Você está na página 1de 14

Os novos movimentos sociais

Em muitos anos em vários países grupos de pessoas se reúnem em busca de um objetivo, e as
ações realizadas por esses grupos é que são conceituados como movimentos sociais, desde os
anos de 1970 com o esgotamento da noção de classe social e da insuficiência do marxismo
tradicional em descrever o universo das lutas sociais por justiça, que começou a engrenar as ações
dos movimentos sociais.
A partir daí vários conceitos foram dados aos chamados movimentos sociais, em que alguns
conhecidos por movimentos sociais tradicionais eram considerados a expressão coletiva de
minorias em sociedades estratificadas e industrializadas, e seu objetivo seria transcender as
classes sociais buscando conquistas no plano econômico-estrutural; já outros conceituavam como
novos movimentos sociais, que se organizaram principalmente após a Segunda Guerra Mundial e
que estariam associados a demandas por reconhecimento ou contra opressões simbólicas. Os
novos movimentos sociais traziam em seus discursos a valorização de princípios como livre
organização, autogestão, democracia de base, direito à diversidade e respeito à individualidade,
respeito à identidade local e regional, e noção de liberdade individual associada à de liberdade
coletiva.
Nos dias atuais observa-se que novos movimentos sociais de cunho identitário foram fortalecidos e
multiplicados. Esses movimentos lutam pelo reconhecimento de suas particularidades e
diferenças, ou seja, por questões específicas, acabam tocando em temáticas muito
importantes que afetam a estrutura social e a própria constituição da sociedade. Isso
aconteceu, por exemplo, com o movimento feminista, que provocou uma revisão a respeito
da hierarquia entre os gêneros e politizou o espaço doméstico. Isso está ocorrendo na
Europa Ocidental com os descendentes de imigrantes (caribenhos, asiáticos, indianos,
turcos, africanos, entre outros) que reivindicam direitos sociais e a importância de manifestar
publicamente sua diversidade cultural. E está presente no Brasil com a reivindicação por
parte do movimento negro de cotas para estudantes negros em universidades públicas e nas
lutas das comunidades remanescentes de quilombos pelo reconhecimento de suas terras.
MOVIMENTO NEGRO NO BRASIL


Movimento Negro é o nome genérico dado ao conjunto dos diversos movimentos sociais
afro-brasileiros; Sua principal bandeira de luta é contra o racismo.
Envolve ações diferentes ao longo da história que vão das insurreições no período da
escravidão (quilombolagem) até os dias atuais na luta contra o preconceito a favor de
políticas de igualdade.
É possível perceber três grandes fases do movimento na república:
o

1ª fase (1889 a 1937) – Como a nova forma de governo não assegurou conquistas
significativas ao movimento,libertos, ex-escravos e seus descendentes instituíram
os movimentos de mobilização racial, criando inicialmente dezenas de grupos
(grêmios, clubes e associações), simultaneamente, apareceu o que se denomina
imprensa negra: jornais publicados por negros e elaborados para tratar de suas
questões; Na década de 30, o movimento deu um salto qualitativo com a fundação
da Frente Negra Brasileira (FNB) formada pelas primeiras organizações negras
com reivindicações políticas mais deliberadas;

o

2ª fase (1945 a 1964) – Os anos de (1937 a 1945) foram caracterizados por
violenta repressão, inviabilizando qualquer movimento. Na década de 40, apesar
da existência de outras entidades, merece destaque a União dos Homens de Cor
(UHC) que tinha a finalidade de elevar o nível econômico e intelectual das pessoas
de cor para torna-las aptas a ingressarem na vida social. Abriu várias filiais no país
e sua atuação era marcada pela promoção de debates na imprensa local, serviços

Inspirado nas lutas fora do país (Martin Luther King. Apesar de estar em curso um processo de transição nas formas de engajamento e luta anti-racista no país. Trata-se de um movimento cultural inovador. tem-se a volta do movimento à cena política do país por meio de vários grupos de combate ao racismo. com a ditadura militar. Primeiro. com a fundação do Movimento Negro Unificado (MNU). Desde que chegou ao país. Embora seja esposado pelos negros.de assistência jurídica e médica. O MNU foi um marco por representar a unificação da luta de todos os grupos antirracistas no Brasil. música cujas letras de protesto combinam denúncia racial e social. Em 1978. aulas de alfabetização. rompendo com o discurso vanguardista das entidades negras tradicionais. Além do MNU que atua nacionalmente.Alguns elementos sinalizam que no início do terceiro milênio está se abrindo uma nova fase do movimento negro. Importantes processos e conquistas . Daí o discurso ambivalente. como associações de bairro. que fala a linguagem da periferia. Em 1964. o movimento sofreu forte repressão e desmobilização. Malcon X. pode-se destacar ainda o Conen – Coordenação Nacional de Entidades negras e o Movimento Brasil Afirmativo. o hip-hop expressa a rebeldia da juventude afro-descendente. não define explicitamente qual é o eixo central da luta. blocos carnavalescos. Movimento Black Rio. bem como difundem o estilo sonoro rap.?) . esse movimento tem um discurso radicalizado de rebeldia contra o sistema (termo sempre usado de maneira abstrata!). substituindo o uso do termo negro pelo preto. seus adeptos procuram resgatar a auto-estima do negro. costurando. de outro. uma importante conquista: 1ª lei antidiscriminatória aprovada no Congresso Nacional. com campanhas do tipo: Negro Sim!. Em 1951. Panteras Negras. Se. cada vez mais. é precoce decretar que a agitação do hip-hop sela uma ruptura na plataforma do movimento negro. etc. o movimento reaparece junto de outros movimentos (populares e estudantil) através de uma série de entidades como a Centro de Cultura e Arte Negra (CECAN). etc. porque o hip-hop no Brasil não tem um recorte estritamente racial. por vários motivos. Imbuiu-se de várias lutas inclusive de despojar o caráter pejorativo do termo “negro” incentivando os afrodescendentes a assumirem sua condição racial o que foi fundamental para criação de uma identidade cultural para o negro. tendendo a modificar o perfil dos ativistas do movimento negro. o qual vem adquirindo uma crescente dimensão nacional. E para se diferenciar do movimento negro tradicional. assim. a aliança do protagonismo negro com outros setores marginalizados da sociedade. porque ele ainda é um movimento desprovido de um programa político e ideológico mais geral de combate ao racismo. ou seja. com a entrada em cena do movimento hip-hop. não visa defender apenas os interesses dos negros. Segundo. Negro 100%. núcleos de pesquisa e várias organizações não-governamentais. de um lado. muitos ativistas passaram a aliar a discussão de raça com classe. o hip-hop adquiriu um caráter social. terreiros de candomblé. participação em campanhas eleitorais. é um movimento popular. ele também tem penetração nos setores da juventude branca marginalizada que vive na periferia dos principais centros urbanos do país. Além disso. etc) e internamente influenciado pela organização marxista denominada Convergência Socialista. seus adeptos estão. o o 3ª fase (1978 a 2000) – No período da redemocratização do país. 4ª fase: (2000 .

