Você está na página 1de 57
Universidade Comunitária da Região de Chapecó Sistemas de Informação $$$$$$$$$$$$ $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Universidade Comunitária da Região de Chapecó

Sistemas de Informação

$$$$$$$$$$$$

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

MATEMÁTICA FINANCEIRA

(MATERIAL DE APOIO E EXERCÍCIOS)

MATEMÁTICA FINANCEIRA (MATERIAL DE APOIO E EXERCÍCIOS) $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$ $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

$$$$$$$$$$$$

Beno Nicolau Bieger

“Juro é o prêmio pela espera”. “Desconto é o preço da impaciência”. (Prof. Rochadelli –
“Juro é o prêmio pela espera”.
“Desconto é o preço da impaciência”.
(Prof. Rochadelli – PPGEF/UFPR)

2

2

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Área: Área de Ciências Exatas e Ambientais

Curso:

Componente Curricular: MATEMÁTICA FINANCEIRA

Professor:

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - Matriz 346

10245 - Beno Nicolau Bieger

Carga horária: 72 h/a

Período: 5

PLANO DE ENSINO

1. EMENTA

Regimes de capitalização de juros e descontos. Séries uniformes. Equivalência de Capitais. Tópicos de Análise de Investimentos.

2. JUSTIFICATIVA

A disciplina justifica-se pela necessidade que o aluno tem em entender as relações financeiras que envolvem a atividade profissional bem como no uso diário como cidadão, dos cálculos matemáticos e financeiros. Ainda justifica-se pela ênfase empreendedora que caracteriza este profissional egresso da Universidade.

3. OBJETIVOS

3.1 OBJETIVO GERAL

Aprofundar o estudo da matemática nos conteúdos iniciais da matemática financeira, preparando o aluno para

Aprofundar o estudo da matemática nos conteúdos iniciais da matemática financeira, preparando o aluno para as transações comerciais e financeiras. Preparar o futuro profissional no domínio dos cálculos financeiros objetivando uma visão clara e sistêmica das relações financeiras do mundo do

trabalho.

dos cálculos financeiros objetivando uma visão clara e sistêmica das relações financeiras do mundo do trabalho.

3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Interpretar corretamente os problemas financeiros: juros, descontos, regimes de capitalização, periodicidade.

- Identificar corretamente as variáveis que envolvem cálculos financeiros.

- Sistematizar as soluções para os problemas financeiros.

- Usar adequadamente os instrumentos disponibilizados para a solução de problemas financeiros.

- Utilizar adequadamente os equipamentos e ferramentas disponibilizadas para a solução de problemas e cálculos financeiros.

- Ter conhecimento e capacidade de analisar ofertas comerciais sob o enfoque financeiro.

- Ter capacidade e competência para efetuar renegociações financeiras entre pessoas físicas e

jurídicas.

- Ter uma visão clara e sistêmica das relações financeiras do mundo comercial e do trabalho.

- Usar a lógica para a solução de problemas e situações inéditas nas relações comerciais e financeiras.

- Ter noções importantes sobre a viabilidade econômica e financeira de empreendimentos.

4. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

- Juros simples: Conceitos. Cálculo do juro simples. Cálculo do montante.

- Juros compostos: Conceitos. Cálculo do Montante. Tabelas

- Estudo de taxas: Nominal, proporcional, média, acumulada, efetiva, equivalente, real.

- Descontos simples: Conceito. Desconto comercial ou

racional ou

- Descontos compostos. Conceitos. Desconto composto Real. Cálculo do Valor Atual. Desconto composto Bancário. Cálculo do Valor Atual.

por fora ; cálculo do valor atual. Desconto

por dentro ; cálculo do valor atual. Comparação de desconto comercial e racional.

3

3

- Séries Uniformes: Classificação. Cálculo do valor atal, do montante e da prestação de séries antecipadas, postecipadas e diferidas. Séries perpétuas: Cálculo do valor atual, da prestação e da taxa. Equivalência de capitais diferidos: permuta de títulos, formação de fundos, alongamento de dívidas. - Tópicos de Análise de Investimentos (conceitos, métodos, aplicações).

5.

METODOLOGIA

5.1

Aulas expositivas

5.2

Solução individual e coletiva de problemas e exercícios. Estudos de Casos. Estudo e solução dos

aspectos financeiros de anúncios comerciais.

5.3

Pequenos grupos para trabalhos e solução de problemas.

 

6.

CRONOGRAMA (proposto)

Aula

Conteúdo programado

Obs

Discussão do Plano de Ensino. Exercício de verificação de conhecimentos. Revisão dos conteúdos necessários à disciplina.

 

Juros simples: Conceitos. Cálculo do juro simples. Cálculo do montante. Exercícios.

 

Juros compostos: Conceitos. Cálculo do Montante. Exercícios.

 

Estudo de taxas. Exercícios

 

Descontos simples: Conceito.Desconto comercial ou “por fora; cálculo do valor atual. Desconto racional ou “por dentro; cálculo do valor atual. Exercícios

 

Descontos compostos: Conceitos. Desconto composto Real. Cálculo do Valor Atual. Exercícios.

 

Desconto composto Bancário. Cálculo do Valor Atual. Exercícios.

 

Avaliação G1

 

Séries uniformes. Conceitos. Classificação. Séries postecipadas. Cálculo do valor atual. Cálculo do Montante. Séries antecipadas. Cálculo do valor atual. Cálculo do Montante. Exercícios.

 

10ª

Séries perpétuas. Cálculo do valor atual. Cálculo da prestação. Séries diferidas. Cálculo do valor atual. Cálculo do Montante. Exercícios.

 

11ª

Aula de Exercícios.

 

12ª

Equivalência de capitais com capitalização composta. Exercícios.

 

13ª

Equivalência de capitais com capitalização composta. Exercícios.

 

14ª

Sistemas de Amortização de Empréstimos e Financiamentos

 

15ª

Sistemas de Amortização de Empréstimos e Financiamentos

 

16ª

Avaliação G1.

 

17ª

Revisão. Exercícios.

 

18ª

Avaliação G2.

 

19ª

Avaliação G3.

 
 

Dia da

Hora

   

Data da Aula

Semana

Inicial

Hora Final

Obs

19/02/2013

Terça-Feira

19:00

19/02/2013

 

26/02/2013

Terça-Feira

19:00

26/02/2013

 

05/03/2013

Terça-Feira

19:00

05/03/2013

 

12/03/2013

Terça-Feira

19:00

12/03/2013

 

4

4

19/03/2013

Terça-Feira

19:00

19/03/2013

26/03/2013

Terça-Feira

19:00

26/03/2013

02/04/2013

Terça-Feira

19:00

02/04/2013

09/04/2013

Terça-Feira

19:00

09/04/2013

16/04/2013

Terça-Feira

19:00

16/04/2013

23/04/2013

Terça-Feira

19:00

23/04/2013

30/04/2013

Terça-Feira

19:00

30/04/2013

14/05/2013

Terça-Feira

19:00

14/05/2013

21/05/2013

Terça-Feira

19:00

21/05/2013

28/05/2013

Terça-Feira

19:00

28/05/2013

04/06/2013

Terça-Feira

19:00

04/06/2013

11/06/2013

Terça-Feira

19:00

11/06/2013

18/06/2013

Terça-Feira

19:00

18/06/2013

25/06/2013

Terça-Feira

19:00

25/06/2013

7.

