Você está na página 1de 9
(VideMedidaProvisórianº614,de2013) VideDecretonº8.239,de2014 PresidênciadaRepública CasaCivil

PresidênciadaRepública

CasaCivil

SubchefiaparaAssuntosJurídicos

DispõesobreaestruturaçãodoPlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederal;sobrea CarreiradoMagistérioSuperior,dequetrataaLein o 7.596,de10deabrilde1987;sobreo PlanodeCarreiraeCargosdeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológicoesobre oPlanodeCarreirasdeMagistériodoEnsinoBásicoFederal,dequetrataaLein o 11.784, de22desetembrode2008; sobreacontrataçãodeprofessores substitutos, visitantes e estrangeiros,dequetrataaLein o 8.745de9dedezembrode1993;sobrearemuneração das Carreiras e Planos Especiais do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, de quetrataaLein o 11.357,de19deoutubrode2006;alteraremuneraçãodoPlanodeCargos Técnico­AdministrativosemEducação;alteraasLeisn os 8.745,de9dedezembrode1993, 11.784, de22desetembrode2008, 11.091, de12dejaneirode2005, 11.892, de29de

dezembrode2008,11.357,de19deoutubrode2006,11.344,de8desetembrode2006,

12.702,de7deagostode2012,e8.168,de16dejaneirode1991;revogaoart.4 o daLein o

12.677,de25dejunhode2012;edáoutrasprovidências.

APRESIDENTADAREPÚBLICAFaçosaberqueoCongressoNacionaldecretaeeusancionoaseguinteLei:

CAPÍTULOI

DOPLANODECARREIRASECARGOSDEMAGISTÉRIOFEDERAL

Art.1 o Ficaestruturado,apartirde1 o demarçode2013,oPlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederal,compostopelasseguintesCarreirasecargos:

II­CargoIsoladodeprovimentoefetivo,denívelsuperior,deProfessorTitular­LivredoMagistérioSuperior;

III­CarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico,compostapeloscargosdeprovimentoefetivodeProfessordoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico,de quetrataaLein o 11.784,de22desetembrode2008;e

IV­CargoIsoladodeprovimentoefetivo,denívelsuperior,deProfessorTitular­LivredoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico.

I­ClasseA,comasdenominaçõesde: (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

a)ProfessorAdjuntoA,seportadordotítulodedoutor; (IncluídopelaLeinº12.863,de2013)

b)ProfessorAssistenteA,seportadordotítulodemestre;ou (IncluídopelaLeinº12.863,de2013)

c)ProfessorAuxiliar,segraduadoouportadordetítulodeespecialista; (IncluídopelaLeinº12.863,de2013)

II­ClasseB,comadenominaçãodeProfessorAssistente; (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

III­ClasseC,comadenominaçãodeProfessorAdjunto; (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

IV­ClasseD,comadenominaçãodeProfessorAssociado;e (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

V­ClasseE,comadenominaçãodeProfessorTitular. (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

§5 o O regime jurídico dos cargos do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal é o instituído pela Lei n o 8.112, de11 de dezembro de 1990, observadas as disposiçõesdestaLei. (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

§6 o Os cargos efetivos das Carreiras e Cargos Isolados de que trata o caput integram os Quadros de Pessoal das Instituições Federais de Ensino subordinadas ou vinculadasaoMinistériodaEducaçãoeaoMinistériodaDefesaquetenhamporatividade­fimodesenvolvimentoeaperfeiçoamentodoensino,pesquisaeextensão,ressalvadosos cargosdequetratao§11doart.108­AdaLein o 11.784,de22desetembrode2008,queintegramoQuadrodePessoaldoMinistériodoPlanejamento,OrçamentoeGestão.

Art.2 o Sãoatividades das Carreiras eCargos Isolados doPlanodeCarreiras eCargos deMagistérioFederalaquelas relacionadas aoensino, pesquisaeextensãoeas inerentesaoexercíciodedireção,assessoramento,chefia,coordenaçãoeassistêncianaprópriainstituição,alémdaquelasprevistasemlegislaçãoespecífica.

§1 o ACarreiradeMagistérioSuperiordestina­seaprofissionaishabilitadosematividadesacadêmicasprópriasdopessoaldocentenoâmbitodaeducaçãosuperior.

§2 o ACarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológicodestina­seaprofissionaishabilitadosematividadesacadêmicasprópriasdopessoaldocentenoâmbito daeducaçãobásicaedaeducaçãoprofissionaletecnológica,conformedispostonaLein o 9.394,de20dedezembrode1996,enaLeinº11.892,de29dedezembrode2008.

§3 o Os Cargos Isolados de provimento efetivo objetivam contribuirpara o desenvolvimento e fortalecimento de competências e alcance da excelência no ensino e na pesquisanasInstituiçõesFederaisdeEnsino­IFE.

Art.3 o Apartirde1 o demarçode2013,aCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológicoeoCargoIsoladodeProfessorTitulardoEnsinoBásico,Técnicoe

Tecnológico,dequetratamosincisosIeIIdocaputdoart.106daLeinº11.784,de2008,passamapertenceraoPlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederal,naformadesta

Lei,observadaaTabeladeCorrelaçãoconstantedoAnexoII,deixandodepertenceraoPlanodeCarreirasdequetrataoart.105daLeinº11.784,de2008.

Parágrafoúnico. OCargoIsoladodequetrataocaputpassaadenominar­seProfessorTitular­LivredoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico.

Parágrafoúnico. OscargosvagosdaCarreiradequetrataocaputpassamaintegraroPlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederal,eoingressonoscargosdeverá ocorrernaformaecondiçõesdispostasnestaLei. (IncluídopelaLeinº12.863,de2013)

Art.5 o Apartirde1 o demarçode2013,oscargosdeProfessorTitulardaCarreiradeMagistérioSuperiordoPUCRCEpassamaintegraraClassedeProfessorTitularda CarreiradeMagistérioSuperiordoPlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederaldequetrataestaLei.

Art. 6 o O enquadramento no Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal não representa, para qualquer efeito legal, inclusive para efeito de aposentadoria, descontinuidadeemrelaçãoàCarreira,aocargoeàsatribuiçõesatuaisdesenvolvidaspelosseusocupantes.

Art.7 o OdispostonesteCapítuloaplica­se,noquecouber,aosaposentadosepensionistas.

