Você está na página 1de 3

Características do Texto Dramático

Apresenta:

• Texto principal composto pelas falas dos actores que


é ouvido pelos espectadores;

• Texto secundário (ou didascálias) que se destina


ao leitor, ao encenador da peça ou aos actores. É
composto:
o pela listagem inicial das personagens;
o pela indicação do nome das personagens no
início de cada fala;
o pelas informações sobre a estrutura externa da
peça (divisão em actos, cenas ou quadros);
o pelas indicações sobre o cenário e guarda roupa
das personagens;
o pelas indicações sobre a movimentação das
personagens em palco, as atitudes que devem
tomar, os gestos que devem fazer ou a entoação
de voz com que devem proferir as palavras;

Acção – é marcada pela actuação das personagens


que nos dão conta de acontecimentos vividos.

Estrutura externa – o teatro tradicional e clássico


pressupunha divisões em actos, correspondentes à
mutação de cenários, e em cenas e quadros,
equivalentes à mudança de personagens em cena. O
teatro moderno, narrativo ou épico, põe completamente
de parte as normas tradicionais da estrutura externa.

Estrutura interna:
• Exposição – apresentação das personagens e dos
antecedentes da acção.
• Conflito – conjunto de peripécias que fazem a acção
progredir.
• Desenlace – desfecho da acção dramática.

Classificação das Personagens:


* Quanto à sua concepção:
• Planas ou personagens-tipo – sem densidade
psicológica uma vez que não alteram o seu
comportamento ao longo da acção. Representam um
grupo social, profissional ou psicológico);
• Modeladas ou Redondas – com densidade
psicológica, que evoluem ao longo da acção e, por isso
mesmo, podem surpreender o espectador pelas suas
atitudes.
* Quanto ao relevo ou papel na obra:
• protagonista ou personagem principal Individuais
• personagens secundárias ou
• figurantes Colectivas

Tipos de caracterização:
• Directa – a partir dos elementos presentes nas
didascálias, da descrição de aspectos físicos e
psicológicos, das palavras de outras personagens, das
palavras da personagem a propósito de si própria.
• Indirecta – a partir dos comportamentos, atitudes e
gestos que levam o espectador a tirar as suas próprias
conclusões sobre as características das personagens.

Espaço – o espaço cénico é caracterizado nas


didascálias onde surgem indicações sobre pormenores
do cenário, efeitos de luz e som. Coexistem normalmente
dois tipos de espaço:
• Espaço representado – constituído pelos cenários
onde se desenrola a acção e que equivalem ao espaço
físico que se pretende recriar em palco.
• Espaço aludido – corresponde às referências a outros
espaços que não o representado.

Tempo:
• Tempo da representação – duração do conflito em
palco;
• Tempo da acção ou da história – o(s) ano(s) ou a
época em que se desenrola o conflito dramático;
• Tempo da escrita ou da produção da obra – altura
em que o autor concebeu a peça.

Discurso dramático ou teatral:


• Monólogo – uma personagem, falando consigo
mesma, expõe perante o público os seus pensamentos
e/ou sentimentos;
• Diálogo – falas entre duas ou mais personagens;
• Apartes – comentários de uma personagem que não
são ouvidos pelo seu interlocutor.
Além deste tipo de discurso, o tecto dramático
pressupõe o recurso à linguagem gestual, à sonoplastia e
à luminotécnica.

Intenção do autor - pode ser:


• Moralizadora;
• Lúdica ou de evasão;
• Crítica em relação à sociedade do seu tempo;
• Didáctica.

Formas do género dramático:


• Tragédia
• Comédia
• Drama
• Teatro Épico.

Outras características:
• Ausência de narrador.
• Predomínio do discurso na segunda pessoa
(tu/vós).

Imagens para trocar impressões: