Você está na página 1de 10

Boletim de Difusão das Informações e Promoção do Debate sobre a Distribuição dos Royalties do Petróleo

Petróleo, Royalties & Região


UcamCidades Campos dos Goytacazes/RJ - Ano IV, nº 16 – Junho / 2007
Mestrado em Planejamento Regional e Gestão de ISSN 1980-6310
Cidades Universidade Candido Mendes

coMpenSaÇÕeS Da exploraÇÃo De MinÉrio

a batalha do minério
Poder público disputa com empresas exploradoras de minério de
ferro uma elevação dos royalties pagos pela atividade
PÁGINAS 8, 9 e 10

ANÁLISE DO BPR&R ARTIGO ARTIGOS

os efeitos da chegada de os critérios objetivos escócia tem hoje situação


mais um sócio no clube garantidos por lei que brasil viverá amanhã
Angra dos Reis (RJ) passa a ser Especialista analisa leis que Depois de quarenta anos de
considerada integrante da Zona de regulamentam o repasse dos exploração, cidade de Aberdeen
Produção Principal. Boletim analisa royalties do petróleo e afirma experimenta queda na arrecadação
impactos da mudança na receita dos que municípios não poderiam ser de royalties. Sociedade, organizada,
demais municípios fluminenses. simplesmente escolhidos pela ANP. discute o futuro.

PÁGINAS 2, 3 e 4 PÁGINAS 5 e 6 PÁGINA 7

consulte o banco de artigos, teses, estudos e legislação do site royalties do petróleo

www.royaltiesdopetroleo.ucam-campos.br
 Documentos legais  efeitos sobre as finanças públicas
 análises sobre distribuição e aplicação dos royalties  Desenvolvimento nas regiões petrolíferas
 impactos territoriais  inforoYaltieS

Você também pode enviar o seu artigo para boletim@ucam-campos.br


2 Campos dos Goytacazes/RJ - Ano IV, nº 16 – Junho / 2007 Petróleo, Royalties & Região

Boletim analisa impactos do ingresso do município de


angra dos reis (rj) na zona de produção principal,
anunciado pela agência nacional de petróleo em maio

n análise do bpr&r n
Angra dos Reis na Zona de Produção Principal
Confira um guia para compreender as mudanças na distribuição dos royalties
A Agência Nacional do de produção de uma Portanto, foi a presença de Contudo a entrada de
Petróleo, Gás Natural e Bio- dada área de produção pelo menos três instalações Angra dos Reis à Zona de
combustíveis (ANP), em sua petrolífera marítima e entre as supracitadas, que Produção Principal não se
429ª Reunião de Diretoria, aos impactos destas ati- garantiu ao Município de faz sem abalo sobre o rateio
realizada em 24/05/2007, vidades sobre as áreas Angra à condição de, agora, pré-existente dos royalties
resolveu enquadrar o Muni- vizinhas. pertencer à Zona de Produ- entre os municípios flumi-
cípio de Angra dos Reis (RJ) ção Principal. nenses. O Boletim Petróleo,
na Zona de Produção Princi- 2º Os Municípios que O “batismo” da P-52, nes- Royalties e Região elaborou
pal petrolífera do Estado do integram tal área geoe- te mesmo mês de junho de um sucinto guia para com-
Rio de Janeiro, implicando conômica serão dividi- 2006, construída no estalei- preensão desta mudanças,
em alterações no rateio mu- dos em 3 (três) zonas, ro Brasfels, em Angra dos tomando como base as re-
nicipal já para este mês de distinguindo-se 1 (uma) Reis, não deixa dúvidas gras básicas de distribuição
junho de 2007. zona de produção prin- sobre os vínculos entre o dos royalties.
Tomou esta decisão ba- cipal, 1 (uma) zona de território angrense e a in- É fundamental para com-
seada “nos termos do artigo produção secundária e dústria petrolífera offshore, preender estas mudanças,
20, parágrafo 2°, inciso I, 1 (uma) zona limítrofe à embora o litoral Sul Flumi- observar que as regras
letra b, do Decreto n° 1, de zona de produção prin- nense esteja distante das atuais de distribuição dos
11 de Janeiro de 1991, para cipal, considerando-se atuais áreas de produção na royalties (incidentes sobre
os efeitos do recebimento como: plataforma continental 2. a produção offshore) entre
dos royalties da produção E m t e r m o s p o l í ti c o s , o os municípios podem ser
de petróleo e gás natural no I - zona de produção novo enquadramento de subdivididas em duas: uma
Estado do Rio de Janeiro.” principal de uma dada Angra dos Reis, representa é aplicável sobre a alíquota
área de produção petro- uma maior coesão da ban- mínima de 5%, outra incide
Façamos uma visita a este lífera marítima o Muni- cada fluminense em defesa sobre a alíquota excedente
dispositivo legal 1: cípio confrontante e os das atuais regras de reparti-
Municípios onde estive- ção dos royalties, sobretudo
“Art. 20. No cálculo da rem localizadas 3 (três) em função desta modifica- em termos políticos,
compensação financeira ou mais instalações dos ção beneficiar os chamados
incidente sobre o valor s e g u i n t e s ti p o s (grifo municípios limítrofes à Zona inclusão aumenta
do óleo de poço ou de nosso): de Produção Principal, que força da defesa das
xisto betuminoso e do estende os novos benefícios
gás natural extraído da a) instalações indus- aos municípios de Barra do
regras atuais
plataforma continental, triais para processamen- Piraí, Barra Mansa, Itatiaia,
consideram-se como to, tratamento, armaze- Parati, Pinheiral, Piraí, Porto
confrontantes com poços namento e escoamento Real, Quatis, Resende, Rio a 5%. Esta subdivisão deve-
produtores os Estados e de petróleo e gás natu- Claro, Rio das Flores, Valen- se ao fato da Lei do Petróleo
Municípios contíguos à ral, excluindo os dutos; ça e Volta Redonda. (9.478/97): i) ter elevado a
área marítima delimitada Estes municípios são clas- alíquota dos royalties de 5%
pelas linhas de projeção b) instalações rela- sificados como limítrofes à para até 10% 3; ii) ter criado
dos respectivos limites cionadas às atividades Zona de Produção Principal uma nova regra para rateio
territoriais até a linha de de apoio à exploração, por pertencerem à mesma da alíquota excedente; iii)
limite da plataforma con- produção e ao escoa- mesorregião geográfica (de- não ter modificado as regras
tinental, onde estiverem mento do petróleo e gás finida pelo IBGE) de Angra para rateio da alíquota míni-
situados os poços. natural, tais como: por- dos Reis, a mesorregião Sul ma de 5%, evitando mexer
tos, aeroportos, oficinas Fluminense. São municípios, em direitos adquiridos.
1º A área geoeconô- de manutenção e fabri- portanto, de acordo com as A entrada de Angra dos
mica de um Município cação, almoxarifados, normas de distribuição dos Reis na Zona de Produção
confrontante será defi- armazéns e escritórios. royalties, que integram a Principal somente altera o
nida a partir de critérios (grifo nosso)” área geoeconômica da Zona rateio da alíquota mínima
referentes às atividades de Produção Principal. de 5%, pois as regras de
texto continua na página 4 confira tabela NA PÁGINA 3
3 Campos dos Goytacazes/RJ - Ano IV, nº 16 – Junho / 2007 Petróleo, Royalties & Região

tabela mostra os impactos da inclusão de angra dos reis (rj)


sobre os repasses dos demais municípios.
parcela que varia é a incluída na alíquota mínima, de 5%.

Confira a Tabela 1

Tabela 1: Alterações na Distribuíção dos Royalties em Maio e Junho de 2007, Municípios Selecionados.

Maio de 2007 Junho de 2007

Variação
Mesorregião
Beneficario UF Classifi- entre
Geográfica
cação Alíquota Alíquota Alíquota Alíquota Maio e
Total Total
Mínima = 5% Excedente Mínima = 5% Excedente Junho

ARARUAMA-RJ RJ ML Baixadas 421.105,70 - 421.105,70 328.484,21 - 328.484,21 -22,0%

ARMACAO DOS BUZIOS-RJ RJ ZPP Baixadas 2.210.518,31 1.305.920,58 3.516.438,89 1.979.111,46 1.331.942,05 3.311.053,51 -5,8%

ARRAIAL DO CABO-RJ RJ ML Baixadas 304.131,88 41.796,97 345.928,85 237.238,59 49.623,94 286.862,53 -17,1%

CABO FRIO-RJ RJ ZPP Baixadas 3.359.987,85 6.337.174,10 9.697.161,95 3.008.249,42 6.522.595,60 9.530.845,02 -1,7%

CASIMIRO DE ABREU-RJ RJ ZPP Baixadas 2.298.939,05 1.541.346,90 3.840.285,95 2.058.275,92 1.558.424,61 3.616.700,53 -5,8%

IGUABA GRANDE-RJ RJ ML Baixadas 269.039,75 - 269.039,75 209.864,91 - 209.864,91 -22,0%

RIO DE JANEIRO-RJ RJ ZPP Baixadas 5.482.130,79 130.503,91 5.612.634,70 4.930.649,08 200.773,60 5.131.422,68 -8,6%

SAO PEDRO DA ALDEIA-RJ RJ ML Baixadas 386.013,56 - 386.013,56 301.110,53 - 301.110,53 -22,0%

SAQUAREMA-RJ RJ ML Baixadas 374.316,17 - 374.316,17 291.985,96 - 291.985,96 -22,0%

SILVA JARDIM-RJ RJ ZPS Baixadas 647.186,25 - 647.186,25 655.984,90 - 655.984,90 1,4%

NITEROI-RJ RJ ZPP Metropolitana 4.506.619,02 32.625,97 4.539.244,99 4.136.368,04 50.193,40 4.186.561,44 -7,8%

CAMPOS DOS GOYTACAZES-RJ RJ ZPP Norte Fluminense 3.536.829,32 28.131.759,38 31.668.588,70 3.166.578,34 28.461.409,84 31.627.988,18 -0,1%

CARAPEBUS-RJ RJ ZPP Norte Fluminense 1.768.414,65 535.124,05 2.303.538,70 1.583.289,16 507.338,98 2.090.628,14 -9,2%

CARDOSO MOREIRA-RJ RJ ML Norte Fluminense 257.342,38 - 257.342,38 200.740,36 - 200.740,36 -22,0%

CONCEICAO DE MACABU-RJ RJ ML Norte Fluminense 292.434,50 - 292.434,50 228.114,03 - 228.114,03 -22,0%

MACAE-RJ RJ ZPP Norte Fluminense 15.562.094,35 8.048.579,99 23.610.674,34 15.579.171,47 8.095.834,99 23.675.006,46 0,3%

QUISSAMA-RJ RJ ZPP Norte Fluminense 1.945.256,12 4.705.161,78 6.650.417,90 1.741.618,08 4.672.535,27 6.414.153,35 -3,6%

RIO DAS OSTRAS-RJ RJ ZPP Norte Fluminense 2.652.621,99 6.777.536,76 9.430.158,75 2.374.933,76 6.846.809,54 9.221.743,30 -2,2%

SAO FIDELIS-RJ RJ ML Norte Fluminense 350.921,41 - 350.921,41 273.736,84 - 273.736,84 -22,0%

S. FRANCISCO DE ITABAPOANA-RJ RJ ML Norte Fluminense 362.618,80 - 362.618,80 282.861,41 - 282.861,41 -22,0%

SAO JOAO DA BARRA-RJ RJ ZPP Norte Fluminense 2.387.359,78 958.610,36 3.345.970,14 2.137.440,38 989.358,49 3.126.798,87 -6,6%

ANGRA DOS REIS-RJ RJ ZPP Sul Fluminense 975.511,77 1.531.896,92 2.507.408,69 4.041.829,22 1.550.605,49 5.592.434,71 123,0%

BARRA DO PIRAI-RJ RJ ML Sul Fluminense - - - 422.872,92 - 422.872,92 Entrante

BARRA MANSA-RJ RJ ML Sul Fluminense 534.955,30 - 534.955,30 1.009.585,89 - 1.009.585,89 88,7%

ITATIAIA-RJ RJ ML Sul Fluminense - - - 317.154,69 - 317.154,69 Entrante

PARATI-RJ RJ AOED Sul Fluminense - 1.148.922,68 1.148.922,68 328.901,16 1.162.954,12 1.491.855,28 29,8%

