Você está na página 1de 324
Destruição do World Trade Center - 2001 1

Destruição do World Trade Center - 2001

1

PARA BOM ENTENDEDOR, MEIO ALCORÃO BASTA.

Rev. 03 inserção do último capítulo: ISLÃ Rev. 04 Inserção da capa no texto. Rev. 05 Ajustes diversos e correção de cores nos diálogos

Rio de Janeiro Escrito em 2008 Alfredo Bernacchi

Prezados amigos. Essa discussão vai envolver um tema bastante polêmico, mais ainda pelo radicalismo com que é tratado qualquer assunto islâmico e a intolerância da sua cultura. Essa cultura é baseada no Alcorão, a lei, a ordem e a Constituição islâmica. Acho que você não reparou bem no que eu escrevi: O Alcorão é a lei, a ordem e a Constituição islâmica, desde o século VII. Então, preste atenção nisso. Eu faço meus comentários críticos contra o islamismo, e através de debates, permito nesse livro, que os muçulmanos contestem e exponham suas razões. Assim, a melhor conclusão será do leitor. Eu tenho a minha opinião formada e exponho isso claramente, e não foi assim de repente, impensadamente. Você vai acompanhar essa trajetória, desde 2001, antes das Torres Gêmeas serem destruídas pelos terroristas islâmicos. Mas você tem a sua e pode ou não, ser diferente. Ainda vou deixar claro o seguinte: O meu objetivo principal é criticar o Alcorão, o seu uso e interpretação e logicamente o islamismo, não as pessoas muçulmanas, que são apenas vítimas. Por quê? Bem, isso você vai saber quando ler o livro, mas entenda que os países islâmicos são teocratas, seguidores de Alah segundo a interpretação de Maomé (Muhammad), cujos pensamentos (segundo ele, inspiração angelical) viraram leis e Constituição no Islã. A grande verdade é que Maomé depois de morto, teve muito pouco a ver com isso, porque o Alcorão levou o tempo de três califados (governos) para ser preparado, escritos, realmente, pelos Califas que lá puseram aquilo que os interessava, e todos os demais pensamentos diferenciados, mesmos os vindos de Maomé, mais autênticos, foram queimados. Ainda gostaria de lembrar uma coisa: Islâmicos existem no mundo todo e só no Brasil são um milhão e quinhentos mil (por aí). Os islâmicos brasileiros são diferentes dos islâmicos originais, por causa da sua ocidentalização. Ninguém pode comparar a cultura de uma pessoa que vive no Afeganistão, (as mulheres analfabetas usando burka e os homens

batendo nelas com vara), com uma que vive no Brasil com liberdade até para ocupar um cargo público importante. Essas pessoas aqui, têm uma visão diferenciada, e como o Alcorão

é multi-interpretativo, tentam defender seus pontos de vista, apoiando o

livro, arranjando desculpas para os absurdos que ali estão escritos, mas que

seus argumentos não coincidem com a religião na sua essência, e sabemos que muitos seguem ao pé da letra os seus textos, igualmente radicais. Aí, tornam-se terroristas suicidas, extremamente radicais e maus, porque apenas seguem as instruções de “Maomé”. É claro que os muçulmanos ocidentalizados procuram excluir-se da tradição normal, como se diferentes em pensamento e filosofia fossem, mas não conseguem separa- los das instruções determinadas no Alcorão, fornecidas por “Alah”. Claro que pra mim (ateu) nenhum Alah existe, muito menos anjos, daí, quem é o responsável por essa determinação?

Repasso a vocês, debates e discussões sobre o assunto, ocorrido enquanto o WTC era destruído pelo Terrorismo de Bin Laden.

Tudo começou no Fórum do Starmedia, quando eu me interessava mais pelo assunto relacionamento (detestava religião) e sequer debatia isso nessa época. Certa vez, passando por acaso nesse tema do fórum, estranhei uma pergunta feita, e fui conferir:

Nota: Optando por manter a autenticidade, os textos de terceiros não foram corrigidos.

DO FÓRUM DO STARMÉDIA - Março de 2001 (Seis meses antes)

ISLAMISMO

Rabih Pergunta. O que vocês acham sobre o islamismo a maior religião do mundo?

Resposta. Feiticeira - 02:58pm, 2 de Março de 2001 (#1 de 62) Sinceramente, Rabih, eu acho o Islamismo meio radical. Com todo

o respeito que qualquer crença religiosa merece, acho tudo um pouco

fanático demais. Podem haver exceções, mas não tenho conhecimento suficiente sobre o assunto para me certificar de que realmente existam. Não sei se as pessoas atualmente seguem à risca o Alcorão, os jejuns forçados, a obrigatoriedade de distribuição de riqueza. Mas se seguirem, na minha opinião, são fanáticos. Tão fanáticos quanto qualquer católico que ainda se submete à auto-flagelação, por exemplo [ ]´s, Feiticeir@

Nacima (#2 de 62) Olá Feiticeira! Meu nome é Nacima Jarouche, sou árabe descendentes de libaneses e muçulmana. Posso lhe dizer uma coisa nem todos os muçulmanos, como se disse,seguem a religião corretamente como mandado, e nem todos praticam, acredito que todas as religiões são assim,como o cristianismo ou judaísmo, mas isso é totalmente normal mas sempre algum dia a pessoa cai na realidade e vai saber o que faz. Bom, em todo caso você disse que as vezes não conheça muito bem a religião, mas ela não é rigorosa ela é totalmente igual a religião católica e judaíca as duas religiãos estão varias vezes citadas no alcorão, maria a mãe de Jesus tem uma surata [Capítulo ou Versículo] só dele falando apenas sobre ela e sobre Jesus também tem uma surata no Alcorão que é livro sagrado dos muçulmanos só falando spnbre ele e ta,bém só sobre a religião judaíca e religião católica. Se quiser eu poderia até dar um jeito de mandar para você essas traduções por email ou por correio, nós temos o Alcorão traduzido em português, inglês e em todas as linguas temos bastante livros em português que dizem sobre o islamismo, temos sites falando a respeito em inglês, em português. realmente posso estar lhe oferecendo muitas informações gratuitamente se qusier lhe passarei os sites em português que falam sobre o islamismo, bem claramente para que você entenda! se quiser apenas manda um email que estarei lhe enviando os sites ok! bom, espero que não fique brava pelo discurso que eu fiz, mas é que eu quero que as pessoas tenham mais contato a nossa religião pra que tenham mais conheciemnto através dela! Foi um prazer em ter falado com você!!! Até Logo! Ass: Nacima Ali Jarouche.

Yeshua (#3 de 62) Sura 9:5; 47:4; 8:39 - "Matai os idólatras onde quer que os encontreis e capturai-os e cercai-os e usai da emboscada contra eles Quando no campo de batalha, enfrentardes os que descrêem, golpeai-os no

pescoço

Deus e seu mensageiro proibiram

Combatei os que não crêem no último dia e não proíbem o que

E combatei-os até que não haja mais "

idolatria e que a religião pertença exclusivamente a Deus

O islamismo é uma religião sangrenta desde o princípio, cresce e se multiplica mediante a tese de, se converta ou morra. "Fazei a guerra, com sangue e extermínio, a todos os que não creem

em Deus

Quando encontrardes com os infiéis, matai-os"

Sentenças de Maomé "Hadith"

Feiticeira (#4 de 62) Tudo bem Nacima? E o que você tem a dizer sobre as afirmações do Yeshua? Procedem?

Se você quiser publicar aqui no Fórum as ULR´s dos sites sobre o

Islamismo seria muito interessante. Assim não apenas eu teria mais informações, como qualquer outra pessoa que passar por aqui, não acha? Embora com as ressalvas que faça pessoalmente à qualquer tipo de religião organizada, informação nunca é demais e é bom para que se possa formar opiniões mais críticas e embasadas sobre qualquer tema, como no caso, o Islamismo. [ ]´s, Feiticeir@

Nanny (#5 de 62) Nacima, eu apoio a sugestão da Feiticeira, pois também me interessariam as informações, principalmente sobre Maria e Jesus, já que sou cristã. Yeshua, eles só radicalizaram um pouquinho o que Deus sugeriu aos hebreus que fizessem com os idólatras e incréus que encontrassem à caminho de Canaã: extermine-os e à sua descendência.

[Alfredo revisão de 2014: Meu comentário pessoal: Religião, seja qual for, é essa tristeza. Primeiro eles pensam logo em matar quem discordar deles]

Clayton Souza (#6 de 62)

A religião islâmica foi fundada em 610 EC (era comum) pelo

profeta Maomé. O termo islamismo deriva da palavra “Islã” (que significa

submissão), e seus seguidores são chamados de muçulmanos (aqueles que se submetem a Deus).

O calendário muçulmano iniciou-se no ano 622 da era comum, quando o profeta Maomé partiu para a cidade de Medina. No ano 749 EC, Bagdá se tornou a capital do islamismo. Os muçulmanos conquistaram a Espanha em 749, e a religião islâmica começou a se espalhar pela África, Ásia, Bálcãs e sudeste da Europa a partir do ano 800. [Com invasões como sempre diante de muitas guerras e mortes] Quando Maomé morreu, surgiram os califas, que passaram a liderar os muçulmanos por um grande período até o ano de 1942, quando ocorreu a queda do Império Otomano. No período entre 998-1030 EC, o noroeste da Índia foi conquistado por Mahmud de Ghazna. O Sudeste Asiático sofreu a influência do Islamismo durante o período de 1588 a 1629, principalmente na Indonésia

e Sumatra. Em 1757, com o término da Batalha de Palssey, na Índia, o controle muçulmano diminuiu naquela região, devido à vitória britânica.

A religião islâmica continuava sua expansão [Expansão, pra quem

está distraído, é o mesmo que invasão armada, matando saqueando e obrigando os vencidos a adotar a sua religião, pagar “pedágio, ou morrer- Como está no Alcorão]. Shehu Usman Dan Fodio, levou o Islamismo até a África ocidental durante o ano 1804. Foi estabelecido um estado muçulmano no Sudão, no período de 1885 a 1898, por Mahdi. Em 1947, o Paquistão foi criado pelos

muçulmanos da Índia. No século XX, em busca de emprego e novas oportunidades [????

Não foi bem assim

Entram em pazconcentram-se numa região, multiplicam-se e depois reivindicam a posse por bem ou a espada], muitos muçulmanos emigraram para a Europa. Esta emigração resultou numa grande expansão da religião islâmica nas décadas de 80 e 90, se tornando a religião que mais se expandiu no Ocidente durante esse período.

A maioria dos muçulmanos encontra-se no Oriente Médio, África e

Ásia.

Constitui 95% da população nos países como Afeganistão, Argélia, Bahrein, Egito, Guiné, Indonésia, Irã, Iraque, Jordânia, Kuwait, Líbia, Ilhas Maldiva, Mauritânia, Marrocos, Omã, Paquistão, Catar, Arábia Saudita, Senegal, Somália, Tunísia, Turquia, Emirados Árabes Unidos e Iêmen.

No Cazaquistão, Tanzânia, Malásia e Moçambique, a população islâmica é de 50% a 75%. Na Índia, Rússia, Tailândia, Zâmbia, Gana, Quênia, Madagáscar, Suriname, o percentual está entre 10% e 50%.

Eles

adotaram uma nova estratégia de invasão.

Com grande concentração na África e na Ásia, o islamismo é praticado por uma sétima parte da população mundial, se confirmando como a segunda maior religião do planeta. No Brasil há um milhão de muçulmanos espalhados por todo o território nacional. As maiores comunidades se encontram nas cidades de São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Curitiba, Rio Grande do Sul e Foz do

Iguaçu. Em todo o país existem mais de uma centena de mesquitas e salas de oração. Só em São Paulo, capital, se encontram 5 mesquitas, incluindo a primeira edíficada na América Latina, a mesquita Brasil, que começou a

ser construída em 1929. [Sim

Fundamentação Doutrinária Dogmas O foco principal do Islamismo é o Monoteísmo (a concepção do Deus único) e a revelação dele por Maomé. “Não há Deus senão Alá, e Maomé é seu Profeta.” Os muçulmanos seguem um conjunto de cinco obrigações religiosas, chamado de “Os cinco Pilares”: credo, oração, caridade, jejum e a peregrinação à cidade de Meca. Livros Sagrados Corão livro sagrado dos muçulmanos que reúne as revelações de Maomé. O primeiro Corão foi compilado por volta de 650 EC (Era Comum). Este livro maravilhoso do ponto de vista dos ensinamentos e do seu estilo literário, é um conjunto de 114 capítulos (suras), que se organizam da seguinte forma: os textos mais longos vêm primeiro, seguidos pelos mais curtos. Exceção à regra, é a sura 1, que inicia o Corão. Denominado “Al Fatiha” (a abertura), este capítulo inicial louva Alá e pede Sua orientação. Para os muçulmanos, o Corão contém as palavras exatas de Deus, que conforme eram reveladas a Maomé, este as recitava e seus seguidores as escreviam. Algumas histórias são de profetas do Velho e do Novo Testamento da Bíblia. As leis do Corão dividem as ações

humanas em vários grupos:

Fard o que deve ser feito. Mandub ações encorajadas e recompensadas por Deus. Mubah ações nem punidas, nem recompensadas, pois o Corão nada fala sobre elas. Makruh atos desencorajados, mas não punidos. Haram ações ilegítimas e puníveis por lei.

Eles estão chegando

]

Sunna – Palavra que significa “caminho”. São as palavras e atos do profeta. Seu conteúdo reúne assuntos da vida familiar, regras de negócios e guerras, leis de propriedade e direito a heranças. Hadith Dizeres e relatos das ações do profeta, que foram compilados, para servir de exemplo para a geração futura. Duas das mais confiáveis coleções são a do imã Bukhari e a do imã Muslim. Templos Mesquitas - São os templos muçulmanos. A maioria possui planta retangular. Um arco na parede, denominado “mihrab”, indica a direção de Kaaba. À sua direita, geralmente com três degraus, está o “mimbar”, de onde o imã fala. Em grandes mesquitas do Oriente Médio, oficiais ficam sobre uma plataforma denominada “dakka”; ao lado há o “kursi”, estante sobre a qual é apoiado o Corão. Homens e mulheres ficam em áreas separadas. Kaaba É o centro físico da fé islâmica. Todas as orações são feitas em sua direção. Primeiro santuário construído por Ibrahim para adorar o Deus Único, a Kaaba está localizada na cidade de Meca. Estrutura oca em forma de cubo, com a pedra negra encravada no lado oriental, constitui o início e o fim do Hajj peregrinação à cidade de Meca.

Alfredo Bernacchi (#7 de 62) Desculpe se você não concordar. Eu vi e vejo muita injustiça no mundo, através dos séculos. Mesmo entre aqueles que têm uma religiosidade a toda prova. Mesmo entre todas as crenças, sem exceção. Muito fanatismo, muita ignorância, muita hipocrisia, muita exploração, muitos interesses escusos, comerciais, políticos e muita burrice. E o pior:

São infelizes, que vivem tentando enfiar na tua cabeça, que há um paraíso te esperando, após a morte. É o consolo dos pobres e infelizes, dos que nunca alcançarão, aqui na terra, bens materiais, saúde, paz espiritual, alegria e felicidade. E morrerão, portanto, com essa ilusão de consolo… Vejo também pessoas, para quem a religião, a crença em alguém superior, um santo milagroso, um Deus bondoso e justo, é tudo na vida. Outras que, só não fazem pior, porque acreditam num Deus que castiga. E isso é bom. Para eles. Para os que caíram no vício, no desespero do sofrimento, na insegurança, na desesperança. São os fracos de espírito. Outros muitos, entretanto, mesmo fanáticos religiosos, são castigados sem nada terem feito. Outros que já nascem infelizes, condenados à miséria e à desgraça eterna aqui mesmo nesse mundo. Igrejas que desabam, excursões religiosas que acabam em tragédia e sofrimentos. Outros que sobem num morro para orar, e são fulminados por um raio. E, o pior, aqueles que

ensinam o povo a ser crente e ter fé, num ser superior que eles mesmos através dos séculos inventaram, enquanto descaradamente enchem o bolso de ouro e dinheiro, as custas desses trouxas. São pecadores, dirão. Ou então o pai foi, ou a avó foi, ou o tataravô foi pecador. E quem não é? Quando uma criança já nasce doente, dirão: “É uma benção de Deus, para testar a fé dos pais.” Não leve a mal!… É difícil engolir tal coisa… Ridículo !… Se alguém muito bom ou religioso morre, dirão: “Não era desse mundo. Deus chamou para o seu convívio. Foi uma benção!…” Se a pessoa que morre não vale nada, dirão: “Deus castigou e lhe tirou a vida.” Aí foi o pecado. Se o cara é mais ou menos, então as opiniões se dividem. Simples… Depois que eu perdi o meu filho, um rapaz bondoso e doutrinado pela própria mãe, fanática, lembrei-me de uma passagem bíblica que assim diz: “Mil cairão à sua direita e mil cairão à sua esquerda e tu não serás abalado.” Uma bala só acertou o meu filho. Bem no meio. O bandido está por aí, solto, sabe lá, curtindo a vida, batucando um pandeiro à mesa de um bar, contando bravatas num hapy, vangloriando-se por ser tão mau, enquanto o meu filho balbuciava: “Não posso morrer agora…” Então querem que eu acredite num Deus de justiça, todo poderoso, criador dos céus e da terra, que sabe a quantidade de fios de cabelo que temos na cabeça, e que voluntariamente determina tudo isso ? “¾ Esse é bom, vai morrer… Esse é mau vai morrer também… Esse é rico e mau, vai gozar a vida toda na terra… (Só aqui na terra!…) Esse, fanático no meu nome, vai se arrastar eternamente, sofrer e mendigar enquanto viver, como Jó. Esse já vai nascer paralítico, para honrar o meu nome… Esse vai nascer mongolóide, porque é descendente de Nero, que era muito mau… Esse outro, direitinho, casado, pai de 4 filhos, é obediente a mim e me louva todo dia. Vou traze-lo para a Glória Eterna… A família dele… , se vira!… Sofrerão para se purificarem mais um pouco…” Pode, esse Deus justo, que todos imaginam, permitir que Hitler (só um exemplinho pequeno) tenha matado, condenado a desgraça, ao sofrimento, milhões de seres humanos, dentre os quais mulheres e crianças inocentes, e tenha ficado por isso mesmo?!… E o tal de Menguele, torturador de Judeus, que só foi encontrado depois de pra lá de morto!… Vocês acham que eu vou acreditar num Deus que permite tudo isso? Que determina por livre e espontânea vontade, a exterminação em massa de inocentes, das guerras, nossas conhecidas na Europa, o sofrimento pela fome na África, na Ásia e na maior parte do Brasil.? Que permite o sofrimento eterno e a degradação do povo judeu, “o povo eleito” que sequer em Jesus acredita? E o que dizer dos vulcões e terremotos?! Tanto sofrimento de inocentes… Todos pecadores? Até os cachorros? É assim que vejo diariamente, a “justiça” do

Deus mais conhecido por aí. Por isso, comigo não tem esse negócio de deixar pra Deus, dar o castigo a quem apronta comigo. As coisas boas que me fazem, guardo do lado esquerdo do peito, o lado do coração. As coisas ruins guardo do lado direito o da porrada! Não espero que Deus me ajude em nada também. Isso é uma ilusão e um convite ao conformismo, à acomodação, à dependência. Eu mesmo me viro e luto pelo que quero, e se depender de mim, faço a minha própria justiça. (A tal parte que deveria ser divina). Tanto quanto não acredito num Diabo, como um ser racional, mal, esperto e matreiro, que pra mim é outra idiotice. No máximo, um espírito babaca, desnaturado, fraco e imbecil, como um bandidinho qualquer entre os seres vivos. E eu não sou mau, nem perverso, nem sem coração, só por causa disso. Acredito é que nada sou. Ou sou apenas como uma formiga que vagueia por aí. Que está viva, até que alguém a pise sem querer. Por isso, tomo conta de mim mesmo. Colho aquilo que planto, e eu sei que, se errar pela lei dos homens, e não tiver imunidade parlamentar, nem for um “coronel” de alta patente, nem tiver muita grana para comprar Deus, a polícia e a justiça, possivelmente, pagarei pelos meus erros. (A esmagadora maioria não paga). Não acredito num Deus que castiga, mas que você mesmo paga, pelas coisas erradas que fizer, pelas pessoas que maltratar, porque serão muitos os seus inimigos naturais. Creio que quem te ajuda mesmo, são seus amigos verdadeiros, de carne e osso, aqueles que você conquistou com sua benevolência, carinho, amor e lealdade. E que

ainda assim e apesar disso, a recíproca nem sempre é verdadeira

Existe a

inveja… É bom acreditar em você mesmo, saber que tudo pode vir, ou do seu esforço e sabedoria, ou da sua leviandade e comodismo. Que você deve estar preparado para o melhor e para o pior. Que se você cair no chão, no chão vai ficar. Que deve lutar com todas as suas forças, para que isso não aconteça. Se isso acontecer, será o seu fim. Não teve Santo até hoje, que livrasse o povo religioso fanático, de todas as desgraças, como a seca e a miséria do Nordeste, por exemplo, e outras que conhecemos muito bem. Viver consciente e sem ilusões místicas, é acreditar no homem (imperfeito), com suas restrições e limitações, na vida na terra como a única, na amizade, no amor, na lealdade, na amabilidade, na simpatia, na camaradagem, na educação, na boa vontade, na natureza (imperfeita) como dádiva eterna, na multiplicação das suas células, através da sua descendência. Longe de fanatismos, acreditar no seu esforço, no seu propósito, na fé de conseguir, aquilo que lhe é possível e lógico. É não sofrer com egoísmos, nem invejas, nem insatisfações tolas. É saber driblar os infortúnios, superar as adversidades, minimizar as tristezas, ver a beleza do que está em volta e ao seu alcance. É confiar no retorno do seu

investimento. Acreditar que você vai viver muito e ser feliz, ou vai morrer tentando… Assim é mais honesto, é mais proveitoso e lógico. E quando acabar, acabou!… [Repararam que eu nada tinha contra o Islamismo, especificamente, tanto que colei um texto preparado anteriormente, e não toquei no assunto, mas as palavras do Yashua me intrigaram. Afinal de onde ele tirou aquilo:

"Matai os idólatras onde quer que os encontreis e capturai-os e cercai-os e

usai da emboscada contra eles

enfrentardes os que descrêem, golpeai-os no pescoço

não crêem no último dia e não proíbem o que Deus e seu mensageiro

E combatei-os até que não haja mais idolatria e que a religião

pertença exclusivamente a Deus "

Combatei os que

Quando no campo de batalha,

proibiram

Sura 9:5; 47:4; 8:39 (?)]

Nacima (#8 de 62) Olá pessoal da sala se eu estiver sendo um pouco dura com as palavras, vocês me desculpe mas é a realidade ok! Olá yashua! O Islam ou Islamismo antes de mais nada, é a religião da paz e da união. A palavra ISLAM ou ISLAMISMO significa submissão total a um único deus e não adorar nada e nem niguém além dele. O islam ou islamismo veio para estabelecer justiça na Terra, e você sabe muito bem disso com certeza! Mas talvez o ódio que tem no seu interior e no interior de qualquer indivíduo judeu, não permite o reconhecimento disso, algum dia o deus todo poderoso abrirá o seu coração para a realidade, que é o islam. O Islam é a religião que mais cresce no mundo atualmente com cerca de 1 bilhão e 500 milhões de seguidores no mundo todo, não importa a cor branco, amarelo, negro, na nossa religião não temos preconceito, todos somos iguais e somos irmãos um do outro. E numa pesquisa que saiu vocês [judeus] tem apenas 12 milhões no mundo todo. Gostaria de saber qual a razão de vocês judeus, não digo você, mas em geral, porque vocês perseguiram os mensageiros de Deus?, porque vocês torturam Jesus Cristo?, Porque vocês estão matando crianças e mulheres na palestina e no mundo inteiro? Infelizmente através da mídia vocês conseguiram mexer com a cabeças das pessoas do mundo inteiro, fazendo eles dizer que nós somos terroristas, como agora você acabou de dizer, mas você interpretou totalmente diferente, matai os idólatras. Quer dizer aqueles que adoram mais de um deus, que associam deus a qualquer coisa. Mas através da mídia vocês estão mostrando quem vocês são mais e mais e um dia a verdade será mostrada à todos. Bom, consegui entender o que você quis dizer, você se apegou a esse versículo do Alcorão para mostrar a todos

que, os muçulmanos são sangrentos e vingativos, mas tudo isso não passa de uma mentira, que foi montada na cabeça das pessoas do mundo inteiro através do que a mídia mostra. Mas voltando, o versículo deixou bem claro que: “Combatei-os e matai-os os IDÓLATRAS, e nisso ele foi bem claro, mas isso se eles se recusem a se converter. Os Islam veio para estabelecer justiça, conhecimento e sabedoria, e todos esses objetivos do islam confrontavam na época do surgimento do islam e ameaçavam os interesses dos idóltras na península arábica, mas tudo isso com certeza você já sabe, mais do que eu, mas a hipocrisia conseguiu invadir todos os judeus infelizmente. A religião islâmica sempre conseguiu vencer qualquer obstáculo, e vai continuar crescendo sem parar como atualmente acontece, se deus quiser! Nós sabemos que os judeus sempre tentarão conturbar a imagem do islam que é e sempre será um sinônimo de igualdade, solidariedade, fraternidade e um sistema de benefícios para a humanidade! Espero que deus todo poderoso possa abrir o seu coração para o islam se deus quiser! Ass: Nacima Ali Jarouche Obs: Estarei passando uns URLS a respeito do islam ok!

Nacima (#9 de 62) Olá Nanny! É um prazer estar falando com você! estarei com certeza mandando arquivos a respeito do islam e os muçulmanos e também a respeito do que o islam diz sobre Jesus e Maria, No nosso livro sagrado o Alcorão esta citada uma surata enorme só de Maria e só de Jesus estarei, colocando os arquivos para você online ok! Até mais! Tchau! Ass: Nacima Jarouche.

Nacima (#10 de 62) Olá Feiticeira! A respeito da publicação da mensagem do yeshua, nao procede o modo que ele interpretou a mensagem ok! Este versículo está no alcorão, mas ele interpretou totalmente diferente! Por favor peço que leia a mensagem que publiquei ao Yeshua ok! lá está publicado a resposta ok! e como disse estarei colocando sites e URLS a respeito do Islamismo ok! Até mais! Tchau! Ass: Nacima Jarouche. [Eles querem expandir o Islam! ]

Nacima (#11 de 62) Olá Alfredo! é um prazer estar falando com você tudo isso que você disse é a verdade mas uma pessoas que acredita num deus único e cumpre as suas obrigações necessárias essa não é fanática ela acredita em Deus realmente. Por isso também não devemos ser nem muito e nem pouco

entendeu devemos nos dedicar o necessário à nossa religião nada de fanatismo e hipocrisia! Ass: nacima jarouche.

Nacima (#12 de 62) Olá clayton! obrigado pela colaboração, se você tiver algo a respito de Maria e Jesus pode publicar online ok!, ou até qualquer assunto ligado ao islam. Obrigado! Ass: Nacima Ali Jarouche Salam Aleikum!

Maria Moreira (#13 de 62) Olá a todos. Respondendo principalmente à mensagem do Yeshua, eu gostaria apenas de recomendá-lo, ao cotar versículos corânicos referentes a um determinado assunto, que não o fizesse seletivamente, de modo a escolher apenas os que provam seus pontos-de-vista, omitindo os que contrariam suas afirmações. Esta não é uma atitude muito correta. Estou postando abaixo um artigo básico do meu site falando sobre o Jihad, e as condições em que ele é prescrito. Existem outros lá, para quem quiser se aprofundar mais neste ou outro assunto. O endereço do meu site é:

http://www.geocities.com/islamicchat Que Deus abençoe a todos. Maria.

*******************************

Jihad ou Guerra Santa? http://www.geocities.com/islamicchat O termo “jihad” é erroneamente traduzido como “guerra santa” mas significa na realidade “esforço no caminho de Deus”. O conceito de “jihad” se divide em dois, o pequeno e o grande “jihad”, classificados da seguinte forma: Grande “jihad”: é o esforço individual que todo muçulmano deve empreender para se manter dentro dos limites estabelecidos pelo Alcorão. É o respeito aos deveres religiosos onde quer que ele esteja e independente das dificuldades que lhe sejam impostas. Consiste também na defesa a seu direito inalienável de manter e praticar a sua fé através do exercício político de reivindicação deste direito. Em casos de extrema opressão seja por parte de indivíduos, instituições ou governantes, o recurso do confronto entretanto não é excluído, mas tem predominantemente um caráter individual. Pequeno “jihad”: é em princípio o direito de defesa empreendido pelo Estado islâmico contra nações que persigam os muçulmanos, pretendendo impedi-los de praticar e divulgar a sua fé. Se o Estado não conseguir empreender este direito por alguma razão, ele recai então sobre a população muçulmana. O conceito de “jihad” que pressupõe um estado de belicosidade permanente entre a

comunidade islâmica e as comunidades que professam outra fé, é estranho as origens do Islam e foi desenvolvido posteriormente por teólogos que visavam dar suporte religioso aos governantes muçulmanos na época do confronto com o Império Bizantino. A melhor definição do conceito de "jihad" e das condições para sua aplicabilidade é encontrada no próprio Alcorão: "Deus nada vos impede quanto àqueles que não vos combateram pela causa da religião e não vos expulsaram, nem que lidais com eles com afeição e equidade, porque Deus aprecia os equitativos. Deus vos proíbe somente privar com aqueles que vos combateram na religião, expulsaram- vos de vossos lares ou que cooperaram em vossa expulsão." (Alcorão surata 60: 8 e 9) Como se pode ver o conceito de “jihad” é mais amplo que o de “guerra santa”, que é posterior a época do profeta Muhamad (SAWS). Na verdade o conceito de "guerra santa" é uma interpretação específica do "pequeno jihad", que ocupa posição secundária no conceito geral de “jihad”. Segundo as palavras do profeta Muhamad (SAWS): "O melhor "jihad" é aquele para conquistar a si mesmo". Texto de Maria Moreira & Márcia Vianna Gaspar.

Yeshua - 04:18pm, 8 de Março de 2001 (#14 de 62) Contra fatos não há argumentos, o islamismo é uma religião sangrenta e humana, talvez armada e inspirada por Satanás para retirar das bençãos de Deus os decendestes da escrava Hagar. Sinto muito pelas palavras, não é nada pessoal. Abraços a todos.

Yeshua (#15 de 62) Gênesis 21:9-12 "9 E viu Sara que o filho de Hagar, a egípcia etc Isaque será chamada a tua descendência." Será que Deus voltou atrás em suas palavras ?

Maria Moreira - 07:13pm, 8 de Março de 2001 (#16 de 62) Olá Yeshua. Você está totalmente equivocado. Não podemos tomar como referência dos ensinamentos de uma religião o comportamento de seus seguidores. O Islam tem um livro sagrado, o Qur'an, que é a fonte dos seus ensinamentos religiosos, e é nele que qualquer um que esteja procurando informação correta e imparcial sobre o Islam deve se basear. Eu citei versículos corânicos para sustentar minhas afirmações e são eles que contam como informação, e não o comportamento dos muçulmanos, que pode ser influenciado por questões políticas, sociais, econômicas e

culturais. Você não deveria se deixar levar pela sua crença religiosa ao analisar fatos de outras religiões. O Cristianismo diz que você deve ser justo e é assim que você deve se comportar, se quiser seguir os

ensinamentos de Jesus. Por outro lado, se eu fizer como você e me basear apenas no seu comportamento, eu devo concluir que o Cristianismo prega

injustiça, a manipulação de informações e a intolerância com as outras religiões. [Também. Ambas não prestam] Eu estaria agindo corretamente se culpasse toda uma religião a partir do seu comportamento e de outros cristãos que agem e pensam como você? Reflita sobre isto. Felicidades, Maria.

a

Maria Moreira (#17 de 62) Olá Yeshua. No meu site tem um artigo que pode 'refrescar' sua

memória em relação à promessa de Deus para os árabes. O nome do artigo

é 'Isaías Profetizou a Vinda de Muhammad?' Tem um link para o artigo

é:

http://www.geocities.com/islamicchat E só para acrescentar: as profecias de Isaías vieram depois do Gênesis, e Isaías é considerado o maior profeta do AT. Felicidades, Maria.

logo

na

página

principal.

O

endereço

Yeshua (#18 de 62) Leia Isaías 53.

Alfredo (#19 de 62) Diga-me com quem andas, que eu te direi quem és!

Não vejo com

bons olhos os seguidores do islã lá no Oriente. Fanatismo absoluto, ódio mortal, e depois vão às mesquitas rezar. Se você pensa que católicos e protestantes são melhores, dê uma chegada até à Irlanda. Não esqueçam também quem foram os introdutores da Inquisição no mundo, nem da fortuna feita a curto prazo pelo Bispo Macedo. Acho que vocês religiosos

não estão bem acompanhados

Assim como o comunismo na política, não

vejo porque trazer isso pra cá. Sou mais eu.

Yeshua - 01:18am, 9 de Março de 2001 (#20 de 62) Considerando que a Bíblia e o Alcorão se contradizem, certamente concluímos que ambos não procedem da mesma fonte (Deus). Considerando que o próprio Alcorão, em termos bem claros, afirma que a Taurat (A Lei dos Judeus), o Zabur (Salmos) e o Injil (Evangelhos) foram dados por “Alah” e que o mesmo livro (sura 6:34) afirma que as

palavras de “Alah” não podem ser mudadas, como os muçulmanos afirmam que a Bíblia foi adulterada ? Considerando que o Senhor é Onipotente, Onisciente e Onipresente como permitiria que suas Palavras fossem manipuladas por interesses humanos ? (Jesus mesmo falou: Passarão os céus e a terra porém minhas palavras não passarão e em Apocalipse 22:18-19 se prevê sérias advertências para quem ousasse tocar em uma letra sequer das Escrituras). [Hoje, 2014, eu vejo isso como piadas] Considerando que Maomé não fez nenhum milagre e que realizou um banho de sangue para impor seus princípios e crenças, como conciliar tais práticas com os ensinamentos e prodígios de Jesus Cristo, o qual venceu pela humildade e pelo amor ? Considerando que os ossos e a tumba de Maomé estão em Madina,

como ele pode ter ascendido aos céus ? Os ossos de Jesus Cristo não estão em sua tumba pois Ele ressuscitou e fisicamente ascendeu aos céus tendo

várias testemunhas oculares. [Essa doeu!

rsrsrs

]

Considerando tais fatos,então quem estará com a verdade ?

Yeshua (#21 de 62) Ateus, ateus, ateus

Não sei porque eles procuram tanto os foruns

sobre religião. Por que será ? [Realmente eu não procurava, mas as razões estão no meu livro

ATEU GRAÇAS A DEUS. Eles pediram e eu dei. Bateram e levaram. Não fui eu quem comecei, mas depois que peguei o gostinho ]

Maria Moreira (#22 de 62) Olá Yeshua. Você leu meu artigo sobre as profecias de Isaías ou já foi colocando a sua resposta sem lê-lo? Eu li Isaías 53. O que você quis dizer com isto? Que Isaías profetiza Jesus? Claro! Ele profetiza Jesus E Muhammad, já que ambos vieram depois dele. E só mais uma coisinha: os muçulmanos crêem que a Bíblia foi mudada, e existem toneladas de provas a este respeito, coletadas pelos próprios cristãos. Quanto àquelas perguntas e comentários que você postou em sua outra mensagem, elas foram baseadas parcialmente em uma matéria da revista Defesa da Fé, que eu contesto no meu site. Aqueles argumentos são totalmente 'furados', e quem quiser pode ler minhas respostas nos seguintes artigos: 'Muhammad na Bíblia? Análise e Comentários' e 'Muçulmanos e a Igreja Brasileira - Análise e Comentários'. Para ambos existe um link a partir do endereço:

http://www.geocities/com/islamicchat/esclarecimento.html É engraçado

como algumas publicações adquirem credibilidade, apesar da óbvia

parcialidade delas

Felicidades, Maria.

Maria Moreira (#23 de 62) Olá Yeshua. Estou postando uma versão editada de um debate que tive com um reverendo evangélico, que ficou sem resposta para os meus argumentos. Quem sabe você é mais preparado que ele para combatê-los. Felicidades, Maria. Anexos: C:\My Documents\Debate com reverendo - editado.doc

Maria Moreira (#24 de 62) Olá Alfredo. Eu não o culpo por ter esta má impressão dos muçulmanos. Há muito tempo que nós deixamos de seguir todos os ensinamentos de nossa religião. [Destaque meu] Atualmente muitos muçulmanos só seguem o que lhes convém do Islam. Mas não caia no erro de avaliar ideologias, sejam elas políticas ou religiosas, pelo comportamento de seus seguidores. Seres humanos são os mesmos, com as mesmas qualidades e defeitos, não importa a qual ideologia se filiem, até mesmo quando se identificam com o ateísmo. Felicidades, Maria.

Yeshua (#25 de 62) Alá ordena que os muçulmanos aterrorizem os não muçulmanos em seu nome:

"Eu instilarei terror nos corações dos infiéis, golpeai-os acima dos seus pescoços e arrancai todas as pontas dos seus dedos. Não fostes vós quem os matastes; foi Deus" (Sura 8:13-17). "Imprimi terror [nos corações dos] inimigos de Deus e vossos inimigos" (Sura 8:60). "Combatei-os [os não muçulmanos] e Deus os punirá através das vossas mão, cobri-os de vergonha" (Sura 9:14) Obs.: Infiel é qualquer pessoa que não confessa os dois credos do Islã: que não há outro Deus além de Alá e que Maomé é o mensageiro de Alá.

Quem testifica acerca de Maomé ? Seus comentários acerca de Isaías são obscuros, o capítulo 42 não se refere a Maomé (Ele não trouxe a paz) e sim a Jesus. Existem mais de 40 profecias acerca de Jesus e de seu Domínio e de sua identidade. Porém quem testifica acerca de Maomé? Veja bem: Eu creio que sua crença procede de algo sobrenatural, porém não creio que seja do Deus-PAI Criador de todas as coisas. Creio que o islamismo foi criado pelo engano de Satanás.

[Poxa! Aonde esse cara tinha arranjado essas tais suras? Terrível isso! Faz parte dessa religião? Será que está escrito isso, mesmo, no Alcorão?] [Revisão de 2014 Até aqui eu não sabia, mas corri atrás, para conseguir um Alcorão pra ter certeza do que eu estava vendo! ]

Yeshua (#26 de 62) http://www.ichtus.com.br/

Alfredo (#27 de 62) ISLÃ, criado por Maomé, que nada mais é do que uma segunda versão de Jesus Cristo, com as mesmas loucuras e obsessões religiosas (Essa história de filho de Deus, etc.) só que chegou meio século depois, para modificar a cultura religiosa de grande influência ocidental, disfarçada de religião, mas claramente política, tem um objetivo simples e claro, nada diferente do de Hitler: Dominar o mundo pela força, pela revolução. Espalharam-se da Arábia Saudita, pela Turquia, pelo Egito e assim já se expandiram em quase toda a Ásia, que é um continente enorme, invadiram com facilidade, metade do Continente Africano, instalaram-se confortavelmente na Índia até a Indonésia, até na Antiga URRS, estão fortemente infiltrados na China, agora querem se instalar nas Américas ignorantes, incluindo o Brasil. A organização Islâmica de

Muçulmanos, com mais de 550 milhões de extremistas fanáticos Xiitas, são os mesmos conhecidos nossos, liderados pelo Aiatolah Khomeini, aquele louco obcecado, que tinha como principal objetivo na vida, destruir

o estado de Israel. Esse morreu, mas deixou outros iguais no lugar dele.

Foi o mesmo que guerreou com o Iraque durante anos, perdeu a Guerra dos Sete Dias para Israel e agora apóia as guerrilhas dos Palestinos. Os objetivos políticos do islamismo militante, é muito semelhante ao comunismo da Rússia. Pretendem infiltrar-se pelas elites, para tomar conta do mundo. Proliferam como religião, com essa conversa mole de Maomé e

Alcorão e logo em seguida se instalam pela revolução, querendo criar um estado só. Coisa de louco, como todos os que conhecemos por aí. Querem islamizar a qualquer custo. São anti-ocidentais enraizados, odeiam os EUA

e não conseguem por os pés no mundo civilizado da Europa, mas não

dispensam as suas tecnologias e ciências. Resumindo: Coisa que não presta. Imitação barata do Cristianismo, fanáticos, extremistas e revolucionários. Acho que já temos muitos problemas para importar mais um. Fiquem de olho.

[2014 O Yeshua estava certíssimo!]

Alfredo (#28 de 62) Precisamos só acabar com o preconceito IMPOSTO por vocês mesmos, religiosos. Ateísmo não é sinônimo de coisa ruim, porque coisa ruim está na própria religião que reconhece Satanás como alguém.

Ateísmo quer dizer não aceitar o convencimento que lhes querem IMPOR sobre um ser chamado Deus, que não existe, ou que não se identifica com

o jeito que pregam por aí, seja ele bom como Jesus, ou mal como Lúcifer.

Pra mim, é baboseira que têm qualidades ilusórias que servem de escora para muitos, e defeitos ocasionados pelo conformismo, resignação e exploração. Quando não servem para incitar essas mentes bloqueadas numa Guerra Santa, como no Islã. Simplesmente não acredito nisso, e não me curvo mutilando a minha própria sabedoria e capacidade de raciocinar, para agradar ninguém. Meu nome devia ser Tomé. Queria saber o que você viu, escutou ou sentiu por aí, além de ouvir falar ou ler o que qualquer um

escreveu

Alfredo (#29 de 62) Sabe porquê, Yeshua, porque vocês estão invadindo os meus fóruns sobre a vida, aconselhando por exemplo, a abstinência em lugar do anticoncepcional. Assim como vocês religiosos, invadem o fórum de sexo, com opiniões tolas e absurdas baseadas num fanatismo religioso, invadem

a minha caixa postal com mensagens religiosas, eu estou deliberadamente

jogando no seu campo. Foi bom você perguntar. Aceito uma trégua se você propuser, porque tenho uma tonelada de razões para retrucar e vocês não vão se dar bem comigo, posso garantir.

Yeshua - 02:56pm, 9 de Março de 2001 (#30 de 62) Jesus Cristo não é baseado somente em escritos de alguém, em vãs palavras e sutilezas literárias, tenho experiências atuais de que Jesus Cristo cura e faz milagres hoje. Pois o evangelho não é somente palavras, porém se consiste em poder, e Poder de Deus.

Ali (#32 de 62) Feiticeira, eu te convido a conhecer o islamismo que é a maior religião do mundo atualmente com 1500.000.000 de adeptos. Eu como muçulmano acho a religião islâmica a melhor e mais correta. Todo muçulmano que se converteu não se arrepende de ter feito a escolha certa. Nem todas as pessoas seguem a risca o alcorão porém elas terão seu

castigo no dia do juízo final. Quando deus nos mandou jejuar, ele não pediu apenas para os muçulmanos, ele pediu para que toda a humanidade jejue. Já foi comprovado cientificamente que o jejum faz muito bem a saúde então quem jejua só tem a ganhar. Deus o altíssimo não nos força a jejuar, ele apenas nos obriga. Não é fanatismo seguir o alcorão a risca é apenas o certo. Por exemplo: Se você estiver viajando só e se encontrar ante uma encruzilhada de dois caminhos : um estreito, que sobe a montanha e outro largo, que desce até à planície; o primeiro, com dificuldades, pedras soltas, espinhos e buracos que dificultam caminhar por ele. Porém, há um anúncio, posto pelas autoridades, onde se lê: "Este

caminho, apesar da sua dificuldade, no princípio, é o caminho reto, o que leva à grande cidade e à meta pretendida." O segundo caminho está asfaltado, sombreado por árvores, com flores e frutos, e dos lados há cafés

e atrações, que agradam o coração, alegram a vista e dão prazer ao ouvido.

Porém, há um aviso que diz: "Este é um caminho perigoso e fatal, seu final

é um abismo, que conduz à morte e à fatalidade certa." Por qual dos dois

lados você se conduzirá? Sem dúvida, o ego do homem se inclina mais para o que é fácil do que para o que é difícil, para o gostoso do que para o doloroso deseja a liberdade a prisão. É uma tendencia inata, pois deus nos criou com tal natureza. Se o homem deseja que o seu ego e as suas pretenções atuem sobre ele e o dominem, conduz-se pelo segundo caminho. Então, intervém a razão, comparando entre o prazer passageiro e

presente, ao que se seguirá uma grande dor, e uma dor momentanha e provisória, depois da qual virá um prazer permanente; elege o primeiro caminho. Isto é só uma amostra do caminho do paraíso e do caminho do fogo.

NACIMA (#33 de 62) olha alfredo leia o que o ali escreveu acho que vc terá mais consciência e pensará um pouco sobre tudo o que faz e diz. agora falando do preconceito ao ateísmo as suas próprias palavras mostram esse preconceito mas nós não temos nada contra isso,mas o nosso dever é apenas INFORMAR e ensinar a nossa religiào,o resto é cada um por si, nós já aconselhamos e lhe dissemos pense bem nessas palavras do nosso irnào ali:Se você estiver viajando só e se encontrar ante uma encruzilhada de dois caminhos : um estreito, que sobe a montanha e outro largo, que desce até à planície; o primeiro, com dificuldades, pedras soltas, espinhos e buracos que dificultam caminhar por ele. Porém, há um anúncio, posto pelas autoridades, onde se lê: "Este caminho, apesar da sua dificuldade, no princípio, é o caminho reto, o que leva à grande cidade e à meta

pretendida." O segundo caminho está asfaltado, sombreado por árvores, com flores e frutos, e dos lados há cafés e atrações, que agradam o coração, alegram a vista e dão prazer ao ouvido. Porém, há um aviso que diz: "Este é um caminho perigoso e fatal, seu final é um abismo, que conduz à morte e à fatalidade certa." Por qual dos dois lados você se conduzirá? Sem dúvida, o ego do homem se inclina mais para o que é fácil do que para o que é difícil, para o gostoso do que para o doloroso deseja a liberdade a prisão. É uma tendencia inata, pois deus nos criou com tal natureza. Se o homem deseja que o seu ego e as suas pretenções atuem sobre ele e o dominem, conduz-se pelo segundo caminho. Então, intervém a razão, comparando entre o prazer passageiro e presente, ao que se seguirá uma grande dor, e uma dor momentanha e provisória, depois da qual virá um prazer permanente; elege o primeiro caminho. Isto é só uma amostra do caminho do paraíso e do caminho do fogo, simplificando, esse textinho quer dizer que é melhor sofrer aqui na Terra do que sofrer eternamente lá com Deus. REFLITA E VOLTO A DIZER NÀO TEMOS NADA CONTRA O ATEÍSMO SÓ TAMOS LHE INFORMANDO!!!! O RESTO É CONTIGO!!

Nacima (#34 de 62) Atendendo a pedidos do pessoal do fórum, as pessoas que querem saber mais sobre a religião Islâmica, ou Islam, temos aqui as informações básicas e claras para vocês. O primeiro tema diz a respeito de:

"O ISLAMISMO" Confiram este arquivo a seguir! Obs.: E por favor qualquer pergunta que tiverem a respeito que foi dito, por favor podem pedir esclarecimento comigo, e se não for de meu alcance responder, estarei pesquisando a respeito ok! Desejo a todos boa leitura! E espero que possam entender o que está escrito! Ass: Nacima Ali Jarouche Aguardamos perguntas!!!!! Até Mais!

[E assim, eles vinham fazendo sua pregaçãozinha

letras]

com todas as

Nacima (#35 de 62) Neste arquivo também tem a possibilidade de ouvir uma oração que está sendo feito pelos muçulmanos juntos numa mesquita (templo onde fazemos orações), ouçam, vocês vão gostar!!!!! Breve estaremos publicando o alcorão falado, para ouvirem, mas na verdade está em

árabe!!! E também estaremos publicando o alcorão traduzido para o português, para o eslarecimento de dúvidas. Inclusive será publicado primeiramente sobre Maria e Jesus, Onde Maria( que a paz de Deus esteja com ela) tem a sua própria Surata( capítulo) no Alcorão ou Corão Sagrado ( O livro sagrado do islamismo), e Jesus( que paz de Deus esteja com ele e todos os profetas e mensageiros de Deus), Ele também tem uma Surata (capítulo), falando só sobre jesus desde que ele nasceu até a sua morte e Maria também. Espero que gostem e qualquer dúvida que tenham publiquem no fórum ( mesmo não tendo nada a ver com o que estamos dizendo)! Um grande Abraço a todos!!! Tchau!

Nacima (#36 de 62) entrem nesta página www.islam.org.br ou então este é o atalho do tema abordado

http://www.islam.org.br/O%20islam.htm

Nacima (#37 de 62) Olá, só uma observação atualizando o número de adeptos ao islamismo já são de cerca de 1 bilhão e 800 milhões de adeptos. Só quis esclarecer isso! Até Mais!

Alfredo (#38 de 62) Yeshua - Afinal de que lado você está? O seu testo abaixo, diz tudo o que eu penso do Islamismo. (Incitação a violência) “Yeshua Alá ordena que os muçulmanos aterrorizem os não muçulmanos em seu nome: "Eu instilarei terror nos corações dos infiéis, golpeai-os acima dos seus pescoços e arrancai todas as pontas dos seus dedos. Não fostes vós quem os matastes; foi Deus" (Sura 8:13-17). "Imprimi terror [nos corações dos] inimigos de Deus e vossos inimigos" (Sura 8:60). "Combatei-os [os não muçulmanos] e Deus os punirá através das vossas mão, cobri-os de vergonha" (Sura 9:14) Veja bem: Eu creio que sua crença procede de algo sobrenatural, porém não creio que seja do Deus- PAI Criador de todas as coisas. Creio que o islamismo foi criado pelo engano de Satanás” Eu, Alfredo, só não concordo totalmente com você, pela sua poesia que fala de dois seres imaginários. (Se são os mesmos que dizem por aí, são terrivelmente injustos e malvados) Você fala em poder e milagres. Nos meus quase 60 anos de curiosidade, nunca vi nada igual, a não ser auto-

sugestão. Muito próximo de uma hipnose, tão perto do David Coperfield. Vejo uma tonelada de crentes por aí, pagando promessas de cura de doenças por exemplo. Se a pessoa fica boa, foi milagre. Se morre, foi o quê? Lembra-se da Clara Nunes, em coma? O Brasil inteiro orou por aquela mulher. Cadê o milagre? O Zé Arigó fez muitos "milagres" e o Dr. Fritz também? Você não acha que tudo isso, é ilusão, auto sugestão.

fanatismo e burrice?!

Eu acho

Alfredo (#39 de 62) Nácima, obrigado pela consideração da sua resposta. Admiro a sua paciência e não quero contrariar você. Fico feliz também por saber que você nada tem contra o meu modo de pensar. Pode acreditar, é fruto da minha longa experiência de vida. Sou muito sincero quando digo que Islamismo é sinônimo de violência e fanatismo. Espero sinceramente, que um dia isso mude para que você possa ficar feliz e sem restrições com a sua religião. Naturalmente que eu vejo o lado bom de todas as coisas. Quanta gente desesperada, fraca de espírito, que precisa realmente de um apoio religioso para não afundar de vez. E quantos são tirados da sarjeta pela mesma razão. Eu concordo com esse lado positivo, mas as religiões estão muito deturpadas e vivem desses sofredores. No próprio ensinamento de Jesus, está o despojamento de qualquer riqueza, daí, não é justo haver uma igreja católica bilionária, nem os bispos macedos da vida se enchendo de dinheiro por causa disso. O Islã, já é uma facção política disfarçada, com menos de 600 milhões de adeptos (enciclopédia) tudo no final é interesse escuso e a religião uma verdadeira indústria.

Maria Moreira - 01:25pm, 10 de Março de 2001 (#40 de 62) Olá Yeshua. Você dizer que Isaías 42 não se refere a Muhammad é negar o que está escrito no Dicionário Bíblico de Easton, que eu cito no meu artigo. O dicionário não diz que Isaías 42 se refere a Muhammad, mas claramente diz que se refere aos árabes. Ninguém discute que Muhammad

e primeira comunidade de muçulmanos era árabe. Se você quer negar isto,

tudo bem, mas depois não diga que os muçulmanos é que são fanáticos Quanto a este site que você indicou, o Ichtus, sinceramente, suas fontes são de uma parcialidade só. O autor deste site relata em um dos artigos o

suposto sofrimento dos cristãos no Egito. Acontece que eu moro no Egito

e não acontece nada do que ele conta lá. Médicos cristãos sendo proibidos

de clinicar? Só pode ser piada. Mas tem gente, como você, que acredita em

tudo que lê, principalmente se for de encontro às suas próprias crenças. Quem faz isto, não importa à qual crença ou ideologia se vincule, é

fanático. Não tem outro nome. Eu já dei o endereço do meu site onde eu contesto boa parte das bobagens ditas aqui sobre o Islam. Também existe uma seção de links lá que indica vários outros sites islâmicos, nacionais e internacionais. A lógica diz que quem quer se informar sobre um assunto, procura um especialista. Portanto, quem quer se informar sobre o Islam tem que procurar sites islâmicos. Simples, né? Mas tem gente que não

entende

Maria.

Maria Moreira (#41 de 62) Olá Alfredo. Eu gostaria de dar a você a mesma sugestão que dei ao Yeshua: se você quer saber algo sobre o Islam (ou qualquer outro assunto) procure um especialista. De outra forma, é apenas procurar por informações que se adeqüem às suas próprias crenças, em locais onde você certamente as encontrará. É como um jogo de carta marcada. Este comportamento não é em nada diferente daquele adotado pelo religioso fanático, que só lê publicações ligadas à sua crença e veiculadas pelas suas instituições religiosas. Mesmo para criticar eu acredito que é preciso capacidade e conhecimento. Se você quer criticar o Islam, tudo bem, mas então estude-o. Eu mesma fui atéia e fui estudar o Islam para 'derrubá-lo'. Não estava nem um pouco 'perdida', 'desiludida com a vida', ou coisa do gênero. Como você, considerava a religião uma 'bengala' para os fracos. Acabei me convertendo. Às vezes nós tememos o que desconhecemos e por 'motivo de segurança', preferimos, deliberadamente, continuar desconhecendo. Você parece gostar de história, apesar de estar muito mal informado, então eu vou dar uma dica de um site sobre história islâmica, feito por uma profa. de história convertida ao Islam, que assim como eu, era atéia antes da conversão. O endereço do site dela é:

http://www.geocities.com/ibnkhaldoun_2000 Quando você estiver mais bem informado, certamente será um prazer debater com você. Felicidades, Maria.

Nacima (#42 de 62) Olá irmã Maria! Parbéns aos seus depoimentos, sua palavras são realmente emocionantes! mas uma vez Parabéns! Ass: Nacima Ali Jarouche

Maria Moreira (#43 de 62) Salaam irmã Nacima. Obrigada! Tudo o que podemos fazer é informar, como você disse. Se as pessoas vão querer ser informadas ou não, já não está em nossas mãos, não é mesmo? Beijos, Maria.

Yeshua (#44 de 62) Quem era Alá nos dias de Maomé? Alá era o deus lua. Até hoje os muçulmanos usam a forma do quarto crescente sobre as suas mesquitas. Nenhum muçulmano consegue dar uma boa explicação para isso. Na Arábia havia uma deusa feminina que era a deusa sol e um deus masculino que era o deus lua. Diz-se que eles se casaram e deram à luz três deusas chamadas "as filhas de Alá", cujos nomes eram Al Lat, Al Uzza e Manat. Alá, suas filhas e a deusa sol eram conhecidos como os deuses supremos. Alá, Allat, Al Oza e Akhbar eram alguns dos deuses pagãos.

No chamado muçulmano para a oração, os muezzin clamam "Allah u Akbar", que significa Alá e Akbar. Os muçulmanos afirmam que não estão orando a Alá e Akbar, mas dizendo "Alá é grande". No começo, Maomé deixava os seus seguidores prestarem culto a Alá, o altíssimo, e pedirem a intercessão de Allat e Al Oza e Mannat. Depois que conseguiu se tornar militarmente forte e bem armado, ele lhes ordenou que somente a Alá prestassem culto.

http://www.ichtus.com.br/sec/islamismo/ptv3.vhtml

Yeshua (#45 de 62) Ainda que eu jejuasse por quarenta dias e quarenta noites, sem amor eu nada seria; ainda que eu distribuísse todos os meus bens e toda a minha riqueza sem amor eu nada seria; ainda que eu peregrinasse por toda a Terra não tendo amor eu nada seria (Romanos 13). DEUS busca aqueles que o adorem em espírito e em verdade (João 4:23). Ninguém pode se justificar perante DEUS apresentando obras, porque a nossa maior justiça é injustiça perante olhos do SENHOR. Assim aprouve DEUS nos salvar de nossa iniquidade, nossa maldade interior, nossa natureza que inclina para a morte, por que todos se desviaram, não há um justo sequer, nem ao menos um que busque e entenda a Deus, todos pecaram e destituídos estão da glória de DEUS. Porém vindo a plenitude dos tempos, DEUS se fez homem e andou entre nós, e vimos a sua glória, a glória da humildade, a glória do amor, a glória da beleza interior de JESUS, pois Deus não vê como vê o homem. Por isso jejuaremos por amor e não por obrigação, para que a glória não seja nossa e sim de Deus, distribuiremos riquezas e daremos nosso corpo para ser lançado ao fogo por amor, e não por obrigação ou esperando recompensas de DEUS. Pois Deus não gosta de

formalidades e de vãs repetições, de povos que O vanglorie com os lábios porém colocam seus corações longe Dele.

Yeshua - 02:11am, 11 de Março de 2001 (#46 de 62) ANISTIADOS Por meio de JESUS, DEUS nosso PAI enviou mensageiros percorrendo toda a Terra anunciando a ANISTIA dos PECADOS por meio do SANGUE de JESUS, pois todos pecaram e são dignos de morte, porém como anistiados ficamos livres de culpa se aceitarmos a ANISTIA dada por DEUS o nosso PAI, a quem somos feitos filhos por adoção, mediante JESUS. É simples não ? Não precisa lançar-se ao fogo, peregrinar, jejuar por obrigação, repetir orações como marionetes e travar nossa visão como fanáticos, basta aceitar a JESUS, a ANISTIA de DEUS.

[Nota: Eu ponho essa xaropada toda aí, porque, se não, vão dizer que eu fui parcial, e não dei direito de opinião aos outros. Mas você não precisa ler, se não quiser ]

Yeshua (#47 de 62) Um aparente paradoxo Não sou católico, não sou protestante, não sou evangélico, não sou adventista, não sou budista, não sou islã, não me rotulo com nada porque a

religião é humana e diabólica, escraviza e mata, mutila e deforma, separa, aniquila e empobrece, não digamos que somos isso ou aquilo pois a letra mata e a religião entorpece, os rótulos caem e as denominações se apagam. Antes sejamos de DEUS e tenhamos amor em nossos corações pois o amor

é o maior dos dons, para ser de DEUS basta apenas aceitar o dom perfeito

de DEUS, a sua misericórdia em nós receber como FILHOS mediante a aceitação de JESUS CRISTO como SENHOR e SALVADOR de nossas vidas. É apenas isso, não vamos dificultar as coisas, não coloquemos pesos sobre nós que não possamos suportar pois os ditos religiosos são correntes

e cadeados que nos prendem e trevas que nos cercam. Seja de CRISTO e já basta para ter a vida eterna nas bênçãos de DEUS. Obs.: Não confio em Teologos, somente em JESUS CRISTO. [Que é um mito cuja estória foi escrita pelos padres, pode?]

Maria Moreira - 09:05am, 11 de Março de 2001 (#48 de 62) Yeshua. Para quem não é evangélico, você se vale demais de referências evangélicas, não acha? Primeiro, foi a revista Defesa da Fé. Depois o tal site Ichtus, claramente evangélico. E você acaba se

contradizendo ao afirmar que não confia em teólogos, só em Jesus, já que todos os conceitos que você vem passando neste fórum foram desenvolvidos por teólogos cristãos, mais especificamente por teólogos evangélicos fundamentalistas. Esta estória de Allah ser o deus-lua, não foi ensinada por Jesus e só é vinculada nos sites evangélicos mantidos por ignorantes, porque os sacerdotes evangélicos esclarecidos já sabem que os muçulmanos adoram o mesmo Deus dos cristãos. Já encontrei esta informação em vários sites evangélicos (de qualidade, claro). Estou cotando abaixo o verbete sobre Allah da Enciclopédia Britannica, que obviamente não tem o menor interesse em defender o Islam e os muçulmanos. Dou o link para quem quiser lê-lo no original, em inglês:

Allah Árabe: ‘Deus’, o único Deus na religião do Islam. Etimologicamente, o nome Allah é provavelmente uma contração do árabe al-Ilah, ‘O Deus’. A origem do nome pode ser traçada a partir de escritos semitas anteriores nos quais a palavra para deus era Il ou El, a última sendo no Velho Testamento como um sinônimo para Yahweh. Allah é a palavra árabe padrão para ‘Deus’, e é usada por árabes cristãos e muçulmanos.

http://www.britannica.com/bcom/eb/article/9/0,5716,5849+1+5770,

00.html?query=allah

Quanto à questão da obrigatoriedade do jejum no Islam, eu gostaria de acrescentar um comentário aos que já foram feitos sobre o assunto. O jejum é um dever religioso no Islam, mas só o cumpre quem tem 'teme' desagradar a Deus. É o tipo de 'medo' que sentimos de ofender ou magoar a quem amamos. Assim, o/a muçulmano/a que ama a Deus, 'teme' desobedecê-Lo. Não é questão de temer um castigo. Obviamente existe um castigo, mas a obrigatoriedade do jejum não está vinculada apenas ao medo deste castigo, mas ao 'medo' de desagradar e ser ingrato com Deus. Já notei que você não lê nada do que indico, tamanho o seu medo de chegar à conclusão de que o Islam não é o bicho-papão que disseram a você, mas se você algum dia tiver a CORAGEM de REALMENTE estudar o Islam, mesmo que seja para criticá-lo, dou novamente o endereço do meu site. http://www.geocities.com/islamicchat Felicidades, Maria.

Alfredo (#49 de 62) Maria, não vou falar mais por mim, nem buscar também fontes islâmicas para discorrer sobre o assunto. Veja, se serve essa:---

VEJA SE É ISSO MESMO QUE VOCÊ QUER:

“Muçulmanos que ousam se rebelar contra as tradições tem as feições desfiguradas.”

“Com apenas 28 anos de vida independente, Bangladesh coleciona uma impressionante série de tragédias. Como de hábito a pobreza propicia terreno fértil para o fanatismo religioso, neste caso o dos grupos muçulmanos que fazem uma leitura primitiva do Corão. As vítimas são quase sempre garotas pobres que recusam casamento arranjados,

investidas sexuais ou a clausura que querem lhe impor os pais ou maridos.

A mistura viciosa se estampa no rosto das mulheres atacadas com jatos de

ácido, um crime cada vez mais comum em Bangladesh. Pelo equivalente a 60 centavos de dólar, qualquer homem contrariado em seu machismo ou em sua visão tacanha de mundo, pode comprar ácido sulfúrico. A

substância corrói a pele e os músculos da vítima. As queimaduras causam

a morte de algumas. E quase todas acabam rejeitadas pela próprias

famílias. Desfiguradas, dificilmente se casarão. Não bastasse o trauma psicológico e a dor física, o destino mais prov’;avel das vítimas do ácido é a mendicância e o ocultamento do rosto para o resto da vida.”

Revista Veja Edição 1627 de 08-12-99. Esses são os muçulmanos, seguidores de Alah, e do Islamismo. Traga isso pra cá, e dissemine entre nós esses princípios religiosos!

Veja as fotos mais adiante:

Alfredo - (#50 de 62) Maria, quem sabe essa te satisfaz VEJA SE É ISSO

Alfredo - (#50 de 62) Maria, quem sabe essa te satisfaz

VEJA SE É ISSO QUE VOCÊ

QUER: Fonte: Revista Veja no. 1584 de 10 de fevereiro de 1999.

GUERRA ÍMPIA Discriminados por sua crença, cristãos são vítimas de atrocidades em três países da Ásia “Uma menina é estuprada por quatro vizinhos e quem termina na cadeia é o pai dela. Paquistão. Hoje, dois anos depois, do brutal ataque a Nagina, seu pai está preso, sujeito a pena de morte. Nesse período ele foi torturado, mantido em cativeiro sem direito a defesa, e acusado de um assassinato, cujas únicas testemunhas são nada menos que os estupradores de Nagina (7anos). A lógica que liberta os agressores e prende a vítima é simples: Ghulam é cristão e os estupradores, muçulmanos.” (Ismâmicos) VIOLÊNCIA LEGALIZADA Fanatismo não é novidade no Paquistão. Ao contrário, a Indonésia, embora abrigue a maior população muçulmana do mundo, nunca havia sido marcada por sectarismo religioso flagrante. Miseráveis ao extremo, os paquistaneses são os mais desprotegidos. Lá a violência anticristã se escora na lei. Em julho de 1992, os tribunais do Paquistão perderam a independência e credibilidade imnternacional com a aprovação de uma lei contra blasfêmia que assim se enuncia: [Qualquer pessoa que por meio de palavras ditas ou escritas, ou por representação visível, ou por qualquer acusação, alusão ou insinuação, direta ou indiretamente, insulte o Santo Profeta Maomé, deve ser punida com a morte] Uma lei que prevê o cadafalso até por causa de insinuações, se presta a todo tipo de

arbitrariedades, desde vinganças pessoais até a rapina dos bens dos acusados por visinhos cobiçosos. FILHAS ROUBADAS A discussão sobre a posse de alguns pombos, por exemplo, acabou com a condenação de três cristãos em 1994. A acusação de que tinham escrito ofensas ao profeta (Maomé) nas paredes de uma mesquita, ruiu quando o juiz constatou tratar-se de analfabetos.

Soltos, os três foram metralhados por fanáticos muçulmanos” O texto acima é uma síntese do publicado pela revista acima descrita. Então responda: É isso que você quer trazer para cá para o Brasil? Pense bem. Religião de muçulmanos fanáticos, islâmicos que recitam o

Começo a ficar com

Corão todo dia, clamando por Maomé e Alah! medo

Vejam abaixo, como eles lincham os cristãos em plena praça pública

como eles lincham os cristãos em plena praça pública E VOCÊ? ESTÁ COM VONTADE DE ABRAÇAR

E

VOCÊ? ESTÁ COM VONTADE DE ABRAÇAR O ISLAMISMO

E

DIFUNDI-LO AQUI NO NOSSO PAÍS? PARABÉNS!!! VOCÊ É

MUITO INTELIGENTE!!!!!!!!!!

