE SEGURANÇA DA VÍTIMA E DO REANIMADOR
SEGURANÇA
SEGURANÇA
SEGURANÇA
SEGURANÇA
VERIFICAR AS CONDIÇÕES
DE SEGURANÇA DA VÍTIMA
E DO REANIMADOR
AVALIAÇÃO ESTADO CONSCIÊNCIA AVALIAÇÃO ESTADO CONSCIÊNCIA AVALIAÇÃO ESTADO CONSCIÊNCIA AVALIAÇÃO ESTADO CONSCIÊNCIA Está bem? Sente-se bem?
AVALIAÇÃO ESTADO CONSCIÊNCIA
AVALIAÇÃO ESTADO CONSCIÊNCIA
AVALIAÇÃO ESTADO CONSCIÊNCIA
AVALIAÇÃO ESTADO CONSCIÊNCIA
Está bem?
Sente-se bem?
Abanar suavemente os ombros
RESPONDE RESPONDE RESPONDE RESPONDE • Não Não aa mexer mexer dada posição posição emem que está
RESPONDE
RESPONDE
RESPONDE
RESPONDE
• Não
Não aa mexer
mexer dada posição
posição emem que está
que está
•• Perguntar
Perguntar sese tem queixas
tem queixas
•• Verificar
Verificar sese háhá sinais externos dede feridas
sinais externos
feridas
•• SeSe necessário
necessário irir pedir ajuda
pedir ajuda
•• Reavaliar periodicamente
Reavaliar periodicamente
NÃO RESPONDE NÃO RESPONDE NÃO RESPONDE NÃO RESPONDE AJUDA !! •• Iniciar Iniciar aa avaliação avaliação
NÃO RESPONDE
NÃO RESPONDE
NÃO RESPONDE
NÃO RESPONDE
AJUDA !!
••
Iniciar
Iniciar aa avaliação
avaliação dada respiração
respiração
AVALIAÇÃO DADADADA VENTILAÇÃO AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO VENTILAÇÃO VENTILAÇÃO VENTILAÇÃO Observar a cavidade oral Permeabilizar a via
AVALIAÇÃO DADADADA VENTILAÇÃO
AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO
VENTILAÇÃO
VENTILAÇÃO
VENTILAÇÃO
Observar a cavidade oral
Permeabilizar a via aérea
Permeabilizar a via aérea
Extensão da cabeça
Extensão da cabeça
PERMEABILIZAÇÃO PERMEABILIZAÇÃO DADADADA VIA AÉREA PERMEABILIZAÇÃO PERMEABILIZAÇÃO VIA AÉREA VIA AÉREA VIA AÉREA • Vítima inconsciente
PERMEABILIZAÇÃO
PERMEABILIZAÇÃO DADADADA VIA AÉREA
PERMEABILIZAÇÃO
PERMEABILIZAÇÃO
VIA AÉREA
VIA AÉREA
VIA AÉREA
• Vítima inconsciente
• Vítima inconsciente
• Queda da língua
• Queda da língua
•• Obstrução via aérea
Obstrução via aérea
Permeabilização da via aérea
PERMEABILIZAÇÃO DADADADA VIA AÉREA PERMEABILIZAÇÃO PERMEABILIZAÇÃO PERMEABILIZAÇÃO VIA AÉREA VIA AÉREA VIA AÉREA •• Vítima trauma
PERMEABILIZAÇÃO DADADADA VIA AÉREA
PERMEABILIZAÇÃO
PERMEABILIZAÇÃO
PERMEABILIZAÇÃO
VIA AÉREA
VIA AÉREA
VIA AÉREA
•• Vítima trauma
Vítima trauma
Elevação da mandíbula
VERIFICAR SESESESE VENTILA VERIFICAR VERIFICAR VERIFICAR VENTILA VENTILA VENTILA 10 Segundos Ver Ouvir Sentir
VERIFICAR SESESESE VENTILA
VERIFICAR
VERIFICAR
VERIFICAR
VENTILA
VENTILA
VENTILA
10 Segundos
Ver
Ouvir
Sentir
VENTILA VENTILA VENTILA VENTILA Colocar em posição lateral de segurança • Ir pedir ajuda • Ir
VENTILA
VENTILA
VENTILA
VENTILA
Colocar em posição lateral de segurança
• Ir pedir ajuda
• Ir pedir ajuda
• Vigiar regularmente
• Vigiar regularmente
NÃO VENTILA NÃO VENTILA NÃO VENTILA NÃO VENTILA Ligar 112 Ligar 112 ••IrIr buscar ajuda buscar
NÃO VENTILA
NÃO VENTILA
NÃO VENTILA
NÃO VENTILA
Ligar 112
Ligar 112
••IrIr buscar ajuda
buscar ajuda
• Abandonando a vítima se estiver sozinho
• Certificar-se que outra pessoa o faz
EXCEPÇÕES EXCEPÇÕES EXCEPÇÕES EXCEPÇÕES Não abandona a vítima • Trauma • Pré-afogamento • Intoxicações • Crianças
EXCEPÇÕES
EXCEPÇÕES
EXCEPÇÕES
EXCEPÇÕES
Não abandona a vítima
• Trauma
• Pré-afogamento
• Intoxicações
Crianças
SESESESE NÃO VENTILA NÃO VENTILA NÃO VENTILA NÃO VENTILA • Iniciar compressões torácicas no centro do
SESESESE NÃO VENTILA
NÃO VENTILA
NÃO VENTILA
NÃO VENTILA
• Iniciar compressões torácicas no centro
do torax na junção do 1/3 médio com o
1/3 inferior do esterno
PONTO DEDE COMPRESSÃO PONTO COMPRESSÃO
PONTO DEDE COMPRESSÃO
PONTO
COMPRESSÃO
COMPRESSÕES TORÁCICAS COMPRESSÕES TORÁCICAS COMPRESSÕES TORÁCICAS COMPRESSÕES TORÁCICAS 100/min 4-5 cm
COMPRESSÕES TORÁCICAS
COMPRESSÕES TORÁCICAS
COMPRESSÕES TORÁCICAS
COMPRESSÕES TORÁCICAS
100/min
4-5 cm
COMPRESSÕES //// VENTILAÇÕES COMPRESSÕES COMPRESSÕES COMPRESSÕES VENTILAÇÕES VENTILAÇÕES VENTILAÇÕES 30:22 Não pára até: •Chegada de S.A.V.
COMPRESSÕES //// VENTILAÇÕES
COMPRESSÕES
COMPRESSÕES
COMPRESSÕES
VENTILAÇÕES
VENTILAÇÕES
VENTILAÇÕES
30:22
Não pára até:
•Chegada de S.A.V.
