Você está na página 1de 2

Exame prático de Neurologia Informação para os alunos

Objectivos: Este exame destina-se a avaliar as capacidades de execução de gestos do

exame neurológico, colheita de elementos da história clínica a doentes com queixas deste foro

e capacidades de relação e comunicação com o doente. Não se destina à avaliação de conhecimentos teóricos.

Formato: O exame está organizado em estações, cada uma destinada a avaliar uma síndroma neurológica, queixas ou grupos de gestos em neurologia. Cada aluno percorrerá duas estações que serão sorteadas entre dez possíveis.

Local: Consulta de Neurologia, piso 2

Data: 22 de JANEIRO de 2016

Horário de chegada: 1º Grupo 12.50; 2º Grupo 14.05, 3º Grupo 15.05

Os alunos serão divididos em 3 grupos de 60, que chegarão à consulta em horários consecutivos. A listagem dos grupos de alunos segue assim que possível, mais perto da data do exame.

O exame têm início:

1º grupo (N= 60): 13.00 2º grupo (N=60): 14.15 3º grupo (N=60): 15.15

Os alunos deverão ser pontuais, pois não é possível entrarem depois de iniciado o exame.

Não é permitida a utilização de telemóveis após a entrada na sala de espera da consulta e pede-se que se mantenham em silêncio, para não perturbar o exame dos colegas que entretanto decorre.

Classificação: Os alunos são avaliados em cada estação de acordo com uma grelha pré definida pontuada de zero a vinte valores. A nota do exame prático é a média aritmética das 2 estações efectuadas.

Descrição do exame prático

O exame prático desta disciplina tem o formato de um OSCE com duas estações nas quais o

aluno é confrontado com um paciente e um problema clínico.

O caso é apresentado ao aluno de forma sumária e é-lhe pedido que realize gestos do exame

neurológico ou que colha elementos da história clínica, de forma a esclarecer a situação.

O aluno deve relacionar-se com o doente como se estivesse num contexto clínico real, executar os gestos pedidos e relatar o que fez usando os termos médicos adequados. Os critérios de avaliação estão expostos em baixo. A nota do OSCE é a média da classificação obtida nas duas estações.

O aluno nunca faz nenhuma das estações com o seu assistente.

Critérios de avaliação do OSCE

Facilidade na evocação dos gestos semiológicos adequados à situação clínica apresentada.

Conhecimento e capacidade de realização dos gestos pedidos (apresentados nas páginas de gestos do portfolio)

Capacidade de relatar a observação efectuada.

Qualidade da relação com o doente

Atitude profissional

Exemplo de exame e grelha de cotação:

“Esta senhora de 60 anos, tem tido episódios de tonturas desencadeadas pelas mudanças de posição, nas últimas semanas. Não tem doenças conhecidas (HTA, diabetes, doença cardíaca, traumatismos). Gostava que pesquisasse a presença de sinais de disfunção vestibular. Pode usar o material que se encontra à sua disposição neste tabuleiro.

O doente está sentado numa cadeira no gabinete.

Grelha:

1.

O aluno cumprimenta e apresenta-se ao doente

1

2.

O aluno explica ao doente que o vai observar

1

4.

Pesquisa nistagmo em diferentes posições do olhar

4

5.

Relata o que observou na pesquisa de nistagmo

1

6.

Pesquisa a prova dos braços estendidos correctamente

3

7.

Relata o que observou na PBE

2

8.

Avalia a marcha

2

9.

Relata a observação

2

10.

Conclui o exame com um comentário

3