. esportivas e de lazer. o qual define uma nova ordem de direitos para os cidadãos negros brasileiros. para a criação de leis segregacionistas e racistas. Será o conhecimento da verdadeira história do povo negro. serão implementadas políticas voltadas para a inclusão de afro-brasileiros no mercado de trabalho. a herança cultural e a participação dos afro-brasileiros na história do país será garantida pela produção veiculada pelos órgãos de comunicação. das raízes da nossa gente. a criação do Fundo Nacional de Promoção da Igualdade Racial promoverá a igualdade de oportunidades e a inclusão social dos afro-brasileiros em diversas áreas. Desafios do movimento:  Propostas de reparações. os remanescentes de quilombos. Depois de tramitar por quase uma década pelo congresso e senado. na visão de alguns ativistas. dentre elas pode-se destacar: o o o o o o o o o o o acesso universal e igualitário ao Sistema Único de Saúde (SUS) para promoção. a instituição de Ouvidorias garantirá às vítimas de discriminação racial o direto de serem ouvidas. o estudo da História e Cultura Afro-brasileira e Indígena. Ele reúne um conjunto de ações e medidas especiais que objetivam garantir direitos fundamentais a esse grupo social. compensações e/ou ações afirmativas encontram dificuldades e até resistência por parte do movimento porque podem contribuir. culturais.  A miscigenação do país é visto como um problema na identificação da origem étnica (quem é negro?) e que essa mesma miscigenação poderia levar a uma espécie de convivência harmoniosa desmobilizando. média. a disciplina “História Geral da África e do Negro no Brasil”. mas para também prestar homenagens àqueles que lutam pela causa dos negros. A aprovação da lei 11. em homenagem à morte do líder Zumbi dos Palmares em 1695. assim como a concessão de bolsas de estudo a afro-brasileiros para a educação fundamental. integrará obrigatoriamente o currículo do ensino fundamental e médio. adequadas aos interesses e condições dos afro-brasileiros. o sistema de cotas buscará corrigir as inaceitáveis desigualdades raciais que marcam a realidade brasileira. terão direito à propriedade definitiva das terras que ocupavam. O reconhecimento do racismo como crime inafiançável previsto pela constituição federal de 1988. nas escolas brasileiras públicas e particulares. será reconhecido o direito à liberdade de consciência e de crença dos afrobrasileiros e da dignidade dos cultos e religiões de matriz africana praticadas no Brasil. segundo dispositivos de lei.645 de março de 2008 que tornou obrigatório no ensino fundamental e médio. A declaração do dia 20 de Novembro como Dia da Consciência Negra. técnica e superior. para assegurar o cumprimento de seus direitos. certos setores a defender as políticas afirmativas.     Em 2000 criou-se o Troféu Raça Negra pela ONG Afobras para homenagear não apenas líderes ou heróis negros. serão respeitadas atividades educacionais. proteção e recuperação da saúde dessa parcela da população. o Estatuto da Igualdade Racial foi reconhecido e sancionado em 2010. público e privado. assim. Várias cidades brasileiras têm decretado feriado neste dia.

o movimento se caracteriza por um maior conservadorismo (manutenção da figura da mulher como mãe e administradora do lar). XIX e início do séc. Já em 1937. Contudo. Protestos feministas. Beauvoir era uma existencialista. Reivindicação quanto à liberdade sexual. sutil. do pós. No Brasil: Entre as décadas de 1930 e 1960. XX (60/70) – Novo feminismo – crítica à cidadania liberal. a discriminação de gênero. Em 1934. etc. uma das críticas mais contundentes a essa fase do movimento argumenta que as feministas teriam passado por cima da questão da divisão de classes e com isso não conseguiram atingir os reais pontos que dividiam as mulheres. ao mercado de trabalho. ficaram associados a essa fase do feminismo. Séc. através de uma pesquisa profunda tenta responder a pergunta: "o que significa ser mulher?" "A pessoa não nasce mulher. etc. esta seria a frase mais famosa da obra e fundamenta.segunda guerra mundial. As lutas das mulheres começam a ultrapassar as conquistas jurídicas. a opressão masculina. às universidades. Procura denunciar os aspectos da sociedade patriarcal e o abismo entre a teoria (leis) e a condição efetiva da mulher na sociedade. a mulher não tem um destino biológico. operária. Luta por acesso igualitário aos cargos políticos. Nesse período que surgiram nos Estados Unidos expressões como “Liberação das mulheres”. a publicação do revolucionário ensaio feminista "O segundo sexo" de Simone de BEAUVOIR (1949) provoca uma verdadeira comoção. XX Movimento fortemente associado ao movimento sufragista – reconhecimento do direito ao voto. muitos estudos feministas. Forte ligação com o movimento operário discutindo a condição da mulher como trabalhadora. ela é formada dentro de uma cultura que define qual o seu papel no seio da sociedade. até os dias de hoje. É um momento marcado por um maior radicalismo. Divide-se em 3 momentos mais específicos Final do séc. MOVIMENTO FEMINISTA Principais bandeiras: Luta contra as discriminações de gênero e a opressão masculina e pela emancipação da mulher na vida social. apesar de existirem vertentes mais conservadoras. como a famosa queima de sutiãs. o voto feminino fora reconhecido pelo governo de Getúlio Vargas. as manifestações feministas oscilavam mediante as mudanças desenvolvidas no cenário político nacional. pois pela primeira vez uma intelectual. Na França. os ideais corporativistas do Estado Novo impediram a . Além disso. Apesar de existirem alas mais radicais. Além disso. Simone de Beauvoir portanto. há a dificuldade de reconhecimento do próprio racismo no país. para se discutir no plano prático a condição da mulher. Direito da mulher de decidir sobre sua vida reprodutiva. não acreditava na "natureza humana". uma vez que o mesmo se dá de forma camuflada. mas antes torna-se mulher". Como principais marcas desse momento estão: Questionamento de valores tradicionais – o casamento deixou de ser um fim em si mesmo. movimento articulado para garantia da igualdade jurídica das mulheres em relação aos homens. Grande parte dessa efervescência intelectual tem origem datada. Desse modo.

expressão de movimentos de luta e contestação de homens e mulheres. pois não sobra ninguém para cuidar bem das mesmas. nota-se que existe uma mudança sensível na relação entre o homem e a mulher. XX (80/90) O movimento apresenta um amadurecimento político. assumindo o controle dentro da sociedade. cujos papéis estariam socialmente condicionados. as mulheres passaram a ter mais controle sobre seus corpos. questões sobre o aborto e sexualidade em geral etc. simbólicas e reais. as mulheres passaram a questionar os seus papéis que eram predefinidos em função da reprodução da espécie. em vários países. a redemocratização permitira a flexibilização da exigência que condicionava o trabalho feminino à autorização do marido. e passaram a vivenciar o sexo com mais liberdade do que antes lhes era permitido. os homens começam a ser oprimidos. como a salarial. O principal alvo do discurso desse movimento se constituiu na busca pela a construção de uma sociedade mais democrata com maior igualdade entre homens e mulheres reduzindo as desigualdades classistas. da organização do trabalho e da família. as lutas das mulheres ganham articulação política partidária para interação com o poder público. Também. sobretudo no campo de trabalho e nos espaços políticos. a justiça tende a entregar os filhos para a custódia da mãe. Observa-se que a principal luta do movimento feminista se estabeleceu na busca de novos espaços políticos e sociais. Nos anos de 1950. por conta do feminismo. Através do movimento feminista. Séc. algumas consequências negativas devem ser apontadas. A mulher ganhou mais espaço na sociedade começou a buscar novas oportunidades. enquanto que outras vertentes consideram não haver diferenças entre homens e mulheres. Apesar dos avanços conquistados na sociedade. o feminismo também recebe algumas criticas. nomeadamente quando o pai e a mãe são trabalhadores bem sucedidos e ocupados. alguns homens acreditam que nas disputas de custódia após um divórcio. alguns homens dizem que muitas mulheres são promovidas não por méritos. ou seja. como: alguns críticos apontam que as feministas estão pregando o ódio contra os homens. A cultura ocidental considerava a mulher um ser mais fragilizado e incapacitado para assumir a direção de outras instituições. a violência contra as mulheres. Assim. elas eram subordinadas aos homens. O feminismo certamente teve vários efeitos nas relações políticas do Ocidente e em outros locais onde se fez presente. observa-se que atualmente. o homem era visto como o forte. Nos dias atuais. centrou-se nas diferenças entre os sexos. dentre outras questões. mas para melhorar a imagem das empresas. tais como o câncer de mama e outras doenças que atingem o corpo da mulher. . a criação de organismos governamentais de defesa dos direitos das mulheres. associações e entidades feministas surgem para profissionalização de suas ações e lutas. alguns dizem que. as discriminações no mundo do trabalho. nessa luta as crianças são esquecidos. Um momento marcado por uma vertente mais moderada do movimento em que há a discussão acerca dos papéis do homem e da mulher. alguns grupos conservadores vêem o feminismo como elemento de destruição dos papéis tradicionais dos gêneros. com a família. Houve. ou seja. ou seja. Posto que esses efeitos foram em geral encarados como positivos. Campanhas e lutas onde as demandas e reivindicações estão centradas nas mulheres propriamente ditas também estão associadas à luta do movimento feminista hoje. Uma série de ONG’s. Esse período será marcado também por um revisionismo feminino fazendo uma reflexão acerca dos limites impostos às mulheres pelas normas da feminilidade. detentor de toda a autoridade e poder de mando decorrente de sua força física.

