Você está na página 1de 18

Universidade do Porto

Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física

CONTROLO DE TREINO EM ANDEBOL


Um estudo com seniores masculinos de diferentes níveis competitivos

Dissertação apresentada com vista à obtenção


do grau de Mestre em Ciências do Desporto na
Área de Treino de Alto Rendimento Desportivo

Paulo Jorge de Moura Pereira

Junho de 1999
Objectivo do estudo

1- Avaliar os atletas ao longo da época desportiva, procedendo à


comparação dos resultados entre os diferentes níveis competitivos bem
como entre as sucessivas avaliações.

2- Determinar um perfil funcional para cada tipo de teste, verificando se


existem diferenças entre atletas de níveis competitivos distintos e de
acordo com o seu posto específico

3- Identificar as variações existentes nas diferentes capacidades


avaliadas no conjunto de testes seleccionados.
Caracterização da amostra

1ª Divisão 2ª Divisão 3ª Divisão


n 11 12 7

Peso (kg) 86.4± 12,4 81.6± 7,17 84.6± 8,5

Altura (m) 1,85± 0,08 1.82± 0,06 1,80± 0,06


Instrumentos e material utilizado

Resistência aeróbia
Yo-Yo intermitente endurance test

Altura de salto
Ergojump

Potência anaeróbia dos membros inferiores


Wingate anaerobic test de 30 s

Velocidade
Células fotoeléctricas
Procedimentos metodológicos

1ºDia

Velocidade (linear e com mudança de direcção)

Altura de salto

Resistência aeróbia

2ª Dia

Potência anaeróbia dos membros inferiores


Procedimentos estatísticos

Média

Desvio padrão

Mediana

Coeficiente de correlação de Pearson (r)

Mann-Whitney U test

Nível de significância de 5%
Apresentação de resultados
Yo-Yo intermittent endurance test

1ª Avaliação 2ª Avaliação

Nível competitivo X SD Mediana Nível competitivo X SD Mediana

1ª Divisão 1274 378 1320* 1ª Divisão 1320 335 1280

2ª Divisão 813 170 820* 2ª Divisão 1360 376 1220

3ª Divisão 840 75 860 3ª Divisão 1230 134 1200

* Diferenças estatisticamente significativas z= -2 p≤ 0,05

3ª Avaliação

Nível competitivo X SD Mediana

1ª Divisão 1429 439 1120

2ª Divisão 987 371 840

3ª Divisão 1100 205 1020


Yo-Yo intermittent endurance test
1ª Divisão 2ª Divisão

Avaliação X SD Mediana Avaliação X SD Mediana

1ª Avaliação 1274 378 1320 1ª Avaliação 813 170 820*

2ª Avaliação 1320 335 1280 2ª Avaliação 1360 376 1220*

3ª Avaliação 1429 439 1120 3ª Avaliação 987 371 840

* Diferenças estatisticamente significativas z = -1,9 p≤ 0,05

3ª Divisão Perfil médio – Yo-Yo

Avaliação X SD Mediana Posto específico X SD Mediana

1ª Avaliação 840 75 860* G. redes 960 315 910*

2ª Avaliação 1230 134 1200* 1ª Linha 1203 404 1120*

3ª Avaliação 1100 205 1020 Extremos 1253 460 1260*

* Diferenças estatisticamente significativas z= -2,2 p≤ 0,05


Pivots 984 293 980

* Diferenças estatisticamente significativas.


G.redes / extremos z = -2; p= 0,041
G.redes / 1ª linha z = -2; p= 0,044
Salto

1ª Divisão 2ª Divisão

Avaliação X SD Mediana Avaliação X SD Mediana

1ª Avaliação 0,461 0,07 0,438 1ª Avaliação

2ª Avaliação 0,465 0,05 0,477 2ª Avaliação

3ª Avaliação 0,433 0,05 0,445 3ª Avaliação 0,390 0,04 0,410

3ª Divisão Perfil médio - Salto

Avaliação X SD Mediana Posto específico X SD Mediana

1ª Avaliação 0,423 0,06 0,425 G. redes 0,385 0,03 0,389*

2ª Avaliação 0,428 0,06 0,432 1ª Linha 0,428 0,06 0,421

3ª Avaliação 0,411 0,04 0,429 Extremos 0,454 0,04 0,443*

Pivots 0,385 0,03 0,389*

* Diferenças estatisticamente significativas z= -1,9 p≤ 0,05


Wingate anaerobic test
Potência máxima relativa (PP)

