Você está na página 1de 2

CIBERESPAÇO E CIBERCULTURA

COMUNICAÇÃO EM REDE E INFORMAÇÃO
O impacto do advento das novas tecnologias se fez sentir em diferentes campos: na percepção humana
da realidade, nas relações sociais, na economia, na educação, na produção do conhecimento, nas formas
de entretenimento, na vida cotidiana, na maneira como agimos com nosso corpo. Causa espanto pensar
que, mesmo tendo suas origens mais profundas no início do século XIX, essa revolução digital se
disseminou pela sociedade há pouco mais de três décadas. Por outro lado, a rapidez com as inovações se
sucedem nos impede de fazer grandes prognósticos ou tecer críticas muito categóricas.
Além da rapidez com as tecnologias se renovam e se modificam, há o fato de que elas ocorrem numa
sociedade globalizada, o que dificulta considerações de caráter geral. Para podermos entender como
funcionam as novas mídias, temos de saber, minimamente, como elas armazenam, processam e difundem
informação.
As mídias digitais não são mídias de massa, pois os usuários não estão submetidos a uma única
experiência comum e coletiva como a audiência de uma telenovela. Ao contrário, num mesmo momento,
cada computador acessa informações diferentes, por meio de opções diversas traçadas entre as múltiplas
possibilidades do hipertexto, o que transforma essa experiência numa vivência individual. Torna-se um
desafio perceber tendências em um tipo de comunicação altamente segmentada. As pesquisas
demonstram a dificuldade em captar valores e opiniões que sejam representativas dessa sociedade
conectada por computadores ou de seus segmentos.

Comunicação a distância e novas sociabilidades
Um aspecto especialmente importante do uso de novas mídias nas relações humanas é a comunicação a
distância. As redes de computadores locais ou mundiais conectam usuários separados por quilômetros,
que muitas vezes falam idiomas diferentes, vivem sob regimes políticos diversos e integram culturas que
pouco têm em comum. Entretanto, essas pessoas, que na sociedade concreta teriam pouca chance de se
reunir, graças a computadores ligados em rede estão em contato em razão de algum interesse
compartilhado, como jogo ou site de relacionamento, entre outros.
Relações que se criam por meio da comunicação em rede, pelo compartilhamento de informações, pela
interatividade proposta por um jogo, pela cooperação em alguma forma de trabalho ou pela solidariedade
em relação a algum acontecimento constituem novas formas de sociabilidade. Sociabilidades mais
rápidas, instantâneas e fluidas, menos comprometedoras e pessoais que duram o tempo que os motivos
que colocaram as pessoas em contato perdurarem. Relações que podem ter alto grau de proximidade
afetiva, mas são, também, bastante instáveis introduzem na sociedade novas formas de cumplicidade e
aliança.
Por outro lado, as possibilidades da comunicação a distância não são úteis apenas para estabelecer novas
relações entre pessoas; a comunicação a distância estreita laços entre pessoas próximas do ponto
geográfico e afetivo. A troca de e-mails permite manter contato e estreitar laços com parentes, amigos,
colegas de trabalho, clientes e fornecedores. Numa sociedade em que as pessoas se deslocam de um
espaço para o outro continuamente, a rede de computadores permite manter contato com aquilo que
deixamos, estreitando laços.

Por isso. as possibilidades de interação e diálogo se alargam. som. Cristina. A possibilidade de flexibilidade. Bibliografia: COSTA. interagimos com máquinas e programas. fechar. ouvir. observamos o interesse crescente das pessoas em obras que não fossem completamente fechadas ou acabadas. desde o início do século XX. O real e o virtual não se correspondem necessariamente. a comunicação em rede e o uso das mídias digitais exigem a participação do usuário. manipulação na produção via internet cria um processo de simulação que lhe é próprio. abrir. imagens fixas e em movimento. A imagem que se vê na tela do computador é informação. estimulando o público a brincar com os objetos. cuja autenticidade não pode ser preestabelecida nem comprovada. São Paulo: Moderna. a adentrar espaços. as relações virtuais escapam ao princípio da mera representação do real. Sociologia: Introdução à ciência da Sociedade. A interatividade não é novidade. Talvez essa ruptura é que faz do ambiente da rede um espaço de simulação e inautenticidade. assim como da manifestação simbólica. É importante lembrar que nem sempre a interatividade ocorre entre pessoas. #@ REFLEXÃO: Você concorda em todos os pontos com a visão proposta pela autora? Em que você discorda? Em que concorda? Por quê? . É por meio dessa interatividade que entramos no ciberespaço e interagimos com os fluxos de informação. Utilizar mídias digitais é antes de tudo uma forma de interação simbólica que exige atenção. A obra aberta tornou-se uma tendência do modernismo. maleabilidade. planejamento. De qualquer forma. escolher. Nas artes. as mídias digitais estimulam a ação e a intervenção. transformando o ciberespaço num ambiente de relacionamento e ativismo. interatividade permitiu o surgimento de nova sensibilidade nos processos comunicativos. Ao contrário do que acontece quando assistimos a um filme. a responder ao autor. ler.Multimídia e novas sensibilidades Além da possibilidade de interação e participação aberta pela rede mundial de computadores. Em muitos casos. navegar. e nosso interlocutor é mera simulação. a comunicação dos usuários por meio de programas multimídia munidos de texto. Com o advento das mídias digitais. Interatividade e dialogismo A interatividade é a condição básica das mídias digitais. É preciso agir. intervenção. 2011.