Você está na página 1de 5

SEMINÁRIO TEOLÓGICO PRESBITERIANO

REV. DENOEL NICODEMOS ELLER
Rua Joviano Naves, 301 – Palmares – Belo Horizonte – MG
CEP: 31155-710 – Fone (31) 3426.9949

DATA: 20 de novembro de 2003

AVALIAÇÃO:_______

ALUNO: Gladson Pereira da Cunha
TIPO DE TRABALHO: Resenha
DISCIPLINA: Educação Cristã
TURMA: 3º Ano

TURNO: Matutitno

PROFESSORA Eulina Oliveira Silveira
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA: John Edmund Haggai. Seja um Líder de Verdade. Venda
Nova: Editora Betânia, 2001
O Dr. John Edmund Haggai é o fundador do Instituto Haggai, cuja finalidade é o
treinamento e capacitação de lideres cristãos que deverão exercer em seu meio tal função
seguindo os princípios propostos por Haggai. Este, portanto, é o livro texto sobre o qual
está baseado a metodologia de treinamento deste Instituto.
Dr. Haggai considera a existência de 12 princípios básicos para o exercício da
liderança cristã: (a) visão, (b) estabelecimento de metas, (c) amor , (d) humildade,
(e) autocontrole, (f) comunicação, (g) investimento, (h) oportunidade, (i) energia,
(j) poder da persistência, (l) autoridade e (m) conscientização. Mas antes de entrar nas
definições destes princípios, ele chama a atenção do leitor, em seu primeiro capítulo, para a
necessidade de liderança.
Para Haggai a maior marca do nosso tempo é a falta de liderança. O nosso mundo
tem se desenvolvido rapidamente e o números de lideres capazes para guiar as pessoas não
tem acompanhado este crescimento. Constatando isso, ele define que liderança é o esforço
de exercer conscientemente uma influência especial dentro de grupo para levá-lo a atingir
as suas metas. Estas metas, continua Haggai, devem se apresentar como constantes
benefícios para o grupo, atendendo assim as suas expectativas.
Desta definição ele entende que a liderança não é algo passível de opção, contudo, é
a necessidade que temos. Uma pessoa não nasce líder, no entanto, ele é feito mediante
aprendizado e exercício da liderança. Desta forma, qualquer um pode se tornar um líder.
Ainda mais dentro da proposta de Haggai, que compreende que a liderança que o mundo
precisa deve estar baseada nas Escrituras e tendo como centro Jesus Cristo, o exemplo de
liderança. Assim, ele inicia a elucidação

De certa forma. o que implicará em mudanças benéficas para o seu grupo. Estabelecer metas é uma disciplina contínua. elas devem ser humanamente atingíveis. Isto significa que em vários momentos será preciso estabelecer novas metas. isto é. Continuado o levantamento dos seus princípios de liderança. o líder deve imitar a atitude de Cristo em amar os seus liderados visado em todos os momentos o bem deles. John Haggai percebe. pois a visão é a revelação da vontade de Deus. que conduzirá à missão. Esta visão deve ser promotora de bem-estar e saúde tanto para o grupo como para o líder. .O primeiro princípio apresentado por Haggai é o da Visão. que as metas não devem ser absurdas. mas de tempos em tempos elas deverão ser revistas e em alguns casos modificadas. Como ele deixa bem claro. Estas metas não são fixas nem mesmo imutáveis. quando as antigas forem atingidas. Este amor deve ser o cumprimento do mandamento de amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo. Este princípio pode ser considerado de grande validade. Para que esta missão seja cumprida faz-se necessário a elaboração de metas as quais deverão ser alcançada. o amor. Contudo. Deste modo. Porém. O amorr é mais que um princípio. bem como as suas potencialidades e seus dons. Haggai compreende que a humildade é a expressão da primeira característica do líder. o autor aponta o amor como o ato de vontade com o qual o líder cristão opera visando o bem dos outros. O segundo princípio que Haggai considera indispensável para o exercício da liderança é o estabelecimento de metas. considerando que por meio dele é possível tornar o trabalho mais prático e dinâmico. Outra característica do líder que o autor apresenta é a humildade. a falsa humildade também é reputada como algo pernicioso ao líder. e nisto ele é claro. Esta característica exime o líder de ser orgulhoso. principalmente. Nestes casos. é uma característica que todo o líder cristão deve cultivar no desempenho da sua função. No entanto. o líder deve agir e dedicar-se. O autor ainda considera a existência de metas que poderão ser conflitantes. Ele define visão como a imagem que o líder faz a respeito de como o grupo deve ser e deve fazer. amar ao próximo é dar-lhe ajuda quando necessário e fazer as coisas para o seu bem. Neste ponto. porque a visão é a base de toda a verdadeira liderança. a visão é o princípio primeiro. Dentro da visão intencionada. Para Haggai o líder que é humildade compreende as suas fraquezas e limitações. para que consequentemente a missão seja cumprida. ele considera que deve haver bom senso em estabelecer qual delas deve ser levadas a êxito. não apenas o líder mas também todos os liderados devem conhecê-la.

