Você está na página 1de 65

A biosfera

0.1.1.Diversidade
BIODIVERSIDADE
A vida apareceu na Terra há cerca de 3 500 anos. No inicio os seres eram simples e
ao longo do tempo têm aparecido formas cada vez mais complexas. Houve uma
grande evolução de seres unicelulares para multicelulares, de reprodução assexuada
para sexuada, e hoje, todos coabitam originando uma grande diversidade.
Todos os seres com as mesmas características que se reproduzem e deixam
descendência fértil e semelhante aos progenitores, designam-se por ESPÉCIE.
Para facilidade de estudo o homem agrupou os seres vivos em reinos. A classificação
mais atual divide os seres vivos em 3 grupos que subdividem em 6 reinos, no entanto
a classificação de Whittaker, proposta em 1968 e atualizada em 1979, continua a ser
válida e é a que se encontra na maioria dos manuais escolares.

CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO (Whittaker - 1079)

REINOS

TIPO DE

ORGANIZAÇÃ

CÉLULAS *

O CELULAR

MONER Procariótica
A

s

PROTIS Eucariótica
TA

s

ALIMENTAÇÃO

NÍVEL TRÓFICO
(ECOSSISTEMAS)
Produtores e

Unicelulares

Autotróficos

microconsumidores
(decompositores)

Uni e
pluricelulares

Autotróficos e
outros
heterotróficos

EXEMPL
O DE
SERES
Bactéria
s

Produtores, micro e

Amibas

macroconsumidores

e hidras
Cogumel

FUNGI

Eucariótica

Uni e

s

pluricelulares

os e
Heterotróficos

Microconsumidores

penicilin
a
(bolores)

PLANTA Eucariótica
E

s

ANIMALI Eucariótica
A

s

Pluricelulares

Autotróficos

Pluricelulares Heterotróficos

Produtores

Pinheiro

Macroconsumidores

Porco

*Célula procariótica - Constitui os seres procariontes, célula sem núcleo organizado.
*Célula eucariótica - Constitui os seres eucariontes, célula com núcleo delimitado por
membrana nuclear

A atual classificação:

A diversidade biológica ou BIODIVERSIDADE é a diversidade de seres vivos
existentes na Biosfera (camada superficial onde habitam todos os seres vivos na
Terra incluindo as relações entre os diferentes subsistemas e os seres vivos),
A biodiversidade define-se em relação:
- diversidade ecológica (diversidade de comunidades dentro de um ecossistemas);
-diversidade de espécies (diversidade de espécies em diferentes habitats);
e diversidade genética (diversidade genética entre populações).
0.1.2.Organização
A passagem de seres simples (multicelulares), para seres mais complexos
(pluricelulares), fez-se acompanhar pela organização da matéria em unidades,
assistindo-se a uma hierarquia das unidades mais simples para as mais complexas.
A hierarquia dos sistemas biológicos começa na unidade básica da vida a CÉLULA
(que é composta por substâncias não vivas - átomos e moléculas).

Biosfera. População. Comunidade. ECOSSISTEMA E BIOSFERA. ORGANISMO. Factores bióticos. POPULAÇÃO.são as relações entre seres vivos da mesma espécie e seres vivos de espécies diferentes (populações e comunidades). TECIDO.Conjunto de seres da mesma espécie que habita num determinado local.Conjunto de relações que se estabelece entre os factores bióticos e abióticos de um determinado local.conjunto de células que trabalham coordenadamente para o mesmo fim Órgão. consumidores ou decompositores ( também designados por microconsumidores).Temos então a seguinte organização: CÉLULA. Factores abióticos .unidade básica da vida.Conjunto de seres de espécies diferentes que habitam num mesmo local. ÓRGÃO.são os factores relacionados com o meio ambiente: temperatura.Formado por tecidos que trabalham coordenadamente para o mesmo fim Sistema. COMUNIDADE.Conjunto de todos os seres vivos que habitam a Terra e dos locais que habitam.Conjunto de órgãos que trabalham coordenadamente para o mesmo fim Organismo. Conceitos: Célula . formando-se cadeias e teias alimentares dentro do ecossistema. Ecossistema. tipo de solo e luminosidade. Um exemplo desta relação é como os seres vivos obtém alimento (relação alimentar).É composto pelo conjunto de sistemas que trabalham coordenadamente para o manter vivo e que tem individualidade em relação ao meio externo. Numa cadeia alimentar os seres vivos desempenham uma das funções: ou são produtores. humidade. SISTEMA. composta por organitos celulares Tecido. .

dois tipos de células: . 0. com o material genético no núcleo e com organelos constituídos por membranas. Fungi. Bactéria . Elas diferem quanto à forma e tamanho.Ser procarionte. mais complexas.Ser eucarionte.2. Unidade estrutural e funcional Existem.As procarióticas. Existe uma grande diversidade de células. o nucleóide. Constituem os seres dos reinos Protista. . Plantae e Animalia. célula . e é o local onde se encontra o material genético (DNA). as primeiras a aparecerem na Terra há cerca de 3500 Ma que constituem os seres dos reinos Eubactéria e Archeobactéria ( Monera na classificação de Wittaker) não possuem organelos envolvidos por membranas. como foi referido.1. vida esta que pode ser extremamente simples como por exemplo nos seres unicelulares procariontes e pode ser muito complexa como nos seres pluricelulares eucariontes. que se julgam existir na Terra há cerca de 2100Ma. Protista .as células cujo o núcleo está envolvido por uma membrana nuclear são as células eucarióticas. o núcleo está espalhado pelo citoplasma.A célula A célula é a unidade básica da vida. não tem membrana nuclear. dependendo do organismo a que pertencem e ao tipo de função que desempenham.

Citoplasma Procariótic É constituída por uma massa semifluida (hialoplasma) onde se encontram os organelos celulares eucarióticas Planta e Animalia . separando o meio intra do extracelular e controla o movimento de substâncias entre estes meios. existem diferenças. citoplasma. plasmática ou plasmalema Monera Delimita a célula. Organelos Função as e constituintes celulares Membrana celular.célula procariótica eucariótica Todas as células procarióticas e eucarióticas têm membrana celular ou plasmática. ribossomas e material genético. Entre as células eucarióticas dos diferentes reinos. diferenças estas que permitem classificá-los em reinos.