PINHEIRAL-RJ RJ ML Sul Fluminense - - - 293.661,75 - 293.661,75 Entrante

PIRAI-RJ RJ ML Sul Fluminense 534.955,30 - 534.955,30 845.135,31 - 845.135,31 58,0%

PORTO REAL-RJ RJ ML Sul Fluminense - - - 258.422,34 - 258.422,34 Entrante

QUATIS-RJ RJ ML Sul Fluminense - - - 246.675,87 - 246.675,87 Entrante

RESENDE-RJ RJ ML Sul Fluminense - - - 434.619,39 - 434.619,39 Entrante

RIO CLARO-RJ RJ ML Sul Fluminense - - - 281.915,28 - 281.915,28 Entrante

RIO DAS FLORES-RJ RJ ML Sul Fluminense 497.835,58 - 497.835,58 504.603,76 - 504.603,76 1,4%

VALENCA-RJ RJ ML Sul Fluminense - - - 399.379,98 - 399.379,98 Entrante

VOLTA REDONDA-RJ RJ ML Sul Fluminense 534.955,30 - 534.955,30 1.009.585,89 - 1.009.585,89 88,7%

Fonte: ANP
* AOED (Municípios Afetados por Operação de Embarque e Desembarque de Petróleo e Gás); ML (Municípios Limítrofes à Zona de Produção Principal);
ZPP (Zona de Produção Primcipal); ZPS (Zona de Produção Secundária)
4 Campos dos Goytacazes/RJ - Ano IV, nº 16 – Junho / 2007 Petróleo, Royalties & Região

MuDANçA PROMOVE ELEVAçãO NA RECEITA DOS MuNICíPIOS DO SuL DO ESTADO, ENQuANTO


PERDEM OS MuNICíPIOS LIMíTROFES À ZONA DE PRODuçãO DAS MESORREGIÕES DAS BAIxADAS, DO
NORTE FLuMINENSE E DA REGIãO METROPOLITANA DO RIO

continuação da página 2

rateio da alíquota mínima natural (Macaé ocupa esta tes dão um quadro dos per- serva uma perda de 9,2%);
de 5%, pois as regras de posição no Estado do Rio dedores e dos ganhadores ii) mais drástico para Rio
rateio da alíquota exceden- de Janeiro); c o m a a t u a l i n c l u sã o d e de Janeiro e Niterói cujas
te somente beneficiam os 0,15% para a Zona Angra dos Reis na Zona de receitas são mais explicadas
municípios confrontantes de Produção Secundária Produção Principal. Dentre pela alíquota mínima.
com os campos petrolíferos (municípios cortados por estas modificações desta- Esta dinâmica de altera-
na plataforma continental, dutos que atendam, exclu- camos: ção nas distribuição dos
na proporção do volume de sivamente, ao escoamento  O crescimento evidente royalties, deve ficar claro,
petróleo e gás produzido da produção de uma dada das receitas de Angra dos é fruto da também dinâmica
no interior das projeções área de produção petrolífe- Reis e dos Municípios Limí- fronteira de exploração do
municipais na plataforma ra) rateados entre eles, na trofes da Mesorregião Sul petróleo e gás no país.
continental. razão direta da população Fluminense, incluindo entre O presente exercício so-
Portanto, para entender- dos distritos cortados por estes últimos a inclusão de mente fornece pistas sobre
mos as alterações na dis- dutos; oito novos beneficiários; as recentes mudanças no ra-
tribuição evidenciadas pela 0,45% para os muni-  A expressiva perda teio dos royalties, a partir da
Tabela 1 (página 3), basta cípios limítrofes à Zona de de receita dos Municípios entrada de Angra dos Reis
que tomemos as regras Produção Principal, ratea- Limítrofes à Zona de Pro- na ZPP. uma ampliação
de repartição da alíquota dos entre todos na razão dução Principal das Me- deste pode ser explorada a
mínima de 5% para os mu- direta das populações de sorregiões das Baixadas, partir da consulta das bases
nicípios. cada um. do Norte Fluminense e disponíveis na ANP e no
Da alíquota mínima de Inforoyalties.
5%, são reservados aos  0,5% aos municípios
municípios 40% (ou 2% onde se localizarem instala- NO NORTE DO RJ, n NOTAS
do total), assim distribu- ções marítimas ou terrestres
ídos: de embarque ou desem- IMPACTO SÓ NãO É 1 - O Decreto Nº 1, de 11 de
 1,5% aos municípios barque de petróleo ou gás MAIOR EM RAZãO DA Janeiro de 1991 pode ser obtido
confrontantes e suas res- natural. em nosso Banco de Artigos, Teses,
pectivas áreas geoeconômi- Com base nestas observa- ALíQuOTA ExCEDENTE Estudos e Legislação, acessível no
cas, sendo: ções, é possível compreen- endereço www.royaltiesdopetroleo.
0,9% para a Zona de der o quadro de mudanças ucam-campos.br.
Produção Principal (defini- na distribuição dos royalties, da Região Metropolitana 2 - Com a futura entrada em ope-
da pelo extrato do Decreto apresentado para um con- do Rio de Janeiro (estes ração do gigantesco reservatório de
n° 1, de 11 de Janeiro de junto selecionado de municí- últimos não constantes da gás do Campo de Mexilhão, Bloco
1991, supracitado) , rate- pios, conforme a Tabela 1. Tabela); BS 400, na Bacia de Santos, Angra
ados entre todos na razão Certamente que as modi-  O impacto heterogê- dos Reis ainda receberá importante
direta das populações de ficações na distribuição dos neo sobre as receita dos parcela de royalties, na condição
cada um, assegurando-se royalties, expressas na Ta- municípios integrantes da de município confrontante àquele
1/3 deste valor ao muni- bela 1, espelham também a ZPP: i) menos drástico nos campo.
cípio que concentrar as variação do preço do barril, municípios da ZPP do Norte 3 - Ou seja a alíquota dos royal-
instalações industriais para do câmbio e do volume de Fluminense, por serem suas ties, que incide sobre o valor da
processamento, tratamen- produção de petróleo e gás receitas mais explicadas produção de petróleo e gás, é, hoje,
to, armazenamento e esco- entre os meses, contudo, pela alíquota excedente de no mínimo 5%, sendo 10% seu
amento de petróleo e gás as variações mais eviden- (exceto Carapebus, que ob- valor máximo.