AVALIAÇÃO

7.1

Presença, participação e exercícios em sala de aula.

7.2

- G1: (três notas compõem a G1) Duas avaliações em sala de aula sobre os conteúdos parciais mais

uma G1 composta de mini avaliações de uma questão no final de cada aula (a soma destas mini

avaliações será a 3a. nota G1).

- G 2 - Uma, com conteúdo cumulativo, conforme as orientações/normas da Instituição.

7.3 Exames - G3 - para aqueles alunos que não alcançarem a pontuação normatizada pela Instituição .

7.4 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

- Participação nas discussões, debates, e trabalhos individuais ou em grupo.

- Solução dos problemas e exercícios (intra e extra classe) propostos.

8. REFERÊNCIAS

8.1. Referência Básica

* CARVALHO, Thales Mello. Matemática comercial e financeira: complementos de matemática. 5. ed.

Rio de Janeiro: FENAME, 1980. 438 p.

* FRANCISCO, Walter de. Matemática financeira. 7. ed. São Paulo: Atlas, 1991-1993. 319 p. ISBN

85-224-0707-X.

* PUCCINI, Abelardo de Lima. Matemática financeira: objetiva e aplicada. 6. ed. São Paulo: Saraiva,

1999. 440 p. ISBN 85-02-02719-0

8.2. Referência Complementar

* CASAROTTO FILHO, Nelson; KOPITTKE, Bruno Hartmut. Análise de investimentos. 9. ed. São

Paulo: Atlas, 2000. 458 p. : ISBN 8522425728

* MATHIAS, Washington Franco; GOMES, José Maria. Matemática financeira. 3. ed. São Paulo:

Atlas, 2002. 455 p. ISBN 8522431043

* SHINODA, Carlos. Matemática financeira para usuários do excel 5.0. São Paulo: Atlas, 1998. 167

p. ISBN 85-224-1837-3

* TOSI, Armando José. Matemática financeira com utilização do excel 2000: aplicável às versões

5.0, 7.0 e 97. São Paulo: Atlas, 2000. 218 p. ISBN 8522424373

* ZDANOWICZ, José Eduardo. Orçamento de capital: a decisão de impacto. Porto Alegre: Sagra Luzzatto, 1990. 240 p.

9. OBS PROFESSOR

Seguindo a possibilidade prevista na Resolução CONSUN 144/08, poderá ser aplicado trabalho acadêmico efetivo universitário extra classe, conforme carga horária prevista na legislação.

5

5 "Muitos pensam que sabem; poucos sabem que não sabem; quem sabe, sabe que sabe muito
5 "Muitos pensam que sabem; poucos sabem que não sabem; quem sabe, sabe que sabe muito

"Muitos pensam que sabem; poucos sabem que não sabem; quem sabe, sabe que sabe muito pouco". Alexandre Canalini

sabe, sabe que sabe muito pouco". Alexandre Canalini AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS BÁSICOS DE MATEMÁTICA Nota:
sabe, sabe que sabe muito pouco". Alexandre Canalini AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS BÁSICOS DE MATEMÁTICA Nota:
sabe, sabe que sabe muito pouco". Alexandre Canalini AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS BÁSICOS DE MATEMÁTICA Nota:

AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS BÁSICOS DE MATEMÁTICA

Nota:

 

Questão

 

Solução

“Gabarito”

 

a.

12 + 7 x 2

     

b.

10 –

5

x 2

     

c.

2 x 4 – 1

     

d.

4

– 1 ÷

2

   

e.

360

 

÷ 12

x 0,5

     

f.

30 ÷

12

– 2

     

g.

1 –

0,5

x

3

   

h.

5/8 – 4/5

x

2 3

   

i.

2 3 +

 

7 ÷

2 1/3

     

j.

log 1,75 – ln 1,75

   

k.

log (32/16)

     

l.

log 32 / log16

     

m.

360 + 2 5 30
360 +
2
5
30
     

n.

5 2

+

360 30
360
30
     

o.

5 2 + (360/30) 1/2

     

p.

0,5

-

8,3333 . 0,5 2

   

q.

(1 – 0,5 2 ) 2

     

r.

(1 – 0,25.2) 2

     

s.

Qual é o inverso de 54 ?

 

t. Qual é o valor da constante "e" ?

 
 

3/5

 

u.

 

3/5

 

3/5

 

v.

 

5/3

x.

Calcular a área do

Hipotenusa = 5m
Hipotenusa = 5m

Cateto base = 3m

   

triângulo retângulo

 

m

2

   

Sistemas de Informação - MATEMÁTICA FINANCEIRA – Beno Nicolau Bieger

6

6

JUROS SIMPLES

$ Quanto vale hoje um ativo ou passivo formado em uma data do passado?

$ Quanto valerá, em um futuro conhecido, uma aplicação realizada hoje?

$ Porque muitas dívidas contraídas na compra de bens acabam ficando maiores do que o valor do próprio bem?

Conceitos de juros

- Juro é a remuneração do capital.

- “Juro é uma compensação em dinheiro pelo uso de um capital financeiro, por determinado tempo, a uma taxa previamente combinada”.

“Juro é o prêmio pela espera”. (Prof. Rochadelli – PPGEF/UFPR)
“Juro é o prêmio pela espera”.
(Prof. Rochadelli – PPGEF/UFPR)

Juro simples é um artifício matemático para simplificar o cálculo de juros compostos.

O juro é simples quando é produzido unicamente pelo capital inicial. Em todos os períodos considerados, o valor será sempre igual.

Cálculo de juros simples ( j )

Calcula-se o juro (j) multiplicando-se o capital (C ou PV) com a taxa (i) e com o número de períodos (n) considerado, ou seja:

j

=

C. i . n

ou

j

=

PV . i . n

É importante lembrar que sempre usaremos a taxa (i) já dividida por 100, ou seja, uma taxa de 15% entra nesta fórmula como 0,15; uma taxa de 20% como 0,2 e assim sucessivamente. Este procedimento será adotado em todas as fórmulas aqui abordadas. Um procedimento imprescindível é trabalharmos sempre com as mesmas unidades em todos os cálculos, ou seja: se a taxa for anual o número do período deve necessariamente ser em anos; se for mensal, os períodos serão em meses; se a taxa for diária, os períodos serão em dias e assim por diante.

Exemplo :

Determinar os juros de um capital de R$ 2.000,0 aplicado durante oito meses a uma taxa de 18% a.a.

 

Temos:

j

=

C i n

C

= 2.000

 

j

= 2.000

x

0,015

x

8

i

=

18 / 12 meses/ 100 = 8 meses

0,015

j

= 240,00

 

n

=

 

Nas calculadoras comuns ou científicas basta teclar:

2000 x 18

÷

12

÷ 100

x

8

= (e no visor aparecerá 240,00)

Na HP 12C teclar:

2000 CHS PV 18 i 8 ↑↑↑↑ 30 x n f INT
2000
CHS
PV
18
i
8
↑↑↑↑
30
x
n
f
INT

Obs: Na HP a taxa utilizada sempre deverá ser anual e o período sempre em dias.

Cálculo do Montante (C n )

Chama-se de Montante (C n ou FV) o capital somado aos seus juros produzidos.