1ª Divisão 2ª Divisão
Avaliação X SD Mediana Avaliação X SD Mediana

1ª Avaliação 11,45 0,92 11,55 1ª Avaliação

2ª Avaliação 10,92 0,48 11,05 2ª Avaliação

3ª Avaliação 11,35 1,01 11,6 3ª Avaliação 10,44 0,81 10,40

3ª Divisão Perfil médio – Peak power

Avaliação X SD Mediana Posto específico X SD Mediana

1ª Avaliação 10,15 1,03 10,15 G. redes 9,58 0,75 9,7*

2ª Avaliação 10,22 0,78 10,1 1ª Linha 10,37 1,33 10,35

3ª Avaliação 10,1 0,47 9,9 Extremos 11,03 0,63 10,9*

Pivots 9,93 0,97 9,9*

*Diferenças estatisticamente significativas.


z= -1,7 p≤ 0,05; z= -1,9 p≤ 0,05
Wingate anaerobic test
Índice de fadiga (If)

1ª Divisão 2ª Divisão

Avaliação X SD Mediana Avaliação X SD Mediana

1ª Avaliação 49 6,52 49 1ª Avaliação

2ª Avaliação 49,7 3,03 49,5 2ª Avaliação

3ª Avaliação 54,25 5,97 56 3ª Avaliação 48,1 7,23 48

3ª Divisão Perfil médio – Índice de fadiga

Avaliação X SD Mediana Posto específico X SD Mediana

1ª Avaliação 49,3 4,55 46,5 G. redes 46 5,75 45

2ª Avaliação 41 11,5 43 1ª Linha 42,1 11,1 42

3ª Avaliação 44 9,1 47,5 Extremos 47,3 6,39 47

Pivots 49,7 11,7 51


Velocidade

1ª Divisão

Avaliação Teste X SD Mediana

10 m / esq 2,54 0,18 2,48


1ª Avaliação 10 m / dir 2,56 0,14 2,52
3m 0,67 0,04 0,67
10 m 1,74 0,09 1,74

10 m / esq 2,55 0,14 2,50


2ª Avaliação 10 m / dir 2,55 0,11 2,53
3m 0,71 0,08 0,67
10 m 1,77 0,12 1,71

10 m / esq 2,58 0,11 2,61


3ª Avaliação 10 m / dir 2,58 0,10 2,56
3m 0,70 0,05 0,70
10 m 1,76 0,07 1,76
Velocidade

2ª Divisão

Avaliação Teste X SD Mediana

10 m / esq 2,95 0,09 2,97*


1ª Avaliação 10 m / dir 2,87 0,07 2,89*
3m 0,71 0,07 0,71
10 m 1,84 0,07 1,86

10 m / Esq 2,64 0,11 2,66*


2ª Avaliação 10 m / Dir 2,60 0,08 2,59*
3m 0,67 0,06 0,66
10 m 1,77 0,07 1,77

*Diferenças estatisticamente significativas.


z= -3 p≤ 0,05
Velocidade

3ª Divisão

Avaliação Teste X SD Mediana

10 m / esq 2,83 0,12 2,82*


1ª Avaliação 10 m / dir 2,83 0,14 2,83*
3m 0,71 0,02 0,71
10 m 1,83 0,06 1,84

10 m / esq 2,65 0,05 2,64*


2ª Avaliação 10 m / dir 2,72 0,14 2,71
3m 0,70 0,04 0,69
10 m 1,78 0,04 1,76

10 m / esq 2,63 0,14 2,56*


3ª Avaliação 10 m / dir 2,63 0,13 2,61*
3m 0,71 0,02 0,71
10 m 1,82 0,05 1,83

*Diferenças estatisticamente significativas.