apesar de todos os avanços. biológica. a ampliação dos direitos da mulher. culturais e ambientais das mulheres. ao entrar na segunda década do século 21. anatômica e fisiológica dos seres humanos que os definem como macho ou fêmea. Defesa dos direitos sexuais e reprodutivos. políticas. Anteriormente. independente dos papéis social e culturalmente atribuídos a mulheres e homens são livres de desenvolver as suas capacidades pessoais e de fazer escolhas. Assim. Necessidade do reconhecimento do direito universal à educação. Gênero: O conceito de gênero tem a ver com a diferenciação social entre os “homens” e as “mulheres”. Bandeiras do movimento feminista brasileiro O movimento feminista brasileiro conquistou.3 milhões sofreram ameaças de surra. Além desses temas. sociais. cinco mulheres são espancadas no País. em 2010. sendo o sexo uma construção natural. No levantamento.. política e social das mulheres. de sublinhar as diferenças sociais entre os homens e as mulheres e de separá-las das diferenças estritamente biológicas. A cada dois minutos. SAIBA MAIS. As características de gênero são construções sócio-culturais que variam através da história e se . o qual se constituiu como um conceito estabelecido na sociedade com o objetivo de compreender as relações estabelecidas entre os homens e as mulheres e os papéis desenvolvidos por eles no local em que está inserido e as relações desiguais de poder produzidas. As ações do movimento feminista foram decisivas para articular o caminho da igualdade entre os gêneros. O conceito de gênero dentro do movimento feminista é usado para enfocar a luta pela igualdade de oportunidades entre homens e mulheres e tem como finalidade neutralizar. Reconhecimento do direito das mulheres sobre a gestação. as agressões diminuíram entre 2001 e 2010. psicológicas. nas últimas décadas. sobre a palavra "sexo". constatou-se que 11. culturais.5 milhões de mulheres já sofreram tapas e empurrões e 9. Tem a vantagem. jurídicas e econômicas atribuídas às pessoas de forma diferenciada de acordo com o sexo. Desse modo. Qualquer pessoa pode comunicar a agressão sofrida por uma mulher à polícia.A fim de fugir das concepções radicais o movimento feminista se aproximou do termo gênero. realizada em 25 estados. ainda não é plenamente garantida. No entanto. genitais. um em especial tem ganhado por suas estatísticas: a violência contra a mulher. as feministas têm em sua pauta de reivindicações pontos como: Reconhecimento dos direitos econômicos. gênero está ligado ao conjunto de características sociais. oito mulheres eram agredidas a cada dois minutos. que. com a qual se nasce. Um dos motivos para essa diminuição está associada à elaboração da Lei Maria da Penha. Descriminalização do aborto como um direito de cidadania e questão de saúde pública. de acordo com pesquisa da Fundação Perseu Abramo (Mulheres brasileiras e gênero nos espaços público e privado). saúde e previdenciária. Reconhece-se a partir de dados corporais. ou ainda. com acesso de qualidade à concepção e/ou contracepção. Por fim. Diferença entre sexo e gênero Sexo: Característica física.. ultrapassar as barreiras visíveis e invisíveis que existem e que impedem a participação econômica. que garante proteção legal e policial às vitimas de agressão doméstica. objetiva-se construir uma idéia de que todos os seres humanos. a despeito da vontade da mulher em fazê-lo.

seu principal momento de encontro tem sido os Fóruns Sociais Mundiais (FSM). Opõe-se ao modelo de uma expansão ilimitada e sem freios. inclusive nos países desenvolvidos. A primeira edição do Fórum Social Mundial foi realizada em 2001. A designação desse movimento surgiu após as manifestações da Ação Global dos Povos que promoveu vários "Dias Globais de Ação contra o Sistema Capitalista" com manifestações por todo o mundo com início em 18 de Junho de 1999 (Colónia. tendo focos de atuação diferentes. Mumbai. ou seja. as pessoas tenderão a identifica-lo como “mulher” porque esses elementos estão associados culturalmente ao gênero feminino. MOVIMENTO ANTIGLOBALIZAÇÃO/ALTERMUNDIALISTA O movimento antiglobalização designa os diversos atores sociais que se opõem aos aspectos capitalistas-liberais da globalização. além de ter promovido a degradação ambiental. estamos falando de um aspecto explicado culturalmente e historicamente. 2011)etc. Novas edições foram realizadas em Porto Alegre (2002 e 2003). Assim. capital do Rio Grande Sul. Trabalha para tornar evidente a lógica do sistema neoliberal. atualmente. na cidade de Porto Alegre. Nessa ocasião. que possa reduzir as discrepâncias entre os povos do planeta. A ação global dos povos. mais de 20 mil pessoas. do homem sobre a mulher. Esse fenômeno originou os movimentos antiglobalização. Los indignados (Espanha. Eles são heterogêneos. é o principal movimento antiglobalização. desvelando os laços entre a crise do neoliberalismo e a crise do sistema capitalista. desse modo. A maioria desses movimentos argumenta que as transnacionais obtiveram muito poder com o processo de globalização e que essas empresas estão dando forma ao mundo de acordo com os seus interesses econômicos. quando identificamos a dominação masculina na sociedade. o Occupy Wall Street (2011). EUA) por ocasião da conferência da Organização Mundial do Comércio (OMC). O Fórum Social Mundial ganhou força e representatividade e. usa batom. se reuniram para manifestar contra as políticas neoliberais do Fórum Econômico Mundial (FEM). estamos nos referindo às diferenças de gênero e não de sexo. o movimento altermundialista/antiglobalização é uma articulação em escala mundial das mobilizações e lutas em defesa da cidadania. cujo principal objetivo é mobilizar pessoas e movimentos sociais contrários às políticas neoliberais do FEM (Fórum Econômico Mundial). Esses dias são organizados de uma forma descentralizada e não-hierárquica por grupos e movimentos populares de base em muitas cidades do globo sob a forma de festivais e manifestações que celebram a sua resistência e a sua luta. São considerados movimentos de cidadãos que lutam pela justiça e por uma política econômica e social mais igualitária. capital . O processo de globalização desencadeou vários problemas socioeconômicos em diversas partes do globo. por exemplo. Alemanha) durante a reunião do Fundo Monetário Internacional (FMI) e 30 de Novembro de 1999 (Seattle. Se um homem. Por exemplo.referem aos papéis psicológicos e culturais que a sociedade atribui a cada um do que considera “masculino” ou “feminino”. de 117 países diferentes. salto alto e mini-saia. sob o lema “Um outro mundo é possível”. Brasil. fato que tem intensificado as disparidades sociais. Outras distinções podem ser apreciadas nos diferentes comportamentos de gênero. São expressões desse movimento o Black Bloc. no contexto da nossa cultura. contribui para a tomada de consciência de sua natureza e suas consequências.