7

7

Se

C n

=

C

+

j

e

j

=

e colocando-se o “C” em evidência teremos

Exemplo :

C.i.n

então

C n

=

C n =

C . ( 1

+ i . n )

C

Calcular o Montante do exemplo anterior.

+

C.i.n

ou

FV = PV .(1 + i.n)

 

1ª Solução

 

2ª Solução

 

C

C

n

n

=

=

2.000 +

2.240,00

240

= C n = C

C

n

n

=

2.000 ( 1

2.000 x 1,12

+

2.240,00

0,015 x

8 )

Nas calculadoras comuns ou científicas basta teclar:

(Dando seqüência ao cálculo do juro simples)

2000 x 18

÷ 12 ÷ 100

x 8 = 240,00 + 2.000 = 2.240,00

Na HP 12C basta teclar

+
+

(após o cálculo dos juros) e aparecerá no visor o Montante.

ou seja

2000

CHS

PV

18

i

240

n

f

INT

+

“Quando parecia que nada iria acontecer, uma novidade aparece; e o mundo se transforma. Este é o momento propício para você aprender que sempre é possível ir além do que pensaria poder.” (Anônimo)

8

8

EXERCÍCIOS – JUROS SIMPLES

1. Calcular os juros de um capital de R$ 1.500,00, à taxa de 24% ao ano, durante um ano e três meses.

2. Um capital produziu juros de R$ 32,00 em cinco meses a 7,5% ao semestre. Qual foi o capital?

3. A que taxa mensal o capital de R$ 3.200,00 produzirá o montante de R$ 4.184,00 em trezentos dias?

4. O capital de R$ 840,00 rendeu R$ 120,00 de juros, à taxa de 10% ao ano. Qual foi o tempo da

transação?

5. Você aplicou em uma instituição financeira um valor equivalente a R$ 13.200,00 que proporcionou um

montante de R$ 15.758,16 à uma taxa mensal 5,7%. Qual foi o tempo de aplicação?

6. O seu pai aplicou em sua conta um capital de R$ 1.200,00 que rendeu R$ 450,80 de juros aplicado à

uma taxa mensal 7%. Qual foi o tempo desta aplicação?

7. Você como gerente financeiro de sua empresa aplicou um capital de R$ 3.450,00 a uma taxa anual de

juros de 37% por um trimestre. Qual o montante produzido?

8. Qual será o montante de uma aplicação de R$ 735,00 à taxa de 0,5% ao mês durante 135 dias?

9. Um determinado capital produziu o montante de R$ 5.789,00 aplicado a uma taxa de 1,41% ao mês

durante sete trimestres. Qual foi o valor da aplicação?

10. Um capital aplicado no mercado financeiro triplicou de valor em dois anos três trimestres e meio mês.

Qual foi a taxa anual desta aplicação?

11. Um capital triplicou de valor aplicado a uma taxa de 5% ao mês. Qual foi o tempo desta aplicação?

12. Você aplica R$ 30.000,00 por quatro anos na poupança que rende 0,5% ao mês (liquido). Quanto terá

no fim deste período?

1 2

RESPOSTAS

3

4

5

6

R$ 450,00

R$ 512,00

3,075% a.m.

1 ano, 5 meses e 4 dias

3 meses e 12 dias

5 meses e 11 dias

7 8

9

10

11

12

R$ 3.769,13

R$ 751,54

R$ 4.466,48

71,64% a.a.

3 anos e 4 meses

R$ 37.200,00

A única segurança que o homem pode ter na sua vida é sua reserva de conhecimento. (Henry Ford)

9

9

JUROS COMPOSTOS

Relembrando:

$ Quanto vale hoje um ativo ou passivo formado em uma data do passado?

$ Quanto valerá, em um futuro conhecido, uma aplicação realizada hoje?

$ Porque muitas dívidas contraídas na compra de bens acabam ficando maiores do que o valor do próprio bem?

Conceitos de juros

- Juro é a remuneração do capital.

- “Juro é uma compensação em dinheiro pelo uso de um capital financeiro, por determinado tempo, a uma taxa previamente

combinada”.

Conceito de juros compostos

Juro composto é a transação financeira em que um capital é aplicado por diversos períodos, mas, a cada novo

período, os juros produzidos no período anterior são incorporados ao capital para o cálculo dos juros do novo período.

Pelo conceito acima se percebe que, no primeiro período, os juros simples e os compostos são os mesmos, pois não há

capitalização. Conclui-se também que a formação do montante com juros simples é linear apresentando o comportamento de uma

progressão aritmética (PA) ao passo que, com juros compostos é exponencial, apresentando o comportamento de um progressão

geométrica (PG).

Cálculo do Montante em juros compostos (C n ou FV)

O Montante é a soma do juro (j) com o capital (C ou PV). Extrapolando este conceito para “n” períodos chega-se à seguinte

fórmula:

C n =

C . ( 1

+ i ) n

ou

FV = PV .(1 + i)

n

É extremamente importante estar atento para o regime de capitalização. Se a capitalização for anual, as variáveis “n”

(número de períodos) e “i” (taxa) devem necessariamente estar expressas em anos. Se a capitalização for mensal, devem estar

expressas em meses, e assim por diante.

Também é importante lembrar que sempre usaremos a taxa (i) já dividida por 100, ou seja, uma taxa de 15% entra na

fórmula como 0,15; uma taxa de 20% como 0,2, etc, como visto em juros e descontos simples.

Exemplo:

Determinar os juros de um capital de R$ 2.000,0 aplicado durante dois anos a uma taxa de 18%a.a., capitalizado trimestralmente.

C

Temos:

= 2.000

. C n = 2000 (1+ 0,045) 8 C n = 2000(1,422100613) C n = 2.844,20

C n =

C

(

1

+ i ) n

Como:

Teremos:

j = C n -

C

k

= trimestral 2 anos x 4 = 8 trimestres

=

= 2.844,20 – 2.000,00 j = 844,20

j

n

i

=

18 / 4 trimestres/ 100 = 0,045

 

Nas calculadoras comuns ou científicas basta teclar:

2000 x (1 +0,045)8 y x

= (no visor aparecerá) 2.844,20 – 2000 = 844,20

Na HP 12C teclar:

2000 CHS PV 18 ↑↑↑↑ 4 ÷ i 2 ↑↑↑↑ 4 x n FV 2000
2000 CHS
PV
18
↑↑↑↑
4 ÷
i
2
↑↑↑↑
4 x
n
FV 2000
̶
(no visor aparecerá) 844,20

10

10

Capitalização contínua

Matematicamente pode-se imaginar uma capitalização ainda mais intensa do que a diária. A essa capitalização chamamos de contínua. A fórmula desenvolvida para calcular o montante é:

C n = C.(e) i.n

onde “e” é uma constante matemática de valor igual a 2,718281828.

Obs: Neste caso específico as variáreis “i” e “n” também devem estar expressas na mesma periodicidade (não importando qual).

ESTUDO DE TAXAS

1. Taxa Nominal – é a taxa de juros expressa nos contratos ou documentos. Normalmente é anual. Não significa que

a capitalização deva ser desta periodicidade. Ex.; 10% a.a., 18% a.a.