z= -1,7 p≤ 0,08
Velocidade
1ª Avaliação Perfil médio – velocidade

Nível competitivo Teste X SD Mediana Posto específico Teste X SD Mediana

1ª Divisão 10 m / esq 2,54 0,18 2,48* 10 m / esq 2,80 0,11 2,80*


10 m / dir 2,56 0,14 2,52* G. redes 10 m / dir 2,81 0,10 2,78*
3m 0,71 0,02 0,70
10 m 1,82 0,07 1,81
2ª Divisão 10 m / esq 2,95 0,09 2,97*
10 m / dir 2,87 0,07 2,89*
10 m / esq 2,65 0,17 2,66*
1ª Linha 10 m / dir 2,64 0,17 2,67*
3ª divisão 10 m / esq 2,83 0,12 2,82* 3m 0,69 0,10 0,69
10 m / dir 2,83 0,14 2,83* 10 m 1,79 0,11 1,78

*Diferenças estatisticamente significativas.


1ª / 2ª z = -3; p≤ 0,05 10 m / esq 2,64 0,17 2,64*
1ª / 3ª z = -2,2; p≤ 0,05 Extremos 10 m / dir 2,62 0,14 2,59*
3m 0,68 0,06 0,69
10 m 1,78 0,08 1,77
2ª Avaliação
10 m / esq 2,78 0,10 2,77
Nível competitivo Teste X SD Mediana
Pivots 10 m / dir 2,73 0,06 2,73
3m 0,74 0,07 0,73
1ª Divisão 10 m / dir 2,55 0,11 2,53* 10 m 1,86 0,07 1,84

*Diferenças estatisticamente significativas.


3ª divisão 10 m / dir 2,72 0,14 2,71* G.redes / 1ªlinha z = -2,2 p≤ 0,05
G.redes / extremos z = -1,9 p≤ 0,05
*Diferenças estatisticamente significativas.
z = -1,9; p≤ 0,05
Conclusão

A equipa de melhor nível competitivo (1ª divisão) apresenta melhores


resultados na generalidade dos testes aplicados, sobretudo nos de resistência e
de velocidade com mudança de direcção, sugerindo que a capacidade funcional
está associada ao nível competitivo dos sujeitos.

Não se verificaram grandes alterações ao longo da época desportiva


(principalmente na equipa da 1ª divisão) nos testes de Wingate, salto e velocidade
linear contrariamente ao que acontece com o teste de resistência e de velocidade
com mudança de direcção. Estes resultados podem sugerir que o treino das
equipas em estudo poderá ter privilegiado o treino da resistência em detrimento do
treino de capacidades em que o metabolismo anaeróbio é predominante. De facto,
só no Yo-Yo intermittent endurance test é que se evidenciam diferenças
crescentes de adaptação no período competitivo. Este facto também poderá ser
explicado não pela falta de treino das ditas capacidades mas por estar associado a
questões relacionadas com a recuperação dos atletas quer após o treino quer após
as competições.
Os resultados obtidos pela aplicação dos testes de velocidade linear e com
mudança de direcção sugerem maior sensibilidade do segundo em relação ao
primeiro, tanto na diferenciação das equipas como nas variações ao longo da
época desportiva.

O posto específico diferencia os sujeitos na maioria dos testes aplicados


tendo-se verificado que os atletas com melhor prestação funcional são os
extremos e os primeiras linhas (centrais e laterais) seguidos dos pivots e dos
guarda-redes. De acordo com os resultados obtidos, o perfil dos testes adapta-se
às exigências do jogo.

O posto específico diferencia os atletas na maioria dos testes aplicados, o


que implica que o treino tenha que ser administrado tendo em conta as
exigências do esforço fisiológico que lhe estão associados (individualização do
treino).
Universidade do Porto
Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física

CONTROLO DE TREINO NO ANDEBOL


Um estudo com seniores masculinos de diferentes níveis competitivos

Dissertação apresentada com vista à obtenção


do grau de Mestre em Ciências do Desporto na
Área de Treino de Alto Rendimento Desportivo

Paulo Jorge de Moura Pereira

Junho de 1999

Interesses relacionados