Ribossomas Pequenas estruturas. Nucleóide Encontra-se disperso pelo citoplasma e . Pode conter uma estrutura constituída por proteínas e ácidos nucleicos. é delimitado pela membrana nuclear (invólucro nuclear) que é Núcleo porosa para permitir a comunicação com o citoplasma. por vezes. No seu interior contém o nucleoplasma (líquido) onde se encontra massas de cromatina. associadas ao retículo endoplasmático e que têm como função a síntese proteica.O maior organelo da célula. onde está o material genético.

gases. Parede celular bactérias fotossintéti cas Protege e dá estrutura Vacúolos Rodeados de uma membrana. são reserva de água. Organelo onde ocorre a fotossíntese.contém material genético Cloroplastos Estrutura formada por uma dupla membrana que contém pigmentos. açúcares e outras substâncias Centríolos São microtúbulos que auxiliam na divisão celular grande pequenos s .

Complexo de Golgi Conjunto de cisternas e vesículas que tem como função a transformação de proteínas em lípidos e intervém em fenómenos de secreção. . Mitocôndrias Constituídas por duas membranas (interna e externa).Sistema Retículo endoplasmático membranar constituída por sáculos. lípidos e hormonas. vesículas e canículas que tem como função a síntese de proteínas. a mais interna invagina-se para o interior. A sua função é a respiração aeróbica.

oxigénio. constituindo macromoléculas.processos que levam à obtenção de energia. glúcidos e ácidos nucleicos) e inorgânicas (água e sais minerais). temos o carbono. A ÁGUA É o composto mais abundante. e estes são constituídos por moléculas orgânicas (prótidos. como vimos. nós já vimos que a matéria orgânica tem na sua composição uma grande variedade de elementos químicos (sais minerais) mas em grandes quantidades. por organelos ou organitos celulares. Estruturas Lisossomas esféricas que contém enzimas que intervêm na decomposição de moléculas e estruturas celulares. A água desempenha um papel fundamental na célula. não apenas ao nível estrutural mas também porque regula as reações bioquímicas. constitui cerca de 70% mas pode atingir nalgumas os 90% da composição das células. Constituintes básicos A célula é constituída. regula a . Se te recordas. lípidos. hidrogénio. azoto.

POLÍMEROS.são formadas à conta de .. intervém em reações de hidrólise. temperatura. como já dissemos são os prótidos. a força de atração destes dois átomos forma uma ligação a que se dá o nome de ligação hidrogénio (pontes de hidrogénio). pontes de hidrogénio . ligações que se fazem por pontes de hidrogénio. Os dois eletrões dos dois átomos de hidrogénio são compartilhados pelo oxigénio.. ela apresenta polaridade. os glúcidos e os ácidos nucleicos..As propriedades da água facilitam estas reações. o fato desta molécula apresentar polaridade permite a ligação a outras moléculas polares. Junto aos átomos de hidrogénio a carga é ligeiramente negativa e junto ao oxigénio a carga é ligeiramente negativa. é um excelente solvente (transporta o "alimento" e os produtos de excreção da célula) e atua no meio de difusão de muitas substâncias. Estas moléculas grandes ... Quando um dos átomos de hidrogénio se aproxima de um outro átomo de oxigénio de outra molécula de água. os lípidos. Embora a molécula de água seja uma molécula eletricamente neutra. ou seja. MACROMOLÉCULAS ORGÂNICAS As macromoléculas.

O monossacarídeo ou ose é a unidade estrutural dos glúcidos. ácidos gordos e glicerol. exemplos: sacarose (resulta da ligação de uma glicose com uma frutose). Os mais comuns são os glúcidos com 5 carbonos a que se dá o nome de PENTOSES. este processo chama-se POLIMERIZAÇÃO (reação de condensação). hidrogénio e oxigénio (compostos trenários). polimerização e despolimerização. A fórmula geral dos glúcidos é: Cn(H2O)nem que n varia de 3 a 7. monossacarídeos. lactose (que resulta da ligação de uma galactose com uma glicose). o oligossacárido é constituído por dois* a dez monossacarídeos e opolissacarídeo por mais de dez e pode mesmo ter centenas ou milhares de monómeros na sua constituição. GLÚCIDOS Os glúcidos são compostos por carbono. e os nucleótidos). maltose (resulta da ligação de uma glicose com outra glicose). Os que têm 6 . relembra do 9ºano. é tal como na água 1 oxigénio para 2 hidrogénio e é por esta razão que também se chamam hidratos de carbono. são fundamentais para a célula. Se forem 3 monossacarídeos dá-se o nome de trissacarídeo e assim sucessivamente. Estes dois processos.moléculas mais pequenas os -MONÓMEROS (aminoácido. Um monómero liga-se a outro e liberta-se uma molécula e água. Quando há a separação de um monómero de outro dá-se o processo inverso a DESPOLIMERIZAÇÃO (reação de hidrólise). A sua função é fornecer energia à célula e constituir a parede celular (plantae e monera). Os grupos de átomos que participam nestas reações designam-se por GRUPOS FUNCIONAIS. Os monómeros ligam-se uns aos outros originando cadeias para formar os polímeros. A proporção dos átomos de oxigénio e de hidrogénio. * Dissacarídeo é também um oligossacárideo formado por dois monossacarídeos.

Desoxirribose: constitui o DNA HEXOSES (energia) . Glúcidos mais abundantes na célula: PENTOSES (os mais abundantes) .Frutose . Fórmula: LÍPIDOS C6(H12O)6 .Galactose Exemplo de como podes ver representado as moléculas de glícidos. As ligações dos monossacarídeos uns aos outros para formarem glúcidos mais complexos designam-se por LIGAÇÕES GLICOSÍDICAS. Com 3 dá-se o nome de Triose.carbonos designam-se por HEXOSES.Glicose ou glucose (produto da fotossíntese) .Ribose: constitui o RNA . com 4 Tetrose e com 7 heptose.