FORMAçãO HISTÓRICA E ECONÔMICA DO NORTE FLuMINENSE


EDITORA GARAMOND

Organizado por Ailton Mota de Carvalho e Maria Eugênia Ferreira Totti


Com textos de Maria Eugênia Ferreira Totti - Paulo Pedrosa - José Luís Vianna da Cruz - Teresa Peixoto Faria - Érica Tavares da Silva -
Paulo Marcelo de Souza - Niraldo José Ponciano - Romeu Silva Neto - Ailton Mota de Carvalho - Rodrigo Valente Serra - Denise Tavares
Terra - Sônia Martins de Almeida Nogueira
5 Campos dos Goytacazes/RJ - Ano IV, nº 16 – Junho / 2007 Petróleo, Royalties & Região

especialista faz análise de um dos aspectos que envolvem a disputa jurídica acerca
dos royalties. critérios para repasse são nítidos e não permitem
que a anp “escolha” municípios para se tornarem recebedores

n Artigo n

Natureza jurídica dos royalties no brasil 1


n JOSÉ GUTMAN Vejamos: xisto betuminoso e Municípios, devida
gás natural, pelos pela União àqueles a
Perquirir a natureza jurídica Informativo STF - Estados e Municípios título de compensação
dos royalties é de suma im- Brasília, 17 a 21 de - e declarou a financeira. Entendeu-
portância haja vista o grande fevereiro de 2003- inconstitucionalidade se também, não se
número de possíveis desdo- Nº298. do art.1º, inciso XI e tratar, no caso, de
bramentos jurídicos, geradores do art.198, II, ambos repasse voluntário,
de efeitos para concessio- O Tribunal deferiu do Regimento Interno não havendo
nários, beneficiários e órgão mandado de segurança do TCU e do art. 25, enquadramento nas
regulador. impetrado pelo Tribunal parte final, do Decreto hipóteses previstas
Neste sentido, citamos pri- de Contas do Estado 1/91. Considerou-se pelo art. 71, VI da
meiramente a decisão do do Rio de Janeiro, ser da competência CF que atribui ao
Supremo Tribunal Federal contra decisão do do Tribunal de Contas Tribunal de Contas da
que definiu ser dos tribunais Tribunal de Contas da estadual, e não do União a fiscalização
de contas estaduais (e não União - que proclamara TCU, a fiscalização da da aplicação de
do TCU) a competência para ser da competência aplicação dos citados quaisquer recursos
fiscalizar a aplicação dos royal- exclusiva deste último recursos, tendo em repassados pela União
ties recebidos pelos estados a fiscalização da conta que o art. 20, §1º mediante convênio,
e municípios (Mandado de aplicação dos recursos da CF qualificou os acordo, ajuste ou
Segurança no 24.312-RJ, Re- recebidos a título de royalties como receita outros instrumentos
latora: Ministra Ellen Gracie, royalties, decorrentes própria dos Estados, congêneres, a Estado,
19.02.2003). da extração de petróleo, Distrito Federal e ao Distrito Federal ou a

continua na página 6
6 Campos dos Goytacazes/RJ - Ano IV, nº 16 – Junho / 2007 Petróleo, Royalties & Região

artigo explica que royalties não são tributos, mas repasses


obrigatórios a título de compensação financeira.
não se trata, portanto, de um pagamento voluntário.