•Exaustão
•Respiração eficaz da vitima
VENTILAÇÃO VENTILAÇÃO VENTILAÇÃO VENTILAÇÃO Boca -Boca Boca -Mascara 2 insuflações
VENTILAÇÃO
VENTILAÇÃO
VENTILAÇÃO
VENTILAÇÃO
Boca -Boca
Boca -Mascara
2 insuflações
VENTILAÇÃO VENTILAÇÃO VENTILAÇÃO VENTILAÇÃO • Insuflações lentas (duração 2”) • Observar expansão do tórax • Deixar
VENTILAÇÃO
VENTILAÇÃO
VENTILAÇÃO
VENTILAÇÃO
• Insuflações lentas (duração 2”)
• Observar expansão do tórax
• Deixar sair o ar mantendo posicionamento da cabeça
SUMÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO SBV permite ganhar até chegada de SAV Baseia-se na metodologia A B
SUMÁRIO
SUMÁRIO
SUMÁRIO
SUMÁRIO
SBV permite ganhar até chegada de SAV
Baseia-se na metodologia A B C:
•A - permeabilizar via Aérea
•B - ventilação (Breathing)
•C - Circulação (Circulation)
SUMÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO É fundamental saber pedir ajuda É fundamental saber pedir ajuda Iniciar de
SUMÁRIO
SUMÁRIO
SUMÁRIO
SUMÁRIO
É fundamental saber pedir ajuda
É fundamental saber pedir ajuda
Iniciar de imediato as manobras correctas
Iniciar de imediato as manobras correctas
Para que o resultado final possa ser uma
Para que o resultado final possa ser uma
vida salva
vida salva
ALGORITMO ALGORITMO DEDEDEDE ALGORITMO ALGORITMO SBV ADULTO SBV ADULTO SBV ADULTO SBV ADULTO
ALGORITMO
ALGORITMO DEDEDEDE
ALGORITMO
ALGORITMO
SBV ADULTO
SBV ADULTO
SBV ADULTO
SBV ADULTO
Algoritmo Algoritmo dededede SBV Algoritmo Algoritmo SBV SBV SBV ---- Adulto Adulto Adulto Adulto SEGURANÇA! Abane
Algoritmo
Algoritmo dededede SBV
Algoritmo
Algoritmo
SBV
SBV
SBV ---- Adulto
Adulto Adulto
Adulto
SEGURANÇA!
Abane e chame alto
Procurar feridas
Responde
simsim
e sinais de trauma
não
não
30:22
Gritar por ajuda!
Gritar por ajuda!
Permeabilizar V.A
Verificar se ventila
V.O.S Durante 10s
Posição Lateral de Segurança
Ventila
Sim
Sim
Não
Não
IrIr buscar ajuda! 112
buscar ajuda! 112
INTERVALO INTERVALO INTERVALO INTERVALO
INTERVALO
INTERVALO
INTERVALO
INTERVALO
OBSTRUÇÃO DADADADA VIA OBSTRUÇÃO OBSTRUÇÃO OBSTRUÇÃO VIA VIA VIA AÉREA AÉREA AÉREA AÉREA
OBSTRUÇÃO DADADADA VIA
OBSTRUÇÃO
OBSTRUÇÃO
OBSTRUÇÃO
VIA
VIA
VIA
AÉREA
AÉREA
AÉREA
AÉREA
OBJECTIVOS OBJECTIVOS OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: •• Identificar Identificar
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
•• Identificar
Identificar osos sinais
sinais ee sintomas
sintomas dede obstrução
obstrução
dada via aérea emem vítima adulta
via aérea
vítima adulta
•• Reconhecer
Reconhecer osos diversos tipos dede obstrução
diversos tipos
obstrução dada
via aérea
via aérea
•• Conhecer
Conhecer oo algoritmo específico dede actuação
algoritmo específico
actuação
para
para aa desobstrução
desobstrução dada via aérea
via aérea
DIAGNÓSTICO DIAGNÓSTICO Sinais e sintomas oo Tosse Tosse ouou tentativa tentativa dede tossir tossir oo Respiração
DIAGNÓSTICO
DIAGNÓSTICO
Sinais e sintomas
oo Tosse
Tosse ouou tentativa
tentativa dede tossir
tossir
oo Respiração ruidosa
Respiração ruidosa
oo Dificuldade respiratória
Dificuldade respiratória
oo Movimentos respiratórios ineficazes
Movimentos respiratórios ineficazes
oo Aflição
Aflição
oo Não consegue falar
Não consegue falar
oo “Engasgado”
“Engasgado”
OBSTRUÇÃO OBSTRUÇÃO OBSTRUÇÃO OBSTRUÇÃO DADADADA VIA AÉREA VIA AÉREA VIA AÉREA VIA AÉREA OBSTRUÇÃO OBSTRUÇÃO OBSTRUÇÃO
OBSTRUÇÃO
OBSTRUÇÃO
OBSTRUÇÃO
OBSTRUÇÃO DADADADA VIA AÉREA
VIA AÉREA
VIA AÉREA
VIA AÉREA
OBSTRUÇÃO
OBSTRUÇÃO
OBSTRUÇÃO
OBSTRUÇÃO
PATOLÓGICA
PATOLÓGICA
PATOLÓGICA
PATOLÓGICA
MECÂNICA
MECÂNICA
MECÂNICA
MECÂNICA
ANATÓMICA
ANATÓMICA
ANATÓMICA
ANATÓMICA
PARCIAL
PARCIAL
TOTAL
TOTAL
TOTAL
TOTAL
CLASSIFICAÇÕES CLASSIFICAÇÕES • PARCIAL – Passa algum ar Tosse Respira Ruídos Fala
CLASSIFICAÇÕES
CLASSIFICAÇÕES
• PARCIAL – Passa algum ar
Tosse
Respira
Ruídos
Fala
CLASSIFICAÇÕES CLASSIFICAÇÕES • TOTAL – Não passa ar nenhum Não tosse Não respira Movimentos paradoxais (tórax
CLASSIFICAÇÕES
CLASSIFICAÇÕES
• TOTAL – Não passa ar nenhum
Não tosse
Não respira
Movimentos paradoxais
(tórax dentro/abdómen fora)
O. O. ANATÓMICA ANATÓMICA Adulto Adulto //// Inconsciente Adulto Adulto Inconsciente Inconsciente Inconsciente •• Queda Queda
O.
O.
ANATÓMICA
ANATÓMICA
Adulto
Adulto //// Inconsciente
Adulto
Adulto
Inconsciente
Inconsciente
Inconsciente
•• Queda
Queda dada língua
língua
••Suspeitar
Suspeitar emem todos
todos inconscientes
inconscientes
••“parece
“parece que
que ressona”
ressona”
SBV
Ligar 112
Ligar 112
O. O. PATOLÓGICA PATOLÓGICA Edema dos tecidos Edema dos tecidos dadadada via aérea Edema dos tecidos
O.
O.
PATOLÓGICA
PATOLÓGICA
Edema dos tecidos
Edema dos tecidos dadadada via aérea
Edema dos tecidos
Edema dos tecidos
via aérea
via aérea
via aérea
•• Reacção alérgica
•• Reacção alérgica
Reacção alérgica
Reacção alérgica
•• ••
Neoplasias (“Tumores”)
Neoplasias (“Tumores”)
Neoplasias (“Tumores”)
Neoplasias (“Tumores”)
•• Inflamação
•• Inflamação
Inflamação
Inflamação
SBV
Ligar 112
Ligar 112
O. O. MECÂNICA MECÂNICA Adulto (inicialmente consciente) Adulto (inicialmente consciente) Adulto (inicialmente consciente) Adulto (inicialmente consciente)
O.
O.