São insolúveis na água (formam emulsões) e solúveis noutros lípidos e noutros solventes como o éter e o clorofórmio. esta ligação chama-se LIGAÇÃO ÉSTER. Os ácidos gordos São cadeias lineares de carbono com um grupo terminal de carboxilo (COOH). carbono e hidrogénio mas podem conter o azoto. Poli-insaturada ex: Ácido alfalinolênico . são isoladores térmicos. Temos então lípidos que fornecem energia. A função é fornecer energia (ex: triglicéridos). Dizemse saturados quando todos os carbonos estão ligados entre si por ligações simples e insaturados quando os carbonos estão ligados com ligações duplas e triplas e polinsaturado quando existe mais que uma dupla ou tripla ligação. outros reguladores (hormonas) e outros estruturais (fosfolípidos). A maioria dos lípidos é constituído por ÁCIDOS GORDOS ligados a uma molécula de GLICEROL. o enxofre e o fósforo. outros estrutura e outros reguladores. em lípidos mais complexos.Os lípidos são também compostos ternários de oxigénio.

. triglicérido. Se o glicerol estabelecer uma ligação com um ácido gordo. chama-se monoglicérido.Insaturada ex: Ácido oleico Saturada ex: Ácido esteárico O glicerol É um álcool constituído por 3 grupos hidroxilo (HO) que estabelecem ligações ESTÉR com o grupo carboxilo do ácido gordo (liberta-se por cada ligação uma molécula de água). se for com dois é o diglicérido e com três.

constituem a maior parte da membrana celular. .Há vários tipos de lípidos e que têm funções diferentes. Lípidos estruturais Os FOSFOLÍPIDOS. são um dos lípidos estruturais que mais se destacam pela sua importância. É constituído por um grupo fosfato (ácido fosfórico) ligado ao glicerol que por sua vez se encontra ligado a dois ácidos gordos.

enxofre. significa que têm uma parte hidrofílica e outra hidrofóbica. são também lípidos. oxigénio. constituídos essencialmente por Azoto. ******Só por curiosidade a vitamina D é também um lípido. ferro e cobre.o RADICAL (X ) que se liga ao grupo fosfato determina o tipo de fosfolípido. (mais à frente irás ver a importância!) Lípidos com função reguladora As hormonas femininas (progesterona) e as masculinas (testosterona) que fazem parte de um grupo denominado esteróides. carbono e hidrogénio. PRÓTIDOS Os prótidos são composto quaternários. Os fosfolípidos são moléculas AFIPÁTICAS. fósforo. Podem conter magnésio. .

constituem as enzimas e os anticorpos que intervém na nossa defesa específica e podem ser reguladoras como é o caso da insulina. Os aminoácidos ligam-se através das ligações peptídicas (covalentes) e dão origem a polímeros. AMINOÁCIDO Chama-se aminácido porque o monómero é formado por um grupo amina (NH2) e outro ácido. A unidade básica (monómero) é o aminoácido e no ser vivo são em número de 20. forma-se uma molécula de água. transportam substâncias (a hemoglobina transporta o oxigénio). o grupo carboxilo (COOH). representação de um aminoácido O esquema representa a ligação peptídica . Em cada ligação que se estabelece.A sua função é estrutural (constituem a membrana celular).

citosina.uma estrutura globular devido ao dobramento da hélice. mais de dois polipeptídeo e finalmente as proteínas. ÁCIDOS NUCLEICOS Os ácidos nucleicos (DNA e RNA) são responsáveis pela transmissão das caraterísticas de uma célula para outra (quando ocorre a divisão celular) e pelo controle em processos celulares. TERCIÁRIA.Da ligação de dois aminoácidos temos um dipeptídeo.DNA . do número e da sequência com que se ligam condiciona a estrutura do prótido e consequentemente a sua função. neste caso as ligações são auxiliadas pelas pontes de hidrogénio entre aminoácidos próximos. mantendo-se a estrutura.quando existem várias cadeias associadas. Quanto à estrutura podem ser: PRIMÁRIAS. . Ácido desoxirribonucleico . mas também podem englobar na sua composição outras moléculas. timina.se forem constituídas por sequencias simples de aminoácidos unidos por ligações petpídicas. Isto acontece pela força de atração dos radicais dos aminoácidos que constituem a cadeia.se forem cadeias de aminoácidos enroladas em hélice ou folha com pregas. As proteínas podem ser constituídas apenas por aminoácido. guanina e uracilo). SECUNDÁRIAS. QUATERNÁRIA. constituída por: ÁCIDO FOSFÓRICO + PENTOSE (glúcido) + BASE AZOTADA (adenina. e chama-se de PROTEÍNAS SIMPLES. são as PROTEÍNAS CONJUGADAS. A unidade básica dos ácidos nucleicos é um NUCLEÓTIDO (monómero). Do tipo de aminoácido. que são cadeias polipeptídicas.É formada por duas cadeias polinucleótidicas que se enrolam em hélice.

timina. citosina e uracilo).RNA Formado por uma estrutura linear. A cadeia polinucleotídica é formada por nucleótidos constituído pelo Ácido fosfórico ligado à Ribose (glúcido) e este às bases (adenosina. Ácido ribonucleico . . está ligada à adenosina da outra cadeia.O P representa o grupo fosfato (ácido fosfórico). a base Timina de uma cadeia polinucleotídica (cada cadeia é constituída por vários nucléotidos). o hexágono amarelo a DESOXIRRIBOSE (glúcido). e a guanina ligada à citosina.

1. . os seres mais complexos precisam de ingerir e de fazer a digestão. como os autotróficos. da matéria orgânica (simplificação de macromoléculas de modo a serem utilizadas pelas células) que será posteriormente transportada pelo sangue (seres mais complexos). em órgãos especializados.Obtenção de matéria pelos seres heterotróficos 1.Unicelularidade/ pluricelularidade Os seres heterotróficos são os mais abundantes quer sejam unicelulares quer sejam pluricelulares. ou outros fluidos até às células. Estes seres necessitam de outros seres para sobreviverem pois não conseguem. As substâncias orgânicas vão ser utilizadas pelas células no seu metabolismo celular e estas substâncias que sofreram o transporte rumo à célula terá que passar através da seletividade da membrana celular. Os seres unicelulares capturam a matéria orgânica através da absorção. produzir matéria orgânica.1.

