Você está na página 1de 5

ILUMINAÇÃO

Tecnologia de Led
é a tendência de iluminação no Brasil
O que vai mudar em termos de projeção de shows com o uso de
tecnologia de LED no Brasil? Segundo os profissionais do
segmento, o LED vai ser cada vez mais utilizado, principalmente
como recurso cenográfico.
Karyne Lins
karynelins@backstage.com.br

A tualmente, a tendência no mercado de iluminação


no Brasil é cada vez mais a utilização de LEDs. Vári-
as empresas adotaram o uso desta tecnologia e os
profissionais estão procurando soluções em LED não só no
entretenimento (TV, show business, etc), mas também na
de LED (para efeito visual e cenografia) e refletores RGB Ri-
balta com a tecnologia de LED (grande luminosidade e efei-
to). O foco são os estúdios de TV.

Mudanças na projeção
arquitetura. Um exemplo é a Star, que utiliza o painel de O uso do display de LED em shows praticamente inviabi-
LED Star Lighting visando a seguir a tendência de uso de liza a projeção, já que a luminosidade emitida pelo display é
LEDs nos equipamentos de iluminação para aplicações de- muitas vezes superior à luminosidade de um projetor refleti-
corativas e arquitetônicas em eventos, festas, lojas, casa da em uma tela. Acredita-se que a mudança em termos de
noturnas, palco, etc. projeção de shows é a de se ter uma qualidade de imagens
Segundo João Alonso Álvares, diretor comercial da Hot muito maior.
Machine, os refletores Ribalta e o modelo Palco 3 (ambos da “Temos novas tecnologias, mais inteligentes, leves e cada vez
SMG) também têm atendido ao segmento de arquitetura. mais com qualidade e potência. Podemos ter como exemplo o
Vicente Vitale, da empresa Novalite Iluminação, utiliza tubos que já aconteceu nos últimos dois anos. Utilizavam-se projetores

Foto: Fábio Nunes / Divulgação

Cortina de LED de 80 metros quadrados da Drap Led, da Showdesign, utilizada na turnê do cantor Fábio Junior

70 www.backstage.com.br
ILUMINAÇÃO

de 3 mil ansi lumens e hoje estamos em mercado, que não tardaram a ser adota-
15 mil, além, é claro, dos painéis de dos pelas produções de médio e grande
LED”, disse Jesus Fernandez, empresário porte. No Brasil, os primeiros modelos
e diretor da 2A Lighting, que representa começaram a ser utilizados em shows a
a Avolites, Pixelpar, Pixelrange e Osíris partir de 2001.
no Brasil. No segmento de cortinas de LED, o
mercado está cada vez mais consumindo
A chegada dos painéis e esta linha de produto em shows, eventos
cortinas de LED no Brasil corporativos e cenografias. O sistema pos-
Um painel de LED é uma placa com sui vários Pixel Line possíveis de montar e
combinações de luzes vermelhas, azuis e formatar de várias maneiras. A empresa
verdes (RGB), que formam pixels. Estes re- Showdesign fez a turnê do cantor Fábio
cebem informações de um processador es- Junior utilizando cortina de LED de 80

“No segmento de cortinas de LED, o mercado está


cada vez mais consumindo esta linha de produto
em shows, eventos corporativos e cenografias.
O sistema possui vários Pixel Line possíveis de montar
e formatar de várias maneiras”

pecífico, que transforma luzes em imagens. metros quadrados da Drap Led (Produto
A tecnologia dos displays de LED full-color Nacional). A empresa também possui 40
(aqueles que exibem todas as cores visíveis, tubos de LED da Chauvet e mais duas
sendo próprios para exibição de vídeos de cortinas de LED de 80 metros quadrados
alta resolução) se tornou possível após os da Drap Led.
LEDs azuis terem se tornado comercial- A Oficina de Luz também dispõe de
mente viáveis a partir de 1995. cortinas. A empresa começou a utilizar
Aqui no Brasil, um dos primeiros Cortina de LED Softled em 2002 e, vi-
shows a utilizar essa tecnologia foi a sando a seguir a tendência do mercado
turnê Voodoo Lounge, dos Rolling Stones, para shows musicais e eventos corpo-
em 1995, que usou o famoso Jumbotron. rativos, já investiu em refletores tipo
A partir de então, os principais fabrican- Par 64 de LED e Element LABS ZIP
tes passaram a oferecer esses displays no Tubos de LED.