MECÂNICA
MECÂNICA
Adulto (inicialmente consciente)
Adulto (inicialmente consciente)
Adulto (inicialmente consciente)
Adulto (inicialmente consciente)
•• CCorpo
orpo esesttran
ranhhoo
••Líquido
Líquido
••Sólido
Sólido
Algoritmo Algoritmo dededede Desobstrução Algoritmo Algoritmo Desobstrução Desobstrução Desobstrução VAVAVAVA ---- Presenciada Presenciada Presenciada Presenciada Tosse
Algoritmo
Algoritmo dededede Desobstrução
Algoritmo
Algoritmo
Desobstrução
Desobstrução
Desobstrução VAVAVAVA ---- Presenciada
Presenciada Presenciada
Presenciada
Tosse ineficaz, incapaz
Vítima
Consegue tossir
Consciente
de falar ou respirar
eficazmente
Encorajar tosse
Encorajar tosse
Não
Continuar até
Continuar até
Desobstrução
tosse ineficaz
tosse ineficaz
Sim
X5
X5
Desobstrução
Não
Sim
Continuar até
ficar inconsciente
Algoritmo Algoritmo Algoritmo Algoritmo dededede Desobstrução Desobstrução VAVAVAVA ---- Presenciada Desobstrução Desobstrução Presenciada Presenciada Presenciada Vítima
Algoritmo
Algoritmo
Algoritmo
Algoritmo dededede Desobstrução
Desobstrução VAVAVAVA ---- Presenciada
Desobstrução
Desobstrução
Presenciada Presenciada
Presenciada
Vítima
Fica
Inconsciente
112
112
Algoritmo
de SBV
30:22
SUMÁRIO SUMÁRIO ••AA obstrução ••AA obstrução obstrução dada via aérea éé uma obstrução dada via aérea
SUMÁRIO
SUMÁRIO
••AA obstrução
••AA obstrução
obstrução dada via aérea éé uma
obstrução dada via aérea éé uma
via aérea
via aérea
uma
uma
situação potencialmente fatal.
situação potencialmente fatal.
situação potencialmente fatal.
situação potencialmente fatal.
••Conhecer
••Conhecer
Conhecer asas medidas
Conhecer asas medidas
medidas aa adoptar
medidas aa adoptar
adoptar
adoptar
pode evitar
pode evitar aa PCR
pode evitar aa PCR
pode evitar
PCR ee salvar uma
PCR ee salvar uma
salvar uma
salvar uma
vida
vida
vida
vida
PRÁTICAS PRÁTICAS PRÁTICAS PRÁTICAS
PRÁTICAS
PRÁTICAS
PRÁTICAS
PRÁTICAS
CHOQUE CHOQUE CHOQUE CHOQUE
CHOQUE
CHOQUE
CHOQUE
CHOQUE
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: • Relacionar diminuição do volume
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Relacionar diminuição do volume de sangue, hemorragia
e choque
• Listar e descrever os principais mecanismos de choque
• Listar e descrever principais tipos tipos de choque
• Listar e descrever os passos da actuação para choque
CHOQUE CHOQUE OO aporte OO aporte aporte dede sangue aporte dede sangue sangue ee oxigénio não
CHOQUE
CHOQUE
OO aporte
OO aporte
aporte dede sangue
aporte dede sangue
sangue ee oxigénio não éé suficiente
sangue ee oxigénio não éé suficiente
oxigénio não
oxigénio não
suficiente
suficiente
face
face asas necessidades
face asas necessidades
face
necessidades dodo organismo
necessidades dodo organismo
organismo
organismo
OO choque traduz umum episodio
OO choque traduz umum episodio
choque traduz
choque traduz
episodio dede insuficiência
episodio dede insuficiência
insuficiência
insuficiência
circulatória aguda
circulatória aguda
circulatória aguda
circulatória aguda
Define uma situação dede diminuição
Define uma situação
Define uma situação
Define uma situação dede diminuição
diminuição dede circulação
diminuição dede circulação
circulação
circulação
aoao nível dos tecidos
aoao nível dos tecidos
nível dos tecidos,, com incapacidade dede nutrir
nível dos tecidos,, com incapacidade dede nutrir
com incapacidade
com incapacidade
nutrir
nutrir
convenientemente
convenientemente asas células
convenientemente
convenientemente asas células
células emem causa,
células emem causa,
causa, ee dede remover
causa, ee dede remover
remover
remover
Os produtos tóxicos resultantes dodo metabolismo
Os produtos tóxicos resultantes
Os produtos tóxicos resultantes dodo metabolismo
Os produtos tóxicos resultantes
metabolismo
metabolismo
CHOQUE CHOQUE CHOQUE CHOQUE Classificação HIPOVOLEMICO HIPOVOLEMICO CARDIOGENICO CARDIOGENICO DISTRIBUTIVO DISTRIBUTIVO ouou ANAFILATICO ANAFILATICO
CHOQUE
CHOQUE
CHOQUE
CHOQUE
Classificação
HIPOVOLEMICO
HIPOVOLEMICO
CARDIOGENICO
CARDIOGENICO
DISTRIBUTIVO
DISTRIBUTIVO ouou ANAFILATICO
ANAFILATICO
HIPOVOLEMICO HIPOVOLEMICO HIPOVOLEMICO HIPOVOLEMICO Diminuição do volume de sangue nos vasos Causas vasos vasos DÉBITO DÉBITO
HIPOVOLEMICO
HIPOVOLEMICO
HIPOVOLEMICO
HIPOVOLEMICO
Diminuição do volume de sangue nos vasos
Causas
vasos
vasos
DÉBITO
DÉBITO
• Hemorragias
• Queimaduras
• Desidratação
CARDIOGENICO CARDIOGENICO CARDIOGENICO CARDIOGENICO Volume de sangue nos vasos normal Incapacidade do coração de bombear sangue
CARDIOGENICO
CARDIOGENICO
CARDIOGENICO
CARDIOGENICO
Volume de sangue nos vasos normal
Incapacidade do coração de bombear sangue
Causas
• Arritmias cardíacas
• Enfarte agudo do Miocárdio E.A.M.
• Deficiência nas válvulas
ANAFILATICO ANAFILATICO ANAFILATICO ANAFILATICO Volume de sangue nos vasos normal Efeito bomba normal Compromisso das resistências
ANAFILATICO
ANAFILATICO
ANAFILATICO
ANAFILATICO
Volume de sangue nos vasos normal
Efeito bomba normal
Compromisso das resistências vasculares
diminuídas (Vasoconstrição)
Causas
• Sepsis
• Reacção anafilatica (picada de animais)
• T.V.M.
CHOQUE CHOQUE CHOQUE CHOQUE Sinais e Sintomas • Alteração do estado de Consciência • Lipotimia •
CHOQUE
CHOQUE
CHOQUE
CHOQUE
Sinais e Sintomas
• Alteração do estado de Consciência
• Lipotimia
• Ventilação rápida e superficial
• Pulso Taquicardio e fraco
• Palidez
• Sudorese
ACTUAÇÃO ACTUAÇÃO ACTUAÇÃO ACTUAÇÃO Primeiro Socorro • Desapertar roupas • Combater a causa do choque •
ACTUAÇÃO
ACTUAÇÃO
ACTUAÇÃO
ACTUAÇÃO
Primeiro Socorro
• Desapertar roupas
• Combater a causa do choque
• Manter temperatura corporal
• Decúbito dorsal com elevação dos membros
• Não dar nada a beber
• P.L.S. inconsciente
Hemorragias CHOQUE Tecidos e órgãos inadequadamente perfundidos Hemorragia causa INCONSCIENCIA taquicardia e Organismo compensa Levan o
Hemorragias
CHOQUE
Tecidos e órgãos
inadequadamente
perfundidos
Hemorragia causa
INCONSCIENCIA
taquicardia e
Organismo compensa
Levan o
d
á
M
ORTE
tr
aq
ui
p
nei
a
a falta de sangue e
pede Sede
Baixos níveis de
Vasoconstrição nas
Hipotensão
O2 causam
extremidades leva
ventilação rápida
a hipotermia e pele
e superficial
pálida, suada e
cianosada
OBRIGADO PELA VOSSA ATENÇÃO
OBRIGADO PELA
VOSSA ATENÇÃO
HEMORRAGIAS HEMORRAGIAS HEMORRAGIAS HEMORRAGIAS
HEMORRAGIAS
HEMORRAGIAS
HEMORRAGIAS
HEMORRAGIAS
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: • Listar e descrever tipos
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Listar e descrever tipos de hemorragias
• Listar e descrever métodos de controlo
• Listar e descrever a autuação perante uma
hemorragia interna e externa
HEMORRAGIAS Sistema circulatório
HEMORRAGIAS
Sistema circulatório
HEMORRAGIAS Saída de sangue do seu circuito normal independentemente da quantidade perdida. Classificação (quanto ao vaso)
HEMORRAGIAS
Saída de sangue do seu circuito normal
independentemente da quantidade perdida.
Classificação (quanto ao vaso)
Arteriais
Venosas
Capilares
HEMORRAGIAS Classificação (quanto á origem) Externas Invisíveis Internas Visíveis
HEMORRAGIAS
Classificação (quanto á origem)
Externas
Invisíveis
Internas
Visíveis
HEMORRAGIAS EXTERNA Primeiro socorro: 1. Compressão manual directa 2. Elevação do membro 3. Aplicações frias 4.
HEMORRAGIAS EXTERNA
Primeiro socorro:
1. Compressão manual directa
2.
Elevação do membro
3.
Aplicações frias
4.
Compressão manual indirecta
5.
Garrote
HEMORRAGIAS INTERNA VISIVEL Epistáxis (saída de sangue pelo nariz)) Averiguar causa Trauma craneano Outra causa colocar
HEMORRAGIAS INTERNA
VISIVEL
Epistáxis (saída de sangue pelo nariz))
Averiguar causa
Trauma craneano
Outra causa
colocar cabeça direita
Colocar tamponamento
não tamponar
Compressão digital
Aplicações frias
HEMORRAGIAS INTERNA VISIVEL OTORRAGIA : Saída de sangue pelos ouvidos Actuação: • Não controlar hemorragia se
HEMORRAGIAS
INTERNA VISIVEL
OTORRAGIA : Saída de sangue pelos ouvidos
Actuação:
• Não controlar hemorragia se for T.C.E.
• Colocar a cabeça inclinada para o lado lesionado
• Colocar compressas no pavilhão auricular
• Fazer ligeira compressão
• Hospital
HEMORRAGIAS INTERNA VISIVEL Hematemese / Hemoptise: Saída de sangue pelo estômago ou dos pulmões Actuação: •
HEMORRAGIAS
INTERNA VISIVEL
Hematemese / Hemoptise: Saída de sangue pelo
estômago ou dos pulmões
Actuação:
• Colocar vitima confortável
• Colocar gelo (hematemese)
• Se Hemoptise aconselhar ventilação superficial
• Hospital
HEMORRAGIAS INTERNA INVISIVEL Sinais de CHOQUE Actuação: Sede • Arejar o local Zumbidos • Desapertar roupas
HEMORRAGIAS
INTERNA INVISIVEL
Sinais de CHOQUE
Actuação:
Sede
• Arejar o local
Zumbidos
• Desapertar roupas
Visão turva
• Não dar nada a beber
Dor localizada
• Vigiar funções vitais
• Hospital
OBRIGADO PELA VOSSA ATENÇÃO
OBRIGADO
PELA VOSSA ATENÇÃO
Traumatismos dos tecidos moles Traumatismos dos tecidos moles Traumatismos dos tecidos moles Traumatismos dos tecidos moles
Traumatismos dos tecidos moles
Traumatismos dos tecidos moles
Traumatismos dos tecidos moles
Traumatismos dos tecidos moles
Manuseamento dede Feridas
Manuseamento
Manuseamento dede Feridas
Manuseamento
Feridas
Feridas
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: • Listar e descrever tipos
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Listar e descrever tipos de feridas
• Listar e descrever classificação das feridas
• Listar e descrever a actuação perante uma
hemorragia interna e externa
HEMORRAGIAS Pele
HEMORRAGIAS
Pele
Ferida Ruptura da continuidade da pele. • Classificação (quanto ao vaso) • Simples não necessitam de
Ferida
Ruptura da continuidade da pele.
• Classificação (quanto ao vaso)
• Simples não necessitam de tratamento médico
• Complicadas necessitam de tratamento médico
FERIDAS TIPOS DE FERIDAS Escoriações Feridas incisas Feridas contusas Penetrantes Amputações
FERIDAS
TIPOS DE FERIDAS
Escoriações
Feridas incisas
Feridas contusas
Penetrantes
Amputações
HEMORRAGIAS EXTERNA Escoriação Lesão da superfície da pele (arranhões) Sangram pouco São dolorosas
HEMORRAGIAS EXTERNA
Escoriação
Lesão da superfície da pele
(arranhões)
Sangram pouco
São dolorosas
FERIDAS Incisas Provocados por objectos cortantes De bordos regulares Sangram bastante Fácil união dos bordos
FERIDAS
Incisas
Provocados por objectos cortantes
De bordos regulares
Sangram bastante
Fácil união dos bordos
FERIDAS Contusas Provocados por objectos rombos De bordos irregulares Perca de tecido
FERIDAS
Contusas
Provocados por objectos rombos
De bordos irregulares
Perca de tecido
FERIDAS Penetrantes Provocados por aguçados Sangram pouco Muito dolorosas
FERIDAS
Penetrantes
Provocados por aguçados
Sangram pouco
Muito dolorosas
FERIDAS Actuação Exposição da ferida Lavagem com soro fisiológico Colocação de solução anticéptica Colocar penso e
FERIDAS
Actuação
Exposição da ferida
Lavagem com soro fisiológico
Colocação de solução anticéptica
Colocar penso e cobertura para fixação
FERIDAS Casos especiais Ferida ocular Lavar com soro * Colocar penso oclusivo Objectos empalados Não retirar
FERIDAS
Casos especiais
Ferida ocular
Lavar com soro *
Colocar penso oclusivo
Objectos empalados
Não retirar objecto
Imobilizar com rodilha
CASOS ESPECIAIS
CASOS ESPECIAIS
OBRIGADO PELA VOSSA ATENÇÃO
OBRIGADO
PELA VOSSA ATENÇÃO
QUQUQUQUEIEIEIEIMA MADDDDUUUURRRRASASASAS MA MA
QUQUQUQUEIEIEIEIMA
MADDDDUUUURRRRASASASAS
MA
MA
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: • Listar e descrever a
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Listar e descrever a classificação das queimaduras
• Listar e descrever mecanismos de lesão
• Listar e descrever os factores de gravidade
• Actuação perante uma queimadura
QUEIMADURAS Lesões na pele provocadas pelo calor, frio, atrito e produtos químicos. Factores de gravidade 1.