2. Taxas proporcionais – é a mesma taxa de juros expressa em períodos diferentes, mas guardando a proporcionalidade entre si. Por ex.: 24% ao ano é proporcional a: 12% ao semestre, que é proporcional a 6% ao trimestre, que é proporcional a 4% ao bimestre, que é proporcional a 2% ao mês e vice e versa.

3. Taxa Acumulada de juros – Quando se tem um determinado capital aplicado por diversos períodos a taxas (i 1 , i 2

i n ) diferentes (ou não) em cada período, a taxa capitalizada resultante pode ser expressa com a seguinte fórmula:

i

ac

=

[(1

+

i

1

)

n

.(1

+

i

2

)

n

(1

+

i

n

)

n

1].100

Por ex: Um capital permaneceu aplicado por períodos iguais às seguintes taxas: 2,1%, 1,9%, 3,4% e 2,6%. Qual foi a taxa acumulada?

i

ac

i

ac

=

[(1

+

1

0,021) .(1

+

1

0,019) .(1

+

.1

0,034) .(1

+

0,026)

1

i ac

= [(1,021).(1,019).(1,034).(1,026) 1].100

1].100

= [(1,103742653 ) 1].100

i

ac

= 10 ,3743 %

4. Taxa média de juros – Para saber a taxa média de juros de um determinado período torna-se necessário calcular

primeiro a taxa acumulado (item anterior) e depois extrair a raíz “n” desta taxa encontrada. É expressa com a seguinte

fórmula:

i

= [

n ( 1 + i ) ac
n ( 1
+
i
)
ac

1 ].

100

Para o mesmo exemplo do item anterior, teremos:

 

(1

+

0,103742653)

1].100

   
i = [ 4 [ 4
i =
[
4
[
4

i =

(1,103742653

)

1]. 100

i = (1,024983694 1).100

i

=

2 , 4984

%

5. Taxas equivalentes – Quando se tem a necessidade de saber qual foi a taxa que produziu determinada taxa

capitalizada, extrai-se a raíz “n” desta taxa (expressa em um período maior). O procedimento e a fórmula são similares

aos da taxa média. Por ex: Qual é a taxa mensal equivalente a 30% ao ano?

11

11

i

eq

. =

(1,022104451

i = [ n (1 + i ) − eq . [ 12 (1 +
i
=
[
n
(1
+
i
)
eq .
[
12
(1
+
0,30)
. =
i eq
. =
i eq
1).100

1].100

1].100

1]. 100

i

eq .

=

a m .

6. Taxa efetiva – Quando se quer saber a taxa capitalizada de um contrato ou documento, o cálculo a efetuar é semelhante ao das taxas acumuladas, ou seja, capitaliza-se “(1+i)” tantas vezes quantas forem os períodos de capitalização contidos no período maior que se quer saber. Por ex: Qual é a taxa anual efetiva de 3% ao mês?

i

ef

i

i

ef .

=

[(1

ef

. =

[(1

+

+

i

)

n

0,03)

12

1].100

1].100

. =

i

ef

[(1,425760887 )

= 42 ,5761 %.

1].100

.

a a

.

.

7. Taxa real de juros – Normalmente nos valores resultantes das aplicações estão embutidas as taxas da inflação do período. Para se expurgar a inflação, ou saber qual a taxa que efetivamente remunerou o capital procedemos da seguinte maneira aplicada ao exemplo. Ex: Uma aplicação rendeu em um determinado período 7,3%. Qual foi a taxa real de juros, sabendo que a inflação do mesmo período foi de 4%?

Da fórmula :

(1

pode-se deduzir:

i

real

=

+ i

)

=

(1

i

real

=

+ i

1

real

(1

).(1

+ i

)

+ i

)

inf lação

1 .100

+ i

inf lação

)

(1

1

+

0,073)

+

0,04)

1 .100

i real

= (1,031730769 1).100

i real

= 3,1731%

.100 i real = (1,031730769 − 1).100 i real = 3,1731% “Essa crise não passa de

“Essa crise não passa de uma marolinha”.

(Presidente Lula, em outubro/08, desdenhando o vendaval financeiro que se aproximava.)

desdenhando o vendaval financeiro que se aproximava.) Sistemas de Informação - MATEMÁTICA FINANCEIRA – Beno

12

12

EXERCÍCIOS – JUROS COMPOSTOS E TAXAS

1. Você empresta para seu colega R$ 1.000,00. Quanto ele lhe devolverá no fim de três anos, à taxa de 16% a ano,

sendo que vocês combinaram que a capitalização seria semestral?

2. Qual será o rendimento de R$ 2.000,00 no fim de dois anos e meio, a 20% ao ano capitalizados trimestralmente?

3. Você aplicou o capital de R$ 1.500,00 a 12%a.a. durante quatro anos. Qual foi o montante produzido?

4. Uma aplicação de R$ 1.000,00 produziu um montante de R$ 1.695,88 em três anos. Qual foi a taxa trimestral de

juros desta aplicação?

5. Em quanto tempo um capital dobrará de valor se for aplicado a 18% a.a., capitalizado trimestralmente?

6. Determinar o montante de R$ 1.200,00 no fim de quatro anos, a 12% a.a., capitalizado mensalmente.

7. Qual é a taxa anual de juros que, capitalizada semestralmente, faz com que o capital de R$ 2.500,00 produza R$

2.000,00 de juros em três anos e seis meses?

8. Durante quanto tempo um capital de R$ 2.500,00 produzirá R$ 1.484,62 de juros, a 24% a.a. capitalizado

trimestralmente?

9. Dois capitais que somam R$ 11.000 foram aplicados em instituições financeiras diferentes. O primeiro capital foi

colocado a 20% a.a., capitalizado trimestralmente e o outro foi colocado a 18% a.a. capitalizado mensalmente. No fim

de três anos e nove meses produziram juros iguais. Quais foram esses capitais?

10. Uma pessoa colocou 2/5 de seu capital a 16% a.a. capitalizado trimestralmente e o restante, a 20% a.a. capitalizado semestralmente. No fim de dois anos e seis meses retirou o montante de R$ 2.061,88. Qual foi o capital aplicado?

11. Uma instituição financeira paga juros de 24% a.a. capitalizados trimestralmente. Qual é a taxa efetiva?

12. Qual é a taxa trimestral de juros equivalente a 22% a.a.?

13. Um capital é aplicado a 1,5% a.m. Qual é a taxa anual efetiva?

14. Qual é a taxa mensal de juros equivalente a 20% a.a.?

15. O capital de R$ 1.000,00 foi aplicado durante um ano e três meses a uma taxa trimestral de juros. Se a taxa fosse de 2% ao mês, os juros produzidos seriam R$ 69,58 maiores. Qual foi a taxa da aplicação?

16. Você empresta para seu colega um capital equivalente a R$ 1.235,00. Se a taxa desta transação for de 35% a.a. e

a capitalização mensal, qual será o rendimento (juros) após quinhentos e dez dias?

17. Você aplicou em uma instituição financeira um determinado valor. Após nove meses e quinze dias você retirou um

montante igual a R$ 5.321,00. Qual foi o capital aplicado se a taxa que a instituição paga é de 22,80% a.a. e a

capitalização foi contínua?