CAPÍTULOII

DOINGRESSONASCARREIRASECARGOSISOLADOSDOPLANODECARREIRASECARGOSDEMAGISTÉRIOFEDERAL

SeçãoI

DaCarreiradeMagistérioSuperioredocargoisoladodeProfessorTitular­LivredoMagistérioSuperior

Art.8 o OingressonaCarreiradeMagistérioSuperiorocorrerásemprenoprimeironíveldevencimentodaClasseA,medianteaprovaçãoemconcursopúblicodeprovase títulos. (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

§1 o Oconcursopúblicodequetrataocaputtemcomorequisitodeingressootítulodedoutornaáreaexigidanoconcurso. (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

§2 o Oconcursopúblicoreferidonocaputpoderáserorganizadoemetapas,conformedispuseroeditaldeaberturadocertame,queestabeleceráascaracterísticasdecada etapaeoscritérioseliminatórioseclassificatórios.

§3º AIFEpoderádispensar,noeditaldoconcurso,aexigênciadetítulodedoutor,substituindo­apeladetítulodemestre,deespecialistaoupordiplomadegraduação, quandosetratardeprovimentoparaáreadeconhecimentoouemlocalidadecomgravecarênciadedetentoresdatitulaçãoacadêmicadedoutor,conformedecisãofundamentadade seuConselhoSuperior. (IncluídopelaLeinº12.863,de2013)

Art.9 o OingressonoCargoIsoladodeProfessorTitular­LivredoMagistérioSuperiorocorreránaclasseenívelúnicos,medianteaprovaçãoemconcursopúblicodeprovase títulos,noqualserãoexigidos:

I­títulodedoutor;e

II­10(dez)anosdeexperiênciaoudeobtençãodotítulodedoutor,ambosnaáreadeconhecimentoexigidanoconcurso,conformedisciplinadopeloConselhoSuperiorde

§1 o Oconcursopúblicoreferidonocaputseráorganizadoemetapas,conformedispuseroeditaldeaberturadocertame,econsistirádeprovaescrita,provaoraledefesade memorial.

§2 o Oeditaldoconcursopúblicodequetrataesteartigoestabeleceráascaracterísticasdecadaetapaeoscritérioseliminatórioseclassificatóriosdocertame.

§3 o O concursoparaocargoisoladodeTitular­Livreserárealizadoporcomissãoespecial composta, nomínimo, por75% (setentaecincoporcento)deprofissionais externosàIFE,nostermosdeatodoMinistrodeEstadodaEducação. (IncluídopelaLeinº12.863,de2013)

SeçãoII

DaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológicoedoCargoIsoladodeProfessorTitular­LivredoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico

Art.10. OingressonoscargosdeprovimentoefetivodeProfessordaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológicoedaCarreiradoMagistériodoEnsino

BásicoFederalocorrerásemprenoNível1daClasseDI,medianteaprovaçãoemconcursopúblicodeprovasoudeprovasetítulos.

§1 o Noconcursopúblicodequetrataocaput,seráexigidodiplomadecursosuperioremníveldegraduação.

§2 o Oconcursopúblicoreferidonocaputpoderáserorganizadoemetapas,conformedispuseroeditaldeaberturadocertame.

§3 o Oeditaldoconcursopúblicodequetrataesteartigoestabeleceráascaracterísticasdecadaetapadoconcursopúblicoeoscritérioseliminatórioseclassificatóriosdo certame.

Art.11. OingressonoCargoIsoladodeProfessorTitular­LivredoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológicoocorreránaclasseenívelúnicos,medianteaprovaçãoemconcurso públicodeprovasetítulos,noqualserãoexigidos:

I­títulodedoutor;e

II­10(dez)anosdeexperiênciaoudeobtençãodotítulodedoutor,ambosnaáreadeconhecimentoexigidanoconcurso,conformedisciplinadopeloConselhoSuperiorde

§1 o Oconcursopúblicoreferidonocaputseráorganizadoemetapas,conformedispuseroeditaldeaberturadocertame,econsistirádeprovaescrita,provaoraledefesade memorial.

§2 o Oeditaldoconcursopúblicodequetrataesteartigoestabeleceráascaracterísticasdecadaetapaeoscritérioseliminatórioseclassificatóriosdocertame.

§3 o O concursoparaocargoisoladodeTitular­Livreserárealizadoporcomissãoespecial composta, nomínimo, por75% (setentaecincoporcento)deprofissionais externosàIFE,nostermosdeatodoMinistrodeEstadodaEducação. (IncluídopelaLeinº12.863,de2013)

CAPÍTULOIII

DODESENVOLVIMENTONASCARREIRASDOPLANODECARREIRASECARGOSDEMAGISTÉRIOFEDERAL

SeçãoI

DaCarreiradeMagistérioSuperior

Art.12. OdesenvolvimentonaCarreiradeMagistérioSuperiorocorrerámedianteprogressãofuncionalepromoção.

§1 o Paraosfinsdodispostonocaput,progressãoéapassagemdoservidorparaoníveldevencimentoimediatamentesuperiordentrodeumamesmaclasse,epromoção,a passagemdoservidordeumaclasseparaoutrasubsequente,naformadestaLei.

§2 o AprogressãonaCarreiradeMagistérioSuperiorocorrerácombasenoscritériosgeraisestabelecidosnestaLeieobservará,cumulativamente:

I­ocumprimentodointerstíciode24(vinteequatro)mesesdeefetivoexercícioemcadanível;e

II­aprovaçãoemavaliaçãodedesempenho.

§3 o Apromoçãoocorreráobservadosointerstíciomínimode24(vinteequatro)mesesnoúltimoníveldecadaClasseantecedenteàquelaparaaqualsedaráapromoçãoe, ainda,asseguintescondições:

I­paraaClasseB,comdenominaçãodeProfessorAssistente,seraprovadoemprocessodeavaliaçãodedesempenho; (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

II­paraaClasseC,comdenominaçãodeProfessorAdjunto,seraprovadoemprocessodeavaliaçãodedesempenho; (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

III­paraaClasseD,comdenominaçãodeProfessorAssociado: (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

a)possuirotítulodedoutor;e

b)seraprovadoemprocessodeavaliaçãodedesempenho;e

IV­paraaClasseE,comdenominaçãodeProfessorTitular: (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

a)possuirotítulodedoutor;

b)seraprovadoemprocessodeavaliaçãodedesempenho;e

c)lograraprovaçãodememorialquedeveráconsiderarasatividadesdeensino,pesquisa,extensão,gestãoacadêmicaeproduçãoprofissionalrelevante,oudefesadetese

acadêmicainédita.

§4 o AsdiretrizesgeraisparaoprocessodeavaliaçãodedesempenhoparafinsdeprogressãoedepromoçãoserãoestabelecidasematodoMinistériodaEducaçãoedo Ministério da Defesa, conforme a subordinação ou vinculação das respectivas IFE e deverão contemplar as atividades de ensino, pesquisa, extensão e gestão, cabendo aos conselhoscompetentesnoâmbitodecadaInstituiçãoFederaldeEnsinoregulamentarosprocedimentosdoreferidoprocesso.

§5 o OprocessodeavaliaçãoparaacessoàClasseE,comdenominaçãodeTitular,serárealizadoporcomissãoespecialcompostapor,nomínimo,75%(setentaecincopor cento)deprofissionaisexternosàIFE,nostermosdeatodoMinistrodeEstadodaEducação. (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

§6 o Oscursosdemestradoedoutorado,paraosfinsprevistosnesteartigo,serãoconsideradossomentesecredenciadospeloConselhoNacionaldeEducaçãoe,quando realizadosnoexterior,revalidadosporinstituiçãonacionalcompetente.

Art. 13. Os docentes aprovados no estágio probatório do respectivo cargo que atenderem os seguintes requisitos de titulação farão jus a processo de aceleração da promoção: (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

I­paraonívelinicialdaClasseB,comdenominaçãodeProfessorAssistente,pelaapresentaçãodetitulaçãodemestre;e (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

II­paraonívelinicialdaClasseC,comdenominaçãodeProfessorAdjunto,pelaapresentaçãodetitulaçãodedoutor. (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

Parágrafoúnico. AosservidoresocupantesdecargosdaCarreiradeMagistérioSuperiorem1 o demarçode2013ounadatadepublicaçãodestaLei,seposterior,épermitida aaceleraçãodapromoçãodequetrataesteartigoaindaqueseencontrememestágioprobatórionocargo.

SeçãoII

DaCarreiradoMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico

Art.14. ApartirdainstituiçãodoPlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederal,odesenvolvimentonaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico ocorrerámedianteprogressãofuncionalepromoção,naformadispostanestaLei.

§1 o Paraosfinsdodispostonocaput,progressãoéapassagemdoservidorparaoníveldevencimentoimediatamentesuperiordentrodeumamesmaclasse,epromoção,a passagemdoservidordeumaclasseparaoutrasubsequente,naformadestaLei.

§ 2 o A progressão na Carreira de Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico ocorrerá com base nos critérios gerais estabelecidos nesta Lei e observará, cumulativamente:

I­ocumprimentodointerstíciode24(vinteequatro)mesesdeefetivoexercícioemcadanível;e

II­aprovaçãoemavaliaçãodedesempenhoindividual.

§3 o Apromoçãoocorreráobservadosointerstíciomínimode24(vinteequatro)mesesnoúltimoníveldecadaClasseantecedenteàquelaparaaqualsedaráapromoçãoe,

ainda,asseguintescondições:

I­paraaClasseDII:seraprovadoemprocessodeavaliaçãodedesempenho;

II­paraaClasseDIII:seraprovadoemprocessodeavaliaçãodedesempenho;

III­paraaClasseDIV:seraprovadoemprocessodeavaliaçãodedesempenho;

IV­paraaClasseTitular:

a)possuirotítulodedoutor;

b)seraprovadoemprocessodeavaliaçãodedesempenho;e

c)lograraprovaçãodememorialquedeveráconsiderarasatividadesdeensino,pesquisa,extensão,gestãoacadêmicaeproduçãoprofissionalrelevante,oudedefesadetese

acadêmicainédita.

§4 o AsdiretrizesgeraisparaoprocessodeavaliaçãodedesempenhoparafinsdeprogressãoedepromoçãoserãoestabelecidasematodoMinistériodaEducaçãoedo Ministério da Defesa, conforme a subordinação ou vinculação das respectivas IFE e deverão contemplar as atividades de ensino, pesquisa, extensão e gestão, cabendo aos conselhoscompetentes noâmbitodecadaInstituiçãoFederaldeEnsinoregulamentarosprocedimentosdoreferidoprocesso.

§5 o OprocessodeavaliaçãoparaacessoàClasseTitularserárealizadoporcomissãoespecialcomposta,nomínimo,por75%(setentaecincoporcento)deprofissionais externosàIFE,eseráobjetoderegulamentaçãoporatodoMinistrodeEstadodaEducação.

§6 o Oscursosdemestradoedoutorado,paraosfinsprevistosnesteartigo,serãoconsideradossomentesecredenciadospeloConselhoFederaldeEducaçãoe,quando realizadosnoexterior,revalidadosporinstituiçãonacionalcompetente.

Art. 15. Os docentes aprovados no estágio probatório do respectivo cargo que atenderem os seguintes requisitos de titulação farão jus a processo de aceleração da promoção: (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

I­dequalquerníveldaClasseDIparaonível1daclasseDII,pelaapresentaçãodetítulodeespecialista;e

II­dequalquerníveldasClassesDIeDIIparaonível1daclasseDIII,pelaapresentaçãodetítulodemestreoudoutor.

Parágrafoúnico. AosservidoresocupantesdecargosdaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológicoem1 o demarçode2013ounadatadepublicação destaLei,seposterior,épermitidaaaceleraçãodapromoçãodequetrataesteartigoaindaqueseencontrememestágioprobatórionocargo.

CAPÍTULOIV

DAREMUNERAÇÃODOPLANODECARREIRASECARGOSDEMAGISTÉRIOFEDERAL

Art.16. AestruturaremuneratóriadoPlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederalpossuiaseguintecomposição:

I­VencimentoBásico,conformevaloresevigênciasestabelecidosnoAnexoIII,paracadaCarreira,cargo,classeenível;e

II­RetribuiçãoporTitulação­RT,conformedispostonoart.17.

Art.17. FicainstituídaaRT,devidaaodocenteintegrantedoPlanodeCarreiras eCargos deMagistérioFederalemconformidadecomaCarreira, cargo, classe, nívele titulaçãocomprovada,nosvaloresevigênciaestabelecidosnoAnexoIV.