Alfredo (#51 de 62) Talvez você tenha mais crédito nessa fonte:

“EX-AGENTE SECRETO FOGE E ACUSA SEU PAÍS DOS DOIS MAIORES ATENTADOS TERRORISTAS DAS ÚLTIMAS DÉCADAS” Revista Época. “Ahmad Behbahani queria apenas se esconder. Temendo ser morto depois que caiu em desgraça por uma disputa interna de poder no serviço secreto iraniano, o ex-agente fugiu para a Turquia. Encontrado pela rede de TV americana CBS e contou ter sido o chefe das operações terroristas do Irã, no exterior. Ele diz que preparou pessoalmente o atentado que derrubou o jumbo da Panam sobre Lockerbie, na Escócia, matando 270 pessoas, em 1998. Foi ele também o coordenador do ataque à sede da Associação Mutual Israelita Argentina (Amia) de Buenos Aires em 1994, diz.

“EX-AGENTE SECRETO FOGE E ACUSA SEU PAÍS DOS DOIS MAIORES ATENTADOS TERRORISTAS DAS ÚLTIMAS DÉCADAS” Revista Época.

SECRETO FOGE E ACUSA SEU PAÍS DOS DOIS MAIORES ATENTADOS TERRORISTAS DAS ÚLTIMAS DÉCADAS” Revista Época.

Fonte: Revista Época no. 108 de 12 de junho de 2000. Então não digam que eu estou tirando cartas da manga. Querem mais? Devo ter umas duzentas iguais a essa. É só procurar por aí, que você também encontra. Até no Corão, como mostrei anteriormente.

Agora você perceba: Sabe qual são os princípios que esse cidadão iraniano

seguia? O Corão de Maomé!

aqui no Brasil. Reparem que já estão na Argentina, bem próximos!

Cuidado!

O mesmo Islamismo que querem introduzir

Eles estão chegando!!

Yeshua (#52 de 62) Talibã promete executar convertidos. O dirigente supremo da milícia do Talibã que governa o Afeganistão fez uma advertência no dia 8 de janeiro, que o regime vai aplicar a pena de morte a qualquer muçulmano que se converter a outra crença. Divulgadas pela Rádio Shariat, as declarações do líder do Talibã, Mullah Mohammed Omar, foram de que, se qualquer afegão for pego professando o cristianismo ou o judaísmo, será executado de acordo com as rigorosas leis islâmicas impostas pelo Talibã. Omar determinou também que qualquer não- muçulmano que for encontrado tentando obter conversões também será morto . Por necessidade, os cristãos evangélicos do Afeganistão têm permanecido em segredo desde que o Talibã tomou o poder, tanto no que se refere à identidade quanto à quantidade. Foi noticiado que dois afegãos suspeitos de conversão ao cristianismo foram enforcados pelo Talibã em 1998, mas os detalhes permanecem não confirmados.

Yeshua (#53 de 62) Livro de líder islâmico ensina como agredir mulheres sem deixar marcas Na Espanha, mulheres de todas as religiões lançaram uma campanha de denúncias legais contra o chefe da comunidade islâmica (imã) de Fuengirola, cidade da Costa do Sol, que ensina os homens como "bater nas mulheres de acordo com o Corão, sem deixar marcas". No livro "A Mulher no Islã", que acaba de ser lançado no mercado espanhol, o imã Mohamad Kemal, segunda autoridade muçulmana da Espanha, escreve no capítulo sexto: "Os golpes devem ser desferidos contra uma parte concreta do corpo, como os pés e as mãos, e devem ser

usadas varas finas, para não deixar hematomas ou cicatrizes, que são passíveis de denúncias penais por violência nos tribunais". "An-Nisa", uma associação de senhoras islâmicas progressistas da Espanha, foi a primeira a protestar. A associação convidou Kemal e sua editora a retirarem o livro do mercado. A entidade entrou com um processo no tribunal de Barcelona alegando que a obra "constitui uma apologia aos maus tratos contra as mulheres". A ex-deputada Pilar Rahola, feminista histórica e conhecida em toda o país, também criticou a publicação. Segundo Pilar, "estamos no limite de uma clara apologia à violência doméstica, portanto, apelo a todos os grupos de mulheres para que combatam esta atitude machista". O imã baseia sua defesa no Corão. "Está no Corão. É uma advertência à mulher que se rebela contra o homem. Apenas dou conselhos aos maridos". Aproximadamente um milhão de muçulmanos vivem na Espanha. As informações são da Agência Estado.

Maria Moreira (#56 de 62) Olá Yeshua e Alfredo.

Já que os dois, apesar de não ter a mesma crença religiosa em

comum, parecem compartilhar do mesmo ódio e desinformação sobre os muçulmanos, estou dando um conselho conjunto: por favor se utilizem de fontes confiáveis em suas 'pesquisas'.

Fontes evangélicas, claramente anti-islâmicas, não são confiáveis (viu Yeshua?).

O mesmo se aplica à revista Veja, já tão famosa por sua

imparcialidade parcial e por sua agenda política própria, e às publicações e serviços do Sistema Globo (viu Alfredo?). Felicidades e melhor sorte da próxima vez. Maria.

Maria Moreira (#55 de 62) Oi Yeshua.

Dê uma lidinha na mensagem que postei para o Alfredo. Também

serve para você. Felicidades, Maria.

Maria Moreira (#54 de 62)

o Islam tem mais de 1.400 anos de história e

você me vem com estas notícias? O que você tem a dizer sobre o período que os muçulmanos dominaram a Península Ibérica? Foi o único período

Alfredo. Por favor

da história onde judeus, cristãos e muçulmanos puderam conviver em relativa harmonia. Dizer que nunca houveram conflitos é faltar com a verdade, mas conflitos existem onde convivem idéias diferentes. Entretanto houve também e principalmente, harmonia e cooperação mútua. Estou cotando parcialmente um artigo que traduzi, retirado da revista da UNESCO e que consta na Enciclopédia Britannica. Ele pode ser lido na íntegra no link que dou no final. Andaluzia: Sangue e Fraternidade - de Cristina L'Homme 02/01/99 Fontes da UNESCO Revista: Fontes da UNESCO; Fevereiro de 1999 Seção: Herança Um explosivo mas fértil encontro entre civilizações, o período de Andaluzia tem muito a ensinar ao mundo moderno desde que nós demos a ele seu lugar correto na história. Existem períodos da história que deixam traços indeléveis no espírito humano. Andaluzia foi um destes períodos cruciais. Começou no ano de 711 quando os árabes invadiram a Península Ibérica e terminou oito séculos mais tarde, em 1492, com sua expulsão. Durante este período, sob governo árabe, as três religiões monoteístas viveram lado a lado, formando laços, mas não sem violência. Toda esta riqueza intelectual veio com tradutores e intérpretes andaluzes e então se espalhou através do Ocidente. Por isto é que a Espanha Medieval constitui o que Diene chama de ‘porta de entrada’ para a modernidade européia. Terceiro, Andaluzia é um conceito moderno porque estabelece um exemplo para coabitação de três religiões no mesmo território. Apesar da dominação do Islam sobre o Cristianismo e Judaísmo e das guerras que empreenderam, existiram longos períodos de diálogo e tolerância. Compare esta experiência de tolerância com tantos exemplos de intolerância em nosso mundo hoje onde religiões e culturas coexistem mas carecem de entendimento mútuo. O Islam ‘é constantemente associado com grande revoluções políticas como a do Irã, com eventos históricos como os da Argélia, e com crises de petróleo sucessivas’, de acordo com Diene. Esquecemos que existiram, no tempo de Andaluzia, espaço para ‘encontros teológicos’ entre as três religiões. ‘Cada uma expunha seu ponto-de-vista, mas ao mesmo tempo ouvia aos outros.’ Os reis católicos, os nobres e o clero pensaram restaurar a homogeneidade da Península Ibérica se livrando de Andaluzia. Este fim violento marcou profundamente a consciência de todos. Na Europa, deixou medos profundos e irracionais, espirituais e políticos. Existe um estigma que alimenta fantasmas e incompreensões mútuos. Pela integração do passado comum extraordinário representado pela Andaluzia, veríamos que dentro de outra pessoa existe algo de nós mesmos.

http://www.britannica.com/bcom/eb/article/5/0,5716,115205+12+1

08580,00.html

E a Índia? Ficou séculos sobre domínio islâmico e a maioria da população até hoje segue o Hinduísmo, que poderia ter sido varrido da terra ou resumido a um punhado de seguidores dispersos pelo mundo. Como eu já disse, informe-se primeiro e depois a gente debate, tá? Agora vai ser perda de tempo. Você ainda tem muito que aprender. Felicidades, Maria.

[A Maria tem esse estilo, mesmo. Como ela não consegue argumentar contra as evidências, ela procura desfazer da pessoa que leva a informação, trazendo para o âmbito pessoal, um assunto religioso, como se o meu “desconhecimento”, invalidasse os fatos mostrados]

Maria Moreira (#57 de 62) A Medicina Árabe e o Ocidente Toledo durante muito tempo foi o centro de referência para os astrônomos europeus. Córdova entretanto, simbolizou na Idade Média, o esplendor da medicina árabe. Gerardo de Cremona, vindo a Toledo em

meados do século XII para procurar um texto de astronomia, o Almagesto

de

Ptolomeu, dedicou a maior parte de suas traduções à medicina. Prova

do

interesse que tinham por essa disciplina os sábios cristãos do século

XII, essa particularidade sugere também a existência de um terreno favorável na cidade onde se exerceu a atividade do tradutor. Obras escritas na Espanha muçulmana antes do século XII passaram para a posteridade e exerceram influência duradoura. É verdade que um certo empirismo parece ter prevalecido nos primeiros tempos da conquista muçulmana. Se desde o reinado do emir Abd ar-Rahman II (822- 852), a aritmética, a astronomia e a astrologia estiveram em evidência, a medicina se limitou por muito tempo a uma prática cujos fundamentos científicos são pouco perceptíveis. A medicina árabe da Espanha do século

IX parece comparável à que conheciam então os países cristãos da Europa;

exploram-se as mesmas fontes latinas: as Etimologias de Isidoro de Sevilha, e, talvez, uma versão datando dos séculos V e VI dos Aforismos

de Hipócrates.

Ao mesmo tempo, no Oriente, Hunain ibn Ishaq, discípulo de outro mestre famoso, Ibn Masawaih (o Mesué dos ocidentais de língua latina, a partir do século XII), traduzia uma centena de tratados de Galeno, entregando ao mundo árabe o saber daquele que foi, talvez, o maior teórico da Antigüidade. A originalidade da medicina da Espanha muçulmana,

estava em atribuir grande importância à prática, principalmente aos meios terapêuticos. Apesar de sua inclinação para a teoria, o próprio Averróis definirá a medicina, no século XII, não como uma “ciência”, mas como uma “arte”, indo contra o que os autores do Oriente árabe tinham imposto. Essa tomada de posição dependia em parte da influência de Aristóteles mas também se inscrevia na tradição da medicina em al-Andalus. Diversos fatores são geralmente evocados pelos historiadores para explicar essa tendência perceptível em outras ciências: a adoção pelos soberanos Omíadas do direito malikita, que dava pouco espaço para a especulação; um gosto particular pela natureza que se manifesta desde o reinado de Abd ar-Rahman I pela criação de um jardim botânico. A medicina de al- Andalus parece, efetivamente, ter-se desenvolvido a partir da botânica. Em 948-949, uma comissão diplomática enviada pelo imperador Constantino Porfirogeneta trazia um manuscrito grego de Dioscurides para o califa Abd ar-Rahman III. Uma equipe, na qual estavam o médico judeu Hasday ibn Saprut e o monge bizantino Nicolau, começou a trabalhar para aperfeiçoar, com auxílio desse manuscrito, a antiga versão árabe vinda do Oriente, adaptando o vocabulário e tentando identificar as plantas. Esse empreendimento, que se estendeu por vários anos, deu certamente um impulso decisivo ao gosto que tinham os médicos de al-Andalus pela farmacopéia. Mas o fim do século X em Córdova é dominado pela personalidade de Abul-Qasim Halaf ibn al-Abbas az-Zaharawi que os latinos conheceram mais tarde pelo nome de Abulcasis ou Albucasis. Nascido na capital Mandinat az-Zahra, esse médico morreu pouco depois de 1009, deixando uma enciclopédia cujos capítulos sobre farmacopéia e, principalmente, cirurgia, manifestam uma competência prática e uma aptidão a transmitir tanto conhecimentos livrescos quanto o savoir-faire. A parte dedicada à cirurgia faz o renome de az-Zahrawi; ela abria um novo caminho que o Ocidente não deixou de explorar, graças à representação figurada de instrumentos, à importância dada à cauterização, à descrição precisa do desenrolar das intervenções cirúrgicas. Após a queda do califado em 1031, fez-se uma transferência de saber para Toledo. Astrônomos, filósofos, médicos cordoveses instalaram- se na cidade. Entre eles, o vizir Ibn Wafid al-Lahmi, que o cádi Saíd nos apresenta em termos precisos e elogiosos:

Ele adquiriu um grande domínio da ciência dos medicamentos simples e um conhecimento da matéria que ninguém possuía na sua época. Compôs sobre esses medicamentos um livro sem igual, muito notável, no

qual condensou o conteúdo das obras de Dioscurides e de Galeno que tratavam do mesmo assunto. Organizou segundo um plano excelente o seu trabalho, que tem cerca de quinhentas páginas. Ele próprio me disse que, durante vinte anos, até que esse escrito fosse levado ao ponto de perfeição para o qual ele tendia e que ele desejava, reunira e ordenara os materiais desse tratado, corrigira os nomes e as descrições dos remédios citados, retificara os detalhes relativos às virtudes e ao grau de eficácia desses medicamentos. Ibn Wafid, na medicina, tinha uma prática cheia de bom senso e um método hábil, que consistiam nisto: não julgava apropriado prescrever remédios enquanto o tratamento pelos alimentos ou algo equivalente fosse possível. Se fosse necessário usar remédios, não achava útil empregar medicamentos compostos, enquanto os simples continuassem eficazes. Originário de uma antiga e honrada família de Córdova, tornando- se vizir, Ibn Wafid constitui uma prova evidente do crédito concedido à prática médica na Espanha muçulmana. Compreendendo também um tratado de agronomia, sua obra se inscreve perfeitamente na tradição de uma medicina que leva muito em conta os conhecimentos de botânica. O cádi Saíd nos faz perceber uma outra vertente do meio erudito toledano, no qual a medicina pertence mais ao campo da especulação e da erudição. Com efeito, cita vários personagens versados ao mesmo tempo em astronomia, matemática e medicina. Entre esses sábios, na maioria formados em Córdova, está Ibn al-Bagunis que, morto em 1056 aos setenta e cinco anos, começara por aprender aritmética, geometria e lógica. Ao contrário de Ibn Wafid, Ibn al-Bagunis não praticava a medicina; segundo Saíd, parece que se agruparam à sua volta e em torno do seu ensino jovens sábios que, também formados em filosofia, se dedicavam à leitura dos tratados de Galeno. À época da reconquista cristã, Toledo possuía não apenas práticos experientes, mas também eruditos dedicados a reunir manuscritos de medicina e a interpretá-los, integrando- os ao conjunto do saber intelectual. Quando Gerardo de Cremona chega a Toledo em meados do século XII, o Ocidente latino já dispõe de várias obras de medicina árabes, graças às traduções elaboradas em Monte Cassino no fim do século XI por Constantino, o Africano. Nascido em Cartago, esse tradutor divulgou antes de tudo, os sábios que atuaram na África do Norte, especialmente em Kairuan, no século X (Ishaq ibn Imran, Ishaq al-Israili, Ibn al-Gazzar). Também adaptara, em latim, as sínteses compostas no Oriente muçulmano nos séculos IX e X por Hunain ibn Ishaq e al-Magusi, que transmitiam fielmente o saber de Galeno tal como era ensinado em Alexandria antes da

conquista árabe. Vindo da Itália, onde essas primeiras traduções começavam a ser difundidas, Gerardo de Cremona estava consciente das orientações que elas tinham suscitado e das lacunas que deixaram. Suas

preferências refletem tanto o nível atingido pela medicina na Itália do século XII quanto as possibilidades oferecidas pela cultura toledana cerca

de setenta anos depois da reconquista.

Gerardo de Cremona encontra em Toledo as versões árabes de vários tratados de Galeno, obras que os médicos cristãos estavam particularmente ávidos. Se as traduções de Constantino, o Africano, garantiram a transmissão dos princípios fundamentais do galenismo alexandrino, tinham no entanto contribuído muito pouco para enriquecer o Ocidente latino em matéria de obras autênticas. A demanda dessas obras é comprovada pelo fato de que, paralelamente ao empreendimento de Gerardo de Cremona, Burgúndio de Pisa procurava em Constantinopla manuscritos gregos de Galeno a fim de vertê-los para o latim, com o provável estímulo dos mestres da Escola de Salerno, então em seu apogeu.

A lista que os colaboradores ou discípulos de Gerardo de Cremona

elaboraram depois de sua morte mostra oito obras autênticas de Galeno; deve-se-lhes acrescentar o importante tratado Do Método Terapêutico, que exerceu influência considerável sobre o desenvolvimento do método da medicina ocidental. No que se refere às obras escritas originalmente em árabe, Gerardo de Cremona traduziu o que a Espanha muçulmana produzira de mais original nos séculos X e XI: a Cirurgia, de az-Zahrawi, e o Tratado das Medicinas Simples, de Ibn Wafid. Ao que parece, ele não teve notícia do que se fazia, durante sua vida, na Andaluzia. Os manuais de prática redigidos pelos Ibn Zuhr, médicos em Córdova por várias gerações, permaneceram desconhecidos para ele. Da mesma maneira, não conheceu a reputação de Ibn Rusd (Averróis). No campo da medicina não oriunda da Espanha, a comparação com o quadro feito por Saíd um século antes é esclarecedora. Entre os autores citados pelo cádi de Toledo, Gerardo de Cremona deixa de lado os kairuaneses Ishaq ibn Imran e Ibn al-Gazzar, cujas obras principais já tinham sido traduzidas por Constantino, o Africano; completa o trabalho deste último sobre Ishaq al-Israili. Atribui especial importância ao médico oriental dos séculos IX e X ar-Razi (Rhazès), que Saíd qualificava como “o maior médico dos árabes” e que o Ocidente latino ainda não conhecia; a enciclopédia dedicada ao soberano samânida Al-Mansur ibn Ishaq é traduzida, assim como vários outros tratados.

A principal inovação diz respeito ao Cânon de Avicena, vasta suma

da teoria e da prática, composta de cinco livros. O célebre médico e filósofo, falecido em Hamadhan, em 1037, era desconhecido de Saíd e de Constantino, o Africano. Ao mesmo tempo em que Gerardo de Cremona traduzia o Cânon, Domingo Gonzálvez e seu colaborador se dedicavam ao Tratado da Alma. É difícil precisar em que momento a obra de Avicena chegou a Toledo: deve-se ver uma iniciativa dos tradutores em sua introdução? Ela chegou, efetivamente, com algum atraso à Espanha, onde não parece ser utilizada, principalmente em filosofia, antes da elaboração das versões latinas. Quanto ao Cânon, sabemos que Abul-Ala’Zuhr, falecido em Córdova, em1131, adquiriu um exemplar dele e refutou em parte o que leu: talvez o aspecto sistemático e um tanto dogmático dessa obra não se harmonizasse com a orientação prática da medicina andaluza. Além da introdução capital do Cânon de Avicena, a atividade de Gerardo de Cremona atesta a chegada a Toledo do comentário feito por Ali ibn Ridwan à Arte de Galeno. A obra desse médico do Cairo, falecido no

mesmo ano (1068) da redação do Livro das Categorias das Nações, é a mais recente, vinda do Oriente, que Gerardo de Cremona traduziu, no fim de sua vida. Diferentes pela origem das obras originais e pelos assuntos tratados, as traduções de Gerardo de Cremona foram copiadas, conhecidas e utilizadas até o fim da Idade Média, e, em sua maioria, impressas pelos editores do Renascimento. Entretanto, nem todas tiveram o mesmo destino e a mesma influência. Enquanto o tratado de az-Zahrawi deu um impulso decisivo à cirurgia ocidental, três obras ocuparam um lugar central no ensino universitário da medicina: as enciclopédias que formavam o Almansor de Rhazès e o Cânon de Avicena ofereciam um saber organizado em todos os domínios (anatomia, fisiologia, patologia, terapêutica); o comentário de Ibn Ridwan à Arte de Galeno, que propunha interpretar as vias do conhecimento preconizadas pelo mestre grego à luz dos modos aristotélicos da demonstração, alimenta as discussões escolásticas sobre o método científico próprio da medicina.

O Cânon de Avicena se tornou, ao fim de uma lenta evolução que

levou cerca de um século, a obra básica do ensino universitário medieval, e

ainda era largamente usado no século XVI, apesar da ascensão do antiarabismo. Talvez desorientados pela originalidade do seu plano, os médicos só o assimilaram em seu conjunto na passagem do século XIII para o XIV. Até essa época, ele era mais usado para problemas específicos, por exemplo, sobre o papel da experiência na determinação da ação dos medicamentos.

Ao mesmo tempo que tinha acesso a um número crescente de obras de Galeno, traduzidas do grego e do árabe, o Ocidente latino descobria - graças primeiramente a Miguel Scot e à sua atividade em Toledo, depois a Guilherme de Moerbeke em 1260 - o conjunto dos tratados zoológicos de Aristóteles, que abordava por várias vezes assuntos ligados à medicina. O Cânon de Avicena oferecia soluções a pontos de discordância entre esses dois mestres do pensamento da Idade Média que foram Aristóteles e Galeno. Dava, principalmente, um conselho geral: deve-se seguir o filósofo em matéria de filosofia, o médico em matéria de medicina. A dupla qualidade de Avicena (filósofo e médico) lhe conferia autoridade bastante para que seu conselho fosse seguido pelos leitores ocidentais. Introduzidas nas novas universidades do século XIII, em um momento em que o mundo latino saía definitivamente do seu torpor, as obras árabes traduzidas em Toledo auxiliaram a formação de um pensamento médico ocidental. Elas foram também responsáveis pela arabização do vocabulário especializado. Enquanto o latim antigo não desenvolvera uma língua técnica, o recurso a palavras de origem grega era praxe; Constantino, o Africano, só introduzira um pequeno número de palavras árabes, transliteradas de um alfabeto para outro. Gerardo de Cremona, ao contrário, as multiplicou, às vezes ignorando um equivalente latino, geralmente por preocupação com a precisão e a fidelidade em relação ao original. Essas palavras de origem árabe, deformadas ao longo das transcrições, coexistiram com os helenismos antigos e novos, multiplicando os sinônimos e causando grande confusão, principalmente no campo da anatomia e da farmacopéia. A “barbarização” do vocabulário foi uma das razões que os humanistas do Renascimento alegaram para menosprezar seus predecessores medievais. Na ausência de instrumentos linguísticos suficientemente especializados, os tradutores tiveram que inovar; no fim da Idade Média, o vocabulário médico manifestava suas diferentes escolhas. Nos últimos anos do século XIII, o italiano Simão de Gênova, médico e capelão do papa, tentou organizar esse vocabulário, redigindo uma espécie de dicionário, registrando as palavras sob a forma que elas apresentavam nas traduções, dando seus diferentes sinônimos e explicando seu sentido com a ajuda de citações. Muito utilizados, os Sinônimos de Simão de Gênova tiveram, entretanto, um impacto limitado, pois se referiam essencialmente à farmacopéia. Essa confusão do vocabulário era o preço da introdução de um saber vindo do exterior, num mundo em que os conhecimentos científicos tinham atingido seu nível mais baixo. Preocupados em

transmitir o máximo de informações, os tradutores não se preocuparam com a pureza da língua latina. [Enrolou bem, não é? Tem nada a ver. Você leu? Nem eu!

]

Maria Moreira (#58 de 62) Citando a fonte Fonte: Texto "A Medicina Árabe e o Ocidente" de Danielle Jacquart no livro "Toledo - Séculos XII - XIII Muçulmanos, Cristãos e Judeus: O Saber e a Tolerância" - Ed. Zahar - Rio de Janeiro.

Maria Moreira (#61 de 62) Moderação no Islam Versão editada de artigo do site Troid. “O que é bem conhecido sobre quando pessoas se reúnem para discutir um assunto, é que em qualquer grupo que se torna forte e tem muitos seguidores, você encontrará entre eles o puro e o impuro, o equilibrado e o desequilibrado, o extremista e o moderado.

É um fato bem estabelecido que os extremistas são mais vocais e tem uma aceitação maior, uma vez que os moderados seguem um caminho intermediário. E aqueles que buscam uma abordagem moderada são poucos em número, em toda época e lugar. Quanto ao extremismo, é para o que a maioria das pessoas se inclinam e este tem sido o caminho de várias seitas e religiões. Assim os extremistas tentam monopolizar a atenção das pessoas fazendo seu “dawah” como exclusivo. E eles não encontram nenhum outro modo de ganhar o monopólio sobre as pessoas, exceto pelo extremismo, que eles alcançam degradando e depreciando as pessoas em toda oportunidade; seja através de suas línguas ou de outros meios. E os primeiros a abrir esta porta a porta de liberar suas línguas contra quem se opusesse a eles foram os Carijitas. E este é o caminho pelo qual eles ganharam as massas, através da porta do “takfeer” (declarando que um muçulmano é descrente), de modo que as massas fugissem de outros além deles, assim eles asseguravam para eles o controle das massas. Então esta doença foi transmitida a outros, de tal modo que os elementos extremos de cada grupo começaram injustamente declarando muçulmanos como sendo ou descrentes, inovadores, ou desviados ”

“Aquele que ordena o bem ou proíbe o mal deve fazer isto da maneira prescrita na Charia; com conhecimento, gentileza, paciência e boas intenções, e seguindo uma abordagem moderada. (Ibn Taymeeyah)

[Vocês desculpem. Eu não sei se deveria colocar esses textos

imensos ou não, que nada tem a ver com a discussão, mas não posso deixar

de abrir espaço para a oposição

rsrsrs. Serve para você ver como eles se

justificam

Se interessar saber

]

Maria Moreira (#60 de 62) As Mulheres e o Movimento Islâmico Por Yusuf Qaradawi 1. Divulgação dos Conceitos Linha Dura neste Campo. Francamente, devo dizer, aqui, que o trabalho islâmico tem servido de palco para a divulgação de conceitos linha dura, que, atualmente, governam as relações entre homens e mulheres, adotando as opiniões mais rigorosas, em relação a esta questão. Foi o que presenciei, por mim mesmo, em muitas conferências e simpósios, até na Europa e Estados Unidos. Por muitos anos a fio, compareci às conferências anuais da União dos Estudantes Muçulmanos, nos Estados Unidos e Canadá, em meados dos anos 70. Tanto homens como mulheres, assistiam, juntos, às palestras e debates, ouvindo comentários, questões, perguntas e discussões sobre cada questão islâmica, inclusive acadêmica, social, educacional e política. As únicas sessões restritas exclusivamente às mulheres, foram aquelas determinadas para tratar de questões relativas tão somente a elas. No entanto, participei de algumas conferências nos Estados Unidos e Europa, nos anos 80, e percebi que as mulheres foram mantidas afastadas de boa parte de importantes palestras e debates. Algumas das mulheres também queixaram-se de que elas tinham ficado entediadas com as palestras que focalizam o papel da mulher, direitos, responsabilidades e posição no Islam, e chegaram a encarar a repetição daquelas palestras como uma espécie de punição imposta a elas. Em mais de uma conferência de que participei, condenei isto, dizendo aos participantes que as normas da adoração e do aprendizado religioso eram a participação e que nunca tinha existido no Islam uma mesquita que fosse reservada somente para as mulheres, e que não pudesse ser visitada pelos homens.

As mulheres assistiam às palestras nas quais o Profeta ensinava a religião aos muçulmanos. Elas também participavam (ou, pelo menos, assistiam) da Juma'a, das duas festas e das preces congregacionais, juntamente com os homens. Elas faziam perguntas sobre questões estritamente femininas, sem serem impedidas de aprender a Religião, por causa da timidez, conforme relatado por Aisha. Os livros das sunnas estão repletos de questões que foram dirigidas ao Profeta pelas mulheres, inclusive aquelas feitas pelas mulheres que queriam respostas para questões concernentes apenas a elas próprias e aquelas feitas em nome de todas as mulheres, como a mulher que disse:

"Ó Mensageiro de Allah, eu fui enviada a vós pelas mulheres." As mulheres também pediram ao Profeta para arrumar um dia separado para elas, sem a presença dos homens, a fim de que pudessem ter tempo e privacidade para perguntar o que quisessem, sem ficarem inibidas com a presença dos homens. Este foi um outro privilégio dado às mulheres, além das lições públicas que elas assistiam com os homens. 2. O Problema do Trabalho islâmico na atividade das mulheres O problem do trabalho islâmico feminino é que são os homens, e não as mulheres, que o administram, e eles são cuidadosos na manutenção desse controle, porque, assim, não permitem o surgimento de lideranças femininas. Os homens se impõem no trabalho islâmico feminino, inclusive até em seus encontros, porque assim eles exploram a timidez das muçulmanas retraídas e nunca lhes permitem assumir o comando de seus próprios assuntos. Dessa forma, o talento feminino não tem qualquer chance de ser testado na busca do Movimento Islâmico ou de ser amadurecido pela experiência, luta e ensinamentos da escola da vida, pelos erros e acertos. No entanto, nossas irmãs muçulmanas não estão completamente isentas de culpa, porque renderam-se a este triste estado de coisas, contentando-se com uma vida de facilidade e tranquilidade, que os homens ensinam e escolhem para elas. Há tempos, eles tomaram a iniciativa, escancararam as portas do empenho e trabalho para o Chamado e calaram as vozes femininas que incomodam a doutrina, as leis e os valores desta Nação. Essas vozes estranhas, altas como são, apenas representam uma minoria derrotada e oprimida, que não tem peso nem na religião nem nas questões mundanas. Fui convidado a dar uma palestra para as moças de uma universidade em Algiers, ano passado. Como de costume, depois da

palestra, comecei a aceitar as perguntas escritas ou orais, feitas por elas. Alguns rapazes estavam presentes e um deles encarregou-se de escolher as perguntas, e me passava apenas aquelas que ele achava que deveriam ser respondidas, largando as que achava que não deviam. Protestei contra a sua conduta, dizendo:

"Por que uma das moças não faz isso, em nome de suas colegas?" "Por que os homens têm que "meter o nariz" nas questões femininas? Tire suas mãos de cima delas. Deixe-as fazerem o que gostam, selecionar suas próprias perguntas e escolher o que elas julgam pertinente, e, então, deixe- as ler em voz alta", eu disse. Foi como se eu tivesse tirado um peso do peito daquelas moças e uma delas rapidamente apresentou-se para assumir o papel de um daqueles homens que havia me acompanhado para a reunião que estava acontecendo. [Ainda é melhor do que ler o Alcorão, acredite!]

Maria Moreira (#59 de 62) Sobre a Harmonia das Religiões e a Filosofia Acreditamos que o papel da filosofia não é outro que o de olhar para a criação e ponderar sobre ela de modo a sermos guiados para o Criador em outras palavras, conhecer o significado da existência. Porque o conhecimento da criação leva ao conhecimento do Criador. Quanto mais perfeito se tornar o conhecimento da criação, mais perfeito se tornará o conhecimento do Criador. A Lei nos encoraja e exorta a observar a criação. Portanto, está claro que isto deve ser tomado tanto como injunção religiosa quanto como algo aprovado pela Lei. Mas a Lei nos incita a observar a criação através dos meios da razão e exige o conhecimento através da razão. Isto é evidente em diferentes versículos do Alcorão. “Portanto, os tomem como exemplo, vocês que podem ver” (surata

49: 2)

Esta é uma indicação clara da necessidade do uso da faculdade da razão, ou mais ainda de ambas, razão e religião na interpretação das coisas. De novo o Alcorão diz:

“Eles não contemplam os reinos dos céus e da terra e as coisas que Deus tem criado?” (surata 7:184). Esta é uma exortação clara ao uso da observação da criação. Uma vez que a Lei enfatiza o conhecimento de Deus e de Sua criação pela inferência, é incumbência de todo aquele que deseja conhecer Deus e Sua criação inteira por inferência, aprender os tipos de inferência, suas condições e o que distingue a filosofia da dialética e exortação de

silogismo. Isto é impossível a menos que se possua de antemão o conhecimento dos vários tipos de razão e que se aprenda a distinguir entre

o que é razão e o que não é. Isto não pode ser feito a menos que se conheça

suas diferentes partes, isto é, os diferentes tipos de premissas. Tudo que é requerido de um estudo sobre o raciocínio filosófico já foi perfeitamente examinado pelos Antigos. O que é requerido de nós (muçulmanos) é voltar aos seus livros e ver o que eles dizem. Se tudo que disserem for verdadeiro, devemos aceitar e se houver algo errado, devemos ser alertados em relação a isto. Portanto, após terminarmos esta pesquisa teremos adquirido os instrumentos pelo qual podemos observar o universo

e considerar suas características gerais. Isto é tudo que penso de uma exposição das crenças de nossa religião, o Islam. O que nos resta é olhar para as coisas da religião dentro da interpretação que é permitida, porque a quantidade de desvio que pode ser causada pela interpretação deve ficar clara. Devemos alcançar nossos propósitos sabendo o que deve ser interpretado e o que não deve; e quando

interpretado, como isto deve ser feito; e se todas as partes complicadas da Lei e da “Sunnah” são para ser explicadas ou não. Este texto é uma versão editada da introdução do trabalho de Averroes conhecido em inglês como 'On the Harmony of Religions and Philosophy'. O trabalho completo está disponível on-line no site Medieval Sourcebook. Todo o material do Medieval Sourcebook pode ser distribuído livremente. Nota: Averroes é o nome com a qual é conhecido no Ocidente o filósofo muçulmano Ibn Rushud, que viveu de 1126 a 1198 da Era Comum. [Acho que isso é o desespero de ficar sem assunto] Alfredo (#62 de 62) Textos esparsos encontrados na revista Veja no. 1659 sob o título “A última do Taliban.”

