Você está na página 1de 52

REPORTAGEM

DIFERENÇAS.
Notícia x Reportagem
Narrativa literária x Jornalística
A reportagem leva o leitor a um
Notícia está ligada ao
posicionamento crítico, revelando-lhe
registro de
ângulos insuspeitos, iluminando e ampliando
acontecimentos.
a visão sobre determinado assunto.

O primeiro parágrafo de uma

REPORTAGEM
Na notícia é visível a
reportagem geralmente é descritivo ou
aplicação do LEAD no
então parte de um aspecto secundário
inicio do texto
como “gancho” para o assunto principal.

A notícia usufrui da aura A reportagem usufrui da


de imparcialidade liberdade da subjetividade.

X
NOTÍCIA
A reportagem depende de A notícia tem que ser dada. É
avaliações subjetivas dos veículos. uma questão de credibilidade.

O texto da notícia é É Livre, na reportagem, o uso de recursos


conciso. como a narração, a descrição e a exposição.
A diferença entre a notícia e outros formatos de
N I L S O N L AG E
texto não está no seu conteúdo ou na natureza das
informações, mas na forma em que ela é redigida. Notícia
é o fato redigido a partir do dado mais importante ou
capaz de gerar maior interesse, seguindo-se as demais

REPORTAGEM
informações em ordem decrescente de importância.

Fator determinante para a circulação de uma notícia é o


MUNIZ SODRÉ

tempo: o fato deve ser recente e o anúncio do fato, imediato.

X
Este é um dos principais elementos de distinção entre a

NOTÍCIA
notícia e outras modalidades de informações. Aqui, talvez,
um aspecto importante ao diferençar notícia de reportagem.
Embora a reportagem não prescinda de atualidade, esta
não terá o mesmo caráter imediato que determina a notícia.
VEJA, 31 DE MARÇO DE 2010
A TARDE, 10 OUTUBRO DE 2009
Ministra e governador visitam
Obras de Irmã Dulce Feira Quatro aviões transportaram a
comitiva de secretários e deputados que
GLAUCO WANDERLEY acompanharam Wagner e Dilma na visita
E REDAÇÃO Feira de Santana
a Cipó, município no semi árido baiano.
Depois de ir ao Bonfim, a ministra
Lá eles inauguraram uma estrada, um
Dilma Rousseff (Casa Civil) fez visita de
centro digital para acesso à internet e
cortesia às Obras Sociais Irmã Dulce
uma unidade de saúde da família.
(OSID), no Largo de Roma.
A passagem de Dilma pelo local teve
Acompanhada pelo governador Jaques todas as características de campanha, que
Wagner, ela chegou ao local por volta não pode ser oficialmente declarada, com
das 8h30 e rezou na Igreja da Imaculada carreata, fogos de artifício e comício.
Conceição.
No Hospital da Criança, dentro do Dilma tirou foto com moradores e
complexo da OSID, ela cumprimentou discursou, num palanque, por 13
pacientes e mães que acompanhavam minutos, exaltando o presidente Lula e
seus filhos internados. Depois ela seguiu suas realizações. Também listou, para
para o pátio das ambulâncias, onde a prefeitos da região, programas exitosos
companhou apresentação do grupo do governo..
Renascer, formado por idosas residentes
do local. Elas se vestiram de baiana e WWW.ATARDE.COM.BR
tocaram samba de roda para Dilma.
O KIT DA CANDIDATA
É UM LUXO
Reportagem de Diego Escostegui

Foto de Dida Sampaiome


O QUE CARACTERIZA UMA REPORTAGEM?

“O lugar por excelência da narração


jornalística”
Humanização do relato
Texto de natureza impressionista
Objetividade dos fatos narrados
NARRATIVA

Personagens

Ação dramática e
descrição de ambientes

LITERATURA?
A narrativa jornalística diferencia-se da literária pela...
REALIDADE!

REALIDADE!
REALIDADE!

REALIDADE!
A narrativa jornalística diferencia-se da literária pelo...

COMPROMISSO
COM A
OBJETIVIDADE
INFORMATIVA.
O repórter é quem faz a ponte para diminuir as
distâncias entre o leitor e o acontecimento.

 Sem um “Quem” e um “O quê” não se pode narrar,


mas sobretudo precisam despertar interesse humano
ou não serão suficientes para despertar a problemática
narrativa.

O desdobramento do LEAD constituirá de pleno


direito uma narrativa, regida pela realidade factual
do dia-a-dia pelos pontos rítmicos do cotidiano.
(...) a comunicação se tornou para nós questão de mediações mais que de meios, questão de cultura
e, portanto, não só de conhecimentos mas de re-conhecimento. Um reconhecimento que foi, de
início, operação de deslocamento metodológico para re-ver o processo inteiro da comunicação a
partir de seu outro lugar, o da recepção, o das resistências que aí têm seu lugar, o da apropriação a
partir de seus usos. (Martin-Barbero, 1997:16)

É preciso buscar os recantos do cotidiano, as práticas culturais que constituem o complexo


campo de relações da comunicação.

Tal investida simbólica exige como requisito a quebra da linearidade do esquema


tradicional emissor-mensagem-canal-receptor para dar lugar a uma circularidade que assegure a
inter-relação.

deslocam a atividade jornalística do âmbito restrito da reprodução para o campo da


produção autoral

é preciso resistir diariamente à cômodo tarefa de incorporar sentidos que, na maioria das
vezes, dão-se prontos sob a forma de release, por exemplo.
"A reportagem, como a arte, tem a necessária pretensão de
iluminar o significado, de apontar uma direção acima do caos
dos eventos cotidianos." Para alcançar este objetivo, "o
repórter deve entender o que tem a narrar. E, para entender,
precisa sentir. Só então ele ordena o caos (e escreve, encadeando
os fatos como são encadeadas as palavras). Porque o repórter
sente, as reportagens emocionam. Porque ele entende, elas
informam. (Informação, não custa repetir, é um dado que
contém sentido para o leitor. Ou não será informação, mas
apenas um dado a mais, perdido)."

Eugênio Bucci. A arte da reportagem, volume 1


(Igor Fuser, org., São Paulo, Scritta, 1996)
CURTA-METRAGEM - OPERÁRIOS DA NOTÍCIA
http://www.youtube.com/watch?v=N9sHwssNAcc
MODELOS DE REPORTAGENS
REPORTAGEM DE FATOS (FACT-STORY)
 Relatoobjetivo de acontecimentos (pirâmide
invertida). Fatos narrados por ordem de
importância.

 Tempo normal.

 Emalguns casos, no entanto, o relato dos fatos


pode seguir ordem cronológica.
PRIMEIRA REPORTAGEM SOBRE O ET DE VARGINHA. FANTÁSTICO (ANO 1996)
http://www.youtube.com/watch?v=0nOPBILsbSQ
REPORTAGEM DE AÇÃO (ACTION-STORY)
 Desenrolar
dos acontecimentos de maneira
enuciante, Próxima ao leitor, que “visualiza”
as cenas.

 Forte dramatização

 Tempo acelerado

 Àsvezes o repórter participa da ação, o que dá


realismo e maior credibilidade.
http://www.facha.edu.br/publicacoes/jornallab/vencedores_2005/newjournalism.pdf
HTTP://WWW.
ESQUIRE.COM
/FEATURES/E
SQ1003-
OCT_SINAT
RA_REV_
REPORTAGEM DOCUMENTAL (QUOTE-STORY)
 Expõeos fatos de maneira objetiva (se
aproxima da pesquisa)
 Apresentacitações que complementam e
esclarecem o assunto tratado
 Usovariável de tempo em função do fio
narrativo.
 Às vezes tem caráter denunciante
 Se pronuncia em torno do tema
Por Toda a Minha Vida - Tim Maia
http://www.youtube.com/watch?v=E_MirW2Xub8
A “GRANDE REPORTAGEM”
 Está relacionada tanto a dimensão física quanto à
profundidade da abordagem do assunto
trabalhado.

 Entram em consideração a questão gráfica (fotos,


infográficos, disposição textual) e temática (a
relevância, originalidade e contribuição social do
tema).