Locação de Leds
Cuidados para não locar um LED as cores e os detalhes da imagem) e sa-
de má qualidade ber a taxa de refresh do display (quanto
Os pontos cruciais ao escolher um mais alta, melhor será a imagem capta-
fornecedor de display de LED são: sa- da pelas câmeras).
ber a origem dos LEDs (há LEDs de to- Silvio enfatizou que por existirem pou-
dos os tipos e qualidades, sendo que os cas empresas que oferecem esse servi-
LEDs de qualidade inferior apresenta- ço, fica fácil identificar qual é a melhor
rão uma imagem sem uniformidade), sa- para determinado projeto. “Não é difícil
ber o tipo de processamento de cor obter informações e exemplos de utiliza-
(quanto maior o número de bits de ção, pois nosso mercado ainda é muito
processamento de cor, mais fiéis serão concentrado”, opinou.

www.backstage.com.br 71
ILUMINAÇÃO
Fotos: Divulgação

Silvio Francisco, lighting designer da empresa O diretor da Oficina de Luz, Naldo Bueno, investe em Vicente Vitale, da Novalite, investe a tecnologia de
Objeto de Luz Design LED desde 2002 LED principalmente nos estúdios de TV

O cliente sabe utilizar Vicente Vitale ressalta que no momen- inel AVP LED Tech utilizado nas turnês
essa tecnologia? to o Brasil está criando demanda desses de Adriana Calcanhotto e Titãs.
A principal dúvida dos clientes é sa- produtos, pois o mercado ainda não co- Hoje, existem vários produtos de LED,
ber como essa tecnologia pode se encai- nhece bem, mas acredita que nos próxi- como painéis de LED de alta resolução,
xar no seu show ou evento. Se o cliente mos anos serão muito utilizados no Brasil cortinas de LED, tubos de LED, painéis
não pede, a empresa que dispõe desta por ser uma tendência mundial. de LED com transparência e alguns re-
tecnologia sugere. “Algumas pessoas fletores, que têm um bom aproveitamen-
pensam no painel de LED somente como Custo e avaliação to para iluminar cenários. Segundo os
um substituto de projeção e não como da qualidade entrevistados, com relação à qualidade
recurso cenográfico e suporte para ilumi- “O LED progrediu muito em termos dos painéis de LED de alta resolução, to-
nação. No entanto, os clientes mais sin- de qualidade, resolução e em termos de dos os disponíveis têm boa tecnologia e a
tonizados com as novidades da tecno- preço. Apesar de ser ainda absurdamen- maioria deles é importada.
logia não dispensam o display de LED em te caro, é muito mais barato do que há Para avaliação da qualidade de um pa-
suas produções. Sugerimos a melhor op- cinco anos, e agora com muito mais reso- inel existem vários fatores. A linguagem
ção para atender ao projeto e ao orçamen- lução”, avalia Wagner, diretor da Ponto utilizada é a distância em milímetros entre os
to do cliente”, disse Nelson Baumgratz, Mídia Projeções, que trabalha com o pa- pixels. Existem muitos outros parâmetros tão
gerente de enge- importantes quan-
nharia da On Pro- to esse para avalia-
Foto: Fábio Nunes / Divulgação

jeções, que possui ção de um painel,


displays de LED como, por exem-
da TecnoVISION. plo, qualidade e pro-
“O uso do LED é cedência do LED,
uma tendência do modelo de proces-
mercado. Quan- sador de imagem,
do vamos fazer um etc. No mercado
projeto sempre su- brasileiro há dispo-
gerimos o uso de níveis para loca-
LED e há momen- ção opções de 23
tos em que alguns até 5 milímetros.
clientes também O preço do LED
pedem”, enfati- embute muitas va-
zou Rogério Fer- riáveis: forma de
nandez, o Cario- importar, proce-
ca, sócio-proprie- dência, modelo
tário e designer indoor ou outdoor,
da Showdesign. Mercado está cada vez mais consumindo cortinas de led em shows e cenografias resolução, etc.