# O regime da repressão total em nome de Deus, no Afeganistão,

chega ao cúmulo de raspar a cabeça de jogadores pelo pecado de jogar futebol de calção. No mundo absurdo do fanatismo afegão, os homens só podem vestir-se segundo o figurino estabelecido pelos religiosos:

Camisolão com calças folgadas por baixo. É ruim? Pior é para as mulheres, que vivem cobertas da cabeça ao dedão do pé por um manto disforme, o burqa, que não deixa à mostra nem mesmo os olhos. Veja anexo.

# um país cujo objetivo é viver segundo uma interpretação tão

estrita da lei ISLÂMICA, que horroriza até mesmo ao aiatolás do vizinho

Em

nome da fiel observância da sharia, a lei ISLÂMICA, tenta-se

eliminar os sinais da vida moderna.

# Música, cinema, televisão, revistas, jogos de cartas são proibidos

como futilidades que afastam o fiel, do caminho de Alá.

# Imagens de homens ou animais, são igualmente proibidas.

Fotografia, nem pensar: não é permitido fotografar nem guardar fotos de

outras pessoas, mesmo de parentes próximos.

# Não puderam lutar boxe, porque estão proibidos de fazer a barba. Homem de cara raspada, pode pegar até 10 dias de prisão. Tempo suficiente para sair da cadeia suficientemente barbado.

# [Mulheres] Só as mão ficam à mostra, mas unhas pintadas,

dependendo do humor da polícia da moralidade, podem custar as próprias

unhas.

# Só saem à rua com autorização do marido ou do pai. Foram proibidas de estudar e exercer qualquer profissão, exceto as de médica e enfermeira. O resultado é que a maioria das mulheres vive hoje sob regime da mendicância.

# Uma mulher surpreendida levantando o véu (elas fazem isso por

razões praticas, como contar dinheiro, pois a visão é prejudicada pelo

burqa) é açoitada. A surra deixa-a de cama por semanas e pode até causar

a

morte.

#

O preço a pagar é alto. Em nome de ALÁ, os Talibans fazem o

que querem, sem se preocupar com leis, advogados ou juízes. Como toda diversão é proibida, o lazer é assistir a execuções públicas

# A principal utilidade dos estádios no Afeganistão é serem

execução de sentenças. É neles que o Taliban, a milícia ISLÂMICA que impôs um regime medieval ao pais, chicoteia as mulheres que fala com homens estranhos, corta a mão dos ladrões e apedrejam até a morte o casal

de adúlteros. O casal é amarrado numa cama, o juiz joga a primeira pedra e

o povo depois continua. O espetáculo costuma prolongar-se por duas horas de sofrimentos atrozes e não faltam espectadores nem pedras.

# O Taliban socorre-se no narcotráfico. Relatório da ONU, mostra

que a fabricação de ópio nom país já supera a soma de todo o restante da produção mundial.

Nota: As frases acima foram fielmente copiladas da revista Veja nº.

1659.

E VOCÊ? ESTÁ COM VONTADE DE ABRAÇAR O ISLAMISMO E DIFUNDI-LO AQUI NO NOSSO PAÍS?

E

VOCÊ?

ESTÁ

COM

VONTADE

DE

ABRAÇAR

O

ISLAMISMO E DIFUNDI-LO AQUI NO NOSSO PAÍS? PARABÉNS!!!

VOCÊ É MUITO INTELIGENTE!!!!!!!!!!

Mossad (#63 de 71) Graças a Deus. Ex-líder muçulmano descobre estratégia para falar de Jesus Uma conversa informal sobre sonhos. Esta tem sido a estratégia de um ex-líder muçulmano para pregar o Evangelho no mundo Islâmico. Segundo a agência internacional de notícias missionárias FridayFax, o pregador, que por razões de segurança não pode ter seu nome revelado, veio a crêr em Jesus a pouco tempo, quando em sonhos lhe aparecia um homem branco falando-lhe para ler a Bíblia dos cristãos. Vencido pela insistência, ele a leu e converteu-se ao Cristianismo. Agora, em conversas com outros muçulmanos, ele pergunta se o colega já viu um "homem branco" enquanto sonhava. Se a resposta for "não", ele muda de assunto. Mas quando é positiva, ele continua perguntando se a pessoa não estaria interessada em saber o que este homem lhe revelou e lhe tem ensinado. Como todos querem saber porque certas pessoas aparecem nos

sonhos, o ex-muçulmano tem aí a oportunidade de dizer que este homem é Jesus, e mostrar na Bíblia Sua vontade para os humanos. De acordo com a notícia, em um curto espaço de tempo 3 mil pessoas deixaram o Islamismo por conta do "homem branco" de seus sonhos

Maria Moreira (#65 de 71) Mossad Por que será que as pessoas se valem de pseudônimos, hein? Será que lhes falta coragem para dizer o que pensam, de 'cara limpa'? Será que é um novo participante no fórum, ou apenas o Yeshua que resolveu trocar de pseudônimo? Mistérios De certo apenas é que se trata de um evangélico, já que esta cartinha com o sonho é distribuída em muitas listas de discussão evangélicas.

Quanta falta de imaginação Maria.

E ainda tem gente que gosta

Maria Moreira (#64 de 71) Olá Alfredo. Eu não estou com vontade de abraçar o Islam, EU JÁ O ABRACEI HÁ 10 ANOS ATRÁS. E obrigada por reconhecer minha inteligência. Realmente nem todos são capazes de se livrar da lavagem cerebral que são submetidos pela mídia e outros interesses políticos. É preciso muita inteligência e pensamento independente para chegar a este ponto. Mas não fique triste, um dia você chega lá. Felicidades, Maria.

Yeshua (#66 de 71) Click em meu nome e me mande um e-mail, eu não me escondo.

A propósito mulher, toda islâmica é assim tão paranoica ? Vocês além de tudo praticam adivinhação ? Ou você é adepta de psicologia de cafês ? Coloco uma mensagem e você começa: você fez isso ? você viu isso ? você tem ódio no coração ? Você é isso ou aquilo não é ?

[sempre puxando para o lado pessoal

]

Pra você tudo que é a favor do islamismo é culto, racional, soberbo, inteligível. Tudo que contraria é ignorante, blasfemo, fanático, deturpado, manipulado e coisas do gênero. Belos argumentos esses seus, não escapam nem mesmo a Veja e outras revistas. Não se preocupe, você é uma supermulher que está além de qualquer mentalidade ignorante não-islámica. Indiquei Isaías 53 pois é a mais clara definição de quem é o Servo do Senhor (Isaías 42 é a primeira citação). Ai você vem com suas advinhações: Você não leu meu site, você é isso, você trocou de apelido, etc. Por favor pare de tentar advinhar.

Maria Moreira (#67 de 71) Yeshua. O termo 'mulher' no contexto em que foi usado, reserve para as pessoas do seu círculo familiar ou de amizades, não para mim. E eu não estou 'adivinhando' nada. É conclusão lógica a partir da leitura de suas respostas. Quanto a ser paranóica, não fui eu que vim participar em um fórum de outra religião para denegri-la e a seus seguidores. Eu estou onde deveria estar. O intruso, ofensor e provocador aqui é

você.

Maria.

Ali (#68 de 71) O islam é muito diferente do que se ve no afeganistão. Quem governa o afeganistão são os talibã que foram aliados ao EUA na guerra contra a União Soviética e até agora são aliados e obedecem o que eles mandam. O governo talibã governa de uma forma mais radical do que está escrito no alcorão então o islamismo não é o que vocês vêem na globo ou o que vocês lêem a respeito. [Pra mim, eles seguem o Alcorão ao pé da letra. São os autênticos muçulmanos]

Alfredo (#69 de 71) CONTRA FATOS NÃO HÁ ARGUMENTOS. Às minhas irmãs de carne e osso. Queridas, eu sou o Alfredo. Livre como um passarinho. Minha consciência é leve como uma pluma, sem ódios, sem traumas, sem preconceitos, sem correntes, sem fanatismos, sem lavagens cerebrais, sem dever nada a ninguém, simpático, sorridente e feliz com os meus princípios humanos, com meu espírito protetor (Acredito no meu espírito

[isso em 2001. Hoje acredito no meu cérebro]) Sou simples, claro e objetivo. Acima de tudo franco, sincero e honesto com os outros e comigo mesmo, e cheio de amor no coração. Cada um tem o seu modo de vida, e eu nada tenho com isso. Nem sei porque vim ter aqui. Acho, no fundo, que dou uma grande contribuição a humanidade, condenando, para o meu país e o povo do meu país, as doutrinas fanáticas e políticas do Islamismo, que por minha conclusão, observados nos meus quase 60 anos de vivência, serem totalmente prejudiciais. Já disse as razões: Pregam e praticam a violência em nome de Alá, induzem ao fanatismo religioso e pretendem tomar conta do mundo, com o velho jargão de Maomé. “A conversão ou a morte”. Desculpem minhas amigas, pois lhes tenho todo o respeito e admiração como seres humanos de boas intenções, não poder concordar com os seus argumentos, pois tenho os fatos nas minhas mãos. Se eu lhes passo as minhas teorias, dizem que não tenho conhecimento para falar. Se lhes mostro os argumentos da mídia, dizem que é suspeita. Se busco informações nas enciclopédias, elas são equivocadas. Será que não são vocês, por acaso, que estão iludidas na boa fé? Vocês não estarão mal informadas? Porque o que eu vejo é tão evidente, tão chocante, tão contundente, que não pode alguém apenas por argumentos divergentes querer mudar. Numa simples comparação, nem a filosofia da Bíblia, induz ninguém a cortar cabeças dos descrentes, em nome de Deus! “EU INSTILAREI TERROR NOS CORAÇÕES DOS INFIÉIS, GOLPEAI-OS ACIMA DOS SEUS PESCOÇOS E ARRANCAI TODAS AS PONTAS DOS SEUS DEDOS. NÃO FOSTES VÓS QUEM OS MATASTES; FOI DEUS" (Sura 8:13-17). "IMPRIMI TERROR [NOS CORAÇÕES DOS INIMIGOS DE DEUS E VOSSOS INIMIGOS" (Sura

8:60)."

Isso não é pregar violência, minhas amigas? No próprio Corão?! Se

não é indução ao fanatismo e a violência, o quê é então?!

Um convite a

paz??? Um clamor ao amor entre os povos? Desculpem minhas amigas. As melhores intenções devem fluir das vossas cabeças, mas não posso garantir

aqueles perigosos, que tentam se expandir no mundo, cortando as cabeças daqueles que não aceitarem a conversão ao Islamismo. Eu serei um que terei a minha cabeça cortada e os meus dedos decepados em nome de Alá.

E eu que tenho ódio?! muçulmanos são perseguidos!

Achei engraçado quando você diz que os Que contradição! Vocês é que se alastram

no mundo, vocês é que conquistam, vocês é que já são 1.800 bilhões, vocês é que matam, degolam, enforcam e decepam, vocês é que invadem e praticam guerras santas, vocês é que praticam revoluções, vocês é que perseguem os judeus, você que já estão chegando na Argentina, e nós é

Que isso, Maria? Que isso Nácima? Eu, se estou

argumentando e mostrando o lado ruim das suas crenças, estou odiando.

Vocês, pelo fato de estarem argumentando contra os meus argumentos,

também estão me odiando, então? Palavras tolas, palavras ao vento como toda a defesa e as tentativas de justificar as atitudes extremistas dos seus irmãos. Palavras vãs, que se desmancham frente aos fatos, descritos, narrados, filmados, testemunhados e fotografados. Discordo do Yeshua em apenas uma coisa: Ele ainda tem a esperança de existir um ser maior que criou num passe de mágica, todo o universo, só que ele mesmo, saiu do

que vai protege-lo e leva-lo a um

paraíso imaginário depois da morte, mesmo que ele se arrebente de sofrer aqui na terra. Ele ainda crê que existe um Deus supremo e bondoso, onisuficiente, onimaginário, onihipotético, oninvisível, oninaudível, onintocável, que seja onium na China, que seja onioutro na índia, onimaisoutro diferente na África e onioutros por aí, que deixa o seu filho ser humilhado pelos judeus na Judéia e manda cortar as cabeças deles no

nada, (do verbo: Faça-se eu! - Qual

que os perseguimos?!

)

Afeganistão, um ser justo com os homens e injusto com o seu próprio

Se vocês fossem pra

filho. E eu. Eu já passei dessa fase. Agora, mulheres

lá, por hipótese, viver junto dos seu irmãos afeganistenses, ou participar do

Talvez quando voltassem,

Isso eu

queria ver!

se é que voltariam já não seriam as mesmas, com certeza

regime do Taliban, eu bem que gostaria de ver

Ah!

Isso eu pagaria para ver!

Alfredo (#70 de 71) Ali - Bem, eu pensei que estávamos discutindo sobre o Islamismo. Para mim, Islamismo é Islamismo em qualquer parte do mundo, assim como catolicismo, judaísmo e ateísmo. Quem é ateu aqui, é ateu na Sibéria. Se você quiser me dar mais detalhes, é só dizer de onde é o seu Islamismo, se não é de Alá nem de Maomé, nem é o mesmo Corão, então me diga o que é e de onde você é, para eu explorar melhor o Islamismo da sua região. Vocês são palestinos, são árabes, são iranianos, ou da terra do

Sadam Hussein?!

ativistas, ignorantes e covardes com as mulheres. Estupradores, covardes da pior espécie. Degradam a mulher e espécie da raça humana. E eu não

consigo entender como uma mulher tem coragem de defender o

Islamismo! Só sendo fanática de carteirinha e de família. Diga-me o

contrário!

Pra mim são todos fanáticos, violentos, terroristas,

Prove-me o contrário!

Maria Moreira - 05:39am, 14 de Março de 2001 (#71 de 78) Alfredo.

Não adianta 'provar' nada para quem não quer ver. Eu coloquei uma tonelada de artigos e informações tiradas de livros históricos, fontes da UNESCO e também de fontes religiosas, sobre os ensinamentos islâmicos que contradizem suas informações. Mas parece que você nem as lê simplesmente porque não 'batem' com o que você acredita. Se o Islam é tudo isto que você fala, tinha que ter sido o mesmo ao longo dos seus 14 séculos de história, e eu já provei aqui que não foi assim.

É nesta hora que eu falo que você é tão parcial e tendencioso quanto qualquer 'fanático de carteirinha'. Porque fanáticos existem em qualquer ramo. Tem o fanático por futebol, por cerveja, por religião, etc. Só você vir aqui, nos ofender tão fortemente, já mostra o seu fanatismo. E dizer que perseguimos os judeus é o auge da desinformação também. Perseguimos tanto que na época da Reconquista Cristã na Península Ibérica, quando judeus e muçulmanos foram expulsos de lá, os judeus fugiram para países de maioria muçulmana, e lá estão até hoje. A saber:

Marrocos e Iêmem. Tem um livro histórico, escrito por um judeu, chamado 'Os Judeus

do Islã', que fala sobre isto. Mas você prefere a Veja

A enciclopédia que você usou, e nem mencionou qual foi, de tão

desatualizada dizia que o número de muçulmanos no mundo era de menos de 600 milhões, quando já triplicou há algum tempo. São estas as suas fontes.

Quanto aos versículos corânicos que você citou, eles existem, mas

eu postei um artigo dando a condição para o uso da força. Você leu? Estou

duvidando

Porque se tivesse lido não estaria batendo nesta tecla indefinidamente. Ou então é fanático mesmo, e vai continuar se negando a ver.

Já notei que você mencionou pelo menos duas vezes o fato de ter 60

anos, como se idade fôsse sinal de sabedoria. Nem sempre Alfredo.

vezes, a idade nos impede de rever posturas que nos

acostumamos a nutrir por muito tempo.

É disto que eu falo.

(agora o Yeshua vai dizer que estou praticando adivinhação).

Às

Felicidades,

Maria.

Alfredo (#72 de 78) MILAGRE!

Um terremoto arrasou o noroeste da Turquia em agosto de 99. Deixou desabrigados 200 mil turcos. 40 mil foram parar no hospital, 30 mil ficaram desaparecidos e foram contados 18 mil mortos. Você conhece muitos casos como esse em outras partes do mundo. A Turquia é um país de religião Islâmica, que acredita em Deus e Maomé como seu representante e profeta. Curiosamente, Maomé nada profetizou sobre isso

nem Alá protegeu os seus fiéis de tamanha catástrofe. Por que ? Eu sei explicar, mas você vai ficar contrariado com a minha explicação, então deixa pra lá. Entretanto houve um menino chamado Ismael de 3 anos que depois de 6 dias foi encontrado escorado entre duas lajes e sobreviveu. Sabe o que aconteceu? Agradeceram muito a Alá e acreditam que foi um

(Milagre, alguma coisa extraordinária maravilhosa. Intervenção

milagre

sobrenatural que vindo de ser espiritual, é feita a alguém). Não acham isso

O mesmo ser, destrói 200 mil e

um tanto estranho, como eu, ou não?!

salva um. Olhem bem para aquilo que vocês consideram milagre. Uma pessoa

desenganada pelos médicos, implora a vida a um determinado santo. Vai

que ela fique boa. Milagre!

não quis e ninguém fala mais no assunto. Então se vão colecionando só os

“milagres”, mas esquecem os que não coincidiram com a súplica. O recém nascido morre. Todo mundo deve conhecer uma historiazinha como essa de bem perto. Apesar das orações, não teve jeito. Era uma boa hora para

fazer um milagrezinho, o corpinho estava ali, perfeito, um probleminha de

respiração, uma prematuridade

Por que morreu? Por que não houve o milagre? E o espírito como é que é?

Reencarnou, depois desencarnou

Digam-me se alguma coisa é diferente disso. Que Jesus caminhou pelas águas e transformou água em vinho e multiplicou os pães, etc. mil vezes,

quem vai acreditar nisso, vindo de um bando de fanáticos analfabetos de

2000 anos atrás?!

Conhecem o ditado: Quem conta um conto, aumenta

um ponto? Já imaginaram um conto passando de boca em boca no meio de

um povo ignorante e fanático, que há bem pouco tempo acreditava que

Tente você com fé, pegar numa cobra

Está escrito no mesmo livro que citou os

milagres anteriores. Por quê você não acredita? Garanto que se você

touros de metal eram deuses?! venenosa ou tomar veneno!

Vai que ela morra

Então foi porque Deus

porém nada aconteceu. Por quê nasceu?

O cara deve ter ficado frustrado!

continuar vivo, terá um milagre de fato para me contar. Outro milagreiro é o engenheiro Rubens Faria, que incorpora o Doutor Fritz. 1300 pacientes por dia no galpão da Penha, 50 000 cirurgias

a

R$15,00, no total. Atendia gente famosa, como a Maria Rita (R. Carlos-

e

não resolveu nada) e o ex-presidente João Figueiredo. Depois da casa

caída, quando denunciado pela mulher, ex-cunhado e um ex-segurança, viu-se melhor o seu perfil: Apartamento na Barra da Tijuca, apartamento em Miami, etc., com 2 milhões de patrimônio, foi indiciado por homicídio, ocultação de cadáver, charlatanismo e sonegação fiscal. Diz o ditado popular, que o Diabo ajuda a fazer, mas não ajuda a esconder e nem o Dr. Fritz não o ajudou a escapar dessa. Pra mim é mais um caso de alguém querendo ficar rico iludindo a boa fé dos outros. Tudo em nome de Deus. Esse cara é um filho de Deus ou um filho do Diabo? Como explica que tanta gente foi lá em nome de Deus e falando de Jesus? Olhem a cara do bicho fazendo uma “cirurgia”, no anexo. [omitido aqui]

Alfredo (#72 de 78) RESPOSTA AOS DOIS CAMINHOS <<< Os dois caminhos : Um estreito, que sobe a montanha e outro largo, que desce até à planície; o primeiro, com dificuldades, pedras soltas, espinhos e buracos que dificultam caminhar por ele. Porém, há um anúncio, posto pelas autoridades, onde se lê: "Este caminho, apesar da sua dificuldade, no princípio, é o caminho reto, o que leva à grande cidade e à meta pretendida." O segundo caminho está asfaltado, sombreado por árvores, com flores e frutos, e dos lados há cafés e atrações, que agradam o coração, alegram a vista e dão prazer ao ouvido. Porém, há um aviso que diz: "Este é um caminho perigoso e fatal, seu final é um abismo, que conduz à morte e à fatalidade certa." Por qual dos dois lados você se conduzirá? >>> Se eu encontrar uma bifurcação como você mencionou, e os respectivos avisos, vou ter que parar para pensar: 1o. Se eu consigo ver o final do caminho mencionado como ruim. Se há realmente a possibilidade dele terminar num precipício, analisando as altitudes minhas e do meu destino. 2o. É preciso verificar a idoneidade dessa “autoridade” que escreveu tal aviso, pois poderia tratar-se de uma brincadeira de vândalos de mau gosto. Se for uma placa decente, assinada pela prefeitura ou com o nome de alguém com credibilidade, eu a levarei em conta. Se ela der a impressão de ser uma brincadeira ou uma irresponsabilidade de quem escreveu, eu não levarei em conta. Somente em último caso eu trilharei o caminho mais difícil, por uma questão de bom senso. Ainda assim, considerarei o que estava escrito e redobrarei os cuidados no caminho. Se eu errar, errei e não me custará voltar atrás. Aplicando a teoria na prática:

1o. Eu posso ver o fim do caminho, pois conheço muitos que já o trilharam. Caminhos sempre são antigos e já trilhados. Sei portanto se é ruim ou não. Exs. Não cheirarei cocaína. Porque sei perfeitamente o final

qual é. Não trairei os meus amigos, não farei maldades, não cortarei cabeças em nome de Deus (porque Deus depois, não vai ficar na cadeia por mim). Então nesses casos eu já conheço o final da trilha e ignorarei as

2o. Quem escreveu tal aviso? a) Um

amigo sincero? Uma pessoa lúcida, vencedora, conhecida por sua experiência? b) Um fanático, derrotado, mal sucedido na vida? Um pobre miserável analfabeto, que percebe-se que não tem presente nem futuro? c) Alguém que acredita em fantasmas, diabos, santos, milagres, castigos do além, paraísos imaginários, demonstrando assim ser supersticioso e desequilibrado mental? No caso “a” eu considerarei as placas e entrarei pelo caminho mais difícil. Nos casos “b’ e “c” eu ignorarei os avisos e caminharei pelo mais confortável, supondo que eu não conheça o fim do caminho. Tudo uma questão de análise e raciocínio e comparação. Se uma pessoa que abraça a religião islâmica, [que está sob a mesma orientação daqueles outros terroristas, fanáticos, sanguinários, que vivem trucidando, matando e sofrendo revezes, além de ignorantes, cheios de ódio e ópio, mal sucedidos, criminosos com ao seus semelhantes e com suas próprias mulheres e filhas, que se privam de todas as vantagens da sociedade], me indica qualquer caminho que seja, o largo ou o estreito, pode estar certo de que eu correrei para o lado oposto. Se for um cristão bem intencionado, [que se priva da vida terrena, acreditando na vida eterna depois da morte, o qual eu conheço os antecedentes, de matanças religiosas, como a inquisição, quando eu percebo que usam o pobre Jesus para ficarem ricos, quando eu os vejo se imiscuindo entre os índios para lhes roubarem as riquezas e terras, quando eu lhes percebo incentivando a miséria no mundo condenando a anticoncepção para tirarem vantagens futuras], eu penso duas vezes antes de seguir o seu conselho e prefiro arriscar no meu palpite, supondo que eu não conheça o caminho. Se for um espírita, [daqueles que desrespeitam a lei, batendo bongô até tarde, se forem daqueles que sujam as praias quebrando garrafas nas pedras, sujam as cachoeiras a ponto de inutiliza-las para o lazer e as ruas com velas e galinhas podres, se forem daqueles que acreditam que você foi reencarnado por outra pessoa, que todas as almas reencarnam a seguir em outras pessoas, e umas têm o privilégio de almas 0 km e outras almas já usadas, que acreditam em Diabos e Lúcifers que lidam com eles, pedem- lhes ajuda e orientação, recebem-nos nas suas casas e corpos, ou que acreditam nas baboseiras que Allan Kardeck escreveu nos seus livros], então eu vou pegar o caminho oposto.

placas que dizem: -- Siga por aqui!

Para quem não sabe, trilhei bem até aqui e estou satisfeito com as opções que escolhi, apesar de que fui obrigado a voltar muitas vezes, até encontrar o caminho correto.

Maria Moreira (#73 de 78) Alfredo.

Que bom que você está feliz com o seu caminho. Espero que você continue assim. Eu também estou feliz com o meu. Será que é tão difícil para você aceitar isto? Ou sua intolerância não permite? Você escreveu em uma mensagem anterior que tem uma alma leve,

mas tudo o que eu leio em suas postagens é

um 'baita' ódio de tudo e de todos. Você disse antes que sua participação aqui no fórum era para 'prestar um serviço' ao seu povo, 'livrando-o' do Islam. Alfredo, todo intolerante tenta apresentar uma 'causa nobre' para justificar sua intolerância. É assim com os muçulmanos fanáticos, que acreditam estar fazendo um 'favor' à humanidade, livrando-a da descrença e da idolatria 'na marra'; com o pai que espanca o filho e depois diz 'foi pro teu bem', e com você, tão bem intencionado, 'protegendo' o seu povo. É tudo o mesmo tipo de comportamento. O que muda nesta estória,

é o 'alvo' para o qual este tipo de pessoa dirige o seu ódio e a sua intolerância. Maria.

que não tem ódio no coração

Yeshua (#74 de 78) Informação:

De 1.000 D.C. a 1.800 D.C. ocorreram 21 grandes abalos sísmicos. De 1.800 D.C a 1.900 D.C ocorreram 18 grandes terremotos. De 1.900 a 1.950 ocorreram 21 grandes terremotos. Na última década do século ocorreram 91 grandes terremotos. Acerca do fim dos tempos Jesus mencionou:

Mateus 24:6-7 6 E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. 7 Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Estamos no princípio das dores Alfredo.

Ali (#76 de 78) Você tem um pouco de razão Alfredo,mas excepcionalmente o afeganistão com 17.691.000 de hab.pratica o Islamismo de forma mais rígida por causa de seu governo que é injusto com a população mas o Islam não é bem assim, olhe por exemplo o islamismo na Árabia Saudita que é um país governado por leis islâmicas. Alguém já deve ter te ensinado a se informar de fontes confiáveis e que você saiba de onde provem as informações. Você não deve falar de uma coisa que não sabe o que é, e nem sabe se é verdade isso faz parte da moralidade se é que você tem isso. Primeiramente procure se informar de fontes confiáveis, dignas e honestas, por exemplo um muçulmano irá te informar o verdadeiro Islam. E quanto ao "fanáticos, violentos, terroristas, ativistas, ignorantese covardes com as mulheres. Estupradores, covardes da pior espécie. Degradam a mulher e espécie da raça humana" isso é fruto da sua ignorância, idiotisse, e imoralidade.

Ahmad (#77 de 78) Uma pessoa para argumentar algo deve ter um embassamento teorico razoavel, agora se ele se contenda com as poucas imagens que ver na tv, ou poucos artigos de internet ou revistas, seus argumentos sempre sera os mesmos e estarao presos como na caverna do Filosofo Socrates. Portando irmaos argumentos para quem diz nao ter odio no coracao ja foram colocados e melhor que nos discutamos sobre a nossa religiao e deixem estes senhores discutirem com eles mesmos

Maria Moreira (#78 de 78) Salaam Ahmad. Você está com toda a razão. Já existem argumentos, fontes e dicas suficientes para quem não é intolerante ou preconceituoso se informar. Vamos parar de perder tempo e discutir nossa religião. Afinal, este espaço aqui é nosso. Salaam,

Maria Moreira (#81 de 82) Alfredo. Agora eu tive a certeza absoluta de que você não leu minhas mensagens, porque nesta última você disse:

'deveria ser a primeira a contestar esse absurdo com que discriminam a mulher lá no seu país de origem'

'por estar aqui no Brasil você já esqueceu da opressão que sofrem as suas colegas de sexo lá na sua terra?' Alfredo, o meu país de origem É O BRASIL!!!!! Sou carioca, filha de pai e mãe cariocas, neta de uma baiana, de um mineiro, de um gaúcho e de outra carioca. Sou ex-atéia e muçulmana CONVERTIDA! Se você tivesse lido o que escrevi até agora, saberia. Eu estou morando no Egito há apenas 3 anos, mas me converti há 10 anos, aí mesmo, no Brasil. Vivi aí por mais de 7 anos como muçulmana. Quanto a Israel, nem existia há 52 anos atrás e passou a existir usurpando a terra do povo que agora você chama de 'invasor'. Você é realmente muito bem informado e nada tendencioso

O fórum é para dizer o que se pensa do Islam, mas com certeza não

é espaço para pessoas ofenderem os aderentes de qualquer religião, muito

menos os aderentes da religião em discussão. Outros não-muçulmanos participaram e tirando você e o Yeshua, ninguém se valeu de ofensas. É uma norma de boa educação, que parece que nem todas as viagens que você fez e o bom convívio que teve foram suficientes para lapidar. E para sua informação, eu estou lutando sim pelo direito das mulheres muçulmanas, que ignoram em muito o que o Islam as concedeu e se deixam dominar pelo machismo de seus maridos. Para isto fiz um site que enfatiza principalmente a condição da mulher no Islam e onde critico, claramente, tudo que tem de errado nos costumes de alguns países e que, de uma forma ou de outra, foram introduzidos na religião. Não tenho compromisso com povo algum e não tenho que encobrir seus erros. Só é muita falta de informação misturar comportamento humano, cultura e costume local com ensinamento religioso. Os povos que você citou não são 'representantes do Islam', embora muitas vezes gostem de posar como tal. Eu sou brasileira e sou tão (ou mais) muçulmana do que muitas pessoas que pertencem a estes povos. Não confunda religião com nacionalidade. Aliás, este erro é bem comum, mas sendo tão 'bem informado', você não deveria cometê-lo. As suas opiniões são cheias de preconceitos que reviram o estômago de qualquer pessoa consciente, e é por isto que me indigno.

O Islam está crescendo nos EUA, na Europa e em todo o Ocidente.

Quem está se convertendo são pessoas cultas, de mente aberta que não se fecharam em uma 'rede de contra-informações' como você se fechou.

Para corrigir, mais uma vez, suas afirmações erradas e distorcidas, em nenhum momento eu disse que não é para não se seguir o Alcorão. O que eu disse é que existe uma condição para o uso da força ESTIPULADA NO PRÓPRIO ALCORÃO, que eu apresentei em um artigo que postei aqui.

Ou seja, todos os versículos corânicos falando de matar descrentes, etc., estão condicionados por este outro versículo corânico. Não deturpe as minhas palavras. Mas eu tenho que admitir que você (sem querer, claro) realmente ajudou bastante o meu trabalho de divulgação e esclarecimento do Islam. O contador de visitantes do meu site 'deu um pulo' nos últimos dias, mais especificamente depois que passei a participar aqui neste fórum. Obrigada pela 'força'. E se você algum dia resolver abrir a sua mente para novas propostas, faça uma visita ao meu site. Você verá que passou 60 anos mal- informado. O endereço é:

Alfredo (#82 de 82) Parabéns por tudo Maria. Boa sorte na sua vida e nas suas conquistas. Um abraço a todos. Estou de saída.

DO FÓRUM FALANDO FRANCAMENTE 2002 Esse fórum pertenceu ao Site http:talk/to.Alfredo - Forumnow (extinto) - Presente de uma amiga N. Marion. de nick F.Klein.

Alfredo Cuidado com eles!

Os investigadores da CIA, norte americana, receberam muitas informações a respeito de possíveis novos atentados em Nova York, e não levaram exatamente a sério. De repente, veio a surpresa. Até o Pentágono

foi bombardeado. Faltou o quê? Prevenção

Eu vou também dar mais um aviso. Mais um alerta, para ninguém

dizer que não sabia. Cuidado com eles!

dessa vez, mas da base de operações deles. O islamismo de Maomé.

Não estou falando de terroristas

O devido cuidado.