§1 o ARTseráconsideradanocálculodosproventosedaspensões,naformadosregramentosderegimeprevidenciárioaplicávelacadacaso,desdequeocertificadoouo títulotenhamsidoobtidosanteriormenteàdatadainativação.

§ 2 o Os valores referentes à RT não serão percebidos cumulativamente para diferentes titulações ou com quaisquer outras Retribuições por Titulação, adicionais ou gratificaçõesdemesmanatureza.

Art.18. NocasodosocupantesdecargosdaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico,parafinsdepercepçãodaRT,seráconsideradaaequivalência datitulaçãoexigidacomoReconhecimentodeSabereseCompetências­RSC.

§1 o ORSCdequetrataocaputpoderáserconcedidopelarespectivaIFEdelotaçãodoservidorem3(três)níveis:

I­RSC­I;

II­RSC­II;e

III­RSC­III.

§2 o AequivalênciadoRSCcomatitulaçãoacadêmica,exclusivamenteparafinsdepercepçãodaRT,ocorrerádaseguinteforma:

I­diplomadegraduaçãosomadoaoRSC­Iequivaleráàtitulaçãodeespecialização;

II­certificadodepós­graduaçãolatosensusomadoaoRSC­IIequivaleráamestrado;e

III­titulaçãodemestresomadaaoRSC­IIIequivaleráadoutorado.

§3 o Serácriado o Conselho Permanente para Reconhecimento de Saberes e Competências no âmbito do Ministério da Educação, com a finalidade de estabelecer os procedimentosparaaconcessãodoRSC.

§4 o AcomposiçãodoConselhoesuascompetênciasserãoestabelecidasematodoMinistrodaEducação.

§5 o OMinistériodaDefesapossuirárepresentaçãonoConselhodequetratao§3 o ,naformadoatoprevistono§4 o .

Art.19. Emnenhumahipótese,oRSCpoderáserutilizadoparafinsdeequiparaçãodetitulaçãoparacumprimentoderequisitosparaapromoçãonaCarreira.

CAPÍTULOV

DOREGIMEDETRABALHODOPLANODECARREIRASECARGOSDEMAGISTÉRIOFEDERAL

Art.20. OProfessordasIFE,ocupantedecargoefetivodoPlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederal,serásubmetidoaumdosseguintesregimesdetrabalho:

I­40(quarenta)horassemanaisdetrabalho,emtempointegral,comdedicaçãoexclusivaàsatividadesdeensino,pesquisa,extensãoegestãoinstitucional;ou

II­tempoparcialde20(vinte)horassemanaisdetrabalho.

§1 o Excepcionalmente,aIFEpoderá,medianteaprovaçãodeórgãocolegiadosuperiorcompetente,admitiraadoçãodoregimede40(quarenta)horassemanaisdetrabalho,

emtempointegral,observando2(dois)turnosdiárioscompletos,semdedicaçãoexclusiva,paraáreascomcaracterísticasespecíficas.

§2 o Oregimede40(quarenta)horas comdedicaçãoexclusivaimplicaoimpedimentodoexercíciodeoutraatividaderemunerada, públicaouprivada, comas exceções

previstasnestaLei.

§3 o Osdocentesemregimede20(vinte)horaspoderãosertemporariamentevinculadosaoregimede40(quarenta)horassemdedicaçãoexclusivaapósaverificaçãode

inexistênciadeacúmulodecargosedaexistênciaderecursosorçamentáriosefinanceirosparaasdespesasdecorrentesdaalteraçãodoregime,considerando­seocaráterespecial

daatribuiçãodoregimede40(quarenta)horassemdedicaçãoexclusiva,conformedispostono§1 o ,nasseguinteshipóteses:

I­ocupaçãodecargodedireção,funçãogratificadaoufunçãodecoordenaçãodecursos;ou

II­participaçãoemoutrasaçõesdeinteresseinstitucionaldefinidaspeloconselhosuperiordaIFE.

I ­participardos órgãos dedireçãodefundaçãodeapoiodequetrataaLein o 8.958, de20dedezembrode1994, nos termos definidos peloConselhoSuperiordaIFE, observadoocumprimentodesuajornadadetrabalhoevedadaapercepçãoderemuneraçãopagapelafundaçãodeapoio;e (IncluídopelaLeinº12.863,de2013)

Art.21. Noregimedededicaçãoexclusiva,seráadmitida,observadasascondiçõesdaregulamentaçãoprópriadecadaIFE,apercepçãode:

I­remuneraçãodecargosdedireçãooufunçõesdeconfiança;

II­retribuiçãoporparticipaçãoemcomissõesjulgadorasouverificadorasrelacionadasaoensino,pesquisaouextensão,quandoforocaso;

III ­bolsas deensino, pesquisa, extensãooudeestímuloàinovaçãopagas poragências oficiais defomentoouorganismos internacionais amparadas porato, tratadoou

convençãointernacional; (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

IV­bolsapelodesempenhodeatividadesdeformaçãodeprofessoresdaeducaçãobásica,noâmbitodaUniversidadeAbertadoBrasiloudeoutrosprogramasoficiaisde

formaçãodeprofessores;

V­bolsaparaqualificaçãodocente,pagaporagênciasoficiaisdefomentoouorganismosnacionaiseinternacionaiscongêneres;

VI­direitosautoraisoudireitosdepropriedadeintelectual,nostermosdalegislaçãoprópria,eganhoseconômicosresultantesdeprojetosdeinovaçãotecnológica,nostermos doart.13daLein o 10.973,de2dedezembrode2004;

VII­outrashipótesesdebolsasdeensino,pesquisaeextensão,pagaspelasIFE,nostermosderegulamentaçãodeseusórgãoscolegiadossuperiores;

VIII­retribuiçãopecuniária,naformadeprolaboreoucachêpagodiretamenteaodocenteporentedistintodaIFE,pelaparticipaçãoesporádicaempalestras,conferências,

atividadesartísticaseculturaisrelacionadasàáreadeatuaçãododocente;

IX­GratificaçãoporEncargodeCursoouConcurso,dequetrataoart.76­AdaLein o 8.112,de1990;

X­FunçãoComissionadadeCoordenaçãodeCurso­FCC,dequetrataoart.7ºdaLeinº12.677,de25dejunhode2012; (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

XII ­ retribuição pecuniária por colaboração esporádica de natureza científica ou tecnológica em assuntos de especialidade do docente, inclusive em polos de inovação tecnológica,devidamenteautorizadapelaIFEdeacordocomsuasregras. (IncluídopelaLeinº12.863,de2013)

§1 o Considera­seesporádicaaparticipaçãoremuneradanasatividadesdescritasnoincisoVIIIdocaput,autorizadapelaIFE,que,nototal, nãoexceda 30(trinta)horas

anuais.