QUEIMADURAS
Lesões
na pele provocadas
pelo calor,
frio, atrito e produtos químicos.
Factores de gravidade
1. A causa
2. A extensão
3. Localização
4. Idade da vitima
QUEIMADURAS 1º GRAU • DOR • RUBOR • HIPERSENCIBILIDADE • HIPERTERMICA
QUEIMADURAS
1º GRAU
• DOR
• RUBOR
• HIPERSENCIBILIDADE
• HIPERTERMICA
QUEIMADURAS 2º GRAU • FLICTENAS • LESÃO DA DERME • DOR
QUEIMADURAS
2º GRAU
• FLICTENAS
• LESÃO DA DERME
• DOR
QUEIMADURAS 3º GRAU • NECROSE • SEM DOR • LESÃO DAS 3 CAMADAS
QUEIMADURAS
3º GRAU
• NECROSE
• SEM DOR
• LESÃO DAS 3 CAMADAS
QUANTO A EXTENÇÃO
QUANTO A EXTENÇÃO
QUANTO A EXTENÇÃO
QUANTO A EXTENÇÃO
QUANTO A EXTENÇÃO
QUANTO A EXTENÇÃO
1º SOCORRO 1º GRAU • Arrefecimento com soro fisiológico • Aplicar Creme hidratante (BEAFINE) 2º GRAU
1º SOCORRO
1º GRAU
• Arrefecimento com soro fisiológico
• Aplicar Creme hidratante (BEAFINE)
2º GRAU
• Arrefecimento com soro fisiológico
• Penso húmido ou gordo (gaze Gorda)
3º GRAU
• Arrefecimento com soro fisiológico
Penso e cobertura
EXCEPÇÕES Queimaduras em de contacto com a pele • Separar as roupas com compressas esterilizadas com
EXCEPÇÕES
Queimaduras em de contacto com a pele
Separar as roupas com compressas esterilizadas
com soro e agua fria
Colocar cobertura
Grandes queimados
Não despir roupas
Cobrir com lençol de queimados ou humedecido
Manter temperatura corporal
Prevenir choque e hospital
OBRIGADO pela vossa atenção
OBRIGADO
pela vossa atenção
Traumatismos Traumatismos osteo articulares osteo articulares
Traumatismos
Traumatismos
osteo articulares
osteo articulares
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: • Listar e descrever os
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Listar e descrever os varios tipos de traumatismo
• Listar e descrever osvarios tipos de fractura
• Listar e descrevar sinais e sintomas das
fracturas
• Proceder as varias tecnicas de imobilização
TRAUMATISMOS OSTEO ARTICULARES Os ossos apresentam nos seus pontos de junção Os ossos apresentam nos seus
TRAUMATISMOS
OSTEO ARTICULARES
Os ossos apresentam nos seus pontos de junção
Os ossos apresentam nos seus pontos de junção
superfícies que se adaptam umas as outras de
superfícies que se adaptam umas as outras de
diferentes maneiras dando origem as articulações
diferentes maneiras dando origem as articulações
estas podem ser:
estas podem ser:
• Moveis
Semi - moveis
• Imóveis
ENTORSE Ruptura ou torção de ligamentos que reforçam a Ruptura ou torção de ligamentos que reforçam
ENTORSE
Ruptura ou torção de ligamentos que reforçam a
Ruptura ou torção de ligamentos que reforçam a
articulação, provocada por um repuxamento ou
articulação, provocada por um repuxamento ou
movimentação forçada a esse nível.
movimentação forçada a esse nível.
Sintomatologia:
• Dor forte que se agoniza com o movimento
• Edema na região articular
• Equimose em alguns casos
ENTORSE ACTUAÇÃO Aplicações frias Ligadura com compressão uniforme Na duvida imobilizar
ENTORSE
ACTUAÇÃO
Aplicações frias
Ligadura com
compressão uniforme
Na duvida imobilizar
LUXAÇÃO Perda de contacto entre as superfícies articulares por Perda de contacto entre as superfícies articulares
LUXAÇÃO
Perda de contacto entre as superfícies articulares por
Perda de contacto entre as superfícies articulares por
deslocação dos ossos que compõem as articulações
deslocação dos ossos que compõem as articulações
Sintomatologia:
Dor violentas
Incapacidade de movimento
ACTUAÇÃO
Deformação
Imobilizar sem reduzir
Edema
Hospital
CAÎBRA Contracção sustentada involuntária e dolorosa de um Contracção sustentada involuntária e dolorosa de um conjunto
CAÎBRA
Contracção sustentada involuntária e dolorosa de um
Contracção sustentada involuntária e dolorosa de um
conjunto muscular provocada por fadiga ou suores
conjunto muscular provocada por fadiga ou suores
abundantes
abundantes
Sintomatologia:
• Dor localizada
• Rigidez muscular
• Incapacidade de relaxar
ACTUAÇÃO Distender os músculos Aplicações quentes Massagens suaves
ACTUAÇÃO
Distender os músculos
Aplicações quentes
Massagens suaves
DISTENSÃO Ruptura das fibras que compõem os músculos, Ruptura das fibras que compõem os músculos, resultante
DISTENSÃO
Ruptura das fibras que compõem os músculos,
Ruptura das fibras que compõem os músculos,
resultante de um esforço para alem da resistência
resultante de um esforço para alem da resistência
muscular
muscular
o Actuação
Sintomatologia:
Aplicação frias
• Dor localizada
Repouso
• Rigidez muscular
Hospital
• Edema
Lesões dos ossos FRACTURAS Quebra total ou parcial de um osso, perdendo a sua continuidade o
Lesões dos ossos
FRACTURAS
Quebra total ou parcial de um osso, perdendo a
sua continuidade
o PODEM SER:
Fechadas
Abertas ou expostas
Lesões dos ossos Lesões dos ossos
Lesões dos ossos
Lesões dos ossos
Fracturas Fracturas Sintomas Sintomas Dor Edema e deformação Encurtamento ósseo Mobilidade anormal Crepitação óssea
Fracturas
Fracturas
Sintomas
Sintomas
Dor
Edema e deformação
Encurtamento ósseo
Mobilidade anormal
Crepitação óssea
Fracturas Fracturas Actuação Actuação Expor o foco de fractura Retirar adornos da zona Imobilizar
Fracturas
Fracturas
Actuação
Actuação
Expor o foco de fractura
Retirar adornos da zona
Imobilizar
Fracturas Fracturas
Fracturas
Fracturas
OBRIGADO Pela vossa atenção
OBRIGADO
Pela vossa atenção
INTOXICAÇOES INTOXICAÇOES
INTOXICAÇOES
INTOXICAÇOES
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: No final da sessão os
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Descrever o que é intoxicação
• Descrever o que é intoxicação
• Listar e descrever as vias de absorção mais
• Listar e descrever as vias de absorção mais
frequentes e utilizadas
frequentes e utilizadas
• Listar e descrever as medidas de protecção para
• Listar e descrever as medidas de protecção para
a equipa e para os outros
a equipa e para os outros
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: No final da sessão os
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Listar e descrever os dados no local
• Listar e descrever os dados no local
• Descrever os passos de actuação perante uma
• Descrever os passos de actuação perante uma
vitima intoxicada
vitima intoxicada
• Listar e descrever as medidas de protecção para
• Listar e descrever as medidas de protecção para
a equipa e para os outros
a equipa e para os outros
INTOXICAÇÕES INTOXICAÇÕES VENENO OU TOXICO VENENO OU TOXICO Toda e qualquer substância, seja qual for a
INTOXICAÇÕES
INTOXICAÇÕES
VENENO OU TOXICO
VENENO OU TOXICO
Toda e qualquer substância, seja qual for a sua
Toda e qualquer substância, seja qual for a sua
origem (animal, vegetal, mineral) que ao
origem (animal, vegetal, mineral) que ao
contactar com o organismo vai provocar
contactar com o organismo vai provocar
alterações funcionais podendo mesmo causar a
alterações funcionais podendo mesmo causar a
morte. ao conjunto destas alterações dá-se o
morte. ao conjunto destas alterações dá-se o
nome de intoxicações ou envenenamentos.
nome de intoxicações ou envenenamentos.