"Gradualmente, o número de crentes em Alá foi aumentando e, apoiado nessa força, Maomé começou a pregar a Guerra Santa, ou seja, a expansão do islamismo, através da força, a todos os povos "infiéis". - Trecho do livro História Antiga e Medieval de Milton Barbosa Filho. Infiéis somos nós. Eu e você

Essa é a base do islamismo. Essa é a base do terrorismo. Essa é a base da conquista pela força. Essa é a base do raciocínio muçulmano, conforme reza o Alcorão:

29 - Combatei aqueles que não crêem em Deus e no Dia do Juízo

Final, nem abstêm do que Deus e Seu Mensageiro proibiram, e nem professam a verdadeira religião daqueles que receberam o Livro, até que,

submissos, paguem o Jizya.

41 - Quer estejais leve ou fortemente (armados), marchai (para o

combate) e sacrificai vossos bens e pessoas pela causa de Deus! Isso será

preferível para vós, se quereis saber. 111 - Deus cobrará dos fiéis o sacrifício de seus bens e pessoas, em troca do Paraíso. Combaterão pela causa de Deus, matarão e serão mortos.

Então eu estou dizendo. Advertindo: Assim foi que conquistaram grande parte da Europa e Norte da África. Assim foi que eles já atingiram

1,3 bilhões de fanáticos. Eles já estão aqui dentro do Brasil. Estão fazendo a cabeça dos incultos e analfabetos brasileiros (campo fértil). Eles estão na Internet. Os sites deles são concorridos, com o mesmo fanatismo da guerra. Dos loucos obsecados pelo cumprimento das regras do fanatismo. Vá até o site do Forumnow e veja como o site deles é concorrido. É o

Vocês serão feitos

escravos ou pagarão o Jizya para não serem mortos, roubados e

torturados!

espaço. Estou falando sério!

espalhe no nosso meio pacífico. No Brasil tem muita gente boba. Povo acostumado na boa fé. Povo fácil de ser enganado. Eles estão chegando. Confiram vocês mesmos, para não dizer que eu estou inventando moda. Combatam a religião que prega pela força, pela Guerra que chamam de Santa, antes que as nossas torres da paz e da liberdade, sejam também derrubadas. Não brinquem com isso!

Vamos combater essa praga antes que ela se

Parem por um momento e pensem. Não estou divagando no

esforço da conquista. A Guerra Santa de Maomé!

Java

Mas a questão é que todas as seitas que existem disputam o mesmo nicho social, os incultos, analfabeto, e gente boba em geral. E como essas seitas se multiplicam como pulgas algo me diz que não vai haver estúpidos pra todas elas. A nossa maior segurança está na bagunça dogmática que só tende a aumentar. Portanto acho que não há perigo do islamismo se propagar aqui no Brasil, pelo contrário, é até bom que eles cresçam um pouco, pra quebrar a hegemonia desses evangélicos (que estão deitanto e rolando).

Eternalman

Calma Alfredo. Não se perturbe.

A crença religiosa é livre.

Isto não é uma fraqueza, eles podem até pensar o contrário. Eles podem até prensar que é fraqueza, pois logo reparam que podem construir uma mesquita. Na terra deles eles sabem que se outra religião for construir um templo, eles não deixam. Pensam que são superiores, mas são cegos. Pensam que a liberdade é uma fraqueza. Mas esquecem que quem ama a liberdade luta por ela. Este é o nosso ponto forte.

E o povo brasileiro jamais vai se converter ao retrocesso, ao obscurantismo religioso. Pode parecer que tudo estaá difícil, mas o Brasil aos poucos esta encontrando o seu caminho. E certamente, passa pela tolerância religiosa, e o islã jamais conseguirá a maioria. Não se preocupe, a diversidade religiosa no Brasil é grande.

E brincando lembro uma piada do Jo Soares, que num programa

contou que no Brasil até a máfia não deu certo. Lembra do caso do Tomazo Buscheta (a avacalhação começou já no nome, que na Italia pode ter outro significado). Não se preocupe aqui não é terra de Califas, Mulas, aitolas e congêneres. Aqui existem muitas leis que não pegam, imagine se as leis

absurdas do alcorão vão pegar, sabe quando nunca! Somente no dia do São Nunca!, como o alcorão não aceita o São Nunca, então Nunca!

O brasileiro preza muito a sua liberdade do seu jeito de ser, de sua

alegria colorida, nada tema, pois o brasileiro não vai adotar esta doutrina cinzenta e triste. O Brasileiro não gosta destas ideologias exóticas. Pode até observar como curioso, mas jamais vai praticar, e muito menos se submeter a este tipo de repressão.

A nossa cultura , não aceita. Veja o exemplo de Timor Leste, os

islâmicos tentaram, tentaram, queimaram templos cristão, acabaram com a liberdade, mas no fim foram derrotados, nem tanto militarmente, pois se fossem as vias de fato, teriam apanhado, e feio, mas sofreram a pior derrota ou seja a rejeição ao islã, e as suas regras abomináveis de querer regular a vida civil. Toda a população do Timor conheceu os pavores do que é viver sob um regime islâmico. E hoje não tem mais um islâmico mandando no Timor. E o Timor vai progredir, e o seu intercâmbio com o Brasil só vai aumentar.

Este pessoal que esta na Internet é uma minoria, e a maioria nem brasileiros são, viveram aqui, ou migraram para cá. E a maioria dos

islâmicos não usa internet porque ela é proibida para eles, a maioria nem sabe que isto existe. É pecado usar a internet.

A internet só vale para eles divulgarem o Islã, para os demais

assuntos é proibido, só tem uma direção.

E que nem os canais de televisão da Arabia Saudita e do Irã, so

passa o que os religiosos permitem.

Java

Um fenomeno que já vem acontecendo a várias décadas é que os principais ismos estão perdendo adeptos para novos movimentos mais liberais. Olha por exemplo o catolicismo no Brasil, ele atingiu o apogeu nas décadas de 40 e 50 e depois entrou em declínio e este declínio está se acentuando ainda mais hoje em dia.

O mesmo vem acontecendo com o budismo, hinduísmo e islamismo no resto do mundo. Acho que isso se deve ao acesso a informação que o povão tá tendo, as notícias que rodam o mundo, ao estilo de vida que está mudando as novas ordens que estão surgindo pelo mundo afora, entre elas os movimentos ateísta, humanistas e racionalistas que estão ficando mais fortes e organizados.

Penso que a mídia é uma das maiores colaboradora desse processo. Por exemplo olha a avalanche de escândalos que o catolicismo tá tendo. Processos sobre processos, de milhões de dólares. As fotos dos atentados por islâmicos no WTC está rodando o mundo há meses. E agora os escândalos de maus-tratos da mulher no Afeganistão. O conflito entre judeus e palestinos no Oriente Médio, As 15 garotas mortas num incêndio

em Meca na Arábia. A carnificina entre hindus e muçulmanos na Índia,

etc, etc

Antes isso tudo acontecia e ninguém ficava sabendo, agora

A época de domínio dos grandes ismos já passou. Agora eles estão sofrendo um processo de definhamento que provavelmente levará séculos até que desapareçam por completo e virem lendas. O CONHECIMENTO mata o dogma. Imagine o grau de conhecimento que iremos adquirir nesse século.

Eternalman Java, Tolos são os que pensam que as religiões tradicionais estão crescendo. Estas velhas religiões estão definhando. No islã, é só dar um pouco de liberdade que a maioria abandona. Abaixo a polícia religiosa.

F.Klein Eu entendo a preocupação do Alfredo. Ele vem colocando que o Brasil, terra de muitos pobres e grande número de ignorantes é terreno fértil para incutir filosofias de revoltas através de religião que, como máscara, promete paraísos. Imagine se aquele pobrinho lá do nordeste, o Zézinho Zarôio, por exemplo, que hoje sobe trezentos degraus de joelhos com uma vela do tamanho dele e vive repetindo:

, imagine o

que faria este cara ouvindo um bem falante "new islamic" dizendo:

"Enquanto vc não se ajoelhar ao Alah e ao islamismo, vc não irá conhecer o paraíso. jihad é paz e é a luta contra seus inimigos [os ricos!] ".

Naquele mesmo instante, o Zézinho Zarôio vai chamá-lo de herege,

vai dizer "cruz credo", mas vai pra casa mancando e pensando:

"Por que o Padim Padre Ciço num mi curô, sô? Será que este cabra da peste tá certo? Tô numa merda que faz dó, meus 10 fios e muié

Num

passando fome custa tentar, sô "

"Ai, meu padim pade ciço

Cura ieu, meu padim

"

Meu patrão mi explora

Ele é meu inimigo. É

E vai mais um ignorante na conversa, levado pela insatisfação pessoal, religiosa, política, econômico-financeira. E leva junto a mulher com seus 10 filhos. Mas se envolvendo mais com o assunto, o ódio é

voltado para fora do país. O Brasil é imediatamente esquecido e ensinam a defender palestinos. (Só de curiosidade, alguém aqui já viu novo islâmico falando das injustiças do Brasil? O assunto deles é lá fora, defender terroristas lá de fora).

Mas, com tudo isso, vamos contar com o que o Eternalmen falou. No Brasil, nem máfia dá certo, o que dirá terrorismo. Espero que não se alastre este câncer no Brasil. Terrorismo, já basta o do governo.

Java Um detalhe, a igreja Católica pra conseguir essa hegemonia (que por sinal está em declíneo), levou 500 anos, ou seja, ela participou da formação do brasileiro desde o nascimento do Brasil. O islamismo não irá conseguir isso nem em 100 anos (se muito) e mesmo porque hoje em dia prevalece a pluralidade de crenças. A competição para ganhar a fé [$$$] do simplório é ACIRRADA e nenhuma religião irá ceder 1 centímetro.

Além do mais, se o Padim Pade Cicero não atende seu devoto, não será Hallah que irá atender. Vai dar tudo na mesma. Quer ganhar a simpatia do nordestino? Coloque o feijão e a farinha na boca de seus filhos. PRONTO! Ele será seu amigo pro resto da vida. E até onde eu fui informado o islã nunca fez isso.

Eu ainda continuo batendo na tecla de que o Brasil não possui idiotas suficientes para todas as seitas. O povão está abrindo os olhos. O desconfiômetro está aumentando. É só melhorar as condições sociais que as seitas definham. E isso já está acontecendo. A renda percapta do brasileiro mediano só tem aumentado nos últimos 30 anos.

Alfredo Há uma grande diferença entre pregar uma religião qualquer e pregar o islamismo. O islamismo quer se expandir através da "Guerra Santa". São como um exército invasor atacando. Bem diferente de alguém entrar com vela acessa numa igreja para pedir chuva no sertão. O islamismo não é só religião, mas conduta de vida, ideologia política, fanatismo social. O tal paraíso somado à pregação do ódio aos bem sucedidos, é uma mistura explosiva. É no Oriente e Norte da África onde existem as maiores misérias. Justo onde o islamismo prolifera. Bin Laden é o seu símbolo maior. Bin Laden simboliza o islamismo [ante sionista e americano]. Esses caras estão tentando fazer do nosso paraíso real, um

novo campo de treinamento terrorista, para invadir os EUA! (fantasiando um pouco )

F.Klein Apenas para complementar o raciocínio do Java, a Igreja Católica levou séculos e mais séculos dentro da Europa sustentando seus interesses da mesma forma VIOLENTA que podemos ver com o islamismo.

Violência dentro da religião não é fato só dentro do islamismo radical e do islamismo ao longo dos séculos. A Igreja Católica também cometeu este mesmo erro de violência religiosa durante sucessivos séculos quando aplicou as Cruzadas, perseguições de guerra, queima de quem consideravam hereges e infiéis, conversões forçadas, etc. dentro da Europa. Em nada foi diferente deste fanatismo islâmico, mas hoje está mais calma neste sentido, porém continua com a sua hipocrisia e esconde muita coisa do mundo de forma a defender seus próprios interesses.

No Brasil, muitas seitas e religiões, inclusive a Católica, vem perdendo espaço para a Igreja Evangélica, que vem combatendo com força as hipocrisias do Papado, porém pecam como todas as outras, mas não violentam os que nela não acreditam ou seguem, pelo menos no Brasil. Em cima disso, desta força ideológica cristã, que é bastante forte no povo brasileiro, talvez seja a maior barreira do avanço islâmico, pois negam Jesus veementemente. Isso é que fará esta religião declinar dentro da massa brasileira, pois o que foi plantado durante 500 anos, tanto pela Igreja Católica quanto por outras Igrejas Cristãs, foi muito forte e profundo na cultura brasileira.

Por este (e por motivo de bom senso), o islamismo com seu expansionismo vai continuar lá fora. No Brasil, vai ser difícil colar este papo mal embasado de Alcorão, a não ser junto aos revoltados, masoquistas e sádicos. Para estes, está sob medida.

Alfredo

Assino embaixo, F.Klein Lembrando, a violência da igreja protestante é no bolso do "crente que está abafando". Principalmente em cima dos pobres (de dinheiro e de espírito).

A religião

Pra que te quero

O Brasil é um país deliciosamente neutro. Aqui convivem povos e religiões diversas e cada um faz o que quer e ninguém incomoda. Nem por isso, reconheço, que todas as coisas são certas e proveitosas para os brasileiros. Uma delas é a inserção do islamismo na nossa sociedade. Por quê? Por que é uma religião agressiva, cujos objetivos é converter o mundo todo, por bem, ou por mal. Para não dizer que é pessoal e uma implicância minha, gratuita, vou publicar aqui o conteúdo do que se aprende na escola sobre o assunto. Esse livro está aqui por acaso, foi comprado para ser usado no pré-vestibular. Então, lendo, você compreenderá um pouco do islamismo, um pouco do Alfredo e o perigo que representa a expansão dessa religião no mundo.

ESTUDOS DE HISTÓRIA ANTIGA E MEDIEVAL Autor: Raymundo Campos Atual Editora - Exemplar de professor Capítulo 16 - ALTA IDADE MÉDIA: O ISLÃO E A EUROPA CAROLÍNGIA Pág 175 Cópia parcial literal. Observações entre [colchetes] são minhas.

ISLÃO

No século XX, o mundo islâmico estende-se da Ásia até o oceano Atlântico, envolvendo diversos povos, árabes e não-árabes, que têm em comum a religião fundada pelo profeta Mohammad no século VII.

A religião muçulmana, que no mundo de hoje influencia o

comportamento de milhões de fiéis, teve seu núcleo inicial na Arábia, uma península localizada ao sul do continente asiático. [descrição da península Arábica] Por volta do século VI, a maioria da população árabe achava-se

dispersa nessas regiões desérticas: eram beduínos nômades, que vagueavam em busca das melhores pastagens para seus rebanhos. As tribos beduínas viviam em guerras, pois a pilhagem era o principal meio de se obter recursos para a sobrevivência no deserto, e também a forma mais comum de vingar agressões intertribais. [trecho que explica a vida dos beduínos]

O comércio de caravanas colocou os árabes em contato com

diversos povos e culturas do mundo da época, além de criar na Arábia cidades importantes como Medina e Meca.

Em termos econômicos é fundamental notar ainda que a esmagadora maioria da população árabe, antes da criação do islamismo, vivia em condições de extrema pobreza, resultando daí até práticas de infanticídio, como forma de eliminar bocas que nasciam a mais.

[trecho que explica a religiosidade árabe, politeísta, adoradores de ídolos de pedra]. Algumas tribos, embora politeístas, adoravam Alá como deus principal. Era o caso dos coraixitas, uma das mais poderosas tribos de Meca, que, administradores da Caaba, dirigiam as cerimônias religiosas, nomeavam os guardas do tempo e controlavam suas rendas. Os coraixitas formavam uma aristocracia local, cujo poder e prestígio eram alimentados pelas peregrinações dos fiéis ao templo sagrado. A fragmentação causada pelas rivalidades tribais e religiosas era apontada por líderes da época como a causa principal da fraqueza do povo árabe, perante os grandes Impérios, como o Persa e o Bizantino. Um desses líderes foi Mohammad, que, criando uma nova religião, desencadeou um processo de unificação política e religiosa, dando origem a uma das mais brilhantes civilizações do período medieval. [ver nota 1] Mohammad nasceu por volta de 570, numa família que pertencia a um ramo pobre da tribo dos coraixitas. Muito cedo dedicou-se ao comércio de caravanas, como era comum entre os jovens árabes da época. Nessa atividade realizou inúmeras viagens, entrando em contato com vários povos e religiões do Oriente. [destaco esse trecho] Foi profundamente influenciado pelo cristianismo e pelo judaísmo, existentes na Palestina e na Síria, e pelo masdeísmo, religião dos persas. Bastante preocupado com as questões religiosas, Mohammad a elas pôde dedicar-se totalmente após o seu casamento com uma rica viúva, proprietária de caravanas, de nome Khadidja, que o libertou das preocupações de ganhar o dia a dia. [não seria ético ao autor, insinuar a esperteza de Mohammad, dando um tremendo golpe do baú, mas para qualquer ser inteligente e vivido, conhece bem essas questões sociais, tão divulgadas nos nossos dias] Estava com 40 anos quando teve, segundo ele mesmo, [Fácil dizer. Difícil provar] uma visão do anjo Gabriel, que, a mandado de Deus, lhe ordenava pregar um nova religião. Mohammad passou a pregar o islão, ou seja, “a submissão à vontade de Deus”. [ou a dele mesmo?]. As pregações, que ele dizia serem revelações da palavra divina, [o autor insinua que não acredita] foram anotadas por seus discípulos [todos analfabetos nem escritas tinham os árabes nessa época] em folhas de palmeiras, pergaminhos e couro. Assim,

parte dos seus ensinamentos ficou registrada, embora de forma dispersa, sem nenhuma ordem. Muitos dos seus seguidores se especializaram em decorar as palavras do mestre, transmitindo-as oralmente. Posteriormente, por iniciativa de califas [continuadores de Mohammad] como Abu Béquer e Otman, esses documentos e tradições orais foram reunidos e organizados num livro chamado Alcorão, uma espécie de bíblia dos muçulmanos, isto é, os crentes da religião islâmica. [só uma criança de 6 anos, completamente ingênua e sem maldades, não vai desconfiar, que, não existindo ninguém para conferir, (Mohammad estava morto), os califas inseriram suas próprias vontades no livro].

Alcorão

O Alcorão revela a ampla [destaco - ampla] influência que religiões monoteístas do Oriente, principalmente o judaísmo, exerceram sobre Mohammad. [o autor insinua que ele copiou de alguém. E não é à toa que os 4 primeiros livros das passagens bíblicas do velho testamento, repetidos no Torah, bíblia dos judeus, estão praticamente transcritos no Alcorão ] Em seus 114 capítulos [suras], o livro sagrado aborda questões, políticas e morais, estabelecendo os princípios básicos que deveriam regular a vida dos fiéis. Desses princípios, dois foram muito importantes para a evolução da sociedade árabe durante a Alta Idade Média:

O monoteísmo era a primeira obrigação e encontrava-se expresso

na frase: “ Só Alá e Deus, e Mohammad, o seu profeta”. Este afirmava estar encarregado de uma missão divina, mas ele próprio não se dizia santo. Seu papel era dar continuidade às pregações de outros profetas como Abraão, Moisés e Jesus Cristo, com a finalidade de levar seu povo à salvação. O segundo princípio básico do Alcorão obrigava [destaco - obrigava] o fiel ao proselitismo, isto é, ao esforço de conquista de novos adeptos.

[Fala de princípios ou leis do Alcorão dentre as quais destaco as seguintes]

A escravidão e a poligamia foram legalizadas, porém escravos e

mulheres, deveriam ser tratados com justiça e bondade. [Imagino o que, esse tal anjo Gabriel, deveria pensar a respeito de tratar com justiça os escravos. Naturalmente contavam com a compreensão dos escravos em serem escravos e ficarem felizes, trabalhar duro sem receber nenhuma chicotada, comer as sobras, sem reclamar, dormir no chão e achar ótimo, as escravas servirem aos seus senhores na cama e acharem bom e

principalmente, nem pensarem em fugir. Anjo tão bonzinho

mulheres que não são escravas ou não deveriam ser - ganham chicotadas até hoje, em praça pública, dá para ter uma idéia da justiça desse anjo]

Vários historiadores [naturalmente, puxando o saco dos islâmicos] afirmam que o islamismo melhorou a situação social da mulher árabe, que era quase de escravidão. O Alcorão aboliu o costume de considerar as mulheres como parte das propriedades a serem transmitidas de pai para filho.

Se as

Hégira

O início da pregação muçulmana em Meca provocou muitos conflitos. As críticas ao politeísmo, aos diversos usos e costumes árabes e a cupidez [cobiça] dos grandes negociantes, despertaram feroz oposição das famílias dominantes da cidade. Para a aristocracia local, que tinha nas peregrinações a principal fonte de poder e prestígio, era fundamental a manutenção das antigas práticas politeístas. As hostilidades foram aumentando na medida em que crescia o número de adeptos da nova religião. [insuflar pobres contra ricos é muito fácil. Logo aparecem muitos adeptos]. Perseguidos e ameaçados de morte, Mohammad e seus discípulos fugiram para a cidade de Iatreb, que passou a se chamar Medina, “a Cidade do Profeta” . A fuga foi chamada de Hégira, palavra que significa emigração, passando tal fato a marcar o início da Era Muçulmana. Além do seu trabalho para a conversão dos moradores da cidade e dos beduínos, Mohammad envolveu-se cada vez mais com problemas políticos e administrativos locais. Com o tempo, acabou por assumir o governo de Medina. [Sem dúvida Mohammad era um líder inteligente, carismático e muito malandro. Tipo Bin Laden] Com o apoio dos beduínos, o profeta organizou um exército e passou a desenvolver a Jihad, isto é, a guerra santa contra seus inimigos. Foram sistematicamente atacadas as caravanas dos comerciantes de Meca. [O parágrafo é muito claro. Mohammad era um líder guerrilheiro, salteador de caravanas. Ladrão e chefe de um bando de ladrões. Não é possível que o tal anjo Gabriel, tenha mandado assaltar as caravanas que se dirigiam a Meca, em nome de Deus. Nenhum ingênuo, por mais estúpido que seja, vai admitir que essa pilhagem era obra divina. Jamais alguém vai imaginar que esse bando de ladrões fanáticos, roubava as caravanas sem que houvesse mortes entre os caravaneiros, e Mohammad, como seu chefe supremo, daria o exemplo, matando e mandando matar. Conclui-se pelo depoimento do

historiador que Mohammad além de ladrão era um assassino cruel. Fazia

Esse livro foi escrito em 1988 e

portanto não estava sob a influência do World Trade Center. Se falava de Jihad como guerra santa, guerra com armas, mortes, assassinatos, pilhagens, terrorismo, em nome de Deus, porque era assim.] Depois de vários anos de lutas, os muçulmanos voltaram triunfalmente para Meca. Os ídolos de Caaba foram destruídos e Meca tornou-se a cidade sagrada do islamismo; todo muçulmano a ela devia fazer uma peregrinação, desde que suas condições o permitissem. [Dessas peregrinações, viviam os comerciantes da cidade, como foi exposto anteriormente. Como ganhavam esse dinheiro, não sei. Sei que Mohammad entrou em Meca, mas não foi pedindo licença. Foi debaixo de matança selvagem, pilhagem da orda de ladrões, exploração e escravidão, cobrança de pedágios e por que não, estupro de mulheres?] Em pouco tempo, quase todo povo árabe aderiu [adere ou morre] ao islão. Os negociantes de Meca e a tribo dos coaixitas estavam entre os que se converteram, receosos de perder sua posição social e política dominante. Por ocasião da morte de Mohammad, [dois anos após a sua entrada em Meca] em 632, os árabes encontravam-se unificados pela nova religião. Pela primeira vez na história do país, as tribos aceitavam, ainda que de forma precária, uma autoridade centralizada. O profeta foi sucedido pelos califas, chefes que reuniam poder político, militar e religioso. Como era, até bem pouco tempo o famoso aiatolá Komeíni. Durante o governo do primeiro califa, Abu Béquer, a unidade política esteve ameaçada. Muitas tribos convertidas ao islamismo pela força, e ansiosos por voltar à antiga autonomia, recusaram-se a reconhecer a autoridade do califa e a continuar com o pagamento de impostos. [Vamos grifar esses pagamentos de impostos, que Mohammad cobrava no seu tempo. Naturalmente esses que se opuseram, foram decapitados e seus despojos tomados].

tudo em nome de Deus?!

Aqui, oh!!!

Expansão muçulmana e suas causas [Esse é um capítulo que nos interessa sobremaneira]

A crise interna foi superada principalmente porque Abu Béquer iniciou uma série de conquistas [Conquistas = invasões, assassinatos, roubos, pilhagens e escravidão] o mesmo que jihad, guerra santa. justificativa para o expansionismo estava no próprio Alcorão: os muçulmanos eram obrigados a lutar pela conversão dos “infiéis”, por meio

da guerra santa [jihad]. Morrer lutando pela fé do islão era o caminho certo para o paraíso e entusiasmava o espírito belicoso dos árabes. [Não é o que eu estou dizendo diariamente por aí? Árabes muçulmanos são treinado a invadir, pilhar e converter a força, ou matar os

Nós, se não

quisermos nos converter e pagar os tais impostos, morreremos decapitados

e torturados, enquanto eles irão para o paraíso cheio de virgens. Porra, meu

irmão!

Essa corja de fanáticos

imbecis, querem dominar o mundo pela força, em nome de Allah! pro

cacete, que eu não vou ficar calado!

Outros fatores econômicos, sociais e políticos também explicam a expansão árabe. A escassez de recursos para alimentar a população que crescia rapidamente [de terroristas fanáticos que não trabalhavam] agravou-se, no século VII, com as secas que se estenderam por vários anos.

Para a grande parte da população, as conquistas “conquistas” – esse

eram uma forma de obter novos recursos de

autor é muito bonzinho

Esses terroristas filhos da puta,

acham que nos matando irão para o paraíso!

“infiéis” – eu e você leitor

não duvide em nome de Deus!

Eu não posso suportar isso!

]

sobrevivência; para os comerciantes de Meca e Medina, representavam novas oportunidades de pilhagem e enriquecimento. [ilícito] Além disso, os dois impérios vizinhos, o Persa e o Bizantino, estavam enfraquecidos por anos de guerras contínuas, e portanto, incapazes de opor resistência

aos ataques árabes. Finalmente, enquanto os exércitos persas e bizantinos eram em sua maioria formados por mercenários, os árabes lutavam com fanatismo em nome de uma fé que lhes prometia o paraíso.

O autor continua sua história e vai longe. Não vou continuar daqui. Só queria fazer notar que dessa forma, através dos séculos, os islâmicos (muçulmanos tem o mesmo significado) continuaram se “expandindo” mesmo que em formatos diferentes, com a mesma teoria que permanece imutável no Alcorão. Hoje já são 1.300.000.000 de fanáticos. É bom abrir os olhos. Eles continuam lendo o Alcorão 5 vezes ao dia, atacando diariamente em nome de Allah, e o Brasil de ignorantes é campo fértil para essa fábrica de terroristas. Saudações a todos e desculpem os palavrões.

Naturalista A história sempre serviu de advertência, na correção dos erros, e uma garantia de vida para o futuro. Quem não prestou atenção nos fatos

passados, deixou de prever os fatos futuros e se deu mal. O World Trade Center que o diga

Eternalman A história deve ser estudada para aprendermos com os erros do passado. Entretanto, generalizar também é um erro. Existem religiosos preconceituosos, isto é um fato. Mas o preconceito não está restrito aos religiosos, o preconceito é um defeito humano. No Passado o Islã se expandiu pela conquista. No presente a história é outra. Os falsos religiosos fanáticos, que são minoria é que estão prejudicando a imagem dos muçulmanos. Nem todo muçulmano é radical, conheço muitos e sei que não são fanáticos, nem extremistas, muito menos terroristas. É fato que os textos antigos seguidos pelos religiosos contém, partes de textos que incitam a violência. Mas por outro lado, os mesmos textos também tem bom conteúdo, e em sua maioria pregam uma certa moral e bons costumes. As religiões também tem o seu lado bom. O que todo mundo quer, é o direito de viver, direito de professar a sua religião livremente, direito de trabalhar, direito de ter esperança, o direito de constituir uma família. O que todo mundo quer é melhorar a sua qualidade de vida. Diariamente em todo mundo, as pessoas enfrentam a dura realidade da vida, a batalha diária pela sobrevivência, e a maioria quer superar as suas dificuldades com paz, harmonia e amor.

Alfredo

Não são partes dos textos que conduzem à violência. São textos

inteiros, muitos deles!

Antigamente os islâmicos se multiplicavam pela violência "conquista" e hoje se multiplicam pela violência "Nova York, Bin Ladem, Madrassais, Paquistaneses, Indianos, Jihad Islâmica, Al Qaeda etc, etc, etc e vai por aí

Claro, se um monte de fanáticos religiosos, lê no seu livro sagrado

que devem matar os não fiéis, que conseqüências se pode esperar? Por sorte, o mundo não é feito só de ignorantes, como antigamente. A divulgação dos fatos corre na velocidade da luz e os islâmicos já

mostraram as suas faces. Que há exceções, já se sabe, mas são exceções

que lêem o Alcorão e aí

a fora

São tantos que fabricam violentos, obviamente.

Um dia podem deixar de sê-lo.

Dudu

Acho apropriado este aviso aqui, nao so relativo ao islamismo, mas valendo para todas as religioes. A pessoa que vai analisar um convite de uma religiao para se converter ou mesmo apenas para conhecer, tem que ver o seguinte:

1) Em que se baseia a religiao

2) O que os fieis desta seita andam fazendo no mundo e a sua volta

3) Se existe algum tipo de interesse financeiro ou politico de angariar fieis

4) Onde se difunde a religiao, em que tipo de sociedade, pais, sistema economico

Apenas com estes 4 questionamentos, voce pode ter uma ideia do que esta a sua espera.

Comentando o primeiro questionamento, agora sobre a religiao islamica, sabemos qual a sua base - o Alcorao, cujo escrito foi feito por um falso profeta cuja intencao era de colocar a frente de uma ideologia, fieis que se dobram a vibracao do anti-cristo, onde e' chamado por outras religioes de satanas ou similar. Para os que analisam cientificamente, e' uma leitura que produz nervosismo, ansiedade e vibracao negativa. Verdadeiros profetas em quase todas as religioes, trouxeram paz e harmonia a seus seguidores.

Chegando no segundo questionamento temos a certeza do primeiro. Seus fieis, no islamismo, em qualquer parte do mundo onde se instalam e se difundem, propagam fanatismo e sangue. E tudo dito que e' em nome de Deus, escondendo o fruto do aconselhamento das forcas negativas interiores. Em relacao a esta religiao, e' so' verificar no site REALIDADE -

x.html como simples exemplo. Mas isso pode ser feito em qualquer jornal. Onde ha' islamismo ha' confusao e sangue na historia e nos dias de hoje mais do que nunca quando avancam em numero de conversoes.

No terceiro questionamento, vemos em relacao ao islamismo a ideia politica ligada a ideia religiosa onde tentam se colocar como "o mundo la' fora que deseja agredir este mundo aqui dentro", em outras palavras, "os outros querem nos destruir" e sao todos chamados de ignorantes ou ruins os que se opoem ou criticam racionalmente esta religiao. Assim, ja' e' um bom comeco para separar o fiel de outras influencias, ficando este fiel a merce de seu total dominio. Agariar fieis significa forca de massa para agir a qualquer momento em qualquer questao politica que seja, tentando perfazer maioria.

No quarto e ultimo simples questionamento, o islamismo tem se difundido com louvor em regioes e paises cuja a sociedade e' pobre, oprimida, ignorante e inconformada. Pega bem neste tipo de sociedade colocar culpados para suas desgracas. Age mais uma vez, "os outros querem nos destruir" bem aplicado neste tipo de sociedade. Os paises que mais se expandem hoje em dia o islamismo sao paises ditatoriais de base retrograda e com imensa desigualdade de distribuicao de renda. Os outros ruins que "querem nos destruir" estao la' fora. Vamos matar e destruir os nossos opositores.

Portanto, ignorante sera' voce que fecha os olhos para tudo isso e embarca na vibracao do mal, do anti-cristo, do satanas do negativo. A nomenclatura pode variar, mas o principio e' o mesmo. Sao as forcas interiores inerentes ao homem como aprendiz do bem e do mal sem que saiba a distincao do limite de cada. Aplica o que aflora do mal em nome de um bem que desconhece e, por conseguinte, nao tem como aplicar. Em outras religioes, o mesmo se aplica este aviso. Desconfie muito daquelas que chamam, porque em geral, as boas religioes nunca saem se oferencendo, tentando angariar fieis ou tentando convencer ninguem de conversao. Nao e' a religiao que procura o homem. O homem e' que procura a religiao para amenizar seu interior ou buscar crescer individualmente como ser humano. Normalmente, o que presta, esta' sem divulgacao, quase como uma verdade oculta para nao ficar a merce de espertos e oportunistas que possam modificar os seus preceitos originais buscando interesses escusos.

Alfredo O site mencionado acima dá uma ampla idéia a respeito do que significa o islamismo.

Percebo que não sou voz isolada no mundo a advertir sobre os

perigos dessa religião fanática. E podem ter certeza, são fanáticos

mesmos!

Se quiserem saber como eles raciocinam, visitem o fórum da Maria

Moreira. E que mais me espanta: Uma mulher

De carteirinha!

Verão o quanto estão cegos e com a mente lavada.