§2

o Oslimites devalorecondições depagamentodas bolsas eremunerações referidas nesteartigo, naausênciadedisposiçãoespecíficanalegislaçãoprópria, serão

fixadosemnormasdaIFE.

§3

o OpagamentodaretribuiçãopecuniáriadequetrataoincisoXIdocaputserádivulgadonaformadoart.4º­AdaLeinº8.958,de20dedezembrode1994.

§4

o AsatividadesdequetratamosincisosXIeXIIdocaputnãoexcederão,computadasisoladamenteouemconjunto,a120h(centoevintehoras)anuais,ressalvadaa

situação de excepcionalidade a ser justificada e previamente aprovada pelo Conselho Superior da IFE, que poderá autorizar o acréscimo de até 120 h (cento e vinte horas) exclusivamenteparaatividadesdepesquisa,desenvolvimentoeinovação. (IncluídopelaLeinº12.863,de2013)

Art.22. OProfessorpoderásolicitaraalteraçãodeseuregimedetrabalho,mediantepropostaqueserásubmetidaasuaunidadedelotação.

o A solicitação de mudança de regime de trabalho, aprovada na unidade referida no caput, será encaminhada ao dirigente máximo, no caso das IFE vinculadas ao

MinistériodaDefesa,ouàComissãoPermanentedePessoalDocente­CPPDdequetrataoart.26,nocasodasIFEvinculadasaoMinistériodaEducação,paraanáliseeparecer,

eposteriormenteàdecisãofinaldaautoridadeouConselhoSuperiorcompetente.

§1

§2

o Évedadaamudançaderegimedetrabalhoaosdocentesemestágioprobatório.

§3

o Nahipótesedeconcessãodeafastamentosemprejuízodevencimentos,assolicitaçõesdealteraçãoderegimesóserãoautorizadasapósodecursodeprazoigualao

doafastamentoconcedido.

CAPÍTULOVI

DOESTÁGIOPROBATÓRIODOSSERVIDORESDOPLANODECARREIRASECARGOSDEMAGISTÉRIOFEDERAL

Art.23. Aavaliaçãoespecialdedesempenhodoservidoremestágioprobatório,ocupantedecargopertencenteaoPlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederal,será realizadaporComissãodeAvaliaçãodeDesempenhodesignadanoâmbitodecadaIFE.

Parágrafoúnico. AComissãodeAvaliaçãodeDesempenhodeverásercompostadedocentesestáveis,comrepresentaçõesdaunidadeacadêmicadeexercíciododocente

avaliadoedoColegiadodoCursonoqualodocenteministraomaiornúmerodeaulas.

Art.24. Alémdosfatoresprevistosnoart.20daLeinº8.112,de1990,aavaliaçãoespecialdedesempenhododocenteemestágioprobatóriodeveráconsiderar:

I­adaptaçãodoprofessoraotrabalho,verificadapormeiodeavaliaçãodacapacidadeequalidadenodesempenhodasatribuiçõesdocargo;

II­cumprimentodosdevereseobrigaçõesdoservidorpúblico,comestritaobservânciadaéticaprofissional;

III­análisedosrelatóriosquedocumentamasatividadescientífico­acadêmicaseadministrativasprogramadasnoplanodetrabalhodaunidadedeexercícioeapresentadas

pelodocente,emcadaetapadeavaliação;

IV­aassiduidade,adisciplina,odesempenhodidático­pedagógico,acapacidadedeiniciativa,produtividadeeresponsabilidade;

V­participaçãonoProgramadeRecepçãodeDocentesinstituídopelaIFE;e

VI­avaliaçãopelosdiscentes,conformenormatizaçãoprópriadaIFE.

Art.25. AavaliaçãodedesempenhodoservidorocupantedecargodoPlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederalemestágioprobatórioserárealizadaobedecendo:

I ­ o conhecimento, por parte do avaliado, do instrumento de avaliação e dos resultados de todos os relatórios emitidos pela Comissão de Avaliação de Desempenho, resguardando­seodireitoaocontraditório;e

II­arealizaçãodereuniõesdeavaliaçãocomapresençademaioriasimplesdosmembrosdaComissãodeAvaliaçãodeDesempenho.

CAPÍTULOVII

DACOMISSÃOPERMANENTEDEPESSOALDOCENTE

Art.26. SeráinstituídaumaComissãoPermanentedePessoalDocente­CPPD,eleitapelosseuspares,emcadaIFE,quepossua,emseusquadros,pessoalintegrantedo PlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederal. (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

§1 o ÀCPPDcaberáprestarassessoramentoaocolegiadocompetenteoudirigentemáximonainstituiçãodeensino,paraformulaçãoeacompanhamentodaexecuçãoda políticadepessoaldocente,noquedizrespeitoa:

I­dimensionamentodaalocaçãodevagasdocentesnasunidadesacadêmicas;

II­contrataçãoeadmissãodeprofessoresefetivosesubstitutos;

III­alteraçãodoregimedetrabalhodocente;

IV­avaliaçãododesempenhoparafinsdeprogressãoepromoçãofuncional;

V­solicitaçãodeafastamentodedocentesparaaperfeiçoamento,especialização,mestrado,doutoradooupós­doutorado;e

VI­liberaçãodeprofessoresparaprogramasdecooperaçãocomoutrasinstituições,universitáriasounão.

§2 o DemaisatribuiçõeseformadefuncionamentodaCPPDserãoobjetoderegulamentaçãopelocolegiadosuperioroudirigentemáximodasinstituiçõesdeensino,conforme ocaso.

§3 o NocasodasIFEsubordinadasaoMinistériodaDefesa,ainstituiçãodaCPPDéopcionaleficaráacritériododirigentemáximodecadaIFE.

CAPÍTULOVIII

DOCORPODOCENTE

Art.27. OcorpodocentedasIFEseráconstituídopeloscargosefetivosintegrantesdoPlanodeCarreiraseCargos dequetrataestaLeiepelos Professores Visitantes, ProfessoresVisitantesEstrangeiroseProfessoresSubstitutos.