Assim. Sua segunda versão (II PNRA) foi proposta apenas em 2003. capital venezuelana (2006). permitindo à sociedade civil brasileira uma abertura política para reivindicações e debates. mas ainda há muito por se fazer em relação à reforma agrária no Brasil. as camadas menos favorecidas como escravos. predominando o grande latifúndio. Isso significa são fortes características desse movimento a horizontalidade (ausência de uma liderança específica hierarquicamente reconhecida) e a forte articulação em rede (uma diversidade de sujeitos que se articulam com o auxílio das redes sociais em grandes eventos simbólicos). as novas referências comuns. ex-escravos ou homens livres de classes menos abastadas teriam maiores dificuldades à posse da terra. Os movimentos se definem por suas lutas. Neste contexto de redemocratização do país. em 1985 surgiu a proposta para a elaboração do primeiro PNRA (Plano Nacional da Reforma Agrária). A fundação deste movimento se deu em um contexto político no qual o duro regime militar que se iniciava na década de 60 do século passado chegava ao fim. Nairóbi. Desta forma. consequência direta de uma organização social colonial. As novas culturas políticas. impondo ao governo a realização de uma política de assentamentos rurais. no Paraná. O MST é contra projetos de colonização (como os realizados na Amazônia e que resultaram em fracasso) e defende a autonomia das tribos indígenas. patrimonialista e patriarcalista ao longo de séculos. Entre os objetivos do MST encontra-se o de desapropriar os latifúndios em posse das multinacionais e de todos aqueles que estiverem improdutivos. MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM-TERRA (MST) O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) é um dos mais vigorosos movimentos sociais do Brasil. O movimento tem na ocupação de terras seu principal instrumento de luta contra a concentração fundiária e o próprio Estado. Brasil. mas igualmente à necessidade de uma transformação estrutural das sociedades e do mundo. . Além dessa ação. tendo como centro de suas questões o trabalhador do campo e a luta pela reforma agrária brasileira. assim como a definição de uma área máxima para propriedade rural. seja em termos de desapropriação e assentamento. às restrições das liberdades e às guerras. no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O MST defende a cobrança do Imposto Territorial Rural (ITR) o qual seria revertido para a continuação da Reforma Agrária. que combina a afirmação de um individualismo com visões coletivas e novas formas de cooperação. sendo contra a revisão de suas terras. no Quênia (2007) e Belém. científico e tecnológico novo. Sabe-se que no Brasil prevaleceu historicamente uma desigualdade do acesso a terra. por suas práticas. (2009). como uma tentativa de discutir e mobilizar a população em torno da concretização da Reforma Agrária que desde então se confunde com a história do movimento no Brasil. pessoas que não possuem terras para plantio organizaram um movimento de protesto contra a centralização de terras nas mãos de poucos. O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST surgiu a partir da necessidade de promover a reforma agrária. A partir desse pensamento e da oposição real em que o Brasil se encontra. O Em 1984 ocorreu o primeiro encontro do movimento em Cascavel. se constroem em práticas de resistência criadas por uma nova geração que forjou seus valores em um meio filosófico.da Índia (2004). mais que por um pertencimento ideológico. O movimento experimentou na última década muitos avanços e conquistas. Caracas. Por meio dela os sem–terra intensificam a luta. dada a concentração fundiária. o movimento antiglobalização é confrontado com a necessidade de responder com urgência à deterioração das condições de vida das maiorias. que combina o espaço virtual da internet com o espaço dos territórios. seja em relação à qualidade da infraestrutura disponível às famílias já assentadas. Esse por sua vez é um sistema que visa distribuir terras de forma justa. o movimento também é bastante conhecido pela tática de organizar barricadas em estradas como maneira de chamar a atenção da mídia para sua causa.