garante a manutenção do meio intracelular da célula e separa-o do meio extracelular. apenas se consegue observar no microscópio electrónico. desenvolvida por Singer e Nicholson em 1972. e glúcidos (10%). dá estrutura). e controla a entrada e a saída de substâncias . ou seja. A membrana delimita a célula. É uma estrutura muito pequena. ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO QUÍMICA A membrana é constituída por Proteínas (25%). Lípidos (bicamada fosfolípidica. MEMBRANA PLASMÁTICA. A proporção existente depende do tipo de célula. pode conter colesterol . Desde há muito que se estuda a membrana celular e ao longo do tempo foram surgindo variados modelos explicativos da membrana. não visível a microscópio óptico. Os macroconsumidores transforma a matéria orgânica em orgânica os microconsumidores transforma a matéria orgânica em iinorgânica no exterior do seu corpo mas é através da absorção que adquirem a matéria orgânica que necessitam (fungos e algumas bactérias). para a explicação do funcionamento da membrana é o MODELO DO MOSAICO FLUIDO. atualmente. ela é a responsável por garantir a obtenção de matéria para a célula.40%). CELULAR OU PLASMALEMA Todas as células possuem esta estrutura. . consumidores e decompositores. o que é aceite.Os heterotróficos podem ser macronsumidores ou microconsumidores. Lípidos da membrana Os lípidos da membrana são essencialmente os fosfolípidos e o colesterol (só em células animais.

fracamente ligadas à parte mais externa de ambas as camadas dos fosfolípidos. Glúcidos da membrana Nem todas as membranas têm estas molécula. intervir no transporte de substâncias. São receptores de informação de certas substâncias e localizam-se na parte externa da membrana. quando se encontram intimamente ligadas à bicamada. recetoras de estímulos químicos. ou enzimas. e podem ser EXTRÍNSECAS ou PERIFÉRICAS quando se encontram. podem ser INTRÍNSECAS ou INTEGRADAS.O colesterol é uma molécula pertencente ao grupo de esteróides Fosfolípido (lípidos com anéis de carbono) e é insolúvel em água o que faz diminuir a permeabilidade da membrana. Se a proteína Intrínseca atravessar toda a membrana designa-se por TRANSMEMBRANAR As proteínas Intrínsecas são moléculas ANFIPÁTICAS. . Confere rigidez à membrana Proteínas da membrana Encontram-se "presas" à bicamada de fosfolípidos. ou seja têm uma parte hidrofílica (parte externa da camada) e outra hidrofóbica (parte interna da camada) Função: podem ser estruturais. Os tipos de proteínas que aparecem na membrana dependem de célula para célula.

. posteriormente.Quando os glúcidos se ligam às proteínas formam-se as GLICOPROTEÍNAS e quando se ligam aos lípidos. formam-se os GLICOLÍPIDOS. Modelo do Mosaico Fluido Chama-se assim porque a membrana não é uma estrutura rígida. pois existe movimentos laterais (fosfolípidos) e também podem ocorrer transversais (movimentos flip-flop). congelando a membrana consegue-se separa as duas camadas TRANSPORTE ATRAVÉS DAS MEMBRANAS . das moléculas que as constituem (fosfolípidos e algumas proteínas). com o avanço da técnica com a CRIOFRATURA. Este modelo foi apoiado.

O transporte das substâncias pela membrana é feito por diversos processos em que uns são meramente físicos .TRANSPORTE NÃO MEDIADO. Esquema Característi substância tipos de transporte cas do s processo envolvidas Não Difusão mediado simples gases e A energia provenient substância s transporte e para a lipossolúv passivo realizar a eis difusão é a própria energia cinética normal das moléculas. e outros as proteínas que constituem na membrana intervém TRANSPORTE MEDIADO. O movimento das moléculas ocorre do meio mais .

MEIO HIPOTÓNIC O para zonas de . água É um caso Osmose particular da difusão transporte passivo simples em que a substância que se desloca é a água. a favor do gradiente. Transporte a favor do gradiente de concentraç ão (passa de zonas de menor concentraç ão de um soluto.concentrad o para o meio menos concentrad o.

. Se a célula está exposta num meio hipotónico em relação ao meio intracelular. tem uma elevada pressão osmótica e uma solução com baixa concentração de soluto (meio hipotónico). a água da célula desloca-se para o exterior e a célula diminui de volume. Se a célula está exposta num meio hipertónico em relação o meio intracelular. Uma solução com elevada concentração de soluto (meio hipertónico).maior concentraç ão. Se a concentraç ão de um soluto é igual nos dois meios. diz-se que é ISOTÓNICO. MEIO HIPERTÓNI CO. a PRESSÃO OSMÓTICA. a água entra para o vacúolo da célula e esta aumenta de volume. diz-se que a célula fica TÚRGIDA. tem baixa pressão osmótica. diz-se que está PLASMOLISADA. Para que a água se desloque gera-se uma pressão.

Na célula animal. que estava hipertónico em relação à célula. Mediado Difusão facilitada Glicose e As substâncias transporte deslocam- passivo se a favor do gradiente de concentraç aminoácid os . esta exerce uma força contrária à água que entra na célula fazendo que o aumento de volume não seja significativo. que é a água que as células perderam para o meio.A célula vegetal tem a parede celular e na turgência. Após um tempo aparece no fundo uma solução aquosa na saladeira. com o aumento de volume pode acontecer a LISE da célula (rebenta). Um exemplo prático deste processo é quando temperamos uma salada de tomate com sal.

esta muda de configuraçã o durante o transporte da substância para permitir a entrada da mesma.ão mas são auxiliadas pelas PERMEASES (proteínas específicas) que são proteínas transportad oras da membrana. A substância liga-se à permease. .

A substância liga-se à proteína da membrana e esta muda de forma graças à energia e transporta a substância par o outro potássio e sódio . zonas de menor contração para zonas de maior concentraç ão e há dispêndio de energia. Intervém também proteínas da membrana.Transporte iões O ativo transporte é contra o gradiente de concentraç ão.

lado da membrana. eliminaçã Dá-se a Transpor Endocitose te de macrom oléculas o de invaginação bactérias da pelos membrana. uma gotículas vesícula de lípidos. formando a vesícula (leucócitosmacrófagos ). macrófago forma-se s. endocítica macromol e as substâncias do meio extracelult ar ficam retidas. FagocitoseA célula emite pseudópod es e envolve as substâncias .As substâncias que entram éculas . Pinocitose .

As s da vesículas digestão c exocíticas elular movem-se até à membrana. dá-se fusão da membrana da vesícula com a membrana celular e o da vesícula liberta-se para o meio extracelula r. hormonas. Éo Exocitose processo enzimas digestivas. inverso produtos da endocito excretado se.para dentro da célula são fluídas. Obtenção de energia .