Plantas Plantas
Plantas
Plantas
Pesticidas Pesticidas
Pesticidas
Pesticidas
Picada dede animais Picada animais
Picada dede animais
Picada
animais
Cosméticos e Cosméticos e produtos de limpeza produtos de limpeza
Cosméticos e
Cosméticos e
produtos de limpeza
produtos de limpeza
Acidentais Acidentais Profissionais Profissionais Voluntária Voluntária
Acidentais
Acidentais
Profissionais
Profissionais
Voluntária
Voluntária
INTOXICAÇÕES Podem ser: • AGUDAS: quando a sintomatologia se revela num curto espaço de tempo. •
INTOXICAÇÕES
Podem ser:
• AGUDAS: quando a sintomatologia se revela
num curto espaço de tempo.
• CRONICAS: quando a sintomatologia aparece
em contacto prolongado com a substancia
INTOXICAÇÕES Formas de contacto – Inalatória – Gastro intestinal – Cutânea – Circulação directa – Ocular
INTOXICAÇÕES
Formas de contacto
– Inalatória
– Gastro intestinal
– Cutânea
– Circulação directa
– Ocular
Primeiro Socorro Primeiro Socorro Colheita Colheita dede dados dados dede dados dados OOOO Que Que ????
Primeiro Socorro
Primeiro Socorro
Colheita
Colheita dede dados
dados dede dados
dados
OOOO Que
Que ????
Que
Que
Quando ????
Quando
Quando
Quando
Quanto
Quanto ????
Quanto
Quanto
Onde
Onde ????
Onde
Onde
Quem?
Quem?
Quem?
Quem?
Como
Como ????
Como
Como
Primeiro Socorro Primeiro Socorro REGRA GERAL: Exame geral da vitima • Estado de consciência • Vi
Primeiro Socorro
Primeiro Socorro
REGRA GERAL:
Exame geral da vitima
• Estado de consciência
• Vi
as a reas
é
• Ventilação
• Pulsação
• Avaliação neurológica
• Exposição da vitima
• C.H.A.M.U.
Primeiro Socorro Primeiro Socorro VIA CUTANEA VIA CUTANEA VIA CUTANEA VIA CUTANEA •• Retirar •• Retirar
Primeiro Socorro
Primeiro Socorro
VIA CUTANEA
VIA CUTANEA
VIA CUTANEA
VIA CUTANEA
•• Retirar
•• Retirar
Retirar roupas
Retirar roupas
roupas contaminadas
roupas contaminadas
contaminadas
contaminadas
•• Lavar
•• Lavar
Lavar abundantemente
Lavar abundantemente
abundantemente com
abundantemente com
com agua
com agua
agua ee sabão
agua ee sabão
sabão
sabão
durante 20202020 aaaa 30303030 minutos
durante
durante
durante
minutos
minutos
minutos
VIA OCULAR
VIA OCULAR
VIA OCULAR
VIA OCULAR
•• Lavar
•• Lavar
Lavar abundantemente
Lavar abundantemente
abundantemente com
abundantemente com
com agua
com agua
agua Corrente
agua Corrente
Corrente ouou
Corrente ouou
soro fisiológico canto lacrimal para oo canto temporal al
soro fisiológico canto lacrimal para oo canto temporal al
soro fisiológico canto lacrimal para
soro fisiológico canto lacrimal para
canto tempor
canto tempor
Primeiro Socorro Primeiro Socorro VIA INALATORIA VIA INALATORIA VIA INALATORIA VIA INALATORIA Eliminar Eliminar aa fonte
Primeiro Socorro
Primeiro Socorro
VIA INALATORIA
VIA INALATORIA
VIA INALATORIA
VIA INALATORIA
Eliminar
Eliminar aa fonte
Eliminar aa fonte
Eliminar
fonte dodo tóxico, arejar oo local
fonte dodo tóxico, arejar oo local
tóxico, arejar
tóxico, arejar
local
local
ee retirar
ee retirar
retirar aa vitima
retirar aa vitima
vitima dodo local
vitima dodo local
local
local
VIA CIRCULATORIA DIRECTA
VIA CIRCULATORIA DIRECTA
VIA CIRCULATORIA DIRECTA
VIA CIRCULATORIA DIRECTA
Manter Imobilidade
Manter Imobilidade dada Vitima
Manter Imobilidade dada Vitima
Manter Imobilidade
Vitima
Vitima
Primeiro Socorro Primeiro Socorro Via Digestiva Via Digestiva Via Digestiva Via Digestiva Indução mecânica Indução dodo
Primeiro Socorro
Primeiro Socorro
Via Digestiva
Via Digestiva
Via Digestiva
Via Digestiva
Indução mecânica
Indução dodo
Indução
vómito
Primeiro Socorro Primeiro Socorro CONTRA-INDICAÇÕES CONTRA-INDICAÇÕES Vítima INCONSCIENTE Vítima Sonolenta CHOQUE CORROSIVOS Indução dodo Indução TÓXICOS
Primeiro Socorro
Primeiro Socorro
CONTRA-INDICAÇÕES
CONTRA-INDICAÇÕES
Vítima INCONSCIENTE
Vítima Sonolenta
CHOQUE
CORROSIVOS
Indução dodo
Indução
TÓXICOS / PESTICIDAS
vómito
A.P. CARDIACOS
PETROLEOS / DERIVADOS
Primeiro Socorro Primeiro Socorro Lixívia Sinais e sintomas Ingestão de pequenas. Quantidades Irritação das mucosas Odinofagia
Primeiro Socorro
Primeiro Socorro
Lixívia
Sinais e sintomas
Ingestão de pequenas. Quantidades
Irritação das mucosas
Odinofagia
Ardor retro esternal
Primeiro Socorro Primeiro Socorro Lixívia Cuidados Cuidados dede emergência emergência Não induzir o vómito Ingestão leite
Primeiro Socorro
Primeiro Socorro
Lixívia
Cuidados
Cuidados dede emergência
emergência
Não induzir o vómito
Ingestão leite frio
Recolha de informação
OBRIGADO OBRIGADO Pela vossa atenção Pela vossa atenção
OBRIGADO
OBRIGADO
Pela vossa atenção
Pela vossa atenção
EPILEPSIA EPILEPSIA
EPILEPSIA
EPILEPSIA
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: No final da sessão os
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Descrever o que é intoxicação
• Descrever o que é intoxicação
• Listar e descrever as vias de absorção mais
• Listar e descrever as vias de absorção mais
frequentes e utilizadas
frequentes e utilizadas
• Listar e descrever as medidas de protecção para
• Listar e descrever as medidas de protecção para
a equipa e para os outros
a equipa e para os outros
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: No final da sessão os
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Listar e descrever os dados no local
• Listar e descrever os dados no local
• Descrever os passos de actuação perante uma
• Descrever os passos de actuação perante uma
vitima intoxicada
vitima intoxicada
• Listar e descrever as medidas de protecção para
• Listar e descrever as medidas de protecção para
a equipa e para os outros
a equipa e para os outros
EPILEPSIA EPILEPSIA interrupções da actividade eléctrica interrupções da actividade eléctrica normal do cérebro normal do cérebro