72 www.backstage.com.br
ILUMINAÇÃO
Fotos: Divulgação

te mais forte e interessante em relação


a LED é a questão da economia. Já
Naldo Bueno acha que não se trata só
de economia e vida útil maior para os
equipamentos e lâmpadas e sim de
economia de energia gasta com os
equipamentos e calor.

Nelson Baumgratz, gerente de engenharia da On Ivan Moura e Rogério Fernandez, o Carioca, sócios
O lighting designer
Projeções, que possui displays de LED da TecnoVISION proprietários da Showdesign e os LEDs
O lighting designer tem hoje nas mãos
Esse preço varia entre US$ 10 mil e “O investimento em LED é uma ten- o LED, um produto que possui uma infi-
US$ 50 mil o metro quadrado. Caso dência que nós teremos que acompa- nidade de cores e situações para criar,
uma empresa se interesse por comprar, nhar, mas sempre com muita calma, pois muito mais do que com lâmpadas. Na
precisa ter bem definida qual a utiliza- o mercado de iluminação a cada dia se opinião de Rogério, o LED não muda o
ção do painel. Os modelos de melhor renova”, incentiva Caio Lima, lighting conceito de trabalho do lighting designer
relação custo-benefício são aqueles designer da LPL. e sim ajuda a dar mais opções na forma
que têm pitch (a distância entre os de iluminar um cenário e criar melhores
pontos luminosos que formarão uma Economia efeitos visuais.
imagem) em torno de 13 milímetros e o De acordo com os entrevistados, o Nelson fala de duas possibilidades
custo destes equipamentos gira em tor- display de LED pode proporcionar uma de uso desta tecnologia pelo lighting
no de 20 mil dólares por metro quadra- enorme economia nos custos de manu- designer. Uma será a tendência da ilu-
do de display. tenção, já que a vida útil do LED pode minação de palco passar a ser feita com
“Um painel para o topo de um prédio, chegar a 100 mil horas contra as cente- lâmpadas de LED, o que permitirá um
por exemplo, onde teremos lettering, nas ou alguns poucos milhares de horas controle de luminosidade e de cor mui-
pode ser um painel de 70 milímetros de vida útil de uma lâmpada de proje- to melhores do que com as lâmpadas
com uma estrutura fixa. Já um painel tor. “Temos a economia de energia e a convencionais, além de um consumo
para uso indoor deve ter menos que 10 durabilidade do equipamento com pra- de energia elétrica muito menor. Outra
milímetos. A diferença do preço entre ticamente nada de manutenção, além possibilidade é de o lighting designer
eles é muito grande”, disse Sílvio Fran- de não ter que ficar trocando e gastan- que souber aproveitar o recurso do bri-
cisco, diretor de eventos, lighting do com gelatina em determinados servi- lho intenso do display de LED, aliado
designer e diretor de fotografia da Ob- ços. Claro que estamos falando de equi- aos equipamentos de iluminação tradi-
jeto de Luz Design. Silvio diz ainda pamentos confiáveis e de tecnologia”, cional, obter efeitos jamais imaginados.
que essa decisão de compra depende opinou Jesus. “Acho que por mais tecnologia que apare-
muito do capital disponível (que não é Ivo Moura, diretor da Prisma Even- ça, como aconteceu com os moving lights
pouco), bem como da estratégia da tos, está pesquisando sobre as tendên- e agora o LED, o que acaba prevalecendo,
própria empresa. Na opinião de Nelson, cias de mercado para o uso do LED em no meu entender, é o bom gosto da utili-
para uma produtora, a melhor opção é várias produções e concorda que a par- zação dessas ferramentas. O LED é luz
a locação, porque os altos custos inici-
ais de importação, treinamento, e mes-
mo a manutenção, não existirão. “Ado-
tamos outra estratégia e estamos abrin- “O investimento em LED é uma tendência que
do aqui no Brasil uma filial da fábrica nós teremos que acompanhar, mas sempre com
que nos fornece equipamentos, obten- muita calma, pois o mercado de iluminação
do assim uma linha de fornecimento a cada dia se renova”
próprio para atender também ao mer- (Caio Lima, lightining designer da LPL)
cado em geral”.