Sistemas de Informação - MATEMÁTICA FINANCEIRA – Beno Nicolau Bieger

13

13

18. Você aplica o seu dinheiro a 7% ao mês. Qual é a taxa anual efetiva de juros?

19. Você aplicou um determinado valor por vários períodos iguais e com taxas diferentes de juros. No primeiro período

a taxa foi de 1,88%. No período seguinte você obteve uma taxa 20% menor que aquela. Num terceiro período a taxa

foi apenas 10% menor do que a primeira e, no último período a taxa foi 15% maior do que a primeira. Considerando que os períodos foram iguais, qual foi a taxa acumulada de juros?

20. Você aplicou em uma instituição financeira um capital equivalente a R$ 5.235,00. Após duzentos e setenta dias

você retirou um montante 35% maior do que este capital. Qual foi a taxa anual proporcional que a instituição pagou se

a capitalização foi mensal?

21. Você fez uma aplicação financeira por sete meses e obteve um rendimento de 15%. O Banco Central divulga que,

neste mesmo período, a inflação alcançou 6,43%. Qual foi o seu rendimento real nesta aplicação?

22. você fez uma aplicação financeira para dez meses. A taxa mensal da transação foi de 1,47%. Qual foi a taxa efetiva

desta aplicação?

23. Você fez uma aplicação financeira por nove meses e obteve um rendimento de 9,34%. O Banco Central divulga

que, neste mesmo período, a inflação alcançou 6,43%. Qual foi o seu rendimento real nesta aplicação?

24. Você está exercendo a função de caixa de uma loja de eletroeletrônicos. À sua frente está um cliente renegociando

um carnê de compras que está atrasado em quatro meses e a quinta prestação vence hoje. O valor de cada prestação

é de R$ 93,75. A taxa anual que a loja pratica é igual sessenta porcento. Para prestações atrasadas há uma multa de

3% sobre o valor da prestação mais 1,5% a.m. de juros. Qual será o valor que cliente deve pagar para deixar o seu carnê em dia?

25. Uma pessoa colocou 2/5 de seu capital a 19,37% a.a. capitalizado trimestralmente, 1/3 deste mesmo capital à taxa

taxa anual igual a 19% mas, capitalizado mensalmente, e o restante, a 21,33% a.a. capitalizado semestralmente. No fim de dois anos e meio retirou o montante equivalente R$ 9.152,00. Qual foi o capital aplicado?

RESPOSTAS

1

2

3

4

5

6

R$ 1.586,87

R$ 1.257,79

R$ 2.360,28

4,5% ao trimestre

 

Três anos, 11 meses e 7 dias.

R$ 1.934,67

7

8

9

10

11

12

13

17,52% a.a.

2 anos

C 1 = 5.162,62 e C 2 = 5.837,38

R$ 1.323,07

26,24% a.a.

5,097% ao trimestre

19,56% a.a.

14

15

16

17

18

19

1,5309% a.m.

5% ao trimestre

R$ 778,37

R$ 4.442,25

125,22% a.a.

7,4356 %

20

21

22

23

24

25

40,69% a.a

8,0522%

15,7115%

2,7342%

494,28

5.654,71

8,0522% 15,7115% 2,7342% 494,28 5.654,71 “A“A“A“A vidavidavidavida estáestáestáestá
8,0522% 15,7115% 2,7342% 494,28 5.654,71 “A“A“A“A vidavidavidavida estáestáestáestá

“A“A“A“A vidavidavidavida estáestáestáestá cheiacheiacheiacheia dededede desafiosdesafiosdesafiosdesafios que,que,que,que, sesesese aproveitadosaproveitadosaproveitadosaproveitados dededede formaformaformaforma criativa,criativa,criativa,criativa, transformamtransformam-transformamtransformam--se-sesese emememem oportunidades”.oportunidades”.oportunidades”.oportunidades”.

(Maxwell Maltz)

14

14

DESCONTOS SIMPLES

Conceito

- Desconto é o abatimento (em dinheiro) que um determinado título sofre quando é resgatado antes do seu vencimento.

“Desconto é o preço da impaciência”. (Prof. Rochadelli – PPGEF/UFPR)
“Desconto é o preço da impaciência”.
(Prof. Rochadelli – PPGEF/UFPR)

Desconto Comercial ou “por fora” (d)

- equivale aos juros simples, onde na fórmula substituímos o capital (C) pelo valor nominal do título (N ou FV). Assim teremos:

d =

N .

i . n

d = FV . i . n

Exemplo :

Uma Nota Promissória de valor nominal equivalente a R$ 1.800,00 foi resgatada dois meses antes do seu vencimento à taxa de 24% a.a. Qual foi o desconto ?

Dados :

N

=

1.800

d

=

N

.

i

.

n

 

i

=

24 / 12 meses / 100 =

0,02

d

=

1.800 x 0,02 x

2

n

=

2

d

=

72,00

 

Nas calculadoras comuns ou científicas basta teclar:

1.800

x

24

÷

12

÷

100

x

2

=

72,00

Na HP 12C teclar: 1800 CHS

PV 24

i

60

n

f

INT

Obs.: A taxa utilizada sempre deverá ser anual e o período em dias. (Mesmo procedimento dos juros simples).

Valor Atual ou Valor Presente (A n ou PV)

- O valor atual de um título é o seu valor nominal menos o desconto.

Se

A n =

Colocando

N

-

“N”

d

e

d = N i n

em evidência teremos então

então

 

A n

=

N

-

 

A n

=

N ( 1 - i n )

N i n

Exemplo :

Calcular o Valor Atual do exemplo anterior. 1ª solução

   

2ª solução

 

A n = A n = A n

=

N

- d

A

n

=

N

( 1

-

i

n )

1.800 -

72

A

n

=

1.800

( 1 - 0,02

x

2 )

1.728,00

An

A n

1.800 x 0,96 = 1.728,00

=

 

Nas calculadoras comuns ou científicas basta teclar:

(Dando seqüência ao cálculo do desconto simples basta diminuir o valor do título)

1.800 x

24 ÷ 12 ÷ 100

x

2 = 72,00 - 1.800 = -1.728,00

Na HP 12C basta teclar

−

(após o cálculo dos descontos) e aparecerá no visor o Valor Atual.

15

15

Desconto Racional ou “por dentro” (d’)

- O

desconto racional é equivalente ao juro simples calculado sobre o valor atual de um

título. Por esta definição teríamos:

d’ =

A n . i . n

Substituindo e isolando as incógnitas teremos:

Exemplo :

Calcular o desconto racional do exemplo anterior.

N i n . . d = ' 1 + i n .
N i n
.
.
d =
'
1
+ i n
.

Temos : N =

1.800

d’ =

1.800 . 0,02

 

.

2

i

= 0,02

1

+

0,02

.

2

n

=

2

d’ =

72

.

=

69,23

 

1,04

 

Obs.: Concluímos facilmente que o desconto racional será sempre menor do que o desconto comercial.

Nas

teclando :

calculadores científicas, após o cálculo do desconto comercial ou “por fora” continuamos

÷ (

1 + 24 ÷ 12 ÷ 100

x

2 )

=

69,23

Valor Atual ou Valor Presente

Novamente temos o mesmo raciocínio : O valor atual é o valor do título menos o desconto.

A n

=

N

-

d’

Substituindo d’ pelo seu valor e transformando a fórmula chegaremos a :

Exemplo :

A n

=

N

1+ i . n

Calcular o Valor Atual do exemplo anterior.