Art.28. AcontrataçãotemporáriadeProfessoresSubstitutos,deProfessoresVisitantesedeProfessoresVisitantesEstrangeirosseráfeitadeacordocomoquedispõeaLei n o 8.745,de1993.

Art.29. Oart.2 o daLein o 8.745,de1993,passaavigorarcomaseguinteredação:

“Art.2 o

§5 o Acontrataçãodeprofessorvisitanteedeprofessorvisitanteestrangeiro,dequetratamosincisosIVeVdocaput,temporobjetivo:

I­apoiaraexecuçãodosprogramasdepós­graduaçãostrictosensu;

II­contribuirparaoaprimoramentodeprogramasdeensino,pesquisaeextensão;

III­contribuirparaaexecuçãodeprogramasdecapacitaçãodocente;ou

IV­viabilizarointercâmbiocientíficoetecnológico.

§6 o Acontrataçãodeprofessorvisitanteeoprofessorvisitanteestrangeiro,dequetratamosincisosIVeVdocaput,deverão:

I­atenderarequisitosdetitulaçãoecompetênciaprofissional;ou

II­terreconhecidorenomeemsuaáreaprofissional,atestadopordeliberaçãodoConselhoSuperiordainstituiçãocontratante.

§7 o Sãorequisitosmínimosdetitulaçãoecompetênciaprofissionalparaacontrataçãodeprofessorvisitanteoudeprofessorvisitanteestrangeiro, de quetratamosincisosIVeVdocaput:

I­serportadordotítulodedoutor,nomínimo,há2(dois)anos;

II­serdocenteoupesquisadordereconhecidacompetênciaemsuaárea;e

III­terproduçãocientíficarelevante,preferencialmentenosúltimos5(cinco)anos.

§8 o Excepcionalmente, no âmbito das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, poderão ser contratados professor visitante ou professor visitante estrangeiro, sem o título de doutor, desde que possuam comprovada competência em ensino, pesquisa e extensãotecnológicosoureconhecimentodaqualificaçãoprofissionalpelomercadodetrabalho,naformaprevistapeloConselhoSuperiordainstituição

contratante.

§9 o A contratação de professores substitutos, professores visitantes e professores visitantes estrangeiros poderá ser autorizada pelo dirigente da instituição,condicionadaàexistênciaderecursosorçamentáriosefinanceirosparafazerfrenteàsdespesasdecorrentesdacontrataçãoeaoquantitativo máximodecontratosestabelecidoparaaIFE.

§10. Acontrataçãodosprofessoressubstitutosficalimitadaaoregimedetrabalhode20(vinte)horasou40(quarenta)horas.”(NR)

CAPÍTULOIX

DOSAFASTAMENTOS

Art.30. OocupantedecargosdoPlanodeCarreiraseCargosdoMagistérioFederal,semprejuízodosafastamentosprevistosnaLein o 8.112,de1990,poderáafastar­sede suasfunções,asseguradostodososdireitosevantagensaquefizerjus,para:

II­prestarcolaboraçãoaoutrainstituiçãofederaldeensinooudepesquisa,porperíododeaté4(quatro)anos,comônusparaainstituiçãodeorigem;e

III ­ prestar colaboração técnica ao Ministério da Educação, por período não superior a 1 (um) ano e com ônus para a instituição de origem, visando ao apoio ao

desenvolvimentodeprogramaseprojetosderelevância.

§1 o OsafastamentosdequetratamosincisosIIeIIIdocaputsomenteserãoconcedidosaservidoresaprovadosnoestágioprobatóriodorespectivocargoeseautorizado

pelodirigentemáximodaIFE,devendoestarvinculadosaprojetoouconvêniocomprazosefinalidadesobjetivamentedefinidos.

§2

o Aos servidores dequetrataocaputpoderáserconcedidooafastamentopararealizaçãodeprogramas demestradooudoutoradoindependentementedotempode

ocupaçãodocargo.

§3

o Ato do dirigente máximo ou Conselho Superior da IFE definirá, observada a legislação vigente, os programas de capacitação e os critérios para participação em

programasdepós­graduação,comousemafastamentodoservidordesuasfunções.

CAPÍTULOX

DOENQUADRAMENTODOSSERVIDORESDACARREIRADEMAGISTÉRIODOENSINOBÁSICOFEDERAL

Art.31. Apartirde1 o demarçode2013ou,seposterior,apartirdadatadepublicaçãodestaLei,osservidoresocupantesdoscargosdaCarreiradeMagistériodoEnsino BásicoFederal,dequetrataoincisoIdoart.122daLein o 11.784,de2008,poderãoserenquadradosnaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico,deque trataestaLei,deacordocomasrespectivasatribuições,requisitosdeformaçãoprofissionaleposiçãorelativanaTabeladeCorrelaçãoconstantedoAnexoV.

§1 o Parafinsdodispostonocaput,osservidoresocupantesdoscargosdaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásicoFederal,dequetrataaLein o 11.784,de2008,deverão

solicitaroenquadramentoàrespectivaIFEdelotaçãoaté31dejulhode2013ouematé90(noventa)diasdapublicaçãodestaLei,seestaocorrerposteriormenteàqueladata,na

formadoTermodeSolicitaçãodeEnquadramentoconstantedoAnexoVI.

§2 o Osservidoresdequetrataocaputsomentepoderãoformalizarasolicitaçãoreferidano§1 o seatendiam,nomomentodoingressonaCarreiradeMagistériodoEnsino

BásicoFederal,aosrequisitosdetitulaçãoestabelecidosparaingressonaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico,conformedispostono§1 o doart.10.

§3 o OenquadramentodequetrataocaputdependerádeaprovaçãodoMinistériodaDefesa,queseráresponsávelpelaavaliaçãodassolicitaçõesformalizadas,observando

odispostonos§§1 o e2 o .

§4

o OMinistériodaDefesadeliberarásobreodeferimentoouindeferimentodasolicitaçãodeenquadramentodequetratao§1 o ematé120(centoevinte)dias.

§5

o Nocasodedeferimento,aoservidorenquadradoserãoaplicadasasregrasdaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológicodoPlanodeCarreirase

Cargos deMagistérioFederal, dequetrataestaLei, com efeitos financeiros, sehouver, apartirdadatadepublicaçãododeferimento, vedados, em qualquerhipótese, efeitos

financeirosretroativos.

§6 o OservidorquenãoobtiverodeferimentoparaoenquadramentonaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológicopermaneceránasituaçãoemquese

encontravaantesdapublicaçãodestaLei.

§7

o Os cargos aqueserefereocaput,enquadrados naCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico, TécnicoeTecnológicodoPlanodeCarreiras eCargos deMagistério

Federal,passamadenominar­seProfessordoMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico.

§8 o Oprazoparaexercerasolicitaçãoreferidano§1 o ,nocasodeservidoresemgozodelicençaouafastamentoprevistosnosarts.81e102daLeinº8.112,de1990,será

estendidoem30(trinta)diascontadosapartirdotérminodoafastamento.

§9 o AoservidortitulardecargoefetivodoPlanodeCarreirasdeMagistériodoEnsinoBásicoFederalcedidoparaórgãoouentidadenoâmbitodoPoderExecutivoFederal

aplica­se,quantoaoprazodesolicitaçãodeenquadramento,odispostono§1 o ,podendooservidorpermanecernacondiçãodecedido.

§10. OscargosdeprovimentoefetivodaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásicoFederalcujosocupantesforemenquadradosnaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico, TécnicoeTecnológicopermanecerãointegrandooQuadrodePessoaldasInstituiçõesFederaisdeEnsinosubordinadasouvinculadasaoMinistériodaDefesa.

§11. OscargosvagoseosquevieremavagardaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásicoFederaldequetrataaLein o 11.784,de2008, pertencentes aos Quadros de Pessoal das Instituições Federais de Ensino, subordinadas ou vinculadas ao Ministério da Defesa, passam a integrar a Carreira do Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológicoeadenominar­seProfessordoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico,nosrespectivosQuadrosdePessoalaquepertencem.

§ 12. O enquadramento e a mudança de denominação dos cargos a que se refere este artigo não representam, para qualquer efeito legal, inclusive para efeito de aposentadoria,descontinuidadeemrelaçãoàCarreira,aocargoeàsatribuiçõesatuaisdesenvolvidaspelosseustitulares.

CAPÍTULOXI

DAESTRUTURAREMUNERATÓRIADOPLANODECARREIRASDEMAGISTÉRIODOENSINOBÁSICOFEDERAL

Art.32.Oart.137daLein o 11.784,de2008,passaavigorarcomaseguinteredação:

“Art.137. OposicionamentodosaposentadosedospensionistasnastabelasremuneratóriasconstantesdosAnexosLXXVII,LXXVIII,LXXIX,LXXXIII, LXXXIV,LXXXV,LXXVII­A,LXXXIII­A,LXXIX­AeLXXXV­AdestaLei,respectivamente,seráreferenciadoàsituaçãoemqueoservidorseencontrava nadatadaaposentadoriaouemqueseoriginouapensão,respeitadasasalteraçõesrelativasaposicionamentosdecorrentesdelegislaçãoespecífica.”( NR)

Art.33. ALein o 11.784,de2008,passaavigoraracrescidadosseguintesdispositivos:

“Art.124­A. Apartirde1 o demarçode2013,oscargosdoPlanodeCarreirasdeMagistériodoEnsinoBásicoFederalficamestruturadosnaformados AnexosLXXIV­AeLXXX­A,conformecorrelaçãoestabelecidanosAnexosLXXV­AeLXXXI­AdestaLei.”

“Art.132­A.Apartirde1 o demarçode2013,aestruturaremuneratóriadostitularesdecargosintegrantesdoPlanodeCarreirasdeMagistériodoEnsino BásicoFederalserácompostade:

I­VencimentoBásico,conformevaloresevigênciasconstantesdosAnexosLXXVII­AeLXXXIII­A;e

II­RetribuiçãoporTitulação,conformevaloresevigênciaconstantesdosAnexosLXXIX­AeLXXXV­A.

Parágrafoúnico. Apartirdadatade1 o demarçode2013,ficamextintas aGratificaçãoEspecíficadeAtividadeDocentedoEnsinoBásicoFederal­ GEDBFeaGratificaçãoEspecíficadeAtividadeDocentedosEx­Territórios­GEBEXT.”

“Art.133­A. Apartirde1 o demarçode2013,osníveisdeVencimentoBásicodoscargosintegrantesdasCarreirasdoPlanodeCarreirasdoMagistério doEnsinoBásicoFederalsãoosconstantesdosAnexosLXXVII­AeLXXXIII­AdestaLei.”

“Art.135­A. Apartirde1 o demarçode2013,osvaloresreferentesàRTsãoaquelesfixadosnosAnexosLXXIX­AeLXXXV­AdestaLei,observadaa

novaestruturadasCarreirasdoPlanodeCarreirasdoMagistériodoEnsinoBásicoFederaldequetrataoart.124­A.”

“Art. 136­A. A partirde1 o de março de 2013, os integrantes do Plano de Carreiras do Magistério do Ensino Básico Federal deixam de fazer jus à percepçãodasseguintesgratificaçõesevantagens:

I­GratificaçãoEspecíficadeAtividadeDocentedoEnsinoBásicoFederal­GEDBF;e

II­GratificaçãoEspecíficadeAtividadeDocentedosEx­Territórios­GEBEXT,dequetrataestaLei.”

CAPÍTULOXII

DISPOSIÇÕESFINAISETRANSITÓRIAS

Art.34. AosservidoresocupantesdecargosdaCarreiradeMagistériodoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológicodoPlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederal,nadata de1 o demarçode2013,seráaplicado,paraaprimeiraprogressãoaserrealizada,observandooscritériosdedesenvolvimentonaCarreiraestabelecidosnestaLei,ointerstíciode18 (dezoito)meses.

Parágrafoúnico. Ointerstíciodequetrataocaputnãoserá,emnenhumahipótese,utilizadoparaoutrasprogressõesouparaservidoresingressosnaCarreiraapósadatade 1 o demarçode2013.