Dudu Visitei este link do forum desta senhora e fico pasmo como ainda tem gente que divulga coisas tao absurdas baseadas em leituras-lavagens e se posicionam como se fosse fato consumado. Entretanto, nao podemos salvar o mundo e nem conscientizar a todos. Quem busca a verdade, encontra. Quem busca ficar estacionado, afunda. Venho encontrando muitas coisas interessantes na internet a respeito de tudo o que esta' acontecendo hoje em dia no mundo, com as sociedades, com o homem em si e com a relacao deste com a natureza. Tudo tende para grandes transformacoes no futuro. Mas antes disto, muita desgraca ainda vai se abater sobre o homem, como consequencia de seus direcionamentos e atos ao decorrer da historia da humanidade, independente de sua religiao. O homem em si.

Eternalman Dudu. Ao escrever sobre as transformações você foi um pouco profético. Penso que as transformações já estão ocorrendo (aliás tudo esta sempre se transformando). Estamos na era do conhecimento, a transformação que você se refere é esta. A transformação esta ocorrendo de forma muito rápida, desde a decada de 60 para cá. O homem chegou a lua, e a tecnologia não para de abrir novos horizontes. Estamos vivenciando estas transformações. Os grupos de pessoas, isto é as antigas religiões, que não se baseiam no conhecimento, estão contrariadas e lutam contra este progresso. Não admitem a evolução, pois os textos ditos sagrados , no que concerne a criação do mundo e muitas outras coisas, não passam de contos e mitos.

Você também falou dos riscos desta mudança, e tudo o que esta aí, se apresentando aos nossos olhos, é o conflito por causa da transformação. As mentes retrogradas que estão presas ao passado, insistem em permanecer no obscurantismo, dai a luta. A nova era chegou, o conhecimento é que vai conduzir a humanidade em seus passos, não a fé cega. Assim todos os conceitos estão sendo revistos pela luz do verdadeiro conhecimento. Assim o verdadeiro conhecimento esta ressurgindo. A liberdade e o direito de livre escolha das religiões, certamente levará os homens com conhecimento a abandonarem as abominações do passado. Assim as religiões do passado, pregadoras da fé cega, vão desaparecer. Entretanto os mais fanáticos vão tentar manter a todo custo as suas falsas religiões. O conhecimento é superior a ignorância. Assim o melhor caminho é a Educação! Contra os mitos, falsas crenças o conhecimento é o melhor remédio.

Backspace Alfredo, meu camarada, eu fui no site que voçe recomendou. Minha pergunta , o site não é aberto á todos? Por que criou-se uma enquete , estilo aceito e descordo? Como debater, sem discordar? Se não existe á liberdade de expor o pensamento, não existe debate, não é mesmo? Aí, não levem-me a mau, mas fica estranho.

Alfredo Back, este site é só pra ler e achar engraçado. É um site fechado que não vai admitir participações contrárias. Até a enquete deve ser

manipulada. Ao ler as mensagens lá postadas, você tem uma idéia de como funciona a cabeça desses fanáticos. E aí eu pergunto: Tem jeito? Tem

nada!

Eles pararam no século VII. Fecham-se, bitolam-se, ficam cegos e ainda

querem ditar regras do "conhecimento". É mole?!

Fanático é bem ao contrário do que o Etenalman explicou acima.

Só rindo muito

Alfredo Para quem não quiser se dar o trabalho, puxei pra cá a parte a que me refiro. Já somos chamados de Site Anti-Islâmico, é mole. Segue aí, o que eles acham de nós.

Maria Moreira Lidando com Sites Anti-Islâmicos Assalamu alaikum a todos.

Recebi esta mensagem através de uma mala direta islâmica e traduzi para o português porque a achei muito oportuna.

A mensagem se refere a sites que se dedicam a difamar o Islam, os

quais em nosso zelo religioso somos muitas vezes os primeiros a divulgar, aumentando o seu número de visitas ou postagem de mensagens, melhorando assim a sua classificação no ranking de sites ou fóruns mais

visitados/postados. Isso está acontecendo agora com um fórum que difama o Islam, que até poucas semanas atrás era totalmente desconhecido e hoje já se encontra em terceiro lugar no ranking de mais postados, justamente devido à postagem maciça feita por alguns irmãos.

A posição deste fórum difamador está logo atrás deste nosso fórum

islâmico aqui, que caiu do primeiro para o segundo lugar no mesmo

período.

Eu mesma já cometi esse erro no passado, mas de uns tempos para

cá não participo mais de forma maciça em nenhum fórum com mensagens anti-islâmicas. Aprendi que algumas pessoas já tem suas idéias pré- concebidas e não irão mudá-las com algumas mensagens postadas em um fórum.

O máximo que faço atualmente é postar poucas mensagens

esclarecedoras e dar link para o meu site e outros sites islâmicos para aqueles que estão sendo desorientados pela mídia mas não têm má fé, e

que eventualmente ficarão interessados em aprender e se informar corretamente.

Já no caso dos que estão determinados a difamar o Islam não

importa o quanto sejam esclarecidos, eu os deixo por conta da justiça de Allah, seja nesta vida ou na outra. Acho importante frisar que não me parece que o autor do artigo esteja defendendo a passividade, e sim um melhor preparo e atitudes mais efetivas para lidar com este tipo de site e/ou fórum, e por isso achei a mensagem oportuna e adequada.

Salaam, Maria.

“Yahya Abdul Rahman Um dos lados negativos da Internet é que tem dado aos nossos críticos e inimigos uma oportunidade de publicamente difamar a religião do Islam. Eu acho que este é o preço de ter liberdade de expressão. Algumas vezes você tem que ler e ouvir coisas que são detestáveis. O fato é que o Islam tem sido difamado desde o começo por seus inimigos e isto não vai mudar tão cedo. Além do mais, uma vez que os

muçulmanos estão em um posição muito fraca estes dias, a quantidade de propaganda anti-islâmica está aumentando de todos os lados. Estou certo de todos nós encontramos numerosos websites que tem difamado o profeta (saws), distorcido o significado do Alcorão, atacado os companheiros do profeta, etc. A coisa mais preocupante é a facilidade com que milhões de pessoas agora tem acesso a estas informações como resultado do crescimento da Internet. Nossa primeira reação é ficar com raiva e nos inflamarmos com um zelo para fazer algo a respeito quando encontramos estes sites ofensivos. É de fato um bom sinal de fé se nos aborrecemos quando nossa fé está sob ataque, e que Allah possa sempre manter forte a nossa fé no Islam. Deve-se ter em mente que na maioria dos casos, estas pessoas não estão interessadas em nada além de excitar os sentimentos de ódio e fúria contra os muçulmanos e gerar sentimentos venenosos nos corações dos leitores. Alguns websites são mais sutis, entretanto, e criticam o Islam em uma maneira mais ‘civilizada’. Na verdade, este segundo tipo de abordagem pode ser mais perigoso, uma vez que eles tendem a passar a impressão de que estão honestamente buscando a verdade, quando de fato não estão. Eu quero aqui oferecer algumas sugestões sobre como lidar com estes websites anti-islâmicos de modo que possamos efetivamente conter esta ameaça contínua e crescente:

1) Mantenha sua calma: como eu disse antes, é bom ficar zangado quando você vê o Islam atacado, mas mantenha a calma e aja com a cabeça. Quando nós estamos excessivamente zangados não podemos agir racionalmente e portanto minamos nossos objetivos. Diremos e faremos coisas que nos arrependeremos depois. Por exemplo, podemos ser tentados a atacar a religião da pessoa de uma forma indelicada, o que não é permissível no Islam.

2) Não escreva para o webmaster a menos que esteja pronto: na maioria dos casos estas pessoas prosperam no confronto. Eles amarão que você responda e estarão prontos para uma resposta rápida. Lembre-se, muitas destas pessoas conhecem muito bem o Islam e se você não estiver pronto eles irão derrotá-lo em qualquer argumento. Se você responder mas não tiver o conhecimento adequado terminará fazendo o Islam e os muçulmanos parecerem piores. Alguns webmasters de fato colocam todas as respostas para serem lidas no website. Quanto mais estúpida for a resposta, maiores serão as chances de ser colocada no site. Por favor note,

apenas porque alguém ganha em um argumento particular não significa que esteja certo. O perdedor pode apenas não ter todas as informações à mão no momento do argumento. 3) Não tente fazer com que o site seja removido da Internet: muitos muçulmanos tentam fazer isto escrevendo para a empresa que hospeda o site fazendo denúncias. Na minha opinião isto é uma perda de tempo. Mesmo que o site seja removido eles podem abri-lo em poucos dias sob outro hóspede, assim nosso tempo é perdido em tais esforços.

4) Não divulgue o site para outros: um dos maiores erros que cometemos é dizer a outros sobre o website ofensivo. Tudo isto é dar ao dono do site publicidade gratuita que é o que ele/ela quer. Se você encontrar um site ofensivo não divulgue, porque estará de fato ajudando o dono do site ao fazer isto.

5) A melhor defesa é um bom ataque: finalmente, a melhor defesa contra sites anti-islâmicos é desenvolver seu próprio excelente site que apresenta o Islam de uma forma bela e acurada. Muitas pessoas estão em busca de perguntas e mais e mais estão se voltando para a Internet para encontrá-las. Possivelmente elas podem visitar seu site e como resultado se tornar muçulmanas. Da mesma forma, outros muçulmanos podem usar o seu site para obter informação que precisam para dawah ou pesquisa e Allah o recompensará por fornecer este serviço. Mesmo se você não puder iniciar um website, você pode pelo menos enviar artigos para os websites existentes que eles possam usar, de modo que todos possam receber o benefício. Lembre-se, você pode desempenhar um papel importante no aperfeiçoamento do conteúdo islâmico na Internet. Não espere que outra pessoa faça isto. Espero que este conselho ajude. Que Allah nos ajude a ser mais efetivos na defesa do Islam.”

E nós é que somos o lado negativo da Internet e os difamamos Apenas divulgamos o islamismo, é ou não é?!

Backspace

Engraçado Alfredo, meu camarada, eles podem, colocar regras no que diz respeito, á opiniões das pessoas, podem posicionar politicamente contra, á determinados países, em especial os Estados Unidos, e seu site

que é ANTI??? título!

Na minha opinião, o seu site condiz, exatamente com o

Dudu Quanto ao problema de entendimento do forum islamico que o Alfredo apontou, ja' postei algo que destrincha as tecnicas que acompanham a conversao e tentativa de angariar e manter seus fieis. Disse em outra postagem dentro deste debate, mas vale a pena repetir o trecho:

No terceiro questionamento, vemos em relacao ao islamismo a ideia politica ligada a ideia religiosa onde tentam se colocar como "o mundo la' fora que deseja agredir este mundo aqui dentro", em outras palavras, "os outros querem nos destruir" e sao todos chamados de ignorantes ou ruins os que se opoem ou criticam racionalmente esta religiao. Assim, ja' e' um bom comeco para separar o fiel de outras influencias, ficando este fiel a merce de seu total dominio. Agariar fieis significa forca de massa para agir a qualquer momento em qualquer questao politica que seja, tentando perfazer maioria.

No ponto de difamacao, o proprio islamismo se difamou pelo mundo. As acoes de islamicos apontadas aqui ou em jornais ou em outros sites nao e' difamacao. E' informacao do que fazem. Acho que aqui se FALA FRANCAMENTE. Se la', no forum islamico, mensagens que falam francamente sao deletadas, e' para esconder a sujeira debaixo do tapete. Cada um faz o que a consciencia manda, mas que as acoes estao ai' pelo mundo, mostrando o que sao e fazem, e' para se ver e, se possivel, divugar, e nao, esconder.

Java

Sobre o

manual

de

conduta

islãmica num debate

na

Web

o

paragrafo número 2 diz o seguinte:

2) Não escreva para o webmaster a menos que esteja pronto: na maioria dos casos estas pessoas prosperam no confronto. Eles amarão que você responda e estarão prontos para uma resposta rápida. Lembre-se, muitas destas pessoas conhecem muito bem o Islam e se você não estiver pronto eles irão derrotá-lo em qualquer argumento

Isso é uma grande verdade. Estamos prontos para derrota-los em qualquer argumentação porque temos o próprio Alcorão como a maior arma. Basta apresentar suas suratas e pronto! Acaba a argumentação de qualquer natureza. Essa tática vem dando certo contra os cristãos (pois temos a bíblia a nosso favor).

Fico

feliz

em

saber

que

esses

fanáticos

reconhecem

sua

desvantagem em um debate de qualquer natureza sobre religião.

Porém, nossos argumentos estão se aprimorando ano após ano. Se já é com muita dificuldade que esses fundamentalistas aturam nossas heresias, o que não será no futuro?

Abu Salahudin Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso. Salam para Todos,

Em que os Muçulmanos Crêem?

Os muçulmanos crêem em um Único e Incomparável Deus; Nos anjos criados por Ele; Nos profetas por intermédio dos quais Suas revelações foram trazidas para a humanidade; No Dia do Juizo e na apresentação de conta individual pelas ações praticadas; Na autoridade total de Deus sobre o destino do homen e na vida após a morte. Os muçulmanos crêem na corrente dos profetas a partir de Adão, incluindo Noé, Abraão, Ismael, Isaac, Jacó, José, Jó, Moisés, Arão, Davi, Salomão, Elias, Jonas, João Batista e Jesus, que a paz de Deus esteja com todos eles.

Mas a Mensagem final de Deus para o homem, uma reconfirmação da Mensagem Eterna e um resumo de tudo que aconteceu antes foi revelado para o Profeta Mohammad (SAWS) por intermédio do Anjo Gabriel.

Salam para Todos,

F.Klein

Vai uma pergunta para Abu Salahudin:

Bin Laden é muçulmano?

Os palestinos que se explodem são muçulmanos?

O rapaz

que

escreveu

o

site

http://www.islam.com.br.tf/

muçulmano?

é

Então, me explique uma coisa: Sei que nem todos os muçulmanos são terroristas, mas a maioria dos terroristas do mundo são muçulmanos. Por que?

Outra pergunta que tenho a fazer é a respeito do site que comentei acima, ou seja, se muçulmano é tão cheio de paz e amor, por que neste site tem uma enquete que julgo racista e escolhas de mais de 35% de pessoas racistas (provavelmente muçulmanos) em relação à judeus. Se ser muçulmano é tão paz e amor assim, por que tem tanto Bin Laden, terroristas, homens-bomba suicidas e racistas entre os muçulmanos?

Alfredo Prezado Abu. Eu tenho uma cópia do Alcorão traduzida para o português. Já fiz uma referência a ele no meu texto intitulado " Para bom entendedor, meio Alcorão basta", encontrado aqui mesmo neste fórum. Ali, citei alguma suratas dentre as centenas com teor agressivo similar. Foi até bom que você surgisse para debater aqui, porque eu não tenho outro objetivo, senão advertir para esses absurdos que estão escritos nesse livro, lido 5 vezes por dia pelos seus seguidores. Uma verdadeira fábrica de terroristas. Espero que você dê mesmo atenção, item por item, das suratas que eu coloquei em destaque, e explique de maneira lógica, o que se passa. Para seu governo, sou ateu e em nada do que a história conta sobre a parte fantástica de Maomé, eu acredito. Muito menos em anjo. Muito menos que ele escrveu ou foi o autor do que está escrito, senão os califas segundo os seus interesses.

Abu Salahudin Assalamu Aleikum, Alfredo, já que vc. diz ter o Alcorão Sagrado na língua portuguesa, ou vc. é ruim de cópia, ou tem más intenções, pois eu descobri que vc. trocou versos (qual a tua intenção), eu só estou participando do seu forum,

para defender a minha religião, se vc. não tivesse postado aquelas bobagens, eu não estaria aqui. Mas, sabe foi até bom, abriu um espaço a mais para divulgarmos o verdadeiro Islam, e até já recebi e-mails, pedindo mais informações, em outras palvras já deu lucro. Salam,

Alfredo Primeiro, meu amigo, diga onde foi que eu troquei ou inventei versos do Alcorão. Se eu estiver errado, dou a mão a palmatória, mas acho difícil. Seja explícito. Segundo, que você precisa entender o seguinte: Quanto mais você publicar as coisas boas do Alcorão aqui, melhor. Acho até que você deveria reescrever todo o Alcorão, contando só as partes boas. Essa sempre foi a minha teoria. Leia o que eu acabei de escrever para a Maiara. Que você tenha bons frutos, é o que eu desejo. Só não posso concordar com os absurdos que eu tenho lido aqui, numa versão oficial publicada na internet. E eu tenho o cuidado de mencionar a surata, para não haver dúvidas. Vou te dar o nome do tradutor na próxima. Faça bom uso do fórum. Ele também é seu. Escreva só as coisas boas. Eu escrevo as ruins. Assim, quem lê, vai distinguir o que presta, do que não presta, mesmo que tudo esteja no seu "livro sagrado". Saudações.

Abu Salahudin:

Não foi vc. que postou, é bom fazer uma revisão antes de ficar postando, faça uma revisão, e vc. encontrará.

Alfredo Segundo, que você precisa entender o seguinte: Quanto mais você publicar as coisas boas do Alcorão aqui, melhor. Acho até que você deveria reescrever todo o Alcorão, contando só as partes boas. Essa sempre foi a minha teoria.

Abu Salahudin:

Muito obrigado pelo espaço, vou fazer o melhor possível.

Alfredo:

Leia o que eu acabei de escrever para a Maiara. Que você tenha bons frutos, é o que eu desejo. Só não posso concordar com os absurdos que eu tenho lido aqui, numa versão oficial publicada na internet. E eu tenho o cuidado de mencionar a surata, para não haver dúvidas. Vou te dar o nome do tradutor na próxima.

Faça bom uso do fórum. Ele também é seu. Escreva só as coisas boas. Eu escrevo as ruins. Assim, quem lê, vai distinguir o que presta, do que não presta, mesmo que tudo esteja no seu "livro sagrado". Saudações.

De novo, muito obrigado pelo espaço. Salam, Abu Salahudin

Alfredo

Prezado Abu.

A tradução que eu tenho do Alcorão, é a mesma que você

menciona. Então, quando eu citar as barbaridades que eu encontro, é só você conferir pelo seu. Agora vou te dizer, em que os ateus não acreditam.

Em Deus nenhum, em anjo nenhum, nos profetas como enviados ou inspirados por Deus nenhum, nem nas suas revelações como nada além de fantasia, não acredita em juízo final, mas no juízo das varas criminais e cíveis da justiça humana, assim como da conta que daremos a ela pelas faltas cometidas, não acredita que nenhum Deus tenha qualquer influência ou autoridade sobre o homem, e nem na vida após a morte. E pra mim, essa corrente de profetas é a mais absurda invenção do poeta que a escreveu. Naturalmente perdeu a noção do tempo de 3 milhões de anos, quando nasceu “Adão”, e anotou tudo isso na sola do seu sapato.

Se você quiser saber no que os ateus acreditam é só ler o tema: “As

razões do ateu ser ateu”, neste mesmo fórum Religião.

Abu Salahudin Assalamu Aleikum, Já se passaram mais de dez dias e vc. ainda não arrumou os versículos alcorânicos que vc. manipulou, é assim que vc. gosta de debater, manipulando versos do Alcorão, coitadinho, nem para fazer uma cópia fiel do Alcorão. pobre coitado, pobre coitado, pobre coitado E ainda fica falando mal sobre o Islam.

Alfredo

Prontinho

Aqui está. Já que você não é suficientemente capaz de

ir ali no tópico ler, eu trouxe pra cá. Aí você vai ler o seu Alah recomendar

escravidão, tortura, guerra, homicídio, pagamento de pedágio, humilhação da mulher e muito mais. Sirva-se:

O Alcorão Trechos.------------------

(Omiti as páginas do Alcorão aqui, porque elas estão bem detalhadas em tópicos mais adiante. É grande e ficaria repetitivo, msas no fórum estava tudo lá)

E note, eu não manipulei. São da mesma tradução do Samir El- Hayek, que você tem aí. É só conferir Então você explica tudo isso e nós veremos, quem tem pena de

quem?

José Moreira da Silva Dizem que não é exatamente o Alcorão que é culpado pelo comportamento dos terroristas muçulmanos que se matam em nome de Deus. No entanto, eu gostaria que algum muçulmano ou estudioso me explicasse como devemos interpretar os textos abaixo que foram extraídos do Alcorão. A minha interpretação de todos eles é que incentivam os muçulmanos a combaterem todos que não tem a sua fé e que quem morrer em nome de Deus terá ótimas recompensas. Sendo assim, minha interpretação é que ele promove não só o suicídio em nome de Deus como também combater sem tréguas todos os que não são muçulmanos. E também incentiva parte da população que vive em paz apoiar os guerrilheiros. Estou certo?Se eu estiver errado, me mostrem, pois não estudei o Alcorão extensivamente e sou apenas um humilde curioso em busca da verdade.Gostaria de ouvir outras interpretações para esses textos.

Surata 9:4-5 Cumpri o ajuste com os idólatras, com quem tenhais um tratado, e que não vos tenham atraiçoado e nem tenham secundado ninguém contra vós; cumpri o tratado até à sua expiração. Sabei que Deus estima os tementes. Mas quando os meses sagrados houverem transcorrido, matai os idólatras(564), onde quer que os acheis; capturai-os, acossai-os e espreitai-os; porém, caso se arrependam, observem a oração e paguem o zakat, abri-lhes o caminho. Sabei que Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo.

Surata 9:29-33 Combatei aqueles que não crêem em Deus e no Dia do Juízo Final, nem abstêm do que Deus e Seu Mensageiro proibiram, e

nem professam a verdadeira religião daqueles que receberam o Livro, até que, submissos, paguem o Jizya. Os judeus dizem: Ezra é filho de Deus; os cristãos dizem: O Messias é filho de Deus. Tais são as palavras de suas bocas; repetem, com isso, as de seus antepassados incrédulos. Que Deus os combata! Como se desviam! Tomaram por senhores seus rabinos e seus monges em vez de Deus, assim como fizeram com o Messias, filho de Maria, quando não lhes foi ordenado adorar senão a um só Deus. Não há mais divindade além d’Ele! Glorificado seja pelos parceiros que Lhe atribuem! Desejam em vão extinguir a Luz de Deus com as suas bocas; porém, Deus nada permitirá, e aperfeiçoará a Sua Luz, ainda que isso desgoste os incrédulos. Ele foi Quem enviou Seu Mensageiro com a Orientação e a verdadeira religião, para fazê-la prevalecer sobre todas as outras, embora isso desgostasse os idólatras.

Surata 9:122-123 Não devem todos os fiéis, de uma só vez, sair para o combate; deve permanecer uma parte de cada coletividade, para instruir-se na fé, e assim admoestar sua gente quando regressar, a fim de que se acautelem.(600) Ó fiéis, combatei os vossos vizinhos incrédulos para que sintam severidade em vós; e sabei que Deus está com os tementes.

Surata 25:52 Não dês ouvido aos incrédulos; mas combate-os com denoda, com este (o Alcorão).

Surata 47:2-4 Outrossim, quanto aos fiéis, que praticam o bem e crêem no que foi revelado a Mohammad esta é a verdade do seu Senhor Deus absolverá as suas faltas e lhes melhorará as condições. (Isso não ocorrerá com os incrédulos) porque os incrédulos seguem a falsidade, enquanto os fiéis seguem a verdade do seu Senhor. Assim Deus evidencia os Seus exemplos aos humanos.E quando vos enfrentardes com os incrédulos(1493), (em batalha), golpeai-lhes os pescoços, até que os tenhais dominado(1494), e tomai (os sobreviventes) como prisioneiros. Libertai-os, então, por generosidade ou mediante resgate(1495), quando a guerra tiver terminado. Tal é a ordem. E se Deus quisesse, Ele mesmo ter- Se-ia livrado deles; porém, (facultou-vos a guerra) para que vos provásseis mutuamente. Quanto àqueles que foram mortos pela causa de Deus(1496), Ele jamais desmerecerá as suas obras.

Surata 4::74 Que combatam pela causa de Deus aqueles dispostos a sacrificar a vida terrena pela futura, porque a quem combater pela causa de Deus, quer sucumba, quer vença, concederemos magnífica recompensa.

Surata 4:77 Não reparaste naqueles, aos quais foi dito(280):

Contende as vossas mãos, observai a oração e pagai o zakat? Mas quando lhes foi prescrita a luta, eis que grande parte deles temeu as pessoas, tanto ou mais que a Deus, dizendo: Ó Senhor nosso, por que nos prescreves a luta? Por que não nos concedes um pouco mais de trégua? Dize-lhes: O gozo terreno é transitório; em verdade, o da outra vida é preferível para o temente; sabei que não sereis frustrados, no mínimo que seja.

Surata 66:9 Ó Profeta, combate com denodo os incrédulos e os hipócritas, e sê inflexível para com eles, pois a sua morada será o inferno. E que funesto destino!

Retirei alguns desses textos daqui (http://free.freespeech.org/rationalthinking/) E usei o Alcorão desse endereço

para confirmar os mesmos.

F.Klein Vão dizer que isso é uma alusão à história de guerras, mas que, particularmente, acho que se essa é a base do islamismo, então ISLAMISMO é mesmo GUERRA e TERRORISMO. Base é base.

Alfredo Duvido que eles respondam!

Repare que quanto mais você buscar

no Alcorão, mais absurdos encontra. Eu já concluí que 30% do livro, só

fala em combate, guerra, sacrificar vidas, escravidão etc, 50% é simplesmente uma cópia mal traduzida do Torá ou da Bíblia e o resto baboseiras que eles chama de "conhecimento", completamente desatualizados para o mundo atual, como bater em mulher, casar com escrava, essas coisa

Talvez por isso

mesmo a cabeça deles seja enrolada. Enrolam a si próprios.

Dizem que o Alcorão foi escrito em linguagem de difícil

interpretação. Séculos para traduzir tudo para o português e ainda lemos coisas que dizem, que não é bem o que se entende e que não dizem bem aquilo querem dizer e está escrito. Isso é hipocrisia, falsidade pura, mentira deslavada, tentando fazer aquele que pede explicações convincentes, de bobo. Acham que os brasileiros são bobos também. (muitos são, mas uma

Continuem pensando que o

minoria) Enrolem, continuem enrolando!

mundo culto ocidental é semelhante aos analfabetos estúpidos de antolhos

aos boçais

do norte da África, ao povo analfabeto do Paquiistão!

, fanáticos do Iram, à reles escória que aplaude o Sadam Hussein! Continuem se iludindo, pensando que explicações grosseiras, do tipo que eu li acima, esclarecem tais coisas. Mestres em enrolação, é o que vocês são.

Olhem um exemplo de como eles explicam, por exemplo, a surata abaixo:

A arte dos islâmicos de enrolar, é impressionante!

4 / 56 - Quanto àqueles que negam os Nossos versículos, introduzi- los-emos no fogo infernal. Cada vez que a sua pele se tiver queimado, trocá-la-emos por outra, para que experimentem mais e mais o suplício. Sabei que Deus é Poderoso, Prudentíssimo

Aí eles explicam:

(20 linhas

enrolando) de tal sorte que aqueles que negam nossos versículos e invadem nossas casa para matar nossas crianças precisam ser

(+ 20

linhas) de tal forma que o introduziremos no aprendizado do santo livro (+ 10 linhas), porque Israel matou um menino e cegou uma menina no século XII, (+ 30 liinhas de história de sofrimento do Egito) e matou mais

dois palestinos (+ 30 linhas sobre a opinião de 50 terroristas sobre os judeus) e por aí vai Olhem, meu amigos. Quantas pessoas, por delicadeza, vão saindo de mansinho depois das suas explicações e vocês ficam pensando que conseguiram enrolar mais alguns. Na verdade saem rindo por dentro,

- exatamente como eu

pensando: Qual! penso.

Ah

o amor do islam prega a paz e a concórdia

aconselhados a trocar a sua pele, no sentido de opinião mental

Esses fanáticos não têm jeito

A quem vocês pensam que enganam? Uma boa pergunta

Vocês tem que aprender a responder sim ou não: Tentem fazer isso com relação à surata acima:

1) “Os que negam os Nossos versículos” são todos os que não seguem a religião islâmica? (Eu a minha família, os brasileiros, os americanos, o resto todo do planeta). Sim ou não? 2) Introduzir no fogo infernal é torturar e causar suplício físico a esses cidadãos? Sim ou não? 3) Trocar a pele para causar mais suplício ainda, é o mesmo torturar essas pessoas? Sim ou não?

E

na surata:

4

/ 74 - Que combatam pela causa de Deus aqueles dispostos a

sacrificar a vida terrena pela futura, porque a quem combater pela causa de

Deus, quer sucumba, quer vença, concederemos magnífica recompensa.

4) “Combater” aqui significa pegar em armas, facas, armas de fogo e disparar contra os seus semelhantes e matar aqueles que não aceitam os escritos do Alcorão? Sim ou não? 5) “Sacrificar a vida terrena”, significa morrer na luta, ou como um terrorista suicida, pelas razões religiosas? Sim ou não? 6) “Quer sucumba quer vença terá magníficas recompensas”, quer dizer: quer mate, quer morra irá para o paraíso utópico cheio de virgens preparado por Alá? Sim ou não?

E

nas suratas:

4

/ 76 e 77 -Os fiéis combatem pela causa de Deus; os incrédulos,

ao contrário, combatem pela do sedutor. Combatei, pois, os aliados de Satanás, porque a angústia de Satanás é débil. Não reparaste naqueles, aos quais foi dito: Contende as vossas mãos, observai a oração e pagai o zakat? Mas quando lhes foi prescrita a luta, eis que grande parte deles temeu as pessoas, tanto ou mais que a Deus, dizendo: Ó Senhor nosso, por que nos prescreves a luta? Por que não nos concedes um pouco mais de trégua? Dize-lhes: O gozo terreno é transitório; em verdade, o da outra vida é preferível para o temente; sabei que não sereis frustrados, no mínimo que seja.

7) Os “incrédulos” que não seguem o Alcorão, são considerados aliados de satanás? Sim ou não? 8) Os Estados Unidos são considerados aliados de satanás? Sim ou

não?

9) Combater, com armas e explosivos, os EUA, não é a recomendação dessa surata? Sim ou não? 10) Zakat é uma contribuição financeira condicionada a entrada no paraíso, tal qual os dízimos dos cristãos? Sim ou não? 11) Essa surata induz o fiel a lutar mesmo quando ele prefere a trégua, e não compreende e não quer lutar? Sim ou não? 12) Essa surata estimula o combatente armado de facas e armas de fogo a lutar, não se importando com a perda de sua vida terrena? Sim ou não?

ao

terrorismo religioso, à matança em nome de Deus, à tortura dos considerados infiéis e justificam os homens bombas e a destruição do W.T.

Center? Sim ou não?

13)

Essas

recomendações

do

Alcorão,

são

uma

indução

E nas suratas:

2 / 221 - Não desposareis as idólatras até que elas se convertam, porque uma escrava fiel é preferível a uma idólatra

2 / 228 - E seus esposos têm mais direito de as readmitir, se

desejarem a reconciliação, porque elas tem direitos equivalentes aos seus

deveres, embora os homens tenham um grau sobre elas,

desposar duas, três ou quatro das que vos

aprouver, entre as mulheres.

4 / 34 - Os homens são os protetores das mulheres, porque Deus

dotou uns com mais (força) do que as outras, e pelo o seu sustento do seu pecúlio. As boas esposas são as devotas, que guardam, na ausência (do marido), o segredo que Deus ordenou que fosse guardado. Quanto àquelas, de quem suspeitais deslealdade, admoestai-as (na primeira vez), abandonai os seus leitos (na segunda vez) e castigai-as (na terceira vez); porém, se vos obedecerem, não procureis meios contra elas.

4 /

3

podereis

-

14) Preferível desposar uma escrava, significa que é certo ter escravas e desposa-las? Sim ou não? 15) Dizer que o homem tem um grau sobre as mulheres é sinal de que o homem deve ser considerado superior? Sim ou não?

16) Podereis desposar até quatro mulheres, significa que um anjo aconselhou a poligamia? Sim ou não? 17) O homem é protetor da mulher porque tem mais força? Sim ou

não?

18) Por uma simples suspeita de deslealdade, o anjo sugeriu o castigo à mulher? Sim ou não? 19) Que esses castigos devem ser físicos, como surras com chicote e açoite? Sim ou não? 20) “Se vos obedecerem” significa que a mulher deve ser subserviente, obediente tal qual uma cadela? Sim ou não? 21) Que tais preceitos ditados pelo Alcorão, são a base do conhecimento tão elogiado pelos islâmicos? Sim ou não?

Então esse é o problema. Não adianta enrolar, dizer que o islamismo é paz e amor, que eu esfrego nas suas caras as suratas do seu próprio livro sagrado. Podem se enraivecer, podem espumar de ódio. É mais um ódio para acumular no coração dos muçulmanos, mas não podem fugir dessas evidências. Não adianta enrolar, não adianta inventar novas interpretações para o Alcorão. Virem o disco. Mudem o Alcorão e terão dado o primeiro passo certo em direção à paz verdadeira. Essa mesma retórica de amor maravilhoso, vocês devem escrever lá, não aqui, porque fica um cheiro forte de hipocrisia. E isso já encheu o saco!

José Moreira da Silva Alfredo. Pelo visto só vc respondeu minhas perguntas. Os islamicos nem se apresentaram. E obrigado por mais umas suratas interessantes.

F.Klein Eles só estão colando o que interessa e convém a eles. Os debates onde foram desmascarados como pacifistas, como racistas, como invasores e acusadores de outros povos e religiões, eles conseguiram empurrar para fora, colando uma enxurrada de novos tópicos. Tudo que foi dito antes e que mostrava a verdadeira face do islamismo, foi empurrado para fora para ninguém ler. Foram colando debates em cima de debates e fugiram da verdade. Mas a verdade aparece. É a Lei divina.

José Moreira da Silva

Realmente,Klein,

parece

que

interessam. Cade as respostas?

querem

colar

coisas

q

lhes

Abu Salahudin Salam para Todos, Se vcs. soubessem como estou contente em participar com vcs. nesse forum, hoje passei a tarde inteira em gargalhadas, isso por que estava lendo as respostas postadas pelos demais participantes, já deu para notar que temos entre os participantes um ou uma judia, um que dis ser ateu, temos um louco, gostaria de conhecer o resto antes de começar a responder.

A religião islâmica é clara só não entendem quem não quer entender, ontém postei vários tópicos diferentes para vcs. aprenderem um pouco mais, antes de sairem postando bobagens. Boa leitura, informação é cultura. Salam para todos,

Eternalman É Moreira! Aí te pergunto como pode um escritura que tem as aberrações que você muito bem citou ser sagrada? Só fanáticos podem acreditar que matar é sagrado. Se ser contra este tipo de intolerância religiosa é loucura, então sou louco, como dizem os islâmicos deste fórum. Você fez as perguntas, o que responderam, reconheceram um mínimo erro? Não eles colam textos escritos pelas autoridades islâmicas, ele tem até um manual de como responder, as perguntas sobre as falhas das ditas escrituras sagradas. Mas quando tentam pensar, não conseguem, aí saem com essa de chamar os outros de loucos. Não para eles o Corão é infalível, assim como o Papa é infalível para os Católicos. Eles não tem a menor compostura, e aos poucos vão revelando a sua verdadeira face!

F.Klein Concordo. Mas, realmente, as respostas que dão de que o mundo manipula a história, nós manipulamos os fatos, enquanto eles nem argumentos tem, é demais.

José Moreira da Silva Aí te pergunto como pode um escritura que tem as aberrações que você muito bem citou ser sagrada?

Sagrado é o que a gente chama de sagrado. Para mim o amor que sinto por mim e pelos meus é sagrado porque sinto isso e porque não me incomodo em sentir. As coisas que valorizo são sagradas e as que não valorizo não significam nada para mim. A decisão é de cada um. Agora na minha opinião as pessoas consideram a Bíblia, o Corão e o Torah sagrados porque aprenderam desde a infância que são. Falta de reflexão. E o pior é que esses livros moldam o modo de pensar das pessoas e assim, o ser humano acaba não evoluindo, pois está preso a uma mentalidade mais primitiva. Fazer o que? Na minha opinião acreditar em Deus como você acredita não faz mal a ninguém, pois você está livre de formas arcaicas de pensamento. Você acredita, mas não se prende por “livros sagrados” e, portanto nunca vai ser um fanático. Que ninguém me acuse de ser anti- teista.

Só fanáticos podem acreditar que matar é sagrado.

Imagina você crescer ouvindo isso o tempo todo? Como disse o chefe de campanha nazista. Esqueci o nome. “Uma mentira, se for repetida inúmeras vezes, se torna uma verdade.” Para mim matar é sagrado para defender os que você ama e a você mesmo, mas matar em nome de algo que ninguém nem pode confirmar que existe? Eu também mataria para defender os ideais do Estado moderno porque gosto da liberdade que gozo. Se alguém ameaçar essa liberdade, eu pegaria em armas. Infelizmente eu já senti a irracionalidade na carne e por isso sei que com certas pessoas não adianta querer negociar ou raciocinar, tem que ser na porrada mesmo. Enquanto existir a irracionalidade, as pessoas vão continuar a se matar.

Se ser contra este tipo de intolerância religiosa é loucura, então sou louco, como dizem os islâmicos deste fórum.

Quando você ouve budistas conversando, eles perguntam uns aos outros. “Que budismo você pratica?” Eles acham que existem vários caminhos para os mesmos fins. Agora as religiões que vieram do judaísmo são um câncer porque elas se dizem “A Ùnica Verdade.” Assim não tem escolha. Ou você aceita, ou leva ou dá porrada.

José Moreira da Silva Concordo. Mas, realmente, as respostas que dão de que o mundo manipula a história, nós manipulamos os fatos, enquanto eles nem argumentos tem, é demais.

Eu concordo que todo mundo manipula a história mesmo. Por isso tenho umas opiniões meio esdrúxulas na opinião de muitos porque gosto de ler de diversas fontes que se contradizem. Mas o Corão é o Corão. Basta ler para ver que leva a violência. Não precisa muitos neurônios para isso. O Velho Testamento também não fica atrás. O Novo Testamento até que é pacifista, mas o Deus dele também não vale nada por que promete exterminar a humanidade num apocalipse. Mas seria bem melhor para a humanidade jogar esses livros no lixo e simplesmente acreditar em Deus ou ser ateu.

Eternalman

A

autodefesa é um direito!

Se

defender é um instinto natural de qualquer um.

Qualquer pessoa quando atacada de surpresa reage e se defende. Agora distorcer o direito de autodefesa para fazer o que convém.

Tomar a iniciativa e atacar os outros afirmando que é autodefesa é um absurdo.

E em muitos casos na autodefesa não precissamos necessariamente

matar ninguém. Assim matar nunca é sagrado. Se matarmos alguém em nossa autodefesa, devemos sempre nos perguntar? Usei a força para me defender, mas me excedi no uso desta força? O que poderia ter feito para evitar a morte do outro?

O Verdadeiro Guerreiro é aquele que sabe fazer o uso da força,

quando inevitável e necessária na medida certa, sem crueldade e sem vingança.

O Verdadeiro Guerreiro é amante da paz, pois luta em sua defesa.

Assim como repreendemos nossos filhos pelos seus erros, e quando a situação foge do controle e temos que usar um tipo de violência verbal, devemos sempre medir as nossas palavras.

E também devemos ser fraternos com os derrotados que tentaram

nos atacar, tentar compreender os motivos de suas ações, termos

autocritica de que possamos estar errados em algum ato ou fato, que pode ter motivado o ataque. Temos que aprender a ouvir, a escutar os que os nossos inimigos reclamam de nós, podemos estar errados em alguns pontos. E a melhor forma de evitar a violência é o dialogo. Para nos defendermos temos que usar o recurso da violência, mas o uso da força deve ser controlado e estar submetido a prudência e o amor ao próximo. Assim atacar alvos civis e crianças é covardia! Mais covardia ainda é dizer que é autodefesa. Se um guerreiro é honrado ele procura promover luta com outro guerreiro, não contra crianças, velhos e pessoas indefesas. Se uma pessoa ataca alvos civis é covarde, não é guerreiro, pois só ataca alvos indefesos, tem medo de combater um guerreiro.

José Moreira da Silva Eternalman, Como já te disse. Entre muitas coisas que sou, sou um praticante do bushido japones. Este conceito de honra está nele. Qual a graça de aniquilar um fraco? Onde está o desafio? Quanto maior o oponente, maior a glória na vitória. Mas luta fisica devia ser travada somente no esporte. Bem que podiam fazer algo assim. Ao inves de guerras, uma luta entre representantes dos paises. É mais racional. E isso devia ser usado somente em impasses, senão o ser humano ia usar esse recurso o tempo todo. Eta racinha idiota.

Naturalista Um islâmico não explica. Um islâmico enrola ou se cala. Um islâmico não raciocina. Se raciocinasse não seria islâmico. Islâmico apenas repete o que decorou, lembrando um papagaio que fala, mas não sabe o que diz. Não esperem respostas pois. Eles não têm respostas, porque não perguntam.

Eternalman Em geral os religiosos que seguem textos ditos sagrados não tem opinião própria, nem sistema de raciocínio natural e lógico. É a fé cega! Mas eles respondem interpretando o texto da forma que convém.

Quando convém Jihad, é combate, quando não convém Jihad é outra coisa, e assim por diante.

CONHECER O ISLAN Quando convém convivem com terroristas e os apoiam.

Vídeo disponível na URL

http://cnn.com.br/2002/mundo/americas/02/22/pearl/index.html

(AS GARRAS DO FUNDAMENTALISMO ISÂMICO - o mesmo que cresce no mundo)

O repórter teria levado 24 horas tentando convencer os funcionários do consulado norte-americano a ver o vídeo. No vídeo, que tem curta duração basicamente o tempo da execução -, é possível ver também as mãos de duas ou três pessoas. O corpo do jornalista de 38 anos ainda não foi encontrado e as autoridades dizem ainda desconhecer o local onde Pearl foi executado. A autoridade paquistanesa que falou sobre o conteúdo da fita contou que, em seus últimos momentos, Pearl balbuciou que era judeu, assim como seu pai. "Talvez ele tenha sido obrigado pelos seqüestradores a dizer isso", disse a autoridade. "Imediatamente antes de ser degolado, ele falou: 'Sim, eu sou judeu e meu pai é judeu'". Al Qaeda Para Riffat Hussein, analista em estratégias de defesa da Universidade de Quaid-e-Azam, em Islamabad, a sofisticação do seqüestro de Pearl indica um possível envolvimento da rede terrorista de Osama bin Laden, a Al Qaeda. "Se analisarmos as características do caso, como a metodologia empregada, o uso de e-mails e videoteipe, isso sugere possíveis e expressivos vínculos com a Al Qaeda", declarou Hussein. Pearl foi seqüestrado em 23 de janeiro em Karachi, a maior cidade do Paquistão, quando seguia para uma entrevista com um líder radical islâmico, como parte de uma reportagem em que investigava supostas conexões entre o "homem do sapato-bomba" Richard Reid e a Al Qaeda. O presidente do Paquistão, general Pervez Musharraf, prometeu, nesta sexta-feira, todos os esforços para procurar e prender os responsáveis pelo crime. Investigações Por meio de um comunicado, a assessoria de Musharraf informou que o presidente deslocou funcionários de todas as agências de segurança e do serviço secreto para a região onde Pearl foi seqüestrado. Fontes próximas às investigações informaram que suspeitos do crime, que já estavam detidos, foram novamente interrogados. Em Washington, um alto funcionário do governo norte-americano disse que a fita de vídeo está

sendo analisada com técnicas forenses, a fim de que seja determinado exatamente quando Pearl morreu. O seqüestro do jornalista levou os governos dos Estados Unidos e do Paquistão a fazerem apelos públicos por sua libertação, além de resultar na prisão de diversos suspeitos. Entre os detidos está Ahmed Omar Said Sheikh, militante islâmico que foi libertado de uma prisão na Índia em 1999 graças a um acordo que pôs fim a um seqüestro de avião. Fahad Nasim, um outro suspeito, disse, perante um tribunal paquistanês, na quinta-feira, que Pearl foi capturado porque "era antiislâmico e judeu". Nasim, que admitiu ter sido informado da ação com dois dias de antecedência, contou ter enviado os e-mails com fotos de Pearl, seguindo instruções de Said Sheikh. O militante também revelou o papel que outros suspeitos alguns já presos e outros, foragidos tiveram no crime.

Mais detalhes na URL

http://cnn.com.br/2002/mundo/americas/02/22/pearl/index.html

O ISLAMISMO NO ORIENTE MÉDIO - Arábia Saudita

Saudita é condenado a 4.750 chicotadas por violentar cunhada

Um tribunal religioso da Arábia Saudita condenou um de seus cidadãos a receber 4.750 chicotadas depois de julgá-lo culpado de adultério com sua cunhada, publicou a imprensa local.

Segundo o diário saudita "Al Iqtisadia", que não revela a identidade do acusado, ele foi detido depois que a Polícia recebeu uma denúncia de sua cunhada, que denunciuu que tinha sido violentada por ele e obrigada a prosseguir com as relações sob a ameaça de contar tudo à família. A sentença, decidida por um tribunal da cidade santa de Meca, no leste do país, determina que o culpado seja flagelado em 50 rodadas de 95 chicotadas, até cumprir a quantidade imposta pelos juízes.

A denunciante não escapou ilesa, sendo condenada a seis meses de

prisão e 65 chicotadas. A Arábia Saudita, país regido por uma rigorosa aplicação da lei islâmica (Sharia), condena com penas de flagelação e amputação de membros os delitos que considera menores, enquanto que impõe penas de morte aos violentadores, ladrões a mão armada, assassinos, traficantes de drogas e bruxos, entre outros criminosos.

OBS.: Só os terroristas são poupados para que continuem desviando a atenção do povo da manipulação de seus governantes. O terrorismo convive pacificamente nos governos de base islâmica.

Mais uma para a coleção. Obra de islâmicos:

WASHINGTON (CNN) -- O vídeo que levou as autoridades norte- americanas a confirmar oficialmente o assassinato do jornalista Daniel Pearl mostra que o correspondente do Wall Street Journal foi degolado por seus seqüestradores no Paquistão. A informação foi divulgada nesta sexta-feira por um alto funcionário do governo paquistanês. Segundo a fonte, a fita de vídeo retratando o momento em que os seqüestradores cortaram a garganta de Pearl foi enviada a um repórter paquistanês da cidade de Karachi na quarta ou quinta-feira. Explicar o quê? Os atos explicam e as palavras floreiam.

Alfredo José Moreira, de fato concordo com você, porque o certo é acabar com todas essas religiões que são apenasmotivo de guerras no mundo, mas considerando a porcaria que existe e já está enraigada no povo, faço um pequena distinção entre o terrorismo da bíblica e o do Alcorão. A bíblia conta uma história, coisa passada, fatos que não são incentivados a ser seguidos, e o Alcorão faz uma pregação de ações atuais, como regras a ser cumpridas hoje, baseado no que foi escrito há 1.400 anos atrás. Então, vamos que um fundamentalista cristão queira tomando o exemplo da bíblia, ter 700 mulheres como Salomão, é um caso a pensar, mas induzir a matar o seu semelhante, só porque ele não aceita o que está escrito, só o Alcorão mesmo. Leia só essas poucas suratas e confirme isso:

Surata 7------- 4 - Quantas cidades temos destruído! Nosso castigo tomou-os (a seus habitantes) de surpresa, enquanto dormiam, à noite, ou faziam a sesta. 94 a 96 - Jamais enviamos um profeta a cidade alguma, sem antes afligirmos os seus habitantes com a miséria e adversidade, a fim de que se humilhem.

Depois lhes trocamos o mal pelo bem, até que se constituíssem em uma sociedade e, não obstante, disseram: A adversidade e a prosperidade experimentaram-nas nossos pais. Então, de repente, surpreendemo-los com castigo, quando menos esperavam. Mas, se os moradores das cidades tivessem acreditado (em Deus) e O tivessem temido, tê-los-íamos agraciado com as bênçãos dos céus e da

terra. Porém, como rejeitaram (a verdade), arrebatamo-los pelo que lucravam. 100 - Não é, porventura, elucidativo para aqueles que herdaram a terra dos seus antepassados que, se quiséssemos, exterminá-los-íamos por seus pecados e selaríamos os seus corações para que não compreendessem?

101 - Quanto viajantes pela terra não sereis recriminados por

abreviardes as orações, temendo que vos ataquem os incrédulos; em verdade, eles são vossos inimigos declarados.

104 - E não desfaleçais na perseguição ao inimigo; porque, se

sofrerdes, eles sofrerão tanto quanto vós; porém, vós podeis esperar de Deus o que eles não esperam; sabei que Deus é Sapiente, Prudentíssimo. Surata 8 ------- 7 - Recordai-vos de que, quando Deus vos prometeu que teríeis de combater um dos dois grupos, desejastes enfrentar o desarmado. E Deus quis fazer prevalecer a verdade, com as Suas palavras, e exterminar os

incrédulos,

12 - E de quando o teu Senhor revelou aos anjos: Estou convosco;

firmeza, pois, aos fiéis! Logo infundirei o terror nos corações dos

incrédulos; decapitai-os e decepai-lhes os dedos!

15 a 17-Ó fiéis, quando enfrentardes (em batalha) os incrédulos,

não lhes volteis as costas. Aquele que, nesse dia, lhes voltar as costas a menos que seja por estratégia ou para reunir-se com outro grupo incorrerá na abominação de Deus, e sua morada será o inferno. Que funesto destino!

Vós que não os aniquilastes, (ó muçulmanos)! Foi Deus quem os aniquilou; e apesar de seres tu (ó Mensageiro) quem lançou (areia), o efeito foi causado por Deus. Ele fez para Se provar indulgente aos fiéis, porque é Oniouvinte, Sapientíssimo.

19 - (Ó incrédulos) se imploráveis a vitória, eis a vitória que vos foi

dada; se desistirdes, será melhor para vós; porém, se reincidirdes, voltaremos a vos combater e de nada servirá o vosso exército, por

numeroso que seja, porque Deus está com os fiéis.

39

- Combatei-os até terminar a intriga, e prevalecer totalmente a

religião de Deus. Porém, se se retratarem, saibam que Deus bem vê tudo o

quanto fazem.

41 - E sabei que, de tudo quanto adquirirdes de despojos, a quinta

parte pertencerá a Deus, ao Mensageiro e aos seus parentes, aos órfãos, aos

indigentes e ao viajante; se fordes crentes em Deus e no que foi revelado ao Nosso servo no Dia do Discernimento, em que se enfrentaram os dois grupos, sabei que Deus é Onipotente.

42 a 45 - Recordai-vos de quanto estáveis acampados na rampa, do

vale, mais próxima (a Madina), e eles na mais afastada, e sua caravana se encontrava mais abaixo Se tivésseis marcado um encontro com o inimigo, ter-vos-íeis desencontrado e os enfrentastes para que Deus cumprisse Sua decisão prescrita, a fim de que perecessem aqueles que, com razão, deveriam sucumbir, e sobrevivessem aqueles que, com razão, deveriam sobreviver; sabei que Deus é Oniouvinte, Sapientíssimo. Recorda-te (ó Mensageiro) de quando, em sonhos, Deus te fez crer (o exército inimigo) em número reduzido, porque, se te tivesse feito vê-lo numeroso, terias desanimado e terias vacilado a respeito do assunto; porém, Deus (te) salvou deles, porque bem conhece as intimidades dos corações. E de quando os enfrentastes, e Ele os fez parecer, aos vossos olhos, pouco numerosos; Ele vos dissimulou aos olhos deles, para que se

cumprisse a decisão prescrita, porque a Deus retornarão todas as questões. Ó fiéis, quando vos enfrentardes com o inimigo, sede firmes e mencionai muito Deus, para que prospereis.

50 - Ah, se pudésseis ver a ocasião em que os anjos receberão os

incrédulos, esbofeteando-os, açoitando-os e dizendo-lhes: Provai o suplício do fogo infernal! 54 - Tal foi o comportamento do povo do Faraó e de seus antecessores, que desmentiram os versículos do seu Senhor. Aniquilamo- los, por seus pecados, e afogamos a dinastia do Faraó, porque todos eram

iníquos. 57- Se os dominardes na guerra, dispersai-os, juntamente com aqueles que os seguem, para que meditem.

60 - Mobilizai tudo quando dispuserdes, em armas e cavalaria, para

intimidar, com isso, o inimigo de Deus e vosso, e se intimidarem ainda outros que não conheceis, mas que Deus bem conhece. Tudo quanto investirdes na causa de Deus, ser-vos á retribuído e não sereis defraudados.

65

- Ó Profeta, estimula os fiéis ao combate. Se entre vós houvesse

vinte perseverantes, venceriam duzentos, e se houvessem cem, venceriam

mil do incrédulos, porque estes são insensatos.

66 a 70 -Deus tem-vos aliviado o peso do fardo, porque sabe que há

um ponto débil em vós; e se entre vós houvesse cem perseverantes, venceriam duzentos; e se houvesse mil, venceriam dois mil, com o beneplácito de Deus, porque Ele está com os perseverantes. Não é dado a profeta algum fazer cativos, antes de lhes haver subjugado inteiramente a região. Vós (fiéis), ambicionais o fútil da vida terrena; em troca, Deus quer para vós a bem-aventurança do outro mundo, porque Deus é Poderoso, Prudentíssimo. Se não fosse por um decreto prévio de Deus, Ter-vos-ia açoitado um severo castigo, pelo que havíeis arrebatado (de resgate). Desfrutai, pois, de tudo quanto conseguis um lícito e temei a Deus, porque Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo. Ó Profeta, dize aos cativos que estão e vosso poder: Se Deus

descobrir sinceridade em vossos corações, conceder-vos-á algo melhor do que aquilo que vos foi arrebatado e vos perdoará, porque é Indulgente, Misericordiosíssimo.

74 - Quanto aos fiéis que migraram e combateram pela causa de

Deus, assim como aqueles que os apararam e os secundaram estes são os verdadeiros fiéis obterão indulgência e magnífico sustento.

Fundamental Tambem protesto contra este forum. Abaixo moderações! Queremos divulgar o islamismo radical! Vocês ficam inventando mentiras! Fazem livros de historia, desses que se encontra em qualquer livraria, que são mentiras! Por isso, nós do movimento islamico radical abolimos a historia e a geografia! Nós criamos o método escolar mais moderno do mundo. Depois ficam dizendo que nós paramos no tempo. Pura mentira! Historia e geografia são coisas do passado! São manipulações que fazem parte da grande conspiração contra nós! Nossos alunos tem o melhor ensino!

INSCREVA SEU FILHO JÁ! (Me desculpe pelo anúncio de nossas melhores escolas)

[Aguarde 5 segundos, antes de entrar em choque:]

[Aguarde 5 segundos, antes de entrar em choque:] 102
[Aguarde 5 segundos, antes de entrar em choque:] 102
DO FÓRUM RELIGIÃO É VENENO. (O fórum do Claudio) [Vocês me perdoem, mas é que

DO FÓRUM RELIGIÃO É VENENO. (O fórum do Claudio)

[Vocês me perdoem, mas é que eu vou inserir novos comentários entre colchetes, porque eu não agüento ler certas coisas e deixar sem resposta. Fico indignado! Na ocasião desses debates isso não foi possível, por isso fraço agora. Dêem um desconto, tá?]

ACABANDO COM A FARRA ISLÂMICA: (2003)

Alfredo escreveu:

Um pouco da história. (Extraído da Enciclopédia Multimídia Encarta 2000, com comentários meus entre [ ] ) Alcorão, texto sagrado do Islã, contém, para os muçulmanos, uma série de revelações de Alá (Deus) a Maomé. As revelações foram feitas em árabe e, segundo as crenças muçulmanas, através do arcanjo Gabriel

(Yibrail). Quando Maomé as proclamou, os ouvintes memorizavam e, às vezes, escreviam-nas [eram analfabetos] em folhas de palma, fragmentos de osso ou peles de animais. Após a morte de Maomé, no ano 632 d.C., seus seguidores começaram a recolhê-las e, durante o califado de Omar [sucessor de Maomé], em 650, elas foram recompiladas no Alcorão, tal como o conhecemos hoje [terminou no segundo califado]. O árabe em que está escrito o Alcorão distingue-se de qualquer variante idiomática árabe. O estilo do Alcorão é alusivo e elíptico, com gramática e vocabulário difícil. Igual a outras escrituras, está sujeito a diferentes interpretações. [Tal qual as profecias de Nostradamus, profetas bíblicos, ciganas e tantos outros, tipo “não me comprometa” – Fala muito e não diz nada - Cada um interpreta como quer]. A interpretação xiita de alguns versos difere, radicalmente, da interpretação sunita. Nos últimos tempos, tanto os modernistas reformistas, como os fundamentalistas, têm interpretado o texto de maneira que este se adapte a seus respectivos pontos de vista [e objetivos]. É, muitas vezes, a própria natureza dúbia do texto corânico que favorece interpretações tão divergentes.

Em 711, um exército formado principalmente por soldados berberes [árabes do norte da África] atravessou o estreito de Gibraltar e iniciou a “conquista” [Conquista quer dizer: invasão pela guerra] da Península [Sob o lema maometano: Conversão ao Islam, escravidão ou morte]. Estava a completar-se um século sobre a data em que Maomé iniciara, na Arábia, a sua pregação (em 612). Cem anos tinham sido o tempo bastante para que os Árabes tivessem conseguido estender a religião e o domínio político, num imenso espaço, que ia desde o oceano Índico ao Atlântico. A situação das populações perante os invasores dependia da atitude que elas assumiam perante a nova religião [imposta]: se a aceitavam, passavam a fazer parte da comunidade, com igualdade de direitos e deveres; se continuavam fiéis ao cristianismo, podiam manter as propriedades e, embora com algumas limitações, realizar o seu culto, mas eram obrigadas ao pagamento de um tributo. Se resistiam de armas na mão, eram aniquiladas: os que não perdiam a vida eram vendidos como escravos.

Segundo o Islã, Deus dotou de alma cada ser humano e, na hora da morte, o espírito dos crentes é levado até ele. O islamismo divide o céu em patamares cada vez mais sedutores e oferece, aos que morrem na guerra santa (Jihad), a entrada imediata no melhor deles, o sétimo [o mais alto patamar].

Segundo uma doutrina surgida entre os alidas (seguidores de Ali), [Xiitas] a missão profética de Maomé prolongava-se no imanado e o imã é impecável e infalível. Os alidas determinaram que o imã é o único capaz de formular e interpretar leis porque somente a ele, Alá transmitiu o dom do conhecimento perfeito [Isto porque ninguém consegue decifrar as intenções dos escritos do alcorão]. Um desses imãs, foi Khomeini chefe da comunidade xiita que se opôs às medidas ocidentalizadoras do xá Muhammad Reza Pahlavi. Apesar da prosperidade na década de 1970, devido em grande parte aos lucros do petróleo, a oposição ao xá foi se generalizando, incentivada por dirigentes religiosos conservadores. Em 1978 produziram-se distúrbios em várias cidades do Irã, liderados por xiitas, fundamentalistas [radicais na interpretação do texto corânico, porém com a interpretação a seu modo] islâmicos que pretendiam que a nação fosse regida pela sharia ou lei islâmica. Esses distúrbios eram comandados de Paris pelo aiatolá Ruhollah Khomeini, exilado desde 1963. A repressão levada a cabo pela polícia secreta, com uso freqüente da tortura e prisões arbitrárias, deu maior impulso à resistência que rapidamente, insuflada das mesquitas pelos sacerdotes, virou uma revolução. Gozando de um amplo apoio popular, Khomeini eliminou toda a influência ocidental do Irã, bem como qualquer oposição ao regime teocrático xiita.

Os afegãos Talibans. Religião oficial Islamismo Em 1994 lutas começaram em Kabul entre tropas leais ao presidente Rabbani e os simpatizantes do primeiro ministro, líder da facção militar fundamentalista xiita. Uma divisão entre os rebeldes permitiu o crescimento do Taliban, um grupo fundamentalista pertencente ao ramo sunita do islamismo. Em 1996, uma forte ofensiva das milícias Talibans lhes permitiu conquistar Kabul e controlar quase 70 por cento do território afegão. Seu governo tem se caracterizado por uma aplicação rígida da lei islâmica, que inclui os açoites em praça pública para os que consumam álcool, a amputação de membros para os culpados de roubo e uma rígida segregação das mulheres. [Hoje é proibido rádio, televisão, fotografia, as mulheres são proibidas de trabalhar e mostrar nem o rosto. Apanham de vara se forem pegas na rua sozinhas. São queimadas com ácido aquelas que desobedecem as normas dos maridos, apedrejadas se mostrarem o

antebraço. Só têm obrigações e nenhum direito. As crianças são treinadas para morrer guerreando contra Israel e EUA com a promessa de irem direto para o paraíso, com rios de mel e lindas mulheres virgens perenes].

Eduardo Em Nome de Deus o Clemente o Misericordioso

Mais um texto falso sobre o islam, um texto que usa a tentativa de destruir o islam, mais minha campanha missionária é maior :

Vejamos um trecho :

"A interpretação xiita de alguns versos difere, radicalmente, da interpretação sunita. Nos últimos tempos, tanto os modernistas reformistas, como os fundamentalistas, têm interpretado o texto de maneira que este se adapte a seus respectivos pontos de vista. É, muitas vezes, a própria natureza dúbia do texto corânico que favorece interpretações tão divergentes."

MENTIRA, não ha interpretação diferente nenhuma, as diferenças entre shia e sunni vem da sunah segunda fonte sagrada depois do alcorão, um texto que nada sabe sobre o islam obrigado amigo alfredo.

Maria Moreira

Vou

ficar

divertido

assistindo

de

camarote

a

esse

debate.

Vai

ser

Menashe Yisrael

desde quando Jihad é Guerra

Santa??? e o que é professias??? conheço profecia, alias, aqueles comentários entre [] é da enciclopédia ou do Alfredo???

Ei Maria

comentários no camarote

Sabe o que eu mais gosto na Torah??? é justamente as diferentes

interpretações

interpretação

de interpretar, citar os Livros justamente pela incapacidade de tentar interpretá-los, ou o fazem de forma livre e de preferência na lingua traduzida e ñ no original, ahhh sim, e nem se preocupa com a raiz das

palavras

é tão gostoso conhecer a mente humana em cada e mais ainda interessante ver os que nem se dão ao trabalho

afinal deixa isso para os outros

Acho mais ainda interessante, percebendo o pensamento do interpretador, doutrinador e discussões dos sábios, percebe tamanha similaridade porque apenas cada interpretação demonstra o nível espiritual em que se encontra o interpretador, e cada grupo do mesmo nível se adapta

a aquela interpretação, ao passo que outros formam outros grupos de

acordo com o nível

porém, nenhum está em desacordo com o outro no

sentido geral, e mais ainda, pegamos os mentalmente preguiçosos, ou os de nível diferentes ainda, querendo entender algo que não está ao seu alcance,

a não ser que esse trabalhe para avançar e poder perceber aquela

acaba sobrando

pelo

interpretacão no nível em que foi interpretada

gente pra todo lado, encontrando divergências, contradições etc

simples fato de não ter tido a menos vontade de estar no mesmo nível que

aqueles que são criticados

ou seja

Veja aqui

antes que alguém que nos escute nos camarotes,

possam dizer que esse papo de nível, quer dizer que alguém é melhor que

o outro

que um grupo, e como citei níveis diferentes não é hierarquia, porém sim, pessoas em outros níveis, pode sim, um ter passado por vários níveis e

mas essa relação espiritual

portanto que esses não se sintam

não existe, apenas níveis de revelação

portanto essa pessoa é considerada superior

apenas o nível a que me refiro é estar na mesma percepção

não

inferiores, e sim comecem a se posicionar dentro do próprio nível que está,

ou se quer compreender o outro, que passe a conhecer o nível do outro

O Encosto saudações Alfredo! As suas fontes são “sionistas”. Pq vc não pesquisa em fontes mais confiáveis como o jornal estatal iraniano, o jornal estatal da Arábia saudita, o jornal estatal do Egito e os sites estatais hospedados em servidores estatais destes paises? Além disso, duvido vc encontrar uma única publicação ou bibliografia séria feita em qualquer país islâmico que critique o islã.

Alfredo DOMINAR O MUNDO EM NOME DE ALÁ ( 2003) Li com muita preocupação, o texto abaixo da Revista Veja nº 1721:

[[[Os fundamentalistas querem dominar o mundo em nome da Alá Osama bin Ladem e sua corte de fanáticos vivem na clandestinidade, enfurnados em cavernas do Afeganistão, envoltos numa

aura de mistério, mas seus objetivos são bem claros. Basta consultar os escritos do milionário que virou o mais exaltado dos radicais islâmicos. Primeiro ele pretende expulsar os militares americanos das bases que eles mantém na Arábia Súdita, onde a mera presença de não-muçulmanos é vista pelos fanáticos como uma profanação do solo santo onde nasceu o islã. “Todos os esforços devem ser concentrados em combater, destruir e matar o inimigo até que, pela graça de Alá, esteja completamente aniquilado”, esclarece Laden em documento datado de 1906. Realizada a primeira missão divina, ele pretende partir para a segunda, de alcance mais amplo: unir todos os muçulmanos numa mesma comunidade,

governada de acordo com a interpretação mais literal e estrita do Corão.]]]

Costumo lembrar, nos meus textos, que existem problemas com o Corão (Alcorão). Consigo compreender que, para os muçulmanos , ele tem um significado muito forte. É um livro sagrado. Eu respeito e não tenho a intenção de ofender nem ridicularizar uma coisa que para tantos é tão importante e séria. Eu só queria que raciocinassem comigo, que, para uma pessoa que não adota o islamismo como religião, soa muito estranho os textos que compõem a sua estrutura. Consegui uma tradução em português do referido livro, que o jovem Rabih me cedeu e fiquei chocado com aquilo que ensina o Alcorão. Sinceramente, e espero que ninguém me condene por isso, ali está toda a inspiração que os radicais muçulmanos precisam para tentar conquistar o mundo com seus atos de terrorismo. O que faz o Bin Laden senão, simplesmente interpretar o Alcorão ao pé da letra e executar os seus mandamentos? As palavras do terrorista são retiradas literalmente do Alcorão. Assim como a Bíblia ensina nos dez mandamentos a não matar, não roubar, não cobiçar as coisas alheias, o Alcorão ensina a matar, torturar, combater o inimigo desprevenido, apossar-se das suas coisas, tudo feito por ordem divina (Alá) com todas as letras. E é aí que eles aprendem, 5 vezes ao dia, até decorar de trás pra frente e salteado. Eu li somente as 10 primeiras suratas (capítulos) das 114 existentes, e seus muitos versículos, e parei aí mesmo. O absurdo que eu li foi suficiente para adotar esse conceito, me deixar estarrecido e enfim compreender melhor os muçulmanos fanáticos por um bom terrorismo. Que me perdoe o povo de bom coração e espírito de justiça, que existe no meio, mas isso é inadmissível.