 

1ª solução

 

2ª solução

A

n

=

N

-

d’

A n

=

.

1.800

.

A

n

=

1.800

- 69,23

 

1 + 0,02 . 2

A n

=

1.730,77

A n

=

1.800

1,04

=

1.730,77

Na calculadora científica basta diminuir o desconto calculado acima do valor do título ou, fazendo toda a operação:

1800 ÷

(

1 +

24 ÷ 12

÷

100

x

2

) = 1.730,77

Na HP 12C teclar:

1800 Enter 1 Enter 24 Enter 12 ÷ 100 ÷ 2 x + ÷
1800
Enter
1
Enter
24 Enter
12
÷
100
÷ 2
x
+ ÷

“Siga em frente, corajosamente, porque a vitória sorri somente àqueles que não param no meio da estrada”.

16

16

EXERCÍCIOS – DESCONTOS SIMPLES

Obs: Os exercícios de 1 a 8 são transcritos e adaptados de: FRANCISCO, W. De, Matemática Financeira. 7 a . ed. São Paulo: Atlas. 1994. (p. 36-37)

1. Qual o desconto comercial de uma duplicata de valor nominal equivalente a R$ 220,00, resgatada três meses antes

do vencimento, à taxa de 18% ao ano?

2. Uma nota promissória cujo valor de face é de R$ 860,00 foi paga três meses e quinze dias antes do vencimento com

desconto comercial de 1,5% ao mês. Qual o valor do resgate ?

3. O valor Atual (Presente) de um título, pelo desconto comercial de 2% ao mês, cinco mêses antes do vencimento, é

igual a R$ 720,00. Qual será o valor atual desse título se o desconto for racional?

4. A diferença entre os descontos comercial e racional de um título para quatro meses, à taxa de 18% ao ano, é de

R$ 3,40. Qual o valor nominal do título?

5. Um título de valor nominal igual a R$ 315,00 para noventa dias deverá ser quitado hoje juntamente com outro para

cento e cinqüenta dias cujo valor nominal é igual a R$ 477,80. Calcular o valor que será desembolsado por esta quitação se a taxa de desconto comercial que envolve a transação é de 2,5% ao mês.

6. Você tem uma dívida de R$ 560,00 e que você pretende pagar antecipadamente em 75 dias. A taxa que envolve a

transação é 1,99% a.m. Qual será o valor do resgate pelo desconto racional?

7. Você tem uma dívida que foi resgatada por R$ 560,00 com 75 dias de antecedência. A taxa que envolveu a

transação foi de 1,99% a.m. Qual era o valor do título se o desconto foi comercial?

8. Uma Letra de Câmbio de valor nominal igual a R$ 2.500,00 foi resgatada dois meses e dezesseis dias antes do

vencimento a uma taxa de 2,7%a.m. Calcular o valor do resgate:

a)

Pelo desconto comercial.

b)

Pelo desconto racional.

9.

Você tem uma dívida de R$ 860,00 e que você pretende pagar antecipadamente em 45 dias. A taxa bimestral que

envolve a transação é 2,5%. Qual será o valor do resgate:

a)

pelo desconto comercial;

b)

pelo desconto racional?

10.

A diferença entre os descontos comercial e racional de um título para cento e trinta dias, à taxa de 21,80% ao ano,

é de R$31,54. Qual o valor nominal do título?

11. A diferença entre o desconto comercial e racional é igual a R$ 77,55. Qual é o valor do título sabendo-se que a taxa

da transação foi de 37%a.a., o vencimento é para cento e quinze dias?

12. A diferença entre os valores de resgate pelo desconto comercial e racional é igual a R$ 117,55. Qual é o valor do

título sabendo-se que a taxa da transação foi de 37,35%a.a., o vencimento é para quinze meses?

13. Você tem em mãos as duplicatas abaixo para serem descontadas no Banco BCB. A taxa que o banco oferece hoje é

de 19%a.a Complete a planilha:

17

17

Duplicata

Valor

Vencimento

Desconto

Valor do Resgate (em R$)

 

(em R$)

(em dias)

(em R$)

 

01 129,75

37

     
 

02 347,50

23

     
 

03 297,55

41

     
 

04 411,50

18

     

Total

         
 

RESPOSTAS

1

2

3

4

5

6

R$ 9,90

R$ 814,85

R$ 727,27

R$ 1.001,11

R$ 709,45

R$ 533,46

7

8.a

8.b

9.a

9.b

R$ 589,32

R$ 2.329,00

R$ 2.339,95

R$ 843,88

R$ 844,17

10

11

12

13

R$ 5.490,05

R$ 6.207,33

R$ 791,07

R$ 5.490,05 R$ 6.207,33 R$ 791,07
11 12 13 R$ 5.490,05 R$ 6.207,33 R$ 791,07 “Na adversidade conhecemos os recursos de que
11 12 13 R$ 5.490,05 R$ 6.207,33 R$ 791,07 “Na adversidade conhecemos os recursos de que

“Na adversidade conhecemos os recursos de que dispomos”. (Horácio)

18

18

DESCONTOS COMPOSTOS

Conceito de desconto

- Desconto é o abatimento (em dinheiro) que um determinado título sofre quando é resgatado antes do seu vencimento.

Conceito de Desconto Composto

“Desconto composto equivale à soma dos descontos simples, calculados isoladamente em cada um dos períodos que faltam para o vencimento do título”. (Francisco, 1994, p. 71). Da mesma forma como em juros compostos, incorpora-se agora mais uma variável que é o regime de capitalização. Em cada situação (exercício, negócio ou transação) deve estar expresso qual é o regime de capitalização (anual, semestral, trimestral, mensal, etc).

Desconto Composto REAL

O desconto composto real equivale à soma dos descontos racionais, calculados sucessivamente em cada um dos períodos

que faltam para o vencimento do título. Assim, aplicando a fórmula do desconto racional

d '

=

N i n

.

.

1

+ i n

.

e a de seu valor atual

A n

=

N

1+ i . n

, desenvolvemos a fórmula para o cálculo do valor atual (valor do resgate):

N A = n n (1+ ) i
N
A
=
n
n
(1+ )
i

ou, passando o denominador para o numerador

A

n

= N

.(1 +

i

)

n

Exemplo: Uma Nota Promissória de valor nominal equivalente a R$ 1.800,00 foi resgatada noventa dias antes do seu vencimento à taxa de 24% a.a. Qual foi o desconto real se a capitalização é mensal?

Dados:

A

n

=

N

.(1 +

i

)

n

N

=

1.800

k

= mensal

 

i

=

24 / 12 meses / 100 =

0,02

n

=

90 dias = 3 meses

então

)

A

3

=

1800

.(1

+

0,02 )

3

A

3

= 1800 .( 0,942322335

d = N – A n

então

e, finalmente

A

3

= 1.696 ,18

=

se

d = 1800 – 1.696,18

103,82

Nas calculadoras comuns ou científicas (algumas) teclar:

1.800 x (1 + 0,02)x y

3 ±±±± =

1.696,18

Na HP 12C teclar:

1800 CHS

FV 24

g

i

3

n

PV

Obs: O período e a taxa utilizada (sempre percentual) deverão estar de acordo com a capitalização.