Art.35. AnteriormenteàaplicaçãodaTabeladeCorrelaçãodoAnexoII,otitulardecargodeprovimentoefetivodaCarreiradoMagistérioSuperiordoPUCRCE,em31de

dezembrode2012,posicionadonaClassedeProfessorAssociadodaquelaCarreira,seráreposicionado,satisfeitososrequisitos,daseguinteforma:

I­aoProfessordequetrataocaputquecontarcomnomínimo17(dezessete)anosdeobtençãodotítulodedoutorseráconcedidoreposicionamentoparaaClasseD,com

denominaçãodeProfessorAssociado,nível2; (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

II­aoProfessordequetrataocaputquecontarcomnomínimo19(dezenove)anosdeobtençãodotítulodedoutorseráconcedidoreposicionamentoparaaClasseD,com

denominaçãodeProfessorAssociado,nível3;e (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

III­aoProfessordequetrataocaputquecontarcomnomínimo21(vinteeum)anosdeobtençãodotítulodedoutorseráconcedidoreposicionamentoparaaClasseD,com

denominaçãodeProfessorAssociado,nível4. (RedaçãodadapelaLeinº12.863,de2013)

§1 o OreposicionamentodequetrataesteartigoseráefetuadomedianterequerimentodoservidoràrespectivaIFE,noprazodeaté90(noventa)diasapartirdapublicação destaLei,comaapresentaçãodadevidacomprovaçãodotempodeobtençãodotítulodedoutor.

§2 o OreposicionamentodequetrataocaputserásupervisionadopeloMinistériodaEducaçãoepeloMinistériodaDefesa,conformeavinculaçãoousubordinaçãodaIFE.

§3 o OsefeitosdoreposicionamentodequetrataesteartigoserãoconsideradosporocasiãodaaplicaçãodaTabeladeCorrelaçãodoAnexoII.

§4 o Oreposicionamentodequetrataesteartigonãogeraefeitosfinanceirosretroativosanterioresa1 o demarçode2013.

§5 o Oreposicionamentodequetrataesteartigonãoseaplicaaos servidores quejáseencontrem norespectivonívelouem nívelsuperioraoqualfariam jus aserem reposicionados.

Art.36. AosservidoresocupantesdecargosefetivospertencentesaoPlanodeCarreiraseCargosdeMagistérioFederalserãoconcedidos45(quarentaecinco)diasdeférias anuaisquepoderãosergozadasparceladamente.

Art.38. Oquantitativodecargosdequetrataoart.110daLein o 11.784,de2008,vagosnadatadepublicaçãodestaLeificamtransformadosemcargosdeProfessorTitular­ LivredoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico.

Art.39. Ficamcriados1.200(mileduzentos)cargosdeProfessorTitular­LivredoMagistérioSuperior,paraprovimentogradualcondicionadoàcomprovaçãodadisponibilidade orçamentáriaeautorizaçãopeloMinistériodoPlanejamento,OrçamentoeGestão.

Art.40. Ficamcriados526(quinhentosevinteeseis)cargosdeProfessorTitular­LivredoEnsinoBásico,TécnicoeTecnológico,paraprovimentogradualcondicionadoà comprovaçãodadisponibilidadeorçamentáriaeautorizaçãodoMinistériodoPlanejamento,OrçamentoeGestão.

Art.41. ALein o 11.091,de12dejaneirode2005,passaavigorarcomasseguintesalterações:

“Art.10

§4 o NocumprimentodoscritériosestabelecidosnoAnexoIII,épermitidoosomatóriodecargashoráriasdecursosrealizadospeloservidordurantea permanêncianoníveldecapacitaçãoemqueseencontraedacargahoráriaqueexcedeuàexigênciaparaprogressãonointerstíciodonívelanterior,

vedadooaproveitamentodecursoscomcargahoráriainferiora20(vinte)horas­aula.

”(NR)

§4 o Apartirde1 o dejaneirode2013,oIncentivoàQualificaçãodequetrataocaputseráconcedidoaosservidoresquepossuíremcertificado,diploma outitulaçãoqueexcedaaexigênciadeescolaridademínimaparaingressonocargodoqualétitular,independentementedoníveldeclassificaçãoemque estejaposicionado,naformadoAnexoIV.”(NR)

Art.42. ALein o 11.892,de29dedezembrode2008,passaavigorarcomasseguintesalterações:

§1 o PoderãosernomeadosPró­ReitoresosservidoresocupantesdecargoefetivodaCarreiradocenteoudecargoefetivocomnívelsuperiordaCarreira

dostécnico­administrativosdoPlanodeCarreiradosCargosTécnico­AdministrativosemEducação,desdequepossuamomínimode5(cinco)anosde

efetivoexercícioeminstituiçãofederaldeeducaçãoprofissionaletecnológica.

”(NR)

Art.43. Aparcelacomplementardequetratamos§§2 o e3 o doart.15daLein o 11.091,de2005,nãoseráabsorvidaporforçadosaumentosremuneratórioscomefeitos

financeirosnoperíodode2013a2015.

Art.44. OsAnexosI­C,IIIeIVdaLeinº11.091,de2005,passamavigorarnaformadosAnexosXV,XVIeXVIIdestaLei.

Art.48. O§3 o doart.1 o daLein o 8.168,de16dejaneirode1991,passaavigorarcomaseguinteredação:

“Art.1 o

§3 o Poderãosernomeadosparacargodedireçãooudesignadosparafunçãogratificadaservidorespúblicosfederaisdaadministraçãodireta,autárquica

oufundacionalnãopertencentesaoquadropermanentedainstituiçãodeensino,respeitadoolimitede10%(dezporcento)dototaldoscargosefunções

dainstituição,admitindo­se,quantoaoscargosdedireção,anomeaçãodeservidoresjáaposentados.

”(NR)

Art.49. EstaLeientraemvigornadatadesuapublicação.

Art.50. Ficamrevogados,apartirde1 o demarçode2013,ouapartirdapublicaçãodestaLei,seposterioràqueladata:

Brasília,28dedezembrode2012;191 o daIndependênciae124 o daRepública.

DILMAROUSSEFF

MiriamBelchior

EstetextonãosubstituiopublicadonoDOUde31.12.2012

ANEXOI

ESTRUTURADOPLANODECARREIRASECARGOSDEMAGISTÉRIOFEDERAL

a)CarreiradeMagistérioSuperior

CARGO

CLASSE

DENOMINAÇÃO

NÍVEL

 

E

TITULAR

ÚNICO

   

4

D

Associado

3

2

1

ProfessordeMagistério

   

4

Superior

C

Adjunto

3

2

1

B

Assistente

2

1

 

Adjunto­A–seDoutor

2