O ambientalismo não visa somente os problemas ligados ao meio ambiente. do país e do exterior. o movimento foi acusado de ter pautado pela violência. Tal como outros novos movimentos sociais são multifacetados ideologicamente. Defesa do próprio espaço . De uma forma geral. outras vêm à tona. que reúne alguns dos movimentos sociais brasileiros do campo e contra a ALCA. podem inserir-se neste contexto.Lutam contra o industrialismo e tecnocracia e a favor da “ecotopia” (modo de vida alternativo).Lutam contra o desenvolvimento global desenfreado e a favor da sustentabilidade. Sua principal fonte de financiamento é a própria base de camponeses já assentados. vale ressaltar que em muitos casos a violência e a ação truculenta do Estado ao lidar como uma questão social tão importante como esta também se fazem presentes.Lutam . como a Via Campesina Brasil. todas as instituições. é influenciada por uma mídia que pode ser tendenciosa.Lutam contra os agentes poluidores e a favor da qualidade de vida e saúde. políticas (como os Partidos Verdes). mas também as atitudes a serem tomadas para uma possível diminução ou até mesmo solução desses problemas. contra os interesses de riqueza. tanto ao invadir propriedades que. eram produtivas. recoloca como principal o valor da vida em todas as manifestações. organizações-não-governamentais. Se a polêmica da violência (seja por parte do movimento. poder e tecnologia. em determinados casos. o movimento recebe apoio de organizações não governamentais e religiosas. interessadas em estimular a reforma agrária e a distribuição de renda em países em desenvolvimento. tornou-se a data do Dia Nacional de Luta pela Reforma Agrária. demandando medidas de proteção ambiental. em 1996. que tem na defesa do meio ambiente sua principal preocupação. Em determinados episódios que repercutiram nacionalmente. por outro. Defesa à política verde . MOVIMENTO AMBIENTALISTA O ambientalismo. África. As primeiras manifestações organizadas em defesa do meio ambiente remontam a meados do século XX no pós-II Grande Guerra. quando o homem comum tomou consciência de que poderia acabar definitivamente com o planeta e com todas as espécies. O MST se articula junto a uma organização internacional de camponeses chamada Via Campesina. geram muita polêmica na opinião pública. a qual pode atender a interesses de latifundiários e famílias ligadas ao agronegócio. . ativistas independentes e outros. seja do Estado) não bastasse. tais como medidas de antipoluição. projetos para a conservação ecológica etc. Defesa do planeta terra . como a da regularização fundiária pelo país. como ao ter alguns de seus militantes envolvidos em depredações. Ele também está vinculado com outras campanhas nacionais e internacionais. os meios praticados pelo movimento para promover suas ações. O episódio do massacre de Eldorado de Carajás. 17 de Abril. Considerando-o um movimento social.Lutam contra o desenvolvimento não controlado e a favor da vida selvagem. além de ter permeando suas ações pela esfera da ilegalidade. inclusive a própria. Muitas críticas recebidas pelo movimento recorrem do desconhecimento da opinião pública que. segundo o Estado. Atualmente. da qual também faz parte o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) e agricultores da Europa. incêndios.A luta pela terra além de ser louvável é legítima. A Via Campesina tem como objetivo organizar os camponeses em todo o mundo. O movimento por justiça ambiental considera que os problemas ambientais ligam-se aos sociais. roubos e violência contra colonos dessas fazendas. Ásia e Américas. no Pará. quando militantes foram mortos em confronto com a polícia denuncia essa situação. reivindicam: Preservação da natureza . Contudo. muitas vezes. Defesa da contracultura . A data em que ocorreu este fato histórico. movimento ecológico ou movimento verde consiste em diferentes correntes de pensamento de um movimento social. que contribuem para a continuidade do movimento. EUA. cuja atuação tenha por princípio a defesa do meio ambiente seja através de manifestações sociais. ou seja. agências.

associadas a uma política fortemente antiautoritária. e finalmente em 2008 na 1ª conferência Nacional de gays. no intuito de criar um termo que passe ao largo das disputas de identidade. em 1995. Entre 1981 e 1985 acontece uma campanha nacional coordenada pelo Grupo Gay da Bahia para retirar a homossexualidade do código de doenças do Inamps. crítica do Estado e da hierarquização de papéis entre casais do mesmo. em São Paulo. ou seja. Uma mudança reivindicada pelo movimento foi a adoção do termo "orientação sexual" de modo a deslocar a polarização acerca da homossexualidade pensada como uma "opção" ou como uma "condição" inata. possibilitando o revigoramento de uma militância homossexual calcada em outros discursos e estratégias. além das atividades comunitárias. Os anos de 1990 emergem num contexto diferente.. adota-se em parte do movimento. O uso do termo "orientação sexual" implica afirmar que não se trata de escolha individual racional e voluntária. especialmente em São Paulo. É nesse contexto que emerge um segundo momento do movimento homossexual no Brasil.Também há a iniciativa. gays. que corresponde a um período de aumento da visibilidade pública da homossexualidade que atuaram os grupos Triângulo Rosa e Atobá. uma vez que era designado movimento homossexual. Lésbicas e Travestis). O grupo seguia uma estratégia política de fortalecimento da identidade homossexual e valoração positiva das categorias "bicha" e lésbica. Diante do crescimento dos casos da doença e da demora em ser produzida uma resposta governamental. com a criação do Grupo Somos. ocorre a dissolução do grupo Somos de São Paulo. Bissexuais e Transgêneros). transexuais). em 1999. temos o movimento "GLT" (Gays. quanto na formulação de demandas para o poder público. Em 1983. bissexuais e transgêneros (travestis. Lésbicas. a sigla do movimento mudou de GLBTs para LGBTs que. A inclusão das categorias "bissexuais" e "transgêneros" (termo que pretende agrupar travestis e transexuais). do Rio de Janeiro. onde os ativistas do primeiro momento se voltam para a construção da resposta coletiva ao HIV/Aids. O objetivo destes grupos. MOVIMENTO LGBT LGBT é o acrônimo de lésbicas. a luta pela despatologização. mais recente. em especial com relação aos direitos civis de homossexuais. a mudança atendeu à reivindicação das lésbicas e seguiu um padrão internacional. surge a expressão "Movimento de Gays e Lésbicas".contra o estabelecimento político (ações dos governos) que desrespeitam os princípios do desenvolvimento sustentável. Multiplicam-se as categorias nomeadas como sujeitos políticos do movimento: em 1993. segundo os organizadores. É também nesse momento que eclode a epidemia do HIV/Aids. reduzindo consideravelmente a quantidade de grupos homossexuais. de utilização da fórmula "diversidade sexual". mas não se trata também de uma determinação simples. era promover mudanças na sociedade. a partir de São Paulo. O nascimento do movimento homossexual no Brasil é situado em 1978. a expressão GLBT (Gays. bissexuais. e o Grupo Gay da Bahia. realizada em Brasília. tanto no âmbito da assistência solidária à comunidade. em que o pânico em relação à Aids se ameniza. a exemplo da maioria dos países ocidentais. . travestis e transexuais. os militantes homossexuais foram os responsáveis pelas primeiras mobilizações contra a epidemia. porém a condição de travesti e transexual não era contemplada por essa termologia por tratar-se de uma questão de gênero e não de homossexualidade. Esse termo foi adotado recentemente após o dilema identitário do movimento.