é algo que deve ser praticado e cultivado na vida líder. Dr. Devemos investir no Reino de Deus e no seu crescimento. mas entendido. Um dos meios para isso é se colocar na dependência de Deus. avaliando as características regionais e culturais. Este princípio.Ainda tratando de características do líder. Continuando os princípios de liderança. confiança e estabilidade. (7) motivação do grupo. O sexto princípio de John Haggai para o verdadeiro exercício da liderança é a comunicação. Nos momentos em que o líder acreditar que ele tem todas as condições de cumprir a sua tarefa. o que investimos retornará para nós multiplicada e de modo proporcional àquilo que investimos. . Outro princípio que Haggai considera importante para o verdadeiro líder é a Oportunidade. (2) avaliação do auditório. mas não num sentido de troca. Ele é a vitória do amor. longe de ser algo inato ao homem. para de fato comunicarmos o que queremos e de modo crível. O autocontrole é importante em todos os momentos do exercício da função de liderança. temos que conquistar a atenção dos ouvintes quebrando todos os empecilhos que nos atrapalham. como aquele princípio que diz que se investimos em alguém. tanto para poupar tempo como também para efetivar as ações que serão respostas ao discurso proferido. (5) fazer referência ao conhecido. É o autocontrole que possibilita objetivar as metas estabelecidas para o grupo ou mesmo as metas individuais e pessoais. (4) rompimento da barreira da introversão. sendo que esta tarefa é básica para o pleno cumprimento da tarefa de liderança. Da mesma forma que a humildade. por meio de ilustrações que concretizem tal idéia. (6) comprovar as declarações. todas as idéias abstratas deverão ser clareadas por nós. Ele enumera sete regras para o auxílio do líder: (1) reconhecer a importância da comunicação eficiente. O valor deste princípio estar em reproduzir nos ouvintes as idéias expostas. o grupo se porá em ação a fim de alcançá-lo. Para ele o líder deve saber se expressar muito bem através do meio oral como também do escrito. o líder não deve ser apenas ouvido. que é o nome próprio para autocontrole. Haggai apresenta o princípio de investimento. que é quem concede o fruto do Espírito chamado de domínio próprio. é necessário conhecer os contextos do grupo que nos ouve. Este princípio possibilitará ao líder desenvolver seu ministério com mais liberdade. é preciso ter em mente o que será dito. o autocontrole é uma conseqüência do amor. precisamos considerar as experiências que o nosso auditório viveu. o meio de motivação que deverá ser empregado é o apelo aos anseios do grupo. Entendendo este anseios. (3) seleção da correto meta de comunicação. Haggai concebe o autocontrole como o quinto princípio de liderança. Devemos honrar a Deus com os nossos bens. Para ele as oportunidades nascem dos obstáculos que surgem durante a vida.