n Continuação da página 5

Município. No mesmo diapasão, a ela- royalties arrecadados também Niterói na Zona de Produção
MS 24.312-RJ, rel. boração pela ANP dos cálculos perceberão a mesma redução. Principal do Estado do Rio de
Ministra Ellen Gracie, dos royalties a serem distribuí- Ademais, sob o ponto de vista Janeiro3. Vejamos:
19.2.2003. (MS-24312) dos aos beneficiários é também dos beneficiários, a legislação (...)
(grifos do autor) ato vinculado pois todos os previu critérios objetivos para Em razão da sua pró-
elementos (i.e. as hipóteses os mesmos virem a receber pria natureza, os valores
Pelo exposto no referido acór- de recebimento) se encontram tal compensação financeira, devidos pelos conces-
dão, os royalties possuem fun- definidos na complexa legisla- podendo repentinamente ter sionários de áreas de
damento constitucional (art. 20, ção que disciplina o assunto, seus fluxos de arrecadação produção a título de
§1o), sendo receitas próprias conforme bem explicado na brutalmente interrompidos (por royalties oscilam se-
dos seus beneficiários (União, publicação da ANP denomi- exemplo: com a parada de gundo diversos fatores,
Estados e Municípios), devendo nada Guia dos Royalties do produção de poços ou com a tais como a produção
a União obrigatoriamente repas- Petróleo e Gás Natural (http:// desativação de uma instalação, mensal de petróleo e
sá-los a título de compensação www.anp.gov.br/doc/conheca/ o município deixará de preen- gás natural, bem como o
financeira, dado que não se trata Guia_Royalties.pdf). cher o requisito legal para ser preço de mercado.
de repasse voluntário. Assim sendo, não poderá a beneficiário, parando de auferir Por conseguinte, os 39
Em suma, os royalties não são ANP vir a incluir como beneficiário tais recursos). (trinta e nove) municípios
tributos, e sim compensações um município “pobre” que efetiva- Penso, face à peculiaridade requerentes da Suspen-
financeiras, até mesmo porque mente necessite desse recurso, de tal receita (que se sujeita são de Liminar n. 79/
os tributos são numerus clausus mas não atenda aos requisitos à grande variabilidade), que RJ não poderiam contar
previstos no Capítulo I (do Siste- como o período de incidência com um valor específico
ma Tributário Nacional) do Título dos royalties é o mês, não mensal como fonte segu-
VI (da Tributação e Orçamento) anp não poderia há que se falar em princípio ra para a realização de
da Constituição Federal de 1988 da anualidade para que a despesas correntes.
incluir município
(arts. 145 a 162), sendo o tributo exclusão ou inclusão de um (...)
gênero que, segundo a melhor “pobre” entre município da lista de benefi-
doutrina, açambarca as seguin- beneficiários sem ciários só ocorra em janeiro n José Gutman é superintenden-
tes espécies: impostos, taxas, do ano subseqüente, sob o te Adjunto de Controle das Participa-
contribuições e empréstimos requisitos da lei pretexto de harmonizar com a ções Governamentais da ANP, M.Sc.
compulsórios. Lei da Responsabilidade Fiscal em Planejamento Energético pela
Todavia, assim como os tribu- (LRF): o fluxo de royalties ao COPPE/UFRJ, Advogado e Profes-
tos, os royalties têm destinação município deve ser cessado ou sor de cursos de pós-graduação do
pública e são cobrados median- legais, bem como também não diminuído a partir do mês em IBP, da FUNCEFET e do CLUBE DO
te atividade administrativa ple- poderá excluir um município que este passou a não mais PETRÓLEO.
namente vinculada que, como “rico” do rateio de que legal- satisfazer os requisitos legais
já vimos, é desempenhada mente faz jus pelo fato deste para tal recebimento ou que n NOTAS
pela ANP. Ao discorrer sobre não necessitar tanto do referido outros municípios passaram a
as atividades vinculadas, ponti- recurso. Enfim, não se poderá também ter direito (diminuindo 1- A idéia central contida neste arti-
fica José dos Santos Carvalho fazer “justiça com as próprias assim o seu recebimento), go encontra-se desenvolvida no livro
Filho2 que o desempenho de tal mãos”, devendo as eventuais não sendo oponível a LRF à do autor denominado Tributação e ou-
tipo de atividade é feito através distorções, caso existam, serem legislação de distribuição de tras obrigações na indústria do petró-
da prática de atos vinculados, corrigidas através da alteração royalties, que possui caráter leo, recém publicado pela Ed. Freitas
diversamente do que sucede no da legislação em vigor. especial e é de objetividade Bastos. Por oportuno, recomenda-se a
poder discricionário, permissivo Os royalties são de natureza cristalina. leitura do livro àqueles que queiram se
da prática de atos discricioná- bastante variável vez que são Por fim, ressalta-se que foi aprofundar em temas como royalties,
rios. O que se distingue é a liber- fortemente influenciados pelas baseada nesta linha de ra- participação especial, tributos aplica-
dade de ação. Ao praticar atos produções de petróleo e gás ciocínio que o Ministro Edson dos às empresas concessionárias,
vinculados, o agente limita-se a natural e seus preços de re- Vidigal, Presidente do STJ, REPETRO e análise econômica de
reproduzir os elementos da lei ferência, aí incluso também a buscou o fundamento neces- projetos de E&P.
que os compõem, sem qualquer cotação do dólar. Só a título de sário para manter os efeitos 2- Manual de Direito Administrativo.
avaliação sobre a conveniência exemplo, se de um mês para do ato administrativo da ANP 10a ed. Rio de Janeiro: Editora Lúmen
e a oportunidade da conduta. O outro o preço do petróleo no que classificou (com a poste- Juris, 2003, p. 35.
mesmo já não ocorre quando mercado internacional reduzir rior homologação do IBGE) os 3- AgRg na Suspensão de Liminar
pratica atos discricionários. à metade, coeteris paribus, os Municípios de Rio de Janeiro e No 79 – RJ (2004/0045807-7)
7 Campos dos Goytacazes/RJ - Ano IV, nº 16 – Junho / 2007 Petróleo, Royalties & Região

Texto relata a experiência da cidade escocesa que, quarenta anos


depois do início da exploração do petróleo em sua costa,
convive com a queda nas receitas do petróleo

n Mundo n

O exemplo de Abeerden
Cidade da Escócia mostra os frutos da boa aplicação dos recursos do petróleo

n Renato Cordeiro petróleo. Percebi o quanto o Entretanto, a produção um ambicioso conjunto de