 Tempo e Recursos escassos impedem sua


produção.
JORNALISMO X LITERATURA
ESTRUTURA
Reportagem-conto
 Particulariza a ação, escolhe um personagem para desenvolver
o assunto em questão.
 Este formato não é estanque, pode servir de recurso narrativo
para introduzir a uma reportagem documental, por exemplo.

DIGITAIS. UM JEITO DIFERENTE DE CONTAR A HISTÓRIA


http://www.revistabrasileiros.com.br/digitais/

APRENDENDO A SER GAY TALESE


http://revistabrasileiros.com.br/edicoes/1/textos/463/
Reportagem-crônica
 Sua definição é mais temática, normalmente fortuita, ligada
mais ao cotidiano.
 Caráter impressionista.

 Narrador observador e reflexivo.

 se aproxima da crítica social e da opinião velada

PROFISSÃO REPÓRTER
http://especiais.profissaoreporter.globo.com/programa/page/5/

VOLTA AO MUNDO EM FOTOGRAFIA


http://aeiou.expresso.pt/fotografosnomundo
MOSAICO BAIANO - VIDA DE CANHOTO NO MUNDO DOS
DESTROS

http://www.youtube.com/watch?v=bWn33HjhdP
Q
CONSTRUÇÃO DA REPORTAGEM
O QUE DETERMINA A QUALIDADE DO TEXTO ?

 Apuração eficiente;
 Capacidade de conectar idéias;

 Familiaridade com o tema;

 Pesquisa;

 Estilo;

 Informação em primeiro plano(essencial para o texto de notícia).

“Um texto bem embasado traz detalhes dos acontecimentos, relaciona


assuntos, isso proporciona uma leitura rápida e agradável”.
(FLORESTA ; BRASLAUSKAS, 2009)
Como Fazer um Texto de Qualidade?
 Boa Pauta
 Apuração

 Escolha do ângulo/tema

 Organizar o Material Apurado


• Hierarquizar a qualidade das informações. Preferencialmente já
durante a apuração;
• Destacar o que pode ser um “abre” da página, o que funcionaria bem
como uma “arte” ou “sub-retranca” ;
• Fazer um roteiro da reportagem (lide e sequência do texto) .
Como Fazer um Texto de Qualidade?
LEMBRE-SE QUE
 Emcadernos “quentes” os detalhes são
mais importantes.
 Em cadernos “frios” o repórter tem que
fugir do óbvio para prender o leitor, ai
nem sempre a informação está em
primeiro plano. Ex: caderno de cultura;
 Escrever como se o leitor não
entendesse nada do assunto. Seja
didático.
ESQUEMAS DE TEXTO:
 Pirâmide invertida
 Cronológico: é o contrário da pirâmide invertida;
 Dialético: comum na reportagem documental. Sem
confundir com a dissertação, apresenta um arremedo de
tese-antítese-síntese. O texto se põe a serviço da
demonstração de uma idéia.
Em histórias mais complexas a melhor estrutura é a que mantém as
chamadas “leis da alternância”. Estas permitem construir um texto vivo e
com ritmo, alternando esquemas e planos.

Estas leis resumem-se ao seguinte:


·Alternância de planos (primeiros planos/planos gerais)
·Ações/reflexões
·Descrições/ citações
·Imagens/história
·Discurso direto/discurso indireto
·Frases curtas/frases mais longas
TODA REPORTAGEM TEM UM JEITO QUE O JORNALISTA DÁ...
 Força – seleção de elementos(omissão ou expansão de
pontos) que combinados em seqüência, produzem um
efeito;
 Clareza – objetividade;

 Condensação;

 Tensão – dosar a disposição dos elementos em


seqüência para que essa dosagem sirva a um clímax;
 Novidade – pode estar ligada ao acontecimento
inédito, mas também à observação diferente de
qualquer assunto
FICA A DICA
 Contextualizar as histórias para o leitor;
 Escolher o título, subtítulos, fotos, legendas,
infográficos, de modo a formarem um conjunto que
apresenta e explica a reportagem para o leitor.
LEITOR