Atualmente. pode-se entender em linhas gerais que se trata de uma série de manifestações sócio-político-culturais em favor do reconhecimento da diversidade sexual e pela promoção dos interesses e direitos dos homossexuais e transgêneros na sociedade. Aprovação de uma lei que garanta o casamento civil com a finalidade de que o Estado reconheça a legitimidade deste ato social. Associação Brasileira de Gays. especificamente voltada às demandas de direitos da população LGBT. a ABGLT é uma rede nacional de mais de 280 organizações dividas em grupos LGBT e colaboradoras. na garantia e na promoção dos direitos dos LGBT. Outro ponto é a aprovação do Estatuto da Família na comissão de direitos humanos (Setembro/2015) que exclui de proteção legal. em janeiro de 2015. . Ações na saúde e criação de organismos governamentais que executem ações de promoção à cidadania da comunidade LGBT. A associação surgia como uma alternativa de resposta comunitária e coletiva para a atuação em caráter nacional na defesa. O projeto foi arquivado por falta de aprovação e estava tramitando há mais de 8 anos no legislativo brasileiro. Déc. como o arquivamento. Entre as principais bandeiras de luta do movimento estão: Lutas contra a homofobia e transfobia. Lésbicas. da PL 122/2006 que criminaliza a homofobia. Travestis e Transexuais. Defesa da reforma universitária com exigência de participação nos colegiados. na sua forma atual. a partir de elaborações de materiais didáticos que problematizem a heteronormatividade. voltadas para os direitos humanos e Aids. acesso a plano de saúde e até pensão alimentícia viram benefícios legais de casais de mesmo sexo. os homossexuais tiveram. Caracteriza-se por ser policlassista e constantemente renovado. Participação do Movimento na tomada de decisão dos governos. bem como um espaço de cooperação e intercâmbio político para a construção de uma agenda comum de grupos LGBT brasileiros. por meio do Supremo Tribunal Federal (STF). Luta contra o nazifascismo (pós segunda guerra). como a adoção. * É válido ressaltar uma grande conquista do movimento no Brasil. formação inicial e continuada para profissionais da educação e inserção de temáticas de gênero. * Algumas derrotas também merecem ser pontuadas. Bissexuais. Em 05 de Maio de 2011. 50: Luta a favor da preservação patrimônio territorial e econômico do Brasil.Em 1994.  1964 . plenárias e fóruns que deliberam ações necessárias e prioritárias para essa população. com essa decisão os mesmos direitos que casais heterossexuais possuem se equipararam aos homossexuais tais como: Herança por morte do parceiro. a fim de iniciar uma organização nacional. nasceu a ABGLT. as homoafetivas. e protegendo famílias homoparentais. Apesar das dificuldades quanto à nomenclatura do movimento. sexualidade. Foi a primeira entidade LGBT de caráter nacional de que se tem notícias e é a maior Rede LGBT da América Latina e Caribe.Ditadura determina o fechamento da UNE que passa agir clandestinamente. Políticas educacionais que visem o fomento do respeito às diferenças e à diversidade. famílias não convencionais como. garantindo outros direitos decorrentes do casamento. o reconhecimento da união estável homoafetiva. MOVIMENTO ESTUDANTIL NO BRASIL O movimento estudantil atua na educação onde os sujeitos são os próprios estudantes. etc. por exemplo. cidadania e direitos humanos nos currículos escolares. através da implantação de Conselhos LGBT e realização de conferências. Sua trajetória e lutas incluem:   Criação UNE em 1937. por exemplo.