Mesmo que 1 bilhão de muçulmanos venha na televisão dizer que o Alcorão prega a paz, a justiça e o amor, eu não posso concordar e qualquer ser vivente desse planeta, que ler o que eu li, onde eu li, também não vai entender isso. O que vai ser feito eu não sei. Como resolver esse problema eu não sei, mas que aí há um grave problema, há! Porque, da forma que vai, nunca encontraremos a paz no mundo, ou melhor, apenas duas alternativas teremos: Quando todos os habitantes não-muçulmanos forem exterminados ou quando todos os muçulmanos forem exterminados da face da terra.

Eles já estão aqui

dentro!

Então, brasileiros, é preciso tomar cuidado!

Karls Eduardo Em Nome de Deus o Clemente o Misericordioso

Eu ja falei que não é allah. é Deus, é porque se colocarem "dominar o mundo em nome de Deus" numa capa de revista aqui no Brasil o povo vai adorar. A veja esta sendo processada pelos muçulmanos no Brasil por informações mentirosas sobre o islam em edições em suas revistas.

Alfredo

E qual é a diferença para os islâmicos chamar Alah de Deus ou

Deus de Alah?!

chama-se Alah. Quando citam muçulmanos e Alah, já se sabe que é o Deus muçulmano. Não vejo diferença. Só que para os leigos, Alah identifica melhor o Deus islâmico. É tudo mentira do mesmo jeito

Qualquer um sabe que para os muçulmanos, o Deus

Primevo Mensagem original postada por Alfredo:

dentro!

“Então, brasileiros, é preciso tomar cuidado! ”

É o bicho papâo não é!!! Que paranoia!!!

Eles já estão aqui

“O que vai ser feito eu não sei. Como resolver esse problema eu não sei, mas que aí há um grave problema, há! Porque, da forma que vai,

nunca encontraremos a paz no mundo, ou melhor, apenas duas alternativas teremos: Quando todos os habitantes não-muçulmanos forem exterminados ou quando todos os muçulmanos forem exterminados da face da terra.”

Você é tolinho?

Alfredo E você?! Não tem opinião? Então põe aí! de camarote é muito confortável, né?! Cai dentro!

Ficar de fora assistindo

Primevo Cair dentro da sua paranoia? Nunca!!! Eu só falo o que quero e como quero. E se me apetecer fazer comentários futeis, é o que farei.

Primevo Só para esclarecer as coisas:

É verdade que as religiões têm coisas que só lembram ao diabo, mas vc confunde religiões com religiosos. O mais importante são as pessoas e o que elas sentem. Você quer convencer, através da falácia da bipartição, da lógica do "ou eu ou o outro", que há uma espécie de confronto religioso, de guerra, entre duas culturas. Você leva essa bipartição ao extremo de julgar que poderá haver só uma solução: o extremínio do outro. Mas eu lhe faço uma pergunta: 1.5 bilhões de muçulmanos, mesmo que alguém lhes dissesse e convencesse que o Islão justifica qualquer barbárie, seguiriam o caminho da barbárie? Não!!! Aplicando a porcaria da sua racionalidade ao mundo da ciência, a solução para o mal em potência que ela pode causar seria acabar com a ciência e os cientistas? E a ciência tem o potencial para destruir mil vezes mais que qualquer religião e ideologia. E o mesmo é verdade para qualquer racionalidade afetada Acorda!!!

Alfredo "Você leva essa bipartição ao extremo de julgar que só pode haver uma solução: o extremínio do outro."

Estou referindo-me ao Alcorão! Essa conclusão é

baseada no que eles pregam!

Combate (armado mesmo) a todos os infiéis!

que o nazismo fazia. Claro que havia alemães que nada tinham a ver com isso, mas quem pode separar o joio do trigo, se todos esticavam o braços e diziam Hi Hitler!!! Não vou ficar aqui analisando caso a caso, principalmente porque todos aprendem na mesma cartilha obrigatória. Eu não estou condenando o povo literalmente, mas o povo cuja religião é o islamismo e acredita que só exterminando com os infiéis eles salvarão o mundo. E é isso que eles pensam. É o que eles dizem, é o que está escrito no seu manual de sobrevivência! NÃO EU!

Eu e você. Isso é o mesmo

Não é gratuita! Eles, os islâmicos pregam o

Espera aí!

Primevo Existem muitas linguagens amiguinho. Aplique o seu raciocínio tosco ao mundo da ciência. A ciência diz: "Eu tenho o potencial de criar mil mundos". Mas a ciência também diz: "Eu tenho o potencial de destruir mil mundos". Deixe de ser parcial. Pregue a destruição da ciência. Essa é a conseqüência lógica da porcaria da sua (i)racionalidade.

Abmael

- Isto é uma tremenda sacanagem meu caro, há radicais malucos

cristãos tb, e eles tem na bíblia tudo q precisam tb, cruzadas, inquisição,

massacre dos anabatistas, etc

vc não a leu ou não conhece história !!!

- Cacete !!!!! é o texto mais dirigido e parcial q já li, como vc cola uma bosta destas ? - Vc é ateu deveria ao menos ser parcial, quer dizer q a bíblia é uma livro q só contém amor ao próximo e o Alcorão é sangrento ? - Vc leu a Bíblia ? - Ela tá cheia de sangue,

tudo feito com base na bíblia, até parece q

- O cara aqui admite q não leu quase nada e já fez um julgamento,

precisa mais ? - quem escreveu este texto foi um fanático anti-islâmico !!!

Tá na cara !!!

- Aqui pelo menos ele é melhor q vc q prega q nenhum muçulmano presta !!!!

- E aqui ele se contradiz com o q disse acima e fica igualzinho a vc,

o seja, um hitler, um maluco, a Veja deveria ser processada por publicar

um lixo destes

- Muito triste este seu posicionamento Alfredo, vc fala como um evangélico fanático maluco, se auto-analise cara, este discurso é típico de religiosos q acham q são donos da verdade, como vc vê algum mérito num texto lixo como este ? - Vc está vendo o q quer ver Um Abraço, ABMAEL Jesus tem cada uma !!!

Maria Moreira Olá Primevo e Abmael.

Foi com satisfação que eu li as mensagens de vocês nesse tópico. Foi só deixarmos o Alfredo sozinho, apenas catucando aqui e ali, para que ele mesmo se enrolasse e a máscara caísse. E Abmael, a VEJA está sendo processada pela Sociedade Beneficente Muçulmana do Rio de Janeiro por causa desse artigo e outros que ela veiculou na mesma época. O juiz reconheceu o mérito da causa e aceitou o processo. Vai ser uma questão longa, como todas as questões da justiça, sem contar que a VEJA está usando todo o poder econômico que tem para se sair bem dessa, mas eu já estou satisfeita de uma entidade islâmica do Brasil ter saído do seu marasmo habitual e tomado uma atitude decente. Salaam,

pug Alfredo, gostando tanto de retirar versículos á toa do alcorão, eu dou-lhe um exemplo da intolerância que você diz encontrar no alcorão.

Alcorão ( Al-Maeda 5.69) Os fiéis, os judeus, os sabeus e os cristãos, que crêem em Deus, no Dia do Juizo Final e praticam o bem, não serão presas do temor, nem se atribularão.

Em todo o alcorão onde pessoas como você diz existir violência (posso até aceitar essa visão), contudo junto a esses versículos existem outros que condenam essa mesma violência e dão caminhos para se tentar evita-la. Nunca confunda a religião com os praticantes da mesma.

Alfredo

Abmael, eu não disse em momento algum que "a Bíblia é um livro que só contém amor ao próximo". Mas digo que o Alcorão é sangrento. Não sou eu quem digo. Você não sabe ler? Então leia no Alcorão!

A Bíblia é outro lixo que não está em questão agora. Peguei apenas

uma citação "de amor" que ali estava escrito, assim como o Alcorão tem citações de amor também. (bem poucas) Já meti o pau na Bíblia suficientemente. Hoje estou discutindo islamismo. Amanhã poderá se o budismo, o espiritismo, o cristianismo! Eu sou um debatedor ateu. Por isso vivo discutindo religião. Qual o problema? Estou num fórum aberto, democrático, inteligente, que se propõe, justamente , a fazer o que eu faço. Discutir religião. Por que o espanto? Eu sou ateu e por isso mesmo, sou contra TODAS AS RELIGIÕES. Como são 5 bilhões de religiosos no mundo, fica difícil, mas não impossível

Pug, eu não estou contestando as partes que condenam a violência. Eu estou contestando as partes que incitam ao terrorismo. Quem lê tudo, interpreta e utiliza a parte que lhe convém. Você acha que os homens- bomba lêem qual parte?!

pug Aqui você refere os homens bomba, eles são terroristas não os muçulmanos, porque você dirige a sua raiva contra toda a comunidade muçulmana, você perde a razão. Abra sua mente, não acredita em Deus deixe os outros acreditar. Aprenda o significado de ser muçulmano na maioria e não nos maus exemplos. Não faça condenações comitivas. Respeite quem pensa de forma diferente, não precisa de aceitar, mas respeite-os. Para se ser respeitado tem-se que respeitar, nesta altura você poderá dizer que eles não o respeitam, lembre-se só quem lançou a primeira pedra

Leia só o que você escreve:

O que vai ser feito eu não sei. Como resolver esse problema eu não

sei, mas que aí há um grave problema, há! Porque, da forma que vai, nunca

encontraremos a paz no mundo, ou melhor, apenas duas alternativas teremos: Quando todos os habitantes não-muçulmanos forem

exterminados ou quando todos os muçulmanos forem exterminados da face da terra.

voçê diz que islamismo é igual ao nazismo, já parou para ler o que escreve, aqui usarei as palavras do primevo "Você é tolinho?

Alfredo

Pug, o que é um cristão? Um seguidor de Cristo, que pratica a religião cristã, que lê a Bíblia, que aceita as diretrizes do Papa etc. Não existe um cristão diferente disso,

ou não será cristão.

O

que é um espírita e o que é um ateu? Todos tem as suas

diretrizes.

Se

um ateu acreditar em algum tipo de deus, não é ateu.

O islâmico é aquele que segue o Alcorão e o lê 5 x por dia. Eu não sei qual a surata nem o verso que eles estão lendo. Eles estão lendo o Alcorão e seguindo os seus ensinamentos. Todo muçulmano segue o Alcorão. Aprende o que ali está escrito. Aprendem a fazer como ali está ensinando. O Alcorão prega o terrorismo. Os terroristas seguem o Alcorão ao pé da letra. Os terroristas são islâmicos, muçulmanos. Pode existir um bandido cristão? O cristianismo ensina a

bandidagem? Então, se é bandido, não é cristão. Diferente de o terrorista é islâmico, segue o islamismo, aprende no Alcorão. Então todo islâmico a partir dos 5 anos de idade, lê o Alcorão e começa a aprender o que ali está ensinando. Terrorismo.

O Alcorão ensina terrorismo, eu já demonstrei e provei isso. Já

colei os versos do Alcorão ensinando o terror. Até a palavra TERROR está lá com todas as letras: "infundiremos o terror àqueles que não aceitam os versos do Alcorão" Eu, você e mais 5 bilhões de pessoas no mundo. Então não há como separar o joio do trigo. Eu diria até, que: Quem não pratica o terrorismo, não é um islâmico, porque contraria a sua lei máxima. Portanto, todo islâmico é um terrorista em potencial e quem não é um terrorista em potencial, não é realmente um islâmico. Deve ser um falso islâmico, um ocidentalizado. Então eu não estou me referindo àqueles que não são realmente islâmicos, mas aos islâmicos - aprendizes de terroristas. Não entendo como isso está sendo difícil de ser assimilado e vocês me cobram essa distinção. Você conhece algum islâmico maravilhoso? Um que não odeie os judeus? Um que não odeie os americanos? Um que não seja um machista e

maltrate as suas mulheres? Um que não tenha escravas? Conhece? Pois

não é um islâmico!

Islâmico é aquele que segue o islamismo, que diz: ataquem os incrédulos; em verdade, eles são vossos inimigos declarados. S. 56 - Quanto àqueles que negam os Nossos versículos, introduzi- los-emos no fogo infernal. Cada vez que a sua pele se tiver queimado, trocá-la-emos por outra, para que experimentem mais e mais o suplício. S.74 - Que combatam pela causa de Deus aqueles dispostos a sacrificar a vida terrena pela futura, porque a quem combater pela causa de Deus, quer sucumba, quer vença, concederemos magnífica recompensa. , capturai-os e matai-os, onde quer que os acheis, porque sobre isto vos concedemos autoridade absoluta. Quanto ao ladrão(370) e à ladra, decepai- lhes a mão, como castigo de tudo quanto tenham cometido; é um exemplo, que emana de Deus S.51 -Ó fiéis, não tomeis por confidentes os judeus nem os cristãos S.4 - Quantas cidades temos destruído! Nosso castigo tomou-os (a seus

habitantes) de surpresa, enquanto dormiam, à noite, ou faziam a sesta! Logo infundirei o terror nos corações dos incrédulos; decapitai-os e decepai-lhes os dedos! Vós que não os aniquilastes, (ó muçulmanos)! Foi Deus quem os aniquilou; e apesar de seres tu (ó Mensageiro) quem lançou (areia), o efeito foi causado por Deus S.96 - Jamais enviamos um profeta a cidade alguma, sem antes

afligirmos os seus habitantes com a miséria e adversidade, a fim de que se humilhem Então, de repente, surpreendemo-los com castigo, quando

menos

palavras, e exterminar os incrédulos, Logo infundirei o terror nos corações dos incrédulos; decapitai-os e decepai-lhes os dedos! S.39 - Combatei-os até terminar a intriga, e prevalecer totalmente a religião de Deus. S.50 - Ah, se pudésseis ver a ocasião em que os anjos receberão os incrédulos, esbofeteando-os, açoitando-os e dizendo-lhes: Provai o

suplício do fogo infernal!. Aniquilamo-los, por seus pecados, e afogamos a dinastia do Faraó, porque todos eram iníquos. Mobilizai tudo quando dispuserdes, em armas e cavalaria, (555) para intimidar, com isso, o inimigo de Deus e vosso- Ó Profeta, estimula os fiéis ao combate. Não é dado a profeta algum fazer cativos, antes de lhes haver subjugado inteiramente a região combateram pela causa de Deus, assim como aqueles que os apararam e os secundaram estes são os verdadeiros fiéis Combatei-os! Deus os castigará, por intermédio das vossas mãos,

É um ocidentalizado.

E Deus quis fazer prevalecer a verdade, com as Suas

S.22 - Os fiéis que migrarem e sacrificarem seus bens e suas pessoas pela causa de Deus(569), obterão maior dignidade ante Deus e serão os ganhadores. Se não marchardes (para o combate), Ele vos castigará dolorosamente, 111 - Deus cobrará dos fiéis o sacrifício de seus bens e pessoas, em troca do Paraíso. Combaterão pela causa de Deus, matarão e serão mortos Ó fiéis, combatei os vossos vizinhos incrédulos para que sintam severidade em vós; e sabei que Deus está com os tementes.

Esse é o verdadeiro muçulmano islâmico!

DOUTRINA PERNICIOSA (2002) Alfredo Quero começar essa explanação da seguinte maneira: Sou um crítico. Crítico é aquele que critica. Como crítico, sou apenas um cidadão qualquer que raciocina, que analisa e compara os acontecimentos à sua volta. Sim, o mundo é muito vasto e cada um se prende a determinadas coisas, abandonando outras por falta de tempo ou interesse. Por acaso eu critico o Alcorão. Por um fator de curiosidade, fui levado a contestar certas coisas que não me pareciam justas no meio muçulmano. Quando ouvia falar dos Talibãs, por exemplo, e as maldades e o desrespeito com que tratavam as suas mulheres, das quais sou admirador e protetor. Para reforçar meus elementos de argumentação, cheguei à história de Maomé e ao Alcorão Um absurdo generalizado - Quanto mais me informava, mais me chocava e pensava, com meus botões, duas coisas principais: Primeiro, como podem existir tais coisas em pleno século XXI? Segundo, observando os métodos vis, dos islâmicos de se expandir no mundo, fiquei realmente preocupado que tentassem introduzir, aqui no Brasil, essa religião absurda e violenta. Como o campo de ação desses fanáticos é entre os pobres e analfabetos, o Brasil nordestino seria um prato cheio para isso. Apesar de convencido da perniciosidade dessa doutrina, sentia-me como uma andorinha só, sem que ninguém, entre os desinformados, que eram maioria, me compreendesse o ponto de vista tão radical. Foi aí que, o Bin Laden fez o favor de mostrar as garras dos terroristas islâmicos e os islâmicos Talibãs ficaram bem mais conhecidos. Foi um choque mundial. As informações na nossa era são muito rápidas e, em poucos meses, o mundo começou a questionar o islamismo, interligado essa fé, a esses atos de terror. Fizeram vínculo também com outros atos de

barbárie que pareciam isolados, homens bomba, grupos terroristas, assassinos fanáticos, palestinos, iraquianos x iranianos, Guerra dos seis dias, Guerra do Golfo, Chechênia, Balcans, Caxemira etc, mas percebeu-se algo em comum em todos eles. O islamismo. Sim, todos ou a imensa maioria dos atos terroristas e disputas armadas em todo mundo, tinham o envolvimento do islamismo. Ligando uma coisa à outra, conclui-se que há algo de errado na doutrina islã. E o que é? O Alcorão! Esse é o nome do desastre que assola o mundo, autenticado por 1,3 bilhões de seguidores. Não fui apenas eu que percebi isso, mas agora, o mundo todo. Então, independente dos racionais islâmicos que tentam justificar essa crença e desvincula-la do terrorismo, eu espero que todos obstruam a expansão dessa doutrina, que não é apenas uma religião, mas uma lei retrógrada, obsoleta e perniciosa, e não dêem espaço para que se desenvolva aqui na nossa pátria pacífica. Que os muçulmanos mudem os seus princípios, para algo construtivo e pacífico se quiserem desfrutar da nossa miscigenação. Falo como brasileiro.

Passo, em seguida, a contestar o texto “Conceitos Básicos”, para desmistificar a máscara que usam como cunha de invasão, para que ninguém perceba tudo isso que eu acabei de mostrar com todas as letras, e abram a guarda para o islamismo. Inicio dizendo que, hoje, eles enxertaram textos contraditórios ao Alcorão, na cultura islâmica, mas que nada significam, porque não são essas doutrinas mornas, como postado acima, pela Maria, que os muçulmanos decoram 5 vezes por dia durante toda a sua vida e sim o beligerante, violento, agressivo, opressivo, fanático e injusto ALCORÃO.

Diz ela:

“A palavra Islam deriva da raiz árabe “salaam” que significa Paz. Islam também significa “submissão voluntária à vontade de Deus” Acho que islam é uma coisa, salaam, outra. O Alcorão induz o seu seguidor à submissão à vontade de Deus, realmente. Como Deus não existe, essa submissão se dá, de fato, ao homem. Nada mais é do que uma forma de controlar as mentes humanas, fazendo-as acreditar que tais instruções que recebem, como dar a vida em combate, são vindas de algum Deus. Muito conveniente, os senhores invasores muçulmanos contar com uma horda de robôs que não pensam no que estão fazendo nem têm qualquer apego às suas vidas. Foi assim que milhões de muçulmanos já

morreram “pela causa divina”. Islam, é essa submissão voluntária (chamo isso de fanatismo, não de paz). O Islam, em sua forma original, não demanda uma crença irracional. Propõe ao contrário, a fé inteligente, uma inter-relação entre fé e razão. Convida ao desenvolvimento da observação, da contemplação e da reflexão.”

Isso acabou de ser dito no curso proposto pela Maria, mas não é o que consta no Alcorão :

Surata 4 -74: Que combatam pela causa de Deus aqueles dispostos a sacrificar a vida terrena pela futura, porque a quem combater pela causa de Deus, quer sucumba, quer vença, concederemos magnífica recompensa.

Isso que você acabou de ler é racional? Isso é interligação entre a fé e a razão? Isso é um convite à reflexão?

Agora veja abaixo, o que diz a Maria e o que diz o Alcorão:

“Ao crescer, por dispor do livre-arbítrio, [o muçulmano] poderá ou não seguir as leis consideradas divinas e que caracterizarão a sua submissão, agora voluntária, a vontade de Deus.”

Surata 4 56: Quanto àqueles que negam os Nossos versículos, introduzi-los-emos no fogo infernal. Cada vez que a sua pele se tiver queimado, trocá-la-emos por outra, para que experimentem mais e mais o suplício. Sabei que Deus é Poderoso, Prudentíssimo.

[O Alcorão] É a primeira fonte da Lei Islâmica e funcionou como uma espécie de Constituição para a primeira comunidade muçulmana.”

Não existe constituição nos países muçulmanos. O Alcorão é o princípio e o fim, recitado 5 vezes ao dia a partir dos cinco anos de idade. Essa é a lei muçulmana, veja o exemplo abaixo:

Surata 4 92: Não é dado, a um fiel, matar outro fiel, salvo involuntariamente; e quem, por engano, matar um fiel, deverá libertar um escravo fiel e pagar compensação à família do morto, a não ser que esta se disponha a perdoá-lo. Se (a vítima) for fiel, de um povo adversário do vosso, impõe-se a libertação de um escravo fiel; porém, se pertence a um

povo aliado, impõe-se o pagamento de uma indenização à família e a manumissão de um escravo fiel. Contudo, quem não estiver em condições de fazê-lo, deverá jejuar dois meses consecutivos, como penitência imposta por Deus, porque Ele é Sapiente, Prudentíssimo.

Isso é uma lei ou um enfeite?

“A leitura do Alcorão requer uma iniciação e um preparo indispensáveis para uma melhor compreensão.” Nunca soube que para se ler e interpretar um livro precisasse fazer um curso de como interpretar aquilo que está escrito de forma que não se entenda o que está escrito, mas diferente do que está escrito. Talvez fazendo a cabeça do leitor assim: - Olhe, leia 5 vezes ao dia, mas não é nada disso que está escrito, certo?

“O

conhecimento

de

seu

conteúdo

representa

um

ponto

referência seguro e informação primária”

E que referência segura!

Veja essa, por exemplo:

de

Surata 5 38: Quanto ao ladrão e à ladra, decepai-lhes a mão, como castigo de tudo quanto tenham cometido; é um exemplo, que emana de

Deus, porque Deus é Poderoso, Prudentíssimo.

Prudentííííííííssimo. Assim, o cara não rouba mais e sem as mãos, morre de fome. Com certeza, esse é um grande conteúdo, uma referência e tanto!

Eu vou pedir licença e parar aqui. Tudo é muito redundante. Escreveria milhares de páginas iguais mostrando a diferença entre o que eles dizem (para o inglês ver) e o que ensinam entre eles, para praticar. A isso eu chamo de HIPOCRISIA! Não precisa ir muito longe. O resultado, são os grupos terroristas islâmicos e os homens bomba palestinos (islâmicos também), a pobreza e a miséria em que vive o povo árabe mais radical. Esse é o fruto do que eles ensinam lá dentro, através do Alcorão, 5 vezes por dia, todo dia, a vida toda, desde os 5 anos. Quem conhecer um pouco do Alcorão e ler os textos da Maria, vai perceber que ela tenta apenas, tampar o sol com a peneira. Saudações.

Invasor Alfredo escreveu:

“Sim, todos ou a imensa maioria dos atos terroristas e disputas armadas em todo mundo, tinham o envolvimento do islamismo. Ligando uma coisa à outra, conclui-se que há algo de errado na doutrina islã”.

Tenho que discordar. Podemos dizer que quase todos, os atos terroristas e disputas armadas no mundo atual e passado, tem e tinham o envolvimento da religiao. Nem sempre como causa primaria, eh verdade. Na irlanda praticamente nao existem muculmanos e existem terroristas e guerra. Na espanha tambem. Aqui na america latina mesma

Enfim, as religioes em geral contribuiem para as guerras, isto

quando nao as iniciam, mas o dinheiro tambem, o poder, etc.

coisa

O que nao entendo eh como podem afirmar que um livro tao

contraditorio, complexo, sangrento e ambiguo eh inspirado por um deus

e isso vale tanto p/ o alcorao, como a biblia e

o torah. Se tal livro eh inspirado por deus, porque ele eh tao ambiguo que permite que suas palavras e seu nome sejam usados em tantas desgracas? Discriminacao racial (identidade crista, kkk, etc), religiosa, cultural, e ateh

mesmo coisas como estilos de musica sao discriminados por religioes, em nome de deus. Porque tantas controversias na interpretacao de um livro que dizem ser inspirado por deus? se deus eh perfeito, tal livro deveria ser simples e de facil interpretacao, ja que tal deus nao nos deu capacidade o suficiente para encontrar um consenso quanto a interpretacao correta. Se um deus fizesse um livro tao ambiguo, soh podia estar querendo que seus leitores entrassem em discordancia e consequentemente em conflito.

perfeito, bondoso, amoroso

Tulio Penso que você tocou num ponto importante, se todos esses livros fossem realmente inspirados diretamente por deus e esse deus é perfeito, justo, misericordioso, onipotente, onisciente, onipresente, oniescambau, então sua mensagem deveria ser clara como cristal, mas obviamente não o é.

Alfredo

Deus não existe! Conclusão mais óbvia, clara e límpida do

que essa é impossível. Basta um pouco de raciocínio. O mesmo esforço

que uma criança faz para desvendar o mistério do Papai Noel.

Claro!

Muslima BR olá Túlio e Alfredo, Sem deixar de lado o respeito à (des)crença alheia, acho muita presunção achar que suas conclusões é que são lógicas. Assim como existem pessoas inteligentes, éticas e sinceras que não acreditam em Deus, é inegável que existem pessoas igualmente inteligentes, éticas e sinceras que acreditam em Deus. Mas, talvez em seu aparente ódio pelas religiões, vocês estejam sob o risco de tornarem-se aquilo que mais criticam: fanáticos. Todos nós temos capacidade crítica. Como Muçulmana, eu também critico aquilo que entendo ser errado ou injusto, seja um ato ou idéia, tenha partido de um Muçulmano ou não-Muçulmano. Meu compromisso é com

os meus valores, que acredito terem sido estabelecidos por Deus. Mas eu

não posso me dar ao luxo de ser tão pretensiosa de achar que todos devem concordar comigo. De acordo com os meus valores, Deus criou os homens

e mulheres como indivíduos únicos, e portanto permitindo grande

variedade de opiniões, da mais benéfica à mais ignorante, da mais pura à mais cruel.

É esta complexidade humana que explica de modo muito simples e

direto o porquê de livros sagrados serem desvirtuados por quem os lê. Não

seria muito mais sincero e maduro admitir que o ser humano é que é capaz das maiores crueldades, e no entanto também ser capaz de distorcer qualquer argumento ou idéia a fim de justificar-se?

Eu também demorei muito a seguir uma religião, exatamente porque tinha horror ao que certas instituições ditas religiosas faziam.

Minha desilusão com pessoas que se auto-intitulavam 'religiosas' também não ajudava muito. Até que um dia engoli o orgulho e admiti que existe uma diferença entre a religião em si e o que as pessoas fazem em nome da mesma.

A partir desta posição mais humilde, passei a seguir a religião que

me pareceu mais racional, o Islam, que ensina que não há compulsão em religião, a qual demanda uma decisão individual. Cada ser humano é livre

para acreditar no que quiser, e não deve impor aos outros suas próprias idéias.

Interessante como, neste fórum, noto uma incrível falta de humildade por parte de alguns dos que não crêem em Deus: será que é tão difícil assim admitir que talvez, apenas talvez, eles estejam enganados? Em um fórum que se diz contrário ao 'fanatismo', não seria muito mais aconselhável, intelectualmente falando, trabalhar com hipóteses ao invés deste 'proselitismo' ateu? É sem dúvida muito mais fácil criticar 'O Outro' (no sentido antropológico) do que olhar-se no espelho: no fundo, não passa de mais um mecanismo de defesa do ego, travestido de erudição instantânea.

João Olá Muslima

Só acredito que um ato correto não justifica um ato errado e nesse

ponto o Islã comete um monte de erros. Talvez o principal erro é o de não

deixar uma pessoa discutir livremente as suas dúvidas, ou vc se sentiria

livre para falar abertamente em um país islâmico que vc não concorda com este ou aquele ato que eles fazem por lá?

A nossa necessidade de amparo espiritual nos faz ficarmos

preguiçosos e isto nos torna condicionados. O condicionamento mental é o maior prejuízo a nossa mente e nesse ponto o Islã é uma das religiões que mais condiciona o seu seguidor.

Tenho a certeza que no fundo, se vc for uma pessoa esclarecida, tem uma porção de dúvidas e é contrária a uma série de coisas que vc vê na sua religião. Só conheço pessoas ignorantes ou monopolizadoras que aceitam 100% da sua religião. Não vejo aqui nenhum fanático em não acreditar em Deus. Eu encaro todos aqui como pessoas sem condicionamentos, então são livres para acreditar no que querem e por isso não se sentem envergonhados em falar mal de nínguem A moral maior me diz que se existe um deus ele está nos julgando por nossos atos e assim prestarei muito mais serviço a qualquer deus que exista sendo uma pessoa honesta e não sendo uma pessoa condicionada. Tenho a minha crença e acredito nela. Mas não é por isso que eu deixo de estudá-la, cientificamente e sem o menor condicionamento.

Não tenha medo de pensar

pense, pense, pense. Estude, estude,

Se vc não fizer isso só poderá ser condicionada a achar o que os

estude

outros querem que vc ache

O meu ponto de vista do Islã: Infelizmente é a pior religião, junto

com todas as outras

ele está fazendo ao mundo. É a defesa do Islã ou qualquer outra religião

Os seus atos bons não justifica toda a maldade que

não justifica qualquer ato.

Pense, Pense, Pense

Estude, Estude, Estude. E acima de tudo

questione tudo o que os outros dizem a vc. É possível falar uma porção de verdades contando só mentiras Também possível falar um monte de mentiras dizendo só verdades.

Então o que vale mesmo é o nosso entendimento e se o seu entendimento está baseado em valores que foram dito pelos outros vc está pensando errado. Seja inteligente e descubra os seus valores, sem condicionamento e

sem influências Abraços

dessa maneira vc descobrirá a verdade

Muslima BR, eu acredito que ninguém aqui tem ódio de religião. Existe isso sim, a vontade de divulgar o pensamento critico. Fe' cada um tem a sua. Um crê nisso, outro crê naquilo; um interpreta desse jeito o outro interpreta de outro jeito. Assim as pessoas não se entendem porque, de acordo com a fé pessoal, cada um fala uma linguagem. Pois fé é um fruto da imaginação. E´ acreditar em algo que só faz parte da imaginação. Agora, quando cada um passa a olhar para a realidade e usar a sua razão, então passamos a falar a mesma linguagem pois a realidade visível e’ uma só para todos. Então, se criticamos uma ou outra crença é porque queremos que as pessoas tomem consciência desse mundo real para que todos possam fazer algo para melhora-lo e assim vivermos melhor.

O livros ditos sagrados (Bíblia, Alcorão, Tora etc.,) são confusos. Os lideres religiosos dizem que só eles tem a capacidade para interpretar esses livros. Eles dizem isso porque sabem o quão errados estes livros são, mas falam isso para terem poder sobre os fieis e fazer com que os fieis sigam as interpretações que eles querem que sejam seguidas segundo seus interesses.

Cada instituição é responsável pelos atos dos seus subordinados. Assim é com as empresas, o governo, os sindicatos etc. Por que é que não

pode ser com as religiões também? Quando algo bom acontece a um membro de uma religião, ou ele faz algo de bom, o mérito é sempre da religião. Entretanto, quando algo ruim acontece na vida de um membro, ou ele faz algo ruim, a culpa e sempre dele e nunca da religião. Engraçado isso não é? A religião sempre quer o que e bom para si e o que é ruim é sempre para o ser humano.

O islamismo é responsável por todo o terrorismo, todas as guerras, todos os assassinatos e demais atrocidades feitas em seu nome. Cabe a ela fazer algo para que este horror acabe. Caso contrario ela sera’ sempre mal vista, mesmo que queira sempre fugir da responsabilidade pelo mal que causa.

Nos aqui não estamos impondo nada a ninguém. Participa deste fórum quem quer e pronto!

De acordo com o Alcorão o ser humano não é assim tão livre para seguir o que quiser. Pois lá diz que os incrédulos irão para o inferno onde ficarão bebendo água fervente. Veja essa outra passagem, procure encontrar nela um pouco de racionalidade e bom senso:

Surata 48:29 - "Mohammad é o Mensageiro de Deus, e aqueles que estão com ele são severos para com os incrédulos, porém compassivos entre si. Vê-los-ás genuflexos, prostrados, anelando a graça de Deus e a Sua complacência. Seus rostos estarão marcados com os traços da prostração. Tal é o seu exemplo na tora e no Evangelho,(1509) como a semente que brota, se desenvolve e se robustece, e se firma em seus talos, compraz aos semeadores, para irritar os incrédulos. Deus prometeu aos fiéis, que praticam o bem, indulgência e uma magnífica recompensa."

“Há três tipos de pessoa que destroem as religiões: um estudioso insensato, um líder despótico e um crente ignorante” –