EPILEPSIA
EPILEPSIA
interrupções da actividade eléctrica
interrupções da actividade eléctrica
normal do cérebro
normal do cérebro
o Não Convulsivas ou Crises de Pequeno Mal,
que se caracterizam por ausências breves
CONVULSÃO CONVULSÃO • Contracção involuntária de alguns grupos musculares ocasionada por um aumento da actividade eléctrica
CONVULSÃO
CONVULSÃO
• Contracção involuntária de alguns grupos musculares
ocasionada por um aumento da actividade eléctrica numa
determinada região cerebral
o Convulsivas ou Crises de grande
Mal, que se caracterizam pela
contracção involuntária e
descoordenada de grupos
musculares
ACTUAÇÃO ACTUAÇÃO Impedir a auto mutilação Ampare a cabeça da Vitima Desapertar roupas se possível NÃO
ACTUAÇÃO
ACTUAÇÃO
Impedir a auto mutilação
Ampare a cabeça da Vitima
Desapertar roupas se possível
NÃO restrinja os movimentos
NÃO de nada a beber
NÃO tente acordar
OBRIGADO Pela vossa atenção
OBRIGADO
Pela vossa atenção
DOR TORAXICA DOR TORAXICA DOR TORAXICA DOR TORAXICA
DOR TORAXICA
DOR TORAXICA
DOR TORAXICA
DOR TORAXICA
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: No final da sessão os
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Identificar e descrever principais causas da dor
• Identificar e descrever principais causas da dor
• Identificar e descrever sinais e sintomas
• Identificar e descrever sinais e sintomas
• Descrever principais diferenças entra angor e E.A.M.
• Descrever principais diferenças entra angor e E.A.M.
DOR TORACICA DOR TORACICA AA dor Torácica pode ser: dor Torácica pode ser: Origem cardíaca Origem
DOR TORACICA
DOR TORACICA
AA dor Torácica pode ser:
dor Torácica pode ser:
Origem cardíaca
Origem não cardíaca
DOR TORACICA DOR TORACICA De origem Cardíaca Aumento das necessidades de oxigénio (esforço) Diminuição do aporte
DOR TORACICA
DOR TORACICA
De origem Cardíaca
Aumento das necessidades de oxigénio (esforço)
Diminuição do aporte sanguíneo ao miocárdio (esquemia)
De origem Não Cardíaca
Traumatismos na Região do Tórax
Infecções Pulmonares
ORIGEM CARDIACA ORIGEM CARDIACA Pode apresentar se de duas Formas: Enfarte Agudo do Miocárdio Angina de
ORIGEM CARDIACA
ORIGEM CARDIACA
Pode apresentar se de duas Formas:
Enfarte Agudo do Miocárdio
Angina de peito (ANGOR)
(E.A.M.)
ANGINA DEDE PEITO ANGINA PEITO Características Gerais Origem no processo de arteriosclerose das coronárias Aumento das
ANGINA DEDE PEITO
ANGINA
PEITO
Características Gerais
Origem no processo de arteriosclerose das coronárias
Aumento das necessidades de oxigénio
Surge um quadro de dor
Tem um factor desencadeante
(ex. esforço ou emoção)
ANGINA DEDE PEITO ANGINA PEITO SINAIS E SINTOMAS Dor de localização retroesternal (pré-cordial) De carácter Opressivo
ANGINA DEDE PEITO
ANGINA
PEITO
SINAIS E SINTOMAS
Dor de localização retroesternal (pré-cordial)
De carácter Opressivo (aperto, peso) / facada
De intensidade constante
Com erradicação para os costas /membro sup.
Curta duração 2 a 4 minutos
ANGINA DEDE PEITO ANGINA PEITO SINAIS E SINTOMAS Tem origem após esforço físico ou emoção Ansiosa
ANGINA DEDE PEITO
ANGINA
PEITO
SINAIS E SINTOMAS
Tem origem após esforço físico ou emoção
Ansiosa
,
Agitada
,
Dispneia
desconforto
Pulso Rápido fraco e irregular
Pele pálida e suada
Náuseas e vómitos
Eradiação Eradiação
Eradiação
Eradiação
E.A.M. E.A.M. (E.A.M. Características Gerais) Ocorre Morte de células Á uma obstrução total ou quase total
E.A.M.
E.A.M.
(E.A.M. Características Gerais)
Ocorre Morte de células
Á uma obstrução total ou quase total da coronária
Necrose
E.A.M. E.A.M. SINAIS E SINTOMAS Semelhante á ANGOR Pode não ter factor desencadeante exceptuando Tem duração
E.A.M.
E.A.M.
SINAIS E SINTOMAS
Semelhante á ANGOR
Pode não ter factor desencadeante
exceptuando
Tem duração prolongada
Medo
Pode aliviar com a administração de nitroglicerina
Diferenças Diferenças Angina de Peito Enfarte Agudo do Miocárdio Contínua na Intensidade Dor Contínua na Intensidade
Diferenças
Diferenças
Angina de
Peito
Enfarte Agudo
do Miocárdio
Contínua na
Intensidade
Dor
Contínua na
Intensidade
Membro Superior Esq.
Dorso e Abdómen
Pescoço e Mandíbula
Irradiação
Membro Superior Esq.
Dorso e Abdómen
Pescoço e Mandíbula
Ligeiro Desconforto
até Opressão Intensa
Intensidade
Habitualmente
Muito Intensa
Normalmente cerca
de Dois a Três Minutos
Duração
Pode Chegar a
Durar Horas
Esforço Físico
Emoções, Frio, etc.
Factores
Desencadeantes
Pode não ter Factores
Desencadeantes
Retirar factor desencadeante
Administração de Nitroglicerina
Factores de
Alivio
Pode não aliviar Mesmo
Com Nitroglicerina
Actuação Actuação Promover ambiente tranquilo Evitar esforços ou movimentos Reforço da confiança e estimo verbal Colocar
Actuação
Actuação
Promover ambiente tranquilo
Evitar esforços ou movimentos
Reforço da confiança e estimo verbal
Colocar a vitima sentada (Consciente)
P.L.S. (inconsciente)
Vigiar sinais vitais
OBRIGADO Pela vossa atenção
OBRIGADO
Pela vossa atenção
Acidente Vascular Acidente Vascular Acidente Vascular Acidente Vascular Cerebral Cerebral Cerebral Cerebral
Acidente Vascular
Acidente Vascular
Acidente Vascular
Acidente Vascular
Cerebral
Cerebral
Cerebral
Cerebral
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: No final da sessão os
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Identificar e descrever
• Identificar e descrever
• • Identificar Identificar e e descrever descrever sinais sinais e e sintomas sintomas
• Identificar
• Identificar
• Listar e descrever indicações
• Listar e descrever indicações
A.V.C. A.V.C. Definição: Definição: Diminuição ou ausência do fluxo de sangue sangue e, consequentemente de oxigénio
A.V.C.