Desconto Composto Bancário

O desconto composto bancário equivale à soma dos descontos comerciais, calculados sucessivamente em cada um dos

e a de seu valor

períodos que faltam para o vencimento do título. Assim, aplicando a fórmula do desconto racional

atual A n = N.(1-i.n), desenvolvemos a fórmula para o cálculo do valor atual (valor do resgate):

d = N.i.n

A

n = N.(1 i)

n

Exemplo: Calcular o desconto bancário do exemplo anterior.

Dados:

   

A

n

= N.(1 i)

n

e substituindo,

A

n

= 1800.(1 0,02)

3

N

=

1.800

 

k

i

= mensal

=

24 / 12 meses / 100 =

0,02

A

n

= 1800.(0,941192)

chegaremos a:

A

n

=

1 . 694

,15

n

=

90 dias = 3 meses

se

d = N – A n

então

d = 1800 – 1.694,15

=

105,85

Obs: Concluímos que o desconto bancário será sempre maior do que o desconto real. Com os seus valores atuais ocorre o contrário, obviamente.

19

19

Nas calculadoras comuns ou científicas (algumas) teclar:

1.800 x (1 – 0,02)y x

3

=

1.694,15 – 1800 = 105,85

Na HP 12C teclar:

1800 Enter 1 Enter

0,02 –

3 y x

X

1800

Obs: A calculador HP 12C não tem teclas financeiras para este cálculo.

Capitalização contínua – Cálculo do valor Atual

A situação específica de capitalização contínua é matematicamente possível e chega-se à solução pela seguinte fórmula:

A n = N.(e) i.n

onde “e” é uma constante matemática de valor igual a 2,718281828.

Obs: Também neste caso as variáreis “i” e “n” devem estar expressas na mesma periodicidade (não importando qual).

expressas na mesma periodicidade (não importando qual). “Para o autônomo que optou por abrir uma empresa,

“Para o autônomo que optou por abrir uma empresa, a ajuda de um contador é fundamental desde o começo”.

(Maurício Oliveira – editor de Você S/A)

20

20

EXERCÍCIOS – DESCONTOS COMPOSTOS

Os exercícios de 1 a 8 são transcritos e adaptados de: FRANCISCO, W. De, Matemática Financeira. 7 a . ed. São Paulo: Atlas. 1994. (p.91 e 262).

1. Calcular o valor atual de um título de R$ 200,00 que sofreu um desconto real de 18% a.a., capitalizados

trimestralmente, dois anos antes do vencimento.

2. O desconto real de um título, pagável em dois anos e três meses, é igual a R$ 187,20. Calcular o valor nominal do

título, sabendo-se que a taxa empregada na transação é de 20% a.a., capitalizada trimestralmente.

3. Qual

semestralmente?

é

o

desconto bancário de um título de R$ 500,00, exigível em

três anos, a 20% a.a., capitalizados

4. Calcular o valor atual de um título de R$ 10.000,00, resgatando dois anos e seis meses antes do vencimento, à taxa

de desconto real de 20% a.a. capitalizados semestralmente.

5. Qual é o desconto bancário de um título de R$ 5.000,00 pagável

semestralmente?

em dois anos a 20% a.a. capitalizados

6. O desconto real de um título, pagável em um ano e três meses é de 432,95. Calcular o valor nominal deste título,

sabendo-se que a taxa empregada foi de 20% a.a. com capitalizações trimestrais.

7. Um título, pagável em um ano e três meses, sofreu um desconto bancário de R$ 3.921,47 a 24% a.a. capitalizados

mensalmente. Determinar o valor nominal deste título.

8. Calcular o valor atual de um título de R$ 5.000,00, resgatado cinco anos e 4 meses antes do vencimento, a 12%

a.a., capitalizados continuamente.

9. Você deve para seu colega um valor equivalente a R$ 1.235,00. Se a taxa desta transação for de 34% a.a. e a

capitalização mensal, qual será o valor do desconto real se a antecipação desta dívida for de cento e cinqüenta dias?

10. Você deve para seu colega um valor equivalente a R$ 1.235,00. Se a taxa desta transação for de 34% a.a. e a

capitalização mensal, qual será o valor do desconto bancário se a antecipação deste título for de cento e cinqüenta

dias?

11. Você assumiu em uma instituição financeira um determinado título. Cinco meses e quinze dias antes do vencimento

você resgatou este título por um valor equivalente a R$ 5.584,00. Qual foi o valor do desconto concedido se a taxa da transação foi de 21,80% a.a. e a capitalização foi contínua?

12. Você negociou pelo desconto bancário, em uma instituição financeira, um título equivalente a R$ 4.855,00, por um

valor 35% menor do que o valor original. Qual foi a taxa anual proporcional envolvida se a capitalização foi mensal e a

antecipação de cento e vinte dias?

13. O desconto real de um título, pagável em 1 ano e três meses, é de R$ 432,95. Calcular o valor nominal do título,

sabendo-se que a taxa mensal empregada na transação foi 2,7% e as capitalizações trimestrais.

14. Você deve pagar um título de R$ 12.345,00 com vencimento para dois bimestres e meio. Qual será o valor do

resgate pelo desconto composto real considerando uma taxa de 30% a.a. e capitalizações mensais?

15. A diferença entre os valores de resgate, calculados pelo desconto composto real e bancário, sobre o valor de um

título é igual a R$ 27,50. Qual é o valor deste título se a antecipação foi de oito meses, a taxa de 2,9% a.m. e a

capitalização bimestral?

16. Uma duplicata no valor equivalente a R$ 573,54 sofreu um desconto composto bancário igual a cinqüenta reais,

três bimestres antes do vencimento. Qual foi a taxa anual proporcional se as capitalizações foram mensais?

21

21

17. Você deve para seu colega um valor equivalente a R$ 7.431,00. Se a taxa da transação é igual a 47%a.a. e a

capitalização mensal, qual será o valor do desconto real se a antecipação deste título for de cento e cinqüenta dias?

18. Você assumiu em uma instituição financeira um determinado título. Nove meses e quinze dias antes do vencimento

você resgatou este título por um valor equivalente a R$ 7.431,00. Qual foi o valor nominal deste título se a taxa da transação é igual a 47%a.a. e a capitalização é contínua?

19. Uma letra de câmbio de valor monetário equivalente a R$ 1.347,00 será antecipada em quatro meses à taxa anual

47%. Qual será o valor do resgate se as capitalizações forem bimestrais e o desconto for bancário?

20. A diferença entre os valores de resgate pelo desconto real e bancário é igual R$ 121,68. Qual é o valor do título

sabendo-se que a taxa da transação é de 47%a.a., o vencimento é para dezoito meses e a capitalização é trimestral?

21. Uma duplicata no valor equivalente a R$ 7.431,00, sofreu um desconto composto bancário igual a R$ 350,00, sete

meses antes do vencimento. Qual foi a taxa anual proporcional se as capitalizações foram bimestrais?

22. Você teve que apelar para um “agiota” para resolver um problema financeiro inusitado. Tomou emprestada uma

determinada quantia que foi resgatada por um valor equivalente a R$ 111.465,00 e que venceria daqui a dois bimestres e meio. Qual era o valor da dívida se a taxa de desconto foi igual a 47%a.a., o desconto foi real e as capitalizações mensais?