www.backstage.com.br 73
ILUMINAÇÃO
Fotos: Divulgação

O gorvenador de São Paulo, Cláudio Lembo com Painel da Lightinghouse: exemplo da qualidade em Infocom 2006 em maio, em Orlando, painel da
Painel de LED ao fundo em transmissão simultânea projeção e luminosidade da tecnologia de LED marca Toshiba

e penso que todo lighting designer deve Silvio acredita que em aproximada- prar os produtos com qualidade e caros
saber mais sobre esse assunto e ir testando mente três anos a evolução dessa não conseguirá aumentar rapidamente
sua utilização de forma não convencio- tecnologia e a queda do preço farão seu estoque. Penso que vai demorar um
nal, pois a ‘popularização’ do LED, seja com que grande parte das empresas de pouco mais para essa tecnologia fazer par-
em forma de painel ou de refletor, de- iluminação consuma esses produtos, te do nosso dia-a-dia”.
penderá muito da criatividade dos nossos pois a durabilidade do LED aliada ao “Na minha opinião, as aplicações de
profissionais”, disse Silvio Francisco. seu baixo consumo interessa a todas as alta potência ainda não atendem com
empresas e os custos tendem a diminuir custo satisfatório, porém, a utilização em
O futuro gradativamente. “Acho que o LED baixa e média será mais rápida”, opinou
Novas tecnologias como as do LED chegou para ficar. Seja na iluminação Eduardo José Orenes, diretor e enge-
impulsionam as empresas a se voltarem automotiva, decoração, iluminação in- nheiro responsável pela área de desen-
cada vez mais para esta nova realidade dustrial, na iluminação cênica (já te- volvimento de produtos da Star.
do segmento de iluminação. Nelson mos mini bruit, moving light, refletor João Álvares diz que investir em
lembrou que antes dos moving lights en- Par, que utilizam LED) e também no equipamentos de LED não é barato,
trarem no mercado utilizavam-se 200 mercado de projeção de imagens. mas ao contabilizar os custos, no final,
lâmpadas Par para um show básico e Como toda tecnologia nova chega com acaba sendo um bom negócio. “Pode-
hoje se utiliza bem menos. “Acredito um preço muito alto e aos poucos vai se mos notar que na área de show as ban-
que isso também deva acontecer com os popularizando, aconteceu com os mo- das de forró já estão utilizando essa
LEDs. Temos vários refletores compe- ving lights e será com o LED”, enfati- tecnologia, que em breve também vai
tentes para substituir lâmpadas, além zou Silvio. atender até a desfiles de moda”, co-
dos sistemas de painéis, cortinas de LED Naldo Bueno é cauteloso com o futuro mentou João.
e variações destes sistemas transparen- desta tecnologia na iluminação, levando
tes para a cenografia. O LED é a lâmpa- em consideração custos e lucros das em- Para saber mais
da do futuro e já está chegando o dia presas. “Tudo de LED que é de boa quali-
em que lâmpadas incandescentes e flu- dade ainda é muito caro para nosso mer- www.2alighting.com.br
www.star.ind.br
orescentes serão apenas peças de mu- cado, que paga muito pouco em cada lo-
www.hotmachine.ind.br
seu”, opinou Nelson. cação. Por isso, imagino que quem com- www.lpl.com.br
www.novalite.com.br
www.onprojecoes.com.br
www.objetodeluz.com.br
www.oficinadeluz.com.br
“Acho que o LED chegou para ficar. Seja na www.pontomidia.com
iluminação automotiva, decoração, iluminação www.prisma-eventos.com.br
cênica (já temos mini bruit, moving light, refletor www.showdesign.com.br
www.sgm.it
Par, que utilizam LED) e também no mercado de www.tecnovision.it
projeção de imagens” (Silvio) www.ledtronics.com

74 www.backstage.com.br