Ingestão. a digestão é como já referimos e como já estudaste o conjunto de processos que leva à simplificação de macromoléculas em micromoléculas por reações de hidrólise catalisadas pelas enzimas e a absorção é a passagem destes nutrientes simples através das membranas celulares. digestão e absorção A ingestão é o processo que leva à introdução dos alimentos no ser vivo. DIGESTÃO INTRACELULAR_______________________________________________________ ___________________________ Se observarmos uma célula podemos verificar que a maior parte o voluma da célula é ocupado pelo sistema membranar.1. a membrana nuclear.1. si. A digestão pode ocorrer no interior da célula (DIGESTÃO INTRACELULAR) e no exterior da célula (DIGESTÃO EXTRACELULAR).2. Este sistema é constituído por organitos que tem comunicação entre complexo de Golgi. de forma a poderem ser utilizadas no metabolismo celular. retículo endoplasmático e o .

designa-se por Lúmen. Rugoso é onde ocorre a maioria da síntese de proteínas. chama-se retículo endoplasmáticoRUGOSO. O R.wikipedia.JPG RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO__________________________________________________________ ________________________ Localiza-se entre a membrana nuclear e a membrana celular. algumas são enzimas.org/wiki/Ficheiro:C%C3%A9lula_Eucarionte. é constituído por muitas membranas que delimitamvesículas ou cisternas e túbulos.E. Se estes túbulos e cisternas forem revestidos externamente por ribossomas. O interior do R. .http://pt. se não tiver os ribossomas é retículo endoplasmático LISO.E.

O R.G. Os dictiossomas são as cisternas achatadas em forma de disco (normalmente em número de 4 a 7 discos) e rodeadas por vesículas. como drogas e pesticidas e formação de novas membranas. Possuem uma face convexa virada para o RE e uma parte concava. Liso é onde ocorre a síntese de fosfolípidos. onde as vesículas vão sendo substituídas por novas vesículas vindas da parte convexa e esta dará origem a vesículas de secreção. vão sofrendo transformações. onde os dictiossomas recebem as proteínas vindas do RE e a parte convexa é a fase de maturação. como por exemplo: enzimas ficam ativas . As proteínas que vão passando do RE para o C. A convexa é a fase de formação. COMPLEXO DE GOLGI _________________________________________________________________________ _________ É o nome que se dá ao conjunto de todos os dictiossomas (corpos do complexo) de uma célula.E. modificação de moléculas que entram na célula.

e originam um VACÚOLO DIGESTIVO..com/w/page/7537850/C2 LISOSSOMAS_______________________________________________________________ _______________________________ Lisossomas são vesículas delimitadas por uma membrana e que contém enzimas. Podem unir-se a outras vesículas endocíticas (no citoplasma).HETEROFAGIA e também participam na digestão de organelos que necessitam de ser renovados. clica no aparelho de Golgi para veres como funciona http://gleesonbiology. formando um vacúolo autofágico -AUTOFAGIA. Os lisossomas intervém nas digestões das substâncias que foram endocitadas (fagocitose e pinocitose) . . Forma-se na fase de maturação do complexo de Golgi.pbworks.

como por exemplo acontece com alguns fungos.html ] Procura na célula organito.http://www.genetics. extracelular.mcgrawhill.com/sites/0072495855/student_view0/chapter2/animation__lysosomes.utah.infopedia.edu/content/begin/cells/insideacell/ DIGESTÃO EXTRACELULAR_______________________________________________________ ___________________________ Na maioria dos heterotróficos mais complexos a digestão é feita fora das células. sendo que há seres em que a digestão é fora do corpo (extracorporal).pt/ Presta atenção à animação (som) [http://highered. clica e assiste http://learn. .

Os produtos gerados na digestão extracelular são absorvidos por todas as células onde ocorre a digestão intracelular.br/ A Hidra tem boca circundada por tentáculos e está ligada a uma cavidade em forma de saco (cavidade gastrovascular .funções digestivas e absorção dos nutrientes para as células) onde ocorre a digestão extracelular. têm duas aberturas (uma é a boca e outra é o ânus). também os sistemas digestivos vão evoluindo de forma a um maior aproveitamento dos alimentos.org. Os produtos excretados pelas células passam para a cavidade através da exocitose e são libertado do corpo através da contração do corpo. ou seja têm apenas uma abertura por onde entram os alimentos é o mesmo local por onde sai o que não foi digerido) e podem ser completos. Sistema digestivo incompleto . .cebatuira.Hidra e Planária retirado e adaptado de: http://www. Os sistemas digestivos podem ser incompletos (hidra e planária).Conforme a complexidade do ser vai aumentando.

aumentando assim. já apresenta alguma diferenciação. no entanto. a área de digestão e absorção. A digestão pode ocorrer em vários órgãos especializados para a digestão específica de determinados nutrientes. ficha de apoio: http://www.O sistema digestivo da Planária é semelhante ao da Hidra.com/fichas/bio10/10_8_digestao_invertebrados.Minhoca .pdf Sistemas digestivos completos (digestão exclusivamente extracelular) Os seres que possuem sistemas digestivos completos têm vantagem dado que o percurso dos alimentos ocorre num só sentido aumentando a eficiência da digestão e absorção. A cavidade gastrovascular é ramificada. A digestão. A seguir à boca tem uma faringe musculosa que se pode projetar para o exterior e captar o alimento. A absorção ao dar-se num tubo é mais eficiente e os produtos de excreção são expulsos por um outro orifício (o ânus).netxplica. Invertebrado . tal como na Hidra. começa na cavidade e depois completa-se nas células.

Alguns têm glândulas salivares. . Todos apresentam dois órgãos anexos (fígado e Pâncreas). Na fotossíntese e na quimiossíntese a produção de ATP é fundamental para a formação dos compostos orgânicos.o ATP .ADENOSINA TRIFOSFATO que é fonte de energia que é utilizável pela célula.2. No intestino a ação enzimática faz com que haja a simplificação em moléculas mais simples e ao longo do intestino.A captura dos alimentos processa-se através de um mecanismo de sucção devido à contração dos músculos da faringe.ADP. De seguida deslocam-se para a moela onde são triturados devido à contração das paredes. As células não têm armazenadas grandes quantidades de ATP e a transferência de energia depende do ciclo ATP . produtores de substâncias que são lançadas no intestino (bílis do fígado e enzimas do Pâncreas) e misturadas com os produtos alimentares. a captação da energia luminosa e a experiência de Engelmann. Depois os alimentos passam para o esófago e são armazenados no papo. pelo ânus. 1. O ATP A energia luminosa e a química não são utilizadas diretamente pelas células. depois. Os produtos a excretar saem. parte dessa energia é transferida para um composto . a minhoca tem uma prega dorsal que permite aumentar a superfície de absorção. o cloroplasto. Vertebrados Os vertebrados são os seres mais complexos e o seu sistema digestivo acompanha esta complexidade. Obtenção de matéria pelos seres autotróficos ALGUNS CONCEITOS PARA COMPREENDER A FOTOSSINTESE: o ATP.