A.V.C.
Definição:
Definição:
Diminuição ou ausência do fluxo de
sangue sangue e, consequentemente de
oxigénio a nível dos tecidos das
estruturas encefálicas.
A.V.C. A.V.C. Podem ser: Esquémicos • A.I.T. • Trombose • Embolia
A.V.C.
A.V.C.
Podem
ser:
Esquémicos
• A.I.T.
• Trombose
• Embolia
A.V.C. A.V.C. Podem ser: Hemorrágicos • Hemorragia cerebral
A.V.C.
A.V.C.
Podem ser:
Hemorrágicos
• Hemorragia cerebral
A.V.C. A.V.C. SINAIS E SINTOMAS Perca súbita de conhecimento Disartria Ansiedade e a itação g Cefaleias
A.V.C.
A.V.C.
SINAIS E SINTOMAS
Perca súbita de conhecimento
Disartria
Ansiedade e a itação
g
Cefaleias
Parastesias
Palidez
Emiparesias
Sudorese
Incontinência de esfíncteres
Assimetria pupilar
Desvio da comissura labial
Náuseas e vómitos
Actuação Actuação Reduzir tensão emocional Afastar familiares / mirones ou amigos Manter Via Aérea Permeável Efectuar
Actuação
Actuação
Reduzir tensão emocional
Afastar familiares / mirones ou amigos
Manter Via Aérea Permeável
Efectuar Exame Primário (A;B;C;D;E)
C.H.A.M.U.
Inconsciente P.L.S.
Consciente Sentado
Resumo Resumo Situação de início brusco ou progressivo que corresponde ao aparecimento de s na s
Resumo
Resumo
Situação de início brusco ou progressivo
que corresponde ao aparecimento
de
s na s
i
i
e
s n omas
i
t
neuro
g cos
i
causa os
d
pela interrupção de circulação sanguínea
em algumas regiões do cérebro, com
o
consequente défice de oxigenação das
células cerebrais.
Resumo Resumo O doente fica privado temporariamente ou definitivamente privado das suas capacidades pois: As células
Resumo
Resumo
O
doente
fica
privado
temporariamente
ou
definitivamente privado das suas capacidades pois:
As células necessitam de oxigénio para sobreviver
As células nervosas não se regeneram
O
cérebro controla
a memória,
a
fala,
os
movimentos, o equilíbrio interno do organismo, entre
muitas outras tarefas
OBRIGADO Pela vossa atenção
OBRIGADO
Pela vossa atenção
Diaaaabbbbeeeetttteseseses MMMMaaaalllleneneneniiiiusususus Di Di Di
Diaaaabbbbeeeetttteseseses MMMMaaaalllleneneneniiiiusususus
Di
Di
Di
OBJECTIVOS OBJECTIVOS No final da sessão os formandos serão capazes de: No final da sessão os
OBJECTIVOS
OBJECTIVOS
No final da sessão os formandos serão capazes de:
No final da sessão os formandos serão capazes de:
• Identificar e descrever principais causas da dor
• Identificar e descrever principais causas da dor
• • Identificar Identificar e e descrever descrever sinais sinais e e sintomas sintomas
• Identificar
• Identificar
• Listar e descrever indicações de oxigeno terapia
• Listar e descrever indicações de oxigeno terapia
DOR TORAXICA DOR TORAXICA CLASSIFICAÇÃO CLASSIFICAÇÃO Tipo I (insulino dependentes) Tipo II (Não insulino dependentes)
DOR TORAXICA
DOR TORAXICA
CLASSIFICAÇÃO
CLASSIFICAÇÃO
Tipo I (insulino dependentes)
Tipo II (Não insulino dependentes)
HIPERGLICEMIA HIPERGLICEMIA Expeço de açúcar em relação á insulina no sangue surge em doentes diabéticos ou
HIPERGLICEMIA
HIPERGLICEMIA
Expeço de açúcar em relação á insulina no sangue
surge em doentes diabéticos ou potenciais diabéticos
Pode surgir em caso de:
Refeição rica em hidratos de carbono
falta de insulina em doentes diabéticos
HIPERGLICEMIA HIPERGLICEMIA SINAIS E SINTOMAS Inicio lento e progressivo Hálito cetonico cheiro a fruta , Sente
HIPERGLICEMIA
HIPERGLICEMIA
SINAIS E SINTOMAS
Inicio lento e progressivo
Hálito cetonico cheiro a fruta
,
Sente muita sede e sem fome
Valores acima dos 150mg
Pele pálida e suada
Náuseas e vómitos
Actuação Actuação Efectuar Exame primário Exame secundário CHAMU Saber se é isolino dependente Se administrou a
Actuação
Actuação
Efectuar Exame primário
Exame secundário
CHAMU
Saber se é isolino dependente
Se administrou a dose diária
se faz medicação oral
Vigiar sinais vitais
HIPOGLICEMIA HIPOGLICEMIA Fornecimento insuficiente de glicose ao sangue Pode surgir em caso de: Jejum prolongando Esforço
HIPOGLICEMIA
HIPOGLICEMIA
Fornecimento insuficiente de glicose ao sangue
Pode surgir em caso de:
Jejum prolongando
Esforço físico incomum
Condições climatéricas adversas
HIPOGLICEMIA HIPOGLICEMIA SINAIS E SINTOMAS Inicio rápido e súbito Valores abaixo dos mínimo 50mg Hálito normal
HIPOGLICEMIA
HIPOGLICEMIA
SINAIS E SINTOMAS
Inicio rápido e súbito
Valores abaixo dos mínimo 50mg
Hálito normal
Não tem sede mas tem fome
Pele seca e ruborosa
Agitação e confusão mental
Actuação Actuação Efectuar Exame primário Exame secundário CHAMU se esta em jejum prolongado Vigiar sinais vitais
Actuação
Actuação
Efectuar Exame primário
Exame secundário
CHAMU
se esta em jejum prolongado
Vigiar sinais vitais
Manter V.A. Permeável
Inconsciente P.L.S. E dar papa de
RESUMO RESUMO Hiperglicémia Hipoglicémia Excesso de Açúcar Excesso de Insulina Causa Défice de Insulina Défice de
RESUMO
RESUMO
Hiperglicémia
Hipoglicémia
Excesso de Açúcar
Excesso de Insulina
Causa
Défice de Insulina
Défice de Açúcar
Lento e Progressivo
Início
Rápido e Súbito
Cetónic
o,
Ad cicad
o
o
Hálit o
N rmal
o
Sim
Sede
Não
Não
Fome
Sim
Habituais
Vómitos
Raros
Pálida, Húmida
Seca e Avermelhada
Pele
e Suada
Fraqueza Muscular
Agitação, Irritação
Confusão, Sonolência
Comportamento
Confusão, Coma,
Coma
Convulsões
OBRIGADO
OBRIGADO