exemplo de Abeerden deveria entrou em declínio desde o metas para serem atingidas
Algumas cidades (e países) ser observado de perto pelas fim da década de 90 e vem até 2010.
do mundo alcançaram altos cidades brasileiras que hoje se mantendo a um índice de O estímulo ao desenvolvi-
índices de desenvolvimento vivem na fase da abundância queda anual de 7%. Uma das mento de outras vocações
econômico e social na esteira do dinheiro do petróleo, mas conseqüências mais preo- econômicas, dentre as quais
da pujança da indústria do que mais tarde enfrentarão o cupantes da redução dos as fontes renováveis de ener-
petróleo. Outras patinam no mesmo fantasma do fim deste investimentos em novos pro- gia, é uma das principais
atraso, na gastança desenfre- recurso esgotável. jetos na região é a redução estratégias do AALEF. Com
ada de dinheiro público e na A exploração de óleo e gás nos níveis de emprego. De apoio da iniciativa privada,
ausência de políticas estrutu- no lado britânico do Mar do acordo com relatório local, o as autoridades locais querem
rantes que tragam benefícios Norte começou em 1964. A número de pessoas empre- consolidar Aberdeen como a
no presente e preparem a co- primeira descoberta de gás gadas no setor de energia no “Capital da Energia na Euro-
munidade para o fim do ciclo foi no campo de West Sole, Nordeste da Escócia – onde pa” e lançaram as bases de
de bonança. em 1965, e de óleo no campo fica a cidade de Abeerden um projeto ambicioso, que
Aberdeen, a capital offshore de Abroath, em dezembro de – atingiu o pico histórico em prevê a construção do Centro
da Escócia, no Reino Unido, 1969. Outro importante marco 1991, quando a força de tra- de Energias do Futuro. Trata-
certamente se enquadra na da indústria offshore na região balho era estimada em 54 mil se de uma instituição desti-
primeira categoria de luga- foi alcançado em 1967, quan- trabalhadores - sendo 27 mil nada à pesquisa, reinamento
res. Rica até mesmo para os do começou a produção de offshore e 27 mil onshore. de mão-de-obra e formação
padrões britânicos, a cidade gás de West Sole. Ou seja, No período de 1991 a 2001, educacional nesta área.
acumulou progresso após o Mar do Norte começou dez houve uma queda de 13 mil É louvável que algumas ci-
quarenta anos de intensa anos antes da Bacia de Cam- empregos, sendo nove mil dades brasileiras produtoras
pos – cuja primeira descoberta empregos do setor offshore de petróleo também comecem
de petróleo ocorreu em de- e quatro mil em atividades a se preocupar com esse pro-
zembro de 1974, no Campo de onshore. E os prognósticos blema. Recentemente, li uma
o mundo oferece Garoupa, e o primeiro óleo foi para o futuro não são anima- reportagem sobre a realização
produzido em 1977, no campo dores: até 2021, o número de de um fórum de desenvolvi-
exemplos de boa
de Enchova. postos de trabalho na indústria mento econômico em Macaé
utilização dos Desde então, o Mar do Norte vai despencar para 30 mil em (RJ) cujo principal objetivo,
royalties tornou-se um dos principais 2016 e 25 mil em 2021. segundo os organizadores,
pólos mundiais de petróleo. Preocupados com o im- era “discutir mecanismos
Em 2005, segundo relatório pacto provocado por este para fomentar alternativas
anual da companhia petrolí- problema na economia da para o desenvolvimento do
fera BP, o Reino Unido era o região, lideranças políticas município”.
atividade do petróleo e gás décimo quinto maior produtor e empresariais da cidade se De fato, os municípios bra-
no campos offshore do Mar mundial de petróleo – uma mobilizaram em busca de sileiros que têm grande de-
do Norte. Mas hoje vive sob a posição à frente do Brasil - e o alternativas para o desenvol- pendência da atividade do
ameaça do esgotamento das quarto maior produtor mundial vimento. Em junho de 2002, petróleo não podem cruzar os
grandes reservas e do declínio de gás. A indústria de óleo e a comunidade local criou braços. Devem, sim, mobilizar
da produção na região. gás contribuiu em 2005 com um fórum permanente com toda a sociedade em buscas
Ao visitar Aberdeen em mis- 13% do Produto Interno Bruto objetivo de traçar estraté- de políticas e estratégias para
são de trabalho, tive a oportu- (PIB) de toda a indústria bri- gias de longo prazo para o o futuro. O petróleo de hoje
nidade de assistir a uma apre- tânica, atingindo £27 bilhões. desenvolvimento da região precisa ser usado como um
sentação na municipalidade Levando em conta o PIB geral de Aberdeen. Denominado recurso para o amanhã. E
local sobre a estratégia de do Reino Unido, essa indústria de AALEF (Aberdeen & Aber- a experiência de Aberdeen
desenvolvimento regional e as contribuiu no mesmo ano com deenshire Local Economic pode em muito contribuir com
projeções para a atividade do 2,6% das riquezas do país. Forum), o movimento traçou tudo isso.
8 Campos dos Goytacazes/RJ - Ano IV, nº 16 – Junho / 2007 Petróleo, Royalties & Região

assim como acontece com o petróleo, a atividade de mineração não produz,


necessáriamente, melhoria nas condiçÕes de vida nas cidades
onde as indÚstrias do setor estão instaladas

n Artigo n
os royalties do minério de ferro no brasil:
a disputa entre mineradoras e o estado brasileiro
n ALExANDRE LOuREIRO habitantes. Seria essa a escassos e não renováveis. cionais. Fora registrado um
RIBEIRO contrapartida mínima em Mas não é bem isso o que aumento na arrecadação de
troca do capital natural extra- acontece! 12,4% comparativamente ao
A mineração representa ído e pelos impactos sócio- No caso em questão, a mesmo período de 2005.
uma importante atividade econômicos e ambientais aí alíquota dos royalties para o O minério de ferro res-
para o crescimento econômi- relacionados. minério de ferro é 2% (dois ponde sozinho por cerca de
co brasileiro, (cerca de 28% Com o intuito de possibili- por cento) – conforme inciso 60% da arrecadação total
das exportações totais em tar uma melhoria da rede de II, § 1º da referida Lei –, e da CFEM, sendo os estados
2006) especialmente para benefícios para as comunida- incide sobre o faturamento de Minas Gerais (52,10%) e
os estados de Minas Gerais des das regiões que abrigam líquido, definido como o valor Pará (27,55%) os que lideram
e Pará, onde se situam os a atividade exploratória de total das receitas de vendas, o ranking das arrecadações.
maiores empreendimentos deduzidos os impostos inci- Entre os municípios que têm
dentes sobre a comercializa-
ção, seguros e as despesas
CIDADES QuE ABRIGAM de transporte. Este último, o
estopim de toda a demanda
ATIVIDADE BuSCAM
atual. Pelas condições em
PARTICIPAçãO NOS que foi estabelecida a sua
BENEFíCIOS base de cálculo, a CFEM é
recolhida por ato declaratório
do devedor, na ocasião do
pagamento, que deve ocor-
rer até sessenta dias após
mineração no país, o Gover- a venda.
no Federal, em cumprimento No primeiro semestre
do previsto na Constituição
Federal de 1988, criou a
CFEM – Compensação Fi-
nanceira pela Exploração Mi-
MINAS E PARá SãO
neral, regulamentada pelas
Leis 7.990/89 e 8.001/90. Tal OS QuE MAIS
instrumento deveria consti- RECEBEM ROYALTIES
tuir-se num reforço de caixa
para as administrações dos DO MINÉRIO
estados (23%), municípios
(65%) e união (12%), para
investimentos em políticas
públicas alternativas e com- de 2006 a arrecadação da
do ramo no país. Mas, de pensatórias pelo bem, natural CFEM foi favorecida por uma a maior arrecadação estão
fato, quem se beneficia com e finito, extraído. A CFEM contínua valorização das Parauapebas (PA), Itabira,
a mineração? popularizou-se como royal- commodities minerais, pelo Mariana (MG), Oriximiná (PA)
As cidades que abrigam ties que são pagos pelas aumento da produção de e Nova Lima (MG).
a atividade mineral buscam empresas exploradoras ao bens minerais puxado pela
uma participação efetiva Estado. Na prática, deveriam forte expansão do comércio ABATIMENTO DO FRETE
nos benefícios gerados, que representar uma apropriação mundial, especialmente pelo NO CÁLCULO DA CFEM
se traduzam na melhoria da sociedade, da parcela da consumo na ásia (em parti-
da qualidade de vida e no renda gerada pela explora- cular China e índia), maiores De fato, são duas as de-
nível de bem-estar de seus ção dos recursos naturais clientes das empresas na- mandas entre os municípios

continua na página 9
9 Campos dos Goytacazes/RJ - Ano IV, nº 16 – Junho / 2007 Petróleo, Royalties & Região

municípios brigam na justiça para que repasses sejam corrigidos.