Para o Difosfato passar a Trifosfato têm-se de juntar o ião fosfato e liberta-se água.ADP . . é o processo inverso.Dá-se a reação de hidrólise (ATP + água).Ciclo ATP . sai um ião fosfato liberta-se energia (reação exoenergética) e o Trifosfato passa a Difosfato. chama-se Fosforilação do ADP e a reação é endoenergética (necessita de energia).

mas em menor quantidade. O Interior do cloroplasto é constituído por um fluido. São revestidos por duas membranas lipoproteicas. É no cloroplasto que se encontram os pigmentos que são fundamentais na fotossíntese (clorofia a e b).CLOROPLASTO Os cloroplastos é um organito existente nas plantas e algumas bactérias (cianobactéria). o plural é grana. As moléculas de clorofila estão dispostas nas membranas dos tilacoies. A clorofila é capaz de absorver energia luminosa e transformá-la em energia química. o estroma. . os tilacoides. Os cloroplastos para além da clorofila têm outros pigmentos. Cada pilha de tilacoide chama-se de granum. por exemplo os carotenos (laranja). e têm no seu interior um complexo membranoso formado por invaginações das membranas e formando pequenas bolsas discoides achatadas e empilhadas.

De toda a energia que atinge a Terra.tudosobreplantas.net/ Captação da energia luminosa As reações termonucleares do Sol emitem grandes quantidades de energia radiante que constitui o espetro eletromagnético. através dos fotões. http://www.Cada célula têm em média cera de 40 cloroplastos. Estas radiações propagam-se em ondas e a sua energia é avaliada pelo comprimento de onda. . apenas 42% atravessa a atmosfera.

vês que os raios UV e os raios X. melanomas.com/ Os pigmentos fotossintéticos são substâncias que captam a luz solar e iniciam todo o processo da fotossíntese.cientic.. se observares a figura. Por esta razão. Se esta luz passar por um prisma têm-se a decomposição do espetro da luz luz branca em radiações que vai do violeta ao vermelho. http://www..). mas não absorve os que correspondem à cor verde e como os reflete. Cada radiação é caraterizada pelo comprimento de onda e quanto maior for este comprimento de onda menor é a energia. Os olhos humanos têm capacidade para detetar luz com comprimentos de onda entre os 380nm e os 750nm e esta faixa é conhecida como LUZ VISÍVEL ou BRANCA. existentes na atmosfera (comprimentos de onda longos). apresentam essa cor. . causam lesões nas células (queimaduras solares. outra parte é filtrada pela água e dióxido de carbono. A Clorofila absorve radiações de diferentes comportamentos de onda. antes de chegarem à superfície terrestre.Parte é filtrada na camada de ozono (comprimentos de onda curtos). embora não visíveis. são muito energéticos e.

Num microscópio tinha adaptado um prisma ótico que permitia a decomposição da luz branca . Colocou numa lâmina a Spirogyra e água com bactérias.cientic.http://www. Cobriu a preparação com uma lamela e verificou que as bactérias se encontravam uniformemente espalhadas em toda a preparação. O objetivo era relacionar os comprimentos de onda da luz com a eficácia da fotossíntese. a Spirogyra e com bactérias aeróbias (utilizam o oxigénio na respiração). . No final da experiência Engelmann verificou que as bactérias se deslocaram para zonas onde incidiam as radiações vermelho-alaranjada e azul-violeta.com/ Espetro da absorção dos pigmentos existentes nos cloroplastos A experiência de Engelmann Theodore Engelmann foi um botânico e microbiólogo alemão do século XIX que em 1882 elaborou uma experiência com uma alga filamentosa. (As bactérias deslocaram-se à procura de oxigénio fornecido pela Spirogya através da fotossíntese).

net/ Relação entre o espetro de ação e o espetro de absorção de uma planta A concordância entre estes dois espetros sugere que os pigmentos fotossintéticos são responsáveis pela captação da luz. As radiações com comprimentos de onda correspondentes à cor verde não são absorvidas. .plantphys.Pode concluir que estas radiações eram as mais absorvidas pelas plantas de cor verde. uma vez que a maiores taxas fotossintéticas correspondem as maiores taxas de absorção de radiação. são refletidas daí vermos a cor verde nas plantas http://5e.

Fotossíntese Os seres autotróficos. são produtores. pois produzem a matéria orgânica essencial aos seres heterotróficos que dependem diretamente (herbívoros) ou indiretamente (carnívoros e omnívoros). A energia é transferida de molécula para molécula até chegar à clorofila a.2.1. mas também necessitam da geosfera e da hidrosfera para sobreviverem (água e sais minerais).1. São fundamentais para o equilíbrio da biosfera. FOTOSSISTEMAS É nas membranas dos tilacóides que existem os pigmentos fotossintéticos agrupadas em FOTOSSISTEMAS.2. A clorofila fica excitada e perde um eletrão que é transferido para uma . Obtenção de matéria pelos seres autotróficos 1.

A fotossíntese compreende dois processos complementares: -a fase fotoquímica (reações que dependem da luz). A clorofila do fotossistema II fica excitada e perde eletrões que vão reagir com a molécula de água. Os eletrões vão fluir para uma cadeia de acetores que existem na membrana do . -e a fase química (não depende diretamente da luz).molécula aceitadora de eletrões (proteína). Existem. presente no cloroplasto na membrana interna. dois tipos de fotossistemas I e o II que atuam em conjunto. constituindo a fonte energética inicial. Genericamente a fotossíntese pode-se traduzir por esta equação: 6 CO2 + 6 H2O --------> C6H12O6 + 6 O2 Há produção de oxigénio proveniente da água e de glicose do dióxido de carbono. A designação I e II tem apenas a ver com altura em que foram descobertas. protões e eletrões. conhecidos. FASE FOTOQUÍMICA 1-A luz solar incide nas folhas e é absorvida pela clorofila. esta energia será depois utilizada em reações químicas (energia luminosa transformada em energia química). oxidando-a e originando a libertação do oxigénio. no tilacoide. A molécula da clorofila do fotossistema II é especializada em absorver energia luminosa com um comprimento de onda de 680 nm e a do fotossistema I em energia com comprimento de onda de 700nm.

reencaminha os eletrões para o estroma e em conjunto com os protões. f o s f o r i l a ç ã o d o A D P (ocorre no estroma) 3. molécula importante.O Fotossistema I após captar a energia luminosa. o x i d a ç ã o d a á g u a .tilacoide e que serão transportados até ao fotossistema I. Os protões que foram encaminhados para o interior do tilacóide vão ser utilizados para a fosforilação do ADP que irá ocorrer no estroma (exterior do tilacóide). reduzindo-a e transformando-a em NADPH (molécula transportadora de eletrões e hidrogénios). Os eletrões que a clorofila perdeu acabam por ser repostos pela fotólise da água.fotólise da á g u a (ocorre no interior do tilacóide) 2-O fluxo de eletrões liberta energia para transformar várias moléculas ADP em ATP. vão ser cedidos a uma molécula chamada de NADP(+) (Nicotinamina adenina dinocleótido fosfato). tal como o ATP para a formação de compostos orgânicos. Os protões de hidrogénio deslocam-se para o interior do tilacóide. .

r e d u ç ã o
a c e i t a d o r a s

d a

m o l é c u l a

d e

H i d r o g é n i o

N A D P (ocorre no estroma)

FASE QUÍMICA

Esta fase ocorre no estroma dos cloroplastos e é nela que se forma a glicose, pela
reação inicial entre o dióxido de carbono atmosférico e a ribulose difosfato (RDP),
um composto com cinco carbonos, que funciona para a incorporação do CO2.
Nesta fase ocorre uma série de reações químicas que necessitam de ATP e NADPH
formados na fase anterior. Estas reações ocorrem por ação de enzimas que dependem
da presença de luz e da temperatura. O dióxido de carbono desde que entra na
planta sofre uma sequência de reações até à formação de matéria orgânica.
Em 1950 um grupo de cientistas da Universidade da Califórnia, liderado por Melvin
Clavin, utilizando uma série de compostos marcados radioactivamente conseguiam
estudar a sequência de reações, permitindo conhecer as moléculas intervenientes na
formação de glicose, e o papel do ATP e NADPH na síntese de matéria orgânica. Esta
sequência está expressa no Ciclo de Calvin, homenagem ao cientista.
Ciclo de Calvin é constituído por 3 fases:
1ª Fixação do Carbono
2ª Produção de compostos orgânicos

3ª Regeneração do aceitador
O CO2 combina-se com a ribulose difosfato (RuBP) que origina um composto com 6
carbonos instáveis.
Este composto instável dá origem imediatamente a 2 moléculas de com 3 carbonos
cada uma, o ácido fosfoglicérico (PGA).
O ATP atua nestas 2 moléculas e estas são reduzidas pelo NDPH, formando o aldeído
fosfoglicérico (PGAL).
Por cada 12 PGAL, 10 são utilizadas para regenerar o RuBP e 2 são para sintetizar
compostos orgânicos.
Para se formar uma molécula de glicose é necessário que o ciclo ocorra 6 vezes
gastando-se:
- 6 moléculas de CO2;
-18 moléculas de ATP;
-12 de NADPH.
O aldeído fosfoglicérido é utilizado não só para a formação da glicose mas também
de outros compostos orgânicos : aminoácidos, glicerol e ácidos gordos.

1.2.2. Quimiossíntese
Os seres quimioautotróficos (grupo de bactérias sulfurosas, nitrificantes e ferrosas),
são os protagonistas deste processo. Sintetizam matéria orgânica a partir da oxidação
de compostos inorgânicos.
Utilizam a energia proveniente da oxidação na formação de ATP, protões H+ e
eletrões, para fixar o dióxido de carbono e sintetizar a matéria orgânica. Os
compostos são: amoníaco (NH3), dióxido de carbono (CO2) ou Sulfureto de Hidrogénio
(H2S).

através da redução do NADP(+). formam-se eletrões e protões que são transportado numa cadeia para produzir ATP e NADPH. Distinguem-se 2 fases: 1. onde a luz solar não penetra.Dá-se oxidação dos compostos.Nas fumarolas negras. fontes hidrotermais que se localizam a grandes profundidades no fundo oceânico. a existência destas bactérias sulfurosas produtoras de matéria orgânica. são a base a cadeia alimentar do local. .

O transporte nas plantas Acabamos de estudar a fotossíntese e vimos a importância das folhas neste processo. 2-Obtenção de matéria 2. .Produção de compostos orgânicos a partir do dióxido de carbono. do ATP e do poder redutor de NADPH.1. Há árvores com mais de 100m de altura entre as raízes e a sua copa.2. onde estão as folhas. Vamos neste capítulo perceber como os sais minerais chegam às folhas e como os produtos orgânicos elaborados na fotossíntese se deslocam para células distantes.

mais complexas existe um sistema de transporte e denominam-se VASCULARES. são plantas simples e denominam-se AVASCULARES. PLANTA VASCULAR Possui um sistema de transporte. caule e folhas) e que lhes permite a . entrada da água na célula. As raízes das plantas tiveram que evoluir e passaram a fixar a planta e absorver água e nutrientes do solo. a partir de plantas aquáticas. TRANSLOCAÇÃO.. PLANTAS AVASCULARES (NÃO VASCULARES) Não possuem sistema de transporte. Existem plantas que não necessitam de estruturas especializadas para transportar substâncias. e os nutrientes por difusão simples.. algas verdes com semente Angiospérmicas (sem Gimnospérmicas flor) (com flor) ex: fetos pinheiro ex: magnólia. A sua simplicidade permite que todas as células estejam em contato com a luz e a proximidade das células de toda a planta permite a passagem dos nutrientes. dois tecidos especializados. então. trouxe alguns problemas com a aquisição e retenção de água.A evolução das plantas terrestres. Nas espécies mais evoluídas. permitindo a eficiente troca de produtos de absorção e de assimilação entre as raízes e a parte aérea. as raízes e as folhas se tornaram cada vez mais separadas umas das outras e foram. roseira. ou seja. organizados em feixes em todos os órgãos da planta (raiz. as substâncias deslocam-se por processos de osmose. criados sistemas para transporte à longa distância. O movimento de água e de substâncias inorgânicas e orgânicas nas plantas chama-se Avasculares Vasculares sem semente sem semente Briófitas Pteridófitas ex: musgo. Com o aumento no tamanho das plantas.