Este princípio. John E. Haggai demonstra duas vertentes do mesmo: (1) a autoridade interna. De fato. Pessoalmente. O décimo princípio é o da Persistência. Tais dificuldades por vezes assolam os lideres fazendo-os desistir daquela visão inicial dada por Deus. que é o carisma com o qual o líder conquista as pessoas que o cercam. que é a autoridade representada pela posição que a pessoa ocupa. (8) executar o novo programa. o Dr. (4) avaliar as possíveis causas do erro. de cada líder. Haggai sugere algumas formas de conseguirmos isto: (1) admitir o erro quando tomamos conhecimento dele. de modo que elas alcancem os objetivos traçados inicialmente. Por conta disso é necessário que aprendamos a extrair dos erros as boas possibilidades de levarmos à cabo as metas inicialmente traçadas. muitas são as dificuldades enfrentadas por todos os que estão imbuídos na tarefa de liderar. O verdadeiro líder é aquele que sabe demonstrar exteriormente a sua autoridade interior. então. seja levada ao seu pleno estabelecimento. (2) assumir a responsabilidade pelo erro. O último princípio levantado pelo Dr. portanto. Devemos. (2) autoridade externa. que por vezes são oportunidades. O nono princípio de liderança de Haggai é a Energia. (6) recuperar o prejuízo. Haggai deixa claro que devemos dar mais valor ao princípio interno no exercício da verdadeira liderança. No penúltimo princípio. (5) eliminar as causas. segundo ele. envolve cuidados com a saúde mental e física de cada pessoa. Ele é o que rege todos os demais. Ela é a convicção que podemos influenciar pessoas. (7) procurar corrigir o que motivou o erro a fim de que ele não se repita. Seguindo estes princípios básicos sobre as oportunidades devemos. . é necessário que a pessoa haja com persistência e vença as barreiras. (3) avaliar os prejuízos. Esta energia é demonstrada através do trabalho executado e no prazer em realizá-lo. reconheço que este principio é o superintendente dos demais princípios. Esta energia. aprender a converter cada um dos obstáculos que nos alcance em Oportunidades. inicialmente definida. (10) lembrar sempre que os obstáculos realçam a liderança. como lideres permanecer cônscios de todos os elementos que contribuem para concretização de tudo aquilo que o grupo e o próprio líder idealizaram. a fim de que a visão.A partir dos obstáculos é que aprendemos a enxergar as oportunidades que nos aparecem. é demonstração de vitalidade e entusiasmo que todo o líder deve demonstrar a fim de objetivar a confiabilidade em si mesmo por parte dos liderados. Haggai é o da Conscientização. na dedicação a tarefa assumida. auxiliados por Deus. (9) usar os erros como sinalização para evitá-los. Esta autoridade é fruto da influência que temos e exercemos sobre o grupo. Neste ponto. Para isso.

Este livro nos leva a considerar como temos exercido o papel líder em nossas comunidades. Haggai demonstra que é possível a realização deste ministério sem precisar de oprimir os que estão conosco. que massacra o povo com cargas que eles mesmos não conseguem carregar. Haggai sobre demonstrar isso. Sabemos que a igreja são várias partes interdependentes dum todo. mas com amor entendendo que a carga do outro também é minha. nosso Senhor. . exercendo o papel de liderança. mas não uma liderança despótica. porém mostrando que há possibilidades de alcançar o bem comum.O líder deve sempre estar consciente que o seu objetivo é encaminhar todo o grupo a alcançar benefícios permanentes inicialmente planejados. Concluindo. que redunda na felicidade geral. na Igreja precisamos de alguém que mostre o caminho. é necessário ter a consciência de que todo o seu poder de exercer plenamente o ministério de liderança em unicamente em Deus. Como um corpo organizado. E acima de tudo. que o capacita. Agora compete a nós verificarmos isto na prática. que é o corpo místico de Cristo.