recebedores acreditam que empresas estão pagando MENOS pelos
royalties do minério do que deveriam

Continuação da página 8

mineradores de Minas Ge- mento Nacional da Produção presas não deveriam ques- a partir de uma denúncia da
rais e as maiores empresas Mineral questionam na justiça tionar e sim pagar o que é AMIG sobre uma possível so-
atuantes no estado (CVRD, o recebimento de uma dife- devido. Nós nem queremos negação de receita dos royal-
MBR, CSN e SAMARCO). rença estimada em cerca de discutir sobre o lucro que ties, os técnicos do DNPM
A expectativa é que ainda US$200 milhões, referentes a elas apuram sobre o frete iniciaram uma auditoria nas
neste mês de junho, ambas um entendimento equivocado na venda, uma vez que são contas das empresas. As
estejam resolvidas ou, pelo por parte das mineradoras, proprietárias das rodovias e escolhidas inicialmente foram
menos, com o devido en- que descontam todo o frete dos portos...”.Ainda segun- as maiores empresas minera-
caminhamento. A primeira incidente no processo pro- do o Presidente da AMIG, a doras do estado. O objetivo
arrasta-se desde o ano de dutivo do minério, aplicado CVRD (empresa que adquiriu era confirmar se, de fato, as
2000 e diz respeito ao des- no cálculo dos royalties a a MBR e possui 50% da SA- empresas recolheram valores
conto dos custos relativos ao pagar. MARCO) tem lucro estimado inferiores ao devido, desde a
transporte interno das em- Em sua avaliação – que foi em US$30 milhões/dia; e o instituição da CFEM, em 1991.
presas no cálculo da CFEM, a mesma do STJ antes do re- valor cobrado na justiça é A proposta era inibir a prática
e que já aguarda decisão do curso impetrado – os custos ínfimo se comparado a este. de sonegação das chamadas
STJ, em Brasília. A outra se operacionais não devem ser pequenas empresas – mas
refere à questão do paga- descontados, pois compõem UM AUMENTO DA que são muitas e que, juntas,
mento inferior ao devido, de o preço final do produto ALÍQUOTA NÃO TIRA têm grande representatividade
royalties sobre o minério de repassado aos clientes. As- A COMPETITIVIDADE no recolhimento da CFEM –
ferro, entre os anos de 1991 sim, apenas o frete relativo DO SETOR usando o exemplo das gran-
e 2005, e transcorre na es- ao transporte de embarque des que, julgava-se, estavam
fera administrativa, junto ao para venda, deverá ser des- A outra questão refere-se atuando conforme a lei. Ledo
DNPM. contado, conforme prevê a lei a uma indenização bilionária engano!
No mês de maio último, o que regulamenta a CFEM. O cobrada por 21 municípios de Neste caso particular das
Superior Tribunal de Justiça presidente da AMIG cita que Minas Gerais, respaldados empresas atuantes no “qua-
(STJ), publicou sua decisão “a Lei Federal nº 8.001/90 pelo DNPM, das quatro maio- drilátero ferrífero” de Minas
prevê as deduções de im- res mineradoras que atu-
postos sobre custos de fretes am naquele estado (CVRD,
externos que as companhias CSN, MBR e SAMARCO). A
venham ter. Esta decisão suposta dívida é relativa à di- para empresas,
para municípios,
irá corrigir o erro há tempos ferença apurada pelo DNPM frete faz parte do
frete não pode praticado e favorecerá muni- entre o valor devido e o valor
cípios mineradores de todo o efetivamente pago da CFEM custo produtivo e
descontado dos
país”. Segundo cálculos do no período de 1991-2005. deve ser debitado
repasses DNPM, o valor descontado O DNPM, que é o órgão
indevidamente pelo frete encarregado de fiscalizar
corresponde a cerca de 20% as mineradoras e o paga-
do total efetivamente pago mento da CFEM, ainda não Gerais, em meio a um proces-
sobre a primeira demanda. pelas empresas. se pronunciou oficialmente so fiscalizatório (dez./2005 –
No entanto o SINFERBASE Já para a representação sobre o valor a ser pago. fev./2006), foram identifica-
– Sindicato Nacional da In- das empresas, SINFERBASE Mas os prefeitos ligados à das diferenças e expedidas
dústria da Extração do Ferro e IBRAM – Instituto Brasileiro Associação dos Municípios notificações para ciência e
e Metais Básicos, represen- de Mineração, como o cálculo Mineradores de Minas Gerais manifestação. Cabe às em-
tante legal das empresas dos royalties é feito sobre (AMIG) afirmam que a dívida presas notificadas apresentar
de mineração na questão, o faturamento líquido e o acumulada pelas empresas as suas defesas, e esclarecer
recorreu da decisão “não fa- beneficiamento do minério é gira em torno de US$ 1,2 bi- o seu entendimento sobre a
vorável”, alegando ter havido imprescindível para obtenção lhão. A partir do ano de 2003 base de cálculo que as levou
um erro no rito processual. do produto final, o frete inter- foi que o DNPM estruturou a definir por ato declaratório
Com isso, nova decisão é no faz parte do custo produ- sua área de arrecadação e os seus recolhimentos.
aguardada para o próximo tivo das empresas e por isso passou dispor de condições As prefeituras dos muni-
dia 12/06. precisa ser deduzido. ideais que garantissem efi- cípios de Ouro Preto, Ma-
Os municípios mineradores Segundo o Presidente da ciente atuação em todos os riana, Nova Lima, Itabirito e
de MG, por sua Associação, AMIG, “essa é a chamada estados brasileiros. Congonhas, dentre outras, já
AMIG, e o DNPM – Departa- ação da covardia. As em- No final do ano de 2005, fazem planos para aplicação