local da matéria-prima onde há produção de e os órgãos de matéria orgânica e produção de onde se dá a troca matéria orgânica. onde tiveram origem a todos os restantes órgãos da planta). Os órgãos da planta folha. e dentro desta. gasosa. recordar: raiz caule folha Assegura a fixação ao solo e capta a Faz a comunicação estrutura matéria-prima (água e sais minerais).troca de substâncias entre o meio e a planta. a comunicação entre células. caule e raiz têm papéis diferentes que em conjunto asseguram o desenvolvimento e sobrevivência da planta.sentido ascendente) e o FLOEMA (transporta os produtos da fotossíntese desde as folhas. Estes dois tecidos são o XILEMA (transporta água e sais minerais de baixo para cima. Na superfície A eficiência da captação de água e sais minerais deve-se à existência dos pêlos radiculares que aumentam a área da raiz em contato com o solo. . entre a captação fotossintética.

as folhas. têm um tecido clorofilino constituído por células fotossintéticas. o mesófilo. A água e os sais minerais entram na planta através da absorção nas raízes. OS ESTOMAS São estruturas por onde o dióxido e carbono entra na célula e que controlam a quantidade de água que sai na transpiração. condutores (xilema e floema). São formadas por duas CÉLULAS GUARDA (têm cloroplastos) que revestem um orifício o OSTÍOLO. o correto para além dos tecidos transporte. O dióxido de carbono entra nos ESTOMAS que se localizam na folha.externa está a epiderme onde se localizam os estomas que assegura as trocas. Assegura Na estrutura interna. .

fazendo que o ostíolo abra. . expandem-se no sentido das paredes mais finas das células guarda. intensidade luminosa etc. Quando a pressão de turgência diminui (os vacúolos diminuem o seu volume) e fecha-se o ostíolo. As primeiras duas são os vasos lenhosos ou vasos xilémicos. as células deformam-se.seiva bruta . ou lenho.Os estomas controlam a quantidade de água que é perdida pela transpiração da planta. o Ph do meio. Com excepção do parênquima lenhoso. O transporte nas plantas XILEMA O xilema. fibras lenhosas e parênquima lenhoso. são células mortas impregnadas por lignina e reforçadas com celulose. Os estomas estão sempre "revestidos" por água que vem das raízes. Existem 4 tipos de células xilémicas: traqueídos. elementos de vaso. As células guarda são constituídas por uma parede que é mais espessa no local que revestem o ostíolo. a concentrações de iões. pressão de turgência. A pressão de turgência das células guarda depende de vários factores como por exemplo. é responsável pela condução de água e sais minerais . Quando as células estão turgidas (cheias de água nos seus vacúolos).das raízes até o topo da planta.

as paredes transversais desaparecem e forma cordões celulares da raiz até à folha. . FLOEMA Floema ou Líber. conduz a seiva elaborada nas folhas às outras regiões da planta.Os vasos xilémicos são formados por células mortas colocadas topo a topo e em que nos traqueídos as paredes transversais estão presentes e as células contatam entre si através de poros e nos elementos de vaso.

. fibras e células parênquimosas.Existem 4 tipos de células: Elementos dos tubos crivosos. Todas estas células com excepção das fibras. as paredes transversais possuem vários poros (crivos). Os elementos de tubos crivados as células são anucleadas e alongadas . As células companhia estão ligadas às células dos tubos crivosos e fornecem energia a estas células. As fibras são células mortas alongadas que conferem resistência e suporte à planta. células companhia. por onde passa a seiva elaborada de uma célula para outra. formando a placa crivosa. As células parênquimosas têm função de reserva. são constituídas por células vivas.

Comparando a estrutura dos vasos do xilema e do floema .

apresentam diferentes posições dos tecidos condutores e diferentes desenvolvimentos relacionados com a função que cada órgão desempenha (folha. . quando observados ao microscópio.Os diferentes órgãos da planta. caule e raiz).

grande concentrações de iões. com gasto de energia.Absorção de água e de solutos pelas plantas Os pêlos radiculares. em geral. aumentam a superfície de contato entre a planta e o solo. . meio hipotónico que o solo envolvente e os iões minerálicos entram por difusão através da membrana das células. maior que a do soluto do solo. como já se disse. contra o gradiente de concentração. neste caso os iões irão entrar por transporte ativo. É no solo que se encontra o soluto a absorver. enquanto que a água entra para a planta porosmose até atingirem os vasos xilémicos. terá mais ou menos iões minerálicos e água. têm uma menor concentração de soluto. e dependendo da qualidade do solo. As células da raiz da planta. Por vezes as raízes podem acumular (são também órgãos de reserva).

no verão pode chegar aos 6ocm por minuto.Os iões e a água vão chegar ao xilema e constituir a seiva xilémica ou seiva bruta que é constituída por cerca de 99% de água e iões dissolvidos (fosfatos. A água desloca-se desde zona apical da raíz (pêlos radiculares) até aos vasos xilémicos por 3 vias: Via apoplástica: a água desloca-se através do apoplasto que representa a ligação de todas as paredes celulares e espaços intercelulares. O movimento é rápido. sulfatos. sulfatos. nitratos. sódio e cloro). potássio. no verão pode chegar aos 6ocm por minuto. Via simplástica: a água desloca-se do simplasto que representa a ligação de todas as células do corpo através dos plasmodesmos ("pontes" que ligam as membranas das células umas às outras) Estes atravessam as paredes celulares de células contíguas permitindo que exista uma continuidade citoplásmica . nitratos. sódio e cloro). O movimento é rápido. TRANSPORTE NO XILEMA Os iões e a água vão chegar ao xilema e constituir a seiva xilémica que é constituída por cerca de 99% de água e iões dissolvidos (fosfatos. potássio.

Via transcelular: a água passa de célula para célula.entre as células adjacentes. .