Maior investimento em bolsas de pesquisa. organizados pelas CEBs. nos anos 70 que provocou uma mudança fundamental neste processo associativo.). embora fossem comunidades religiosas. 1968 (AI-5) . portanto. E. creche. Demandam não apenas a manutenção e ampliação dos serviços sociais.  Anos 90: “Caras pintadas” . que pressionaram as autoridades e. as comunidades funcionaram como tal. em muitos casos. houve avanços no processo de democratização e também na melhoria dos serviços à população. * Uma política agrária que expulsava o homem da terra. Os moradores. para o processo de democratização da vida política brasileira. conseguiram obter suas reivindicações. etc. em certos setores populares. as CEBs. Com a distensão de Geisel. Assim. os movimentos urbanos dos anos 70 e 80 foram partes do amplo movimento pela redemocratização do país. As comunidades de base contribuíram. o atendimento às necessidades de consumo coletivo (infra-estrutura urbana) das camadas populares e dos bairros periféricos tornou-se secundário. de saúde.direitos que eram obrigação das autoridades municipais e dos representantes políticos. mas a própria mudança de gestão pública. Os setores populares sofriam a carência destes serviços. amparadas na teologia da libertação. ao menos em parte. passaram a exigir e não mais pedir. a insatisfação pôde se expressar.Prisão e assassinato de lideranças estudantis. etc. começaram a promover a mobilização de seu bairro para reivindicar melhores condições urbanas (transporte. etc.  Pode-se dizer que a ação das CEB’s em seu conjunto foi um dos fatores para o desenvolvimento. * O regime autoritário havia organizado uma política urbana a serviço dos grandes grupos imobiliários e da construção civil. asfalto.  Anos 80: Anos 80: reconstrução da UNE. Qualidade do ensino público. * Devido a estas políticas. Manifestações contra os preços abusivos das mensalidades e pela libertação dos presos políticos. modernização agrícola e pecuária para exportação. Reivindicações por mais verbas para as universidades. * Formaram-se associações de moradores e federações de associações. que exige "ética na política". * Foi o movimento das comunidades eclesiais de base (CEB’s). mas não podiam se manifestar devido a forte repressão sobre as organizações populares nos primeiros anos da década de 70 (1969-1973: período Médici). tais reivindicações não eram favores. o que provocou uma forte especulação imobiliária. MOVIMENTOS POPULARES E URBANOS NO BRASIL Reivindicam melhorias nos setores de transportes. na sua perspectiva. Mesmo nos lugares onde os movimentos populares não obtiveram vitórias no nível do poder executivo.  Anos 70: Manifestações contra a ditadura. de segurança. Lutas a favor da meia-entrada. Surgidas durante o período mais repressivo da ditadura militar. mas direitos . de uma consciência que vê a atividade política como um serviço ao público. volta à legalidade em 1986. privilegiando grandes propriedades. Onde não havia associações. de habitação. .

poderão vir a ser responsabilizados. que provocam a dispensa dessas comunidades a continuarem lutando pelas suas bandeiras de luta. Desse modo. o direito de alfabetização em sua própria língua. desde a dificuldade de mobilização.MOVIMENTO INDÍGENA NO BRASIL Ao contrário do que muitas pessoas pensam. os povos indígenas são articulados politicamente em prol de seus direitos. onde se localiza a maioria das tribos das nações indígenas brasileiras. Por essa incompatibilidade entre a CF/88 e o estatuto do índio (1973) é que umas das reivindicações do movimento indígena é a aprovação de um novo estatuto (o estatuto dos povos indígenas). ou seja. pode-se destacar a questão dos minerais que existem em terras indígenas. por exemplo. organizações como o Citas – Conselho Indígena Tapajós Amazonas. por conta da localização de inúmeros povos. As políticas governamentais tratam-nos ainda de forma tutelada. Pressões. tratando o índio como um cidadão. além do Cimi – Conselho Indigenista Missionário. e portanto eles deveriam ser “civilizados”. costumes. a cultura indígena foi vista. crenças e tradições” definindo que o Estado deve proteger as manifestações culturais dos povos indígenas. a atual constituição reconheceu aos índios “sua organização social. línguas. fazendo com que nossas etnias. até mesmo manipulações políticas de várias entidades indigenistas. ou seja. Quando envolvidos em algum litígio. compensando-os com indenizações por eventuais danos. a busca da venda de seus produtos. e. inúmeras Ong’s. cobrindo grande parte da Amazônia legal. especialmente na Região Norte. A dificuldade de organização no movimento indígena. porém um cidadão diferenciado por sua cultura. naquele Estatuto de 73. ainda não foi aprovado nem sancionado. Dentre outros aspectos trazidos por esse novo estatuto. em mercados globalizados. além de entidades criadas por outros indigenistas ou órgãos governamentais como a Funai – Fundação Nacional do Índio e a Funasa – Fundação Nacional de Saúde. dá-se pela limitação em diversos fatores. nacionais e internacionais. como sendo ainda primitiva. assim como muitas organizações religiosas que os assessoram. Já a constituição federal de 1988 (CF/88) deulhes o direito de recorrerem à justiça para defenderem seus interesses. tais como a demarcação de suas terras. As dificuldades que o movimento indígena ainda encontra. Essas lutas estão estruturadas inclusive formalmente como se pode observar. O Estatuto determina também que eles são “inimputáveis”. O novo estatuto dispõe a possibilidade da mineração realizada por empresas. têm nublado a discussão e aberto brechas para a criação de futuras “serras peladas”. pois sabem distinguir o que é certo ou errado. Além de suas próprias articulações. mas. Esse dispositivo já existe como projeto de lei mas tramita há anos nas casas legislativas. muitas vezes fiquem atrelados a ações assistencialistas. além disso. progressiva e harmoniosamente. à comunhão nacional”. por preços justos e competitivos. que forçadamente tentam falar pelos povos indígenas até a ineficiência do Estado com relação aos povos indígenas. não em mercados alternativos nativos. não podem ser punidos por não saber o que é certo ou errado. interesses eleitorais etc. O Estatuto do Índio de 1973 deixa os indígenas sob a tutela do Estado – à medida que preconizava que era dever do mesmo preservar a cultura indígena e “integrá-los. Esse estatuto busca corrigir as distorções e concepções atrasadas anteriores. atualmente encontramos inúmeras entidades que desenvolvem trabalhos com os povos indígenas. e ainda a de não se ter reconhecida e validada a . desde que tenham a concordância dos índios e dêem como contrapartida o pagamento pela ocupação e retenção da área. mais recentemente. comunicação. O movimento indígena já experimenta algumas conquistas obtidas pós-constituição de 1988. lobbies. Pelo estatuto de 1973 e constituição de 1988 qualquer tipo de exploração em solos indígenas caberia só a eles. mas os juízes deverão providenciar perícia antropológica para saber dos valores culturais de sua tribo ou ancestrais. podendo ganhar ou perder suas causas.

autonomia de nossas comunidades e de respeitar o protagonismo de nossas lideranças e povos indígenas. .