continua na página 10
10 Campos dos Goytacazes/RJ - Ano IV, nº 16 – Junho / 2007 Petróleo, Royalties & Região

artigo continua mostrando a batalha entre municípios


mineiros e as empresas exploradoras de minério. prefeito
afirma que exploração sai barata no brasil

n Continuação da página 9

da parte que lhes cabem ULTRAPASSADA, 16 anos, que o Brasil saltaria praticados pelos royalties
desse “caixa extra” que es- INJUSTA (Waldir de uma produção anual de do petróleo – que têm uma
peram receber, enquanto as Salvador – Presidente minério de ferro de 100 Mt/ano legislação moderna, atual e
entidades ligadas às minera- da AMIG) para 300 Mt/ano. A chamada específica –, embora defenda
doras questionam a validade Lei Kandir (1996), criada no também que não busca uma
contábil e jurídica do cálculo A principal causa defendida auge das crises econômicas equiparação entre as alíquotas
do DNPM. atualmente pela AMIG é a de mundiais que nos acometeram atualmente praticadas. “São
O IBRAM e o SINDIEXTRA uma revisão da legislação na década passada, na busca situações diferentes, embora
– Sindicato das Indústrias que disciplina a arrecadação de aumentar o superávit da convirjam para um mesmo
Extrativas de Minas Gerais, da CFEM1. De fato, o Brasil balança comercial, desonerou fim”, diz Juninho. Mas somen-
por seus representantes, ma- adota uma das menores ta- do ICMS os produtos primários te a título de comparação, no
nifestaram indignação seja em xas relativas a esse tipo de ou manufaturados destinados ano passado a PETROBRÁS
relação à cobrança bilionária, contribuição, comparativa- à exportação. Cerca de 80% desembolsou sozinha, mais
seja quanto à publicação des- da produção nacional de miné- que seis vezes do que todas
ses valores exorbitantes e não rio de ferro, hoje, é exportada. as empresas mineradoras
oficiais de indenização, posto A queda da arrecadação dos juntas. Segundo ele, nos pró-
que ainda não há conclusão prefeito mineiro
estados tem reflexo imediato ximos dias a AMIG levará
por parte daquele órgão fis- nos municípios, que perdem à apreciação do Ministério
calizador. Segundo eles, “há afirma que brasil tem uma grande fatia das receitas das Minas e Energia – MME,
erros graves nos cálculos “subsolo mais barato que lhes cabem (via cota parte um estudo que comprova a
preliminares dos técnicos do do ICMS) sobre a produção do possibilidade de elevação da
DNPM, que deverão ser rea- do mundo” minério de ferro e nada rece- alíquota atual para 4% do fatu-
valiados”. bem a título de compensação ramento bruto. Tal medida não
Por outro lado os municípios por essa perda. tira a competitividade do setor,
que obtiveram êxito em todas “As empresas se defendem porém mostra-se como uma
as decisões até o momento, mente aos principais países alegando que a carga tribu- forma mais justa de distribui-
afirmam que as empresas mineradores do mundo. tária brasileira já é alta. Mas ção dos dividendos auferidos
mineradoras recolheram sim, Na Austrália, as minerado- isso não é de competência pelas empresas.
um valor menor ao que de- ras recolhem 7% da receita dos municípios, da população
veriam: “O Brasil já possui bruta pela extração de miné- das cidades exploradas. Nós n Alexandre Loureiro
o sub-solo mais barato do rio de ferro. Na Rússia, o per- não temos culpa se a carga Ribeiro é Engenheiro Civil e
mundo. Não se tem notícia centual de 4,8% incide sobre tributária brasileira é elevada. Mestrando em Engenharia
de país com alíquotas mais o faturamento bruto - portanto Quando os recursos chega- mineral pela UFOP/MG.
baixas de royalties do que o maior do que quando incide rem à exaustão, as minera-
Brasil, e as empresas ainda no faturamento líquido. Na doras deixarão as cidades. n NOTAS
se negam a recolher o que nos Indonésia, 2,5% e 2% na Áfri- Do quê iremos viver quando
é de direito”, alfineta Juninho ca do Sul. No Canadá, outro acabarem esses recursos? 1 - Após o fechamento deste artigo,
(Waldir Salvador), Prefeito do grande produtor mundial, o Precisamos deles sim, e ago- tivemos informação que o STJ confir-
município de Itabirito (MG) e preço da extração do minério ra!”, diz o Prefeito Juninho, mou sua decisão anterior, que impede
presidente da AMIG. de ferro varia de 15% a 20% justificando sua opinião sobre as mineradoras de descontar, da base
das receitas tributáveis. a necessidade de revisão na de cálculo da CFEM, os custos de trans-
A LEGISLAÇÃO Fato é que a legislação legislação vigente. porte interno dos minérios. A decisão
DOS ROYALTIES DO vigente, embora não muito A AMIG defende ainda que obriga quatro mineradoras a ressarcir
MINÉRIO MERECE antiga (1991) ficou ultrapas- seja encaminhada e discutida 25 municípios mineiros pelo desconto
SER APERFEIÇOADA, sada devido aos avanços do no Congresso Nacional uma indevido do transporte interno, conta
POIS É TACANHA, setor. Não se imaginava, há co-relação entre os valores calculada em R$ 400 milhões.

Petróleo, Royalties & Região Ano IV, Nº 16 - Junho/2007


ISSN 1980-6310 Coordenação: Rodrigo Valente Serra e Denise Cunha Tavares Terra
Expediente

Boletim do Mestrado em Planejamento Regional e Gestão de Cidades Editor e Jornalista Responsável: Vitor Menezes (DRT 03141)
da Universidade Candido Mendes – Campos (Rua: Anita Peçanha, 100 Arte, Projeto Gráfico e diagramação: Alessandro Moraes (22) 8111-9597
- Parque São Caetano / Campos dos Goytacazes - RJ CEP 28040-320 Bolsistas: Rafael Aviz e Thiago Muniz (FENORTE/TECNORTE)
telefax:(0xx22) 2733-4100) e Fellipe Paes Ferreira (CNPq).

Distribuído por Correio Eletrônico - Também disponível no site www.royaltiesdopetroleo.ucam-campos.br