Importância do Título
Ele é o “carro-chefe” de uma reportagem;
É preciso pensar bem como redigir para chamar a atenção do leitor e , ao mesmo
tempo, ser informativo;
Evitar pontuação que pode dar a idéia de questionamento, julgamento;
Cuidado ao aplicar siglas ao título para não transformá-lo em um código Morse,
“Também não é apropriado usar sílaba, cifrão e valor e nomes próprios compostos
em linhas separadas. A simetria é outro ponto bastante importante...”
O uso do verbo , sobretudo em editorias como política, cidade e economia, é
regra na maioria dos jornais e revistas;
Em cadernos “frios” é facultativo;
Funciona bem o casamento entre imagem e título “fantasia” ( sem verbo) .
FICA A DICA
 Seja preciso nas informações, não deixe de passar os detalhes;
 A depender da proximidade do fato o leitor pode se identificar .
Na internet dados precisos são usados a serviço do público;
 A precisão ajuda o leitor a compreender a informação e porque
ela ganhou destaque.
PRECISÃO

 Cuidado com a grafia dos nomes e números que


comprometem o dia a dia das pessoas, como horários de
funcionamento e preços;
 Um dos erros mais grotescos e comuns são falhas em
REVISÃO nomes dos entrevistados
MANUAL DE REPORTAGEM - RAFINHA BASTOS
http://www.youtube.com/watch?v=BHhMLx9Z58g
O livro-reportagem
 A história se mantém no foco de interesse público ou se
desenvolve um grande trabalho de pesquisa.
 Relatos de um náufrago – Gabriel garcía márquez
A SANGUE FRIO – TRUMAN CAPOTE

FAMA E ANONIMATO – GAY TALESE

RELATO DE UM NÁUFRAGO – GABRIEL GARCÍA


MÁRQUEZ

OS SERTÕES – EUCLIDES DA CUNHA

ESTAÇÃO CARANDIRU – DRÁUZIO VARELA

ROTA 66 – CACO BARCELLOS

A GUERRA DOS MENINOS – GILBERTO DIMENSTEIN


EVOLUÇÃO DA REPORTAGEM
A primeira revista brasileira, As
variedades - Ensaios de
literatura, criada em Salvador,
em 1812, pelo tipógrafo e
livreiro português Manoel da
Silva Serva, não se preocupava
com a notícia, era uma
publicação erudita.

A abordagem jornalística dos fatos


não interessava muito aos veículos
impressos. Para se ter uma idéia, o
famoso grito do Ipiranga, o
Independencia ou morte !, dado por
D. Pedro nas margens do riacho
paulista, só foi virar notícia no jornal
O Espelho, do Rio de Janeiro, duas
semanas depois de acontecer.
1865 ... Publicada a primeira foto
reportagem na revista a Semana
Illustrada, com imagens produzidas
por militares na guerra do Paraguai.
1882 ... Repórteres com lápis.
Ilustração da queda de Dom Pedro II, na
Revista Illustrada de 1882, feita pelo
abolicionista Angelo Agostini.
1904 -- João do Rio traria a
realidade das ruas do rio para a
Kósmos, se tornando o primeiro a
fazer reportagem para revista.

1914 --- a revista Fon Fon ! conta


a história de Eugênia Brandão, a
"reportisa" de 16 anos que se
internou num convento para
apurar uma matéria.
1928 --- surge O Cruzeiro, revista que se consagraria através das duplas de reportagem
(repórter x fotógrafo)

http://www.youtube.com/watch?v=sUdHI1UsZ-g

Revista O Cruzeiro | Chico Xavier


1955 --- O primeiro Prêmio Esso de
Reportagem é ganho por uma
reportagem de O Cruzeiro.
1967 --- A reportagem especial Mulher
Brasileira, da revista Realidade, é
apreendida por crime de imoralidade.

1968 --- O enviado da Realidade José


Hamilton Ribeiro é ferido no Vietnam
Obrigado!

Seminário apresentado a disciplina Comunicação jornalística.


Obrigado!

VIVAS

Seminário apresentado a disciplina Comunicação jornalística.