1

2

3

RESPOSTAS

4

5

6

7

R$ 140,64

R$ 526,74

R$ 234,28

R$ 6.209,21

R$ 1.719,50

R$ 2.000,00

R$ 15.000,00

8

9

10

11

12

13

14

15

R$ 2.636,46

R$ 161,02

R$ 165,32

R$ 586,76

122,52% a.a.

R$ 1.342,24

R$ 10.911,18

R$ 2.573,66

16

17

18

19

20

21

22

18,1049% a.a.

1.298,73

10.780,55

1.144,24

2.961,07

8,2139%

135.071,76

“Saber não é absolutamente nada, imaginar é tudo” (Analote France)

22

22

SÉRIES UNIFORMES

As séries uniformes também são definidas por alguns autores como RENDAS. Significam pagamentos ou

recebimentos periódicos gerados em uma transação. A série uniforme pode ser de prestações ou depósitos e que são

chamados de termos (T ou PMT). Denomina-se “n” o número de termos (pagamentos/receitas) e “i” a taxa de juros.

Se o objetivo da série é formar ou constituir um capital, este será então chamado de Montante da renda ou

série. Se, no entanto o objetivo é amortizar uma dívida, o valor desta dívida será chamado de Valor Atual ou Valor

Presente da série.

As Rendas, ou séries uniformes, podem ser genérica e esquematicamente classificadas em:

1. Perpétuas

2. Temporárias

Não periódicas

Periódicas

Variáreis

 

Constantes

Imediatas / Postecipadas Antecipadas Diferidas

Constantes Imediatas / Postecipadas Antecipadas Diferidas Daremos aqui um enfoque para as Rendas Temporárias

Daremos aqui um enfoque para as Rendas Temporárias Periódicas, Constantes ou perpétuas, Imediatas,

antecipadas e diferidas, visto que são as formas mais comuns no ambiente comercial. As demais podem ser facilmente

entendidas com base na literatura deste mesmo assunto aqui tratado.

Valor Atual de uma Renda Unitária imediata ou postecipada (fator de valor atual)

Para se chegar à fórmula partimos do mesmo cálculo do Valor Atual calculado pelo desconto composto real,

considerando “n” termos, para um título de valor nominal igual a um (1) e uma taxa “i”.

Assim sendo , se

An

=

N

(

1 +

i

) -

n

e aplicando sucessivamente

transformando a fórmula chegaremos finalmente a :

este raciocínio para os “n” termos e

a n  i

=

(1

+

i

)

n

1

(1

+

i

)

n

.

i

Variáveis:

a n i = Valor Atual de uma Renda Unitária imediata

n = número de termos

i = taxa considerada ( i / 100)

Valor Atual das Rendas Imediatas ou postecipadas

Se “T” for o valor do termo (prestação, depósito, etc.), o cálculo para se saber o Valor Atual de uma série

uniforme de Rendas imediatas (com valor da prestação diferente de uma unidade ou valor monetário) será

simplesmente multiplicar o valor do termo (valor da prestação) pelo Valor Atual de Uma Renda Unitária imediata, ou

seja :

A n i = T . a n i

Exemplo :

Calcular o Valor Atual de uma dívida constituída de quinze prestações mensais de R$ 750,00, considerando juros de 3,5% a.m

Temos : n = 15

i

= 3,5 /100

T

=

750

a n i

=

(1

+

i

)

n

1

(1

+

i

)

n

.

i

=

(1

+

0 ,035

)

15

1

(1

+

0 ,035

)

15

.0 ,035

= 11 ,5174109

Sistemas de Informação - MATEMÁTICA FINANCEIRA – Beno Nicolau Bieger

23

23

A n i

A n i

=

750 x

11,5174109

 

=

8.638,058175

=

R$ 8.638,06

A n i = T . a n i

Obs.:

1. Os valores de a n i são encontrados em tabelas próprias nos livros de Matemática Financeira. Após identificá-lo basta multiplicar pelo valor do termo (T). 2. Para calcular o valor de a n i na HP 12C basta teclar :

1

CHS

PMT

 

15

n

3,5

i

PV

750

CHS

PMT

 

15

n

3,5

 

i

PV

A

=

T .

+

i )

n

1

 

n i

(1

(1

)

+ i

i

n

.

 

Para calcular toda a operação na HP 12C:

Juntando as duas expressões (fórmulas) teremos:

na HP 12C: Juntando as duas expressões (fórmulas) teremos: Valor Atual das Rendas antecipadas Analogamente às

Valor Atual das Rendas antecipadas

Analogamente às Rendas imediatas calculamos o seu valor atual pela fórmula :

A

n i = T .a n i

onde (nesta situação)

 

a

=

(1

+

i

)

n

1

 

n i

(1

+

i

)

n 1

.

i

   

(1

 

i

)

n

1

 

A

=

T .

+

 

 

n i

(1

+

i

)

n

1

.

i

 

750

CHS

PMT

15

n

3,5

 

i

g

BEG

 

PV

 

Juntando as duas expressões (fórmulas) teremos:

  Juntando as duas expressões (fórmulas) teremos: Para calcular a operação do exemplo anterior na HP

Para calcular a operação do exemplo anterior na HP 12C :

Para calcular a operação do exemplo anterior na HP 12C : "A esperança tem duas filhas
Para calcular a operação do exemplo anterior na HP 12C : "A esperança tem duas filhas

"A esperança tem duas filhas lindas, a indignação e a coragem; a indignação nos ensina a não aceitar as coisas como estão; a coragem, a mudá-las!” (Anônimo)

24

24

Montante de uma Renda Unitária Imediata (fator de montante)

O Montante de uma renda unitária (por ex. R$1,00) imediata equivale à soma dos montantes dos depósitos / prestações unitárias, durante “n” períodos a uma taxa “i”. Calculando o montante de cada termo (onde C = 1), pela fórmula dos juros compostos, ou seja,

C n

=

C

( 1 + i ) n

e,

desenvolvendo para “n” termos à taxa “i”

chegaremos à fórmula genérica

s n i

=

(1 +

i

)

n

1

i

:

Montante de uma série uniforme de Rendas Imediatas

Seguindo o mesmo raciocínio (e forma de calcular) utilizado no Valor Atual, simplesmente valor dos termos / prestações / depósitos pelo valor de sni calculado pela fórmula acima, ou seja

multiplicamos o

S n ┐ i = T . s n ┐ i Exemplo : Calcular o
S n ┐ i =
T . s n ┐ i
Exemplo :
Calcular o Montante do exemplo anterior.
Temos :
T
= 750
n
15
(1 +
i
)
− 1
(1
+
0 ,035
)
1
s
n ┐ i
=
=
n =
15
i
0 ,035
i ÷ 100
=
3,5
s n ┐ i = 19,29568088
S n ┐ i =
T . s n ┐ i
=
750
x
19,29568088 =
14.471,76066
S n ┐ i
=
14.471,76
S n ┐ i

Obs.:

1. Os valores de s n i são encontrados em tabelas próprias nos livros de Matemática Financeira. Após identificá-lo basta multiplicar

pelo valor do termo (T).

2. Para calcular o valor de s n i na HP 12C basta teclar :

o valor de s n ┐ i na HP 12C basta teclar : 1 CHS PMT

1

CHS

PMT

15